0

André Fufuca e Weverton Rocha viabilizam voos para Barreirinhas

Com previsão de inauguração em dezembro, linha comercial que contemplará a Rota das Emoções – ligando também São Luís, Parnaíba (PI) e Jericoacara (CE) – será operada em parceria pelas empresas Voe Pass e GOL

 

Weverton Rocha e André Fufuca tiveram reunião nesta quinta-feria, 26, com representantes das empresas aéreas e do Governo Federal

Foi assinado na manhã desta quinta-feria, 26, o termo de compromisso com a empresa Voe Pass, que em parceria com a companhia aérea GOL, ficará responsável por organizar a Rota das Emoções, roteiro no Nordeste brasileiro que vai contemplar as cidades de São Luís (MA), Barreirinhas (MA), Parnaíba (PI) e Jericoacoara (CE).

A conquista foi anunciada agora pela manhã na Casa Civil do Governo Federal; e a previsão que os vôos comecem na primeira quinzena de dezembro.

É mais uma conquista do Deputado Federal André Fufuca (PP) e do senador Weverton Rocha (PDT).

A Rota das Emoções é um passeio encantador e tem como principal atrativo as belezas naturais dos estados do Maranhão, Piauí e Ceará, compostos por praias paradisíacas de mares com águas cristalinas, dunas de areias douradas, fauna e flora únicas, além da uma gastronomia rica e atrativos histórico-culturais considerados patrimônios da humanidade.

O projeto contribui com melhorias na infraestrutura e no fortalecimento do turismo dos municípios envolvidos.

Além disso, colabora na geração de empregos e crescimento da economia local, qualificando a mão de obra do setor.

1

“Estátua da Liberdade” de Roberto Rocha deve ser vista com respeito

Apesar das ironias aos projetos virtuais do senador maranhense – inclusive advindas do blog Marco Aurélio D’Eça – réplica do monumento estadunidense que ele pretende viabilizar no município de Nova Iorque é visionária e acena para o turismo na região do sertão do Maranhão

 

Uma das belas imagens da Nova Iorque maranhense: potencial turístico inexplorado às margens da Barragem Boa Esperança

Ensaio

O senador Roberto Rocha (sem partido) tem sido alvo de ironias – inclusive do blog Marco Aurélio D’Eça – por causa de seus projetos mirabolantes, divulgados a partir de maquetes virtuais.

Alguns – aparentemente – podem até ser inviáveis, seja do ponto de vista estrutural ou financeiro; mas outros deveriam ser vistos com respeito, como a réplica da Estátua da Liberdade, em Nova Iorque do Maranhão.

É de importância visionária para o turismo uma Estátua da Liberdade na Nova Iorque maranhense nos moldes da original, na cidade americana de mesmo nome.

Quem conhece Nova Iorque do Maranhão – uma das mais belas cidades do estado – sabe de sua história e de sua geografia; e sabe a dimensão que teria uma Estátua da Liberdade em suas águas.

Fundada como vila pelo engenheiro americano Edward Burnet, foi emancipada de Pastos Bons em 1890, recebendo o nome da cidade natal do fundador – escrita de forma abrasileirada, diferente da Nova York original.

Destruída pela Coluna Prestes, em 1925, Nova Iorque do Maranhão sofreu uma inundação e teve que ser reconstruída.

A “nova” cidade ganhou as mesmas 13 ruas, três praças e a mesma disposição das casas, mantendo cada vizinhança integrada.

Missão campal em 1960, nos dias que antecederam a inundação provocada de Nova Iorque, para construção da Hidrelétrica de Boa Esperança (fonte: Cia Boa Esperança)

Foi novamente inundada em 1960 – desta vez em enchente provocada pela construção da Hidrelétrica de Boa Esperança.

Hoje, Nova Iorque está à beira do lago formado pela barragem, numa área de extrema beleza, na divisa com o vizinho Piauí.

No final da década de 90, o então correspondente do Jornal Nacional na Nova York americana – o falecido Paulo Henrique Amorim – produziu reportagem com um link direto para a Nova Iorque maranhense, onde estava o repórter Sidney Pereira, da Mirante.

Na época, o governo Roseana Sarney (então no PFL) tentava reforçar o turismo na região.

 

Projeção digital do balneário coma Estátua da Liberdade, projeto de Roberto Rocha que pretende levantar recursos no Ministério do Turismo

Esses fatos mostram que a ideia de Roberto Rocha pode até ser exótica, mas não maluca.

