1

Flávio Dino desmentido pelo próprio governo…

Comunista passou duas semanas cobrando lista de fantasmas – para tentar desqualificar a Polícia Federal – mesmo já com conhecimento do documento, no qual já estava até fazendo “pente fino”

 

O governador comunista do Maranhão Flávio Dino passou quase duas semanas cobrando da Polícia Federal a lista com os mais de 400 nomes de fantasmas nomeados em seu governo – como contratados ou serviços prestados – para receber sem trabalhar na Secretaria de Saúde.

Dino chegou mesmo a ofender, desqualificar e levantar suspeitas da integridade da Polícia Federal, ao jogar para a sociedade que a lista poderia ser falsa, como são os fantasmas do seu governo.

Mas eis que o secretário de Saúde Carlos Lula foi a uma emissora de rádio alinhada ao Palácio dos Leões para dizer exatamente o que Dino queria manter as escondidas. Lula disse em alto e bom que não apenas tem a lista com os 400 fantasmas como já está providenciando “um pente fino” para expurgar da folha os que apenas recebem no esquema que desviou R$ 18 milhões.

O secretário de Saúde, portanto, desmentiu publicamente o governador, que fazia média diária, cobrando da Polícia Federal algo do qual ele já tinha conhecimento.

Como se vê, o governador comunista passou o tempo todo mentido sobre os fantasmas de sua gestão.

Mas as mentiras têm pernas curtas…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

O desrespeito de Flávio Dino à Polícia Federal…

Governador passou duas semanas desqualificando publicamente a instituição e levantando suspeitas sobre a lista de fantasmas de seu governo; agora, ele tem obrigação de pedir desculpas e dizer que já está com a lista

 

Dino agora pode manipular seus fantasmas

Se não fizer um mea culpa público nos próximos dias, e reconhecer que já está com a lista de fantasmas nomeados em seu governo e descobertos na Operação Pegadores, da Polícia Federal, o governador Flávio Dino (PCdoB) pode ganhar mais um epíteto para os eu perfil: o de embusteiro e mentiroso.

O comunista passou exatas três semanas cobrando, diariamente, a lista de fantasmas; mandou, inclusive, vários auxiliares à instituição para tomar conhecimento da relação.

Ocorre que a lista de fantasmas já está com Flávio Dino; e o governo faz, inclusive, um pente fino para verificar quem é quem, segundo revelou o blog de Jorge Aragão. (Leia aqui)

Flávio Dino tem agora, portanto, obrigação de dizer a sociedade maranhense já estar de posse do documento.

E reconhecer os fantasmas de sua gestão.

Caso contrário, passará como mentiroso e embusteiro…

1

O silêncio de Joesley Batista sobre Flávio Dino…

Ao ser mais uma  vez questionado pelo senador Roberto Rocha a respeito das doações da JBS ao PCdoB, empresário prefere nada falar da relação com o governo comunista do Maranhão

 

O senador Roberto Rocha (PSDB) tentou esta semana, mais uma vez, arrancar alguma explicação do grupo JBS – envolvido nos esquemas de corrupção, lavagem de dinheiro e pagamento de propina desbaratados pela operação Lava Jato – sobre suas relações com o PCdoB e com o governo comunista do Maranhão.

E mais uma vez encontrou o silêncio de Joesley Batista.

Em contundente discurso, Rocha apontou estranhezas no fato de um grupo capitalista, “sem nenhum açougue no Maranhão”, resolver fazer doação ao PCdoB, que só o governo do Maranhão.

– Vou me manter em silêncio – encerrou Joesley, hoje preso em Brasília.

E o mistério sobre a relação PCdoB/JBS continua…

Veja o vídeo acima

1

Sobre propinas e candidaturas…

Governo Flávio Dino dá apoio partidário e eleitoral a personagens como Simone Limeira e Rosângela Curado, flagradas no próprio governo cobrando para liberar serviços

 

Além de beijinhos, Simone ganhou de Dino até a legenda para ser candidata a prefeita

O governo Flávio Dino (PCdoB) tem se notabilizado pela quantidade de propina que seus agentes cobram de empresas e prestadores de serviços, segundo denúncia dos próprios achacados e de investigações da Polícia Federal.

Chama atenção também que, mesmo denunciados, os propineiros do governo Flávio Dino acabam recebendo uma espécie de salvo-conduto do próprio governador comunista, que entrega apoio político a esses personagens.

O governo já começou envolvido em escândalo deste tipo. Em 2015, a então auxiliar da Secretaria de Educação, Simone Limeira, foi denunciada por um líder indígena de ter cobrado propina de R$ 8 mil para liberar o transporte escolar nas tribos da região de Grajaú.

O indígena chegou a mostrar extratos e depósitos na conta da auxiliar comunista.

E o que fez Flávio Dino? Deu a ela a legenda do PCdoB para concorrer à Prefeitura de Grajaú.

