1

“O povo é o apoio que você precisa ter”, diz Braide sobre alianças…

Favorito na disputa pela Prefeitura de São Luís nega que tenha se isolado da classe política, ressalta conversas com lideranças, mas lembra que nenhum candidato está isolado quando a população está ao seu lado

 

Eduardo Braide tem buscado o contato direto com a população para fortalecer sua base de apoio em São Luís

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) ressaltou nesta terça-feira, 7, em entrevista à rádio nova FM,  que mantém conversas com várias lideranças partidárias para formação de coligação nas eleições de outubro.

Favorito nas pesquisas de intenção de votos, com tendência a vencer em primeiro turno, Braide ressaltou, no entanto, que a aliança com a população é o mais importante em seu projeto.

– Em primeiro lugar, quem tem o apoio da população, o apoio do povo, não está isolado de forma alguma. Começa por aí. E é o apoio de quem realmente você precisa ter – destacou.

Citando nominalmente o colega de bancada Josimar de Maranhãozinho (PL), Braide ressaltou que tem conversado com diversas lideranças.

– Com certeza o deputado Josimar é uma das pessoas que eu tenho conversado. O deputado dirige hoje o PL aqui no Maranhão e vamos avançar nas conversas no sentido de mostrar que realmente ele e outros atores da política do nosso estado podem estar juntos nessa caminhada rumo à prefeitura de São Luís – afirmou.

Até agora, mesmo liderando todas as pesquisas de intenção de votos, o candidato do Podemos não confirmou aliança com nenhum outro partido.

Mas tem recebido forte adesão popular, que o põe em condições de vencer em primeiro turno…

3

Flávio Dino entrega a Edivaldo coordenação da campanha em São Luís

Prefeito – que vinha tentando focar apenas a gestão neste término de mandato – vai assumir as articulações para definir aquele, ou aqueles, que representarão o grupo político nas eleições de outubro

 

Flávio Dino já repassou a Edivaldo Júnior a responsabilidade pela definição do candidato – ou candidatos – que representarão o grupo nas eleições de outubro

O governador Flávio Dino (PCdoB) revelou na entrevista ao Jornal Pequeno que caberá ao prefeito Edivaldo Júnior (PDT) a coordenação da campanha do candidato – ou candidatos – do seu grupo político nas eleições de outubro.

Além de assumir uma importante responsabilidade neste fim de mandato – em que pretendia focar na entrega de obras e serviços – Edivaldo ganhará ares de liderança de peso no grupo do governador.

E o seu sucesso nas urnas catapultará também seu cacife para além de 2020.

– Ele é quem vai conduzir [Edivaldo Júnior]. Eu já acertei isso com ele. Ele é que vai conduzir as reuniões, assim como em 2018 fui eu que conduzi, no caso de 2020 será ele que vai conduzir: chamar os partidos, os presidentes municipais, e tentar ir construindo uma união, a mais ampla quanto possível for – revelou Dino. (Leia aqui a íntegra da entrevista)

Segundo revelou o governador na entrevista, Edivaldo já até marcou com ele uma reunião para após o carnaval, quando se dará a definição de como será o comando das articulações.

Flávio Dino disse que pretende acompanhar a campanha de seus aliados no interior, mas não se envolverá diretamente em cidades onde houver mais de um candidato da base, o que deve ser o caso de São Luís.

Se Edivaldo Júnior conseguir concluir o mandato com a ênfase nas obras e serviços que vem apresentando na capital e, ainda assim, conseguir fazer o seu sucessor, assumindo a campanha, estará definitivamente cacifado para 2022.

Quando se dará a sucessão do próprio Flávio Dino…

0

Eliziane vai liderar comissão de parlamentares em reserva Araribóia…

Uma comissão de parlamentares do Congresso Nacional, liderada pela senadora Eliziane Gama (Cidadania) fará diligência nas terras indígenas Araribóia para averiguar in loco a situação de conflitos na região.

A comitiva é composta também pelos deputados federais Joênia Wapichana e Nilton Tatto.

Os parlamentares irão para a Aldeia Juçaral, localizada no município de Amarante-MA e ouvirão os familiares do Guardião da Floresta, Paulino Guajajará assassinado no ano passado. Os recentes assassinatos de índios no Maranhão tiveram grande repercussão nacional e internacional.

A senadora Eliziane Gama informou que a comitiva também ouvirá as lideranças indígenas na localidade, Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA, Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Policia Federal e Funai.

