3

Braide e o respeito ao próximo que Duarte não mostrou

Candidato do Podemos decidiu suspender toda sua agenda de campanha após confirmação de CoVID-19 em sua vice, postura totalmente diferente da atribuída ao adversário, acusado de fazer campanha mesmo contaminado por coronavírus

 

Braide sempre fez campanha com máscara; e decidiu suspender a agenda aós confirmação de CoVID-19 em sua vice, Esmênia

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) tomou nesta terça-feira, 24, uma decisão que todos esperaram ter sido tomada pelo seu adversário, Duarte Júnior (Republicanos), no primeiro turno.

Ao saber que sua vice, Professora Esmênia Miranda, testou positivo para a CoVID-19, Braide decidiu também se submeter ao teste e suspender toda a sua agenda, até que o resultado seja divulgado.

Braide tomou a decisão em respeito ao povo de São Luís, que corria risco de contaminação com o andamento da campanha.

A postura de Braide é totalmente diferente da que Duarte Júnior é acusado de ter tomado no primeiro turno; o deputado republicano teria continuado a campanha mesmo depois de saber que estava com CoVId-19.

Duarte Júnior circulou sem máscara e, segundo o Lacen, já contaminado pela CoVID-19, ás vésperas do primeiro turno

Pelo menos esta é a informação do laboratório Central do governo do Estado (Lacen), que divulgou o exame de Duarte, negado por ele. (Saiba mais aqui e aqui)

A argumentação de Duarte o torna o único cidadão do mundo a ter testado positivo para CoVID-19 e estar totalmente curado apenas oito dias depois.

Ele alega ter pego a doença apenas no dia 11 de novembro; e já no dia 19 estava de volta às ruas.

De qualquer forma, a postura de Eduardo Braide e a de Duarte Júnior diante do próximo também deve ser levado em conta na hora do voto.

É simples assim…

2

Tati Lobão celebra dois anos do “Fit by Tati”

Com uma programação diversificada, feita especialmente para os seus clientes, a empresária Tatiana Lobão celebra nesta terça-feira (24), dois anos de sua loja “Fit by Tati”.

“Eu estou muito feliz e agradecida a Deus por todo esse projeto que só tem dado certo. É muito bom fazer o que a gente ama. Gratidão a todos os meus clientes”, disse.

Além de ser uma empresária de sucesso, a loira que é musa fitness e digital influencer, possui milhares de seguidores no Brasil e em todo o mundo.

Tatiana apresenta um dos quadros de maior sucesso e audiência da televisão maranhense, o ‘Fit by Tati’, dentro do Programa Algo Mais e, também, comanda um programa diário na Rádio Nova FM.

A filha de Paulinha Lobão, possui duas lojas, uma fica localizada no Monumental Shopping e a outra no Golden Shopping.

0

Debate da TV Guará ocorre em meio a troca de acusações

Programa se dará um dia depois dos revides da propaganda de Eduardo Braide a Duarte Júnior, que já subindo o tom desde o início do horário eleitoral gratuito, o que pode elevar a tensão entre os dois candidatos

 

Candidatos se encontrarão cara a cara pela primeira vez depois das fortes trocas de acusações na propaganda eleitoral

O primeiro debate do segundo turno, às 21h desta terça-feira, 24, se dará em meio a uma forte troca de acusações entre os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos), o que pode elevar a tensão do programa.

Atacado pela campanha de Duarte desde o início do horário eleitoral, na sexta-feira, 20, a propaganda de Braide elevou o tom nesta segunda-feria, num processo de desconstrução da imagem do adversário, com forte repercussão nas redes sociais.

É com este clima que os dois se encontrarão cara a cara na TV Guará.

A série de debates continua amanhã, na TV Band, às 22h45 e se encerra na sexta-feira, 27, com a realização do debate da TV Mirante.

A julgar pelo clima da propaganda eleitoral, serão dias de forte embate emocional até a eleição de domingo, 29…

10

Família afastou Rubens Júnior da campanha de Duarte…

Deputado federal comunista vinha sofrendo pressão de parentes por causa das “desculpas” dadas ao candidato republicano, que o chamou de bandido; mas a gota d’água foi o envolvimento de Flávio Dino na campanha, o que não ocorreu com ele próprio no primeiro turno

 

Por pressão de Flávio Dino, Rubens Júnior ainda tentou “perdoar” as ofensas de Duarte Júnior, mas o clima era de constrangimento entre familiares

Foi estratégica a virose que o deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB) anunciou na reta final do segundo turno em São Luís.

