5

Quem é quem na disputa pela Prefeitura de São Luís…

Primeira pesquisa de intenção de votos sobre a corrida sucessória na capital maranhense – faltando ainda 21 meses para o pleito – mostra quem tem chances e quem deve patinar até outubro de 2020

 

EDUARDO BRAIDE SEGUE FIRME NA LIDERANÇA EM SÃO LUÍS, mas ainda precisa definir futuro partidário e estrutura política

O blog de Diego Emir trouxe nesta segunda-feira, 11, dados da primeira pesquisa de intenção de votos sobre a eleições municipais de 2020 em São Luís.

Realizado pelo Instituto Conceito, o levantamento aponta dados já esperados e algumas surpresas. O blog Marco Aurélio D’Eça analisa agora os principais nomes.

Eduardo Braide (PMN): O deputado federal mostra-se consolidado, com índices que chegam a até 60% das intenções de voto – além de manter o favoritismo na espontânea. Caberá a Braide garantir a estrutura político-partidária; caso contrário, pode virar em 2020 o que foi Eliziane Gama (PPS) em 2016;

Wellington do Curso (PSDB): O parlamentar aparece bem entre os primeiros colocados; mas terá que vencer a desconfiança do eleitor em relação ao seu preparo técnico – que o tirou do segundo turno em 2016 – e garantir que terá a legenda tucana para a disputa;

Bira do Pindaré (PSB): é o principal nome da base governista até agora, com índices variando entre 11% e 15%; mas carece de carisma e do apoio dos demais partidos ligados ao governo Flávio Dino (PCdoB), alguns dos quais nutrem intransponível antipatia ao seu nome;

Duarte Júnior (PCdoB): uma das surpresas do levantamento, o deputado estadual do PCdoB mostra fôlego próprio, já que não tem – pelo menos até agora – sinalização de nenhuma liderança do seu grupo. Na disputa direta com Pindaré, Duarte tem a vantagem do carisma popular;

DENTRE OS CANDIDATOS GOVERNISTAS, NETO EVANGELISTA É O ÚNICO capaz de reunir o apoio de todas as lideranças do grupo

Neto Evangelista (DEM): Tecnicamente empatado com Duarte Júnior, o deputado estadual do DEM pode ser a esperança do grupo liderado por Flávio Dino e pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT), já que reúne a simpatia de todas as lideranças.

Osmar Filho (PDT): o desempenho do presidente da Câmara Municipal reforça a ideia de que o partido do senador Weverton Rocha terá mesmo que buscar outras alternativas se quiser se manter no poder na capital maranhense. A tendência é que os pedetistas apoiem outras candidaturas;

A pesquisa Conceito traz também dados importantes na pesquisa espontânea.

A presença da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e da senadora Eliziane Gama mostram que elas mantém seu nicho eleitoral em São Luís, independentemente dos últimos resultados.

Outra constatação: os deputados Adriano Sarney (PV) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB) terão imensa dificuldades de se viabilizar.

Mas, repita-se, ainda faltam mais de 20 meses para a eleição…

4

Márcio Jerry confirma nomes do PCdoB aptos para a sucessão de Edivaldo Júnior…

Deputado federal reitera, no entanto, que o processo eleitoral se construirá sob a liderança do prefeito Edivaldo Júnior e do governador Flávio Dino, “ouvindo todos os aliados”

 

Jerry confirmou nome de Rubens como opção para 2020, mas diz não ter discutido candidatura no PCdoB

O titular do blog Marco Aurélio D’Eça ouviu e leu nos últimos dias duas histórias relacionadas à participação do PCdoB nas eleições de 2020 em São Luís:

1 – de diferentes pré-candidatos de outras legendas aliadas ao governo Flávio Dino, ouviu que este já havia descartado a participação de candidatos do PCdoB na disputa contra aliados da base;

2 – dos aliados do próprio PCdoB soube que o deputado federal comunista Rubens Júnior teria sido autorizado – pelo próprio Dino – a buscar viabilização como candidato a partir da posse na Secretaria de cidades. (Leia aqui)

Diante destes fatos, o blog procurou o deputado federal, e presidente do PCdoB maranhense, Márcio Jerry.

