1

“Que sejam ouvidos os partidos”, diz Cléber Verde sobre candidato em 2022

Presidente regional do Republicanos, deputado federal reafirma apoio ao senador Weverton Rocha e diz que espera do governador Flávio Dino um consenso ouvindo os dirigentes partidários na escolha do nome da base n a disputa pelo Governo do Estado

 

Cléber Verde reafirmou apoio a Weverton; e diz esperar que Flávio Dino ouça os partidos

Presidente regional do Republicanos, o deputado federal Cle´ber Verde reafirmou nesta segunda-feira, 3, em entrevista ao quadro Bastidores, da TV Mirante, o apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) para a disputa do Governo do Estado em 20-22.;

Verde contou que o Republicanos elegeu o vice-governador Carlos Brandão, em, 2-018, mas que foi surpreendido com a saída deste., sem nenhum comunicado.

– Sua saída pára nós, particularmente para mim, que nem fui comunicado, foi muito ruim. Com a sua saída, ficamos meio perplexos. Mas precismos avançar, recebemos a filiação do deputado valoroso, Gil Cutrim. E nesse contexto nos alinhamos ao projeto do senador Weverton, Estamos juntos – revelou Verde.

O deputado do PRB disse que espera agora do governador Flávio Dino (PCdoB) que ouça os dirigentes partidários antes de se decidir pelo candidato que representará a base.

– Esperamos, por fazer parte da base do governo, é que haja um consenso de identificação de um candidato, ouvindo, principalmente os partidos políticos. Vamos ter todos os partidos que fazem parte da base – pregou.

Para Verde, o nome de Weverton é o melhor para unificar a base, uma vez que ele já está com apoio de sete partidos, podendo chegar a nove ou 10.

– O senador Weverton tem muita legitimidade. É competente, atuante e muito bem articulado – concluiu Verde, que falou ainda de ações da bancada e de projetos para o Maranhão.

Veja o vídeo acima

4

Em vídeo, Weverton mostra preocupação com o trabalhador…

Senador defendeu os direitos da classe, mostrando seus posicionamentos no Senado em favor de políticas de proteção; e defendeu maiores ações do Poder Público durante a pandemia de coronavírus, acompanhado de depoimentos dos próprios trabalhadores

 

O senador Weverton Rocha (PDT) voltou a defender, em vídeo divulgado nas emissoras de TV, ações e políticas públicas de proteção e afirmação da classe trabalhadora.

O parlamentar destacou as homenagens pelo Dia do Trabalho e apresentou suas ações no senado em favor da clase.

– É preocupante o efeito da pandemia na renda dos trabalhadores brasileiros. O momento pede ações concretas para garantir que a população não passe necessidade. Os trabalhadores precisam de proteção. Muitos estão sem poder trabalhar e perderam seus empregos. Me solidarizo com cada uma dessas pessoas que fazem tudo que for possível para colocar um prato de comida na mesa. Juntos, vamos atravessar este momento difícil. O nosso dia a dia não vai ser igual ao que era antes, quando a gente retomar as atividades. Mas vamos superar todas as dificuldades. Contem comigo – afirmou Weverton Rocha.

Veja o vídeo acima…

1

Poder Legislativo retoma trabalho presencial em São Luís

Assembleia Legislativa e Câmara Municipal retomam nesta segunda-feira, 3, as sessões híbridas, com parte dos parlamentares em plenário e outra parte remotamente; parte dos servidores também retornam, respeitando medidas de restrição para evitar aglomerações

 

A Câmara terá sessões híbridas, campanha de conscientização e medidas contra a CoVId-19 a partir desta segunda-feira

Deputados estaduais e vereadores de São Luís voltam nesta segunda-feria, 3, a realizar sessões híbridas, com parte dos parlamentares em plenário e outra parte de casa ou do escritório.

Os trabalhos presenciais serão reiniciados pelas casa legislativas diante da redução na curva de contágio da CoVId-19.

Para garantir maior segurança contra o coronavírus, os servidores das duas casas seguirão regras de restrição de circulação.

Na Câmara Municipal haverá distribuição de kits contra o coronavírus e campanha de conscientização.

os trabalhos nas casas começam a partir das 8h…

2

Secretário toma posse como presidente reeleito do Conass

Secretário de Estado da Saúde é o primeiro maranhense a ocupar o cargo na história do conselho, que reúne os titulares do setor em todo o país

 

“Dialogar, debater, conversar sempre. Podemos ter adversários, podemos até ser adversários, mas o único inimigo hoje é o vírus”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, durante a solenidade de posse à presidência do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) do biênio 2021/2022. A reeleição por aclamação aconteceu no mês de março e, nesta quarta-feira (28), o secretário foi reconduzido ao cargo durante evento na sede do Conass, em Brasília.

