6

Academia Maranhense de Letras pode transformar vaga em herança familiar…

Oferecida ao governador Flávio Dino apenas pelo fato de ter sido ocupada pelo seu pai, o intelectual Sálvio Dino, a cadeira número 32 será posta em disputa na próxima quinta-feira, 21; no páreo está também o renomado escritor Antonio Guimarães de Oliveira

 

Flávio Dino no Palácio dos Leões com membros da AML, em 2015: imortalidade como herança familiar

O governador Flávio Dino (PSB) resolveu tentar impor seu nome como membro da Academia Maranhense de Letras, querendo ocupar a cadeira de número 32.

E o argumento é um só: a vaga era do seu pai, o reconhecido escritor e poeta Sálvio Dino.

Na verdade, o movimento para fazer Dino imortal surgiu na própria AML, logo após a morte do seu pai, em 2020, segundo revelou o jornalista Pergentino Holanda em sua coluna no jornal O EstadoMaranhão.

Na tentativa de tornar a vaga na AML uma espécie de herança familiar, a Casa acaba por estuprar intelectualmente os imortais maranhenses, uma vez que – embora com amplos conhecimentos técnicos na área jurídica – Flávio Dino nunca teve qualquer tipo de militância ou produção intelectual que justifique sua “imortalidade”.

Sobretudo por que também concorre à vaga o escritor respeitado no mundo intelectual, Antonio Guimarães de Oliveira.

– Sobre Benedito Buzar, bom cidadão e grande historiador, porém acredito, sinceramente na força da literatura maranhense e seus grandes escritores. Acredito que não ocorrerá o “favor político”. Acredito na idoneidade de todos os acadêmicos e acadêmicas. Vamos aguardar o dia 21 de outubro… – desabafou Guimarães, em comentário no blog Marco Aurélio D’Eça.

O escritor Antonio Guimarães: livros reconhecidos pelos próprios intelectuais da Academia Maranhense de Letras

O problema para Guimarães é que, desde o ano passado, os próprios membros da AML encabeçam o movimento pró-Dino.

Na sua tentativa de se tornar imortal, Flávio Dino submeteu-se, inclusive, a um encontro com o ex-presidente José Sarney – decano da AML e da Academia Brasileira de Letras, e, por mérito próprio, reconhecido internacionalmente como escritor.

Antonio Guimarães revela que, quando fez sua inscrição à cadeira 32, foi informado pela direção da Casa de Antônio Lobo que o governador Flávio Dino não iria concorrer e que o ex-presidente Sarney não iria se envolver em disputa literária. (Leia aqui a íntegra do comentário)

Mas Flávio Dino quer a influência do ex-presidente para convencer os prováveis futuros confrades.

 A eleição na  AML será na quinta-feira, 21…

3

Carlos Brandão e a superstição do cocar indígena…

Vídeo em que o vice-governador aparece com o adereço na cabeça, durante uma dança com membros de umas das tribos maranhenses repercutiu fortemente na classe política, sempre temerária à suposta maldição que envolve este tipo de ação eleitoral

 

O vídeo de Brandão com o cocar indígena; o adereço nada tem de maldito, mas essa dancinha….

Ensaio

Teve forte repercussão – cercada de maus presságios – o vídeo em que o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) aparece usando um cocar indígena em meio a uma dança com representantes de uma tribo maranhense.

No folclore político, o uso de adereços indígenas por lideranças em campanha é cercada de superstição; para muitos, dá azar colocar o adereço na cabeça.

A “maldição do cocar” remete aos anos 50, quando a derrota do candidato Juarez Távora  para Juscelino kubtischeck foi atribuído ao uso do adereço indígena.

Mas a superstição ganhou mais força no governo do ex-presidente José Sarney (MDB), que deixava claro seu temor ao uso da cobertura indígena.

