2

Denúncias deste blog embasam relatório contra Josimar no STF

Notícias divulgadas desde o início de 2020 – apontando o deputado federal maranhense como “papão de emendas” no Congresso Nacional – fazem parte do arcabouço sob a responsabilidade do ministro Ricardo Lewandowski, que vazou na semana passada

 

Reportagem da revista Crusoé destaca o “Mercadão das Emendas” e joga luz sobre o deputado maranhense Josimar Maranhãozinho

 

Um conjunto de matérias publicadas pelo blog Marco Aurélio D’Eça ao longo de 2020, compõe o relatório que embasa as denúncias do Ministério Público Federal contra o deputado Josimar Maranhãozinho (PL) no Supremo Tribunal Federal.

O documento – que deveria ser sigiloso – vazou esta semana, e é tema das principais revistas e portais nacionais de notícias.

Mas tudo começou em fevereiro de 2020, a partir deste blog.

Quem conseguiu ter acesso ao documento diz que há nele elencados ao menos 10 posts publicados neste blog ao longo de 2020 e 2021, juntamente com reportagens de outros veículos nacionais.

Em 20 de fevereiro de 2020, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou o post “Venda de emendas parlamentares pode virar escândalo nacional”.

Naquela época, o blog já revelava que um único deputado maranhense conseguia comprar até R$ 50 milhões em emendas, inclusive de outros estados.

– Investigado pela Procuradoria-Geral da República, o esquema pode se transformar no maior escândalo do país desde a Operação Lava Jato – vaticinou o post.

Em 15 de junho de 2020, nova denúncia do blog Marco Aurélio D’Eça, com selo de Exclusividade: “Destino das emendas na pandemia pode gerar novas ações da PF…”

– Levantamento do blog Marco Aurélio D’Eça em sites de controle, nos portais de transparência e nas páginas das próprias prefeituras identificou grandes volumes de recursos encaminhados para pequenos municípios – em detrimento de outros, maiores – e até dinheiro de emenda parlamentar a municípios que sequer registraram casos de coVID-19 – dizia o texto.

Por, praticamente, delinear o caminho a ser seguido no Maranhão, este é um dos posts que compõem o relatório em poder do STF, 

Foto icônica de Josimar Maranhãozinho, recorrente no blog Marco Aurélio D’Eça: ele, em família, com sua bancada de deputados federais

Naquela época, Josimar Maranhãozinho já era tido no Congresso Nacional por “Papão de Emendas”, pela facilidade que tinha de liberar recursos nos ministérios.

No início de dezembro de 2020, a Polícia Federal desencadeou operação no Maranhão, que resultou na prisão do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan.

Na semana seguinte, exatamente no dia 7 de dezembro, o blog Marco Aurélio D’Eça publica nova postagem com selo de Exclusividade: “Josimar controla emendas de três deputados maranhenses…”.

Neste mesmo post, o blog lembrava que a Polícia Federal se voltava agora para outras emendas maranhenses, em outros canais de indicação.

– Os olhos da PF agora se voltam para outras movimentações tidas por suspeitas, envolvendo grandes volumes de recursos destinados à Codevasf, à UFma, aos Bombeiros e a fundações que controlam hospitais em São Luís e no interior – disse a matéria, linkando textos anteriores sobre o assunto.

Chegou a 2021 e o blog Marco Aurélio D’Eça publica, em 4 de março – também com exclusividade – aquela que seria a chave do processo envolvendo Josimar de Maranhãozinho: “Polícia Federal vai unificar ações que envolvem Josimar de Maranhãozinho…”  

De lá pára cá, o deputado federal vem sofrendo em várias frentes de investigação, que ele atribui à perseguição de adversários, mas que a imprensa vê como um grande escândalo que pode resultar em algo de repercussão nacional.

A exemplo do que traz neste fim de semana a revista Crusoé, com a reportagem “Mercadão das Emendas”.

Que tem Josimar de Maranhãozinho como destaque…

0

“Cumprimos o dever legal”, diz SPP sobre ação contra Josimar

Em Nota distribuída no feriadão, Secretaria de Segurança Pública esclarece todos os detalhes técnicos da operação em endereços ligados ao deputado federal, que é acusado pelo Ministério Público de desviar quase R$ 160 milhões de emendas parlamentares no Maranhão

 

Um dos endereços de Josimar de Maranhão onde foram cumpridos mandatos de busca e apreensão pelo Ministério Público

A Secretaria de Segurança Pública informou, em nota, neste feriadão, todos os detalhes técnicos da operação que resultou em cumprimento de Mandados de Busca e Apreensão em endereços ligados ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) e seus parentes.

