1

Governo Michel Temer: Fiesp já começa a apresentar a fatura…

Provável futuro presidente já pensa em ampliar para 65 anos a idade mínima da aposentadoria – para homens e mulheres – e tem estudo de flexibilização da CLT para beneficiar empresários, propostas defendidas pela poderosa Federação das Indústrias de São Paulo, que vem financiando as ações pelo impeachment

 

Paulo Skaf, da Fiesp, com Temer: o mercado paulista dará o norte do governo

Paulo Skaf, da Fiesp, com Temer: o mercado paulista dará o norte do governo

Foi pouco repercutida – talvez até por interesses dele próprio – matéria publicada no jornal O Globo, semana passada, com uma síntese de algumas propostas do vice-presidente Michel Temer (PMDB) para a área econômica de um eventual futuro governo.

Temer já admite aumentar para 65 anos a idade mínima da aposentadoria, tanto para homens quanto para mulheres.

Ainda na área da previdência, de acordo com o Globo – que entrevistou o ex-ministro Roberto Brant, responsável pela formulação das propostas nesta área para o novo governo – Temer quer desvincular do salário mínimo os benefícios de aposentados e deficientes.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo vem tentando, há anos, aumentar a idade da aposentadolria, sob a alegação de colapso do sistema. A proposta é criticada por centrais sindicais. E o governo Dilma caiu em desgraça com a Fiesp por se recusar a implantar a idade mínima universal de 65 anos para aposentadoria.

Flexibilização da CLT

Michel Temer também estuda flexibilizar as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), outra proposta da Fiesp.

A ideia é fazer com que os acordos firmados com sindicatos possam valer mais que a CLT, mesmo que o trabalhador não tenha apoiado o acordo.

Por esta proposta, as empresas poderiam, por exemplo, suspender benefícios como hora extra, aumentos regulamentares de salários, e até parcelamento de salários, em comum com sindicatos.

Segundo o jornal O Globo, o virtual futuro presidente estuda encaminhar as propostas ao Congresso ainda no mês de maio, no calor do momento da troca de governo.

Em tempo: a Fiesp vem financiando todos os atos contra o governo Dilma na capital paulista e em outros estados, com o objetivo de derrubar o governo Dilma Rousseff (PT).

Agora, começa a apresentar as faturas ao governo Temer…

Leia aqui a íntegra da matéria de O Globo
6

Perseguidor de si mesmo?!?

Dino e Jerry: a quem vão perseguir agora?!?

Dino e Jerry: a quem vão perseguir agora?!?

O chefe da  Articulação Política do governo, jornalista Márcio Jerry –  lugar-tenente de Flávio Dino no PCdoB – cunhou ontem, no programa Abrindo o verbo, apresentado pelo jornalista Geraldo Castro, na Mirante AM, mais uma frase que entrará para o anedotário político, como tantas outras deste “governo da mudança”.

– O governo é perseguidor da mentira – afirmou Jerry, ao tentar esclarecer fatos controversos apontados pelos próprios agentes públicos.

para cumprir o enunciado da frase, Jerry e seu governo terão que ser perseguidor de si mesmos.

O governo Flávio Dino é um poço de mentiras, meias-verdades, informações desencontradas e farsas cotidianas, confrontadas diariamente pelos fatos públicos protagonizados pelos próprio governo, em todos os níveis.

Jerry, portanto, terá que perseguir o Dino, para corrigir as mentiras do governo.

Ou o Dino perseguir o Jerry.

Ou o Dino e o Jerry, tanto faz…

1

Wellington diz que cobrança na Uema é inconstitucional…

wellingtonO vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Wellington do Curso (PPS), utilizou a tribuna, na manhã desta quarta-feira (3), para solicitar esclarecimentos à Reitoria da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) sobre a cobrança de taxas de matrícula e rematrícula anunciada no Edital nº09/2015, da Pró-Reitoria de Graduação da UEMA.

O edital prevê que a matrícula e rematrícula sejam efetuadas com o pagamento de taxa, sendo o valor mínimo equivalente a R$ 50,00 para acadêmicos de IES e graduados.

