0

Edivaldo, Wellington e Yglésio correm contra o tempo em busca de partido…

Pré-candidatos a prefeito de São Luís têm menos de cinco meses para encontrar uma legenda que garanta suas candidaturas em 2024, mas esbarram, por um lado em vetos, por outro, em ações judiciais que devem chegar às últimas instâncias e impedem a transferência para outra agremiação

 

Eles até aparecem nas pesquisas, mas não têm nenhuma garantia de que continuarão na disputa pela Prefeitura de São Luís a partir de abril de 2024

O ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido) e os deputados estaduais Wellington do Curso (PSC) e Dr. Yglésio Moyses (PSB) têm menos de cinco meses para encontrar um partido que garanta a eles a condição de candidato a prefeito de São Luís.

Mesmo com seus nomes incluídos nas pesquisas, nenhum dos três tem garantias partidárias para ser candidato.

A situação deles – que não mudou nada em quase seis meses – foi retratada pela primeira vez ainda em junho pelo blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Os candidatos sem partido e os partidos sem candidatos…”.

Edivaldo não conseguiu abertura em nenhuma agremiação.

Tentou a Federação Brasil-Esperança, formada por PV, PT e PCdoB, mas foi vetado pelo ministro da Justiça Flávio Dino, que quer a trinca com o deputado federal Duarte Júnior (PSB).

Sem grupo político que o ampare e com histórico de abandonar quem trabalhou por ele, Edivaldo vê-se agora isolado e com pouco tempo de reação para entrar na disputa.

Wellington do Curso vive duas situações complicadas.

Além da falta de apoio partidário para ser candidato, ainda corre o risco de perder o mandato na Assembleia Legislativa por fraude eleitoral do próprio PSC nas eleições de 2022.

O processo que pede a anulação dos votos do partido já tem parecer favorável do Ministério Público Eleitoral, e data de julgamento marcado para 20 de novembro; qualquer que seja o resultado, cabe recurso, o que deixa mais indefinição na vida do parlamentar.

Mais difícil ainda é a vida do deputado Dr. Yglésio Moyses.

Ele até se empolga como pré-candidato a prefeito, mas – além de enfrentar resistência de outras legendas – vive a agonia da indefinição de seu futuro no PSB, que já decidiu recorrer em todas as instâncias pedindo o seu mandato por infidelidade partidária.

Se esperar a tramitação de todos os recursos dos socialistas na Justiça Eleitoral, ele perde o prazo para troca de partido; se, ao invés disso, decidir desfiliar-se por conta própria, estará dando razão às alegações de infidelidade e confirmará a perda do mandato.

A tendência é que nem Edivaldo, nem Wellington e muito menos Yglésio seja candidato em 2024, o que reduziria a disputa entre Eduardo Braide (PSD), Duarte Júnior (PSB), Neto Evangelista (União Brasil), Fábio Câmara (PDT) e Diogo Gualhardo (PSOL).

E o quadro ainda pode diminuir ainda mais…

0

Grupo de Flávio Dino esperava Brandão na conferência do PSB com Duarte Júnior…

Ministro da Justiça, seus aliados e o próprio pré-candidato socialista combinaram em Brasília e São Luís a participação do governador – que levaria também aliados da Assembleia, da Câmara Municipal, do MDB e do PSDB; por isso a inclusão de todos no banner gigante no palco do evento; mas Palácio dos Leões desfez todo o combinado na última hora

 

Presença de Brandão e aliados no evento de Duarte ficou restrita ao cartaz do evento; mas dinistas garantem que tudo fora combinado em Brasília

A festa que lançou o deputado federal Duarte Júnior como pré-candidato oficial do PSB a prefeito de São Luís foi toda combinada em Brasília, pelo ministro da Justiça Flávio Dino e pelo governador Carlos Brandão, com a presença dos líderes socialistas Geraldo Alkmin, vice-presidente da República, e Carlos Siqueira, presidente nacional da legenda.

Ficou acertado que Brandão levaria para o evento não apenas seus dois principais aliados políticos – a presidente da Assembleia Legislativa Iracema Vale (PSB) e o presidente da Câmara Municipal Paulo Victor (PSDB) – mas até lideranças do PSDB e MDB, partido sob controle direto do Palácio dos Leões.