Sobre a participação do PCdoB, Márcio Jerry afirmou:

– A eleição de 2020 ainda não foi tratada pelo PCdoB. O partido tem, contudo, bons nomes para disputar, caso seja necessário, caso atenda a uma necessidade do nosso grupo – afirmou.

Sobre a “autorização” para que Rubens Júnior atue na Secid com vistas a se viabilizar para a sucessão, Jerry disse que o parlamentar tem qualificação para disputar qualquer cargo eletivo, inclusive o de prefeito de São Luís.

– Mas esse debate não foi feito no partido – afirmou.

O deputado federal citou ainda o vice-prefeito Júlio Pinheiro e o deputado estadual Duarte Júnior como “outros nomes aptos para a disputa”.

Mas reiterou que todo o processo se dará sob a liderança do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) e do governador Flávio Dino, ouvindo os aliados.

E nada mais disse; nem foi perguntado…

Leia também:

O recado do PCdoB para PDT e aliados…

Márcio Jerry sobre candidatura a prefeito…

PDT e DEM irmanados para 2020…

1

A disputa será no grupo de Flávio Dino em 2022…

Movimentação já intensa com vistas às eleições de 2020 guarda um forte interesse na sucessão do próprio governador comunista; todos querem a prefeitura – para si ou para aliados – como instrumento de influência daqui a quatro anos

 

BRANDÃO, WEVERTON, FLÁVIO DINO E ELIZIANE são os principais nomes de 2022; mas todos dependem do resultado de 2020

Há um pano de fundo na movimentação intensa de aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) com vistas à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Desde os senadores eleitos Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) – passando pelos deputados federais Bira do Pindaré (PSB) e Márcio Jerry (PCdoB) – até o vice-governador Carlos Brandão (PRB), todos sabem que a Prefeitura de São Luís será fator de influência na eleição de 2022.

E ninguém quer perder cacife na sucessão do próprio Flávio Dino.

Atualmente, a mais promissora liderança maranhense para 2022 é o senador eleito Weverton Rocha; ele tem o maior grupo de aliados, a maior estrutura partidária e a maior base de prefeitos, deputados e vereadores, situação que só tende a aumentar no decorrer dos próximos anos.

Mas nem todos no grupo de Flávio Dino aplaudem de bom grado o líder pedetista.

E tirar dele e do PDT o cacife junto à Prefeitura de São Luís é um dos objetivos de vários destes aliados, muitos dos quais analisam que até mesmo uma vitória de Eduardo Braide (PMN) em 2020 possa vir a ser bom para chacoalar as pedras do xadrez político maranhense.

Para Weverton e Edivaldo Júnior, o melhor dos mundos seria a eleição de Eliziane Gama para a prefeitura, o que abriria caminho para 2022.

Mas 2022 também interessa à senadora eleita, que sabe da articulação de Weverton pela sucessão de Flávio Dino; neste caso, para ela, o ideal seria a eleição de um prefeito com o seu apoio, o que construiria sua própria estrada para a sucessão do comunista.

BIRA DO PINDARÉ E MÁRCIO JERRY são os nomes do Palácio para tentar frear o cacife de aliados

Flávio Dino e seu vice, Carlos Brandão observam os dois com uma espécie de “olho no peixe, outro no gato”.

O primeiro porque terá de deixar o governo se quiser disputar as eleições de 2022; o outro porque herdará naturalmente o comando do estado, com a possibilidade de concorrer no cargo a um novo mandato.

Aos dois – tanto Brandão quanto Flávio Dino – o ideal é ter um amigo muito mais do que um aliado no lugar de Edivaldo Júnior.

Daí os nomes de Bira do Pindaré e Márcio Jerry postos na disputa de 2020.