A Universidade Estadual do Maranhão, por meio da Pró-Reitoria de Graduação, tornou públicas as normas e instruções para a matrícula de calouros e rematrícula dos estudantes veteranos. Como requisito, tem-se o pagamento de taxas, isto é, para que o aluno possa ser matriculado ou rematriculado na UEMA, deverá pagar uma determinada quantia. Tal cobrança vai de encontro com o art.206 da Constituição Federal, que estabelece o ‘Princípio da gratuidade do ensino público’, concedendo o caráter inconstitucional às taxas que estão sendo cobradas pela UEMA. Ressalta-se aqui, não apenas a mera revogação de taxas para matrícula e rematrícula, mas a importância de se garantir o acesso pleno ao ensino público e gratuito, fomentando assim, o instrumento mais eficaz na concretização de sonhos e transformação de realidades: a educação”, deputado Wellington do Curso.

O deputado solicitou a revogação imediata das taxas

5

Quase 50% do municípios carecem de delegados, diz Zé Inácio…

Parlamentar teve aprovado hoje, Requerimento de sua autoria, que sugere a convocação imediata de 33 excedentes do último concurso; governo sinaliza com a chamada de dez

 

ze

Foi aprovada pela Mesa Diretora na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (1º), requerimento do deputado Zé Inácio (PT) que sugere a convocação imediata dos 33 delegados excedentes aprovados em concurso público para a Policia Civil.

O governo sinaliza com a nomeação de 10 excedentes.

– O governo já sinaliza com a nomeação de 10 dos 33 excedentes. É importante que nós deputados,coloquemos a necessidade da urgência da contratação desses delegados, que já foram treinados, formados e que tem dotação orçamentária para que eles sejam nomeados, portanto, que cobremos do governo este ato com urgência – disse o parlamentar.

Existem 550 cargos de delegados, sendo que mais de 200 vagas prontas para serem preenchidas, distribuídos entre as quatro classes que formam a carreira, além dos 16 pedidos de aposentadoria em andamento. Diante destes cargos vagos essa carência implica em mais de 100 municípios desguarnecidos da presença de delegados de polícia civil, ou seja, quase 50% das cidades do Maranhão não possuem autoridade policial.

Ainda de acordo com Zé Inácio (PT), em determinadas regiões do estado alguns delegados respondem por até seis (06) cidades ao mesmo tempo, como é o caso de Alto Alegre, São Mateus, Lima Campos, Arame, Capinzal do Norte, Lago Açu, Junco do Maranhão, Boa Vista do Gurupi, Pirapemas, Primeira Cruz, Sucupira do Norte, Sucupira do Riachão, Passagem Franca, Nova Iorque, Lagoa do Mato, Santa Filomena, Fortaleza dos Nogueiras, Senador La Roque, Cajapió, Lago do Junco, Logo dos Rodrigues, Lagoa Grande, Nina Rodrigues, Presidente Vargas, Mata Roma e Coelho Neto.

– Com a nomeação desses delegados a realidade desses municípios irá mudar e o governo do estado dará um grande salto no quesito segurança pública – finaliza.

3

Sousa Neto denuncia alto índice de violência no MA…

O crescimento da violência no Maranhão motivou forte cobrança do deputado Sousa Neto ao governo estadual, nesta segunda-feira (4) na Assembleia.

– Enquanto estávamos aqui nesta tarde, um jovem entrava pra estatística de violência desse estado ao ser baleado em um assalto a ônibus em São Luís. O governador Flávio Dino tem que descer do palanque e tomar as providências necessárias para poder, pelo menos, frear a violência – enfatizou ele, ontem, em discurso na Assembleia

Durante a sua explanação, Sousa Neto apresentou dados recentes da violência no estado e cobrou explicações do governo.

– Em um fim de semana, foram 10 mortes violentas na capital e no interior, só na noite de sábado foram 4. Fora os assaltos a ônibus e as explosões de caixas eletrônicos que só este ano foram 21. São dados como esses que me deixam preocupado em relação à segurança do nosso estado, e me faz pedir ao governador que desça do palanque e comece a trabalhar – acrescentou.

