1

Coroado ainda aguarda, pelo menos, asfaltamento de suas ruas…

Já desiludida quanto às ações de drenagem da Prefeitura de São Luís, comunidade espera passar as festas de fim de ano pelo menos com as ruas asfaltadas, o que aprece cada vez mais distante, sobretudo com a proximidade do período chuvoso

 

PRINCIPAL RUA DO BAIRRO ESTÁ ASSIM DESDE 2011, ENFRENTANDO INVERNO APÓS INVERNO sem nenhum tipo de serviços da Semosp

A Prefeitura de São Luís anunciou em agosto um pacote de obras em São Luís que inclui serviços de drenagem e asfaltamento em vários bairros de São Luís.

Desde então, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça cobra os dois serviços para a comunidade do Coroado – a drenagem e o asfaltamento; serviços estes, aliás, que deveriam estar prontos desde 2010, quando o Banco Mundial liberou milhões para o saneamento do bairro.

Cobranças que podem ser relembradas nos posts abaixo:

Milhões e milhões gastos para nada no Coroado…

Coroado pela enésima vez embaixo d’água…

Coroado com todas as ruas destruídas…

R$ 50 milhões no Coroado por água abaixo…

A vida no Coroado: drenagem não funciona e manutenção pior ainda…

OS ALAGAMENTOS INCOMODAM A COMUNIDADE DO COROADO DE DIA E DE NOITE, levando desespero aos moradores, que sequer podem dormir em paz

Já se passaram nove anos desde a chegada dos recursos e os alagamentos no Coroado continuam ano após ano; e poderiam ser resolvidos com a simples de apenas uma casa na área que impede o escoamento das águas.  (Entenda aqui)

Mas a comunidade já desistiu de ter os serviços de drenagem nesta gestão; espera, agora, ao menos, que possa passar o Natal e o Reveillon com as ruas asfaltadas.

Uma das principais, a Dr. Carlos Macieira – que liga a Avenida dos Africanos à avenida São Marçal – está sem asfalto há mais de oito anos.

ESTA ÁREA FOI ALAGADA EM 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 3 2019, sem nenhuma ação da prefeitura para resolver o problema

Com as cobranças, os agentes da prefeitura dizem que pra asfaltar a via, é preciso fazer a drenagem. e como a Secretaria de Obras não faz a drenagem, a via continua sem asfalto.

E assim segue ano após ano, a calamidade na comunidade do Coroado.

E mais um período chuvoso já se aproxima…

0

Vereador pede reforma de obra inacabada no Coroado…

Por intermédio de indicação, Osvaldo Muller pediu ao Governo do Estado que dê atenção a uma das várias obras paralisadas no bairro, comunidade que sofre com falta de infraestrutura e abandono ano após ano

 

ASSIM FICARIA O CENTRO ESPORTIVO E CULTURAL DO COROADO se as obras fossem levadas a cabo há quase 10 anos…

O vereador Osvaldo Muller (PT) apresentou à Câmara Municipal a indicação 239/19, que pede ao Governo do Estado a recuperação do Centro Cultural e Esportivo do Coroado.

As obras é uma das várias abandonadas pelo poder público no bairro – algumas paralisadas há anos.

A tal obra é de 2011, ainda na gestão João Castelo; e teve anúncio de inauguração ainda em 2013, na própria página da prefeitura. (Veja aqui)

Além do centro esportivo cultural, estão largadas à própria sorte a construção da Praça do Centro Comunitário, o sistema de drenagem e esgotamento, o asfaltamento de todas as ruas, e a obra de drenagem e urbanização do canal do Coroado.

Todas obras cujos orçamentos foram feitos na casa dos milhões. (Reveja aqui, aqui e aqui)

…MAS, ATÉ HOJE, A REALIDADE DO BAIRRO É ESTA, com alagamentos crônicos a cada período de chuvas, sem que nenhuma autoridade resolva o problema

As indicações, como as apresentadas por Osvaldo Muller, não tem poder algum de obrigar o poder público – governo e prefeitura – a realizar a obra.

Mais do que isso, é preciso mobilização da própria comunidade.

Até porque o mandato do vereador é temporário…

Leia também:

Empreiteira da Caema destrói rua no Coroado e se recusa a recuperar…

Milhões e milhões gastos para nada no bairro do Coroado..

Canal do bairro do Coroado: uma obra interminável…

Coroado pela enésima vez embaixo d’água…

0

Gutemberg Araújo manifesta preocupação com estragos causados pela chuva em São Luís.

