0

Braide amarga na Maria Aragão o mesmo que o povo sofre nos bairros…

Com comunidades espalhadas por São Luís inteira amargando alagamentos quase diários resultantes das chuvas que ocorrem todo ano, prefeito de São Luís – que vai gastar mais de R$ 3 milhões com shows neste São João – experimentou na própria pele o que sofrem os moradores dessas comunidades no dia dia sem infraestrutura adequada

 

A Praça Maria Aragão inundou durante a festa de São João da prefeitura; o bairro do Coroado sofre isso há 320 anos, diante do descaso da mesma prefeitura

Editorial

A imagem acima, publicada no blog do jornalista Domingos Costa, foi registrada na noite desta quinta-feira, 6, na segunda noite do Arraial da Praça Maria Aragão.

O prefeito Eduardo Braide (PSD) – que anunciou mais de R$ 3 milhões em shows durante as festas juninas – sentiu, pela segunda noite seguida, o que sentem moradores de diversas comunidades de São Luís, vítimas do alagamento causado pelas chuvas, por falta de drenagem nos bairros.

Estes R$ 3 milhões gastos no São João, por exemplo, dariam para fazer o serviço do bairro do Coroado pelo menos 15 vezes, como já mostoru este blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Solução para alagamento no Coroado custa menos de R$ 200 mil…”.

É triste para a cultura maranhense ver um palco como este debaixo d’água por falta de infraestrutura adequada.

Mais triste ainda é ver populações inteiras perder tudo o que têm pelo descaso do poder público.

Ano após ano…

0

Deputado confirma fraude das enchentes já denunciada neste blog…

Rodrigo Lago denunciou na tribuna da Assembleia Legislativa a Prefeitura de Carutapera, que recebeu cerca de R$ 500 mil do Governo Federal para atender mais de mil desabrigados ou desalojados, fato desmentido pelos documentos oficiais, o que aponta para um esquema sem precedentes no Maranhão

 

Rodrigo Lago confirmou nesta terça-feira, a fraude das enchentes já denunciada em maio neste blog Marco Aurélio d’Eça

Este blog Marco Aurélio d’Eça publicou em 11 de maio, o post “Governo Lula mandou mais de R$ 1,5 milhão para cidades que dizem sofrer com chuvas no MA…”. À época, a Secom havia divulgado cidades com alagamento no Maranhão,  “informação desmentida pelo governador Carlos Brandão (PSB).

O  levantamento deste blog mostrou que o Governo Federal mandou na primeira semana de maio mais de R$ 1,5 milhão a quatro cidades que entraram com pedido de recursos por calamidade pública ou emergência.

Mas, ao que tudo indica, trata-se de uma fraude sem precedentes.

Nesta terça-feira, 4, o deputado estadual Rodrigo Lago (PCdoB) foi à tribuna da Assembleia Legislativa para confirmar o que este blog Marco Aurélio d’Eça revelara, pelo menos em relação ao município de Carutapera.

O prefeito anunciou nada menos que 1.090 pessoas desalojadas ou desabrigadas. Para uma população de cerca de 20 mil é uma verdadeira calamidade. Mas o relatório do núcleo responsável pela análise das chuvas na Uema revela que no dia 22 de março, data apontada como ápice das chuvas, Carutapera teve apenas 10 mm de chuvas”, revelou Rodrigo Lago.

  • Carutapera recebeu R$ 434,9 mil, de acordo com a Portaria nº 1.397, de 6/5/2024, no processo nº 59052.024484/2024-03;
  • os recursos tiveram por base relatório da Secretaria de Assistência Social do dia 25/4, com base em vistoria do dia anterior;
  • o documento de Carutapera é assinado pela secretária Alzira Rodrigues Costa, que, segundo Lago, fora exonerada 20 dias antes.

