1

Poluição da Caema em rio do Calhau ocorre desde 2013…

Este blog denunciou o problema em vários posts, sempre com desculpas esfarrapadas da companhia; o resultado é a imagem degradante na praia do Calhau, que ganhou o mundo na última segunda-feira

 

Em 16 de fevereiro de 2014, este blog publicou o post “Caminhões despejam dejetos em córrego do Calhau…”, para denunciar, no vídeo reproduzido acima,  uma situação que vinha ocorrendo desde 2013.

O post mostrava que dois caminhões – sempre aos sábados – há meses faziam o mesmo serviço: chegavam carregado de dejetos e descarregavam numa espécie de fossa, na Avenida Santo Antonio, que a Caema identifica como “Elevatória do Parque Shalon”.

Na época, o blog encaminhou o vídeo à assessoria da Caema, que, simplesmente informou desconhecer o problema e pediu a identificação dos caminhões.

Nos primeiros tempos, a água jorrava assim, na cabeceira do rio que seguia para a praia

Nos primeiros tempos, a água jorrava assim, na cabeceira do rio que seguia para a praia

Em 22 de março daquele mesmo ano, o blog voltou a tratar do assunto, no post “Caema continua despejando esgoto em córrego do Barramar…”.

No post, o blog informou que os caminhões deixaram de aparecer todo sábado, mas mostrou, em imagens, que o esgoto que deveria ser processado na estação elevatória, jorrava abertamente no córrego do Barramar – o mesmo que desemboca na praia do Calhau, onde apareceu a mancha preta no início da semana. 

Na época, os operários que operavam a “estação” informaram que “abriram um buraco na caixa por que o caminhões não podiam mais fazer a coleta  por que a bomba estava queimada”.

Em 18 de julho de 2014, novo post do blog. Dessa vez, os “Moradores do Barramar acusam Grand Park de jogar esgoto no igarapé que corta o bairro…” – o mesmo que desemboca na praia e gerou a imagem grotesca.

– A fedentina aqui é insuportável. Muita gente está vendendo suas casas por não ter mais condições de ficar. E os próprios funcionários da Caema dizem que o problema vem do Gran Park – afirmou um morador, à época.

A imagem grotesca da praia do Calhau: mais uma vergonha para São Luís

A imagem grotesca da praia do Calhau: mais uma vergonha para São Luís

Nestes mais de dois anos de denúncias, nada foi feito – nem na gestão passada, muito menos na atual gestão da Caema.

E o resultado foi a imagem degradante que humilhou São Luís em rede mundial…

2

André Fufuca cobra solução do governo para esgoto em praias…

Fufuquinha vê desrespeito da Caema

Fufuquinha vê desrespeito da Caema

Uma foto de derramamento indiscriminado de esgoto nas praias de São Luís ganhou as redes sociais. De Brasília, o deputado federal André Fufuca (PEN) criticou duramente o ocorrido.

– A imagem é estarrecedora em sua completude. Desde o perigo que representa para a saúde das pessoas, passando pelo desrespeito da Caema e colimando com uma péssima propaganda para o turismo de nossa cidade – criticou.

Depois que a foto ganhou notoriedade nas redes sociais, a Caema lançou uma nota afirmando que a mancha era de esgoto e justificou que o problema já havia sido resolvido.

A imagem que ganhou o mundo; e a caema apenas disse: "é esgoto mesmo"

A imagem que ganhou o mundo; e a caema apenas disse: “é esgoto mesmo”

André Fufuca demonstrou indignação com o trato que a empresa deu ao caso.

– E quem usou a praia no dia? Como fica? Já que foi algo motivado por um problema, o que se esperava era que a empresa tivesse agido com respeito! Deveriam ter noticiado antes, avisado antes e respeitado o direito das pessoas de saber. Tudo o que não fizeram – indignou-se.

O deputado ainda suspeita que este pode não ser um caso isolado.

– A foto que flagrou o desrespeito da Caema foi aérea, o que deixou a coisa mais visível. Eu se não tivessem fotografado? Ficaria por isso mesmo? E isso nos leva a crer que existe sim a possibilidade de ser um problema recorrente.

