0

Alianças fortalecem Wellington…

Candidato do PP atrai grandes partidos da coligação de Edivaldo Júnior e passa a ter um dos maiores tempos na propaganda eleitoral

 

WC com Roberto Rocha, André Fufuca, Cláudio Trinchão

Wellington do Curso com Roberto Rocha, André Fufuca, Jorge Arturo e membros do PP, PHS e PSB

O candidato do PP a prefeito de São Luís, Wellington do Curso, conseguiu fortalecer sua coligação na reta final do prazo das convenções partidárias, e deve chegar à campanha eletrônica com um dos maiores tempos na propaganda eleitoral.

Já estão confirmados na aliança o PSD e o PSB, que, juntos com o PP somam mais de 1 minutos e 40 segundos.

Wellington pode confirmar também o PV, o PRP e o PHS até sexta-feira, 5, quando realiza convenção, na Assembleia Legislativa, a partir das 9h, o que pode elevar seu tempo no horário eleitoral para mais de 2 minutos.

A coligação fortalece a candidatura do deputado estadual , que disputa com Eliziane Gama (PPS) e Edivaldo Júnior (PDT)  uma vaga no segundo turno das eleições em São Luís.

3

PCdoB vai indicar vice de Holandinha e PSB já acena para Wellington do Curso…

Professor Júlio Pinheiro já foi sondado pelos comunistas para compor a chapa do prefeito; partido do senador Roberto Rocha já até conversou com outros candidatos sobre a possibilidade de composição com o deputado do PP

 

Pinheiro com membros do PCdoB no Itaqui-Bacanga

Pinheiro com membros do PCdoB no Itaqui-Bacanga

A disputa do PSB e do PT pela vaga de vice  do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) levou a coordenação da campanha a devolver ao PCdoB a prerrogativa de ocupar o posto.

E o nome no PCdoB já está até definido: o professor Júlio Pinheiro, do Sindicato dos Professores.

A decisão, que deve ser anunciada nos próximos dias deve levar o PSB a recuar no apoio ao prefeito de São Luís.

No fim de semana, o senador Roberto Rocha intensificou as conversas com o deputado Wellington do Curso (PP).  Rocha chegou até mesmo a sondar outros candidatos, como Fábio Câmara (PMDB), na tentativa de atrair mais partidos para Wellington.

O PSB realiza convenção no dia 3 de agosto.

E não se descarta surpresas na composição das chapas em São Luís.

É aguardar e conferir…

3

Holandinha entre a chapa “Jardim de Infância” e a chapa “Peso Morto”…

Indicação do PSB e do PT para compor com o prefeito de São Luís ganharam apelidos pitorescos nas redes sociais, levando em consideração o perfil de cada um dos indicados

 

bobrocha

A chapa dos Jr’s: inexperiência na face

O prefeito Edivaldo Júnior (PDT) fez um esforço hercúleo nas últimas semanas para manter sua base de partidos unidas até a convenção.

Valeu até pesquisa com resultado comemorado cinco dias antes de ir às ruas.

E neste esforço para se manter competitivo, ele tem que se decidir entre duas indicações para compor sua chapa; indicações que não têm repercutido de forma positiva na mídia.

De uma lado está o vereador Roberto Rocha Júnior, indicação do PSB.

A chapa dos Júnior's: inexperiência na face

Macieira: “peso morto” eleitoral

O próprio pai do parlamentar, senador Roberto Rocha, chamou a chapa carinhosamente de “chapa Júnior & e Júnior”; mas o apelido que pegou mesmo nas redes sociais foi “chapa “Jardim de Infância”, por causa da característica dos dois Júnior’s: de pouca idade e falta de experiência.

Do outro lado está o ex-presidente da OAB-MA, advogado Mário Macieira, indicação do PT.

A composição já ganhou o apelido de “Chapa Peso Morto”. Mas o epíteto não se relaciona ao tamanho do indicado. Refere-se à sua quase inexistente força eleitoral na capital maranhense.

