2

Sebrae tenta explicar prêmio ao ex-prefeito Luiz Fernando Silva…

Serviço de apoio às pequenas e médias empresas diz que não avalia gestões, mas apenas projetos que influenciem o empreendedorismo nos municípios; mas se equivoca ao agredir profissionais que acham estranho premiação a alguém que nem é mais prefeito

 

GESTORES REUNIDOS NO PRÊMIO SEBRAE; dedicação a quem sequer teve a coragem de assumir os problemas do seu município

O Sebrae-MA encaminhou ao blog Marco Aurélio D’Eça “Nota de Esclarecimento” em que explica a premiação ao ex-prefeito de São José de Ribamar, Luiz Fernando Silva (PSDB).

Este blog criticou prêmio dado ao ex-prefeito de São José de Ribamar, Luiz Fernando Silva, que nem mais é prefeito do município. (Releia aqui)

– O prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor não avalia gestões municipais e sim projetos voltados para estimular ou beneficiar pequenos negócios nos municípios – diz a nota.

Mas o Sebrae se equivoca ao repudiar o que chama de “profissionais de imprensa tem tentado transformar uma iniciativa de caráter técnico em fato político”.

Mão existe nenhum “profissional de imprensa” tentando denegrir premio algum. Existe uma crítica aberta do blog Marco Aurélio D’Eça a um prêmio dado a alguém que sequer teve a coragem de enfrentar os problemas do município que o elegeu.

O blog Marco Aurélio D’Eça reafirma a crítica a uma premiação a alguém que sequer é prefeito atualmente.

Abaixo, a nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em atenção à matéria intitulada “O ‘berço esplêndido’ de Luís Fernando Silva”, publicada por este Blog, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA) esclarece, sobre a 10ª edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, o que segue abaixo:

O Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor (PSPE) é concedido a prefeitos municipais que tenham implementado projetos com resultados comprovados de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento dos pequenos negócios, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico, ambiental e social do município.

O PRÊMIO SEBRAE PREFEITO EMPREENDEDOR NÃO AVALIA GESTÕES MUNICIPAIS E SIM PROJETOS VOLTADOS PARA ESTIMULAR OU BENEFICIAR PEQUENOS NEGÓCIOS NOS MUNICÍPIOS. Cada prefeito vencedor foi premiado por ações específicas em uma determinada área, em que comprovou, por meio de evidências devidamente auditadas, os resultados alcançados em benefício dos pequenos negócios.

A 10ª edição da etapa nacional do PSPE contou com a participação de sete prefeitos maranhenses, que já haviam sido premiados na etapa estadual, realizada no ano passado. Dos sete gestores maranhenses dois deles foram agraciados com o prêmio máximo da categoria a qual concorreram, recebendo o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor – Etapa Nacional especificamente na categoria em que defenderam seus projetos.

A participação no prêmio dependeu da iniciativa dos próprios gestores municipais e o Sebrae-MA nunca cobrou – e nem cobrará – nenhum valor pela inscrição e, muito menos, seleção de projetos, que são de responsabilidade dos gestores municipais.

O SEBRAE repudia a atitude de profissionais da imprensa que tem tentado transformar uma iniciativa de caráter técnico em fato político, sobretudo porque a instituição não desenvolve suas ações pautada em posicionamentos político-partidários, mas, em políticas públicas que beneficiam as micro e pequenas empresas no Maranhão.

Todas as informações sobre o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, incluindo o Regulamento – onde constam todos os critérios observados pelos avaliadores – estão disponíveis no site http://www.prefeitoempreendedor.sebrae.com.br/.

O Sebrae reafirma seu compromisso em promover a cultura empreendedora de forma ética e transparente, e coloca seus porta-vozes à disposição de todos os profissionais de imprensa que buscam desenvolver seu trabalho noticiando fatos de forma isenta como a sociedade maranhense merece.

0

Sabatina O Estado: Maranhão desenhado…

E o que ficou nesses seis dias de programa é a visão de um Maranhão que não avançou e precisa ser recolocado nos trilhos do diálogo, dentro de um ambiente de liberdade, para voltar a ter perspectivas de desenvolvimento

 

Ramon Zapata classificou de “farsa” co programa Escola Digna

Encerrada ontem com todo o sucesso esperado, a Sabatina O Estado com os candidatos a governador do Maranhão apontou o norte que deverá ser tema de debates no decorrer da campanha eleitoral.