A outra denúncia envolve a também ex-auxiliar comunista Rosângela Curado. Pilhada na Operação Pegadores da Polícia Federal, Curado teve reveladas conversas que mostram a cobrança de 10% de propina de empresas prestadoras de serviços da Secretaria de Saúde.

Afastada do governo desde 2015 – em condições obscuras – a ex-auxiliar continuou a mandar em unidades de saúde, até ser presa pela Polícia Federal.

E o que fez Flávio Dino com ela?

Deu apoio da legenda do PCdoB à sua candidatura a prefeita de Imperatriz…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

3

Fato ou erro?!?

Relatório da Polícia Federal cita diretamente a Secretaria de Articulação Política como canal do esquema de fantasmas no governo Flávio Dino; e outros fatos ligam o principal auxiliar do comunista ao caso, ainda que indiretamente

 

Principal auxiliar de Flávio Dino, Jerry sabia dos fantasmas, diz Polícia Federal

Um dos relatórios da Polícia Federal que foram expostos no bojo da Operação Pegadores traz uma referência curiosa em relação ao secretário de Articulação Política, Marcio Jerry.

Declaração dos próprios delegados da operação diz que a pasta de Jerry, ao lado da Secretaria de Saúde, “são as duas repartições que possuíam servidores diretamente envolvidos nos fatos ora investigados”.

Para alguns, houve um erro da Polícia Federal na citação. Para outros, é possível que a PF esteja se referindo a outros órgãos da própria Secretaria de Saúde. É preciso ir mais a fundo no processo para se tirar algum tipo de conclusão.

Sabe-se que a Operação Pegadores, que descobriu desvios da ordem de R$ 18 milhões na Saúde – e que é parte da Operação Sermão aos Peixes -, começou a partir de uma revelação na imprensa, em 2015, envolvendo, ainda que indiretamente, o chefe da Articulação Política, Márcio Jerry: uma de suas amigas teve o contracheque exposto nas redes sociais com salário de R$ 13 mil.

A própria PF garante que a investigação toda começou a partir daí.

Outra questão envolvendo o secretário é o fato de que sua cunhada, Lenyjane Rodrigues, apontada como gerenciadora da lista de fantasmas, teve R$ 50 mil bloqueados pela Justiça em sua conta.

Por fim, a Polícia Federal também divulgou relatório de escutas telefônicas em que a investigada Josefa Quitéria fala a Benedito Silva Carvalho, do ICN, que Jerry tinha conhecimento de seu nome em uma das folhas fantasmas. É preciso dar o benefício da dúvida, mas claro está que o secretário é personagem na trama da folha fantasma.

Estranha-se que apenas o governador Flávio Dino não tenha tido conhecimento desse fato.

Ou será um erro?!?

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

As mentiras que Flávio Dino conta…

Governador mente ao dizer que sua gestão é correta, mente ao afirmar  que sofre perseguição de adversários e mente ao fazer passar a ideia de que a lista de fantasmas do seu governo não existe

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou as últimas semanas calçado em três mentiras sobre sua gestão.

Ele mente quase que diariamente nas redes sociais ao afirmar que não há corrupção no seu governo.

Há, e muita, o que pode ser comprovado nos relatórios da Polícia Federal sobre as diversas investigações ocorridas no governo comunista, sustentadas por escutas telefônicas autorizadas pela Justiça e análise de documentos da própria gestão comunista.

Flávio Dino também tenta sustentar que seu governo sofre perseguição da oposição.

Chega a ser até ridículo imaginar que um governo, com toda a sua estrutura, seja perseguido por adversários em situação de desvantagem.

Quem persegue mesmo é Flávio Dino; ele usa a estrutura da Polícia e manipula setores inteiros do Ministério Público e do próprio Judiciário para constranger, pressionar e ameaçar qualquer um que ousa questioná-lo. (Saiba mais aqui, aqui e aqui)

A maior mentira de Flávio Dino nestas últimas semanas é a tese que ele vende na internet, de que não há lista de fantasmas em seu governo, como afirma documentos da Polícia Federal.

Existe sim, e o principal auxiliar do comunista – supersecretário Márcio Jerry – sabia disso desde 2015,  como provam transcrições de escutas telefônicas da Polícia Federal. (Relembre aqui)

O governador Flávio Dino vai completar três anos de mandato.

E são três anos calçados em cima de mentiras…

6

O que quis dizer Edison Vidigal?!?

Ex-padrinho Político do atual governador do estado, ex-ministro do STJ ironiza o envolvimento do comunista com desvio de recursos da Saúde

 

Vidigal e o seu “adoro sorvete!”: provocação

Gerou certa repercussão a foto postada pelo ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça Edison Vidigal, em sua página no Instagram, na sexta-feira, 24.

Espécie de co-padrinho da vida política do governador Flávio Dino (PCdoB) – ao lado do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) – Vidigal foi esquecido pelo comunista, assim como diversas outras lideranças.