Aliados do prefeito se desdobram para evitar que as indicações possam desgastar ainda mais o já desgastado prefeito.

E já falam até em uma indicação de consenso.

Mas esta é uma outra história…

0

Roberto Rocha recebe Waldênio Souza e vereadores de São João dos Patos…

Roberto Rocha com as lideranças de São João dos Patos

Roberto Rocha com as lideranças de São João dos Patos

O senador Roberto Rocha recebeu, nesta quinta-feira, 21, em seu gabinete de São Luís, a visita do prefeito de São João dos Patos, Waldênio Souza (PMDB), dos vereadores Adelson Araújo Sousa (DEM), Magão (PMDB) e do presidente do PSB em São João dos Patos, o suplente de vereador Flávio Barbosa. Estiveram na pauta da reunião assuntos de interesse da região, eleições municipais e a convenção do PSB no município.

Participaram da conversa o assessor parlamentar Clodomir Paz e o suplente de senador Paulo Matos (PPS).

A visita ao senador acontece com o intuito de dar solidez às boas relações cultivadas em São João dos Patos, entre o PMDB e o PSB no município, que têm realizado várias ações em conjunto. A que alcança mais destaque são os mutirões de saúde coordenados por Flávio Barbosa, que tem garantido ä população patoense, centenas de atendimentos gratuitos nas mais diversas especialidades.

A frequência é de um mutirão a cada mês, só este ano já foram realizados cinco.

As bênçãos a essa aliança, dadas por Roberto Rocha, que é a principal expressão do partido socialista no Maranhão, acenam para o palanque de Waldênio, que é candidato à reeleição e tem obtido a aprovação da população como gestor.

0

Ações de Roberto Rocha garantem cerca de R$ 150 milhões para todo o Maranhão…

Rocha, em debate no Plenário do Senado

Rocha, em debate no Plenário do Senado

O Maranhão deve receber mais de R$ 150 milhões nos próximos anos, resultado de emendas feitas pelo senador Roberto Rocha ao Orçamento da União ou de projetos aprovados pelo governo federal por solicitação dele. Só no primeiro semestre de 2016 já foram empenhados ou pagos R$ 20 milhões.

O valor é repassado ao governo estadual e aos municípios para ser aplicado em diversas áreas como saúde, pavimentação urbana, saneamento e desenvolvimento sustentável local integrado.

Desse valor de 2016, R$ 13 milhões vêm de emendas feitas por Roberto Rocha aos Orçamentos da União de 2015 e 2016. A outra parte é de recursos extras na programação de ministérios em atendimento a solicitações do senador. R$ 5 milhões já foram transferidos aos cofres estaduais e municipais. Os valores empenhados estão garantidos no orçamento e serão liberados depois do período eleitoral.

Em um semestre foram R$ 11 milhões para a saúde, setor mais beneficiado, destinados à aquisição de equipamentos, reforma e adequação de prédios de hospitais e centros de atendimento especializados e um centro de diagnóstico. O senador também conseguiu o aumento do Teto Municipal da Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar do Estado do Maranhão para a alocação de recursos no serviço de oncologia do Hospital São Rafael.

Também há investimentos garantidos no esporte, turismo, educação, infraestrutura viária, desenvolvimento da agropecuária e recuperação de rios maranhenses. Entre eles a construção do complexo esportivo Praça da Juventude em Balsas e ampliação do serviço de recuperação da orla do rio Balsas, pavimentação de vias públicas em Barreirinhas e Tufilândia, estradas vicinais, construção de uma praça pública no bairro Vila São Francisco em Porto Franco e duas em Timon, no Centro e no bairro Cidade Nova, construção do pórtico turístico da entrada de Timon e aquisição de máquinas e equipamentos e veículos em Codó, Riachão e Porto Franco.

Tecnologia, meio ambiente e educação

Além de recursos para o investimento em obras e serviços de resultados diretos e imediatos para população, o senador Roberto Rocha também priorizou em suas emendas o repasse de recursos como a Universidade Federal do Maranhão, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos  Vales do São Francisco e Parnaíba).

Para Empbrapa, por exemplo, já foram empenhados R$ 600 mil para transferência de tecnologia desenvolvida voltada para a criação de um laboratório de alevinos, que pode desenvolver a criação de pescada amarela em tanques, como já é feito com a tilápia. A instituição receberá ainda recursos para a aquisição de equipamentos para uma Unidade de Beneficiamento de Pescados da MAPA e projeto de saneamento e abastecimento de água em Balsas. Roberto Rocha também atua no sentido de garantir junto ao governo federal a obra de recuperação ambiental da Lagoa da Jansen, em São Luís.

2

Roberto Júnior vai na contramão do pai e diz que o PSB ainda não tem posição sobre apoio a Holanidinha…ís…

Presidente municipal da legenda na capital maranhense, vereador diz que o interesse nacional é se fortalecer para 2018 e destaca que o apoio à candidatura do prefeito Edivaldo Júnior é fruto da simpatia pessoal do senador Roberto Rocha

 

Rocha Júnior, com Carlos Siqueira e Roberto Rocha: interesses locais, estaduais e nacionais a conciliar...

Rocha Júnior, com Carlos Siqueira e Roberto Rocha: interesses locais, estaduais e nacionais a conciliar…

O vereador Roberto Rocha Júnior abriu mais uma polêmica, na madrugada neste domingo, 17, ao comentar a situação do PSB nas eleições de São Luís em seu perfil no Facebook.

– Na condição de vereador da cidade, único eleito pelo partido, e principalmente de presidente municipal do PSB, sigo conversando com as diversas lideranças de São Luís, sem decisão ainda sobre candidatura própria ou coligação – revelou Rocha Júnior.

No post, publicado no final da noite de sábado, ele ressalta que a posição por apoio ao prefeito  Edivaldo Júnior (PDT) é apenas fruto da simpatia pessoal do seu pai, o senador Roberto Rocha.

E lembra que a direção nacional da legenda impõe que o PSB se fortaleça para 2018 – o que não seria o caso em uma eventual aliança com Holandinha.

– Carlos Siqueira quer que o PSB se fortaleça para as eleições presidenciais de 2018 – explica o vereador.

Rocha Júnior ressalta que continua trabalhando por um caminho que atenda os interesses municipais, estaduais e nacionais do PSB. E reconhece, ele próprio:

– Tarefa que não será nada fácil…

1

“Nunca conversei com a deputada para aliança com o PSB”, diz Roberto Rocha sobre Eliziane Gama…

Em entrevista ao jornal O EstadoMaranhão, senador revela também que não tem projeto para disputar as eleições de 2018 e nega qualquer conversa com o grupo Sarney para o pleito de daqui a dois anos

 

Rocha: nem conversa com Eliziane, nem projeto para 2018

Rocha: nem conversa com Eliziane, nem projeto para 2018

O senador Roberto Rocha (PSB) fez uma declaração polêmica em entrevista ao jornal O EstadoMaranhão, na edição do fim de semana, que começou a circular neste sábado, 16.

Eu nunca conversei com a deputada para uma aliança com o PSB. Eu conversei no sentido de ela se filiar ao nosso partido, o que seria uma honra para nós. Não houve recuo nenhum de minha parte. A decisão de declinar do convite foi da deputada, o que eu respeito e compreendo”, afirmou Rocha.

A revelação é polêmica por que, até então, entendia-se que Rocha e Eliziane vinham tratando sobre uma aliança para a disputa da Prefeitura de São Luís, como parte de um projeto maior, o de 2018.

Roberto Rocha confirmou indicação de que vai mesmo apoiar o candidato do PDT, Edivaldo Júnior, e quem foi vice até se eleger senador. O PSB deve, inclusive, indicar o vice do prefeito.

Temos vários nomes com capacidade e estatura para compor a chapa com o prefeito. Em política não se deve condicionar as ações, mas buscar confluências que sejam frutíferas para ambas as partes”, afirmou.

Na entrevista a O EstadoMaranhão, assinada pela subeditora de Política, jornalista Carla Lima, o senador maranhense faz outra revelação polêmica:

Não existe esse projeto de disputar as eleições de 2018. Interessante que todos os deputados, estaduais e federais, tem projetos de disputar eleições em 2018. Mas só falam em mim, justamente o único que não precisa de um projeto, pois meu mandato ultrapassa essa data. O que eu disse é que, na eleição de 2014, não houve nenhuma cláusula de condicionalidade em relação a 2018. Esse é o cenário, portanto em aberto para qualquer decisão, dependendo da dinâmica da política, que não é controlada por ninguém.

Neste ponto, Rocha faz uma revelação adicional, sobre supostas articulações com o grupo Sarney, também com vistas às eleições de 2018:

Não há nenhuma negociação minha com qualquer grupo político”, garante ele.

A entrevista de Roberto Rocha põe por terra tudo o que vinha se especulando até agora sobre seu projeto político.

E abre um cenário enorme para os contrapontos…

5

PSB vai apoiar candidatura de Edivaldo Júnior…

Senador Roberto Rocha decidiu em almoços separados, com Flávio Dino e com o prefeito, formar a coligação que terá o pedetista como cabeça de chapa; Bira do Pindaré vai anunciar desistência da candidatura

 

Após idas e vindas, Roberto Rocha reassume lugar na campanha de Edivaldo, ao lado de Flávio Dino

Após idas e vindas, Roberto Rocha reassume lugar na campanha de Edivaldo, ao lado de Flávio Dino

O PSB deve anunciar até o fim desta emana o apoio oficial à reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Apesar de ainda não anunciado, o martelo já foi batido pelo senador Roberto Rocha, principal liderança da legenda no Maranhão, e deve implicar na retirada imediata da candidatura do deputado Bira do Pindaré (PSB) em São Luís.

Segundo apurou o blog, Rocha fechou o apoio a Edivaldo – após quase dois anos de ‘namoro” com a candidatura da deputada Eliziane Gama (PPS), após reunir-se em almoço, sábado, com o0 governador Flávio Dino (PCdoB), e segunda-feira, 11, com o próprio Edivaldo Júnior.

Com a adesão do PSB, Edivaldo garante a repetição da mesma aliança com a qual disputou em 2012.

Só não está definido ainda o papel do PSB na chapa. O mais provável é que o vereador Roberto Júnior, filho do senador, seja indicado vice, questão que ainda pode gerar crises, uma vez que o PT garantiu esta prerrogativa por decisão do próprio Flávio Dino.

O papel de vice de Holandinha tem papel fundamental nas eleições de 2018, tanto para Flávio Dino quanto para Roberto Rocha.

Mas esta é uma outra história…

7

Consórcio de Flávio Dino pode consolidar PSB no palanque de Wellington…

Com a definição de que Edivaldo Júnior, Eliziane Gama, Eduardo Braide e Bira do Pindaré são candidatos do projeto comunista de poder, resta ao senador Roberto Rocha buscar o que o próprio governo definiu como “independente”

 

Andre Fufuca com Roberto Rocha: em busca de projeto não atrelado

Andre Fufuca com Roberto Rocha: em busca de projeto não atrelado

O movimento de xadrez do governador Flávio Dino (PCdoB) – que, por intermédio do seu lugar-tenente Márcio Jerry, construiu um consórcio de candidatos a prefeito atrelados ao Palácio dos Leões – pode levar, definitivamente, o senador Roberto Rocha, e o seu PSB, para o palanque do deputado Wellington do Curso (PP).