O blog Marco Aurélio D’Eça apurou com parentes do parlamentar que sua família estava “profundamente incomodada” com a adesão gratuita dele ao candidato Duarte Júnior (Republicanos).

Desde a segunda-feira 16, após ser pressionado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) a declarar apoio a Duarte – mesmo após este tê-lo chamado de bandido e seus pais de ficha suja – Rubens vinha sendo pressionado a sair da campanha.

Mas a gota d’água foi o envolvimento direto de Flávio Dino nos programas de Duarte, com sucessivas declarações no próprio horário eleitoral, nas redes sociais e nas reuniões políticas do candidato.

 – O Rubens é do partido de Flávio e afilhado de alma dele; Mas Flávio nunca deu uma declaração em seu favor durante a campanha. Tivemos que pegar imagens de arquivo. Com Duarte, que atacou todo mundo, Flávio fez questão até de passear de mãos dadas pela Praça Pedro II – revoltou-se um dos tios do deputado, em “reunião” familiar no domingo, “conversa” a que o blog teve acesso.

O passeio de domingo de Flávio Dino e Duarte Júnior na praça foi o estopim para a família Pereira pedir o afastamento de Rubens do segundo turno

Foi a gota d’água para que o pai e a mãe – ex-prefeitos de Matões Rubens Pereira e Suely Pereira – aconselhassem o filho a esquecer o segundo turno.

Rubens queria ser no segundo turno de  Duarte o que  Evangelista tem sido para Eduardo Braide (Podemos), mas foi engolido pela onipresença do próprio Flávio Dino.

O deputado comunista não teve outra escolha se não sair de forma honrada, deixando ao próprio Dino o ônus de uma eventual derrota.

E a virose veio a calhar nestes dias de angústia…

7

Edivaldo resiste à pressão e fica ainda maior no fim do mandato…

Com trabalho em toda a cidade, legados em todas as áreas da gestão e popularidade nunca antes vista em um final de mandato em São Luís, prefeito fortalece imagem política ao resistir à pressão de aliados do Palácio dos Leões por apoio a Duarte Júnior

 

Edivaldo tem a popularidade certificada diariamente pela população; e resiste ao assédio de Flávio Dino e aliados pelo apoio a Duarte Júnior

Editorial

O prefeito Edivaldo Júnior (PDT) vem recebendo uma pressão sem precedentes de agentes do Palácio dos Leões – incluindo o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) – por um posicionamento público no segundo turno das eleições em São Luís.

Até esta terça-feira, 24, porém, tem resistido bravamente.

Consciente do seu papel político e da imagem de sua gestão, o prefeito optou por se preservar da disputa pela sua sucessão e se manteve neutro no primeiro turno, aguardando que um aliado dele ou do seu partido chegasse à disputa com Eduardo Braide (Podemos).

Isso não aconteceu.

Duarte Júnior (Republicanos) passou o primeiro turno inteiro atacando a gestão do prefeito; e mesmo neste segundo turno tem desdenhado de sua atuação ainda muito mais que o próprio Braide, adversário conhecido.  

Mesmo assim, Dino e aliados têm tentado cooptar o prefeito, inclusive com argumentos mentirosos.

Não é verdade, por exemplo, que Flávio Dino tenha enfrentado o próprio grupo para eleger Edivaldo em 2012 e reelegê-lo em 2016. Pelo contrário, se dependesse do comunista, ele não seria o escolhido em 2012 e abriria mão da disputa em 2016.

Essa história foi contada em diversas ocasiões no blog Marco Aurélio D’Eça ao longo dos últimos oito anos. (Relembre aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui)

Edivaldo se manteve neutro entre o governador Flávio Dino e o senador Weverton Rocha no primeiro turno das eleições

Edivaldo chegou à prefeitura graças à força do PDT e ao hoje senador Weverton Rocha, quando Dino e o PCdoB tinham clara preferência por Tadeu Palácio (então no PP).

Em 2016, Flávio Dino e o Palácio dos Leões chegaram a dar Edivaldo como morto, pregando a substituição dele por Bira do Pindaré (PSB); o prefeito só conseguiu manter a candidatura – e se reeleger em segundo turno – graças ao senador pedetista e seu partido, que arregaçaram as mangas em seu favor.

Edivaldo Júnior chega ao final do mandato como um dos prefeitos mais populares da história de São Luís; natural que todos queiram tirar proveito de sua força, inclusive Flávio Dino, preocupado com uma derrota acachapante em plena capital do seu estado.

O prefeito, porém, sabe do tamanho do seu legado e da força popular que terá nos futuros embates eleitorais, inclusive o de 2022. 

