6

Eles preferem o por-do-sol nos lençóis…

Enquanto Flávio Dino e seu governo encaminham Duarte Júnior para uma derrota eleitoral, lideranças como o senador Weverton Rocha e o presidente da Assembleia, Othelino Neto, passam uns dias em Barreirinhas relaxando após o primeiro turno

 

Weverton e Othelino durante a campanha no interior; descanso em paraíso tropical após sucessos e insucessos no primeiro turno

Alinhados à candidatura do deputado estadual Neto Evangelista (DEM) no primeiro turno das eleições de São Luís, o senador Weverton Rocha (PDT) e o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), fizeram postagens quase simultâneas nesta quinta-feira, 26.

Os dois passam uns dias em Barreirinhas e postaram em suas redes sociais imagens de aspectos dos Lençóis Maranhenses.

As imagens são simbólicas neste momento político-eleitoral que vive o Maranhão pré-2022.

Weverton posta imagens do rio preguiças com comentário sugestivo do momento político; enquanto isso, em São Luís…

Weverton mostrou-se correndo no rio preguiças em companhia de crianças; Othelino optou por um por-do-sol nos lençóis, imagem feita por ele próprio.

Neutros no segundo turno das eleições na capital – embora suas bases estejam em atividade, a maioria na campanha de Eduardo Braide – as duas lideranças têm o que comemorar.

Apesar de não chegar ao segundo turno em São Luís, Neto Evangelista se transformou em um baluarte da campanha de Braide; Já o PDT de Weverton fez a maioria dos prefeitos no interior maranhense.

Othelino fala da beleza do por-do-sol nos Lençóis Maranhenses e destaca que estava lá para fazer a fotografia

E Othelino Neto participou de campanhas vitoriosas em todo o estado, solidificando as bases de um projeto de candidatura majoritária.

Enquanto descansam ao sol dos paradisíacos Lençóis Maranhenses, Weverton e Othelino acompanham à distância a situação na capital maranhense.

E vêem Flávio Dino e Carlos Brandão (PRB) levarem Duarte Júnior (Republicanos) ao cadafalso.

– Eita Rio Preguiças bom do diacho – diria Weverton Rocha…

2

Flávio Dino e Carlos Brandão precipitaram a derrota de Duarte Júnior

Ao pressionar, chantagear e ameaçar aliados a cerrar fileiras em torno do seu candidato, governador e seu vice forçaram uma debandada, em nome da liberdade, que afastou ainda mais quem poderia ajudar na eleição do candidato a prefeito

 

A cada vez que Flávio Dino falou em favor de Duarte, mais os aliados da base se afastaram do candidato do Republicanos num efeito contrário do que pretendia o governador

Ensaio

O candidato Duarte Júnior (Republicanos) tinha uma ampla chance de vencer as eleições do domingo, 19, tivesse ele seguido um roteiro diferente neste segundo turno.

Era preciso, principalmente, a unidade da base, o que ele nunca fez questão de conquistar.

E ainda se deixou levar pelos arroubos autoritários do governador Flávio Dino (PCdoB), que ainda no domingo, 15, vociferou a aliados com ameaças a quem não cerrasse fileiras ao seu lado.

A fala de Dino ecoou em blogs alinhados e não-alinhados ao Palácio dos Leões; e mereceu, inclusive, um post do blog Marco Aurélio D’Eça – naquele momento já percebendo os riscos de um efeito “estouro da boiada” – no post “Desafio de Dino é unificar a base em torno de Duarte Júnior”.

O desafio não foi vencido.

A pressão, a chantagem explícita e as ameaças de Flávio Dino fizeram diversos aliados alinharem-se a Eduardo Braide (Podemos) ou declarar neutralidade – muito também pela antipatia do próprio Duarte Júnior, que não é o que se pode chamar de diplomata. 

Apenas subordinados mais dependentes de Flávio Dino começaram a declarar apoio; Flávio Dino chegou a humilhar aliados forçando o apoio a Duarte, a exemplo do ex-candidato Rubens Júnior (PCdoB).

A pressão foi tanta que Rubinho adoeceu e se afastou da campanha. (Relembre aqui)

Ao voltar à campanha do aliado, Brandão piorou ainda mais a situação ao ameaçar aliados que não querem votar em seu candidato

Na reta final da campanha veio o vice-governador Carlos Brandão (PRB) terminar de entornar o caldo, chamando de “traíras” os que não seguiram a cartilha de Dino e ameaçando retaliar os rebeldes, numa postura típica dos coronéis do sertão maranhense.