Foi por isso que Duarte decidiu encomendar o banner gigante, com a foto de Brandão, Iracema e até a da senadora Ana Paula Lobato (PSB), esposa do deputado Othelino Neto (PCdoB).

Como iria estar no Paraguai, Dino acertou que mandaria – e mandou – seus principais aliados: o vice-governador  Felipe Camarão (PT), o secretário-executivo do Ministério da Justiça Ricardo Capelli, já entusiasta da candidatura de Duarte, e o deputado federal Márcio Jerry, que preside o PCdoB, mas resiste ao nome do deputado federal.

Brandão veio de Brasília decidido a participar da festa “duartina”; receberia ministros do PSB à tarde, participaria de eventos ao lado de Bira do Pindaré e seguiria para a Assembleia, onde ocorreu o evento.

Mas o governador deu de ombros na última hora.

Nem ele, nem Iracema Vale e nem Paulo Victor estiveram na festa, sob argumento de que “ainda não é o momento”. líderes do PSDB e do MDB também não compareceram dando à conferência o clima de esvaziamento que repercutiu na imprensa.

Mas tanto Flávio Dino quanto Duarte Júnior sabem que Brandão vai declarar apoio mais cedo ou mais tarde.

E não apenas declarará apoio como também encontrará formas de fazer os pré-candidatos Edivaldo Júnior (sem partido) e Neto Evangelista (União Brasil) a desistirem da disputa; o trunfo de Flávio Dino é nada menos que o empréstimo que Brandão almeja em Brasília para sobreviver a 2024.

Para emparedar o governador neste aspecto, Dino conta também com o apoio dos senadores Eliziane Gama (PSD), Ana Paula e Weverton Rocha (PDT).

Mas esta é uma outra história…

0

Duarte Júnior faz banner com Brandão e Iracema, que ignoram lançamento do seu nome

Evento desta sexta-feira, 27, que deveria ser o marco da unidade do grupo do governador em torno do candidato do PSB acabou por reunir apenas os aliados do próprio ministro Flávio Dino; “não é o momento”, disse Brandão, que participou de evento no mesmo horário

 

No imenso painel de Duarte Júnior constam Brandão, Ana Paula e Iracema Vale, que não compareçam ao seu evento; a ausência de Flávio Dino é justificada

Não foi desta vez que o deputado federal Duarte Júnior – agora oficialmente pré-candidato do PSB a prefeito de São Luís – conseguiu reunir o ministro da Justiça Flávio Dino e o governador Carlos Brandão em seu palanque; a presença do governador na convenção que oficializa o seu nome registrou-se apenas no imenso painel criado pelo próprio Duarte, com montagem de fotos.

Dos contemplados com fotos no painel, nem Brandão, nem a presidente da Assembleia Legislativa Iracema Vale, a senadora Ana Paula Lobato (PSB) e muito menos o governador Flávio Dino participaram da conferência socialista.

– Não é o momento – disse Brandão, segundo apurou este blog Marco Aurélio d’Eça, mesmo após forte assédio de Duarte durante toda a semana, em Brasília e em São Luís, para confirmação da presença do governador.

O evento do principal adversário do prefeito Eduardo Braide (PSD) ficou esvaziado, com a presença apenas dos aliados do próprio Flávio Dino, que é padrinho de sua candidatura desde 2020.

No palco estiveram o vice-governador Felipe Camarão (PT), os deputados federais Márcio Jerry (PCdoB) e Rubens Pereira Jr. (PT), o secretário-executivo do Ministério da Justiça Ricardo Capelli, o presidente do PSB estadual Bira do Pindaré e o deputado estadual Carlos Lula, todos dinistas de carteirinha.

Além de Iracema Vale, que aparece no cartaz, Duarte Júnior esperava também o presidente da Câmara Municipal Paulo Victor (PSDB) com seus vereadores aliados.

Mesmo assim, ainda segundo apurou o blog Marco Aurélio d’Eça, Duarte Júnior segue com a convicção de que Flávio Dino e Carlos Brandão estarão em seu palanque.