Para o deputado, a falta de motivação e as condições de trabalho dos policiais só contribuem para o aumento da criminalidade no Maranhão.

– Além de tudo, o governo mascara os dados sobre a violência para que a sociedade não tenha conhecimento desse quadro alarmante. Mas fiz um levantamento, e os números são absurdos: foram três agências bancárias explodidas em apenas três dias, e 21 explodidas só este ano – informou.

Sousa Neto lembrou que, nos municípios onde ocorreram ataques a agências bancárias existem apenas dois ou três policiais, trabalhando sete dias e folgando sete dias.

– Quem é que vai para o confronto com esses bandidos que só andam com mais de 15, 10? E quando acontece uma explosão no interior do Maranhão, o grupo tático aéreo, que era para estar trabalhando no combate a essas explosões de caixas, ninguém sabe onde está – ressaltou.

O deputado também enfatizou que o governo do Estado está mascarando, mentindo e omitindo informações quando o assunto é segurança pública, citando ainda a fuga de 13 menores do Centro de Ressocialização em São Luís e o crime de pistolagem que vitimou o presidente da Câmara de Vereadores de Santa Luzia do Tide, executado à luz do dia…

3

Grupo sarney em busca de “qualquer um”…

Sem projeto de curto prazo, agrupamento político que reúne alguns dos principais partidos do Maranhão mostra-se dividido, desinteressado e sem rumo para as eleições de 2016

Nenhuma destas lideranças consegue ter um discurso uníssono sobre o futuro do grupo

Desde a derrota nas eleições de 2014 – anunciada, é preciso deixar claro – o chamado Grupo Sarney, reunião de políticos de partidos como PMDB, DEM, PV e PTB, parece ainda não ter assimilado o golpe.

E caminha sem rumo algum para as eleições de 2016.

Sem projeto de curto prazo ou liderança que possa aglutinar as legendas, cada membro do grupo tenta sobreviver como pode, aglutinando-se ou acenando aos novos donos do poder no Maranhão.

Há duas semanas, por exemplo, em entrevista à imprensa, a deputada Eliziane Gama (PPS) revelou que poderia formar aliança com DEM e PV para a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

Leia também:

PMDB e aliados ainda sem rumo…

Sarneysistas (ou ex?) em evento de Luis Fernando…

O sarneysismo covarde de Holandinha…

O próprio Holandinha, oriundo do grupo Sarney, conversa com uma parte de suas lideranças; outras, como o presidente regional do PMDB, João Alberto de Sousa, já admitem apoiar o prefeito nas eleições de 2016.

Cortejado por Eliziane Gama, o DEM admite também dar legenda para o ex-prefeito João Castelo, que pode deixar o PSDB  justamente depois da entrada de outro sarneysista, o ex-prefeito Luis Fernando Silva, que tem a simpatia do deputado Pedro Fernandes (PTB) e do ex-deputado Gastão Vieira (Pros), para concorrer em São Luís pelo grupo do governador Flávio Dino (PCdoB).

E é assim, sem rumo e sem perspectivas imediatas, que o grupo vai lambendo as feridas das derrotas de 2014.

Sem nenhum horizonte em 2016 e 2018…

2

Flávio Dino “esclarece” até festa de aniversário…

Flávio Dino com os seus em sua festa de aniversário; por que tato constrangimento?!?

Este blog já criticou o alto número de “Notas de Esclarecimento” do governo Flávio Dino (PCdoB).

É uma média de quase três por dia, dando a impressão de que o governo vive na defensiva.

Insegura, a Secretaria de Comunicação emite nota de esclarecimento até quando não necessita, a exemplo da explicação sobre a festa de aniversário de Flávio Dino, na última quinta-feira.

E sempre fazendo referência ao governo anterior, que se o “governo na mudança” não conseguisse se libertar.

Qual o problema de o governador comemorar no Palácio dos Leões, com família, amigos e pessoas mais próximas a sua primavera?

