0

Paulinho avança e incomoda adversários em Caxias…

Após o sucesso do lançamento de sua campanha – e a força política estadual demonstrada por sua candidatura, com apoios significativos de deputados federais e estaduais – candidato do PL virou o principal alvo do prefeito Fábio Gentil, que tenta se manter no poder por intermédio do sobrinho Gentil Neto

 

O carinho recebido dos eleitores caxienses dá a força necessária para Paulinho seguir contra os ataques dos adversários

Com apoio de partidos de todas as nuances políticas – inclusive o partido do próprio prefeito Fábio Gentil (PRB) – diversos deputados federais em seu palanque e presença maciça da população caxiense em suas andanças, o deputado federal Paulo Marinho Jr. (PL) passou a ser o alvo preferencial de ataques, desde o lançamento de sua campanha.

Paulinho é o principal candidato da oposição caxiense e reúne as condições para derrotar a família Gentil, que quer se manter no poder por intermédio do sobrinho do prefeito, Gentil Neto (PP).

Vi a força no olhar de cada um e o anseio por dar um basta na falta de respeito que tem privilegiado uma só família, esquecendo a nossa cidade e população caxiense. Tenho a certeza de que juntos podemos fazer a diferença e mudar a realidade de Caxias”, declara Paulinho.

 

Com o slogan “Caxias merece respeito”, Paulinho consolidou-se como o principal adversário de Fábio Gentil, que tem usado sua rede midiática para ataques, inclusive à mãe do parlamentar, a falecida ex-prefeita Márcia Marinho, uma das mais respeitadas lideranças caxienses.

Diante dos ataques e do crescimento da campanha, o candidato do PL segue o ritmo.

Com as devidas providências contra os adversários…

0

Paulinho Jr. faz evento gigante em Caxias…

Ao lado dos deputados federais Josimar Maranhãozinho e Detinha, pré-candidato a prefeito foi recebido por uma multidão no espaço Marília Eventos, com alcance de quase três mil pessoas também na transmissão ao vivo pelas redes sociais

 

O deputado federal Paulo Marinho Jr. (PL) protagonizou nesta sexta-feira, 3, um dos eventos da pré-campanha que devem servir de referência para todo o estado; a apresentação de sua candidatura a prefeito reuniu cerca de 3 mil pessoas no espaço Marília Eventos, e outros 2,9 mil que acompanharam a transmissão ao vivo pelas redes sociais.

As manifestações de apoio e desejo pelo resgate do orgulho do povo caxiense ficou marcado na presença de cada um dos eleitores, convidados pelas lideranças dos vários partidos que devem compor a coligação.

A candidatura de Paulo Marinho Jr. buscou reunir toda a oposição em um só palanque, o que não foi possível por causa de interesses pessoais e de grupos dos demais candidatos; mesmo assim, a festa partidária da sexta-feira, 3, evidenciou o descontentamento com a atual gestão de Caxias.

A forte audiência na transmissão ao vivo do ato, a partir do Marília Eventos,  mostrou o envolvimento da população caxiense com a eleição, o que só deve aumentar a partir do início da campanha.

A partir de agora Paulinho se dedicará à formação de sua chapa, com a escolha de um candidato a vice e a confirmação das candidaturas a vereador.

0

Candidatos da direita se dividem; Fábio Câmara segue com Lula pela esquerda

Único candidato em São Luís com campanha exclusivamente na base do presidente petista, ex-vereador do PDT segue discutindo com os segmentos sociais mais progressistas, debatendo pautas de peso político significativo, como a valorização da mulher, do trabalhador, a preservação do meio ambiente, a afirmação do negro, dos povos originários; e prepara convenção com o ministro da Previdência Social, Carlos Lupi

 

Lahésio chamou de gados e burros os eleitores que votam na direita representada por Josimar Maranhãozinho e Detinha, o que ofendeu também Felipe Arnon

Analise da Notícia 

A mídia de São Luís trouxe nesta terça-feira, 23, mais uma briga pública entre lideranças da direita maranhense, que se engalfinham pelo legado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e tentam se apoderar do voto conservador em São Luís, estimado em 25% do eleitorado.