Outros políticos históricos também foram derrotados após usar o cocar; de Mário Andreazza a Ulísses Guimarães; até a morte de Tancredo Neves, que venceu, mas não assumiu a presidência, em 1984, também é atribuída ao uso do cocar. (Saiba mais aqui)

Para o antropólogo José Carlos Sabóia, a entrega do cocar é a representação de um pacto dos caciques indígenas com os não-indígenas.

– É a divisão de poder do chefe indígena com o político, para lidar com alguma questão de seu povo – diz Sabóia, no artigo-reportagem “Maldição do cocar leva pânico aos políticos”, de Suelene Teles e Jozafa Dantas. (Leia aqui)

Lula e Dilma nunca se importaram com o uso do adereço;. há várias imagens dos ex-presidentes com cocar

Na história recente da política, há quem tenha quebrado a tal maldição.

Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (ambos do PT), e o atual, Jair Bolsonaro (sem partido), usaram o adereço, mas venceram as eleições que disputaram.

No Maranhão, a maldição não foi levado em conta na história recente da política.

O governador Flávio Dino (PSB), por exemplo, usou o adereço em 2015. Mesmo alertado em artigo do jornalsita Daniel Matos, intitulado “Brincando com a sorte?”, Dino reelegeu-se em primeiro turno, em 2018.

 

Flávio Dino até mostra cara de sem-graça, mas não se recusou a usar o cocar indígena; e não perdeu eleição

Filha de José Sarney, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) também não aparece em registros de imagens com o adereço indígena.

Também pré-candidato a governador, o senador Weverton Rocha (PDT) é outro sem registro de imagens com o cocar de índio.

E diante da repercussão em torno de Carlos Brandão, é pouco provável que, a partir de agora, o pedetista, que lidera as pesquisas, resolva dar sopa ao azar.

Afinal, vai que…

10

A tola e inútil discussão ideológica sobre a estátua da Havan…

Inauguração da loja que tem como marca a réplica da Estátua da Liberdade abriu uma reação política, desnecessária e sem sentido nas redes sociais, que chegou a envolver até secretário de estado

 

Apesar do nome que remete a Cuba, a Havan usa em sua identidade visual ícones americanos, como a Casa Branca e a Estátua da Liberdade

Virou polêmica nas redes sociais a instalação da réplica da estátua da liberdade, que a empresa Havan usa como parte de sua identidade visual.

A empresa está abrindo uma unidade em São Luís, o que gerou uma discussão bairrista, tola, provinciana e cafona; a história envolveu até o secretário de Cidades, Márcio Jerry, que foi às redes protestar conta a estátua.

Discussão ideológica, tola, desnecessária e sem sentido algum, repita-se.

Comandada pelo empresário Luciano Hang, a Havan usa em sua marca símbolos da cultura e da história norte-americanas, como a Casa Branca, de Washington DC, usada em sua fachada, e a Estátua da Liberdade, símbolo de Nova York.

Luciano Hang é vinculado umbilicalmente ao presidente Jair Bolsonaro; talvez por isso o debate tenha ganhado corpo no “comuno-socialista” Maranhão, envolvendo até mesmo o secretário Márcio Jerry, além de publicitários, atrizes e atores vinculados ao governo Flávio Dino (PSB).

O secretário Márcio Jerry tentou puxar manifestação nas redes sociais contra “o véio da Havan”, mas foi repreendido por internautas

Mas a marcha contra a estátua parece não ter alcançado o corpo necessário para manifestações contrárias da população.

As críticas à reação de Márcio Jerry – e aos seus aliados nos protestos – têm sido duras nas redes sociais.

Em que pese a postura política questionável do seu dono, a Havan vai gerar milhares de empregos diretos e indiretos no estado. E como empresa privada que é, tem o direito de criar sua marca, hoje espalhada em praticamente todos os estados brasileiros.

Se a réplica da estátua da liberdade soa cafona em solo brasileiro, é uma questão de gosto e pureza cultural, mas não dá o direito de impedir o seu uso.

