2

Dr. Rafael reúne-se com Portela para tratar sobre educação e segurança para Peritoró

O candidato a prefeito de Peritoró, dr. Rafael, esteve reunido com o secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, para tratar de assuntos relativos a segurança e educação.

Durante o encontro, o postulante ao cargo de chefia do Executivo colocou em pauta vários projetos, como a implantação da escola militar e a construção da sede do Corpo de Bombeiros em Peritoró.

Para o dr. Rafael, essa reunião aconteceu em um momento oportuno, pois foram tratados temas de suma importância para Peritoró.

“Ficamos extremamente satisfeitos com os assuntos debatidos. Botamos em mesa o que de fato queremos implantar em nosso município. Creio que essa parceria com o chefe da Segurança Pública, Jefferson Portela, trará muito mais benefícios para a população e dará continuidade nas melhorias já implantadas nas áreas de segurança e educação em Peritoró”, declarou o candidato a prefeito.

Rafael é o líder das pesquisas eleitorais e deve vencer as eleições em Peritoró.

0

Expedito Júnior debate com Portela plano de segurança para Bacabal

Não é de hoje que o ex-secretário estadual e pré-candidato pelo Solidariedade, Expedito Júnior, busca parcerias e vem dialogando com secretários do governo estadual, com o objetivo de elaborar seu plano de governo para o município de Bacabal.

O advogado mostrou mais uma vez competência e reuniu com o secretário de segurança Jefferson Portela, traçando pontos de seu plano de governo para a área. Temas como combate ao crime e às drogas e fortalecimento do policiamento na cidade foram alguns dos assuntos abordados no encontro.

Durante a reunião, que contou com a presença do presidente do Solidariedade, o secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, foram traçadas diversas ações no âmbito da segurança pública para Bacabal.

Vale lembrar que Jefferson Portela já declarou apoio a Expedito Júnior nas Eleições Municipais, e que o pré-candidato segue cada vez mais mostrando que, se eleito, vai colocar a cidade de Bacabal nos trilhos.

0

“Frente Antifascista” também pode ser enquadrada no Código Penal…

Grupo que ameaça queimar bancos, escolas e empresas em São Luís, tem posicionamento de esquerda e prega ações contra governo Bolsonaro, mas pode estar ferindo a mesma legislação, usada pela SEIC contra grupo de direita que tentava se manifestar contra o governo Flávio Dino

 

As conversas do grupo “Antifascistas SLZ” reveladas por Gilberto Léda; possível apologia a crimes previstos no Código Penal

Grave a revelação do blog do jornalista Gilberto Léda, nesta segunda-feira, 1º, sobre a “Frente Antifascista SLZ” – coordenada pelo jovem identificado por Raffael Reis – e que planeja em grupos de Whatsapp queimar agências bancárias e empresas como o restaurante Coco Bambu, o colégio Dom Bosco e o Tropical Shopping. (Entenda aqui)

Há duas semanas, a Superintendência de Investigações Criminais (SEIC) intimou para depor membros de um grupo intitulado “Fora Dino”, que preparava manifestações de rua contra o governo comunista.

Na época, o secretário de Segurança Pública Jefferson Portela alegou que os manifestantes foram chamados com base no artigo 268 do Código Penal.

O blog Marco Aurélio D’Eça perguntou nesta segunda-feira, 1º, se o secretário usará o mesmo artigo contra a “Frente Antisfascista SLZ” – ou mesmo outros, já que, além da aglomeração, o grupo anuncia a prática de crimes.

Até a edição deste post, Portela não havia respondido às mensagens…

3

Jair Bolsonaro mostra-se refém de Sérgio Moro…

Presidente recuou da ideia de tirar a pasta da Segurança do Ministério da Justiça, após ameaça pública do ministro de que deixaria o governo se isso ocorresse; governo mostra-se incomodado com a força do ex-juiz

 

Bolsonaro perde a queda de braço com Sérgio Moro e recua na divisão do Ministério da Justiça; ministro ganha ainda mais força no governo

O presidente Jair Bolsonaro mostrou-se absolutamente refém da vontade do ministro da Justiça, Sérgio Moro, ao recuar na decisão de tirar a pasta da Segurança Pública do Ministério da Justiça.

No início da semana, Bolsonaro havia admitido a possibilidade de criar outro ministério para cuidar especificamente da Segurança Pública, quebrando a promessa dada a Moro de um superministério para as duas áreas.

Moro ameaçou publicam,ente deixar o governo se a separação ocorresse; nesta sexta-feira, Bolsonaro recuou e anunciou que não iria separar.

Há um incômodo claro no núcleo do governo mais próximo de Bolsonaro com a popularidade crescente de Sérgio moro na opinião pública.

Analistas apontaram que a divisão do ministério seria uma tentativa de Bolsonaro de esvaziar Moro, o que não deu certo.

