3

MDB nega iniciativa pessoal de Roseana em ação contra Flávio Dino…

Documento do partido rechaçou informações de blogs e explica que o processo na Justiça Eleitoral, referente às eleições de 2018, leva assinatura da coligação “Maranhão Quer mais”

 

Ação contra Flávio Dino tem assinatura da coligação e não de Roseana ou do MDB

O MDB do Maranhão rechaçou nesta sexta-feira, 23, em nota pública, a afirmação divulgada no mesmo dia, em vários blogs maranhenses, dando conta de que uma ação eleitoral contra o governador Flávio Dino seja uma inciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarrney.

– Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão – diz o documento.

Na nota, o partido que é hoje presidido por Roseana, diz que este tipo de ação é usada em eleições para que nãos e tenha dúvida do resultado do pleito. E cabe à Justiça Eleitoral a decisão final.

Abaixo a íntegra da nota:

NOTA

Notícias divulgadas em blogs e emissoras de rádio sobre ação no Tribunal Superior Eleitoral, com imputações de ilegalidades na campanha do então candidato à reeleição ao Governo do Estado, Flávio Dino, no pleito de 2018, atentam contra a verdade quando afirmam tratar-se de uma iniciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarney. Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão.

Muitas coligações, em todo o Brasil, utilizam-se desse tipo de ação para que não haja dúvida sobre o resultado de eleições. 

Trata-se, portanto, de iniciativa que respeita a legislação vigente, de caráter coletivo, de mais de uma centena de candidatos, que buscam manifestação da Justiça Eleitoral sobre a lisura do pleito.   

Tais processos estão submetidos à alta corte eleitoral do país e a ela exclusivamente cabe julgar a procedência dessas praticas. 

São Luís, 23 de julho de 2021.

0

Fufuca desconhece articulação para entrada de Roberto Rocha no PP

Em conversa com o blog Marco Aurélio D’Eça, deputado federal que controla o partido no estado diz que ouviu as informações por intermédio desta página e ironiza aliados do senador que abriram esta possibilidade

 

Interlocutor privilegiado do senador Ciro Nogueira, André Fufuca mostra-se tranquilo no comando do PP

O deputado federal André Fufuca, que preside o PP no Maranhão, diz desconhecer qualquer articulação para que o senador Roberto Rocha (sem partido) assuma o comando do partido.

– Sinceramente, soube desta informação no seu blog – disse ele, ao titular do blog Marco Aurélio D’Eça.

Fufuca referia-se à postagem intitulada “Grupo de Roberto Rocha já comemoram controle do PT…”.

Com relação à festa dos partidários do senador, Fufuca até ironizou.

– Devem ter mais relação e conhecimento do que eu.

Sem partido desde que foi expulso do PSDB, Roberto Rocha vem tentando se apossar de legendas no estado, mas sempre esbarra na falta de articulação.

E o PP parece ser mais uma porta fechada ao senador…

3

José Dirceu conclui com Roseana agenda com aliados do PT

Ex-ministro, que está no Maranhão desde a semana passada – recebido pelo senador Weverton Rocha – já esteve também com o governador Flávio Dino e com militante do PCdoB e do PT

 

Mesmo em férias, José Dirceu, que pé o principal interlocutor de Lula, cumpre agenda política no maranhão com vistas às eleições de 2022

O ex-ministro e ex-presidente do PT, José Dirceu, cumprirá na tarde desta sexta-feria, 23, sua agenda de compromissos políticos com potenciais aliados do partido pára as eleições de 2022.

Ele vai se reunir com a ex-governadora Roseana Sarney, que preside o MDB maranhense.

No Maranhão desde a semana passada, Dirceu está hospedado em Barreirinhas, na casa do senador Weverton Rocha (PDT).

No Maranhão, ele já se reuniu também com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, com o governador  Flávio Dino (PSB) e com líderes do PCdoB, a exemplo do deputado federal Márcio Jerry.

Principal interlocutor do ex-presidente Lula, o objetivo de Dirceu é encaminhar as costuras para a montagem da frente ampla de esquerda que pretende formar para as eleições presidenciais.

Além de PDT, PCdoB, PSB e MDB, o PT dialoga também com o PSOL.

O ex-ministro já havia se encontrado com Roseana Sarney, em Brasília, no início de junho, quando conversou sobre os caminhos do PT no Maranhão.