Ela teve a assinatura provavelmente falsificada. Eu convido essa senhora a denunciar essa fraude; se não fizer, deverá ser visitada por técnicos da CGU ou mesmo da Polícia Federal”, afirmou Rodrigo Lago.

Além de Carutapera, receberam recursos do Governo Federal – na semana em que o governador Brandão afirmara não haver enchentes no Maranhão – os municípios de Lagoa Grande, Trizidela do Vale e Boa Vista do Gurupi.

0

Chuva histórica no interior de Lago da Pedra faz prefeitura decretar situação de emergência…

Há pelo menos cinquenta anos não chovia nos povoados afetados como tem chovido nas últimas semanas no município; casas destruídas, acessos cortados e localidades completamente alagadas são o resultado do excesso de água

 

Os povoados Centro dos Baixinhos, Lagoa Seca, Cajazeiras, Palmeira e Floresta estão vivendo dias difíceis na zona rural de Lago da Pedra. A prefeita Maura Jorge (PP) e toda sua equipe administrativa estiveram visitando as localidades e puderam ter a dimensão exata do problema.

Segundo os moradores mais antigos, há pelo menos 50 anos não chovia tanto em tão pouco tempo.

A situação pode ficar fora de controle; preocupada com as perdas das lavouras, criação de animais, casas destruídas e infraestrutura comprometida, a prefeita Maura Jorge decretou situação de emergência, e agora busca apoio estadual e federal para repararem os prejuízos.

“É muito triste presenciar essa situação. Pessoas que passaram uma vida construindo seus patrimônios, vendo tudo ser arrastado repentinamente pelas chuvas. Já entrei em contato com as forças estaduais e federais em busca de apoio e, confiando em Deus, temos plena convicção de que vamos superar mais esse desafio”, comentou Maura Jorge, prefeita do município.

Além de Lago da Pedra, dezenas de outros municípios maranhenses enfrentam o mesmo desafio…

Da assessoria

0

Corpo de Bombeiros já alerta para perigos das chuvas…

Comando-Geral da corporação no Maranhão já traçou as diretrizes para atuação contra os riscos causados pelas precipitações em todo o Maranhão, principalmente nas áreas sujeitas a inundações, deslizamentos e desabamentos; nível de chuva desde os primeiros dias de janeiro preocupa Defesa Civil

 

Bombeiros vistoriam condomínio no Turu que teve parte da estrutura destruída pelas chuvas; alerta é a para todo o Maranhão

O Corpo de Bombeiro Militar do Maranhão iniciou desde os primeiros dias de 2024 uma série de vistorias em prédios, condomínios e áreas sujeitas a deslizamentos na Grande São Luís e em vários municípios do interior; o CBMMA alerta para os riscos com o período de chuvas, que promete ser intenso.

– Nos primeiros dias de 2024 o volume de chuvas chegou a 65 milímetros em 24 horas, o que é alto – alertou o comandante dos Bombeiros, coronel Célio Roberto Araújo.

Na virada do ano, um muro de contenção de um condomínio, localizado na avenida General Artur Carvalho, no Turu, desabou; área foi isolada, o colapso da estrutura danificou três casas de bombas das cisternas do condomínio. Não houve feridos.

No balanço de 2023, o Corpo de Bombeiros registrou situação de emergência em 80 municípios maranhenses por causa das chuvas intensas; além de monitorar as áreas os Bombeiros deram capacitação técnica a guardas municipais par atuação durante as chuvas.

– A Defesa Civil Estadual permanece com o trabalho de monitoramento de desastres e suporte aos municípios – afirmou o coronel Célio Roberto.

0

Sinfra prevê para agosto conclusão da recuperação do muro da Praça Pedro II

Secretaria já recebeu a liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e concluiu a contenção do deslizamento para começar a refazer a estrutura da rampa que dá acesso à praça e à sede dos Poderes Executivo e Judiciário do Maranhão

 

A Sinfra vai iniciar agora a reconstrução da rampa, com as mesmas características originais destruídas pelas chuvas

A Secretaria de Estado da Infraestrutura previu para o mês de agosto a entrega da obra de restauração do muro da rampa de acesso à Praça Pedro II.