Talvez em outro momento, como sugeriu o governador…

0

Felipe Camarão fecha com Duarte Júnior…

Vice-governador grava vídeo de apoio dele e do PT, cita Flávio Dino e Carlos Brandão e convida para conferência que vai oficializar o deputado federal como pré-candidato do PSB, nesta sexta-feira, 27, na Assembleia Legislativa

 

Felipe Camarão faz o gesto de Duarte Júnior com o punho fechado; indicativo de unidade na base do grupo Flávio Dino/Carlos Brandão

O vice-governador Felipe Camarão (PT) reforçou nesta quinta-feira, 26, em suas redes sociais, o indicativo de que o deputado federal Duarte Júnior (PSB) deve mesmo receber o apoio em massa do grupo Flávio Dino/Carlos Brandão, ainda que surjam outros candidatos na base.

Em vídeo postado em suas redes sociais ao lado de Duarte Júnior, Camarão convida para a conferência do PSB, que vai oficializar a pré-candidatura do deputado federal; e diz que vai estar presente, junto com sua galera do PT.

– Quero convidar para a convenção do PSB. Partido dele [de Duarte], partido de Brandão, partido de Flávio Dino, partido de Geraldo Alkmin; e nós do PT, eu e nossa galera toda estaremos lá juntos – disse Camarão, para concluir:

– Duarte, “bora revolver”, que São Luís merece.

Este blog Marco Aurélio d’Eça já havia antecipado a mudança de postura de Duarte Júnior – que caminhava para unificar ao máximo a base do grupo Flávio Dino/Brandão – análise publicada no post “O novo momento de Duarte Júnior…”.

O blog Marco Aurélio d’Eça apontou também para uma possibilidade envolvendo o próprio Camarão, esta em 2026, com ele Brandão, Flávio Dino e até o senador Weverton Rocha (PDT) no mesmo palanque em 2026.

A tendência é que a aliança em torno do deputado federal do PSB – além da Federação Brasil-Esperança, formada  por PT, PCdoB e PV – tenha também o apoio do MDB e PSDB, embora haja outras candidaturas na base do governo. 

A unificação da base já em 2024 é comemorada por Duarte júnior, que agradeceu o gesto de Camarão.

– Valeu Felipe, obrigado. Muito feliz em ter você ao lado mais uma vez nessa luta, por que agora é a nossa vez. Vamos  pra cima pelo melhor de São Luís – disse o socialista.

A convenção do PSB está marcada para as 18 horas no Auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa.

0

PSB escolhe Duarte Júnior e nem leva em conta outros nomes em São Luís…

Em carta encaminhada aos diretórios municipais para encontro com o presidente nacional Carlos Siqueira, o presidente regional Bira do Pindaré diz que será “apresentada a pré-candidatura” do deputado federal, ignora Dr. Yglésio – que está deixando a legenda – e sequer cita Carlos Lula, nunca sequer cogitado como opção na legenda

 

Bira do Pindaré chancelou Duarte Júnior e chamou Carlos Siqueira para apresentá-lo ao PSB maranhense

O diretório regional do PSB maranhense já escolheu o deputado federal Duarte Júnior como seu candidato a prefeito de São Luís em 2024.

Em carta encaminhada aos diretórios municipais, o presidente Bira do Pindaré convoca para reunião com o presidente nacional Carlos Siqueira, nesta sexta-feira, 27, e anuncia: “apresentaremos a candidatura de Duarte Júnior”.

A carta ignora o deputado estadual Dr. Yglésio Moyses, que deve deixar o partido até abril de 2024; e sequer cita o também deputado estadual Carlos Lula, cuja pré-candidatura nunca sequer foi cogitada internamente.

No encontro, além do candidato em São Luís, o PSB definirá com Carlos Siqueira nomes para os demais municípios.

São esperados o ministro da Justiça Flávio Dino e o governador Carlos Brandão…

0

O novo momento de Duarte Júnior…

Acusado de gerar discórdia entre os próprios aliados, pré-candidato do PSB a prefeito de São Luís vem mudando de postura e buscando entendimento na base do governador Carlos Brandão, que ele espera ver ao lado do ministro da Justiça Flávio Dino em seu palanque de 2024

 

Duarte ainda busca uma inédita foto para 2024 em que esteja entre Flávio Dino e Carlos Brandão; de preferência que Felipe Camarão também apareça

O deputado federal Duarte Júnior, pré-candidato do PSB a prefeito de São Luís, adotou há pelo menos uma semana uma nova postura política.