A troca de “gentilezas” se deu agora entre o ex-candidato a governador Lahésio Bonfim (Novo) e o casal de deputados federais Josimar Maranhãozinho e Detinha (ambos do PL), mas envolveu também o “Pátria Livre” Felipe Arnon; e tudo ainda por conta da passagem meteórica – e sem maior repercussão política – da ex-primeira-dama Michele Bolsonaro pela capital maranhense, no último sábado, 20. (Leia aqui e aqui)

Este blog Marco Aurélio d’Eça já mostrou que pelo menos quatro candidatos em São Luís são vinculados ao bolsonarismo, de uma forma ou de outra, embora o ex-presidente dê de ombros a todos eles:

Fábio Câmara segue agenda de contatos nas comunidades e prepara convenção do PDT, como único candidato exclusivamente na base do presidente Lula (PT)

A guerra fratricida entre os bolsonaristas é vista à distância pelo pedetista Fábio Câmara, único entre os candidatos em São Luís com campanha exclusivamente na base do governo Lula (PT); desde o surgimento do seu nome, ainda em setembro de 2023, Câmara se move pela esquerda, com ênfase nas bandeiras de Lula.

Com apoio do PDT, Fábio Câmara vem discutindo pautas progressistas como a valorização da mulher, do negro, a inclusão de grupos LGBTQIA+, questões ambientais, juventude e, sobretudo, a pauta do trabalhador. (Releia aqui, aqui, aqui, aqui e aqui)

A ênfase na valorização do trabalhador será a pauta de Fábio Câmara no dia 10 de maio, na convenção estadual do PDT, quando ele será apresentado como candidato a prefeito ao lado do senador Weverton Rocha e do ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, este representando o presidente Lula.

E assim deve ser a rotina ao longo da campanha, com os bolsonaristas se engalfinhando pelo naco dos 25% de eleitores conservadores e de direita.

E Fábio Câmara, no seu ritmo, desde sempre, pela esquerda, com o PDT e com Lula.

Em busca dos 35% de eleitores lulistas na capital maranhense…

0

Direita e bolsonaristas ainda divididos em São Luís…

Mesmo com duas candidaturas neste campo político – as dos deputados estaduais Dr. Yglésio e Wellington do Curso – eleitores do ex-presidente e o eleitorado mais conservador ainda se alinham também ao prefeito Eduardo Bride e até ao deputado federal Duarte Jr., que tem o PL em sua coligação

 

Vazio ideológica e doutrinariamente, Braide ainda tem conservadores e bolsonaristas em sua base, eleitorado que Duarte não quer dispensar e que Yglésio busca aproximação

Com cerca de 25% do eleitorado de São Luís fidelizado – segundo pesquisas do ano passado, quando ainda não era necessário o registro na Justiça Eleitoral – o espectro político formado pela chamada direita conservadora e pelo bolsonarismo – que reúne os mais radicais  – não conseguiu ainda se identificar com nenhum dos candidatos a prefeito na capital maranhense. 

Enquanto a chamada esquerda e o campo lulista têm como candidatos o ex-vereador Fábio Câmara (PDT) e do deputado federal Duarte Jr. (PSB) – que também flerta com bolsonaristas – a direita conservadora e extremista se divide entre o prefeito Eduardo Braide (PSB) e os deputados estaduais Dr. Yglésio (PRTB) e Wellington do Curso (Novo).

Yglésio já assumiu-se bolsonaristas e tenta atrair para o seu palanque a família do ex-presidente, na tentativa de tornar-se a opção deste eleitorado e desbancar Duarte Jr. da vaga no segundo turno; Duarte, por sua vez, apesar de se apresentar como candidato lulista, tem em sua coligação o PL, partido do próprio Bolsonaro, a quem se declarou aliado nas eleições de 2020.

O eleitor da direita também está na base do prefeito Eduardo Braide (PSD), único candidato que não se identifica com nenhum campo político, nenhum partido, nenhum grupo político, nenhuma ideologia, nenhum conceito doutrinário ou programático.

Apesar de filiado ao Novo, o deputado Wellington do Curso ainda não concebeu em sua campanha a ideia de esquerda e direita; e pretende passar ao largo deste debate na campanha.

Mas o fato é que, queiram ou não candidatos e eleitores, a polarização política nacional entre o presidente Lula (PT) e o ex-presidente Bolsonaro (PL) ainda terá forte influência nestas eleições municipais.

Até por que o resultado deste pleito tem relação direta com as eleições de 2026…

0

Partidos de Lula e de Bolsonaro unidos contra Sérgio Moro…

PT e PL anunciaram recurso ao Supremo Tribunal Federal no processo que pede a cassação do senador paranaense – responsável pela prisão do atual presidente e ex-ministro do ex-presidente – o que atende a interesses de ministros desafetos do ex-juiz

 

Sérgio Moro se vê enroscado entre ações do PL, de Bolsonaro e do PT, de Lula, que querem seu mandato no TSE

O PT, do atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o PT, do ex-presidente Jair Bolsonaro, anunciaram que vão recorrer ao Supremo Tribunal Federal da decisão do TRE-PR que livrou o atual senador Sérgio Moro (Podemos) da cassação do mandato por abuso de poder econômico nas eleições de 2022.