Com o recuo, Bolsonaro acabou por tornar-se refém da vontade o ministro da Justiça.

Que ganha poderes quase absolutos no governo…

0

Teria Jefferson Portela cartas na manga contra Aluisio Mendes?!?

Secretário desafia sistematicamente deputado federal a chamá-lo a depor, mas parece haver um recuo do parlamentar, temendo ameaças de que sejam expostas em plena Câmara Federal questões relativas ao seu período na SSP

 

JEFFERSON PORTELA DESAFIA, ALUISIO MENDES RECUA; o que teria o secretário contra o ex-titular da pasta que agora comanda?!?

Acusado de ter mandado fazer espionagem em diversas autoridades públicas maranhenses, o secretário de Segurança Jefferson Portela tem “sambado na cara” do deputado federal Aluisio Mendes.

Desde que Aluisio decidiu levar o caso para a Comissão de Segurança da Câmara Federal, Portela o desafia a chamá-lo para depor.

O próprio Aluísio chegou a anunciar oitiva com o secretário em Brasília, mas recuou. Agora, diz claramente não ter interesse em ouvi-lo, como revelou ao blog de Gilberto Léda.

– Não tenho interesse nenhum em ouvi-lo, visto que minha convicção sobre sua ação criminosa no caso dos grampos já está formada – afirmou, estranhamente, o parlamentar. (Leia aqui)

O que teria na manga Jefferson Portela para peitar Aluisio Mendes?!?

A explicação pode estar no episódio abaixo.

Em uma tarde qualquer do mês de junho, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça foi chamado à Superintendência de Investigações Criminais para depor, segundo a intimação, “como testemunha” de uma investigação.

No local, após o alerta de que, na condição de testemunha, poderia responder se mentisse, o jornalista foi apresentado a um áudio com conversas sobre o caso Décio Sá (jornalista morto em 2012, quando Aluisio Mendes era secretário).

Apenas uma pergunta mais relacionada ao caso foi feita pelo delegado: se este jornalista sabia identificar as vozes do áudio, que acusavam claramente Aluisio Mendes de manipulação do caso Décio.

Diante da negativa, a oitiva foi encerrada sem maiores delongas.

Nem os advogados entenderam, mas ficou a impressão de que algo naquela sessão ligava as coisas a Aluisio Mendes – ou, pelo menos, tentavam dar um recado a ele.

Soube-se depois que outros jornalistas também foram chamados à SEIC.

Desde então, o deputado federal parece evitar confronto com Portela, sobretudo na Comissão de Segurança da Câmara.

O que teme o parlamentar maranhense?!?

1

O medo que tem o PCdoB do depoimento de Thiago Bardal…

Partido do governador Flávio Dino moveu céus e terras para impedir a audiência do delegado que acusa o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de ordenar espionagens contra autoridades maranhenses

 

É pouco provável que a Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados consiga reverter, a tempo, o veto do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) à audiência com o delegado Thiago Bardal.

Aliado do governador Flávio Dino (PCdoB), Maia acatou recurso de uma deputada do PCdoB do Acre contra  participação de Bardal na oitiva, que tem ainda a presença do delgado Ney Anderson Gaspar.

Mais do que impedir sob argumentos regimentais a fala de um cidadão, o impedimento de Maia revela a preocupação do governo Dino com as declarações de um de seus ex-colaboradores.

Preso preventivamente sob acusação de formação de quadrilha  contrabando, Bardal acusa reiteradamente  o secretário de Segurança, Jefferson Portela, de comandar espionagem contra autoridades.

Para barrar a participação de Bardal na audiência, Rodrigo Maia acatou os argumentos da parlamentar comunista, segundo os quais o delegado só poderia ser ouvido por CPI.

A audiência de Ney Anderson Gaspar continua agenda para esta terça-feira, 2…

1

Espionagem: investigação da Câmara Federal pode complicar Jefferson Portela…

Delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar têm pedido de audiência pública analisado pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, diante das denúncias envolvendo deputados e senadores

 

THIAGO BARDAL CHEGOU A SER HOMENAGEADO POR FLÁVIO DINO E JEFFERSON PORTELA; caiu em desgraça por desobedecer ordens do chefe

A audiência com os delgados maranhenses Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, poderá dar repercussão nacional ao caso de espionagem de políticos e membros do Judiciário no Maranhão.

O pedido para ouvir os delegados está sendo analisado na comissão.

Bardal e Gaspar têm feito reiteradas denúncias contra o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, sobre suposta espionagem de juízes, desembargadores, políticos e ex-políticos. (Entenda aqui, aqui e aqui)

Duas das supostas vítimas de arapongagem da SSP apontadas pelos delegados são o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PR) e o senador Roberto Rocha (PSDB).

Jefferson Portela tem negado peremptoriamente as acusações e já anunciou, em nota da SSP, que irá processar os dois delegados, que foram homens de confiança de sua gestão.