O muro foi destruído pelas fortes chuvas ainda em março, levado pela correnteza das enchentes na área.

Ao mesmo tempo em que realizava reparos de contenção e de correção nas infiltrações na área, a Sinfra aguardava a autorização do Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para iniciar a restauração propriamente dita; esta liberação saiu esta semana.

– Iniciamos os serviços de reparo do muro no dia 21 de junho. As equipes estão trabalhando, agora, na instalação de dispositivos de drenagem para evitar novas infiltrações na estrutura – informou o adjunto de obras civis da Sinfra, Fabiano Junqueira Ayres, em visita técnica ao local da obra.

O muro da rampa de acesso à Praça Dom Pedro II desmoronou no dia 22 de março, após fortes chuvas em São Luís; com o desmoronamento, o local teve de ser interditado.

Construídas entre as décadas de 1960 e 1970 as muretas ao longo da via estão tombadas pelo Patrimônio Histórico, assim como toda a área da praça; para a reconstrução, a Sinfra precisa seguir orientação técnica do Iphan.

– Após a instalação do sistema de drenagem, o muro será reconstruído com todas as características originais, mantendo o acervo arquitetônico da área, que é tombada como Patrimônio Histórico da Humanidade. Nossa previsão é de entregarmos a obra completa no início de agosto – explicou o adjunto.

0

Corpo de Bombeiros já entregou quase 400 mil donativos aos atingidos pelas chuvas

Institutição que atua na prevenção das enchentes e no auxílio aos desabrigados distribui cestas básicas, água mineral e colchões em diversos municípios que sofrem com a chie de rios e com áreas de alagamento no pérfíodo chuvoso em todo o Maranhão

 

Militar distribui água e alimentos a famílias atingidas pór cheias de rios no interior maranhense

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão já entregou exatos 398.050 itens em donativos em todas as regisões do maranhão aos atingidos pelas chuvas no estado.

As ações chegaram a 73  municípios.

Foram beneficiadas nada menos que 8.663 famílias desabrigadas ou desalojadas por conta das fortes chuvas que atingiram o Maranhão nas últimas semanas.

– Essa parceria do Governo do Maranhão e classe empresarial, idealizada pelo governador Carlos Brandão, se materializa e se fortalece com essa expressiva doação de cestas, colchões e kits de higiene aos maranhenses que sofem com este período chuvoso. Significa também um importante gesto de solidariedade e nos faz lembrar do lema que evidencia a participação de todos em ações de acolhimento: Defesa Civil somos todos nós – frisou Célio Roberto.

Militar dos Bomberios chega às regiões mais difícies do Maranhão neste período de chuvas

No total, já foram distribuídas com apoio de militares do Corpo de Bombeiros 291 mil refeições, 39,3 mil cestas básicas, 64 mil litros de água mineral, em galões de 20 litros e 3,7 mil colchões, chegando a um quantitativo de 398,05 mil itens em donativos.

São distribuídas também referições diárias pela rede de Restaurante Popular…

0

Brandão inclui Bacabal em decreto de emergência das chuvas

Pedido foi feito por deputados que atuam na região, entre eles o emedebista Roberto Costa; cidade tem mais de 1.200 pessoas desabrigadas

 

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) agradeceu o Governo do Maranhão pela inclusão de Bacabal no novo decreto de situação de emergência por causa das enchentes no estado.

Neste fim de semana, o parlamentar uniu forças com o prefeito Edvan Brandão, com o deputado Davi Brandão, vereadores e a comunidade para ajudar no deslocamento de centenas de famílias das áreas alagadas, como o bairro da Trizidela.

