4

Ministério Público vai investigar espionagem ordenada por Portela

Procuradoria-geral de Justiça quer apurar “possível investigação indevida de agentes detentores de foro especial por quem não detém tal autorização”; e já marcou para esta terça-feira, audiência com o delegado Thiago Bardal

 

THIAGO BARDAL VAI SER OUVIDO NO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA FALAR DAS AÇÕES DE JEFFERSON PORTELA à frente da Secretaria de Segurança

O Ministério Público do Maranhão vai ouvir em audiência nesta terça-feira, 6, o delegado Thiago Mattos Bardal, que acusa o secretário de Segurança Jefferson Portela de espionagem contra autoridades maranhenses.

A investigação contra Portela foi determinada pela Procuradoria-Geral de Justiça, com base em Notícia de Fato, protocolada pelo deputado federal Edilázio Júnior (PSD).

O objetivo é apurar “possível investigação indevida de agentes detentores de foro especial or quem não detém tal autorização”, segundo diz a Notificação, assinada pelos promotores Adélia Maria Souza Rodrigues Morais, Ilana Franco Boueres Laender Morais, Marcos Valentim Pinheiro Paixão e Geraulides  Mendonça Castro, todo assessores especiais da PGJ.

A audiência com Bardal está marcada para as 14h desta terça-feira, 6.

Veja abaixo, a notificação do Ministério Público:

1

O medo que tem o PCdoB do depoimento de Thiago Bardal…

Partido do governador Flávio Dino moveu céus e terras para impedir a audiência do delegado que acusa o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de ordenar espionagens contra autoridades maranhenses

 

É pouco provável que a Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados consiga reverter, a tempo, o veto do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) à audiência com o delegado Thiago Bardal.

Aliado do governador Flávio Dino (PCdoB), Maia acatou recurso de uma deputada do PCdoB do Acre contra  participação de Bardal na oitiva, que tem ainda a presença do delgado Ney Anderson Gaspar.

Mais do que impedir sob argumentos regimentais a fala de um cidadão, o impedimento de Maia revela a preocupação do governo Dino com as declarações de um de seus ex-colaboradores.

Preso preventivamente sob acusação de formação de quadrilha  contrabando, Bardal acusa reiteradamente  o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de comandar espionagem contra autoridades.

Para barrar a participação de Bardal na audiência, Rodrigo Maia acatou os argumentos da parlamentar comunista, segundo os quais o delegado só poderia ser ouvido por CPI.

A audiência de Ney Anderson Gaspar continua agenda para esta terça-feira, 2…

0

Thiago Bardal participará de audiência na Câmara Federal…

Participação de delegado maranhense em comissão que apura denúncias de espionagem protagonizadas pelo secretário de Segurança Jefferson Portela foi autorizada pelo juiz Ronaldo Maciel

 

BARDAL IRÁ FALAR NA CÂMARA FEDERAL SOBRE AS DENÚNCIAS CONTRA JEFFERSON PORTELA, acusado de espionar autoridades maranhenses

A aposta do governo Flávio Dino (PCdoB) deu errado, e o delegado Thiago Bardal vai mesmo participar da audiência pública na Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados, que apura denúncias contra o secretário Jefferson Portela.

A participação de Bardal, que está preso preventivamente, sob acusação de crimes de quadrilha e contrabando, foi autorizada nesta quarta-feira, 26, pelo titular da 1ª Vara Criminal, juiz Ronaldo Maciel.

Além de Bardal, também depor o delegado Ney Anderson Gaspar.

Os dois acusam Portela de usar a estrutura da pasta para espionar autoridades maranhenses, entre desembargadores, políticos, empresários e até auxiliares do próprio governo.

A audiência está marcada para a terça-feira, 2, em Brasília…

0

Comissão da Câmara ainda não tem garantias de depoimento de Thiago Bardal…

Preso sob acusação de contrabando internacional e formação de quadrilha, delegado está sob custódia da Secretaria de Segurança e precisa de autorização judicial para ser levado a Brasília

 

PRESO SOB ACUSAÇÃO DE CONTRABANDO, BARDAL PRECISA DE AUTORIZAÇÃO JUDICIAL PARA IR A BRASÍLIA, para depoimento na próxima terça-feira, 2

Marcada para a próxima a próxima terça-feira, 2, a audiência da Comissão de Segurança da Cãmara Federal com o delegado maranhense Thiago Bardal, ainda não tem garantias de realização.

O delegado responde a investigação de formação de quadrilha e contrabando internacional, e está preso desde o ano passado.

Para viajar a Brasília, precisa de autorização do juiz Ronaldo Maciel, responsável pelo processo em que ele figura como réu.

Além de Bardal, a comissão da Câmara quer ouvir o também delegado Ney Anderson Gaspar, ora licenciado do cargo.

Os dois ex-auxiliares acusam o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de determinar espionagem de membros do Judiciário, deputados federais, senadores e até membros do próprio governo Flávio Dino (PCdoB).

A comissão da Câmara Federal já entrou com pedido formal de autorização para que Bardal viaje a Brasília, sob escolta da Polícia Federal.