Do início – com Ramon Zapata (PSTU) – ao desfecho – com Roseana Sarney (MDB) – as entrevistas conseguiram revisitar o passado, analisar o presente e projetar o futuro político do Maranhão em todas as suas nuances políticas, o que nem mesmo o hiato da fuga do governador Flávio Dino (PCdoB) conseguiu impedir que saltassem aos olhos.

Odívio Neto revelou que 40% dos professores têm contrato precário

E o que ficou nesses seis dias de programa é uma visão de um Maranhão que não avançou e precisa ser recolocado nos trilhos do diálogo, dentro de um ambiente de liberdade, para voltar a ter perspectivas de desenvolvimento.

A cadeira vazia de Flávio Dino expressa o momento do Maranhão: sem diálogo e com autoritarismo

Os candidatos Ramon Zapata e Odívio Netto (PSOL) optaram por analisar o Maranhão pelo aspecto da Educação.

Roberto Rocha desenhou um Maranhão pelo viés econômico; “indústria do medo” se sobressaiu

E tiveram a contribuição da emedebista Roseana para um diagnóstico sombrio: o projeto atual “é uma farsa” – palavras de Zapata -, apenas 20% dos professores têm salário considerado de nível nacional e 40% da categoria vive com contratos precários e salários reduzidos.

O senador Roberto Rocha buscou o elemento econômico para estabelecer que “a única indústria que cresceu no Maranhão foi a do medo”.

Maura Jorge desenhou o governo Flávio Dino como “um grande engodo” no Maranhão

Neste aspecto, Maura Jorge (PSL) apontou o atual governo como “um grande engodo”.

Roseana também contribuiu nesse discurso ao desenhar um governo “perseguidor” não apenas de políticos, mas de empresários, comerciantes e trabalhadores.

Roseana : “fim dos programas sociais” aumentou número de pobres

Para rebater esses argumentos e contrapor os números apresentados, ao comunista que ora ocupa o Palácio dos Leões foi oferecido o mesmo espaço de tempo, com as mesmas regras e o mesmo tom, mas ele preferiu ignorar, dar de ombros, fugir.

Perdeu, portanto, a chance de convencer, o que se torna mais difícil quando se vê cinco argumentos contrários.

E esquivar-se não vai adiantar…

Da coluna Estado Maior

4

A covardia comunista e o desrespeito ao Judiciario…

Em texto brilhante, jornalista Linhares Júnior expõe a vilania das hordas comunistas que guerreiam com o nada em nome do poder, numa postura de vilania típica dos bárbaros sem causa e sem propósito

 

Por José Linhares Jr.

Jornalista

Em tempos que se discute exaustivamente o feminicídio  e o machismo, a juíza Anelise Reginato está tendo sua reputação assassinada na internet. 

A motivação? Após ouvir gravações e fotos em que a máquina do governo foi flagrantemente usada nas eleições de 2016 para manipular eleições, ela decidiu culpar os envolvidos. 

Notícias falsas, fotos forjadas e ilações maldosas visam destruir Anelise para que sua sentença contra Flávio Dino, um dos sentenciados, caia em descrédito.

Sua família está passando por uma situação infernal. Os relatos sobre a agonia de pessoas inocentes são os mais absurdos.  Estão fazendo uma devassa na vida da juíza. Jagunços virtuais plantam fake news diariamente contra ela. 

Isso correto? 

A sentença não é definitiva, cabem inúmeros recursos em inúmeras instâncias.

Flávio Dino tem influência no Judiciário e, se for mesmo inocente do crime de usar dinheiro público para eleger aliados nas eleições de 2016, vai ser inocentado.

Caso o governador realmente ache que a juíza agiu com má-fé, que a processe e/ou acione no Conselho Nacional de Justiça.

O que não é admissível é essa campanha de destruição da imagem de uma juíza, de uma mulher.

O que não é admissível é o terrorismo que se faz contra toda uma família. 

Isso não é apenas covardia contra uma mulher, é um desrespeito contra o Judiciário e contra o povo maranhense.