Gutemberg demonstrou preocupação com a situação de atingidos pelas chuvas

 

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira, dia 27, na Câmara Municipal de São Luís, foram discutidos diversos assuntos relacionados ao plano emergencial desenvolvido pela Prefeitura da cidade para o enfrentamento dos estragos ocasionados pelas chuvas na capital.
O vereador Dr. Gutemberg Araújo (PRTB) demonstrou sua preocupação as pessoas atingidas pela chuva, inclusive com os moradores do bairro Matança, localizado entre os bairros Vera Cruz e Santa Cruz, e em especial com os estudantes que precisam atravessar todos os dias a ponte que fica naquela região para assistir as aulas nas escolas Sá Valle e no Cintra. Estiveram presentes, além dos vereadores, os secretários municipais Antônio Araújo (Obras e Serviços Públicos), Andréia Lauande (Assistência Social), Héryco Coqueiro (Segurança com Cidadania) e Jota Pinto (Articulação Política); além de coordenadores da Defesa Civil.
Em sua fala, o parlamentar fez uma comparação. ” O diagnóstico está feito: São Luís, como várias outras cidades, tem doenças e estamos vendo que uma dessas doenças agudizou. Quando você tem uma doença aguda, temos que pensar urgente no socorro ao doente. O cenário que assistimos é resultado de diversas  questões estruturais .
O vereador prosseguiu falando que vem estudando o assunto e tomado medidas objetivas.
“Levantamos todas as áreas de risco desta cidade, bem como todos os imóveis e prédios abandonados com risco de cair. Vamos apresentar esses dados aqui numa audiência que já solicitamos com a presença da Defesa Civil. Agora, muito mais que fazer o diagnóstico, devemos nos questionar o que devemos fazer para contribuir, pois acredito que este seja o ponto fundamental, diante de todo esse processo. Vamos levantar a presença do governo federal, estadual e municipal. O Brasil só passou a ter o Plano Nacional da Defesa Civil a partir de 2012. Esta é uma responsabilidade compartilhada entre três esferas de poder. A causa todos sabemos. Tenho conversado muito com o vereador Osmar Filho sobre esses temas que preocupam a cidade, como a ocupação desordenada, a agressão às matas ciliares, à nascente de nossos rios, o lixo acondicionado de forma irregular”, enumerou.
O vereador também reconheceu o trabalho do titular da Semosp, Antonio Araújo, por quem se disse ser sempre bem atendido. “”Algumas demandas não foram solucionadas, mas sei que foi por falta de meios”, afirmou. Reconheceu ainda o trabalho da Defesa Civil. “Tenho estudado o trabalho que este órgão desenvolve e sei que os servidores e servidoras são verdadeiros herois e heroínas. Desenvolvem uma tarefa herculea, a despeito de grandes dificuldades”
0

Cratera ameaça casa no Residencial Pinheiros e chuvas agravam o problema..

Buraco vem crescendo nos últimos meses, mas a Caema e a Prefeitura de São Luís não se entendem quanto a responsabilidade pela solução do problema

 

A CRATERA AVANÇA EM DIREÇÃO AO MURO DESTA RESIDÊNCIA, e praticamente isola a rua das demais do bairro

Uma cratera na Avenida 1 do Residencial Pinheiro, entre a Cohama e o Angelim, já ameaça derrubar uma residência da Rua 15.

O buraco, que surgiu no asfalto há alguns meses, foi crescendo com as chuvas e chegou ao limite do muro de uma das casas.

– Eu fui à Caema, uma equipe veio aqui, mas apenas olhou e disse que a responsabilidade é da prefeitura; Já fomos à Semosp e nada – reclamou um dos moradores da rua.

 

É POSSÍVEL VER PRÓXIMO AO BURACO UMA TAMPA DE BUEIRO DA CAEMA, que, no entanto, se exime de responsabilidades

Na tarde desta segunda-feira, 25, alertadas pelo blog Marco Aurélio D’Eça, equipes da prefeitura haviam prometido se deslocar à região.

O blog espera resposta dos moradores sobre a solução, que se repete em várias áreas de São Luís, diante do problema das chuvas…

2

Após chuvas, Edivaldo monta força-tarefa para ações de emergência…

Prefeito acompanhou pessoalmente a situação em várias localidades atingidas em São Luís, cobrou ações imediatas de sua equipe e buscou também auxílio de outros órgãos

 

ACOMPANHADO DE SECRETÁRIOS, Edivaldo visitou locais de desabamento e alagamentos

O prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), passou todo o domingo, 24, em visita a localidades atingidas pelas fortes chuvas que caíram na madrugada causando transtornos e prejuízos.

Acompanhado de equipes da Defesa Civil e da limpeza urbana, Edivaldo reuniu áreas com desabamentos e alagamentos.

– Chove muito em São Luís desde ontem à noite [sábado]. Foram mais de 160 milímetros de chuvas nas últimas 12 horas. e muito superior ás chuvas de anos anteriores. Já determinei o levantamento de todas as necessidades que precisam ser atendidas – ressaltou o prefeito.