Brandão deve assumir o lugar de Flávio Dino daqui a 1 ano e 4 meses; e isso apavorou mais ainda os que temem ser tratados como gado, obrigados a seguir o rebanho dos interesses da dupla.

Quanto mais Flávio Dino e Carlos Brandão ameaçam aliados, auxiliares e servidores, mais Duarte Júnior perde votos na base.

Num efeito reverso do que esperam os dois chefes políticos.

Por que chefes nunca serão líderes…

4

“Não cuspa no prato que está comendo, Duarte”, diz Penha…

Vereador presidente municipal do PDT critica candidato do Republicanos pelas críticas ao partido e lembra que ele destrata os próprios aliados ao dizer que a prefeitura não servirá a grupos, como serviu a Flávio Dino em 2014 e 2018

 

Raimundo Penha rebateu às agressões de Duarte Júnior ao PDT

O vereador reeleito Raimundo Penha, presidente municipal do PDT, criticou, em nota, a postura do candidato republicano a prefeito, Duarte júnior, em relação ao partido.

– Você destratou o PDT e classificou nossa militância como banda boa e banda ruim. Porém, não teve o mesmo cuidado quando escolheu PRB para se filiar após deixar o PCdoB, do amigo governador Flávio Dino – afirmou Penha.

Segundo o vereador, o PRB de Duarte, desde que foi fundado, esteve em todos os governos municipais e estaduais;  de Tadeu Palácio a Edivaldo Júnior, passando por João Castelo; de Roseana a Jackson lago, passando por José Reinaldo Tavares.

Para Penha, a agressão de Duarte Júnior ao PDT mostra a ambição do candidato pelo poder, atingindo, inclusive, Flávio Dino, que se expõe por ele.

– Quando diz que a Prefeitura não vai atender grupo político você insulta a história do grupo que levou Flavio Dino ao governo e ao próprio governador. Ganhamos juntos a Prefeitura em 2012 com Edivaldo e governamos juntos até hoje. O glorioso PCdoB é o partido que mais comandou Secretarias na gestão Edivaldo. Lembra da Secretaria de Educação no começo do governo Edivaldo? Os secretários eram filiados ao PCdoB. Comandou também a Saúde até recente com Lula Fylho – ressaltou Penha, lembrando também as secretarias de Comunicação e de Obras, todas ocupadas por comunistas.

Veja abaixo a nota do presidente do PDT:

Durante o debate da TV Band, realizado na noite desta última quarta-feira (25), o candidato Duarte Junior mais uma vez atacou a militância do PDT.

Em um surto, talvez tomado pela raiva ou pelo medo da derrota próxima, ele destilou ódio contra todos que não o apoiam.

Duarte, temos orgulho de nossa história. Orgulho das eleições que vencemos e também das batalhas que perdemos ( e a do próximo domingo, dia 29, iremos vencer. Anota ai!).  A diferença é que quando perdemos, não mudamos de lado.

Você destratou o PDT e classificou nossa militância como banda boa e banda ruim.  Porém, não teve o mesmo cuidado quando escolheu PRB para se filiar após deixar o PCdoB, do amigo governador Flávio Dino.

O PRB, seu partido, desde que foi fundado esteve em todos os governos. Isso mesmo: TODOS OS GOVERNOS!
Na Prefeitura, estiveram no governo Tadeu. Lançaram candidato a prefeito em 2008 e perderam. Logo após aderiram ao governo Castelo, indicando até secretários. Bastou Edivaldo ganhar Castelo em 2012 e vocês aderiram ao governo Edivaldo onde estão até hoje com vários cargos comissionados.

No governo do Maranhão, estavam na gestão de Roseana. Tão fiéis, se mantiveram na coligação do Edinho Lobão em 2014 contra Flavio Dino.  Com a vitória do Flávio, claro, não ficarariam de fora de um governo né? Então, foram compor com o governador.

A nível federal, nasceram dentro do governo Lula, estiveram no governo Dilma e, no impeachment, traíram Dilma e deram os 22 votos do partido para Temer. 

Em troca, estiveram no governo Temer. Ai veio o Bolsonaro e novamente quem está lá no colo do Bozo? Eles, o Republicanos que, inclusive, tem 2 filhos do Bolsonaro como filiados – o senador Flavio Bolsonaro e o vereador Carlos. Bolsonaro!

Nem vou comentar sobre os filiados que te cercam aqui no MA. Debato ideias, não pessoas, por pior que algumas sejam!

Sua ambição é tão grande que você destrata até aquele que se expõe por você.

Quando diz que a Prefeitura não vai atender grupo político você insulta a história do grupo que levou Flavio Dino ao governo e ai próprio governador.