3

A covardia de Flávio Dino…

Sempre que acossado em seus malfeitos pelo deputado Wellington do Curso, governador comunista insinua ligação do parlamentar com criminosos, numa cretinice digna dos totalitários

 

As truculentas blitzen da CPRV do governo Flávio Dino; isso é criminalidade

A agressão covarde do governador Flávio Dino (PCdoB) contra o deputado estadual Wellington do Curso (PP) é uma agressão não apenas ao parlamentar, mas a toda a sociedade maranhense.

Wellington tem travado uma cruzada contra o autoritarismo e a truculência do batalhão de polícia rodoviária, criado por Flávio Dino para aumentar a arrecadação de IPVA e fazer caixa para gastar com o aparelhamento do estado.

Sem argumentos para defender a truculência de seu batalhão, o governador apela para a covardia.

– Muito empenho de alguns políticos em combater ações policiais sérias no Maranhão que estão reduzindo a criminalidade. Fico preocupado se não estão a serviço de facções criminosas. Infelizmente este tipo de infiltração acontece no Brasil – disse o covarde Flávio Dino, em suas redes sociais.

Mas não é a primeira vez que Dino e seus asseclas tentam criminalizar a atuação parlamentar combativa de Wellington do Curso.

Durante a campanha de 2016, o lugar-tenente do governador, secretário Márcio Jerry, também insinuou que Wellington estava a serviço de criminosos, quando o parlamentar apoiou movimento na praça Pedro II. (Saiba mais aqui)

Numa covardia digna dos regimes totalitários, como o implantado no Maranhão…

4

A máquina de Flávio Dino e a inoperância dos adversários…

Comunista mostra força eleitoral com aliados do peso de um prefeito de São Luís, dos presidentes da Assembleia e da Famem e da maioria da bancada federal e estadual, enquanto a oposição se mostra letárgica com Roseana Sarney indefinida, Roberto Rocha de férias e Eduardo Braide se omitindo do debate

 

Além de mobilizar partidos, Dino assume, com exclusividade entre os candidatos, a defesa de um Lula cada vez mais popular

Editorial

A batalha começou assim que o ano começou; e pela força demonstrada pelos guerreiros em campo, parece que, assim como em 2014, será desigual.

Diante de adversários absolutamente inseguros do próprio projeto, amedrontados com a possibilidade de perder a eleição e alguns desinteressados do processo, o governador Flávio Dino (PCdoB) vai ocupando todas as trincheiras.

O comunista conseguiu unificar a estratégia de seus generais e tem agora em campo lideranças do peso do prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT); do presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), e do presidente da Famem, Cleomar Tema Cunha (PSB).

São estes atores que mobilizam a maior parte dos prefeitos, dos deputados federais e estaduais, e das lideranças partidárias em torno do projeto de reeleição do comunista.

No outro lado do campo de batalha estão os adversários, que demonstram certa insegurança quanto ao próprio projeto de poder.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) ainda não se entusiasmou a ponto de mobilizar a massa de prefeitos oposicionistas; o senador Roberto Rocha (PSB) preferiu curtir as tradicionais férias de início de ano, deixando as questões políticas, como sempre, para depois.

E o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) parece tremer a cada menção de seu nome como opção ao governo.

Neste cenário, apenas o ex-secretário Ricardo Murad mostra-se disposto a enfrentar, de peito nu, e mesmo sem armas, a força comunista que começa a ser montada, em grande parte com meio mundo de sarneysistas desgarrados.

A visão que se tem deste cenário de guerra lembra muito o de 2014, quando o então queridinho do governo, Luis Fernando Silva (hoje ligado a Dino) acovardou-se na hora H e pulou fora do barco, deixando os sarneysistas na mão, em busca de um candidato de última hora.

Resta saber se, em 2018, a agora oposição terá um novo Edinho Lobão para o heroico papel de confrontar com estilingues um verdadeiro um arsenal de guerra.

É aguardar e conferir…

0

Vídeo do dia: a covarde agressão policial a um trabalhador…

Policial Militar agride repórter-fotográfico de O Estado, Paulo Soares, quando este exercia seu pleno direito de trabalhar na cobertura de ação da própria PM

 

O vídeo acima mostra claramente o ataque de um policial militar, na manhã desta segunda-feira, 6, ao fotojornalistas de O EstadoMaranhão, Paulo Soares, no momento em que o profissional de imprensa fazia cobertura de uma ação no João Paulo. A imagem mostra a agressão claramente, que a PMMA preferiu chamar, em letras garrafais, de “suposta agressão”. A covardia do policial foi repudiada pela Federação Nacional dos Jornalistas. A PM não divulgou o nome do agressor. Paulo Soares registrou ocorrência policial.