A solenidade contou com a participação virtual do governador do Maranhão, Flávio Dino; e as presenças do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; e da representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) no Brasil, Socorro Gross.

O governador Flávio Dino destacou como principal desafio da nova gestão do Conass a defesa do Sistema Único de Saúde.

“O SUS mostrou nestes anos as suas virtudes no que se refere ao acesso, mas também no que se refere à sua eficiência. O sistema público é insubstituível, por isso, temos que repelir qualquer tentativa abjeta e desastrada de reviver temas como a substituição do sistema público por voucher”, enfatizou.

Durante o evento, o ministro da Saúde ressaltou a mediação do Conass na aquisição internacional de insumos durante a crise de desabastecimento dos kits de intubação para pacientes da Covid-19 do país. “Precisamos nos unir para enfrentar o nosso único inimigo que é o vírus e a ferramenta que dispomos para enfrentar este inimigo é o SUS. O Carlos foi quem me apresentou a Socorro e nós conseguimos os insumos. Então, estou certo que trabalhando juntos nós vamos ajudar o povo brasileiro a superar a pandemia”, reconheceu.

Socorro Gross enfatizou a relação cooperativa entre OPAS e Conass para o enfrentamento à Covid-19. “Nesta pandemia encontramos caminhos para o trabalho conjunto seja com comissões, compras ou outra prioridade para o Brasil. Vocês fazem com que esta organização seja diferente. Nós temos este momento de esperança: a vacina. Unidos, nós vamos conquistar um futuro melhor e um SUS mais forte”, pontuou.

Também participaram da solenidade o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto; o presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde, Wilames Bezerra; a deputada federal, Carmen Zanotto; e os 26 secretários de Estado da Saúde.

Missão

Em seu discurso de posse, o secretário Carlos Lula pontuou a sua missão à frente do Conselho para o biênio 2021/2022.

“Tenho como bandeira deixar um legado de apego irrevogável à ciência, à burocracia inteligente que salva vidas, ao processo de trabalho que humaniza o cuidado, que oferece dignidade para os brasileiros e brasileiras que mais precisam”, declarou.

0

Zé Inácio parabeniza Tribunal de Justiça  por instalação da Vara Agrária no estado 

Durante sessão virtual da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira, o deputado estadual Zé Inácio (PT) aproveitou o momento para destacar a instalação da Vara Agrária na comarca da Ilha de São Luís pelo Tribunal de Justiça do Maranhão.

A Vara Agrária está instalada e pronta para funcionar no Fórum do Calhau, em São Luís e ela terá competência territorial em todo o Estado do Maranhão.

O deputado parabenizou a colenda Corte de Justiça do Estado na pessoa do Desembargador José Joaquim, que na condição de presidente do tribunal, teve atuação importantíssima e foi determinante na criação da Vara Agrária, também destacou o empenho dos Desembargadores Cleones Cunha, Paulo Velten, Jorge Rachid e Lourival Serejo, que atualmente preside o Tribunal de Justiça e providenciou a efetiva instalação da Vara.

“Essa é uma medida muito importante do Tribunal de Justiça que merece o destaque aqui por nossa parte. E essa Vara Agrária será responsável por processar e julgar ações que tratam de questões agrárias envolvendo conflitos coletivos fundiários pela posse e propriedade da terra em que são partes trabalhadores rurais, indígenas e quilombolas. Ou seja, vai ajudar na prevenção, na mediação, na solução e também no combate de novos conflitos. Fazendo valer assim, o determinado no art. 126 da Constituição Federal” destacou Zé Inácio. 

A atuação do parlamentar na defesa da instauração da Vara Agrária no estado é longínqua. Primeiramente, na condição de advogado em que advogou para entidades de movimentos sociais como a FETAEMA, SMDH, CPT e para comunidades quilombolas. Como membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB, posteriormente como Superintendente do INCRA e do MDA no Maranhão e atualmente como deputado estadual, chegando a presidir, em 2015, a Comissão de Direitos Humanos na Assembleia que realizou várias audiências para discutir o tema.

Em 2015, após audiência pública promovida pela Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia para tratar sobre os conflitos agrários no Estado do Maranhão, em atendimento a uma solicitação da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e da Diocese de Coroatá em razão de intensos conflitos agrários que causou a morte de uma liderança indígena Kaapor, da reserva alto turiaçu, também por várias outras tentativas de homicídios, ameaças de morte e ordem de despejos na realidade do campo maranhense, Zé Inácio apresentou ao Plenário da Assembleia indicação direcionada ao Tribunal de Justiça para que fosse criada a Vara Agrária.