Ele vem buscando o diálogo com aliados do ministro da Justiça Flávio Dino e também com a base do governador Carlos Brandão (ambos do PSB); e espera ver tanto Dino quanto Brandão em seu palanque nas eleições de 2024.

Apelidado de “espalha roda” – numa alusão à dificuldade que tem de fazer amigos na política – Duarte quer unificar a base do seu grupo para garantir vantagem em um eventual segundo turno contra o prefeito Eduardo Braide (PSD).

Nas últimas semanas, o deputado socialista abriu diálogo com representantes do PT e da federação Brasil-Esperança, garantiu a unificação do PSB em torno do seu nome e conversou também com “pré-pré-candidato” do PDT, Fábio Câmara.

Tenta agora vencer a resistência de Brandão, mandando recados midiáticos para o governador, apresentando-se como a opção da base após desistência do vereador Paulo Victor (PSDB).

O deputado quer consolidar esta fase para vencer uma outra, a da estagnação nas pesquisas

Desde 2020 seus índices de intenção de votos são praticamente os mesmos da última eleição municpal, quando alcançou 22% dos votos no primeiro turno.

Esta estagnação foi mostrada neste blog Marco Aurélio d’Eça ainda em setembro, no post “Eduardo Braide e Duarte Júnior estagnados nas pesquisas”.

Para ele, superar esta barreira é fundamental para garantir presença no segundo turno…

0

PSB age apenas para atrapalhar projeto de Dr. Yglésio…

Mesmo sem interesse no deputado estadual, partido controlado pelo ministro da Justiça Flávio Dino usa ações protelatórias na Justiça Eleitoral para impedir a saída do parlamentar, mesmo após a decisão unânime do TRE-MA que o liberou para escolher novo partido

 

Dr. Yglésio sabe que o PSB quer impedi-lo de disputar as eleições de 2024, mas o deputado tem respaldo da Justiça Eleitoral

São claramente protelatórios os Embargos de Declaração interpostos pelo PSB maranhense à decisão do TRE-MA que liberou o deputado estadual Dr. Yglésio Moyses a deixar o partido.

Os socialistas – comandados no Maranhão pelo ministro da Justiça Flávio Dino – não têm qualquer interesse na presença de Yglésio na legenda, mas também não aceitam que ele busque outra agremiação antes do prazo legal para os que querem concorrer às eleições de 2024.

Os Embargos de Declaração são dispositivos usados pelas partes quando, na concepção delas, uma decisão judicial não está clara; os embargos tendem a aclarar o que foi dito.

No caso de Yglésio não há nada mais a esclarecer: ele sofre perseguição do PSB desde as eleições de 2022, revoltou-se contra isso e passou a se posicionar politicamente, além de entrar na Justiça para deixar o partido que  não o quer.

As ações do PSB, agora, visam apenas atrapalhar sua ida para outro partido até abril de 2024.

caberá à Justiça Eleitoral dizer se aceita esta jogada…

0

Brandão abandona Rildo Amaral e articula candidatura de Marco Aurélio em Imperatriz

Governador participou do lançamento da candidatura do ex-deputado estadual, agora no PSB, evento que teve a presença também do ex-secretário Clayton Noleto

 

Brandão participou do lançamento da candidatura de Marco Aurélio, mas tem outro aliado em sua base – Rildo Amaral – também candidato em Imperatriz

O ex-deputado estadual Marco Aurélio lançou esta semana sua candidatura a prefeito de Imperatriz, pelo PSB.

O lançamento, coma presença do governador  Carlos Brandão e do ex-secretário Clayton Noleto – outro interessado na disputa – indica que será Marco Aurélio o candidato do governo no município.

Até agora o deputado estadual Rildo Amaral (PP) era o nome mais cotado da base do governo em Imperatriz, mas perdeu força nos últimos meses.

– Hoje é um dia de recomeço da caminhada ao lado das amigas e amigos. É o primeiro passo, nós não temos problema de conversar com uma pessoa, com cinco pessoas, com dez pessoas. Essa não será a candidatura da estrutura do poder mas sim a candidatura do povo – declarou Marco Aurélio.

Sem consenso na base, o governo favorece o deputado federal Josivaldo JP, segundo colocado na disputa.