 

6

Ministério desmonta factoide de Flávio Dino contra Roseana…

Para desgastar a imagem da ex-governadora, comunista tenta ligá-la a fatos negativos para aumentar sua rejeição, única forma de reverter a vantagem que ela impõe nas pesquisas; mas a realidade desmonta as armações do Palácio

 

FACTOIDE DESFEITO. Recortes do documento enviado a Roseana: nenhuma acusação contra ela

O Ministério da Integração Nacional encaminhou na última segunda-feira, 18, o Ofício nº 441/2017-MI, que deixa claro não haver nenhuma investigação em curso contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), muito menos com relação às enchentes que assolaram o Maranhão em 2009.

– Adicionalmente, esclareço não ter sido o referido processo objeto de auditoria, nem constatar qualquer irregularidade a pessoa de vossa senhoria quando no exercício do cargo de governadora do estado do Maranhão – afirma o item 2 do Ofício, assinado pelo ministro Helder Barbalho.

O documento desfaz um factoide inventado pela mídia palaciana contra Roseana Sarney, mentira esta que teve a participação do próprio governador Flávio Dino (PCdoB). (Veja print abaixo)

COVARDIA. Fla´vio Dino tenta sensibilizar população com mentiras sobre caso de apelo social

COVARDIA. Flávio Dino tenta sensibilizar população com mentiras sobre caso de apelo social

Preocupados com o avanço de Roseana Sarney nas pesquisas – como constatou o Instituto Escutec no último domingo – a mídia alinhada ao Palácio dos Leões criou a história do processo contra ela por desvio de verbas das enchentes que assolaram 68 municípios maranhenses, em 2009.

Alguns blogs patrocinados pelo Palácio dos Leões chegaram a tentar vincular à Roseana, covardemente, a imagem do ex-ministro Gedel Vieira Lima, preso após descoberta de malas de dinheiro em seu apartamento.

Covarde também foi a declaração do próprio Flávio Dino, tentando sensibilizar a população com uma acusação que ele próprio já sabia mentirosa.

Mas a explicação para os ataques a Roseana está nas pesquisas.

Flávio Dino sabe que só conseguirá derrotar Roseana Sarney se conseguir elevar sua rejeição para os mesmos patamares de 2014, quando ele ainda era a novidade da mudança no Maranhão.

Como os números mostram que é exatamente a “mudança” que começa a ser rejeitada, o comunista não vê saída a não ser inventar mentiras contra a ex-governadora, usando sua mídia amestrada.

Mas Flávio Dino também sabe que mentiras têm pernas curtas.

E a prova é o documento do Ministério da Integração…

6

A intolerância de Flávio Dino e seus agentes…

Sob o comando do comunista, o Maranhão tornou-se um estado onde é proibido contrariar o chefe, sob pena de ser atacado, vilipendiado, ameaçado e agredido

 

O imaculado Dino: proibido contestá-lo

A ascensão do comunista Flávio Dino ao governo do Maranhão, a partir de 2015, criou no Maranhão um ambiente hostil e agressivo a quem ousa divergir do Palácio dos Leões.

Desde então, qualquer um que apresente qualquer tipo de dados que contrarie o chefão comunista é atacado em todos os aspectos de sua vida por um bando recrutado em diversos segmentos sociais, desde intelectuais até bandidos simplesmente, muitos bandidos.

Foi essa turba agressiva que partiu pra cima do empresário Fernando Júnior no fim de semana. Dono do Instituto Escutec, Fernando ousou divulgar números da corrida pelo governo que contrariam os interesses de Flávio Dino et caterva.

Para os agressores – que se aproveitam, sobretudo, do ambiente democrático da mídia – é crime dizer que Flávio Dino pode perder a eleição. Para o bando que gravita em torno do Palácio dos Leões, Flávio Dino é uma espécie de entidade, que deve permanecer imaculada, mesmo diante de todas as manchas do seu governo.

Felizmente, os números mostrados pela Escutec apontam que o Maranhão tem saída do labirinto de intolerância, autoritarismo e covardia em que se meteu há quase quatro anos.