Ele pretende não apenas instalar a réplica da estátua, mas construir um balneário na região, o que movimentaria o turismo na região; os recursos viriam do Ministério do Turismo.

De fato, uma réplica da “senhora de Manhatan” em plena barragem da Boa Esperança poderia dar à Nova Iorque maranhense um boom nunca visto em sua história.

Basta ter coragem para ver o que a visão não alcança, como veem os visionários.

E Roberto Rocha, neste aspecto, apresenta uma visão de futuro…

1

Segurança de bares da Litorânea foi negligenciada por DPU e Ministério Público

Empresários comodatários dos módulos de espaços conjugados reformados em 2003, no governo José Reinado, sempre reclamaram dos riscos das estruturas de madeira e da cobertura de palha, mas tinham as propostas de mudança semrpe proibidas pelas duas instituições, que tentam impor pensamentos ideológicos ao funcionamento

 

O bar Adventure ficou totalmente destruído com as chamas que atingiram a estrutura de madeira e o telhado de palha

 

O incêndio do bar Adventure, no domingo, 23, na avenida Litorânea, foi o resultado da soma de um equívoco de projeto de construção com a intransigência ideológica do Ministério Público e da Delegacia de Patrimônio da União.

Reformados durante o governo José Reinaldo Tavares, em 2003 – pelo então gerente metropolitano Ricardo Murad – os módulos conjugados contruídos de madeira e com cobertura de palha sempre foram questionados pelos comodatários, mas aceitos, estranhamente, pela Delegacia de Patrimônio da União e pelo Ministério Público.

Ao longo destes 18 anos, os empresários tentavam convencer os dois órgãos a aceitar mudança de projeto, com construções em alvenaria e telhado com material menos incendiário; mas para a DPU e MPF, qualquer outro tipo de estrutura agrediria a ambientação natural da orla.

Só há pouco tempo as propostas de telhas sintéticas foram aceitas – sem, no entanto, mudanças na estrutrua de madeira.

Algumas barracas chegaram a trocar o telhado; outros, aguardam o início do período sem chuvas para proceder a troca, o que naõ deu tempo para o Adventure.

Dr. Yglésio quer discutir a segurança das estruuras qeu servem como bares e s]ao supervisionadas por Minsitério Público e DPU

Agora, o deputado Dr. Yglésio (PROS) quer chamar os envovlidos para audiência pública em que se discutirá a segurança destes bares ao longo da praia.

Ótima oportunidade para saber com base em que ideologia procuradores federais e delegados da União – que têm o poder de controle sobre a área – insistiam com as estruturas capengas destas barracas.

E implicam tanto com as mudanças processadas em alguns destes bares., que só benfícios trazem aos frequentadores da orla.

0

Ecoturismo pode ser saída para recuperação do setor…

Por Gastão Vieira

ão estamos todos no mesmo barco nessa crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Vivemos sim uma mesma tempestade, mas com condições bem distintas. Pessoas, empresas e setores foram atingidos de forma particular. Enquanto uns dispõem de um iate para enfrentar a tormenta, outros estão largados no mar sem nenhuma boia para se agarrar. O turismo foi, sem sombra de dúvidas, uma das atividades mais atingidas, possivelmente será uma das últimas a se recuperar e, por isso, precisa de atenção especial para fazer a travessia.

Composto em mais de 90% por micro e pequenas empresas, o mercado de viagens está, no momento, focado em sobreviver. Todo o apoio do governo nesse sentido é bem-vindo e salutar. Ajudar o turismo significa ajudar mais de 50 atividades e seus respectivos trabalhadores que, de alguma forma, têm uma relação com o setor. Estamos falando, por exemplo, do garçom, do taxista, do artesão.

O momento exige cautela. O foco deve ser todo em preservar vidas e salvar empregos na medida do possível. É hora também de reorganizar e aglutinar as forças para transformar potencial em realidade. Setor produtivo, as diversas esferas de governo, o Legislativo e a academia precisam trabalhar de forma articulada para desenvolver o turismo no país.

A retomada do turismo ocorrerá necessariamente pelas viagens domésticas, no ecoturismo.

Atrativos não nos falta para darmos aos brasileiros uma experiência memorável. Com a articulação dos agentes envolvidos, é possível o turismo fazer a travessia do momento desafiador que vivemos e retomar a trajetória de crescimento que vinha experimentando pré-pandemia.