Para o deputado a imagem não foi tratada com a devida importância pelo governo.

– Essa imagem rodou o país, com toda a certeza. E o governo fez o que para tentar minimizar o problema? Absolutamente nada. Quem mais vai perder com isso, depois das pessoas que banharam em esgoto por causa da omissão da Caema, é o turismo do Maranhão – criticou.

0

Imagem do dia: o fim do aterro da Ribeira…

atteroTrator realiza os procedimentos de cobertura da área de lixo por barro, no lixão da Ribeira, que será fechado a partir deste sábado. O lixo produzido em São Luís será levado para um moderno aterro sanitário, nas imediações de Rosário. com área de transbordo e destinação adequada. O lixão da Ribeira foi construído como aterro pela prefeita Conceição Andrade, em 1994, com previsão para durar 20 anos. Chegou a época de acabar

3

Aterro da Ribeira será fechado no final de julho…

Repleto de urubus, aterro se transformou em lixão e ameaça voos

Repleto de urubus, aterro se transformou em lixão e ameaça voos

O secretário de governo municipal, Lula Fylho, estabeleceu hoje, em evento sobre resíduos sólidos, promovido pelo Ministério Público, uma data para fechamento do Aterro da Ribeira, que perdeu as condições de receber o lixo da região metropolitana.

Segundo o secretário, até o final do mês de julho o aterro será encerrado.

O evento do Ministério Público discutiu a destinação dos resíduos no Maranhão e a adequação ao Plano Nacional de resíduos Sólidos, que estabelece data para o fim dos lixões.

De acordo com Lula Fylho, o destino dado ao lixo de São Luís será em um novo aterro, nas imediações de Rosário – já licencado e adeuado às novas regras.

O espaço, já pronto, tem capacidade para atender São Luís e as cidades mais próximas…

1

“Hora do Planeta” será realizada na Assembleia…

Iniciativa do deputado Adriano Sarney (PV) segue contexto mundial, para que todas as cidades, empresas e pessoas desliguem a energia elétrica por 60 minutos, para deter a mudanças climáticas; no Palácio Manoel Beckman, o evento se dará entre 20h30 e 21h30

 

Adriano, em defesa do meio ambiente

Adriano, em defesa do meio ambiente

Neste sábado 28 de março, milhares de cidades, empresas e pessoas irão apagar as luzes por sessenta minutos, das 20h30 às 21h30, na maior mobilização mundial para que os líderes globais adotem medidas para deter as mudanças climáticas.

Em São Luís, o ato simbólico da Hora do Planeta 2015, acontece a partir das 20h no hall em frente ao Palácio Manoel Beckman, sede do Poder Legislativo Estadual, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Calhau.

O evento gratuito é uma iniciativa do Deputado Estadual do Partido Verde, Adriano Sarney, membro da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia e conta com total apoio da Casa Legislativa, da TV Assembleia, do Sistema Mirante de Comunicação e Jornal O EstadoMaranhão.

unnamed– As crises hídrica e energética são o tema central da campanha, somos muito dependentes da matriz hidráulica. Se não chove, não tem água para gerar energia, para beber e se usa combustível fóssil, como termelétricas para gerar energia, que é mais cara e mais poluente. Com isso, os gases de efeito estufa aumentam o problema do aquecimento global gerando mais secas. Ou seja, a gente está em um ciclo vicioso – destacou Adriano Sarney.

Mais de cem cidades brasileiras adeririam a campanha que acontece pelo sétimo ano consecutivo, numa organização da WWF-Brasil.

– A conservação do meio ambiente deixou de ser focada no bem-estar das gerações futuras, para ser uma grande questão da geração atual. Este ano, os efeitos da devastação, que já vêm nos atingindo há tempos, pode ser sentido de forma ainda mais contundente – e em vários pontos do mundo – afirma a secretária-geral do WWF-Brasil, Maria Cecilia Wey de Brito.

– A Hora do Planeta é uma oportunidade para as pessoas refletirem sobre qual é a contribuição de cada um para a solução dos problemas ligados às mudanças climáticas – finalizou o parlamentar verde.

4

Ex-secretário de Meio Ambiente denuncia Petrobras ao Ministério Público…

Washington Rio Branco quer que seja exigida da empresa petroleira, diante do abandono do projeto de refinaria, a recuperação ambiental da área desmatada em Bacabeira

 

O professor e ambientalista Washington Rio Branco, ex-secretário de Meio Ambiente, protocolou, semana passada, representações na Procuradoria-Geral de Justiça e na Procuradoria regional da República contra a Petrobras, que anunciou o abandono do projeto

Rio Branco no Ministério Público

Rio Branco no Ministério Público

de construção da refinaria Premium, de Bacabeira.

Rio Branco foi responsável pelas licenças ambientais para execução do projeto, mas entende que, diante do abandono, cabe à empresa a recuperação da área.

Em sua representação, o ex-secretário solicita do Ministério Público que seja criada força-tarefa para analisar eventuais danos ambientais pelo abandono da obra, e exigir da Petrobras a reparação destes danos.

http://www.marrapa.com/wp-content/uploads/2013/03/retomadas-obras-de-terraplanagem-na-refinaria-premium-I-em-Bacabeira_opt-350x230.png

Terreno da refinaria: de quem é a responsabilidade?

– Uma coisa é o projeto pronto, com todas as exigências legais para que o meio ambiente seja respeitado. Outra coisa é uma área abandonada, sem trabalho algum em favor do meio ambiente. A Petrobras tem obrigação de reparar o estado e, principalmente, o povo de Bacabeira – frisou Washington Rio Branco.

O ambientalista é a primeira autoridade maranhense a agir de forma prática contra a decisão da Petrobras.

– A área foi doada à Petrobras cumprindo todas as exigências legais da parceira para a construção da refinaria. Abandoná-la sem mais nem menos também constitui crime ambiental – concluiu.

Nem a Procuradoria de justiça, nem a procuradoria da República se manifestaram até agora sobre a representação de Washington Rio Branco.

6

E o espigão virou praia…

Falta de acordo entre governo e prefeitura deixa área urbanizada da Ponta D’Areia carregada de areia; mas há quem diga que o processo é natural, e que os espigões têm vida útil curta, necessitando a montagem de quantos outros forem necessários

 

O espigão estava assim no sábado passdo

O espigão estava assim no sábado passado…

Algumas semanas depois de ter a área urbanizada entregue pela governadora Roseana Sarney, o Espigão da Ponta D’Areia estava assim, sábado passado, lotado de areia em sua área de passagem.

Populares e turistas que foram ao local se divertir tiveram dificuldade de locomoção.

São várias as explicações para o acúmulo de areia no espigão.

Para alguns, esse acúmulo é natural nesta época do ano, quando os ventos são mais fortes. Outros dizem que o problema é causado por um erro ténico, uma vez que deveria haver um vão entre o muro de pedra e o deck de passagem.

Leia também:

Parceria governo-prefeitura funcionará no Espigão…

Espigão já é ponto turístico de São Luís…

Mas há explicações mais técnicas para o problema.

...Mas era patra estar assim., como no dia da entrega

…Mas era para estar assim., como no dia da entrega

Este acúmulo seria um processo natural dos espigões. O acúmulo de areia na orla, resultante da contenção pelo muro de pedra, é chamado de Sedimento Carreado.

Esta areia tende a se acumular até cobrir todo o espigão. É quando termina a sua utilidade e outro precisa ser construído.

É assim em todos os lugares onde existem espigões.

Só que a Secretaria de Infraestrutura, desde o início do projeto, nunca explicou a curta vida útil do equipamento. Também não disse que precisariam vários outros em toda a orla para evitar a invasão do mar.

Para completar, a mesma Sinfra não levou em conta a questão do vão na execução da urbanização, o que tem causado o problema. Com o vão, a areia não se acumularia toda, por que voltaria para o mar pelas aberturas entre a passarela e o muro.

Mas este acúmulo de areia poderia ser amenizado, mesmo assim, com um simples acordo entre o governo e a prefeitura, para que a área fosse limpa, pelo menos durante os fins de semana, quando a presença de pessoas é maior.