1

Emenda de Leonardo Sá beneficia Ponta de Santana em Pinheiro

Os serviços de recuperação das estradas vicinais, através da emenda parlamentar do deputado estadual, Dr. Leonardo Sá (PL), chegaram, desde o final do ano, ao antigo povoado e agora bairro Ponta de Santana, em Pinheiro-MA.

O sonho de muitos moradores tornando-se realidade como é o caso de Antônio Rodrigues que relatou como era onde mora “esta rua foi apelidada como rua do deserto, já teve muitos prefeitos e vereadores que mentiam pra gente e nunca saia nada, mas agora todo mundo agradece a esta obra que o deputado está realizando”.

Assim como também para Nilo Santos que contou que “aqui sempre uma buraqueira danada, a gente vivia jogando entulho para cobrir os buracos, e agora não, depois que passou este servico aqui está excelente”.

Esta emenda já beneficiou a região do Bom Viver, Gama, Ponta Branca e agora Ponta de Santana. E ainda irá beneficiar outras regiões da zona rural, que ficam ilhadas durante o inverno, impossibilitando o tráfego até a sede do município.

“Nós ficamos muito satisfeitos porque esta emenda está beneficiando Ponta de Santana e várias outras regiões em nosso município. Só temos a agradecer ao deputado Leonardo”, afirmou o ex-vereador Gilmar Soares.

Em Ponta de Santana, quatro ruas principais, que ficavam intrafegáveis, estão sendo recuperadas. E logo após as chuvas intensas, neste período do ano no município, serão concluídas. Assim informou a Secretaria Estadual de Agricultura Familiar (SAF), responsável pela execução da obra.

“Como médico sempre andava nestas regiões para fazer atendimento e sei como era difícil trafegar por estas estradas. Sempre quis solucionar este problema e com o apoio da SAF, agora vejo um sonho tornando-se realidade”, declarou o deputado.

0

Simplício propõe diálogo entre Duarte Júnior e Carlos Madeira…

Presidente regional do Solidariedade reuniu pré-candidatos a prefeito de São Luís em uma reunião para debater impressões sobre a cidade; tanto o deputado quanto o ex-juiz são cotados para filiação ao partido

 

Simplício com Expedito e os dois pré-candidatos a prefeito de São Luís: exercício do diálogo pleno

O secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, presidente regional do solidariedade, reuniu nesta terça-feira, 7, o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB) e o ex-juiz Carlos Madeira (Sem partido).

Tanto Duarte quanto madeira são cotados para filiação no partido de Simplício.

– Com os amigos Duarte Júnior, Carlos Madeira e Expedito exercendo o que a política tem de mais bonito; o diálogo – disse Araújo, em seu perfil no Instagram.

Apesar de abrir diálogo sobre São Luís com Duarte Júnior, o Solidariedade deve receber mesmo a filiação de Carlos Madeira.

A aposentadoria do ex-juiz começará a ter efeito a partir da próxima segunda-feria, 13.

A partir de então, ele estará livre para se filiar…

1

Osmar Filho diz que qualitativas definirão candidato da base…

Presidente da Câmara Municipal se mantém no jogo sucessório de São Luís e avalia que o resultado destas pesquisas, a partir de março, poderá levar a duas ou mais candidaturas na base do governo Flávio Dino

 

Osmar Filho mantém seu nome no rol dos pré-candidatos da base holandinista a prefeito de São Luís; pesquisas qualitativas definirão os escolhidos

O presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT), mantém seu nome no debate sobre a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT); e diz que uma pesquisa qualitativa, provavelmente a partir de março, definirá o escolhido – ou escolhidos – da base governista. 

 – O que sei é que todos os nomes ainda estão postos sob a mesa e somente a partir de março, após a avaliação das pesquisas qualitativas, será possível chegar a um ou, se for o caso, dois ou mais nomes – disse o vereador.

A base do grupo Flávio Dino/Edivaldo Júnior tem, hoje, nada menos que seis postulantes a prefeito: o próprio Osmar Filho e mais os deputados federais Bira do Pindaré (PSB) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB), os estaduais Neto Evangelista (DEM), Duarte Júnior (PCdoB) e Dr. Yglésio (sem partido)

Pelo entendimento de Osmar Filho, dos seis pré-candidatos, a base deve ficar com tr~es candidatos efetivamente.

Com informações de O EstadoMaranhão

2

Andreia Martins Rezende surpreende com sua recuperação e superação

Em um vídeo publicado na tarde de ontem em suas redes sociais, a deputada e 1ª secretária da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, Andreia Martins Rezende, surpreendeu a todos com sua recuperação.