E brigar contra sua instalação, mostra mais cafonice ainda…

0

Palco Produções realiza I Pedalarte em São Luís…

Evento que mistura cultura, turismo e esporte tem sua primeira edição marcada para o dia 11 de julho, no circuito das praias da capital maranhense; inscrições abertas pelo número 99173-0943

 

Lêda Lima exibe sua bike na Praça do Pescador, cartão postal de São Luís que comporá o circuito do I Pedalarte

Imagine participar de um evento que reúna, a um só tempo, esporte, cultura e turismo em plena capital maranhense?

A Palco Produções juntou todos esses segmentos no evento I Pedalarte, que acontecerá no circuito praias – do Caolho à Península – no domingo, 11 de julho, a partir das 6h30.

– A Palco já realiza grandes eventos e produções artísticas em São Luís, como cinema, Teatro Musical e circo. Agora juntaremos também o esporte, com um circuito de passeio ciclístico pela bela orla da capital maranhense – conta a diretora da empresa, Lêda Lima.

As inscrições do evento podem ser feitas pelo número (98) 99173 0943, a R$ 40,00, com direito a uma camiseta personalizada, café da manhã, reforço pós-circuito e banho de piscina, além de sorteio de brindes.

É preciso atentar para o limite técnico de inscrições, devido as restrições da pandemia.

Além do passeio pelas praias – do Caolho à Península da Ponta D’Areia – o Pedalarte terá participação de companhias circenses, atores de teatro e performances artísticas durante toda a manhã.

Serviço:

Data: 11/07/2021

Inscrições: até dia 05/07 ou até atingir o limite técnico do evento.

Valor da Inscrição: R$ 40,00

Local: Sede Palco Centro de Arte / Rua Coroatá, Número 21, Quintas do Calhau – Barramar.

Concentração: 6h30

Saída: 07h

Realização: PALCO PRODUÇÕES

2

A pedido de Roberto Costa, Flávio Dino autoriza reforma do Largo de São Pedro 

Governador atendeu o deputado estadual emedebista, que já analisa o início da obra, palco do tradicional festejo de São Pedro e marco cultural da região da Madre Deus

Roberto Costa com representantes do governo, da prefeitura, e comunitários da região do largo de São Pedro

A reforma completa do Largo de São Pedro teve início na tarde de ontem (20) qq qq. A Obra é fruto de uma solicitação do Deputado Roberto Costa que foi atendida pelo Governador Flávio Dino. O deputado esteve junto ao Secretário de Estado da Cultura Anderson Lindoso, com o Presidente da Agência Executiva Metropolitana, Lívio Jonas Mendonça, Secretário de Governo Diego Galdino e André Campos, secretário de desenvolvimento metropolitano de São Luís, para marcar o início dessa reforma.

O Largo da Capela de São Pedro, no bairro da Madre Deus, é um marco da nossa cultura, onde há mais de 80 anos realiza-se o tradicional festejo de São Pedro.

A obra contempla a reforma total da capela, a estrutura da escadaria, o largo e o entorno. Obra essa que é de grande importância para a população da região que agora contará com mais um espaço amplo de lazer e a cidade ganha assim, mais um cartão postal.

“Hoje é um dia de muita alegria para todos. O Largo de São Pedro é um marco na história e cultura da região da Madre Deus. Aqui é o lugar onde eu cresci e fico imensamente feliz em acompanhar esse novo momento. Sinto que estou mais uma vez cumprindo um compromisso com a cultura popular de São Luís” afirmou Roberto Costa, que aproveitou também para agradecer ao Governador Flavio Dino e aos secretários Anderson Lindoso (da cultura) e ao Secretário de Governo Diego Galdino.