OTHELINO NETO E EDIVALDO JÚNIOR podem ser beneficiados de acordo com os movimentos das peças

E no meio deles todos estão também o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), e o próprio Edivaldo Júnior, que dependem de movimentações específicas para garantir espaço de poder daqui a quatro anos.

Othelino, por exemplo, pode até herdar o governo, dependendo de como as peças se movimentarão nas duas eleições vindouras.

Edivaldo, por sua vez, dependerá fundamentalmente do seu sucessor para se manter vivo após dois anos sem mandato.

Por isso, precisa ele próprio comandar a sua sucessão.

Porque dela depende a vida de boa parte dos seus aliados…

3

Posição de Márcio Jerry é recado do PCdoB para PDT e aliados…

Ao ressaltar que os comunistas apoiaram Edivaldo Júnior em 2012 e 2016, deputado federal eleito mostra ao prefeito e ao senador eleito Weverton Rocha que chegou a hora da reciprocidade na sucessão municipal

 

MÁRCIO JERRY COM WEVERTON ROCHA E EDIVALDO JÚNIOR na icônica foto de 2016; a hora da cobrança da fatura chegou?

A manifestação de desejo do deputado federal eleito Márcio Jerry pela Prefeitura de São Luís, mais do que uma marcação de posição, foi também um recado do PCdoB ao PDT.

– Buscaremos manter a unidade do nosso campo político na sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a quem apoiamos nos pleitos de 2012 e 2016 – afirmou Jerry, ao titular do blog Marco Aurélio D’Eça.

Perceba o fechamento da frase: “…a quem apoiamos nos pleitos de 2012 e 2016“.

Márcio Jerry é, ao mesmo tempo, principal auxiliar do governador Flávio Dino, secretário de comunicação do governo comunista, deputado federal eleito e presidente regional do PCdoB.

Fala, portanto, com a autoridade de quem comanda o processo interno – no governo e no partido – e manda um recado direto aos líderes do PDT.

É como se dissesse ao prefeito Edivaldo Júnior e ao presidente estadual do PDT, senador eleito Weverton Rocha: “a gente já fez por vocês; agora é hora de vocês fazerem por nós”.

E quando estabelece o espaço temporal da definição do nome do grupo – ao afirmar que “chegará a hora de sentarmos à mesa…” – o super-auxiliar de Flávio Dino dá outro recado aos aliados que pregam a escolha de um nome já agora.

Está claro nas palavras de Márcio Jerry que o governo Dino quer controlar o processo sucessório de 2020, como líder do grupo que gravita em torno do PCdoB.

Gostem ou não pedetistas e aliados…

1

PSB e PSDB abrem diálogo sobre São Luís…

Dirigentes municipais dos dois partidos, o tucano Pinto Itamaraty e o socialista Roberto Rocha Júnior reuniram-se ontem para discutir o processo eleitoral na capital maranhense

 

Pinto Itamaraty conversa com Roberto Júnior e Estevão Aragão

Pinto Itamaraty conversa com Roberto Júnior e Estevão Aragão

O presidente municipal do PSDB em São Luís, Pinto Itamaraty, reuniu-se na tarde de segunda-feira com o vereador Roberto Rocha Júnior, presidente municipal do PSB.

Na pauta, o projeto das duas legendas para as eleições na capital maranhense.

O PSDB apoia a candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) e quer também o PSB nesta coligação.

Além de Rocha Júnior, o PSB esteve representado pelo vereador Estevão Aragão.

– A conversa com Pinto teve como pauta as questões políticas do processo eleitoral em São Luís, bem como as ações que visam o fortalecimento na capital – disse Roberto Júnior, segundo a assessoria tucana.