Seu perfil no Instagram já recebeu inúmeros comentários de admiradores e pessoas que estimam por sua melhora.

Conhecida por seu sorriso, simpatia, inteligência, garra e por sua fé, a parlamentar aparece com o seu bom humor de sempre, esbanjando determinação e força de vontade em sua sessão de fisioterapia.

Na postagem, Andreia faz menção ao Dia da Gratidão e a oportunidade de poder recomeçar.

Confira:

1

Advogado vê eleições de 2020 e 2022 como “espetáculos dantescos”

Em artigo divulgado no fim de semana, Abdon Marinho lamenta que o pleito que se desenha para governador reúna apenas arrivistas de sempre, “os que enricaram enquanto diziam representar o povo”

 

Flávio Dino se deliciando com Mocotó em inauguração de reforma da Feira da Macaúba; para Abdon Marinho, comunista “apequena o estado”

O advogado Abdon Marinho, um dos principais cronistas da vida política maranhense, abordou em artigo no fim de semana aspectos das eleições de 2020 e de 2022, que ele classificou como “espetáculos dantescos”.

– Ficamos com a clara sensação que o homem de bem desistiu da política, resolveu deixar o comando dos destinos das cidades – e do estado –, nas mãos dos arrivistas de sempre, os que enricaram enquanto diziam representar o povo – apontou Marinho.

Criticando duramente  o abuso por parte dos candidatos – e do governador Flávio Dino (PCdoB) na promoção dos seus – o advogado ironizou o fato de o comunista ter participado de inauguração de reforma de feira, q e, na ua visão, apequena o estado.

Em seu artigo, intitulado “Eleições 2020: o começo do jogo e os desafios”, Abdon lamenta também que o comunismo não inaugurou um novo momento no estado, após 50 anos de comando do sarneysmo.

– Arriscamos-nos a dizer, até, que essa nova hegemonia se apresenta muito mais deletéria que a anterior, não apenas sob a ótica da dominação política como, também, no que se refere à gestão da máquina administrativa – apontou Marinho.

Falando especificamente das eleições municipais, o advogado entende que o pleito que se avizinha não trará qualquer novidade para o eleitor.

– O jogo político maranhense para esta eleição, e para a de 2022, se apresenta como o espetáculo dantesco. Com raríssimas exceções, impondo ao cidadão a obrigação de escolher entre o pior e o menos ruim – disse.

Abaixo, a íntegra do artigo de Abdon Marinho:

Eleições 2020: o começo do jogo e os desafios

Por Abdon Marinho

NO ÚLTIMO dia do ano passado um dos editores de jornalismo de uma emissora local me alcançou através de um aplicativo de celular. Queria uma entrevista sobre o calendário eleitoral, para o dia seguinte. Não vendo qualquer óbice, já marcamos para as oito e trinta horas do dia seguinte.

Se a primeira visita não parecesse muito adequado se falar de política logo no primeiro dia do ano, o assunto era mais do que oportuno. O dia primeiro já trazia as primeiras vedações a vincular os agentes e o processo político eleitoral como um todo, como por exemplo, a vedação de divulgação de pesquisas sem prévio registro na justiça eleitoral e dentro das balizas legais; a proibição de doar bens, valores ou benefícios por parte da administração pública, ressalvados os casos de calamidade pública ou programas sociais já em andamento e, ainda assim, podendo ser acompanhado pelo ministério público; a proibição de execução de programas sociais por entidades vinculadas nominalmente a candidatos ou por estes mantidas; e, por fim, a limitação à publicidade da administração pública federal, estadual ou municipal.

Quem tem acompanhado a cena política estadual – e nos municípios –, têm visto que desde o encerramento do último pleito municipal os pretendentes às sucessões já colocaram seus “blocos” nas ruas cometendo toda sorte de abusos.

Tais práticas recrudesceram a partir do término do pleito estadual – e posse dos eleitos –, quando acrescentou-se aos primeiros pretendentes uma série de outros pretendentes, estes, “calçados” nos mandatos de deputados estaduais e federais, que passaram a usar as prerrogativas e poderes inerentes aos cargos para se apresentarem como pré-candidatos e a fazerem campanhas com recursos públicos, se promovendo através das mais variadas mídias custeadas pelos contribuintes/eleitores.

Se no interior do estado – e mesmo na região metropolitana –, temos pretendentes ao cargo de alcaide e/ou vereadores substituindo o poder público na execução de obras ou mesmo destruindo benesses, tais como material de construção, cestas básicas, equipagem, equipamentos de som, motos, pneus, etc., e até mesmo refeições, além de promoverem uma infinidade de atividades festivas, na capital, principalmente, na periferia, não é muito diferente.

A cidade está coalhada de propaganda promocional dos pretensos candidatos à sucessão municipal.

Isso sem contar a promoção regiamente paga através de blogues e outras mídias.

O mal exemplo vem de cima. Praticamente no mesmo dia em assumia o segundo mandato o governador do estado já “se lançou” candidato à presidência da República. Fez mais, a partir de então, os interesses da boa gestão foram jogados para “escanteio” e o Estado do Maranhão passou a ser apenas um degrau dos seus sonhos (ou delírios).

A população mais esclarecida ilha – o pouco que restou –, assistiu, no penúltimo dia do ano, a espetáculo, digamos, inusitado: um governador de estado ir a “inauguração” de uma reforma de feira. Acho que já seria demasiado um governador ir a inauguração de uma feira. Ir a inauguração de reforma, então, dispensa quaisquer comentários. Falta do que fazer ou, talvez, a revelação, inadvertida, da real dimensão do governo.

Não que seja novidade o atual governo “apequenar” o papel do estado. Noutras oportunidades já o vimos inaugurar “um” poço artesiano, uma escolinha de duas salas, etc.

Assim, não foi de todo surpreendente que o governador, em pessoa, em pleno horário de expediente, fosse com seu séquito de postulantes a candidatos a prefeito da capital à inauguração da “reforma” da feira da Macaúba, no antigo Caminho da Boiada, onde se deliciou com um fumegante mocotó.

Na inauguração da “reforma” da feira o governador cumpriu o duplo papel: apresentar-se como líder popular e apresentar, à população local, seus prováveis candidatos à sucessão do atual alcaide.

A nota pitoresca – sem a qual o evento não estaria completo como a comédia bufa, que foi –, é que um dos pré-candidatos do consórcio governista apresentado a uma legítima iguaria da culinária maranhense, o mocotó, comportou-se como se estivesse diante de um guisado de “kriptonita”, o que foi capitado pelas lentes indiscretas de alguns dos presentes e explorado, à exaustão, pelos próprios integrantes do consórcio, através das diversos veículos de comunicação a soldo ou simpáticos aos outros concorrentes, que não “descansaram” na “queimação” do pretendente a prefeito nem durante a queima de fogos da virada de ano.

Nunca se viu tanto “fogo amigo” contra uma pessoa quanto este, dispensado pelos próprios aliados, contra o concorrente.

O jogo político maranhense para esta eleição, e para a de 2022, se apresenta como o espetáculo dantesco. Com raríssimas exceções, impondo ao cidadão a obrigação de escolher entre o pior e o menos ruim.

Com raríssimas exceções, repito, olhamos para os quadros sucessórios nos municípios – e, mesmo, o que se desenha para o pleito estadual –, e ficamos com a clara sensação que o homem de bem desistiu da política, resolveu deixar o comando dos destinos das cidades – e do estado –, nas mãos dos arrivistas de sempre, os que enricaram enquanto diziam representar o povo.

O pior é que, na maioria das vezes, são jovens, mas já “doutores” nas velhas práticas, o que nos leva ter menos esperança no futuro do que no presente.

A política maranhense não apresenta qualquer novidade entre o que vivenciamos nos quase cinquenta anos sob o jugo do sarneísmo e que se vivência agora, sob o comando dos comunistas.

Arriscamos-nos a dizer, até, que essa nova hegemonia se apresenta muito mais deletéria que a anterior, não apenas sob a ótica da dominação política como, também, no que se refere à gestão da máquina administrativa.

A sucessão municipal que está posta não apresenta para os cidadãos quaisquer melhoras (ressalvando a exceção que justifica a regra) em relação aos pleitos anteriores, antes, pelo contrário.

Mesmo a capital, sempre reconhecida como celeiro de novidades e rebeldia, se desertificou. Dentre as pré-candidaturas postas a única que se apresenta como “algo novo” é a do (ex) juiz Carlos Madeira. Não que eu acredite que possa obter êxito no pleito que se avizinha, quando, até aqui, se apresenta, segundo a última pesquisa do ano passado, com menos de um por cento de preferência do eleitorado – a não ser que aconteça alguma coisa imprevisível –, mas pelo que representa como alternativa futura.

Ressaltando, entretanto, que para isso é necessário que ele se coloque como oposição a tudo isso que está posto, não se deixando “abduzir” pelo antigo regime, representado pelo grupo Sarney ou pelo atual modelo vinculado aos “comunistas”. Numa ou noutra hipótese será apenas mais um.

Em um quadro político tão ruim, com tantos abusos acontecendo diariamente em todos os municípios e praticados por pessoas que se acostumaram a desafiar a lei, a Justiça Eleitoral, por suas diversas instâncias, precisa ficar atenta e combater com severidade e celeridade os “desvios” e/ou crimes perpetrado pelos pretensos candidatos.

Embora entendendo que os abusos que vêm sendo cometidos nos últimos anos não estejam isentos de punição e/ou mesmo do impedimento à participação destes candidatos no pleito vindouro, ainda que se limite a uma ação efetiva a partir do primeiro dia deste ano, já pode contribuir – e muito –, com o igualdade de condições na disputa entre todos os candidatos.

Durante o ano tentaremos acompanhar e expor nossas opiniões sobre o quadro político, os processos sucessórios e as demais novidades na área da Justiça Eleitoral.

Um bom ano de 2020 a todos com esperança e fé.

1

Flávio Dino manda recado: “Brandão é candidato natural” em 2022…

Além de estabelecer clara preferência pelo seu atual vice, governador abre espaço para polêmica, em entrevista ao Jornal Pequeno, ao falar das outras opções com a expressão “infelizmente há outras alternativas”

 

Flávio Dino estabeleceu clara preferência pelo seu vice, Carlos Brandão, em 2022; “candidato natural” à sua sucessão

O governador Flávio Dino (PCdoB) iniciou 2020 marcando território e estabelecendo diretrizes para sua própria sucessão, em 2022.

Em entrevista ao Jornal Pequeno, publicada nesta terça-feira, 7, Dino exibiu sua preferência pela candidatura do seu atual vice, Carlos Brandão (PRB).

– Brandão é uma espécie de pré-candidato natural, até porque existe o cenário de eu sair e ele, naturalmente assumir o Governo. Então é óbvio que ele é um pré-candidato natural em 2022 – afirmou Dino, ao jornalista Manoel dos Santos Neto.

Em campanha desde o fim das eleições de 2018, o senador Weverton Rocha é uma das outras alternativas à sucessão; “infelizmente” para Flávio Dino

Além de estabelecer o nome de Brandão como seu sucessor natural, o comunista foi além, ao usar a expressão “infelizmente” para se referir aos demais postulantes do grupo.

– Agora há também, infelizmente, outras alternativas. A gente não pode fechar esse debate agora. Há outras pessoas em nosso grupo igualmente credenciadas, que tem uma trajetória igualmente exitosa – disse.

A entrevista repercutiu imediatamente após publicação, sobretudo pelo fato de o senador Weverton Rocha (PDT) ser o mais afoito dentre essas alternativas que Dino vê com infelicidade.

Sinal de que o caminho até 2022 será difícil e conturbado para o grupo do governador…

1

“Roseana continua sendo nossa prioridade”, diz Roberto Costa…

Presidente municipal do MDB disse que o partido vai continuar discutindo o nome da ex-governadora para as eleições municipais de outubro em São Luís

 

Roberto Costa quer manter o nome de Roseana na disputa em São Luís pelo menos até julho, quando serão definidas oficialmente as candidaturas

O deputado estadual Roberto Costa afirmou nesta segunda-feira, 6, que a ex-governadora Roseana Sarney é a prioridade do MDB para as eleições de outubro em São Luís.

– Ela continua sendo a nossa prioridade – afirmou o parlamentar.

Costa não quis comentar o resultado das últimas pesquisas por que levantamentos do MDB apontam posição bem melhor da ex-governadora.

Roseana Sarney apareceu com índices variando de 9% a 11% nas últimas pesquisas divulgadas no fim de dezembro, ocupando a segunda posição e garantindo um segundo turno contra o deputado federal Eduardo Braide (Podemos).

mas na mesma época, pesquisas estaduais mostraram que a ex-governadora lidera a corrida pelo Governo do Estado em 2022, o que levou alguns roseanistas a defender sua ausência das eleições municipais.

De uma forma ou de outra, diz Roberto Costa, a pré-candidatura de Roseana a prefeita será mantida pelo MDB pelo menos até junho, quando se realizam as convenções para definição de candidaturas.

– O partido vai continuar discutindo o nome dela – afirmou Roberto Costa.

E sua performance será monitorada por pesquisas…