Na conversa de hoje, deve reforçar com a ex-governadora a posição de Lula em relação ao estado.

José Dirceu deve deixar Barreirinhas no início da próxima semana…

13

Simplício reage a Braide: “São Luís não é livre”…

Voltando a cobrar a votação do Plano Diretor – atrasado em mais de 10 anos – secretário de Indústria e Comércio diz que a cidade causa raiva e revolta na população e em empreendedores

Coube ao secretário de Indústria e Comércio do governo Flávio Dino (PSB), Simplício Araújo (Solidariedade) a reação à declaração do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), de que São Luís é livre para receber a Havan e sua estátua da liberdade.

Braide afirmou que a empresa comandada pelo empresário Luciano Hang poderia usar livremente sua marca na capital maranhense.

Para Simplício, não há liberdade em São Luís sem um Plano Diretor moderno e atualizado.

– São Luís não é livre. Causa raiva e revolta em moradores e empreendedores. É preciso libertar São Luís com um novo plano diretor e zoneamento com justiça social, sustentabilidade e segurança jurídica para negócios já implantados e para novos negócios – disse o secretário, marcando o prefeito em sua postagem no instagran.

Simplício tem levantado a bandeira do novo Plano Direito, que deveria ter sido aprovado em 2010, ainda na gestão do falecido prefeito João Castelo (PSDB), mas ficou esquecido durante toda a gestão do ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD).

O prefeito Eduardo Braide ainda não se manifestou a respeito da votação do plano na Câmara Municipal…

5

A conversa de Flávio Dino e Lula: “PSDB não!”, disse o ex-presidente…

Governador reuniu-se semana passada com o pré-candidato do PT a presidência, em conversa da qual pouco se falou nos dias seguintes, mas que tem significativa importância no contexto das eleições estaduais no Maranhão

 

Flávio Dino postou o encontro com Lula em suas redes sociais, mas não tratou dos aspectos políticos da reunião

Estariam em uma conversa do ex-presidente Lula (PT) com o governador Flávio Dino (PSB), semana passada, as explicações para uma forte pressão midiática de setores do PT e do Palácio dos Leões nos últimos dias. 

Desde a segunda-feira, 19, membros do PT empregados no governo e setores da mídia alinhados ao projeto de candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) vêm tentando construir uma narrativa de apoio do PT ao PSDB no Maranhão.

Essa possibilidade não é cogitada nem por Lula, nem pela cúpula petista.

A conversa de Dino com Lula ocorreu na sexta-feira, 16, e foi tratada nas redes sociais pelo próprio Dino, que minimizou os aspectos políticos do encontro.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, porém, o ex-presidente deixou claro ao governador que a aliança nacional do PT – a se repetir nos estados – é com os partidos da esquerda: PDT, PSB, PCdoB e PSOL, preferencialmente.

– PSDB não! – disse textualmente Lula, fala testificada pelo próprio ex-presidente a pelo menos três interlocutores dele e do governador nos dias que seguiram ao encontro.

O próprio PSDB também rechaça aliança com o PT; e defende uma alternativa a Lula e Bolsonaro, como pregam os governadores João Dória (SP) e Eduardo Leite (RS), pré-candidatos tucanos à presidência.

O apoio do PT à candidatura do vice-governador Carlos Brandão, que é o candidato tucano no estado, vem sendo defendida apenas por petistas que têm cargo no governo Flávio Dino, a exemplo do presidente estadual Augusto Lobato.

Nesta narrativa, eles tentam desqualificar, inclusive, vozes mais autorizadas do PT, como o ex-ministro José Dirceu, que está no Maranhão desde o final de semana passada.

A decisão petista, porém, passa pelo comando nacional, atendendo aos interesses nacionais, e com a posição pessoal do próprio Lula.

E este já disse o que quer no Maranhão…

0

Grupo de Roberto Rocha já comemora controle do PP…

Aliados do senador maranhense fizeram festa, nesta quinta-feira, 22, pelo anúncio da nomeação do senador Ciro Nogueira para a Casa Civil do governo Bolsonaro. “Presidente Bolsonaro e senador RR no PP”, afirmaram

 

Roberto Rocha busca um partido para controlar no Maranhão; agora,s eus aliados dizem que ele tomará o PP de André Fufuca

O grupo do senador Roberto Rocha no Maranhão comemorou como vitória o anúncio de que o senador  Ciro Nogueira (PP-PI) será o chefe da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro.

– PP Maranhão vai ficar com RR – disse um dos aliados do senador, em mensagem de whatsapp para o titular do blog Marco Aurélio D’Eça.

Em outra mensagem, ainda mais afirmativa, outro aliado foi ainda mais enfático:

– Presidente Bolsonaro e senador RR no PP. PP no estado do Maranhão ficará no comando do senador Roberto Rocha.

O PP é presidido no Maranhão pelo deputado federal André Fufuca, que já declarou apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) nas eleições de 2022.

Além da força pessoal que tem com o próprio Ciro Nogueira, presidente nacional da legenda, Fufuca goza de prestígio com o presidente da Câmara federal, Arthur Lira (PP-AL).

Roberto Rocha vem tentando desde o início do ano – quando foi expulso do PSDB – controlar um partido no Maranhão.

Já tentou, sem sucesso, se apossar do PTB, do PRB, do PSD e do PSL; nas últimas semanas, contava com a ida de Bolsonaro para o Patriotas.

A festa dos seus aliados dando conta de que controlará o PP maranhense é um sinal de que, finalmente, ele pode ter encontrado uma casa para disputar as eleições de 2022.

É aguardar e conferir…

0

Governo Dino vai desativar hospital de campanha de São Luís

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) do Maranhão anunciou nesta semana que vai desativar o hospital de campanha para pacientes com Covid-19 instalado no Espaço Renascença, em São Luís.

A informação consta de ofício encaminhado na segunda-feira, 19, pela coordenadora do Departamento de Alta Complexidade da SES, Hivena Lima, ao presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), Marcos Grande.

Segundo ela, a medida está em linha com a “diminuição vertiginosa dos casos de internação por Covid-19” na unidade.

“Possuímos, dentro da grande ilha unidades e saúde suficientes para atender a população maranhense que venha à procura de atendimento”, destacou.

O prazo máximo para desmobilização da estrutura é 31 de julho.

0

“PSDB busca alternativa a Lula e Bolsonaro”, diz Eduardo Leite

Pré-candidato da legenda a presidente, governador do Rio Grande do Sul afirmou que as prévias de novembro irão oferecer ao país “o melhor candidato”, descartando a aliança com a esquerda e com o Centrão

 

Leite e Dória alinham o pensamento de candidatura própria no PSDB, como alternativa a Lula e a Bolsonaro

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, deixou claro, em entrevista ao jornal O Globo, esta semana, que o  PSDB terá sim candidato a presidente da República.

Ele descartou aliança com Lula ou com Bolsonaro; e mesmo apoio a uma candidatura que reúna todo o centro político, como espécie de terceira via.

– O PSDB não faz prévias para não ter candidato; faz para ter o melhor candidato. Não faz prévias para ser o dono da verdade, mas para construir coletivamente, desde o partido, uma alternativa a Lula e Bolsonaro. E assim será depois das prévias também com os demais partidos – disse Leite.

O governador gaúcho deve disputar as prévias tucanas com o governador de São Paulo, João Dória Jr., com o senador Tasso Jereissati (CE) e com o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio.

A postura de Eduardo Leite – que é repetida por João Dória – torna mais difícil uma aproximação do PSDB com o PT e outros partidos de centro-esquerda.

E descarta também aproximação com o Centrão, como defende o deputado federal e ex-candidato a presidente Aécio Neves.

0

Pires cobra que Estado apoie volta às aulas na zona rural dos municípios

O deputado César Pires cobrou do governo Flávio Dino que abra o diálogo com os gestores municipais para garantir o anunciado retorno às aulas presenciais no Maranhão, a partir de 2 de agosto. O parlamentar lembrou que no interior do estado as secretarias municipais de educação são responsáveis pelo transporte de alunos da rede estadual na zona rural, e a maioria não está preparada para retomar essas atividades.

“Fiquei feliz com o retorno às aulas presenciais anunciado pelo governo estadual. É todo que todos nós queremos. Mas é preciso que se compreenda que cerca de 50% dos alunos da rede estadual que estudam em escolas localizadas na zona rural são transportados por veículos escolares mantidos pelas secretarias municipais de Educação. Então, para retomar as aulas com qualidade, o Estado precisa garantir as condições necessárias nos municípios”, enfatizou ele.