Ex-juiz federal, Moro foi o responsável pela condenação e prisão de Lula em 2018, o que tirou o petista da eleição vencida por Bolsonaro; depois, o ex-magistrado assumiu o Ministério da Justiça, mas se afastou do governo cerca de um ano depois.

O PT e o PL estão juntos na ação contra Moro desde o resultado das eleições de 2022, quando ele se elegeu senador pelo Paraná; a posição do PT tem o aval de Lula, mas o PL age contra vontade de Bolsonaro.

No TSE, Moro tem mais chances de perder o mandato, já que tem desafetos entre os ministros dos tribunais superiores.

Alguns deles, inclusive, com atuação na Justiça Eleitoral…

0

Família Bolsonaro vai mesmo apoiar Yglésio em São Luís…

Espécie de porta-voz do ex-presidente, o senador Flávio Bolsonaro declarou em vídeo – além de criticar o posicionamento do PL maranhense – que o agora candidato do PRTB representa o pensamento da família no Maranhão; ele pediu apoio dos eleitores bolsonaristas ao deputado

 

Yglésio com Flávio Bolsonaro; candidato do PRTB quer reunir em torno de si a família do ex-presidente e os eleitores da direita bolsonarista e conservadora

O pré-candidato do PRTB a prefeito, deputado estadual Yglésio Moyses, vai mesmo ter o apoio da família do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) à sua candidatura em São Luís.

A primeira manifestação do clã bolsonarista foi feita nesta terça-feira, 9, pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), que funciona como uma espécie de porta-voz político do ex-presidente; Em Brasília dede segunda-feira, 8, Yglésio reuniu-se com o Bolsonaro zero1, que gravou vídeo pedindo apoio à sua candidatura.

– O Yglésio representa, sim, o nosso pensamento em São Luís – disse o senador carioca; o pré-candidato do PRTB deve divulgar o vídeo ao lado de Flávio em suas redes sociais ao longo desta quarta-feira, 10.

Além de pedir apoio dos bolsonaristas ludovicenes à candidatura de Yglésio, Flávio Bolsonaro também criticou o posicionamento do PL maranhense, que deve figurar na coligação do deputado federal Duarte Jr. (PSB).

– Lamento que o PL do Maranhão tenha tomado um posicionamento equivocado – disse o filho de Bolsonaro.

Ao longo da campanha, Yglésio deve receber manifestações de apoio de outros membros da família Bolsonaro, incluindo a ex-primeira-dama Michele e o próprio ex-presidente, que podem, inclusive, vir a São Luís.

Com esses apoios, Yglésio espera alcançar os 25% dos votos bolsonaristas da capital.

E somá-los aos da direita conservadora…

0

Com articulação de Josimar, Paulinho e Catulé seguem alcançando apoios em Caxias

Base política do deputado federal do PL está na campanha do candidato do partido a prefeito de Caxias, que reúne diversos outros deputados federais, vereadores e lideranças políticas do município, liderando a oposição ao grupo do prefeito Fábio Gentil

 

Centenas de correligionários de Josimar e Detinha participaram, do encontro com Paulinho e Catulé Jr. Em Caxias, na semana da Páscoa

O deputado federal Paulo Marinho Jr. (PL) e um de seus principais aliados políticos em Caxias, ex-secretário Catulé Jr. (PP) seguem firmes na articulação de apoios para o enfrentamento ao grupo do prefeito Fábio Gentil (PRB).

Na semana passada, Paulinho e Catulé reuniram centenas de pessoas ligadas à base do deputado federal e presidente do PL no Maranhão, Josimar Maranhãozinho, e sua esposa, Detinha, também deputada, numa demonstração de força política.

– Com a participação dos deputados federais Josimar Maranhãozinho, Detinha, e do meu amigo Catulé Junior, pudemos conversar com parte da nossa base de apoio e transmitir nossa mensagem de prosperidade, solução de problemas e comprometimento com Caxias – afirmou Paulo Marinho.

Observado por Josimar e Paulo Marinho Jr., Catulezinho discursa para a base de apoio do PL em Caxias

O encontro ocorreu  logo após distribuição de pescados às comunidades mais vulneráveis de Caxias, e serviu par avaliação da pré-campanha até este momento.

– Assim que terminamos a distribuição de peixes, realizamos uma grande reunião política para avaliar o trabalho e discutir o momento difícil pelo qual nossa cidade está passando – explicou o pré-candidato do PL.

