0

Duarte Jr. deve perder seu coordenador de campanha…

Provável retorno do vice-governador Felipe Camarão para o comando da Secretaria de Educação torna o candidato do PSB a prefeito o principal atingido na disputa interna entre o governador Carlos Brandão e o grupo do agora ministro do STF, Flávio Dino

 

Felipe Camarão e Duarte Jr. devem seguir agora cada um pro seu lado, após crise com o governo Carlos Brandão

A crise entre o governador Carlos Brandão (PSB) e o grupo remanescente do agora ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino atingiu diretamente a campanha do deputado federal Duarte Jr. (PSB) a prefeito de São Luís.

  • Após forte pressão de dinistas, Brandão deve reconsiderar a exoneração do vice-governador Felipe Camarão do comando da Seduc;
  • em contrapartida, Camarão deve deixar a coordenação de campanha de Duarte, principal motivo para sua saída da secretaria.

O apoio do governo à candidatura de Duarte Jr. é um pedido do próprio Flávio Dino

Mas Brandão sempre resistiu à ideia de ser o coordenador, motivo pelo qual Felipe Camarão foi designado para o posto, a pedido de Dino, seu padrinho político.

O governador viu nisso uma brecha para tirar o vice-governador da Seduc, mas a operação acabou não dando certo.

E agora, é Duarte quem terá de encontrar novo coordenador que dê ânimo à sua campanha…

0

Brandão e Felipe terão nova reunião sobre Seduc…

Aliados do vice-governador pressionaram após decisão do governador que afastou o titular da pasta sem direito a indicação do substituto, o que levou a uma crise de bastidores que poderia atingir não apenas a base governista, mas a própria campanha do deputado federal Duarte Jr. em São Luís

 

Como vice-governador e secretário de Educação, Felipe Camarão, é o principal representante do grupo de Flávio Dino no governo Carlos Brandão

O vice-governador Felipe Camarão (PT) confirmou a este blog Marco Aurélio d’Eça, no início da manhã desta quarta-feira, 3, que terá uma nova conversa com o governador sobre sua permanência no comando da Secretaria de Educação.

Vamos falar hoje a noite sobre isso”, disse o vice-governador, que havia sido exonerado na tarde desta terça-feira, 2, em ato que gerou forte reação da base formada pelos remanescentes do dinismo no governo Brandão.

O grupo do agora ministro do Supremo Tribunal Federal esperavam duas posições do governador:

  • 1 – que Felipe Camarão pudesse coordenar a campanha de Daurte Jr. sem a necessidade de deixar a Seduc;
  • 2 – se isso não fosse possível, que o seu substituto na pasta fosse seu secretário-adjunto Anderson Lindoso.

Ao exonerar  o vice-governador, Brandão indicou automaticamente a atual secretária extraordinária de gestão das verbas federais, Jandira Dias, ligada à família Brandão, num indicativo de que o petista não mais voltaria ao cargo, após as eleições.

Num primeiro momento, Felipe Camarão até aceitou a mudança, posando ao lado de Brandão em postagem do governador; mas após conversar com seus aliados dinistas recuou e decidiu que, nessas condições não se licenciaria e não assumiria a coordenação de campanha de Duarte.

Agora, petistas, dinistas e comunistas esperam o recuo do próprio Brandão…

0

O dia D para a relação de Brandão e Flávio Dino…

Exoneração do vice-governador Felipe Camarão da Seduc – com indicação de uma mulher de confiança da família do próprio governador – gerou uma série de troca de mensagens, idas e vindas, e a decisão do presidente do PCdoB maranhense, Márcio Jerry, principal aliado do ministro do STF, de retornar ao Maranhão minutos depois de desembarcar em Brasília

 

O sorridente Felipe Camarão da postagem de Brandão após exoneração da Seduc deu lugar a outro, depois de ele conversar com dinistas, petistas e comunistas

Esta terça-feira, 2, deve marcar na história maranhense o dia D da relação entre o governador Carlos Brandão (PSB) e o agora ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino, com forte influência na relação de poder entre os grupos dos dois líderes. 

Ao desembarcar em Brasília nesta tarde, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) – principal interlocutor de Dino no Maranhão – só teve tempo de pegar um avião de volta, justificando que “fatos de imensa relevância me obrigam a voltar ainda hoje para reunir com vários companheiros e com a direção do PCdoB”.

  • horas antes, o governador Carlos Brandão havia confirmado a exoneração do vice-governador Felipe Camarão (PT) da Secretaria de Educação;
  • o vice petista queria manter no comando da pasta seu auxiliar de confiança, Anderson Lindoso, mas a família Brandão indicou Jandira Dias;
  •  Camarão ainda chegou a posar com Brandão após anúncio da mudança, mas a repercussão negativa o fez voltar ao Palácio dos Leões para refazer a posição.