Mas , espirituoso, não perde a pose.

A foto do Instagram com a expressão “Adoro sorvete!” é uma das mais criativas provocações ao fato de que, no governo de Flávio Dino, até sorveteria recebeu milhões da Saúde.

Edison Vidigal também já expressou sua indignação com outro governador, de forma ainda mais dura.

Tido como responsável pela vitória do pedetista Jackson Lago – e igualmente esquecido pelo então governador – o ex-ministro atacou com o artigo “Velho Escroto”, que repercutiu fortemente nos meios políticos.

Assim, Edison Vidigal vai marcando de forma irônica – e com duras verdades – as faces da mudança no Maranhão…

2

Agora com prisão preventiva, Mariano continua nomeado em Coroatá…

Cabeça do esquema de desvio de recursos na Operação Pegadores é diretor do Serviço Médico de Urgência do município e tem a proteção do prefeito

 

Cabeça do esquema que desviou mais de R$ 18 milhões do setor de Saúde no Maranhão, Mariano de Castro e Silva tem a proteção do prefeito de Coroatá, Luiz da Amovelar Filho.

Mariano teve a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal como cabeça do esquema desbaratado há duas semanas na operação Pegadores, da Polícia Federal.

Mesmo assim, permanece como diretor do Samu.

O primeiro diretor preso da história…

6

Flávio Dino extrapola em provocação à Polícia Federal…

Ao pressionar instituição por uma lista que seu governo já tem – ou deveria ter – desde 2015, governador comunista agride servidores públicos e se põe acima do bem e do mal

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou dos limites.

Suas cobranças à Polícia Federal, inclusive levantando suspeição sobre a conduta dos profissionais que agiram não apenas na Operação Pegadores como também em outras ações envolvendo o governo comunista é o cúmulo do autoritarismo e da prepotência.

Essa agressão institucional pode ser lida nos prints que ilustram este post.

Mas Flávio Dino não tem nenhuma razão para cobrar da Polícia Federal.

Primeiro, que seu governo – se quisesse mesmo moralizar alguma coisa – já teria tido acesso à lista de funcionários fantasmas desde 2015, como provam relatórios de escutas telefônicas divulgados pela Polícia.

Além disso, o comunista tem instrumentos de controle, como a Controladoria-geral, a Secretaria de Transparências, a Procuradoria e outras instâncias do governo controladas por Rodrigo Lago, Rodrigo Maia e outros rodrigos da vida.

O desrespeito de Flávio Dino à Polícia Federal só não se compara ao seu desrespeito ao próprio eleitor maranhense que lhe confiou o voto.

Afinal, assistir ao governo comunista se desmanchar em corrupção e fazer de conta que nem é com ele, é de uma agressão sem tamanho.

Mas mostra o tamanho do caráter do governador.

Simples assim…

1

Fantasma da Saúde revela em grampo que Márcio Jerry sabia de tudo…

Relatório da Polícia Federal descreve grampo da Operação Pegadores que mostra conversa entre Josefa Quitéria e Benedito Silva Carvalho em que o nome do secretário é citado como ciente do esquema que desviou R$ 18 milhões

 

CIENTE DE TUDO. Principal auxiliar de Flávio Dino, Márcio Jerry sabia do esquema comandado por Rosângela Curado, segundo revelou grampo da Polícia Federal

O diálogo de número 6545645, da operação Pegadores, da Polícia Federal, implica diretamente o secretário de Articulação Política e de Comunicação do governo Flávio Dino (PCdoB).

Na conversa, gravada em 24 de setembro de 2015, os investigados Josefa Equitéria Gonçalves Muniz Farias e Benedito Silva Carvalho mostram preocupação com os sinais de investigação do esquema na Secretaria de Saúde.

Em dado momento da conversa, quando Benedito mostra preocupação sobre a presença de Quitéria em uma das folhas fantasmas, ela responde textualmente.

– Não, mas se tiver não tem problema não, nem se preocupe porque isso aí o Pacheco sabia, na época foi acordado com ele com o Jerry… tudo, entendeu? [Se refere a Marcos Pacheco e Marcio Jerry] – diz a servidora.

Foi a própria Polícia Federal quem afirmou, entre colchetes, tratar-se de Marcos Pacheco e Márcio Jerry.

Maria quitéria era assessora da própria Secretaria de Saúde e tinha seu nome em uma das listas fantasmas.

Benedito Carvalho Silva era presidente do Instituto Cidadania e Natureza, um dos responsáveis por operar as listas fantasmas.

A revelação do diálogo entre os dois, publicado em primeira mão no blog de Neto Ferreira, é mais uma prova de que, se o governo Flávio Dino quisesse, de fato, teria evitado o desvio de R$ 18 milhões na Saúde.

Márcio Jerry não parece ter se importado com o roubo…

Veja abaixo o trecho do diálogo em que Quitéria cita o supersercretário: