3

Flávio Dino silencia sobre 40 cidades do Maranhão na extrema pobreza

Ex-governador que piorou ainda mais os índices de miséria da população maranhense tenta fugir do debate, mas é obrigado a conviver com números do IBGE e de outros órgãos que mostram o seu fracasso no governo

 

Comunista aumentou o número de miseráveis no Maranhão e agora se esconde do debate sobre o desenvolvimento do estado

Fracassado em sua principal promessa de campanha – tirar os municípios maranhenses do mapa da miséria – o ex-governador Flávio Dino (PSB) foge de qualquer debate sobre o assunto.

E foge por que seu governo comunista aumentou ainda mais o número de miseráveis no estado: foram mais 400 mil em sete anos de mandato.

O último levantamento do IBGE, de 2019, mostra que o Maranhão é o estado brasileiro com o maior número de cidades na extrema pobreza: são 40 municípios nesta situação.

Flávio Dino ainda é obrigado a ver o vizinho Piauí comemorar o fato de não ter mais nenhuma cidade na lista de miseráveis.

Em seu silêncio sobre a pobreza maranhense, o ex-governador comunista conta com a complacência de setores inteiros da mídia – incluindo a a parte sarneysista – hoje alinhados ao seu projeto de poder.

Mas os números falam mais alto e continuam a ecoar, envergonhando o governador que prometeu melhorar o estado e piorou ainda mais sua situação.

E os números não mentem, jamais…

0

Zé Inácio participa de agendas no Piauí

Em visita à governadora do Piauí Regina Sousa, nesta quinta-feira (19), o deputado estadual Zé Inácio (MA) foi convidado a participar da solenidade de lançamento de novas linhas de  crédito do Programa Apoio a Pequenos Negócios – Crédito Urbano e Rural.

A iniciativa tem o propósito de oferecer oportunidades mais justas de desenvolvimento, incentivando o empreendedorismo no campo e na cidade.

“Quero agradecer a governadora Regina Sousa, que nos recebeu muito bem e nos convidou para conhecer e acompanhar o lançamento desse importante programa de apoio a agricultura familiar do Piauí.”, comentou Zé Inácio.

Da assessoria

0

Flávio Dino faz acordo de camaradas no Piauí e prejudica maranhenses…

Em decisão ilegal, porque não constante no Edital do Concurso da PMMA, comunista beneficia conterrâneos do governador petista do Piauí, enquanto força os próprios maranhenses a percorrer longas distâncias pelo sonho do serviço público

JOGO DE COMPADRES. Flávio Dino faz graça para o colega do Piauí e força sacrifício dos maranhenses por uma vaga na PM

Editorial

A decisão do governo comunista de Flávio Dino de deslocar para a capital piauiense de Teresina um dos pólos para realização de provas do concurso da Polícia Militar do Maranhão, foi o que se chama uma “mão na roda” para o seu camarada governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

Com o amigo Flávio Dino, Wellington Dias conseguiu que seus conterrâneos pudessem fazer a prova de um outro estado na comodidade de sua cidade, sem precisar se deslocar por longas distâncias.

Enquanto isso, os conterrâneos de Flávio Dino foram obrigados a se deslocar por milhares de quilômetros para fazer a prova, já que o comunista determinou apenas três polo no Maranhão: São Luís, Caxias e Balsas.

Para se ter ideia do prejuízo para os maranhenses, um concorrente de Balsas precisará fazer a prova em Imperatriz, polo mais próximo de sua cidade. A distância entre os dois município é quase tão grande quanto o deslocamento para outros estados.

LEGIÃO “ESTRANGEIRA”. Palácio dos Leões parece querer os maranhenses distantes da Polícia Militar do seu estado

O benefício aos piauienses concedido por Flávio Dino não tem precedentes na história política, e ganha contornos de escândalo porque sequer foi previsto no Edital do Concurso da PMMA.

Até agora, no entanto, nenhuma das autoridades  judiciais – que parecem anestesiadas pelo poder comunista – manifestou qualquer posição contrária à arbitrariedade e ao compadrio promovido por Flávio Dino.

É assim no Maranhão da mudança comunista…

0

Quadrilha que ameaça fraudar urnas agiu nos arredores do Maranhão…

Investigação da Polícia Federal chegou ao município de Piripiri, no vizinho estado do Piauí, o que torna bem próximo do estados os riscos de golpe eleitoral no pleito de outubro

 

urnaPelo menos um dos inúmeros mandados da operação Clístenes da Polícia Federal – que desbaratou uma quadrilha que anunciava o poder de fraudar as eleições de outubro – foi cumprido nos arredores do Maranhão.

A polícia chegou ao município de Piripiri, onde conduziu coercitivamente uma pessoa para depor. (Leia a informação completa aqui)

Leia também:

Especialistas apontam possibilidades de falhas na urna eletrônica…

Presidente do TRE: “é impossível fraudar a urna eletrônica…”

A quadrilha prometia garantir a vitória a candidatos, mediante alteração do dados da urna eletrônica, ao preço de R$ 5 milhões para uma eleição majoritária e R$ 600 mil para uma vaga de vereador.

Os criminosos diziam ter contato com uma empresa que atualiza o software das urnas eletrônica.

0

Vereador denuncia farsa da pactuação para atendimento hospitalar no Piauí…

Governador Flávio Dino anunciou que assinou acordo com Governo do Piauí para que o Maranhão pague pelos atendimentos na rede hospitalar daquele estado; mas segundo parlamentar, o contrato é de boca e prejudica os maranhenses

 

Vereador Tua: "contrato é de boca"

Vereador Tua: “contrato é de boca”

Na semana passada, o governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou com estardalhaço que havia feito um pacto com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), e com o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), para que os maranhenses de seis municípios pudessem continuar sendo atendidos naquele estado.

– Nós fizemos uma pactuação com a Prefeitura de Teresina no que se refere a seis municípios maranhenses. Nós vamos pagar os serviços em Teresina, mediante regulação do SUS (Sistema Único de Saúde). Esse caminho, nós acertamos, já houve esse acordo. Agora, nessa semana, nós estamos iniciando a regulação, de forma que a nossa expectativa, o nosso desejo é continuar os serviços de saúde do Piauí e, dessa vez, mediante remuneração, com o Maranhão pagando o sistema de saúde do Piauí porque não é justo que haja a compensação e que essa integração deve se dar em várias dimensões. Essa compensação é para os serviços e atendimentos médicos de alta complexidade – declarou Dino. (Leia mais aqui)

Esta semana, o vereador Luiz Firmino Souza Neto, o Tua (PMN), de Timon, criticou o “pacto”, que disse existir “só de boca”, e denunciou que pacientes maranhenses continuam sendo rejeitados nos hospitais do Piauí.

Segundo ele, o município mais prejudicado é Timon, que faz divisa com Teresina. O vereador diz que dos 300 pacientes com câncer necessitando de ajuda, apenas 10 são atendidos em Teresina. (Leia a íntegra aqui)

Com a palavra, o governador maranhense…