2

Bares da Península desrespeitam leis, promovem shows e aglomerações

Habitada em sua maior parte por políticos, membros do Judiciário e do alto escalão do governo, a área impõe uma espécie de “sabe com quem está falando?” aos agentes de fiscalização, que acabam reprimindo apenas pequenos bares, em bairros comunitários e na periferia de São Luís

 

Música ao vivo em restaurante da Península da Ponta D’Areia, onde os “nobres” ignoram decreto do governo e intimidade a ação da fiscalização

Enquanto bares e restaurantes dos bairros populares e das comunidades da periferia de São Luís sofrem com a repressão policial, os estabelecimentos da Península da Ponta D’Areia passam ao largo da lei que proíbe música ao vivo e aglomerações.

Desde que voltou a funcionar à noite, a região tida como a mais nobre de São Luís promove festas, aglomerações na praia e até shows de música ao vivo, que estão proibidos em toda a cidade por causa da pandemia.

Foi o que aconteceu, por exemplo, nesta quinta-feira, 16 – como mostra a imagem que ilustra este post – e está programado também para este fim de semana.

Na Península moram políticos, membros do Judiciário e do Ministério Público, servidores de alto escalão do próprio governo e empresários, que ignoram as regras da boa convivência e do combate à pandemia de coronavírus.

Este “status” inibe as autoridades de fiscalização impondo a eles o intimidador “sabe com quem está falando?”.

No final de semana passado, aglomeração como esta na Cidade Operária foi duramente reprimida pela Vigilância Sanitária, Blitz Urbana e polícia

Enquanto isso, as ações de repressão das autoridades do governo seguem firmes em bairros populares e na periferia, onde a ordem de não gerar aglomerações e realizar música ao vivo é imposta à força, inclusive com multas e ameaças de prisão.

O governo Flávio Dino (PCdoB) estuda liberar voz e violão em decreto ainda sem previsão para ser editado.

Mas, ao que parece, na Península pouco importa se o decreto já exista ou não…

6

Hotéis fecham as portas em São Luís; restaurantes demitem

Sindicatos apontam forte recessão e justificam suspensão das atividades como forma de encarar a crise provocada pela pandemia, que afetou drasticamente o setor de turismo e entretenimento no estado

 

Hotel Blue Tree anunciou semana passada a suspensão de suas atividades em São Luís

Nada menos que sete hotéis de São Luís já anunciaram o fechamento de suas atividades desde o início da quarentena ocasionada pela pandemia do coronavírus, segundo o sindicato do setor.

O último a anunciar que fechou as portas foi o Grand São Luís Hotel.

Também suspenderam as atividades o Blue Tree (antigo Pestana), Abbeville, Skina Hotel, Hotel Ponta D´areia, Stop Way, Calhau Praia Hotel.

O setor de turismo é um dos que mais sofrem com a pandemia de coronavírus em São Luís.

Sem poder realizar eventos, restaurantes e bares também estão demitindo para tentar sobreviver durante o período de isolamento social.

Sem poder abrir as portas, restaurante Cabana do Sol anunciou demissão de funcionários

O Sindibares calcula em 5 mil o número de demissões no setor de bares e restaurantes desde o início da pandemia.

Já anunciaram demissões os restaurantes Cabana do Sol, Churrascaria Sal e Brasa, Pizzaria Vignoli, Feijão de Corda e Flor de Vinagreira, que atuam sobretudo com vendas presenciais.

Porém, mesmo nas redes que fazem drive thru e delivery – como Bobs, Bulldog e outras – já há previsão de demissões.

O risco de colapso no setor de turismo é iminente…

Com informações do blog de Diego Emir

P.S.: Segundo comentaristas do blog, o hotel Abeville continua em funcionamento 

0

Investidores estrangeiros já de olho nos lençóis maranhenses…

Acompanhados do próprio ministro do Turismo, empresários internacionais passam a semana no Maranhão,  prospectando investimentos em áreas turísticas, na região de Barreirinha, Tutoia, Santo Amaro e Primeira Cruz

 

Exploradores do Turismo mundial estão de olho nas belezas naturais dos Lençóis Maranhenses em várias regiões do estado

Um grupo de investidores liderados pelo arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels está na região dos Lençóis Maranhenses desde oi início da segunda-feria, 13, em busca de projetos para investimentos no Turismo.

Os investidores – que estão sendo acompanhados pelo próprio ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antonio – pretendem investir na região de Barreirinhas, Tutóia, Primeira Cruz e Santo Amaro, compreendendo todo o complexo dos Lençóis Maranhenses.

Os Lençóis Maranhenses compõem o rol de áreas que o governo Jair Bolsonaro quer entregar para exploração da iniciativa privada.

A cessão da exploração vem sendo acompanhada pelo governo do Maranhão.

E gera polêmica nos debates sobre investimentos em Turismo…

0

Imagem do dia: Centro Histórico “fechado” pra balanço…

Blitz de órgãos públicos começaram desde ontem a fechar casas de festas e bares que não dispunham das licenças necessárias, em mais uma ação para impedir confusões envolvendo vândalos na área turística de São Luís

 

A imagem acima foi registrada na noite desta quinta-feira, 5

Uma força-tarefa do Ministério Público, da Blitz Urbana, Polícia Militar, Corpo e Bombeiros e Delegacia de Costumes começou a fechar bares e casas de festas sem licença na região do Centro Histórico.

A ação visa coibir a presença de vândalos e pessoas violentas na região considerada de forte apelo turístico.

A operação terá continuidade nesta véspera de feriado da sexta-feira, 6…

1

O grande desafio de Diego Galdino…

Jovem secretário do governo Flávio Dino deve assumir a Caema, empresa líder em ineficiência nos serviços públicos e campeã de reclamações de consumidores

 

Diego Galdino como titular do Turismo; a missão agora é bem mais árida

Destaque da equipe do governador Flávio Dino (PCdoB) no primeiro mandato, o secretário de Cultura e Turismo Diego Galdino deve assumir um dos maiores desafios de sua precoce carreira na vida pública.

Ele deve assumir a Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão (Caema), com a missão de tirar a empresa da lista das piores do serviço público no Maranhão.

Como titular do turismo e da cultura, Galdino deixa um legado importante, com o fortalecimento do Carnaval e o aumento na atração de turistas. (Entenda aqui e aqui)

Agora, terá que transformar uma empresa campeã de reclamações em campeã de eficiência em gestão, coisa que muitos especialistas na área não conseguiram.

Para isso, tem a confiança do próprio Flávio Dino…

2

LATAM vai mesmo cancelar voos diretos São Luís-Rio…

Entidade ligada ao setor turístico diz que o problema foi causado pela alta taxa de impostos cobrados pelo governo Flávio Dino; secretário de Turismo rebate e culpa a crise econômica no Rio de Janeiro

 

Voos da LATAM para o Rio serão encerrados em fevereiro

A empresa aérea LATAM anunciou a suspensão dos voos diretos entre São Luís e Rio de Janeiro,a partir de 1º de fevereiro.

A informação é da Destination Maranhão, entidade ligada à promoção do turismo no estado.

De acordo com o presidente da organização, Francisco Neto, a empresa de aviação teria proposto ao governo Flávio Dino (PCdoB) a redução do ICMS do combustível aéreo em troca do aumento no número de voos, mas teve o pleito negado.

– O aumento de impostos e a falta de diálogo com o empresariado, trará resultados negativos a economia maranhense – afirma Neto.

De acordo com ele, só a GOL vai continuar operando voos diretos para o Rio de Janeiro a partir da data que a LATAM encerrar seus voos.

O secretário de Cultura e Turismo do Maranhão, Diego Galdino, rebate a informação e diz que a própria LATAM informou a ele que o cancelamento do voo direto se deu pela grave situação econômica do Rio de Janeiro.

– Em contato com a comercial da Latam, Letícia Pimentel, ela nos respondeu que o voo para o Rio de Janeiro foi cancelado devido a grave situação econômica, fiscal e de segurança pública enfrentada por aquela cidade. O Rio está com vários meses de salários atrasados para aposentados (…), não pagando seus fornecedores. Isso acabou afetando o fluxo de turistas dos segmentos de negócios e lazer, fazendo com que a companhia aérea tomasse a decisão de encerrar os voos diretos partindo do Rio para várias capitais – afirmou o secretário, segundo o blog de Daniella Bandeira. (Leia aqui)

O curioso nesta explicação é que outras capitais que também fazem voos diretos para o Rio de Janeiro não tiveram sua malha aérea cancelada, apenas São Luís.

– Enquanto os estados do Ceará e Pará fizeram a redução no ICMS do querosene de aeronaves e ganharam mais voos domésticos e internacionais (Miami, Portugal, Orlando, etc.) o Maranhão está na contramão do processo e impede o crescimento no número de turistas – pontua o presidente da Destination Maranhão.

Segundo ele, ainda há o risco de a LATAM reduzir ainda mais voos, caso o valor do imposto continue tornando inviável a operação de viagens.

Com a palavra o governo Flávio Dino…