Mas com potencial de avançar nos próximos meses…

0

Yglésio fará protesto contra título de cidadão a Capelli…

Secretário-executivo do Ministério da Justiça será agraciado com a honraria oferecida pela Assembleia Legislativa, além da Medalha do Mérito de Manuel Beckman, que o deputado estadual, ainda no PSB, acha que o correligionário não merece

 

Dr. Yglésio espalhou por toda a Assembleia mensagens contra o título de cidadão que a Casa dará a Capelli

 

O clima pode esquentar nesta quinta-feira, 21, na Assembleia Legislativa.

O deputado estadual Dr. Yglésio Moyses (PSB) prepara uma recepção crítica ao secretário-executivo do Ministério da Justiça, jornalista Ricardo Capelli, que será agraciado com o Título de Cidadão Maranhense e com a Medalha do Mérito de Manuel Beckman.

– Capelli, você não merece este título; você não merece esta medalha – é a inscrição em banners que o parlamentar mandou espalhar por toda a Casa.

Yglésio acusa Capelli de perseguição política no PSB e entende que ele não é digno de se tornar cidadão maranhense.

A entrega das honrarias estava prevista para o mês de junho, mas a ameaça de Yglésio de revelar esquemas de corrupção protagonizadas pelo principal auxiliar do ministro Flávio Dino (PSB) fez a casa adiar a solenidade.

Desta vez, está tudo pronto para recebê-lo, na manhã desta quinta-feira.

Yglésio pretende participar e ter a palavra, com a prerrogativa de deputado…

0

Livre do PSB, Dr. Yglésio garante condições de disputar a prefeitura em 2024…

Oprimido pelo partido comandado no Maranhão pelo ministro da Justiça Flávio Dino, deputado estadual ganhou na Justiça Eleitoral o direito de deixar a legenda sem precisar perder o mandato na  Assembleia Legislativa; e agora só precisa encontrar uma outra agremiação para concorrer novamente em São Luís

 

Decisão do TRE é vitória pessoal de Dr. Yglésio sobre Flávio Dino, de quem foi aliado e hoje é ferrenho adversário na Assembleia

Análise da notícia

A vitória do deputado estadual Dr. Yglésio no Tribunal Regional Eleitoral, mais do que uma vitória política contra o grupo do ministro da Justiça Flávio Dino é também uma vitória eleitoral.

Ao ganhar, por unanimidade, o direito de poder deixar o PSB – onde vinha sendo oprimido desde as eleições de 2022 – Yglésio amplia também suas chances de concorrer novamente à Prefeitura de São Luís, o que seria inviável no partido de Dino, já decidido pela candidatura do deputado federal Duarte Jr.

Um dos mais polêmicos políticos de sua geração, já perfilado criticamente neste blog Marco Aurélio d’Eça, em posts como “A confusão ideológica de Dr. Yglésio…” e “Dr. Yglésio sendo Dr. Yglésio…”, o médico cirurgião é uma espécie de superdotado, com múltiplas competências; eleito deputado estadual em 2018, disputou a prefeitura pelo PROS, em 2020, ficando na 8ª posição, com 1,92% dos votos.

Entre uma eleição e outra, assumiu a presidência do Moto Club de São Luís, numa relação tumultuada com diretores, torcida e crônica esportiva; muitos não acreditavam em sua reeleição à Assembleia em 2022, sobretudo diante da perseguição do secretário-geral do PSB, Ricardo Capelli, principal agente de Flávio Dino na prática de opressão interna.

Mas ele surpreendeu.

Saiu das urnas com mais de 42 mil votos e decidiu chutar o pau da barraca entre o primeiro e o segundo turnos da eleição presidencial, denunciando a perseguição do PSB e anunciando uma controversa adesão ao então presidente Jair Bolsonaro (PL).

Desde então, trava com a dupla Capelli/Dino uma guerra judicial e midiática, com acusações diárias ao ministro da Justiça e desconstruindo na tribuna e nas redes sociais os a farsa dos oito anos de mandato do ex-comunista no Maranhão. 

A presença de Dr. Yglésio na disputa – bem mais do que o acirramento entre candidatos – é uma oportunidade de o público geral conhecer um pouco do que foi, o que fez e faz Flávio Dino, coisas não mostradas na imprensa tradicional maranhense e na maioria da mídia digital do estado.

Mas para isso ele precisa viabilizar um bom partido, que lhe dê tempo de propaganda e garanta participação nos debates.

E precisa também ficar de olho nos adversários de Brasília…