Nas horas que se seguiram à saída de Camarão este blog Marco Aurélio d’Eça manteve intensa troca de mensagens com o próprio vice, com seus aliados e aliados de Brandão; o clima entendido nas conversas era de forte crise política.

A Márcio Jerry a pergunta foi direta:

Soube que o senhor vai entregar a Secid?”, perguntou o titular deste blog Marco Aurélio d’Eça;

Falarei amanhã após reunião que farei logo cedo; após isso e ouvindo a presidente nacional vamos tomar decisões”, respondeu o parlamentar.

A relação do próprio Jerry com o governo Brandão já vem desgastada desde a semana passada, quando os irmãos do governador anunciaram o candidato a prefeito de Colinas, onde a família do deputado espera há oito anos pelo apoio ao atual vice-prefeito João Haroldo Barroso (PCdoB).

Na segunda-feira, 1º, Márcio Jerry já havia declarado em entrevista à TV Mirante que a recusa dos Brandão ao apoio a João Haroldo influenciaria na aliança do grupo dinista com o governo; no mesmo dia, também segundo apurou este blog Marco Aurélio d’Eça, Brandão chamou Jerry ao Palácio, propôs a retirada da candidatura de João Haroldo e ouviu um “não!”.

Foi a partir daí que o governador decidiu afastar Felipe Camarão da Seduc e assumir o comando da pasta.

O que aconteceu, acontece e acontecerá depois são o desenrolar dos fatos…

2

Felipe Camarão já atua à frente da campanha de Duarte Jr…

Vice-governador e secretário de Educação participa nesta segunda-feira, 1º da apresentação do deputado federal como candidato único da base do governo Carlos Brandão, em evento no Ximenes Palace

 

Camarão faz discurso em evento com Duarte Jr., que será apresentado nesta segunda-feira, 1º como candidato único na base do governo Brandão

À frente da campanha do deputado federal Duarte Jr. (PSB) desde a semana passada, o vice-governador Felipe Camarão (PT) tem atuado diretamente nas reuniões de bairro e com aliados em diversa ações.

O líder petista divide as atribuições de campanha com a rotina na Secretaria de Educação, onde continua a dar expediente no auxílio ao governador Carlos Brnadão (PSB).

O Duarte hoje, de 2024, é o mesmo Duarte que começou lá em 2015, mas é um Duarte melhorado, com um upgrade”!, define Camarão.

Nesta segunda-feira, 1º, o titular da Seduc comandará a apresentação de Duarte Jr., como candidato único da base do governo Brandão, em evento no Ximenes Palace, unidade do Turu, a partir das 19 horas.

Sobre a permanência na Seduc, ele ainda deve conversar com Brandão.

Mas esta é uma outra história…

Post alterado ás 15h40 dia 1º de julho para correção de informação

0

Saída de Felipe Camarão da Seduc repercute mal entre aliados…

Representantes do grupo remanescente do dinismo e líderes do PT com influência nacional veem a exoneração do vice-governador da pasta da Educação – para ser coordenador da desanimada campanha do deputado federal Duarte Jr. a prefeito – como a união do útil e do agradável no projeto de poder do governador Carlos Brandão

 

Felipe Camarão vai coordenar a campanha de Duarte Jr. a prefeito, peso que Carlos Brnadão queria tirar dos seus próprios ombros

Repercutiu negativamente entre membros do PT e entre aliados do ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino a exoneração do vice-governador Felipe Camarão (PT) do comando da Secretaria de Educação; ele será o coordenador da desmotivada campanha a prefeito do deputado federal Duarte Jr. (PSB).

A informação foi dada em primeira mão nesta terça-feira, 25, no blog do jornalista Jorge Aragão. (Leia aqui)

Este blog Marco Aurélio d’Eça ouviu lideranças petistas com influência nacional, líderes e parlamentares ligados a Dino; e para todos a opinião é só uma: “o governador Carlos Brandão (PSB) uniu o útil ao agradável ao conseguir afastar Camarão da Seduc e ainda tirar de si a responsabilidade pela campanha de Duarte”.

Não sei se dele próprio ou de quem orienta, mas é um erro Felipe adquirir a alcunha de coordenador de campanha. Nunca vi um coordenador de campanha ganhar eleição. Já vi vários perderem; claro q jogaram linha pra saída dele, o camarão caiu”, pontuou um petista com importante trânsito em Brasília.

Um aliado de Flávio Dino mais independente foi ainda mais direto em relação à casca de banana jogada pelo Palácio dos Leões.

Até ontem à noite o indicativo era o de que Felipe não toparia essa condição. Mas, claramente, Brandão quer tirar Felipe da secretaria. E se sair não creio que retorne”, afirmou.