Sem acordo, a bela área que se transformou em point turístico pode ser engolida pela areia…

1

Assembleia vai discutir problemas causados por fábrica de asfalto em Paço do Lumiar…

Comunidade denuncia que Central Engenharia atua na área de forma irregular, sem licenças ambientais e sem alvará de funcionamento, com anuência das prefeituras que compram o material

 

A Assembleia Legislativa realizará no próximo dia 26 de novembro uma audiência pública para discutir os problemas causados por um fábrica instalada no loteamento Santa Filomena, em Paço do Lumiar.

Eliziane explica aos moradores os procedimentos em relação ao problema...

Eliziane explica aos moradores os procedimentos em relação ao problema…

No início da semana, os deputados Bira do Pindaré (PSB) e Eliziane Gama (PPS) visitaram o loteamento, atendendo reivindicação da comunidade, que apresentou os transtornos provocados por uma fábrica que funciona de forma irregular no local.

A deputada Eliziane Gama afirmou que se for constatada a irregularidade a fábrica deverá ser interditada.

De acordo com os moradores do loteamento, a empresa Central Engenharia Civil Ltda está funcionando na comunidade de forma irregular há quase dois anos, trazendo sérios impactos ambientais para as mais de 30 famílias daquela região.

Os moradores relataram que, a empresa trabalha na produção de asfalto, provocando poluição sonora, ambiental e prejuízos para a comunidade. Segundo os moradores, o caso foi denunciado à Prefeitura de Paço do Lumiar, porém até agora não obtiveram resposta.

...E ao lado de Bira, ouve relatos dos problemas enfrentados por eles

…E ao lado de Bira, ouve relatos dos problemas enfrentados por eles

Durante a visita à comunidade, os parlamentares foram até a fábrica. No entanto, encontraram as portas fechadas. Eliziane e Bira procuraram pelo dono da fábrica, mas, foram recebidos apenas por um funcionário que os impediu entrar na empresa.

Os deputados receberam dos moradores, documentos emitidos na semana passada, pelo Ministério Publico Estadual, que comprovam que a empresa não tem licenciamento ambiental para funcionar dentro do Loteamento.

O caso será levado para a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e acompanhado pelos parlamentares.

4

São Luís ainda despreparada para o fim dos lixões; veja vídeo…

São Luís é uma das cidades brasileiras que ainda não se manfiestaram em relação à nova Lei de Destinação dos Resíduos Sólidos. A lei prevê que até o dia 2 de agosto todos os lixões no Brasil devam ser substituídos pelos novos sistemas de destinação de lixo. A decisão de por fim as lixões é de 2011, mas até hoje nenhuma providência aparente foi tomada pela Prefeitura da capital maranhense, que ainda convive com o lixão da Ribeira, com riscos até para a segurança dos vôos

O programa Bom Dia Brasil abordou o assunto esta semana, em ampla reportagem na terça-feira. A matéria mostrou que, assim como São Luís, metade das cidades brasileiras ainda não se preparou para a lei que acaba com os lixões, embora tenham recebido atenção especial do Governo Federal – inclusive com financiamentos, para resolver o problema…

0

Prefeitura de Mirinzal realiza audiência para tratar da destinação dos resíduos sólidos no município

residuo

O debate sobre resíduos mobiliza população de Mirinzal

A Prefeitura de Mirinzal realizou na última quinta-feira, 17, na Câmara de Vereadores, audiência pública para apresentação do Plano Municipal de Resíduos Sólidos.

O evento promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente tratou sobre a construção do aterro Sanitário Controlado.

As prefeituras devem ter o plano de resíduos sólidos pronto até o dia 2 de agosto, segundo a nova lei de resíduos. Até o final do ano, todos o chamados lixões devem ser desativados.

Durante a audiência em Mirinzal foram apresentados alguns dos possíveis locais onde poderá ser construído.

– A escolha do local é o primeiro passo para construção do aterro, o local deve preencher todas as diretrizes conforme a lei para que não fique muito próximo da população e pelo menos 3km das margens dos rios – explicou o Secretário Lusivaldo Soares.