As chuvas destruíram casarões, derrubaram árvores e causaram diversos alagamentos em São Luís.

DURANTE REUNIÃO COM AUXILIARES, o prefeito determinou atendimento emergencial às pessoas atingidas

À tarde, reuniu o secretariado para avaliar as ações e definir estratégias para enfrentar o período de chuva, que deve durar até junho.

– Já determinei a retirada das famílias de áreas de ricos para abrigo  a agilidade no pagamento do aluguel social. Aumento de efetivo dos agentes de trânsito. Vamos continuar visitando as áreas e prestando toda a assistência às famílias – disse Edivaldo, em vídeo divulgado em suas redes sociais.

0

Alagados por chuvas de novembro, moradores do Altos do Calhau temem por novas enchentes…

Todas as casas da Rua Duque Bacelar, no condomínio que fica ao lado do Athenas Park, foram inundadas; quase dois meses depois, nenhuma providência foi tomada pelas autoridades

 

A marca de lama em um dos quartos revela até que altura a água subiu nas chuvas de 30 de novembro

Os moradores da quadra 11, da Rua Duque Bacelar, no Recanto dos Nobres, condomínio do Altos do Calhau, vivem há dois meses em um espécie de “vigília da angústia”, esperando pelas chuvas.

No dia 30 de novembro, no primeiro sinal de que o período chuvoso de 2019 será intenso e rigoroso, as casas desses moradores foram todas inundadas por uma espécie de mistura de água e esgoto.

Eles resolveram mandar fotos e vídeos ao blog Marco Aurélio D’Eça depois de um post, que denunciava um esgoto jorrando há quase três meses na região do Parque Athenas. (Relembre aqui)

Foi justamente este esgoto que invadiu as casas dos moradores da região.

– Para melhor entendimento, pelos bairros Recanto dos Nobres-Altos do Calhau (Rua Duque Bacelar), Parque Atenas, Vila Conceição e Quintas do Calhau, passa uma galeria que, corriqueiramente, está sendo fechada, tampada, obstruída por construções irregulares e pela falta de limpeza e manutenção. Tais construções não obedecem o plano de drenagem devido – explica o morador Vitor Augusto, morador da área.

Ele conta que, há 10 anos, quando chegou à área, a vala era aberta, mas a construção das demais casas, e, principalmente, “a construção irregular de centro comercial a vala foi completamente fechada”.

O drama dos moradores do Recanto dos Nobres se repete entre os bairros e conjuntos habitacionais da região do Cohajap, Parque Shalon, Altos do Calhau, Barramar, Quintas do Calhau e as vilas Conceição e Portelinha.

– Vale salientar que já fomos à Prefeitura (SEMOSP e Blitz Urbana) registrar a denúncia e solicitar as devidas providências, mas, infelizmente, nada foi feito até o presente momento – denuncia Vitor Augusto.

Todas as casas tiveram quase 1 metro de alagamento durante as chuvas do início e do fim de 2018; e nenhum serviço foi feito

E o drama de esperar, torcendo para que as chuvas demorem o máximo, vai angustiando os moradores em plena época de festas de fim de ano.

Em tempo: o esgoto denunciado neste blog, continua jorrando imundície, diante da omissão da Caema…

2

Edivaldo Junior em correta postura de homem público…

Prefeito esteve presente nos principais pontos de alagamento ainda durante as chuvas da madrugada e manhã de segunda-feira, ao lado do secretário Antonio Araújo, para tentar refazer os estragos causados pelas inundações

 

Ao lado de Antonio Araújo, Edivaldo coordena as ações da Semosp em área da Jerônimo de Albuquerque atingida pelas chuvas

Está certo que aquele trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque – como vários outros de São Luís – parecem ter uma “cabeça de burro” enterrada, já que entra chuva e sai chuva e eles continuam assim, como mostram as imagens.

Está certo também que a prefeitura de São Luís, entra gestão e sai gestão, não consegue dar jeito ao problema.

O trecho ficou drasticamente destruído pelas chuvas de segunda-feira, que continuaram ontem

Mas está certo também dizer que a postura do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) durante as chuvas da madrugada e manhã da última segunda-feira adotou uma postura respeitável para enfrentar o caos gerado na cidade.

Ao lado do secretário de Obras, Antonio Araújo, Edivaldo esteve ainda pela madrugada nos locais como o da Jerônimo de Albuquerque, acompanhado os trabalhos de recuperação dos trechos destruídos pelas chuvas.

As equipes da Semosp continuaram ontem os serviços de concretagem para contenção da erosão provocada pelas fortes chuvas

E as equipes da prefeitura estiveram em várias frentes, em busca de garantir o ir e vir dos cidadãos em meio à tempestade.