Ganhamos juntos a Prefeitura em 2012 com Edivaldo e governamos juntos até hoje. O glorioso PC do B comandou é o partido que mais comandou Secretarias na gestão Edivado. Lembra da Secretaria de Educação no começo do governo Edivaldo? Os secretários eram filiados ao PCdoB. Comandou também a Saúde até recente com Lula Fylho.

Comandam até hoje a Secretaria de Comunicação e iniciaram 2013 com o amigo Marcio Jerry que tem dado o melhor para te levar à Prefeitura.  Comandam ainda, a Secretaria de Obras, que tem feito um grande trabalho na cidade.

Isso sem falar no vice, Júlio Pinheiro, que é do PCdoB.

Um conselho: não cuspa no prato que está comendo!

Raimundo Penha

Vereador reeleito e presidente do Diretório Municipal do PDT em São Luís

17

De como a história puniu a ingratidão de Flávio Dino…

Todas as lideranças políticas usadas pelo governador para chegar ao poder no Maranhão – e depois descartadas por ele – hoje se voltam contra o seu candidato a prefeito, numa derrota anunciada que tende a reverberar em 2022

 

José Reinaldo pagou com a própria carreira política a estrutura que garantiu a entrada de Flávio Dino na vida pública; depois, foi jogado pelo comunista à própria sorte

Editorial

Os arroubos autoritários do governador Flávio Dino (PCdoB) e seus auxiliares mais dependentes neste segundo turno eleitoral revelam um desespero diante de uma tragédia anunciada.

Com seu candidato debaixo do braço, ele deve perder a eleição de domingo, 29.

Mais além da derrota de Duarte Júnior (Republicanos) – que não conseguiu unir a base governista em torno de si – o segundo turno das eleições em São Luís revela a Flávio Dino como a história pune os ingratos.

Todas as lideranças políticas que ajudaram a fazer de Flávio Dino uma figura política, hoje se voltam contra ele nestas eleições: do ex-governador José Reinaldo à ex-primeira dama Clay Lago; do ex-ministro Edson Vidigal ao ex-presidente da OAB-MA, Mário Macieira.

De uma forma ou de outra, Dino usou este pessoal e os abandonou à própria sorte, preferindo buscar adoração em seus pupilos idólatras no governo e na mídia.

Mas a fatura chegou.

O apoio de Clay Lago a Eduardo Braide é simbólico do ponto de vista histórico; seu marido, Jackson Lago foi atacado duramente por Flávio Dino

A realidade imposta nas eleições de 2020 mostra que o governador comunista não tem grupo, não tem seguidores e não tem, sobretudo, conselheiros, que se decepcionaram com sua trajetória.

A pouco mais de um ano de deixar o cargo (em abril de 2022), Flávio Dino começa a perceber que a liderança que ele achava ter na verdade não existe.

Ele é apenas mais um governador que usa o mandato para forjar poder.

E geralmente, nestes casos, o poder se esvai com o fim do mandato.

Mário Macieira deu o suporte jurídico a Flávio Dino nos meios judiciais; hoje, questiona o apoio do ex-sócio a Duarte Júnior, que ele conhece bem

É óbvio que o comunista – que sonhou e ainda sonha ser liderança nacional – vai continuar a usar o cargo para criar uma bolha de poder em torno de si; mas já começa a parecer apenas uma caricatura do que foi na eleição de 2014.

E quanto mais se aproximar o fim do mandato, menor ele ficará em relação à classe política.

É a história punindo a sua ingratidão…

0

“São Luís mostrará ao governador que tem liberdade pra votar”, afirma César Pires

César Pires foi o primeiro deputado estadual a apoiar a candidatura de Eduardo Braide; e segue mobilizando apoios para seu aliado

Em forte discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado César Pires fez duras críticas à interferência do governador Flávio Dino nas eleições municipais deste ano, principalmente em São Luís.

“Bateu o desespero e o governador age como um suserano, determinando aos seus vassalos que tentem reprimir a liberdade dos servidores públicos nos órgãos estaduais, obrigando-os a adesivar carros e a fazer campanha para seus candidatos. Mas diante da força bruta do governante, o que vai prevalecer, diante das urnas, é a consciência dos eleitores”, enfatizou César Pires.

No quinto mandato parlamentar, o deputado que já foi líder do governo e da oposição na Assembleia afirmou que nunca viu nada igual às investidas do governador, mas ressaltou que os resultados das urnas mostram que sua interferência direta não tem sido positiva para os seus candidatos.

“Mesmos com suas gravações agressivas, o governador não elegeu seus candidatos a prefeitos nos grandes redutos eleitorais do Maranhão, como Imperatriz, Caxias e Codó. E em São Luís não conseguiu manter nem unidade partidária do seu grupo. Ameaça seus asseclas, tenta amedrontar e reprimir quem se aventurar a ser contra ele. É triste ter um governo que vende a liberdade, que vende os métodos republicanos, e age dessa forma”, ressaltou o deputado.

César Pires também criticou a pressão do governo sobre o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, que resiste em se manifestar sobre a disputa eleitoral na capital. Lembrando que o candidato Eduardo Braide disse em um debate que o governo estadual pouco atuou em efetiva parceria com o município de São Luís, o deputado ressaltou que as obras em execução em São Luís estão sendo feitas com recursos da Caixa Econômica, e do Iphan.

“Nunca vi na minha vida tanta repressão, tanta força bruta, tanta ação do Governo do Estado, para tentar bloquear a liberdade de expressão e de voto do funcionalismo público. Apanigua seu candidato de forma diferenciada, força as pessoas a tentarem votar nele, mas não vai conseguir. Será mais uma derrota acachapante do governador do Estado, aqui em São Luís”, afirmou César Pires.

O deputado concluiu seu discurso conclamando os servidores estaduais e toda a população a votar sem medo, para mostrar que o eleitor tem o poder de escolher seus candidatos de acordo com a sua consciência, sem ceder a pressões.

“A reviravolta começou. O governador Flávio Dino perdeu em todos os redutos em que botou o dedo, e sofrerá uma derrota acachapante em São Luís. O povo de São Luís está vivo, e vai eleger Eduardo Braide. Vamos comemorar a vitória do 19, a vitória da liberdade”, concluiu César Pires.

2

Coordenado por Zé Inácio, PT mobiliza o Centro por Eduardo Braide

Militantes da corrente Construindo um Novo Brasil – a maior do partido – panfletaram em favor do candidato do Podemos, fortalecendo a participação da legenda no segundo turno das eleições em São Luís

 

Os petistas pró-Braide estão capitalizando votos em favor do candidato, mostrando mais unidade que a banda atrelada ´[a candidatura de Duarte Júnior

A parte do PT de São Luís que decidiu apoiar Eduardo Braide (Podemos) no segundo turno das eleições na capital maranhense tem mostrado cada vez mais força na campanha.

Sob a coordenação do deputado estadual Zé Inácio, os petistas mobilizaram ontem a militância nas ruas do Centro, panfletando em favor do candidato do Podemos.

– Estivemos no Centro de São Luís, panfletando e dialogando com os trabalhadores e trabalhadoras sobre as propostas do nosso candidato a Prefeito Eduardo Braide. A esperança vai vencer o medo! É 19! – postou Inácio, em suas redes sociais.

Coligado ao candidato do PCdoB no primeiro turno, o PT maranhense se dividiu no segundo turno.

A banda mais ligada ao governo Flávio Dino (PCdoB) – que tem exigido fidelidade dos que estão em sua gestão – aderiu ao candidato Duarte Júnior (Republicanos); a banda mais independente optou por Eduardo Braide.

E parece estar fazendo a diferença em relação aos companheiros dinistas…

2

TV Band-MA inova na fórmula e faz melhor debate da campanha

Sem amarras temáticas, com candidatos livres e com tempo para usar como quisessem, programa fluiu de forma dinâmica, fugiu do lugar-comum já criticado no blog Marco Aurélio D’Eça e pode servir de modelo para outras emissoras

 

Com fórmula inédita, Band-MA deu fluidez ao debate entre Eduardo Braide e Duarte Júnior; e pode servir de modelo para outras emissoras (imagem: Kiel Martins)

A TV Band-MA trouxe nesta quarta-feira, 25, a grande novidade dos debates nas eleições de 2020.

A emissora aplicou uma nova fórmula ao programa, o que  deu agilidade e nova dinâmica, garantindo debate de ideias e confronto pessoal dos candidatos de forma fluida, sem amarras temáticas ou técnicas.

Ao mesmo tempo em que tentavam apresentar suas propostas para São Luís, os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) tentavam, também, desconstruir o adversário.

Apresentado pela jornalista Daniela Bandeira, o debate da Band inovou logo no início, ao disponibilizar 4 minutos para cada candidato falar de si; desses 4 minutos seriam descontados o tempo para as considerações finais.

– Se usar todo o tempo agora, o candidato não poderá dar nem boa noite no final – alertou a jornalista.

No primeiro blog, outra inovação: jornalistas e especialistas convidados  puderam fazer perguntas aos candidatos, cuja resposta era comentada pelo adversário.