“Junto com o deputado Davi, nós solicitamos que o governador decretasse o estado de emergência também para Bacabal, para que facilitasse o envio de ajudas, colchonetes, cestas, estrutura, para ajudar o trabalho que o prefeito já tem feito. Brandão atendeu o nosso pedido e vamos reforçar essa luta para minimizar o sofrimento da população”, disse Roberto Costa.

Mais de 1200 pessoas foram retiradas de áreas atingidas. São 11 abrigos recebendo os moradores, segundo dados da Prefeitura de Bacabal. Outros problemas como falta de energia e corte no abastecimento de água ocorreram por causa da cheia do Rio Mearim neste fim de semana, mas foram resolvidos após reunião com a superintendência da Equatorial e o diretor do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto).

“O abastecimento de água para o Centro de Bacabal foi prejudicado por causa da suspensão da energia para o SAAE, devido à enchente. Postes de média tensão estão debaixo d’água e vinham colocando em risco a segurança dos moradores. Mas os técnicos da Equatorial conseguiram dar uma alternativa, a energia voltou a ser ligada e o abastecimento da água estará normalizado até a noite de domingo”, explicou Roberto Costa.

Participaram da reunião o superintendente da Equatorial, Guilherme Medina, o diretor-geral do SAAE, Almir Jr, o presidente da Câmara de Vereadores, Melquíades, e representantes da Prefeitura de Bacabal. Ainda no domingo, os deputados visitaram moradores do Bairro Santos Dumont, outro ponto de alagamento em Bacabal.

0

Câmara discute discute soluções para desastres causados pelas chuvas…

Audiência Pública reuniu secretários municipais convocados para explicar aos vereadores qual o planejamento para a gestão dos riscos e prevenção de desastres da capital maranhense

 

Aspectos do debate sobre a situação das chuvas na capital maranhense discutida na Câmara Municipal

A Câmara Municipal discutiu na terça-feria, 18, as soluções aprenetadas pela Prefeitura de São Luís para enfrnetamento dos problemas causados pelas chuvas.

Convocados pelos vereadores, os secretários de Obras e Serviços, de Segurança com Cidadabnia, e da Criança e adolescente apresdentaram seus planjemanetos na gestão de riscos e na prevenção de desastres da capital maranhense.

O autor da convocação foi o vereador Marquinhos (PSC).

– Queremos saber quais as ações concretas que o prefeito Eduardo Braide está executando, com relação ao período chuvoso na cidade. Qual o plano de ação desenvolvido, hoje, para ajudar as comunidades que estão sofrendo com o período, muitas famílias desalojadas. Enfim, precisamos saber o que de fato está sendo feito – afirmou.

Presentes à audiência,os vereadores Francisco Chaguinhas (Podemos), Raimundo Penha (PDT) e Astro de Ogum (PCdoB) tabém foram unânimes em cobrar ação m ais efetiva da prefeitura.

Cada secretário apresentou suas ações:

Semcas:

– Informações de como estão sendo executados os benefícios socioassistenciais e programas de transferência de renda para as famílias afetadas pelas enchentes, alagamentos, desmoronamento e deslizamento de terra nas áreas de risco;

– Benefício de Prestação Continuada (BPC), benefícios eventuais, aluguel social, auxílio alimentação, cestas básicas, auxílio por morte, auxílio funeral e Bolsa Família;

Semusc:

– Informações e levantamento sobre providências das situações emergenciais no tocante às encostas, objetivando evitar deslizamentos e possíveis intercorrências provocadas pelas fortes chuvas;

– Demonstrativo estatísticos de quais ações e atuações e critérios estão sendo realizados com as famílias detectadas e mapeadas e, consequentemente, orientadas com a retirada imediata de suas casas em decorrência dos desastres naturais;

– Apresentação do plano de ação traçado que está sendo executado em conjunto com outros órgãos municipais com o intuito de prevenir e fazer intervenções necessárias para as famílias que estão vulneráveis pelas fortes chuvas que atingem a capital;