Seria tolice, portanto, queimar-se em uma eleição praticamente já definida.

E por um candidato que sequer reconhece o seu trabalho…

2

Coerente, César Pires atua no apoio e na articulação por Braide

Único deputado estadual a estar com o candidato do Podemos no primeiro turno, parlamentar ganhou importância na campanha também no segundo turno, com a forte movimentação em busca de apoios políticos e populares

 

 

César Pires com Braide já no segundo turno; agora mais forte, após vitórias importantes no primeiro turno

O deputado estadual César Pires (PV) foi o único representante da Assembleia Legislativa a declarar apoio ao candidato Eduardo Braide (Podemos) no primeiro turno das eleições em São Luís.

Coerente em sua trajetória, Pires atuou fortemente na articulação de apoios a Braide.

– Estou muito feliz e honrado em contar com o apoio do deputado César Pires e de todo o time do PV. Estamos juntos e vamos seguir firmes para a vitória – reconheceu Eduardo Braide, no encontro com os dirigentes e candidatos a vereadores do Partido Verde em São Luís, realizado em outubro.

Ativo parlamentar da oposição, César Pires defendeu, desde a pré-campanha, que os partidos deste campo – MDB, PV e PSD – se mantivessem alinhados contra o projeto de poder do governador Flávio Dino (PCdoB), tendo como opções as candidaturas de Eduardo Braide, Adriano Sarney (PV) e Wellington do Curso (PSDB).

E cobrou publicamente coerência da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) para se manter neste alinhamento.

A princípio fechado com a candidatura do seu partido, Pires buscou apoios a Braide assim que Adriano Sarney desistiu da disputa, o que ocorreu também com Wellington do Curso.

Com Braide, César Pires protagonizou o primeiro grande ato de apoio no primeiro turno, levando os candidatos a vereador pelo PV

Com Braide, o deputado PV protagonizou o primeiro grande ato partidário de adesão ao candidato do Podemos, ainda no primeiro turno.

E se manteve na busca por apoios a cada estágio da campanha, mesmo tendo que dividir as atenções em São Luís com as suas bases no interior maranhense.

Já no segundo turno, César Pires manteve a busca por fortalecimento da candidatura de Braide – no enfrentamento direto ao governador Flávio Dino – e buscou conversas com ex-candidatos.

Esse papel resultou também no apoio de Wellington.

Na reta final da campanha, o deputado estadual continua ativo em busca de novas alianças com Braide, que consolidem o favoritismo do candidato.

E repercutam diretamente no resultado do pleito, tanto do ponto de vista político quanto eleitoral…

5

João Alberto se culpa por não ter sido eleito vereador de Bacabal

Ao fazer campanha com a certeza de que os bacabalenses reconheceriam seus serviços prestados, ex-senador relaxou na corrida ao voto com a certeza de que seria o mais votado; e avisa: tentará de novo em 2024

 

João Alberto auto-penitenciou-se pela derrota em Bacabal, mas avisou que estará de volta às urnas em 2024

Por Ribamar Corrêa

Passada a borrasca da corrida às urnas no interior, o ex-deputado estadual, ex-deputado federal, ex-prefeito, ex-vice-governador, ex-governador e ex-senador João Alberto (MDB) avaliou cuidadosamente o insucesso da sua candidatura à Câmara Municipal de Bacabal. E chegou a algumas conclusões.

A primeira: foi ele o único responsável por não ter sido eleito.

A segunda: fez campanha movido pela certeza de que os bacabalenses reconheceriam os serviços que já prestou à cidade.

A terceira: de tanto ouvir que estava eleito e que seria o mais votado, relaxou na corrida ao voto.

Em resumo: aos 86 anos, depois de inúmeras campanhas bem-sucedidas em todos os níveis, tirou do insucesso nas urnas a descoberta de que o excesso de confiança o fez esquecer de que cada eleição é como se fosse a primeira, não existindo eleição prévia, principalmente numa disputa pulverizada como para vereador.

Diz que foi surpreendido com o resultado, mas logo percebeu que ele foi fruto dos seus equívocos. E já tomou uma decisão: será candidato a vereador de Bacabal de novo em 2024.

– Não quero encerrar minha carreira com uma derrota em minha terra – afirmou.