Além de Josimar e Detinha, Paulo Marinho Jr. reúne em seu palanque vários outros deputados federais e diversos partidos em sua coligação…

0

“Minha restrição ao PL é por ser o partido de Bolsonaro”, declara Felipe Camarão

Vice-governador do Maranhão e coordenador da campanha do deputado federal Duarte Jr. em São Luís mostra pensamento diverso do candidato a prefeito e revela ao blog Marco Aurélio d’Eça que pretende uma aliança no campo progressista para a disputa na capital maranhense e em todos os municípios onde seu grupo estiver à frente das campanhas

 

Felipe Camarão quer a chapa de Duarte no campo de centro-esquerda, base do presidente Lula, mas o candidato a prefeito insiste em manter relações com o PL de Jair Bolsonaro

O vice-governador Felipe Camarão (PT) divergiu do seu candidato a prefeito de São Luís, Duarte Jr. (PSB), que não consegue se livrar da aliança pessoal que mantém com o deputado federal Josimar Maranhãozinho, presidente do PL, partido do presidente Jair Bolsonaro no Maranhão.

Duarte vai disputar a prefeitura por uma aliança que envolve todos os partidos da base do presidente Lula (PT) em São Luís, mas demonstra que não pretende se afastar do PL de Josimar, como revelou este blog Marco Aurélio d’Eça no post “Duarte repete em 2024 erro que tirou 2º lugarde Weverton em 2022…”.

– Não defendo união com políticos da extrema direita. Pessoas que são expressa e declaradamente Bolsonaristas, que defendem armas, que massacraram o Lula e que ofendem o PT diariamente; quanto ao PL de forma específica, minha restrição não é ao Josimar, pessoalmente, mesmo por que ele e outros do PL estão votando a favor das pautas do presidente Lula no congresso – afirmou Camarão, em conversa exclusiva com este blog Marco Aurélio d’Eça.

Ligado por questões extra-políticas ao deputado Josimar Maranhãozinho – segundo o próprio deputado federal do PL – Duarte Jr. quer incluir o partido de Bolsonaro na aliança progressista que será coordenada por Felipe Camarão, mesmo com a restrição do vice-governador e com o alerta do seu marqueteiro para que se afaste do bolsonarismo.

Felipe Camarão deixa claro que sua restrição não é a Maranhãozinho – que, segundo o vice-governador, tem votado a favor de Lula em Brasília – mas a Bolsonaro, seus filhos, e a Valdemar da Costa Neto, presidente nacional do PL.

– Penso que os eleitores podem não compreender bem, assim como eu, uma aliança de uma frente ampla de centro esquerda com o partido do Bolsonaro – reflete Felipe Camarão, mesmo entendimento que tem o marqueteiro Manoel Canabarro, responsável pela campanha de Duarte Jr.

Felipe Camarão disse que vai atuar diretamente, não apenas em São Luís, mas em todos os municípios que estiverem sob sua coordenação, para que as alianças contemplem o campo progressista, com eventuais alianças ao centro.

– Minha defesa é para que tenhamos candidaturas progressistas em todas as cidades. Do campo da esquerda e de centro esquerda, mas claro com abertura para apoios de partidos do centro. Isso é normal. Tanto que teremos boas parcerias com PP e União Brasil , por exemplo – explicou.

Coordenados pelo ministro dos Esportes André Fufuca, e pelo deputado federal Pedro Lucas Fernandes, PP e União Brasil são hoje aliados de Lula, do governador Carlos Brandão (PSB) e do próprio PT no Maranhão.

O que não é o caso do PL de Josimar Maranhãozinho…

0

Duarte Jr. repete em 2024 erro que tirou 2º lugar de Weverton em 2022…

Apesar do alerta de seu marqueteiro e da resistência dos seus aliados no PT e na esquerda, pré-candidato do PSB a prefeito de São Luís insiste em manter diálogo com o PL bolsonarista; e chega a dizer que, para o eleitor, “importa são os resultados”; postura “furta-cor” tirou do senador pedetista – que se dizia aliado de Lula, de Ciro Gomes e de Bolsonaro – o segundo lugar nas eleições para o Governo do Estado, em 2022

 

Com origem na direita, Duarte Jr. aproximou-se de Lula com articulação de Flávio Dino e de seus aliados no PT e no PCdoB, mas só a partir de 2022

Análise da notícia

O deputado federal Duarte Jr. assumiu nesta terça-feira, 2, em entrevista a uma emissora de TV repercutida no blog Marrapá, uma postura que o próprio senador Weverton Rocha (PDT) reconhece ter sido seu principal erro  nas eleições de 2022; filiado ao PSB, com apoio do PT e de toda a esquerda da base do governo Lula (PT), Duarte quer em seu palanque, mesmo assim, o PL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

Na entrevista desta terça-feira, Duarte chegou a declarar: “o que importa são os resultados”.