– A SSP/MA, cumprindo o seu dever legal, deu todo o apoio policial ao Ministério Público do Maranhão, para apurar a movimentação suspeita de R$ 159.745.884,37, dentro dos limites legais estabelecidos na decisão judicial proferida pela Vara de Combate ao Crime Organizado, de acordo com os pedidos formulados pelo Ministério Público Estadual – diz a nota.

Após a operação, Josimar e seus aliados tentaram atribuir a operação à perseguição do governador Flávio Dino (PSB); já os aliados de Dino tentaram jogar o problema no colo do secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Nem uma coisa, nem outra.

Josimar é investigado desde 19 de outubro de 2018, pelo Procedimento Investigatório Criminal nº 011660-750/2018, instaurado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco).

– Esse procedimento originou-se de uma Notícia de Fato instaurada a partir de denúncias envolvendo Josimar Cunha Rodrigues – o deputado Josimar de Maranhãozinho – e as empresas Águia Farma Distribuidora de Medicamentos Ltda e Construtora Madry, ambas ligadas ao parlamentar; Josimar Cunha Rodrigues é, até hoje, sócio da Construtora Madry, junto com sua irmã Irismar Cunha Rodrigues, também investigada. (Fonte: Nota emitida pelo Ministério Público do Estado do Maranhão) – diz a nota da SSP.

Foi o procedimento do Ministério Público que originou a operação “Maranhão Nostrum”, deflagrada na semana passada. Os relatórios apontando a movimentação suspeita de quase R$ 160 milhões por Josimar foram elaborados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF.

– Para o cumprimento das medidas deferidas pela Vara de Combate ao Crime Organizado em treze municípios do Estado do Maranhão e em um município do Estado do Ceará, foi determinado o apoio operacional por parte dos órgãos de Segurança Pública – explicou a nota da Segurança Pública.

A Polícia Civil maranhense, portanto, apenas deu apoio ao Ministério Público.

É, portanto, ao MP, que Josimar Maranhãozinho tem que reclamar.

E se o MP tem vínculos com o governo Flávio Dino, essa é uma outra história…

0

A diplomacia de Othelino Neto para 2022…

Uma das principais lideranças alinhadas ao projeto do senador Weverton Rocha, presidente da Assembleia Legislativa reúne-se com o deputado federal Josimar Maranhãozinho, abrindo diálogo para o processo eleitoral do ano que vem

 

Após receber Weverton em suas bases, no município de Pinheiro, Othelino Neto esteve com Josimar, para tratar das eleições de 2022

O presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), é uma espécie de embaixador da campanha do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

E foi nessa condição que o parlamentar reuniu-se no fim de semana com o deputado federal Josimar Maranhãozinho, também pré-candidato a governador pelo PL.

O próprio Othelino Neto deixou claro que o assunto principal tinha a ver coma s eleições de 2022.

Weverton Rocha não esconde dos aliados mais próximos que queria uma aliança com Josimar; e se Othelino esteve com o deputado, certamente também tratou desse interesse do pedetista.

É aguardar e conferir…

4

O poder de fogo de Josimar de Maranhãozinho em São Luís

Deputado federal que foi flagrado pela Polícia Federal com mais de R$ 2 milhões em dinheiro vivo, bancou, praticamente sozinho, toda a campanha de Duarte Júnior, a quem indicou a vice, além de reeleger um vereador e eleger outro

 

Josimar com a sobrinha-vice, Brandão e outro de seus corretores – Hélio Soares – na campanha de Duarte Júnior: R$ 1 milhão em doações para controlar São Luís

Flagrado nesta quarta-feira, 9, pela Polícia Federal, com mais de R$ 2 milhões em dinheiro vivo, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) tinha planos ambiciosos em São Luís.

Apoiador direto do deputado Duarte Júnior (Republicanos) – ao lado do vice-governador Carlos Brandão – Josimar doou, sozinho, cerca de R$ 1 milhão ao candidato, além de indicar uma das sobrinhas como candidata a vice-prefeita.

Seria a partir de uma gestão de Duarte Júnior que o deputado federal tentaria suplantar o próprio Brandão e se viabilizar como candidato a governador nas eleições de 2022, projeto acalentado desde que se elegeu deputado estadual, em 2014.

Josimar já domina um grande grupo de prefeitos no interior maranhense, alguns eleitos diretamente pela sua estrutura de poder; outros com financiamentos de campanha.

Mas precisava construir uma capilaridade na capital e viu no candidato Duarte Júnior o projeto ideal, juntando-se a Carlos Brandão na empreitada.

Duarte não conseguiu se eleger prefeito, mas Josimar reelegeu o sobrinho Aldir Júnior e outro vereador, Daniel Oliveira (ambos do PL), além de vários outros ligados aos seus partidos.

Mas aí veio a Polícia Federal e derrubou o castelo de cartas do deputado-agiota; e agora ele está diretamente na mira da Justiça.

O que praticamente inviabilizou seu sonho dourado de morar no Palácio dos Leões…