1

Abrasel critica lockdown em bares e restaurantes de São Luís…

Presidente da representação maranhense da associação que congrega o setor diz que endurecimento das medidas do Governo do Estado – que vai liberar auxilio de R$ 1 mil para bares e R$ 600 para artistas – transforma a cultura e o entretenimento em vilões da pandemia de CoVID-19

 

Bares e restaurantes terão que fechar as portas, de novo, a partir da próxima segunda-feria, 15, por causa das medidas contra a CoVID-19…

O presidente da representação maranhense da Associação Brasileira de Hotéis, Bares e Restaurantes, Gustavo Araújo, criticou nesta sexta-feria, 12, o endurecimento das medidas de funcionamento do setor em São Luís. 

Em entrevista coletiva na manhã de hoje, o governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou que bares e restaurantes terão que fechar as portas, por uma semana, a partir da próxima segunda-feira, 15.

Na avaliação de Gustavo, essa medida torna o setor de entretenimento e cultura em vilões da pandemia de CoVID-19.

– O que a Abrasel não entende é com base em quê as autoridades decidiram transformar bares e restaurantes em vilões da pandemia – questionou o representante da entidade setorista, em entrevista à rádio Nova FM.

Gustavo Araújo vê injustiça em transformar bares e restaurantes em vilões da pandemia

Para amenizar os prejuízos para bares, restaurantes e artistas que tocam na noite, Fla´vio Dino anunciou auxílio de R$ 1 mil para as empresas do setor e R$ 600 para artistas da Grande São Luís.

O auxílio de R$ 600 para artistas pode-se somar ao auxílio anterior, de R$ 1,5 mil, este abrangendo todo o estado.

As medidas do governo entraram em vigor a partir da segunda-feira, 15.

Até lá, valem as medidas que estão em vigor até o domingo, 14…

2

Suspensão de shows e eventos depende de reunião com empresários

Inseguro quanto às medidas que precisa tomar para conter o avanço da CoVID-19, governador Flávio Dino já decidiu suspender festas, cultos, missas, shows, reuniões, resenhas, rolês, batucadas, pagodes, forró, samba, raves e afins; mas quer dividir a culpa com os próprios representantes do setor

 

Governador via reunir com a classe empresarial, mas nada fala sobre a classe artística, principal atingida com a suspensão dos eventos no estado

O governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu suspender todo tipo de evento cultural, religioso, esportivo ou meramente festivo no Maranhão – mesmo aqueles com até 150 pessoas.

Mas só vai dizer a partir de quando vale sua decisão após reunião com a classe empresarial, nesta terça-feria, 2.

As medidas mais duras de combate à CoVID-19 são cobradas por cientistas e profissionais da área de Saúde – inclusive o titular da pasta no maranhão, Carlos Eduardo Lula – mas Dino parece querer dividir o desgaste da decisão.

Ontem, ele tentou convencer prefeitos e membros do Judiciário, mas todos foram contra o lockdown.

Principal atingida com a suspensão dos eventos, a classe artística parece esquecida pelo poder público na discussão do que fazer contra a pandemia

Agora, quer chamar a classe empresarial para negociar uma forma de suspender os eventos sem prejuízo da atividade comercial, sabe-se lá como ele pretende fazer isso.

Sem os eventos culturais, a classe artística também sofre, sem local para apresentação e sem condições de garantir a sobrevivência.

Mas parece que, para o governo, a classe artística é a que menos importa neste processo.

1

Detentas vão produzir figurino para musical em homenagem a Alcione

Produção do espetáculo, que tem à frente o ator e produtor Jô Santana e o autor, ator, diretor, escritor e roteirista Miguel Falabella, visitou o Complexo de Pedrinhas para conhecer o trabalho das internas na Cooperativa Cuxá

 

Miguel Falabella observa o trabalho das detentas que compõem a Cooperativa Cuxá, no Complexo de Pedrinhas

Será todo produzido pelas internas do Complexo de Pedrinhas o figurino que será usado no espetáculo “Marrom – o Musical”, em homenagem à cantora maranhense Alcione Nazaré.

Projeto que faz parte da “Trilogia “do Samba” – com cartola, dona Ivone Lara e Alcione – o espetáculo foi idealizado e produzido pelo ator e produtor Jô Santana, com texto e direção de Miguel Falabella.