Jefferson Portela também deve ser ouvido pela Câmara em audiência cuja data ainda deve ser marcada…

0

Bardal e Ney Anderson vão falar à Justiça contra Portela…

Delegados acusam o secretário de Segurança de manipular informações e ordenar espionagem contra membros do TJ-MA; oitiva será comandada pelo corregedor-geral de Justiça, desembargador Marcelo Carvalho

 

JEFFERSON PORTELA ESTÁ SENDO DENUNCIADO PELOS COLEGAS THIAGO BARDAL JEFFERSON PORTELA que irão depor à Corregedoria Geral de Justiça

Os delegados da Polícia Civil maranhense Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar vão ser ouvidos na tarde desta segunda-feira, 17, pelo corregedor-geral de Justiça, desembargador Marcelo Carvalho.

Os dois acusam o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de ordenar espionagem contra membros do Tribunal de Justiça.

O procedimento na CGJ foi aberto por determinação do comando do TJ-MA, após revelação dos nomes dos desembargadores – são vários – que seriam alvo de Portela.

O caso também será levado à Câmara Federal, também com depoimento de Bardal e Gaspar.

A audiência no Tribunal de Justiça está marcada para as 16 horas desta segunda-feira…

2

Em Brasília, cerco irá se fechar contra Jefferson Portela…

Audiência com o delegados que acusam o secretário de Segurança de espionagem pode elevar o caso nacionalmente, chamando atenção da Polícia Federal

 

BARDAL IRÁ REVELAR À CÂMARA FEDERAL DENÚNCIAS CONTRA FLÁVIO DINO E JEFFERSON PORTELA, o que pode atrair os olhares nacionais para o Maranhão

A aprovação do Requerimento de convocação dos delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar na Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados pode gerar sérios problemas ao secretáriod e Segurança, Jefferson Portela.

Os dois delegados serão ouvidos para esclarecer denúncias de que Portela teria mandado espionar políticos, magistrados e autoridades, incluindo deputados federais e senadores.

Com a audiência na Câmara Federal, os dois delegados exporão o escândalo em âmbito nacional, o que poderá trazer sérios problemas a Portela.

É aguardar e conferir…

0

Espionagem marca governo comunista de Flávio Dino…

Inspirado em excepcional artigo do advogado Abdon Marinho, blog relembra todos os casos que transformam a atual gestão do estado em uma espécie de covil de espiões bancados com recursos públicos

 

MAIS DO QUE NA POLÍCIA CIVIL, A ESPIONAGEM DO GOVERNO FLÁVIO DINO, QUE ENVOLVERIA O SECRETÁRIO JEFFERSON PORTELA ocorreu também sob o comando da PMMA

O brilhante advogado Abdon Marinho expôs as vísceras da espionagem comunista no Maranhão, em excepcional artigo-reportagem publicado no blog Atual7. (Leia aqui)

É inspirado neste artigo que o blog Marco Aurélio D’Eça faz agora uma retrospectiva dos últimos cinco anos de mandato do governador Flávio Dino (PCdoB) para mostrar como ele expôs autoridades, adversários e até aliados em nome dos seus interesses.

Já desde o início do governo a espionagem começou a ser usada como arma de chantagem pelas estruturas palacianas.

Foi assim que, em 19 de maio de 2016, o blog questionou o uso da estrutura da polícia para pressionar agiotas já conhecidos e proteger aliados do governador, como mostrado no post “Agiotagem: os mesmos alvos de sempre?!?”.

O post criticava operações policiais em busca de alvos que poderiam ser citados de cor – “sempre que o governador aparece em maus lençóis” – deixando outros de lado.

E ponderou:

– Bem próximos destes alvos, há gente muito mais poderosa fazendo a mesma coisa, sem ser incomodado por ninguém do governo.

Antes mesmo deste post, o blog Marco Aurélio D’Eça já questionava o uso das estruturas de investigação da Segurança Pública para revelar, em 9 de setembro de 2015 que “Operações contra agiotagem param após atingir aliados de Dino…”

Neste aspecto, é importante voltar ao artigo de Abdon Marinho, para destacar um trecho fundamental no entendimento do esquema de espionagem comunista:

– Desde a “implantação” do governo comunista no nosso estado que se tem notícias de investigações (bisbilhotagem) contra os adversários políticos dos “donos do poder” – lembrou o advogado, para ressaltar que as acusações de Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar contra o secretário Jefferson Portela apenas amplificaram as suspeitas ao nível de certeza.


HOJE ODIADO POR JEFFERSON PORTELA, THIAGO BARDAL JÁ FOI SEU HOMEM DE CONFIANÇA, inclusive durante período de denúncias de outros casos de espionagem comunista

Mas antes mesmo de Bardal e Gaspar, outro episódio – revelado no blog Marco Aurélio D’Eça, em 20 de abril de 2018, depois repercutido em todo o país – revelou que o “Governo Flávio Dino usa a PM para espionar adversários…”

As revelações dos dois delegados – que, a propósito, eram homens de confiança do próprio governo – atestaram mais tarde que a espionagem não se dava apenas sobre adversários, mas contra membros do Judiciário, políticos estaduais e federais, e até aliados que contrariassem a cúpula comunista.