Basta ter coragem para enfrentar esta situação…

2

E a polícia não está nem aí…

A imagem de gatinhos assassinados por um marginal que usou seus cães para matá-los chocou a opinião pública esta semana; mas a desmobilizada Delegacia do Meio Ambiente pouco – ou nada – fará para elucidar o caso

 

Gatos atacados por cães famintos, levados por u facínora da Areinha

Gatos atacados por cães famintos, levados por u facínora da Areinha

Houve um temo em que a Delegacia do meio Ambiente passou a existir, de fato, em São Luís.

Foi quando o delegado Sebastião Uchôa passou por lá. Apaixonado por animais, Uchôa deu sangue para solucionar caos de maus tratos, e acompanhava pessoalmente as denúncias. (Relembre aqui)

Mas Uchôa deixou a DEMA, e ela voltou a ser o que era: apenas mais uma delegacia qualquer. (Saiba mais aqui)

Por isso é que o defensores dos animais e os que fazem a proteção de vidas não devem esperar muito da chacina dos gatinhos do rio Bacanga, trucidados por cachorros famintos levados por um bandido da Areinha.

É impossível conceber até que policiais possam fazer rondas na comunidade para descobrir o desgraçado.

É lamentável que ainda existam pessoas capazes de uma atrocidade dessas.

E masi lamentável ainda é saber que não se tem ninguém a quem recorrer…

4

Apelo a Flávio Dino é a primeira traição de Edivaldo a Weverton…

Candidato do PDT passou o final de semana inteiro tentando convencer o governador a gravar vídeo de campanha, fato que, apenas minimizará o trabalho do líder pedetista feito até aqui em prol de sua eventual vitória

 

Edivaldo recebe, embasbacado, o braço de última hora de Flávio Dino

Edivaldo recebe, embasbacado, o braço de última hora de Flávio Dino…

Um dos grandes empecilhos políticos do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – o que incomoda, inclusive, o seu próprio pai – é o temor e a submissão que ele demonstra do governador Flávio Dino e do seu lugar-tenente, secretário Márcio Jerry (ambos do PCdoB).

Submissão esta que o presidente do PDT, deputado federal Weverton Rocha, vem tentando tirar, ou, pelo menos, amenizar, desde que Holandinha filiou-se ao partido.

E ninguém pode negar que o desempenho de Edivaldo nestas eleições – tanto o político quanto o eleitoral – deve-se, em quase 80% a ninguém menos que Weverton Rocha.

Foi Rocha quem aproximou Edivaldo de outros grupos políticos, conseguiu a montagem de uma gama de partidos em seu palanque, e chegou mesmo  apostar que poderia vencer a eleição no primeiro turno.

E tudo isso com a promessa do próprio Edivaldo de que iria se afastar de Flávio Dino no decorrer do processo e no pós-eleitoral, garantia esta testemunhada várias vezes pelo titular deste próprio blog.

A vitória no primeiro turno não veio, então Weverton arregaçou as mangas- sozinho, com seus aliados de outros partidos – indo literalmente ao campo pedir votos, enquanto o governador Flávio Dino se escondia atrás de uma neutralidade.

..Enquanto WEverton é que sai a campo, em busca de votos para salvar o mandato do prefeito

..Enquanto Weverton é que sai a campo, em busca de votos para salvar o mandato do prefeito

E o que fez Edivaldo Júnior?

Apelou a Flávio Dino até que conseguisse a entrada dele na campanha, a menos de seis dias do pleito – e já com as bases eleitorais prontas pelo PDT – e num momento em que apenas o desempenho pessoal do próprio Holandinha no debate pode ainda ter influência no processo.

O gesto de Edivaldo é uma espécie de primeiro aceno de traição do prefeito a Weverton Rocha, que construiu sua campanha do nada.

Mas Weverton Rocha não pode negar que foi alertado – inclusive pelo titular deste blog – de que Edivaldo não tinha capacidade alguma de se livrar da tutela de Flávio Dino e Márcio Jerry.

Se Edivaldo perder a eleição de domingo, todo o ônus da derrota será jogado nas costas do presidente do PDT e seu grupo; se vencer, o herói da salvação será Flávio Dino, gesto que, fatalmente, será demonstrado pelo próprio Edivaldo Júnior.

E Weverton Rocha, novamente, vai ter que recomeçar o zero…