Leia também:

Secom virou cartório de desmentidos…

Flávio Dino precisa entender que é o governador do estado, e, como tal, tem prerrogativas de chefe de estado – a menos que a nota seja só mais uma média com a população.

Não justifica todo o constrangimento do comunista. Fica até parecendo que tem algo a esconder.

Na tentativa de “esclarecer” o que não precisa, a Secom acabou até por desmentir o próprio chefe da Articulação Política, Márcio Jerry, que disse ter o governador gastado do próprio bolso a comemoração.

Ora, mais se “o próprio bolso”do governador é bancado pelo estado, de uma forma ou de outra é dinheiro público.

Ou seja, não precisaria explicação alguma.

E a tentativa soou como mais uma demagogia do governador.

Que já está virando piada de tão puro que tenta parecer…

1

Arrogância e prepotência…

De O EstadoMaranhão

O governador Flávio Dino (PCdoB) deu nos últimos dias provas cabais de que se sente, de fato, acima do bem e do mal, com uma inteligência superior a dos demais mortais ou com uma capacidade nunca vista no mundo.

Em duas afirmações pessoais ele exprimiu um misto de arrogância, prepotência, imodéstia e gabolice só perceptível em astros do futebol com pouca infância ou artistas de cinema e TV com pouca capacidade intelectual.

Ontem, em seu perfil no Twitter, onde sugere passar grande parte do seu tempo, ele se auto-exaltou para comemorar o aniversário de 47 anos.

– Meu melhor presente de aniversário: demonstrações de reconhecimento e fé no trabalho por um Maranhão melhor – afirmou Dino.

A afirmação, por si só, é contestada pelos números de pesquisas levantadas pelo próprio governo, que apontam queda de 12 pontos percentuais na aprovação do governo em apenas dois meses. E por reações como as da Fiema, e no lançamento dos JEMs, esta semana, em que jovens ensaiaram vaias a ele e aos seus aliados.

Mas Flávio Dino já havia caprichado nos elogios a si mesmo um dia antes.

– Eu sou reconhecido entre meus pares como exemplo de governar um estado – afirmou o pouco humilde governador, em encontro na sede da Federação das Indústrias do Maranhão, na última quarta-feira.

Além de arrogante, as duas sentenças proferidas por Flávio Dino demonstram também uma incapacidade de autocrítica, de reconhecer erros e de se auto-avaliar.

Talvez por isso, já entrando no seu quinto mês, o governo Flávio Dino seja exatamente isto que se acompanha na imprensa diariamente. E que só o próprio Dino não consegue ver.

Publicado na coluna Estado Maior, em 01/05/2015
0

Othelino discute isenção e impostos no Feryboat…

Othelino, com os secretários estaduais: isenção sendo revista

O 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, na tarde de segunda-feira (27), na Sala de Reuniões da Presidência, o secretário da Fazenda do Maranhão, Marcellus Ribeiro Alves, e o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB), José Arthur Cabral.

Em pauta, a questão das empresas que fazem o transporte marítimo no trecho Ponta da Espera/ Cujupe, a Internacional Marítima e a Serv Porto, que são isentas de impostos estaduais e municipais.

– Pedi ao governo que fizéssemos uma discussão para que possamos analisar a possibilidade de dar um basta a esses benefícios – explicou.

Segundo ele, o fundamental é que o cidadão que utiliza este tipo de transporte tenha bons serviços e seja respeitado enquanto consumidor.

– Percebemos que o Estado tem um amplo programa de recuperação tributária, então,  por que não atacar essa concessão que é injusta e indevida para duas empresas que têm lucros excessivos e prestam péssimo serviço à população? – questionou o parlamentar.

O secretário Marcellus Ribeiro Alves, falou que há duas isenções, uma para o serviço de transporte aquaviário e outra para o óleo diesel.

– O nosso objetivo é fazer uma análise um pouco mais aprofundada da estrutura dessa tributação para que não gere encargo adicional para o consumidor final de tais serviços – disse.

A ideia é extinguir a isenção de impostos estaduais para as empresas de ferryboat, mas com a devida atenção para que o fim dessa isenção não possa provocar pressão por aumento das passagens.