Novos encontros devem ser agendadas até as convenções…

5

As chances de Edivaldo Júnior…

Patamar de eleitores ainda indefinidos quanto à eleição de 2016 pode ser o trunfo que o prefeito de São Luís precisa para reverter a difícil situação em que se encontra

 

Holandinha aposta no carisma popular para reverter a situação

Holandinha aposta no carisma popular para reverter a situação

Os números da pesquisa Exata/TV Guará foram especialmente duros com o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PTC).

Exatamente no momento em que ele tenta recuperar a credibilidade da imagem como gestor – com recuperação asfáltica em diversas avenidas e bairros – o levantamento mostra que o interesse do eleitor em sua reeleição praticamente se mantém inalterada, sempre abaixo dos 20%.

O momento do prefeito levou, inclusive, aliados mais próximos a achar que sua movimentação estava a ponto de garantir uma virada no jogo. (Leia aqui)

Mas um dado da Exata pode dar um alento ao prefeito.

De acordo com o levantamento, 56% dos entrevistados ainda não sabem em quem votar, quando a pesquisa pode o nome de um candidato aleatoriamente, sem mostrar opções ao eleitor.

É claro que, quando confrontado com os nomes, este patamar cai para a casa dos 4%, mas não deixa de ser um dado de estímulo para o prefeito – sobretudo diante da situação que enfrenta.

Afinal, é na indecisão que o eleitor acaba preferindo manter as coisas como estão…

1

Disputa acirrada pela prefeitura…

Edivaldo Jr. vai enfrentar Eliziane Gama e Gastão Vieira na corrida eleitoral em 2016

Edivaldo Jr. vai enfrentar Eliziane Gama e Gastão Vieira na corrida eleitoral em 2016

Do blog de Ribamar Corrêa

A decisão do ex-deputado federal e ex-ministro do Turismo Gastão Vieira de deixar o PMDB para assumir o comando do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) no Maranhão chega ao tabuleiro sucessório de 2016 como mais um indicador de que a disputa pela Prefeitura de São Luís será bem mais disputada do que muitos estão imaginando.

Com graus de definição variados, já são vistos na fileira do páreo o prefeito Edivaldo Jr. (PTC), a deputada federal Eliziane Gama (PPS), o ex-ministro Gastão Vieira (PROS), o deputado estadual e atual secretário de Estado de Desenvolvimento Social Neto Evangelista (PSDB), o deputado federal João Castelo (PSDB) e, muito provavelmente, o ex-deputado Ricardo Murad (PMDB), atualmente operando como super-secretário da Prefeitura de Coroatá, de onde mira o Palácio de La Ravardière.

Natalino Salgado Neto Evangelista e Ricardo Murad poderão entrar na briga

Natalino Salgado Neto Evangelista e Ricardo Murad poderão entrar na briga

A movimentação de pré-candidatos se tornou mais intensa depois que o governador Flávio Dino (PCdoB) avisou que não vai entrar na guerra eleitoral municipal, a começar por São Luís.

Em busca da reeleição, o prefeito Edivaldo Jr. se move em dois vetores, a administração municipal, que parece estar saindo da letargia, e a composição partidária, que vai se tornar mais complicada pela pulverização da sua base.

É certo que Edivaldo Jr. contará com o PDT e o PCdoB, podendo atrair até a banda rebelde do PT.

Mas certamente não contará com o PSB, que foi um dos seus principais parceiros em 2012, porque o chefe municipal do partido, senador Roberto Rocha, deve marchar com a deputada Eliziane Gama.

O prefeito poderá atrair partidos menores, como PSL e PMN, por exemplo, fortalecendo uma aliança com força para alavancar sua candidatura. Continue lendo aqui…

11

Custos dos novos ônibus devem gerar aumento de passagem em SL…

Gasto mensal com financiamento e combustível chegará a R$ 3,7 milhões, e deve aumentar a partir do próximo mês, com a desoneração da folha de pagamentos e o reajuste anual dos trabalhadores dos transportes. Resultado: é quase impossível que a Prefeitura de São Luís resista a uma nova tarifa

 

ônibus apresentados como novos por Holandinha, em 20 de fevereiro

Os ônibus estão aí: quem vai pagar a conta?