Mas a grande novidade, que deu leveza e densidade ao programa foi o bloco final, em que os dois candidatos tiveram 15 minutos cada para usar como quiser, falando de suas propostas, criticando o adversário e perguntando.

Com esta fórmula, o eleitor pode analisar mais claramente o perfil de de Eduardo Braide e Duarte Júnior, balizando seu voto nas eleições de domingo, 29.

Em 13 de novembro, o blog Marco Aurélio D’Eça criticou o modelo usado para programas deste tipo, no post “Fórmula dos debates parece cansada; é preciso buscar alternativas…”

A alternativa buscada pela TV Band-MA tem tudo para dar sobrevida a este tipo de evento de campanha.

É um avanço sem dúvidas…

1

Por que privar o torcedor do futebol?, questiona presidente do Sampaio…

Sergio Frota diz que, num momento em que se vê praias cheias, eventos cheios, shows lotados e até eventos políticos com aglomeração, não faz sentido algum que os campeonatos sejam disputados sem torcida

 

Com Sampaio Corrêa bem na Série B, Sérgio Frota prega a volta da torcida aos estádios

Vivendo momento de felicidade no Campeonato Brasileiro, com o Sampaio Corrêa no G-4 da competição, o ex-deputado Sérgio Frota fez um questionamento pertinente, nesta quarta-feria, 25.

– Estamos jogando sem a força da torcida; temos eventos cheios, praias cheias, shows cheios e até eventos políticos com aglomeração, mas somos obrigada  jogar com estádios vazios – lamentou o mandatário, em entrevista à TV Mirante.

A CBF ainda não permitiu a entrada de torcedores nos estádios, o que priva os clubes de uma fonte de receita.

Para o Sampaio Corrêa, disputando o título da Série B, a liberação da torcida seria certeza de estádio cheio e recursos na conta do time.

Não há previsão para que os estádios possam receber torcida…

7

Presença de Dino ofusca Brandão na campanha de Duarte

Sem expressão política, sobretudo em São Luís – e decidido a deixar seu futuro político nas mãos do comunista – vice-governador se recolhe, com a certeza de que a derrota do governador representará também a sua derrota; e já enfrenta rumores de substituição por Felipe Camarão

 

Em segundo plano na campanha de Duarte, Brandão aceitou deixar sua própria carreira política nas mãos do governador

O vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) não tem qualquer expressão política na região de São Luís; e como pretenso candidato a governador em 2022, apostou na candidatura de Duarte Júnior (Republicano) para fortalecer este projeto.

No segundo turno, porém, viu o governador Flávio Dino ocupar integralmente a candidatura de Duarte, como patrono de sua eleição.

Já decidido a deixar nas mãos de Dino todo o seu projeto político, Brandão decidiu recolher-se ainda mais; ele sabe que a derrota de Dino com Duarte representará também a sua própria derrotas em 2022.

Caso perca a eleição em São Luís, o governador dificilmente terá forças para impor ao eleitor o nome de Brandão como sucessor – nem mesmo com a posse deste como governador.

Brandão, portanto, entregou seu futuro político nas mãos de Flávio Dino; e por consequência, também nas mãos de Duarte Júnior.

E já tem agora que conviver com os rumores de substituição, como candidato, pelo secretário de Educação Felipe Camarão.

Mas esta é uma outra história…

7

Para Yglésio, Duarte “é capaz de matar para ser prefeito”…

Em duro discurso na Assembleia Legislativa, deputado chama candidato do Republicanos de “sociopata e mentiroso”, diz que ele cometeu crime contra a saúde pública “ao espalhar o coronavírus” e pede providências da Casa contra o colega

 

Yglésio foi à tribuna da Assembleia para falar de Duarte o que já falava nas redes sociais

O deputado estadual Dr. Yglésio (sem partido) fez um duro discurso na Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira, 24.

Após chamar o colega Duarte Júnior (Republicanos) de “mentiroso compulsivo” e sociopata, afirmou que o parlamentar é “capaz de matar para ser prefeito de São Luís”.

Segundo Yglésio, que disputou o primeiro turno das eleições de São Luís, a prova da insanidade de Duarte é o fato de ele ter “mesmo contaminado pela coVID-19” ter saído “espalhando o coronavírus em busca de votos”.

No discurso sobrou até para o governador Flávio Dino (PCdoB); o deputado criticou o fato de Dino ter sido o primeiro a decretar lockdown no Brasil,  por causa do coronavírus, e ter aceitado “Duarte Júnior sair contaminado”.

O vídeo de Yglésio ganhou intensa repercussão nas redes sociais. (Veja acima)