4

A insegurança de Luis Fernando em relação a Gil Cutrim…

Incomparavelmente mais preparado que o ex-aliado – inventado por ele mesmo – prefeito de São José de Ribamar acaba tornando-se menor ao divulgar sua gestão com base apenas na anterior

 

CRIADOR E CRIATURA
Gil Cutrim foi cria de Luis Fernando

Não há nenhuma dúvida para qualquer maranhense médio de que o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), seja um dos gestores mais bem preparados do Maranhão.

Mas ele também carrega uma insegurança sem tamanho.

Insegurança esta reforçada na atual gestão, com releases e informações feitas apenas para comparar seu mandato ao do ex-prefeito Gil Cutrim (PDT).

Ora, foi o próprio Luis Fernando quem inventou Gil Cutrim como político; devia fazer a mea culpa pública, portanto, não comparações desmedidas.

Ao tentar diminuir a gestão do antecessor citando o pedetista em cada release encaminhado à imprensa, LF mostra-se político inábil, vaidoso e inseguro da própria capacidade.

E pra quem já foi cotado para ser governador do Maranhão, a postura acaba por alcançar a mediocridade.

É simples assim…

4

Assalto em plena manhã na Cohama; veja vídeo…

A falta de segurança pública em São Luís tem levado a episódios como a do vídeo acima. Uma mulher é roubada por dois homens gol prata,quando tentava entrar um local, em um ponto, próximo ao MAC Center, em plena manhã desta quinta-feira, 8. Os homens levam o celular e a bolsa da vítima, que fica desesperada, sem saber para onde ir.

2

Após assaltos, governo põe viatura no Jaracaty; mas só de dia?!?

Viatura da PM amanheceu hoje na região do Jaracaty; mas, e à noite?!?

Viatura da PM amanheceu hoje na região do Jaracaty; mas, e à noite?!?

Após os episódios de assaltos deste domingo, 4, na região do Jaracaty, por trás do Ceuma, o local amanheceu ncom uma viatura parada.

Dino: blabláblá retórico

Dino: blabláblá retórico

Mas é preciso entender que os assaltos ali, ocorrem, geralmente, na parte da noite, quando a área fica completamente desguarnecida. E são fundamentais as rondas policiais.

Nas redes sociais, os membros do governo tentam justificar a onda de violência e, principalmente o ato de a população estar a mercê de bandidos.

Em seu perfil no Twitter, o governador Flávio Dino (PCdoB) disse que vai corrigir o que chamou de “degraus” nas pontes da avenida Ferreira Gular, segundo ele, um dos fatores que facilitam os assaltos.

Portela: eles sempre sabem quem são...

Portela: eles sempre sabem quem são…

Dino também tenta se explicar que ainda não chamou os novos policiais, para aumentar o efetivo, por que “só tem nove meses de mandato”.

Mas foi o próprio Dino quem tentou dar a impressão, desde o início do governo, de que os PMs já estavam atuando, fato criticado várias vezes por este blog. (Relembre aqui, aqui e aqui)

O secretário de Segurança Jefferson Portela também se manifestou nas redes sociais.

Segundo ele, “um criminoso identificado como ‘pai ou orelha de rã’ é o líder do grupo de assaltantes do Jaracaty”. E garantiu: “serão todos presos”.

Enquanto o governo se justifica nas redes sociais, a população vai vivendo assustada, com medo até de sair de casa.

2

Pistolagem se espalha no Maranhão…

O vídeo abaixo mostra o covarde assassinato do jardineiro José Wilson da Silva, que trabalhava na casa do empresário Francisco Oliveira, em Codó. Fica claro a encomenda do crime, já que o bandido – covarde – fica na espreita, sem dar chances à vítima. É mais um crime de pistolagem que pipoca sem controle no interior do Maranhão. o vídeo foi publicado em primeira mão pelo Correio Codoense.

8

Caso Décio Sá: o risco do precedente

A sensação de impunidade é um dos efeitos nocivos  da não elucidação do caso Décio Sá.

Sociedade e bandidos esperam com a mesma ansiedade a resposta da polícia ao brutal assassinato.

Sem a apresentação de executores, mandantes e demais envolvidos, fica o simbolismo de que, no Maranhão, qualquer um que incomode pode ser executado sem maiores consequências.

Os bandidos que mataram Décio saberão que podem voltar a matar por que jamais serão pegos pela polícia.  Será estímulo para outros bandidos sentirem a mesma garantia.

E a sociedade viverá eternamente uma insegurança.

Jornalistas, políticos, sindicalistas, advogados, padres, pastores…qualquer um que ousar desafiar as estruturas criminosas pode acabar como Décio Sá.

É este o simbolismo que representa a falta de respostas da polícia.

Algo que não pode se tornar real…

21

Cúpula da Segurança perdeu as condições de continuar…

Comando da Segurança demonstrou fraqueza desde o início

Se o Governo do Estado tem alguma reação ao movimento de greve dos policiais e bombeiros militares, ela deve ser tomada imediatamente, sob pena de se tornar inócua diante do caos que pode se abater na sociedade.

Seja ela uma medida de força ou de negociação, não pode ser marcada pela claudicância.

Mas o governo também não pode mais ter à frente da Segurança os atuais dirigentes. Eles perderam as condições de seguir à frente do sistema – do secretário de Segurança ao comandante do Policiamento Metropolitano; do comandante da PM ao comandante dos Bombeiros.

Aliás, todos eles deveriam mesmo pedir para sair, uma forma de oxigenar a Segurança Pública e garantir o moral da tropa após o incidente que ora se vive.

Quanto à greve, a ação do governo deve ser imediata.

Se for para prender os manifestantes, que faça logo. Se for para negociar reajuste salarial nas bases que entende justa para ambas as partes, que faça logo tambén.

O risco de uma onda de criminalidade é iminente e a Força Nacional, por maior boa vontade que possa ter, não está preparada para ações urbanas como as vividas no dia-dia das grandes cidades.

Esta é a situação em que está a sociedade.

E os responsáveis estão de um lado e de outro…

27

Globo chama de “baderna” movimento dos PMs…

Grevistas ocupam Assembléia

O programa “Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, classificou hoje de “baderna insuflada por radicalismos” a inusitada greve dos policiais e bombeiros militares, iniciada desde ontem à noite, no Maranhão.

O comentaria de Segurança da emissora, Rodrigo Pimentel, ex-capitão do Bope-RJ, usou o mesmo argumento já usado por este blog para falar sobre a paralisação.

 – É muito justa a reivindicação salarial da PM. Mas os militares não podem se sindicalizar. Sem isso, caem nas mãos de radicais. Lidera o movimento, aquele que grita mais no carro de som. É lamentável a opção pela baderna – afirmou Pimentel.

Ele lembrou que movimentos de intimidação como estes já ocorreram em Minas Gerais, Ceará e Rio de Janeirio, mas todos foram sufocados pelo governo.

Na tentativa de garantir a segurança da população, o governo maranhense convocou a Força Nacional e o Exército, que estão nas ruas desde ontem.

Os grevistas estão desde ontem na área externa da Assembléia Legislativa e ameçam ocupar o plenarinho da Casa.

E ameaçam só sair de lá quando os deputados incluirem suas reivindicações na proposta orçamentária…