Semosp:

– Informações e apresentação do cronograma de datas dos serviços e obras que serão feitos nos bairros e avenidas para garantir o escoamento correto das águas ocasionadas pelas fortes chuvas, bem como a limpeza de galerias, capina e poda, evitando transtornos no fluxo de trânsito por conta dos alagamentos de águas nas vias;

– Apresentação do cronograma de locais onde necessitam com urgência da desobstrução de galerias e dispositivo de drenagem das águas pluviais para evitar possíveis alagamentos e acúmulo exagerado de águas nas ruas e avenidas da cidade;

– Informações e apresentação do cronograma de manutenção asfáltica, tapa-buracos, entre outros, nos bairros e avenidas onde os riscos de acidentes com prejuízos materiais e vítimas fatais tem sido constante devido aos buracos ou crateras que ficam cobertos pelas águas. 

Para o rpesidente da Casa, Francisco Chaguinhas (podemos), a Câmara tem sido protagonistas no debarte em favfor dos povos das áreas de risco.

– A Câmara tem protagonizado essa fala a favor da população que mora em área de risco. Afinal, no Brasil nós temos mais de 5 milhões de pessoas vivendo em áreas de riscos. Realizamos um diagnóstico neste sentido que envolve a capital maranhense e constatamos que, dos dez bairros consolidados, cinco deles têm problemas de alagamentos.  Aqui, nós estamos fazendo nossa parte por entender que no período invernoso essas pessoas [que moram nas áreas de riscos] dormem com o coração na mão – frisou.

0

Sinfra já atua na recuperação da Ponte de Cajari…

Secretário Aparício Bandeira reuniu-se com o prefeito do município nesta segunda-feira, 17, para informar que desde o dia do colpaso na estrutura equipes do governo já seguiram para o local, onde estão atuando dia e noite para garantir rápida resolução do problema

 

Máquinas da Sinfra  foram deslocadas para Cajari ainda na sexta-feira, 14, e já estão em pleno serviço de recuperação da Ponte dos Afogados

Máquinas e equipes de técnicos e operários da Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado estão desde a sexta-feira, 14, em Cajari, onde a Ponte dos Afogados teve a estrutura danificada por causa das chuvas fortes na região.

A situação precisará de uma intervenção mais complexa, já que a ponte sofreu danos estruturais.

– Quando se trata de pontes tudo é mais complexo, mas iremos fazer o possível para resolver em um curto espaço de tempo – explicou o secretário Aparicio Bandeira.

Nesta segunda-feira, 17, Bandeira se reuniu com o prefeito de Cajari para discutgir com os técnicos da Sinfra as medidas mais urgentes.

O principal objetivo neste momento é restabelecer o trafego na área…

2

Roseana na luta em favor das vítimas das enchentes

Nomeada coordenadora de uma comissão externa da Câmara Federal para enfrentamento dos efeitos das chuvas, deputada federal maranhense já esteve com o ministro Alexandre Padilha e espera por ajuda federal aos municípios atingidos

Roseana entra na linha de frente da luta em favor das vítimas da chuva no Maranhão

A deputada federal Roseana Sarney (MDB) esteve esta semana com o ministro de Relações Institucionais Alexandre Padilha em busca de ajuda para os municípios atingidos pelas chuvas no Maranhão.

Roseana já vinha atuando em favor das vítimas das enchentes, mas sua missão ganhou ares oficiais após ela ser nomeada coordenadora de uma comissão externa da Câmara Federal para enfrentamento doa efeitos das chuvas.

– Tenho me mantido como porta-voz desta triste situação que aflige mais de 35 mil famílias maranhenses – disse a deputada.

Como ex-governadora do Maranhão, Roseana conhece a dificuldade dos municípios nos períodos chuvosos.

Como coordenadora da comissão, ela tem, portanto, cacife para saber onde buscar ajuda.

E esperar pelos resultados…