O musical conta a história da artista maranhense mais consagrada no âmbito nacional.

– Nesta semana, eu e Miguel Falabella tivemos contato com o belíssimo trabalho da Cooperativa Cuxá, formada por mulheres detentas e egressas do sistema prisional de São Luís. Conhecemos a história dessas mulheres e foi possível ver como esse projeto traz uma nova perspectiva de mudança em suas vidas. Diante disso, fechamos uma parceria para a produção dos adereços cênicos para figurinos de “Marrom – o Musical – contou o ator Jô Santana, produz o espetáculo.

Jô Santos fala sobre o musical “Marrom”,m observado por Falabella, e mostra a importância da presença do figurino da Cuxá no espetáculo

Jô Santana e Miguel Falabella estiveram no início da semana em São Luís em promoção do musical e busca de patrocínios e parceiros.

O projeto visa contar a história de Alcione e levar para os palcos cenários que marcaram a infância, a juventude e a vida adulta da cantora, no maranhão e no Rio de Janeiro, onde é radicada.

Os atores e produtores em pose com os membros as participantes da cooperativa e funcionários do Complexo de Pedrinhas

– Das mãos das meninas da Cuxá sairão belezas que ganharão os palcos, para contar a história de Alcione, que é a madrinha da Cooperativa e será homenageada no espetáculo! – contou Santana.

O espetáculo “Marron-O Musical” deve estrear ainda em 2021…

0

Com pressão da polícia e do MP, bares vivem clima de tensão…

Donos de estabelecimentos temem por prisão diante da inviabilidade de controle de aglomerações e podem fechar as portas temporariamente, acabando por inviabilizar também atividades artísticas, musicais e culturais

 

O cerco aos bares tem se intensificado em bares e restaurantes de São Luís por conta da coVID-19

O cerco que se fechou contra bares e restaurantes durante o fim de semana em São Luís pode levar a um fechamento em massa de portas de eventos.

A exigência do Ministério Público para que se evite aglomerações e a ameaça de prisão da polícia – como já ocorreu neste fim de semana – têm deixado os empresários em clima de constante pressão.

E a saída mais estudada é mesmo o fechamento das portas, com cortes de pessoal e suspensão de contratações artísticas, o que pode gerar uma reação em cadeia no setor que mais sofre com a pandemia de coronavírus.

Mesmo com o início da vacinação, os números da CoVID-19 aumentaram drasticamente no Maranhão, o que leva o Ministério Público à pressão por medidas mais restritivas.

O resultado é a ameaça constante para bares e restaurantes.

O que torna inviável a manutenção da atividade…

0

Em novo formato, curso de cinema da Palco tem Tássia Dur à frente

Módulo que começa em 5 de fevereiro, será ministrado pela atriz, roteirista e diretora maranhense com  trabalhos premiados no Brasil e em outros países

 

O curso de cinema de Palco Centro de Arte, que já revelou diversos artistas e apresentou produções premiadas no Maranhão e no Brasil, inicia suas aulas no dia 5 de fevereiro, agora em novo formato, dividido em módulos.

E terá à frente deste primeiro módulo a atriz, roteirista e diretora maranhense Tássia Dur.

Premiada no Brasil e no exterior, Tássia Dur foi laureada como Melhor Diretora pelo South Film and Arts Academy no Chile em 2020. Também ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema Maranhão na Tela, 2019.

Atuou na série “Feras” no MTV, em 2019, no longa-metragem “De repente Drag” e “Anna”, com direção de Heitor Dhália.

Foi atriz das séries “Rio Topless ” e “O Dia Em Que Nos Tornamos Terroristas.” E participou de diversos Curtas-Metragens e vídeo-clipes como Atriz, Diretora e Roteirista.

O curso da Palco será encerrado com uma produção dos próprios alunos, professores e diretores da casa.

Matrículas abertas pelo contato (98) 99144 – 8541…