“Eu quero, com o mesmo entusiasmo, destacar e parabenizar  a luta dos trabalhadores nesta conquista, aos que continuam na luta e àqueles que tombaram. Parabenizo ainda, a atuação dos movimentos sociais, que sempre defenderam a criação da Vara Agrária no Estado do Maranhão, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, CPT, FETAEMA, FETRAF, CIMI, Movimentos Quilombolas e a OAB, órgãos públicos como o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o INCRA, a Assembleia Legislativa e a importante atuação do Ministério Público do Estado. Uma conquista da luta do povo, encampada pelo Tribunal de Justiça!”, disse.

0

Edilázio tem poder de decisão sobre o PSD, garante Kassab…

Presidente nacional do partido reafirmou ao deputado federal maranhense – que estava acompanhado do deputado estadual César Pires – prerrogativa de controle estadual do partido, independentemente de quem entre ou saia da legenda até as eleições de 2022

 

Edilázio Júnior com César Pires e lideranças maranhenses no gabinete com Gilberto Kassab: garantia de controle total do PSD no Maranhão

O deputado federal Edilázio Júnior tem e terá o controle absoluto do PSD maranhense, com poder de veto sobre filiações ou candidaturas nas eleições de 2022.

As garantias foram dadas a ele pelo presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, em reunião na última quarta-feira, 28, da qual participou também o deputado estadual César Pires.

– Saí de lá com a admiração redobrada pelo Kassab. Sua postura de fidelidade garantiu a nós o poder discricionário sobre o PSD no Maranhão e nos municípios maranhenses – disse Pires, que deve se transferir para a legenda nos próximos meses.

A garantia de Kassab veio exatamente quando se especulava que o senador Roberto Rocha poderia entrar no PSD e assumir o controle com vistas às eleições de 2022.

O próprio Rocha já descartou esta possibilidade; e deve seguir para o mesmo partido para onde for o presidente Jair Bolsonaro.

Mas esta é uma outra história…

6

José Reinaldo quer reaproximar Brandão da velha guarda sarneysista

Ex-governador sabe que não terá a base do governo Flávio Dino na campanha do vice-governador; e tem usado a aproximação com o comunista para acenar a deputados, ex-deputados, prefeitos e ex-prefeitos de sua geração, como João Alberto, Hildo Rocha, Arnaldo Melo, Tatá Milhomem, Aderson Lago e Marcone Farias

 

A missão de José Reinaldo é criar uma base partidária para Brandão; como a de Dino está com a juventude, saída é buscar velha guarda, mas identificada com o vice

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) já sabe que não terá o apoio da base do governador Flávio Dino (PCdoB), formada em sua maioria por jovens deputados, prefeitos e vereadores, com dinâmica política diferente da sua.

Este grupo, que tem hoje o controle dos principais partidos no estado, se alinha ao projeto do senador Weverton Rocha (PDT) ou ao do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL); e deve influenciar diretamente a decisão de Dino sobre o candidato da base.

Foi o próprio Flávio Dino quem disse que iria ouvir os “14 ou 15 partidos da base” para decidir sobre candidaturas em 2022.

Brandão tem dificuldade de se aproximar da ala mais jovem dos aliados de Dino por que é, ele próprio, um político de outra geração. (Entenda aqui,  aqui e também aqui)

Para tentar fazer contraponto a esta força, o ex-governador José Reinaldo Tavares entrou em cena, para reaproximar antigas lideranças do chamado grupo Sarney – e a velha guarda da política sarneysista ainda em atividade – com os quais o próprio Brandão conviveu durante décadas.

Por isso buscou a reaproximação entre Flávio Dino e o ex-governador José Reinaldo Tavares.

O vice-governador já conversou com o ex-senador João Alberto, com o ex-secretário Ricardo Murad e já tentou, inclusive, aproximação com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Ele conta também com políticos da velha guarda sarneysista ainda em atividade, como os deputados Hildo Rocha (MDB), César Pires (PV) e Arnaldo Melo (MDB).

A todos, garante espaço de poder assim que assumir o governo, em abril de 2022.

José Reinaldo trabalha não apenas em aproximar Brandão de sarneysistas, mas busca também seus próprios aliados das antigas, como os ex-deputados Sebastião Madeira, Jaime Santana, Marcone Farias e Aderson Lago.

O próprio Brandão sempre foi mais próximo desses políticos, uma vez que fez parte do grupo Sarney durante anos.