Roberto tentou levar a deputada Eliziane Gama (PPS) para o PSB no início do ano, o que não conseguiu exatamente pelo atrelamento da parlamentar ao projeto de poder de Flávio Dino.

Desde então, os dois se afastaram.

Leia também:

Mudança de rumo nas eleições de São Luís…

Eliziane Gama entre o mel e a cabaça…

Márcio Jerry reconhece independência de Wellington…

Eliziane vem tentando reaproximação com Rocha, mas a revelação de que ela se reuniu com Flávio Dino, feita pelo blog de Gilberto Léda, combinada com as declarações de Márcio Jerry de que ela é membro do consórcio dinista, acendeu a luz vermelha no gabinete do senador.

Segund0 apurou o blog, as reiteradas informações de que o PSB poderia apoiar o candidato Wellington do Curso (PP) não passavam de expressão de desejo do deputado federal Andre Fufuca, presidente do PP e aliado histórico de Rocha.

Mas a definição do consórcio, ainda segundo apurou o blog, levou Rocha a pensar com mais atenção neste projeto.

Afinal, foi o próprio Márcio Jerry – principal assessor do governador Flávio Dinon – quem definiu Wellington como o único dos candidatos  independente do Palácio dos Leões.

É aguardar e conferir…

6

Eleição de São Luís cada vez mais vinculada a 2018…

Com a imposição de Flávio Dino para que os petistas de São Luís sigam com Edivaldo Júnior, começa a se formar o campo desejado pelo comunista, com PT, PDT e PCdoB, de um lado; do outro, obrigatoriamente, devem estar PSDB, PPS e PSB – ou sucumbirão à história

 

Flávio Dino já escolheu o caminho para 2018: o PDT de Holandinha e Weverton e o PT, que se junta agora

Flávio Dino já escolheu o caminho para 2018: o PDT de Holandinha e Weverton e o PT, que se junta agora

O governador Flávio Dino – estratégica ou ingenuamente – atua para demarcar claramente os campos que ele pretende ter no embate eleitoral de 2018.

E atua fortemente para consolidar este quadro já agora, em 2016.

A definição da aliança do PT com o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) é uma articulação de Flávio Dino; com os três partidos, ele estabelece o cenário com o qual pretende atuar  na sua própria reeleição: uma coligação de esquerda que reúna, além do seu PCdoB, também o PT e o PDT. 

A estratégia dinista agrada os petistas por que repõe a legenda no jogo de poder maranhense, mesmo desgastada em âmbito nacional com os escândalos protagonizados na era Lula/Dilma.

Mas também agrada – e sobremaneira – o PDT, que sonha ocupar na chapa de Flávio Dino, em 2018, exatamente no papel que ocuparam em 2014 o PSB e, principalmente, o PSDB.

Mas a imposição de Flávio Dino para o PT e para Holandinha impõe também um outro movimento no xadrez eleitoral – além do desgaste natural do discurso de mudança do seu grupo experimentado nos últimos quatro anos.

Com a definição de que PT, PCdoB e PDT estarão num campo próprio nas eleições municipais, PSDB e PSB também terão que tomar, definitivamente, posição eleitoral em São Luís.

E para estas legendas – pela tomada de posição do próprio Dino – o caminho único é a formação de uma aliança própria, que divida os campos ideológicos já nas eleições de outubro.

E o tucanos que rezam na cartilha de Flávio Dino – como o vice-governador Carlos Brandão e o suplente de senador Pinto Itamaraty – também deverão tomar suas posições no jogo, o que implica, inclusive, uma troca de partidos até a eleição estadual.

O fato é que, de uma forma ou de outra, Flávio Dino vai conduzindo ele próprio – estratégica ou ingenuamente, repita-se – as preliminares de sua sucessão.

E caberá também a outros partidos como PMDB, DEM, PV e PTB tomar posição nas trincheiras.

Caso contrário, continuarão como meros coadjuvantes  também em 2018…