– É claro que você tem um político de preferência, tem gente que apoia o Lula, tem gente que apoia o Bolsonaro; mas eu tenho certeza que quem está em casa, o que mais quer é a resolução dos seus problemas. Essa discussão, essa polarização eu acho que não faz o menor sentido” – disse Duarte, sem assumir sua própria preferência. (Leia aqui)

Essa mesma postura furta-cor foi adotada pelo senador Weverton Rocha nas eleições de 2022.

Filiado ao PDT de Ciro Gomes, aliado ao PT de Lula e com o PL bolsonarista em sua coligação, o senador não se definiu por nenhum candidato a presidente e acabou amargando o terceiro lugar na disputa pelo governo; hoje, o próprio Weverton reconhece ter sido este o seu principal erro.

O debate sobre a relação de Duarte Jr., ao mesmo tempo, com o PT de Lula e com o PL de Bolsonaro, começou quando este blog Marco Aurélio d’Eça revelou, com exclusividade, que o seu marqueteiro, Manoel Canabarro, desaconselhou a presença do PL bolsonarista em seu palanque; na reunião com Duarte, Canabarro usou o exemplo do próprio Weverton.

Esta posição anti-bolsonarista tem sido adotada também pelo vice-governador Felipe Camarão, filiado ao PT e futuro candidato de Lula nas eleições de 2026; Camarão é hoje o coordenador-geral da campanha de Duarte Jr.

Origem na direita

A relação de Josimar com Duarte vai além da questão político-ideológica, como afirma o próprio deputado bolsonarista

Mas embora tenha surgido na política pelas mãos do ex-governador Flávio Dino, Duarte Júnior sempre foi, conceitualmente, mais vinculado à direita.

Em 2020, quando disputou a prefeitura pelo PRB, ele chegou a declarar-se, orgulhosamente, em vídeo que rodou todo o primeiro turno, pertencer ao “partido do 10, partido de Bolsonaro”. No segundo turno, Dino assumiu a campanha e o afastou do bolsonarismo.

Esta história também foi retratada neste blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Apoiado por Flávio Dino, Duarte declara: “sou do partido de Bolsonaro…”.

Mas a relação com o presidente regional do PL e colega Josimar de Maranhãozinho – que este próprio define como “pessoal, mas do que política” – se manteve, sobretudo após Duarte se eleger deputado federal.

Esta relação, que perpassa a linha ideológica e incide também na relação com o governo federal e com as emendas parlamentares, mantém o vínculo entre o deputado socialista e o proto-bolsonarista.

Mas esta é uma outra história…

0

Aldir Júnior diz não haver impeditivo – no PL – para apoiar Duarte Jr…

Presidente municipal do partido em São Luís, vereador diz que há autonomia dos diretórios estadual e municipal para discutir a política de alianças, independentemente das questões nacionais, e anunciou que a decisão será tomada até o final do mês de maio

 

Para Aldir Júnior, não h´[a restrições do PL à aliança com Duarte Jr.; não é o que pensa o petista Felipe Camarão e os lulistas da chapa

O presidente municipal do PL, vereador  Aldir Jr., negou nesta segunda-feira, 1º, em entrevista ao programa Ponto Continuando, da 92,3 FM, qualquer tipo de impeditivo à uma eventual aliança ente o partido e o pré-candidato do PSB em São Luís, Duarte Jr; segundo Aldir, essa decisão do PL será tomada até o final de maio.

–  Não existe nenhum impeditivo para caminharmos com Duarte – afirmou o vereador. 

Este blog Marco Aurélio d’Eça publicou em 19 de março post exclusivo revelando que o marqueteiro Manoel Canabarro, que vai comandar a campanha de Duarte Jr., aconselhou o afastamento do PL bolsonarista; a presença do vice-governador  petista Felipe Camarão como coordenador da campanha de Duarte também deve afastar o partido do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Mas para os liberais, a questão da política nacional não interfere nas alianças municipais ou estaduais do partido.

– Independentemente de questões políticas, partidárias e ideológicas, temos autonomia para definir qual nome iremos apoiar – afirmou Aldir Jr.

Só precisa combinar com petistas, lulistas e comunistas que estão na campanha de Duarte…