São Luís sofre há anos com alagamentos que poderiam ser evitados com obras estruturantes e definitivas.

Mas é preciso reconhecer a ação de homens públicos que não fogem às responsabilidades.

E Edivaldo Júnior mostrou ser um desses homens públicos…

0

Prefeitura busca saídas para alagamentos no Coroado…

Equipes da Secretaria de Obras fazem espécie de canal na Avenida dos Africanos para evitar acúmulo de água durante as chuvas

 

Equipes da secretaria municipal de Obras realizam há uma semana serviços de construção de uma espécie de canalização entre as pistas da avenida dos Africanos, no Coroado.

O objetivo é garantir o escoamento das águas, que ficam acumuladas na pista durante as chuvas.

Com a passagem, a enxurrada seguirá para o leito do rio das bicas, que passa pelo bairro.

Um projeto mais amplo da Semosp prevê a desapropriação de casas na rua Dr. Carlos Macieira, a fim de evitar as enchentes das ruas do Coroado.

Mas esta é uma outra história…

6

Após chuvas intensas, prefeitura intervém em pontos de alagamento…

Secretaria de Obras intensifica serviços de limpeza de córregos e construção de galerias em áreas como Coroado, Calhau e Vinhais, onde as chuvas tendem a provocar inundações

 

Na rua Cobalto, no Coroado, o serviço é de construção de nova linha de drenagem

 

A Secretaria Municipal de Obras intensificou os serviços de construção de galerias e limpeza de córregos e igarapés, para impedir alagamentos em pontos críticos de São Luís.

Na rua Cobalto, no Coroado, está sendo feito serviço de drenagem e novas galerias, em um dos pontos do bairro que3 ainda alga nas chuvas.

O ponto de alagamento na Jerônimo de Albuquerque é crônico

Semana passada, a prefeitura também interveio na Curva do 90, na região entre o Vinhais e o Cohafuma, num ponto da avenida Jerônimo de Albuquerque que acumula água durante as chuvas.

Trator faz a limpeza de córrego que corta a região do Calhau

Na região do Calhau/Barramar, o serviço é de limpeza do córrego que corta desde o condomínio Gran Park até a avenida dos Holandeses, passando por dentro do Quintas do Calhau e da Vila Conceição.

As obras têm o objetivo de impedir novos alagamentos, como os que ocorreram na última quarta-feira, 1º depois das fortes chuvas.

9

Os mesmos problemas…

Entra ano e sai ano e as mesmas áreas de São Luís são castigadas pelas enchentes causadas pelas chuvas em São Luís; áreas que – entra ano e sai ano – recebem supostos serviços da prefeitura para os mesmos problemas, sem que tome uma ação definitiva

 

Carro boiando em lago no Renascença…

Parecia até remake de cobertura eleitoral.

As emissoras de TV, blogs, rádios e jornais apresentavam, ontem, um lista de áreas de São Luís inundadas pelas chuvas da última quarta-feira, 1º. E são os mesmos onde ocorrem os problemas de sempre a cada período chuvoso.

Renascença II, em frente a um shopping;  Curva do Noventa, à altura de um posto no Cohafuma; Túnel da Cohama, áreas inteiras do Barramar e da Vila Conceição, no Calhau, bairros como Coroado, Coroadinho, Bairro de Fátima, Forquilha, Cohatrac…

Enfim, locais onde situações caóticas se repetem há anos sem que o poder público consiga resolvê-las.

No Renascença, por exemplo, até dezembro de 2016 máquinas faziam uma espécie de dragagem de um canal que corta parte do bairro e que, para os engenheiros da prefeitura, seria a origem dos alagamentos.

As chuvas de quarta mostraram que não é. A menos que o trabalho tenha sido mal executado. (Veja aqui)

No Coroado, entre as gestões do tucano João Castelo e do atual prefeito Edivaldo Júnior (PDT) foram gastos mais de R$ 50 milhões para resolver o problema, mas a origem do problema sequer foi mencionada: uma casa, próxima à avenida dos Africanos, construída em cima do bueiro que deveria escoar a água que desce de todo o bairro. (Saiba mais aqui)

Coroado vive assim a cada inverno, sem que nada seja feito para resolver sua situação

A prefeitura sabe disso, mas se recusa a tomar providência e resolver a vida das mais de 2 mil famílias que ali moram.

Há dois finais de semana, quando as “chuvicas” começavam a dar mostras de que um problema sério estava posto na região da Curva do Noventa, máquinas da prefeitura passaram dias em mexe-mexe no local.

E não resolveram absolutamente nada.

E assim a população de São Luís segue, ano após ano, convivendo diretamente com as mesmas enchentes.

Sempre nos mesmos locais…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão