3

Braide e o respeito ao próximo que Duarte não mostrou

Candidato do Podemos decidiu suspender toda sua agenda de campanha após confirmação de CoVID-19 em sua vice, postura totalmente diferente da atribuída ao adversário, acusado de fazer campanha mesmo contaminado por coronavírus

 

Braide sempre fez campanha com máscara; e decidiu suspender a agenda aós confirmação de CoVID-19 em sua vice, Esmênia

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) tomou nesta terça-feira, 24, uma decisão que todos esperaram ter sido tomada pelo seu adversário, Duarte Júnior (Republicanos), no primeiro turno.

Ao saber que sua vice, Professora Esmênia Miranda, testou positivo para a CoVID-19, Braide decidiu também se submeter ao teste e suspender toda a sua agenda, até que o resultado seja divulgado.

Braide tomou a decisão em respeito ao povo de São Luís, que corria risco de contaminação com o andamento da campanha.

A postura de Braide é totalmente diferente da que Duarte Júnior é acusado de ter tomado no primeiro turno; o deputado republicano teria continuado a campanha mesmo depois de saber que estava com CoVId-19.

Duarte Júnior circulou sem máscara e, segundo o Lacen, já contaminado pela CoVID-19, ás vésperas do primeiro turno

Pelo menos esta é a informação do laboratório Central do governo do Estado (Lacen), que divulgou o exame de Duarte, negado por ele. (Saiba mais aqui e aqui)

A argumentação de Duarte o torna o único cidadão do mundo a ter testado positivo para CoVID-19 e estar totalmente curado apenas oito dias depois.

Ele alega ter pego a doença apenas no dia 11 de novembro; e já no dia 19 estava de volta às ruas.

De qualquer forma, a postura de Eduardo Braide e a de Duarte Júnior diante do próximo também deve ser levado em conta na hora do voto.

É simples assim…

0

Debate da TV Guará ocorre em meio a troca de acusações

Programa se dará um dia depois dos revides da propaganda de Eduardo Braide a Duarte Júnior, que já subindo o tom desde o início do horário eleitoral gratuito, o que pode elevar a tensão entre os dois candidatos

 

Candidatos se encontrarão cara a cara pela primeira vez depois das fortes trocas de acusações na propaganda eleitoral

O primeiro debate do segundo turno, às 21h desta terça-feira, 24, se dará em meio a uma forte troca de acusações entre os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos), o que pode elevar a tensão do programa.

Atacado pela campanha de Duarte desde o início do horário eleitoral, na sexta-feira, 20, a propaganda de Braide elevou o tom nesta segunda-feria, num processo de desconstrução da imagem do adversário, com forte repercussão nas redes sociais.

É com este clima que os dois se encontrarão cara a cara na TV Guará.

A série de debates continua amanhã, na TV Band, às 22h45 e se encerra na sexta-feira, 27, com a realização do debate da TV Mirante.

A julgar pelo clima da propaganda eleitoral, serão dias de forte embate emocional até a eleição de domingo, 29…

2

Dr. Yglésio começa a se destacar como “mais preparado”….

Candidato do PROS pode repetir a performance de Eduardo Braide em 2016 – que saiu de 2% para o segundo turno – e já começa a ganhar corpo como candidato que mais tem noções e explicações para os problemas da capital maranhense

 

Yglésio tem se destacado nas entrevistas com os candidatos e, principalmente, nos debates, onde mostra preparo e capacidade de solução para São Luís

Bastaram os debates da Band e da TV Meio Norte – mesmo sem a audiência máxima tida por outras emissoras – para que o representante do PROS a prefeito de São Luís, Dr. Yglésio, passasse a ganhar força como candidato preparado.

E ele pode repetir a performance que o próprio líder das pesquisas, Eduardo Braide (Podemos) teve em 2016, saindo de 2% para disputar um segundo turno.

Aliás, esta performance de Braide foi anunciada pelo blog Marco Aurélio D’Eça ainda no mês de maio daquele ano, no post “O fator Eduardo Braide…”.

Mesmo sem tempo na propaganda eleitoral e sem estrutura partidária, Yglésio já se destaca em 2020 como um dos candidatos mais preparados e maior conhecedor dos problemas de São Luís e suas soluções.

Para figurar nos debates de maior apelo popular, como os da Difusora e da TV Mirante, o candidato do PROS precisa alcançar ao menos 5% das intenções de votos.

Ocorrendo isso, ele pode ser visto pelo maior número de eleitores e se transformar no fator surpresa das eleições de 2020.

É aguardar e conferir…

0

Dr. Yglésio vai se tornando destaque dos debates eleitorais…

Candidato do Pros teve desempenho importante nos programas da TV Band e da Meio Norte, chamando atenção como um dos mais preparados postulantes a prefeito de São Luís dentre todos os 11 nomes da disputa

 

Dr. Yglésio vem roubando a cena nos debates e se transformando no especialista deste tipo de evento de campanha entre os candidatos de 2020

O deputado estadual Dr. Yglésio (PROS) foi o destaque do debate da TV Meio Norte, realizado na noite de sábado, 3.

Em confronto de ideias com os adversários Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (Solidariedade) e Franklin Douglas (PSOL), o médico chamou atenção pelas propostas e pela capacidade de resposta aos questionamentos. 

Deste debate não participaram nenhum dos três principais candidatos – Eduardo Braide (Podemos), Neto Evangelista (DEM) e Duarte Júinior (Republicanos) – que já haviam tido mau desempenho no debate da Band.

Yglésio já havia figurado entre os melhores no debate da Band, ao lado de Franklin; como no programa de sábado voltou a figurar como o melhor, ganhou mais pontos entre os analistas.

E vai se transformando no especialista em debates dentre os candidatos de 2020…

0

Debate da Band abre etapa de confronto de ideias entre candidatos

Programa que vai ao ar na noite desta quinta-feira será a primeira oportunidade de o eleitor conhecer as propostas e o posicionamento sócio-político de cada um dos postulantes à Prefeitura de São Luís

 

O debate da TV Band nesta quinta-feira, 1°,  é a primeira oportunidade de o eleitor conhecer as ideias e as propostas de cada candidato a prefeito de São Luís.

O programa, transmitido ao vivo, a partir das 22 horas, abre a temporada de confronto entre os postulantes a prefeitura.

Haverá debates também na TV Guará, Difusora e Mirante…

3

TV Difusora fará dois debate em São Luís no 1º Turno

Primeiro programa terá participação de todos os candidatos de partidos com representação no Congresso nacional de até cinco parlamentares

Adalberto Melo e John Cutrim serão mediadores dos debates na TV Difusora

A TV Difusora, afiliada SBT no Maranhão, vai realizar dois debates em São Luís no primeiro turno das eleições.

O primeiro ocorrerá em 31 de outubro, às 17h45, com os candidatos filiados a partidos que tenham representação de no mínimo cinco parlamentares no Congresso Nacional.

O segundo debate se dará ao meio dia do dia 11 de novembro, com participação mais ampla, ainda a ser definida pela direção da emissora.

0

Franklin Douglas aceita desafio e também topa participar de todos os debates

O pré-candidato do Psol, o professor Franklin Douglas, aceitou o desafio feito pelo pré-candidato do Solidariedade, Carlos Madeira. Ele também registrou em cartório o compromisso de participar de todos os debates que forem realizados na pré-campanha e na campanha eleitoral.

“Desafio aceito. Topo participar de todos os debates para garantir a discussão democrática de nossas propostas e ideias para a cidade”, disse Franklin em vídeo postados em suas redes sociais.

E alfineta perguntando: “Quem tem medo de debate?”

A indireta vai aos pré-candidatos que estiveram ausentes no debate promovido pelo Sindicato dos Urbanitários sobre o saneamento básico. 

1

Madeira desafia pré-candidatos para debate na fase de pré-campanha

Candidato do Solidariedade entende ser preocupante que 60% da população ainda não tenha se decidido por nenhum candidato e vê no encontro de ideias entre todos uma forma de mostrar quem é quem ao eleitor

 

Em conversa com blog Marco Aurélio D’Eça, o ex-juiz federal José Carlos Madeira lançou hoje um desafio: que todos os pré-candidatos a prefeito de São Luís assumam publicamente o compromisso de participar de todos os debates a que forem convidados.

E propõe que os primeiros debates em rádio, TV ou internet sejam realizados ainda na fase de pré-campanha, uma maneira, segundo ele, de fazer com que a população tome conhecimento prévio da história de vida e das propostas de todos que desejam comandar a capital maranhense a partir de janeiro de 2021.

– Eu estou assumindo esse compromisso e faço questão de registrar em cartório – disse o pré-candidato do Solidariedade.  

Madeira considera preocupante o fato de que quase 60% da população – segundo dados de todas as pesquisas de opinião – ainda não se decidiu sobre a intenção de voto nas eleições de novembro de 2020.

– Estamos a menos de três meses das eleições e a grande maioria dos cidadãos de São Luís não escolheu um nome para prefeito, ou porque não conhece os pré-candidatos ou porque não se identifica com velhas propostas que se apresentam, mirabolantes, em embalagens novas – argumentou Madeira.

O ex-juiz federal foi o primeiro, entre os pré-candidatos a prefeito de São Luís, a defender o adiamento das eleições deste ano em razão dos riscos da pandemia da Covid-19.

– Se adiamos as eleições, é fundamental que antecipemos os debates, afinal o eleitor precisa de tempo para, após avaliar os modelos de política que aí estão postos, fazer a escolha mais sensata, pensando sempre no melhor para São Luís – frisou.

Madeira avalia que o distanciamento social provocado pela pandemia criou mais dificuldades para os pré-candidatos e os eleitores.

“Entre eles estão a internet e as redes sociais, mas nem todos os cidadãos têm acesso o tempo todo, e a pré-campanha acaba se transformando em algo excludente”, ponderou.

Segundo o pré-candidato do Solidariedade, os debates nos meios de comunicação de massa, como o rádio e a TV, podem ajudar a democratizar a fase de pré-campanha, com oportunidades iguais a todos.

0

Pandemia ameaça realização de debates eleitorais

Emissoras de TV e entidades interessadas em ouvir o contraponto de opiniões dos candidatos ainda não têm ideia dos protocolos para realização dos eventos, principal expectativa dos vários postulantes à Prefeitura de São Luís

 

O debate de 2016, na TV Mirante, provocou uma reviravolta na reta final da campanha, levando Eduardo Braide ao segundo turno com Edivaldo Júnior

Tidos como principal trunfo para alguns dos pré-candidatos a prefeito de São Luís, os debates realizados em plenárias de instituições e nas emissoras de rádio e TV podem ficar fora do processo eleitoral de 2020.

Com a pandemia de coronavírus, as emissoras, principalmente, ainda não têm ideia de que protocolo seguir para realização do programa; e esperam que a própria Justiça Eleitoral defina as regras sanitárias.

Em 2016, o debate da TV Mirante, o mais esperado, acabou causando reviravolta no primeiro turno, tirando Eliziane Gama (cidadania) e Wellington do Curso (PSDB), e levando o então azarão Eduardo Braide (PMN) ao segundo turno.

É com base neste histórico que adversários do porte de Neto Evangelista (DEM), Duarte Júnior (Republicanos), Rubens Júnior (PCdoB), Adriano Sarney (PV) e Carlos Madeira (Solidariedade) têm expectativa, agora, de garantir um segundo turno com o mesmo Braide.

Da TV Mirante, o blog Marco Aurélio D’Eça recebeu a informação de que ainda aguardam definição sobre os debates.

– Nada definido – disse a diretoria da emissora.

Outras emissoras, como TV Difusora e TV Guará, até mantêm calendário de debates, mas ainda sem nenhuma orientação ou recomendação da Justiça Eleitoral e do Ministério Público, que podem barrar os programas.

Sem os debates, com restrições de reuniões públicas e caminhadas, as campanhas terão que se fortalecer na internet.

E neste campo minado, vence quem já tem histórico nas redes sociais.

E engajamento, sobretudo…

4

Auto-isolamento de Braide põe favoritismo em risco…

Novidade das eleições de 2016, candidato do Podemos deixou de ser surpresa para se transformar em expectativa em 2020, mas se mantem no mesmo estilo de quatro anos atrás, valendo-se exclusivamente do recall eleitoral, o que pode explicar a ainda residual, mas já perceptível queda nas pesquisas

 

Braide tem restringido suas relações político-eleitorais a um grupo restrito, sem nenhum avanço nas alianças até este momento da campanha, em que apresenta queda nas pesquisas

Favorito nas eleições de 2020, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) foi uma espécie de azarão nas eleições de 2016; e chegou ao segundo turno naquele pleito, exclusivamente, por se tornar a surpresa do último debate. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Quatro anos depois, o que foi considerado surpresa virou expectativa, e todos esperam de Braide desempenho tão bom ou melhor que o de 2016.

Esta expectativa, combinada à sua postura de auto-isolamento, pode ser perigosa para o favoritismo do candidato do Podemos.

Em 2016, Braide teve pela frente candidatos tidos por inexperientes ou mesmo ruins de debate; em 2020, será confrontado por adversários como Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (Solidariedade), Rubens Júnior (PCdoB) e Adriano Sarney (PV), todos capacitados para o tète-a-tète.

Aliás, Adriano Sarney é tido como o responsável pela pá-de-cal nas pretensões de Braide quatro anos atrás, com um único discurso na Assembleia, que destruiu a postura de independência que o candidato do Podemos tentava passar na propaganda.

Com adversários sofríveis em 2016, Braide deitou e rolou, tornando-se a surpresa daquele debate; agora, a surpresa se tornou expectativa

Esta postura equidistante do favorito nas pesquisas pode já estar refletindo nas pesquisas.

Ainda que residual – ou mesmo insignificante do ponto de vista da totalização – as pesquisas já mostram uma tendência de queda nos números do candidato.

Ele tinha 43,1% das intenções de voto em 22 de julho; menos de 20 dias depois, aparece com 39%.

Esses dados, por si só, podem ser irrelevantes para a disputa; mas somados a outros aspectos, como o isolamento do candidato, a força da militância dos adversários e a pancadaria da propaganda eleitoral podem ser significativos ao fim do primeiro turno.

Eduardo Braide precisa, portanto, sair do isolamento e se mostrar, de fato, à população.

Não apenas aos 40% que estão com ele, mas aos demais 60% que mostram preferir outro caminho…