1

Braide soma quase 100 mil votos com alianças no 2º turno…

Levando em consideração o número de votantes no primeiro turno e a pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira, 20, candidato do Podemos salta de 193.518 votos no primeiro turno para 287.656 votos, consolidando favoritismo

 

Alianças como a de Neto Evangelista somaram a Braide quase 100 mil votos, suficientes para manter a dianteira sobre Duarte Júnior

Líder absoluto no primeiro turno das eleições de São Luís, com 37,81% dos votos, o candidato do Podemos, Eduardo Braide, saltou quase 17 pontos percentuais no primeiro turno com as novas alianças no segundo turno.

Levando em consideração o total de eleitores votantes no primeiro turno (553.499), ele passaria de 193.578 votos no primeiro turno para 287.656 votos no segundo turno; são mais de 94 mil votos em uma semana.

Braide conseguiu apoios importantes, sobretudo de ex-candidatos a prefeito, como Neto Evangelista (DEM), que se engajou diretamente em sua campanha, e Dr. Yglésio (sem partido).

Neto alcançou sozinho 83.138 votos no primeiro turno, ficando na terceira posição;  Yglésio somou 9.816 votos.

Além da aliança com os candidatos a prefeito, Eduardo Braide ganhou apoio também de importantes vereadores, como o presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho (PDT), mais votado em São Luís, com 7.447 sufrágios.

Aplicando-se a mesma estimativa para Duarte Júnior, encontra-se o candidato do Republicanos com 245.246 votos no segundo turno, levando em conta os números do Ibope e o total de votantes no primeiro turno.

É um crescimento expressivo, mas insuficiente para superar o total de votos de Braide, que, por esta estimativa, venceria a eleição de domingo.

Importante, portanto, a política de alianças construída pelo candidato do Podemos no segundo turno de 2020

O que não havia ocorrido em 2016….

0

Debates recomeçam nesta terça-feira…

Faltando seis dias para o segundo turno, Eduardo Braide e Duarte júnior vão se enfrentar ao longo da semana em programas a serem exibidos, respectivamente, pela TV Guará, TV Band e TV Mirante

 

Eduardo Braide e Duarte Júnior estarão frente à frente em debates sucessivos ao longo da semana

Os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) terão três de confrontos olho-no-olho nesta semana que antecede o segundo turno das eleições de São Luís.

Nesta terça-feira, 24, eles vão participar do debate na TV Guará, marcado para as 21 horas.

No dia seguinte, também às 21h, os dois voltam a se enfrentar na TV Band.

E o encerramento da temporada de debates se dará na sexta-feria, 27, com o debate da TV Mirante,

Os programas podem influenciar diretamente no resultado do pleito, que tende a se acirrar ao longo da semana.

Todos os programas serão transmitidos ao vivo para todo o estado…

0

Assis Ramos denuncia interferências nas eleições de Imperatriz

Logo após a vitória nas urnas, no último domingo, 15, prefeito reeleito veio a São Luís para apresentar denúncias contra policiais militares ao Comando Geral da PMMA; e cobrar explicações do Ministério Público sobre vazamento de documentos sigilosos

 

Na sede do Ministério Público, Assis Ramos cobrou explicações para documentos sigilosos que foram usados por seus adversa´rios na tentativa de interferir no pleito

Reeleito no último domingo, 15, o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (DEM), nem teve tempo de comemorar a vitória; aproveitou a semana pós-eleições para denunciar tentativas de interferência na disputa.

Primeiro, o prefeito foi à Procuradoria-Geral de Justiça cobrar do procurador Eduardo Nicolau explicações para o vazamento de documentos que deveriam ser sigilosos, mas foram usados por adversários às vésperas do pleito.

– Pedi esclarecimentos de como documentos que deveriam ser sigilosos, oriundos do MPE, foram expostos às vésperas das eleições. Oportunidade em que ele me garantiu a apuracão imediata de tal fato – contou o prefeito.

Assis Ramos denunciou ao comando da PMMA tentativas de policiais interferirem no processo eleitoral de Imperatriz

Assis Ramos foi também, ao comando geral da Polícia Militar; denunciou os PMs Janilson Lindoso e Celso Russo por crime de calúnia, difamação e injúria.

Em 2016, major Janilson foi protagonista de um episódio que acabou beneficiando a eleição do próprio Assis, ao ser preso por se recusar a fazer campanha para a candidata do governador Flávio Dino (PCdoB). (Relembre aqui e aqui)

O sargento Celso Russo é membro do serviço de informações da PM, chegou a trabalhar no Gaeco, do Ministério Público, e tem forte atuação nas redes sociais.

Preparando-se para a posse do segundo mandato, Assis Ramos espera que as instituições esclareçam a participação de seus membros na tentativa de influenciar o pleito em Imperatriz.