As empresas de Transporte Coletivo de São Luís terão os seus custos aumentados em mais R$ 3,7 milhões ao mês com a compra dos novos 124 ônibus, anunciados mês passados pela Prefeitura de São Luís.

São R$ 2,7 milhões apenas com pagamento das parcelas do financiamento. Outros R$ 1 milhão representam o gasto com combustível.

E este custo pode aumentar ainda mais com a decisão do governo Dilma Rousseff (PT) de desonerar a folha de pagamento e com o inevitável reajuste salarial da categoria, na data-base de maio.

As empresas já arcam com um déficit mensal de cerca de R$ 9 milhões;

E para amenizar este buraco nas contas das empresas não há saída para o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), a não ser o aumento de passagem.

E o usuário vai ter que pagar a conta…

3

Lideranças emergentes…

As novas lideranças do PMDB maranhense

Roberto Costa já lidera bancada na Assembleia

Com as suas principais lideranças ainda indefinidas em relação ao futuro eleitoral e ao posicionamento político do partido, o PMDB tem encontrado em suas jovens promessas o foco do debate político neste período de transição.

Eleita deputada estadual, Andrea Murad, por exemplo, provocou um rebuliço ao fazer o contraponto à candidatura do deputado eleito Humberto Coutinho (PDT) – não contra o deputado em si, mas pelo fato de ele ser diretamente apoiado pelo governador eleito Flávio Dino (PCdoB). Para ela, é preciso haver disputa na Assembleia até para manter a independência do Poder Legislativo, o que, na sua avaliação, é bom para a população.

As novas lideranças do PMDB

Andrea: recém-eleita, já mostra personaldiade

Imediatamente, o deputado reeleito Robert Costa, que hoje lidera o partido na Assembleia,  assumiu postura distinta à de Andrea, defendendo que, desde que Coutinho concorde a participação proporcional das bancadas na mesa da Casa, não vê problemas em apoiá-lo.

O choque de opinião entre as duas jovens lideranças, longe de revelar atritos pessoais, mostra a força da ala jovem do PMDB, partido que lidera o maior grupo político do Maranhão, e que estará na oposição a partir de 2015.

As novas lideranças do PMDB no Maranhão

Fábio Câmara é destaque na oposição em São Luís

Assim como Andrea Murad e Roberto Costa, o PMDB tem outras lideranças emergentes, como o senador Lobão Filho, recém-contemplado com quase 1 milhão de votos na disputa pelo Governo do Estado, o deputado federal eleito Hildo Rocha, um dos mas experientes da nova bancada, e o vereador Fábio Câmara, hoje o principal contraponto do prefeito Edivaldo Júnior (PTC) – outro aliado de Dino – na Câmara Municipal.

A prova de que não há atritos é exibida pela própria Andrea, que defende o alinhamento do partido e a correlação de idéias, para manter um pensamento comum a partir de agora.

Alinhamento que, certamente, fortalecerá ainda mai s a legenda.

18

São Luís sob Edivaldo; dois anos depois…

O fracsso de Holandinha em SL

Nem as mãos para o céu ajudou o prefeito

O que se lê abaixo, são promessas do prefeito Edivaldo Júnior (PTC), feitas durante a campanha de 2012:

1. GPS nos ônibus

2. Viaduto da Forquilha e Cohab

3. Ciclovias

4. Companhia de Engenharia de Tráfego

5. Bilhete Único

6. BRTs

7. Subprefeituras

8. Quatro CAPs

9. Maternidade Itaqui-Bacanga

10. Hospital Dr Jackson Lago

11. Três Novas UPAS

12. Creche em Tempo Integral

13. Escolas em Tempo Integral

14.Novas Avenidas.

15. Secretaria da Juventude…

Até agora, nenhuma das promessas foi cumprida.

E Holandinha já está completando dois anos de mandato…

Levantamento e pesquisa: Hilton Franco