Também ameaça profissionais de imprensa que divulgaram as denúncias.

Mas a participação da Câmara Federal pode atrair para o Maranhão os olhares investigativos sobre o governo Flávio Dino (PCdoB).

E o caso maranhense pode se tornar um escândalo…

1

Cidadão de bem não quer armas; quer segurança pública eficiente…

Em mais um gesto tresloucado, presidente Jair Bolsonaro assina decreto que amplia o porte de armas e libera a venda até de fuzis no Brasil, criando o risco de um clima de guerra nas ruas das cidades

 

Editorial

Há uma estranha relação entre a eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e a fabricante de armas brasileira Taurus.

E há uma semana, desde que Bolsonaro assinou um Decreto que amplia o porte de armas no Brasil e libera a venda até de fuzis – arma antes restrita às forças de segurança – extrapolou a relação entre ele e essa indústria.

Mas esta nem é a questão principal do decreto. O problema é a corrida armamentista desenfreada que este ato estimula.

Inculto, despreparado e autoritário, Bolsonaro é, pela própria natureza, um sujeito que entende o uso de uma arma na cintura como forma de defesa.

Não é.

Quanto mais armas na rua, mas insegurança se tem.

E o cidadão de bem não quer armas nas ruas; o cidadão de bem quer uma força de segurança com eficiência, que garanta a proteção da sociedade.

Armar a população é promover mais violência.

Esta cultura pode até ser a dos Bolsonaro.

Mas não é a o cidadão de bem…

1

Silêncio de Jefferson Portela diz muito sobre escândalo da Segurança…

Secretário tenta encerrar o problema sem manifestar opinião e tentando desqualificar as acusações, que ganham cada vez mais corpo nos meios jurídicos, policiais e judiciais

 

THIAGO BARDAL CHEGOU A SER HOMENAGEADO POR FLÁVIO DINO E JEFFERSON PORTELA; caiu em desgraça por desobedecer ordens do chefe

Não é fácil a situação do secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela.

Apontado como cabeça e um esquema de espionagem de membros do Judiciário, políticos, empresários e até gente da própria polícia, ele vai se enredando cada vez mais na teia.

E o silêncio que ele mantém – com poucos ou nenhum esclarecimento das denúncias – só vai piorando sua situação.

Portela é acusado de manipular inquéritos, direcionar investigações e espionar autoridades e  adversários do governador Flávio Dino (PCdoB), além de acobertar investigados ligados ao governo.

E não é nenhum desqualificado a fazer a denúncia.

As acusações são feitas pública e oficialmente por ninguém menos que o ex-Superintendente de Investigações Criminais (Seic), Thiago Bardal, e pelo chefe do departamento contra crime organizado, Ney Anderson Gaspar.

Dois delegados de polícia homenageados pelo próprio governo comunista e até pouco tempo atrás tidos como homens de confiança do próprio secretário.

O silêncio acuado de Jefferson Portela só encontra paralelo em outro silêncio, o do Ministério Público.

Mas este, o Ministério Público, não vai acordar por um bom tempo ainda…

0

Comandante da Guarda Municipal de Imperatriz reúne com titular da SENASP

Na reunião com o secretário, recursos significativos foram garantidos para estruturação da GMI

 

O Comandante da Guarda Municipal de Imperatriz, José Ribeiro de Oliveira, reuniu ontem com o General Guilherme Theophillo, Secretário Nacional de Segurança Pública, SENASP, e Ministério da Justiça, em Brasília, na companhia do Deputado Federal Cleber Verde, e Flávio Henrique Cardoso Matos, chefe de Representação Institucional da Prefeitura em Brasília, para discutir pautas da Guarda Municipal.

O General enfatizou a importância da instituição e garantiu recursos significativos para a estruturação da Guarda Municipal de Imperatriz, GMI, tais como: doação do armamento e equipamentos, bem como veículos e a capacitação do efetivo da Guarda Municipal. Também aceitou o convite para participar como palestrante, no Primeiro Fórum de Segurança Pública do Sul do Maranhão, que será realizado maio deste ano.

O Deputado Cleber Verde (PRB-MA), também contribuiu com emenda individual impositiva para aquisição de um veículo e duas motos, assim como o Deputado Juscelino Filho (DEM-MA), que contribuiu com emenda para aquisição de mais um veiculo.

“Com esses apoios, damos um enorme passo para a concretização do projeto do Prefeito Assis Ramos”, destacou José Ribeiro.  

José Ribeiro destacou que está sendo realizado uma leitura de tudo o que foi feito, considerando a reunião muito positiva.

“O General Guilherme Theophillo foi muito receptivo entendeu da importância da criação da Guarda Municipal de Imperatriz, e nos garantiu ajuda necessário para a formação da GMI”, afirmou.