E é com este pessoal que quer governar e viabilizar sua candidatura ao governo…

4

Felipe Camarão confirma: será candidato a deputado federal…

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, vai disputar uma vaga na Câmara Federal.

Ele confirmou sua intenção nesta quarta-feria, 28, em entrevista ao programa Panorama, da Rádio Mirante AM.

Camarão vinha sendo cotado para concorrer a uma das vagas de deputado federal, mas nunca havia admitido esta possibilidade.

Filiado ao DEM, ele confirmou a intenção de ingressar na política, mas garantiu que, por ora, não tem pensado sobre o assunto.

Seu foco está no retorno às aulas da rede estadual de ensino, em meio à segunda onda da pandemia.

 

0

Em Brasília, César Pires participa de encontros com líderes do PSD

O deputado César Pires cumpriu agenda nesta quarta-feira (28) em Brasília com o deputado federal Edilázio Júnior, presidente estadual do PSD no Maranhão.

Eles tiveram encontros com o dirigente nacional do PSD, Gilberto Kassab; com o ministro das Comunicações, Fábio Faria; e com o presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira, conversando sobre a conjuntura política nacional e estadual, e tratando de assuntos de interesse da população maranhense.

Do encontro com Gilberto Kassab, César Pires e Edilázio Júnior, também participaram o prefeito de São Raimundo das Mangabeiras, Accioly Cardoso, e seu irmão, Ítalo Cardoso, que são integrantes do PSD no Maranhão. Eles conversaram sobre os rumos do PSD visando as eleições de 2022, e acordaram que o partido está livre para definir alianças ou lançamento de candidaturas próprias, em nível federal e nos estados.

Em seguida, César Pires, Edilázio Júnior e Accioly Cardoso foram recebidos pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, com quem conversaram sobre a necessidade de ampliar e melhorar o acesso à internet no Maranhão.

“Nesse período de pandemia, a internet tornou-se ainda mais necessária. Muitos profissionais, por exemplo, estão em trabalho remoto e as escolas estão com aulas online ou em sistema híbrido. Então, precisamos melhorar o acesso dos maranhenses à internet”, justificou César Pires.

Por último, a comitiva maranhense foi recebida pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, com quem trataram de vários assuntos de interesse do Maranhão.

“Foi uma agenda muito positiva, e retornaremos ao Maranhão com informações importantes para a nossa atuação parlamentar”, finalizou César Pires.

6

Carlos Brandão ouve mais um não na tentativa de consolidar candidatura

Vice-governador corre contra o tempo na tentativa de viabilizar uma aliança consistente, mas enfrenta resistências, diante da baixa empolgação que desperta entre as lideranças partidárias;  e pode acabar com a menor parte das legendas que compõem a base do governo Flávio Dino

 

Josimar disse não às tentativas de Brandão de ter seu apoio em 2022; é a segunda resposta negativa do vice-governador, que vai ficando sem margem partidária

O governador Flávio Dino (PCdoB) chamou nesta quarta-feira, 28, ao Palácio dos Leões, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL); era mais uma tentativa de o seu vice, Carlos Brandão (PSDB), viabilizar uma coligação consistente para sua candidatura em 2022.

E mais uma vez ouviu um “não!” como resposta.

Josimar disse ao governador que será candidato em 2022; o deputado revelou também ter ouvido do próprio Dino a afirmação de que Brandão será seu candidato.

Brandão corre contra o tempo por que precisa dar à sua candidatura uma aliança consistente para a disputa de 2022.

Há duas semanas, também sob a custódia de Flávio Dino, o vice reuniu-se com o senador Weverton Rocha (PDT) e tentou a mesma estratégia usada com Josimar – ainda que de forma mais sutil – ouvindo também do pedetista a confirmação de candidatura, embora queira o apoio não apenas de Dino, mas do próprio Brandão.

Flávio Dino já disse em entrevista que tem algo em torno de 14 ou 15 partidos em sua base de apoio, com os quais pretende conversar sobre a sua sucessão.

Destes 15 partidos, pelo menos seis já declararam apoio a Weverton Rocha: PDT, PSB, Cidadania, Republicanos, DEM e PSL.

Com Josimar reúnem-se outros três partidos: PL, Patriotas e Avante.

Dentro da base, ainda não se posicionaram o PROS e o PP, que está mais próximo de Weverton. Já o PTB, alinhado ao bolsonarismo, caminha para a oposição.

Caso tenha sido ungido pelo governador, como afirma Maranhãozinho, sobrariam a Brandão seu próprio PSDB, o PCdoB dinista e o PT.

É por isso a pressão, tentando antecipar o jogo da sucessão.

Que ele mesmo tentou adiar…