Este blog Marco Aurélio d’Eça ouviu vários outros líderes políticos, dinistas e brandonistas, e todos viram como um caminho sem volta a saída do vice-governador do comando da Seduc.

Ao próprio Felipe Camarão foi perguntado se “há algum acordo para que ele retome o cargo após as eleições”.

Até a edição deste post, o vice-governador  não havia respondido à pergunta…

0

Felipe Camarão lembra um ano de posse na Secretaria de Educação…

Vice-governador  destacou em suas redes sociais o primeiro aniversário de sua recondução ao cargo pelo governador Carlos Brandão, de quem foi companheiro de chapa nas eleições de 2022; gesto foi seguido por outros auxiliares do governo

 

Felipe Camarão com Brandão no dia da posse dos secretários, há um ano: “honra pela recondução ao cargo”, disse o vice-governador

O vice-governador Felipe Camarão (PT) divulgou em suas redes sociais nesta segunda-feira, 4, o primeiro aniversário da posse na Secretaria de Educação, para onde foi reconduzido pelo governador Carlos Brandão em 4 de fevereiro de 2023.

Camarão foi secretário de Educação no governo Flávio Dino entre 2016 e 2022; deixou o posto para concorrer a vice-governador, na chapa do próprio Brandão, que venceu a eleição em primeiro turno; Brnadão e Camarão assumiram em janeiro de 2023, mas os secretários só foram oficialmente empossados em 4 de fevereiro.

– Há 1 ano fui honrosamente reconduzido ao cargo de secretário de Estado da Educação, pelo governador Carlos Brandão (PSB)  , após 11 meses afastado, para concorrer nas eleições de 2022 – lembrou o secretário.

Em sua postagem o secretário lembrou do compromisso que assumiu e que vem cumprindo diariamente, desde 2016, para melhorar as condições de vida do maranhense por intermédio da Educação.

– Transformar suas vidas com uma educação pública de qualidade e igualitária – pregou.

O gesto de Felipe Camarão foi seguido por outros auxiliares do governador nas redes sociais; foi possível ver, por exemplo, postagem parecida da presidente do Procon-MA, Karen Barros, mulher do deputado federal Duarte Júnior (PSB).

Para ilustrar o post, ambos – Felipe e Karen – publicaram fotos com Brnadão no dia da posse dos secretários…

0

Seduc vai reordenar professores para melhor aproveitamento em sala de aula

Governador em exercício, que comanda também a Secretaria de Educação, garante em reunião com o Simproessema, que nenhum docente da rede estadual será demitido, desmentindo notícias dando conta desta possibilidade

 

Felipe Camarão recebeu o secretário de Educação em exercício, Anderson Lindoso, e representantes do Simproessema

O governador  em exercício Felipe Camarão (PT) garantiu nesta terça-feira, 3, que todos os professores da rede estadual de ensino participarão do processo de reordenamento para melhor aproveitamento em sala de aula.

Camarão, que é também o titular licenciado da Secretaria de Educação, desmente notícias de que haverá demissões na Seduc.

– Não procede a informação de que a Seduc está demitindo professores contratados da rede; garanto que nenhum professor será demitido – afiormou o governador  em exerício.

Titular em exercício na Seduc, o adjunto Anderson Lindoso participou de reunião com Felipe Camarão e com professores ligados ao sindicato da categoria, em que foram debatidas titulações e progressões.

– O que estamos é realizando o reordenamento de docentes, visando o melhor aproveitamento desses em sala de aula, conforme acordo com o MP e sindicato – assegurou o governador em exercício.

As titulações e progressões serão implementadas ainda nesse ano…

0

Vete Botelho assume o cargo de Secretária Adjunta de Administração da Seduc

Na última terça-feira, 13, Vete Botelho, ex-prefeita de Itinga do Maranhão e ex-deputada estadual, foi designada como Secretária Adjunta de Administração da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC). A nomeação, feita pelo governador Carlos Brandão, marca um passo significativo na carreira política de Vete, que desfruta de amplo apoio popular na região tocantina.

Reconhecida por seu incansável empenho em prol da educação e do desenvolvimento de Itinga do Maranhão, Vete Botelho é servidora pública federal, formada em administração e pedagogia, e chega à SEDUC com a missão de contribuir ainda mais para a melhoria da qualidade da educação no estado. Sua experiência como gestora pública e sua perspicácia no enfrentamento dos desafios educacionais serão valiosas nessa nova empreitada.

A escolha de Vete Botelho reflete o compromisso do governo do estado, através do governador Carlos Brandão, e da secretaria de educação, conduzida pelo vice-governador Felipe Camarão, em valorizar a educação e reconhecer o potencial de liderança das mulheres engajadas na política. Com sua experiência, conhecimento e determinação, Vete está preparada para enfrentar os desafios e contribuir para a construção de um sistema educacional mais inclusivo e de qualidade em todo o estado do Maranhão.