E o restante da história é essa que ganhou as paginas do país…

0

Governo tenta desqualificar acusadores para tentar salvar Portela..

Palácio dos Leões usa sua mídia alinhada para atacar os delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, com o objetivo de tentar desqualificar as acusações de ações criminosas do secretário de Segurança

 

EX-HOMEM FORTE DA SEGURANÇA, BARDAL TINHA ACESSO LIVRE A DINO E PORTELA; agora, vem sendo desqualificado pelo secretário

O governo Flávio Dino (PCdoB) iniciou desde a semana passada uma ofensiva contra o delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, na tentativa de salvar o secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Para isso, o Palácio dos Leões usa a parte da mídia que segue suas ordens na tentativa de desqualificar os dois policiais, que apontam uma série de ações criminosas do titular da SSP.

Na primeira ação, o governo usou jornalistas para dar um ar de crime organizado nas denúncias contra Portela; chegaram a envolver até mesmo os próprios colegas de imprensa, numa atitude que já chegou ao Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas.

Agora, a mídia palaciana divulga um certo Atestado Médico para criar uma ideia de que Ney Anderson sofre de problemas psiquiátricos, o que, na avaliação dessa mídia palaciana, desqualificaria suas acusações.

Há dois problemas na ofensiva de Flávio Dino e Jefferson Portela contra os acusadores:

1 – Thiago Bardal e Ney Anderson eram homens de confiança do próprio Portela, e seguiam suas orientações em cargos do alto escalão da Polícia Civil; têm, portanto, conhecimento do que falam;

2 – As denúncias contra o secretário já estão sendo investigadas por órgãos locais e nacionais; e devem ganhar eco no Congresso Nacional a partir das próximas semanas.

Diante de tudo, fica evidente um ar de desespero do governo em tentar salvar um dos seus quadros mais próximos do governador Flávio Dino.

Só a estratégia kamikaze de defesa mostra-se equivocada…

1

Espionagem: investigação da Câmara Federal pode complicar Jefferson Portela…

Delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar têm pedido de audiência pública analisado pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, diante das denúncias envolvendo deputados e senadores

 

THIAGO BARDAL CHEGOU A SER HOMENAGEADO POR FLÁVIO DINO E JEFFERSON PORTELA; caiu em desgraça por desobedecer ordens do chefe

A audiência com os delgados maranhenses Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, poderá dar repercussão nacional ao caso de espionagem de políticos e membros do Judiciário no Maranhão.

O pedido para ouvir os delegados está sendo analisado na comissão.

Bardal e Gaspar têm feito reiteradas denúncias contra o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, sobre suposta espionagem de juízes, desembargadores, políticos e ex-políticos. (Entenda aqui, aqui e aqui)

Duas das supostas vítimas de arapongagem da SSP apontadas pelos delegados são o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PR) e o senador Roberto Rocha (PSDB).

Jefferson Portela tem negado peremptoriamente as acusações e já anunciou, em nota da SSP, que irá processar os dois delegados, que foram homens de confiança de sua gestão.

Também ameaça profissionais de imprensa que divulgaram as denúncias.

Mas a participação da Câmara Federal pode atrair para o Maranhão os olhares investigativos sobre o governo Flávio Dino (PCdoB).

E o caso maranhense pode se tornar um escândalo…

1

Silêncio de Jefferson Portela diz muito sobre escândalo da Segurança…

Secretário tenta encerrar o problema sem manifestar opinião e tentando desqualificar as acusações, que ganham cada vez mais corpo nos meios jurídicos, policiais e judiciais

 

THIAGO BARDAL CHEGOU A SER HOMENAGEADO POR FLÁVIO DINO E JEFFERSON PORTELA; caiu em desgraça por desobedecer ordens do chefe

Não é fácil a situação do secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela.

Apontado como cabeça e um esquema de espionagem de membros do Judiciário, políticos, empresários e até gente da própria polícia, ele vai se enredando cada vez mais na teia.

E o silêncio que ele mantém – com poucos ou nenhum esclarecimento das denúncias – só vai piorando sua situação.

Portela é acusado de manipular inquéritos, direcionar investigações e espionar autoridades e  adversários do governador Flávio Dino (PCdoB), além de acobertar investigados ligados ao governo.

E não é nenhum desqualificado a fazer a denúncia.

As acusações são feitas pública e oficialmente por ninguém menos que o ex-Superintendente de Investigações Criminais (Seic), Thiago Bardal, e pelo chefe do departamento contra crime organizado, Ney Anderson Gaspar.

Dois delegados de polícia homenageados pelo próprio governo comunista e até pouco tempo atrás tidos como homens de confiança do próprio secretário.

O silêncio acuado de Jefferson Portela só encontra paralelo em outro silêncio, o do Ministério Público.

Mas este, o Ministério Público, não vai acordar por um bom tempo ainda…