Segundo César Pires, não houve qualquer chamamento ou reunião promovida pelo governo estadual com os gestores municipais para que estes pudessem organizar em suas estruturas o retorno às aulas presenciais. “Muitos prefeitos assumiram o mandato este ano e sequer tiveram tempo hábil para realizar os processos licitatórios para aquisição de ônibus escolares ou para manutenção dos que já possuíam, ou para o estabelecimento de convênios com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)”, alertou.

Para o deputado, não basta apenas o governo estadual anunciar a tão sonhada retomada das aulas presenciais nas escolas públicas. É preciso criar as condições para que os alunos retornem às salas de aula com qualidade. “O Estado não tem condições de assegurar, sozinho, o transporte dos estudantes. O Município tem papel fundamental nesse processo e não poderia ser esquecido. Por isso apelo ao governador, para que tenha sensibilidade e inclua os gestores municipais na construção dessa retomada das aulas, que precisa acontecer com qualidade”, finalizou ele.

6

Weverton é para Flávio Dino o que Lobão sempre foi para Sarney…

Ex-ministro de Minas e Energia sempre se manteve leal ao ex-presidente – mesmo preservando a sua independência política – assim como o atual senador em relação ao atual governador

 

Lobão se manteve leal a Sarney durante toda a sua vida política, mesmo com independência; e se mantém até hoje ao lado do ex-presidente

Ensaio

A reação de aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – e de oposicionistas, tanto sarneysistas quanto bolsonaristas – ao encontro do governador Flávio Dino (PSB) com o ex-ministro Carlos Lupi (PDT), terça-feira, 20, fez lembrar a expectativa que aliados e oposicionistas do sarneysismo tinham na relação do ex-ministro, ex-governador e ex-senador Edison Lobão com o ex-presidente José Sarney. 

Lobão sempre foi leal a Sarney, embora mantivesse por toda a sua trajetória política uma independência clara em relação ao ex-presidente.

Sem precisar bajular Sarney, Lobão elegeu-se deputado federal, senador e governador, foi ministro de Minas e Energia e presidente do Senado, mantendo seu grupo alinhado ao projeto do próprio Sarney, sem dependência.

Oposicionistas à esquerda e à direita do sarneysismo sempre incensaram Lobão a romper com Sarney para liderá-los em um levante pelo poder no Maranhão.

Lobão sempre recusou e se manteve fiel ao grupo. 

A história mostra que o grupo Sarney perdeu força após um racha por traição – não de Lobão – mas de quem sempre se vendeu como “o mais leal entre os leais”.

Weverton tem vida política própria, grupo próprio, mas se mantém leal ao projeto do governador Flávio Dino desde a sua entrada na vida pública

Bolsonaristas, sarneysistas e aliados de Carlos Brandão criaram para o encontro entre Dino e Lupi narrativas distintas, mas com o mesmo objetivo: afastar o senador Weverton Rocha (PDT) do governador  Flávio Dino (PSB).

Os oposicionistas – bolsonaristas e sanreysistas – querem o rompimento, obviamente, por que necessitam de alguém que possa liderá-los em um levante contra o dinismo.

Já os aliados de Brandão querem tirar Weverton do páreo da disputa pelo Governo do Estado dentro da base dinista.

Uma mera repetição da história: Weverton Rocha é hoje para Flávio Dino o que Lobão foi para Sarney ao longo dos últimos 50 anos.

Assim como Lobão em relação a Sarney, o senador pedetista se mantem leal a Flávio Dino, mesmo mantendo uma independência política clara em relação ao governador.

Weverton cumpre as regras estabelecidas pelo próprio Flávio Dino e trabalha para ser candidato a governador, mas respeitando o pacto firmado por toda a base, mantendo-se leal ao projeto dinista.

Lobão sempre teve vida própria em relação a Sarney, mas respeitou sua liderança e se manteve leal por toda vida, inclusive hoje, após aposentadoria política.

Fiador do vice Brandão, José Reinaldo Tavares impôs duro golpe a Sarney, passou por Jackson, juntou-se e afastou-se de Dino e agora está novamente ao lado do governador

Para completar a história: contemporâneo de Lobão, o ex-governador José Reinaldo Tavares era tido por todos como uma espécie de “filho postiço mais velho” de Sarney.

Mas foi Zé Reinaldo – e não Lobão – quem impôs ao ex-presidente a mais violenta traição, logo na primeira oportunidade de poder.

É assim que a história política, como a história do mundo, se repete ao longo dos anos.

Como farsa ou como tragédia…