A trajetória de Vete Botelho é um exemplo inspirador para todas as mulheres que desejam ocupar posições de destaque na política e contribuir para o desenvolvimento de suas comunidades. Com sua determinação e apoio político sólido, ela certamente alcançará conquistas importantes para a educação no Maranhão.

Da assessoria

2

Felipe Camarão anuncia retorno das aulas para segunda-feira, 3…

Protagonista no embate direto e no diálogo com os professores e sindicalistas, vice-governador – que também é secretário de Educação – trabalha agora para garantir a efetividade do ano letivo nas escolas onde houve paralisação

 

Camarão dialogou com os professores, mas buscou outros meios para por fim à greve da categoria

O vice-governador Felipe Camarão (PT) teve papel fundamental na busca pela retomada das aulas nas escolas da rede estadual paralisadas por causa da greve doa professores.

Agora, ele tem outro desafio: garantir a efetividade do ano letivo; para isso, já marcou para segunda-feira, 3, a volta às aulas em todas as escolas que foram atingidas pela greve dos professores.

– Cheguei em São Luís e fui diretamente me reunir com os gestores das 19 UREs e alguns gestores escolares, para traçarmos nossas metas para a rede estadual e planejarmos a volta às aulas na próxima segunda-feira, nas escolas em que os professores estavam em greve – disse Camarão.

Professor, gestor e sub-chefe de estado, Felipe Camarão conduziu as ações anti-greve em duas frentes: não deixou de dialogar com a categoria, mas usou os instrumentos necessários para garantir o retorno às aulas.

O resultado foi a asfixia do Sindicato dos Professores e a consequente decretação do fim da greve, com o esfacelamento da liderança da categoria.

Para o bem ou para o mal, vitória significativa de Felipe Camarão e do governo Carlos Brandão (PSB).

2

As mentiras de Brandão sobre o assassinato da Seduc que envolve seu próprio sobrinho…

Governador-tampão só falou uma verdade no debate da TV Mirante: admitiu a presença de Daniel Brandão na cena do crime; fora isso, mentiu sobre a prisão do assassino, sobre os motivos da presença do sobrinho-secretário e até sobre o que o levou a mandar pagar R$ 778 mil que estavam retidos desde 2014 na Secretaria de Educação

 

Carlos Brandão também tentou proteger o sobrinho envolvido em divisão de propina que resultou em assassinato, mas acabou por mentir durante o debate da TV Mirante

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) foi obrigado no debate da TV Mirante a falar sobre o assassinato do empresário João Bosco, crime resultante da desavença na partilha de propina de recursos da Secretaria de Educação.

E mentiu o governador, mas mentiu muito mesmo, segundo apontou o blog do jornalista Gláucio Ericeira. (Leia aqui)

Ao admitir na cena do assassinato a presença do seu sobrinho Daniel Brandão – secretário do seu governo – Brandão mentiu a primeira vez, ao dizer que sua presença ali se deu por acaso.

Foi Daniel Brandão quem combinou a reunião no Tech Office; e foi ele quem chamou para a mesa onde estava a vítima o assassino Gibson Cesar Soares, chegando a sentar-se com os dois até minutos antes do assassinato.

Outra mentira do governador foi declarar em resposta no debate da Mirante que o assassino foi preso dois dias depois do crime, em uma ação policial.

Gibson César, na verdade, se entregou apenas 10 dias depois do assassinato, em 29 de agosto, e passou apenas uma semana preso, beneficiado por um habeas corpus do desembargador Ronaldo Maciel.

O que a polícia está fazendo, na verdade, é tentar abafar o crime, sob ordens do comando da Segurança Pública, toda indicada por quem? Exatamente pelo próprio Daniel Brandão, envolvido no caso.

A tentativa de explicação do crime envolvendo recursos do seu governo encerrou outras mentiras de Brandão; a mais grave, porém, foi a relacionada com o pagamento dos R$ 778 mil que resultaram na morte de João Bosco.

De acordo com o governador-tampão, o dinheiro só foi pago por determinação do Ministério Público do Trabalho (?).

Ora, não há na enciclopédia jurídica mundial nada que possa apontar que o ministério público, seja ele qual for, tenha o poder de determinar alguma coisa ao Poder Executivo.

Pior: os R$ 778 mil estavam represados na Seduc desde o governo Roseana, há mais de oito anos; e foi pago por Brandão em um processo que durou menos de 24 horas.

O governador-tampão Carlos Brandão sabe que não tem como explicar o pagamento deste dinheiro a não ser pela via do esquema de corrupção eleitoral.

E sabe também que seu sobrinho agiu para liberar os recursos na Seduc e para fazer a divisão do dinheiro.

Mas vai continuar mentindo.

É o que lhe resta…