1

Flávio Dino e Carlos Brandão fracassam e Bolsonaro é quem vai resolver problema da Lagoa da Jansen

Senador Roberto Rocha acompanhou no fim de semana técnicos da Codevasf que foram vistoriar a área para realização de serviços de recuperação das comportas e melhoria nas condições sanitárias

 

Roberto Rocha mostra aos técnicos da Codevasf a área da Lagoa que secou por incompetência do governo Flávio Dino

O senador Roberto Rocha (PTB) acompanhou neste fim de semana técnicos da Codevasf em vistoria na Lagoa da Jansén.

A Lagoa, um dos principais pontos turísticos de São Luís, enfrenta problemas de infraestrutura desde o governo Flávio Dino (PSB), mas nem Dino, nem o sucessor-tampão Carlos Brandão (PSB) tiveram competência pra solucionar o problema.

O fracasso de Dino e Brandão foi publicado com exclusividade no blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Governo Flávio Dino já sabia do problema na Lagoa da Jansen, mas deixou a bomba no colo de Brandão”.

Agora, será o governo Jair Bolsonaro (PL) quem irá recuperar a área.

– Levamos o engenheiro da Codevasf, especialista em comportas, Júlio César Vaz de Mello, para checar as condições do local, que precisa ser recuperado, independentemente de quem seja o culpado – disse Roberto Rocha.

Segundo o senador, os recursos para recuperação da lagoa já foram conseguidos por ele no Ministério do Desenvolvimento Regional.

– Tão logo seja liberada a licença ambiental, as obras serão iniciadas – afirmou.

0

MOB nega que “ferry velho” trazido por Brandão tenha sido reprovado, mas admite nova vistoria da Capitania

Agência que regulamenta os transportes no Maranhão revela em nota que a Marinha pediu documentos e procedimentos administrativos em relação à embarcação de mais de 35 anos, batizada de “José Humberto’ e que foi apresentada pelo governador-tampão como “de alto padrão”

 

O ferry velho trazido do Pará por Brandão tem mais de 35 anos e recebeu apenas reparos para fazer a travessia São Luís/Cujupe

A Agência de Mobilidade Urbana do governo-tampão de Carlos Brandão (PSB) negou hoje, em nota, que o ferry boat de 35 anos trazido do para fazer a travessia São Luís/Cujupe tenha sido reprovado peal Capitania dos Portos.

Mas na mesma nota, a MOB informa que a Capitania ainda precisará fazer “vistoria final para liberação da embarcação”.

– A Diretoria de Operações Aquaviárias já informou à Capitania dos Portos que todas pendências foram sanadas e aguarda vistoria final para liberação da embarcação – diz o documento da agência.

A Capitania dos Portos já fez uma primeira vistoria no ferry velho trazido por Brandão; segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, há problemas no motor de propulsão, inadequado para a travessia de mar alto como o trecho do Boqueirão, na Baía de São Marcos.

O Ministério Público também questiona a qualidade da balsa anunciada por Brandão como sendo “de alto padrão”.

Abaixo, a nota da MOB:

 

3

Brandão foca em Imperatriz para tentar reverter “vantagem monstra” de Weverton

Praticamente desconhecido no segundo maior colégio eleitoral do Maranhão, governador-tampão enfrenta ainda a antipatia do povo imperatrizense ao comunosocialista Flávio Dino, inventor de sua candidatura

 

Fraquíssimo em Imperatriz, Brandão prepara rombo nos cofres públicos para tentar reverter a situação na cidade

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) iniciou nesta sexta-feira, 6, uma verdadeira ação de guerra em Imperatriz, para tentar reverter  seus baixíssimos índices de intenção de ovtos no município, o segundo colégio eleitoral do estado.

Brandão perde de lavada para o senador Weverton Rocha (PDT) em Imperatriz, e tenta agora usar o dinheiro do estado para tentar virar o jogo.

A estratégia, porém, é equivocada.

Além de  desconhecido, Brandão sofre rejeição pela antipatia que o povo de Imperatriz nutre pelo ex-governador Flávio Dino9, seu padrinho político; além, disso, Brandão aposta no ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB) para fazer o contraponto com o prefeito Assis Ramos(União Brasil), que apoia Weverton.

Mas não é só em Imperatriz que Brandão perde para Weverton.

Em todos os principais colégios eleitorais do estado o tampão está atrás do pedetista; em Caxias, por exemplo – embora tenha o apoio do prefeito Fábio Gentil (PRB) e de praticamnte tosas forças políticas da cidade – a diferença é de três por 1 em favor de Weverton, segundo a última pesquisa Exata.

Pelo que se vê em Imperatriz, o governador-tampão via precisar arrombar os cofres públicos para tentar reverter a vantagem de Weverton, mas aí entrará no ariscado jogo do crime eleitoral.

E a Justiça Eleitoral está de olhos abertos…

3

“O povo contra as elites tradicionais”, diz Weverton, sobre eleições de outubro

Ao falar a membros do PT de todo o Maranhão, em evento na quarta-feira, 20, pré-candidato do PDT ao governo destacou que as fotos de encontros dos seus principais adversários mostram que as velhas práticas políticas estão de volta ao estado

 

A classe trabalhadora, os movimentos sociais, sindicatos e representações do campo, da cidade e dos povos negros e indígenas estão ao lado de Weverton contra as elites tradicionais maranhenses

O senador Weverton Rocha (PDT) definiu, na quarta-feira, 20, em encontro com petistas maranhenses, o tom de como será as eleições de outubro, em que a população estará claramente contra a imposição das elites tradicionais maranhenses.

– Antigas elites políticas estão de volta. Basta ver as fotos de quem está comandando o governo, que já nasce fracassado pelas velhas práticas – afirmou Weverton.

Embora não tenha citado nomes, o senador se referia ao governador-tampão Carlos Brandão, que trouxe de volta ao poder figuras já consideradas superadas na política maranhense, como o ex-governador José Reinaldo Tavares, os ex-deputados Anderson Lago, Marcone Farias, Nan Souza, os ex-prefeitos de São José de Ribamar, Luiz Fernando Silva, e de Imperatriz, Sebastião Madeira, além de diversos remanescentes do antigo Grupo Sarney.

Aos petistas e convidados de outros partidos do campo progressista presentes ao encontro do PT, Weverton destacou que essa relação “povo contra elite” fica clara quando se vê sua base de apoio, formada, sobretudo, por segmentos dos trabalhadores, movimentos sociais, sindicais e do campo.

– É a luta do povo contra as elites; e não é apenas uma luta de classes, mas de gerações – afirmou o senador.

A imagem acima mostra a cara do governo-tampão de Carlos Brandão, com a volta de velhas práticas políticas da elite tradicional maranhense, agora encastelada no Palácio dos Leões

Até mesmo o PT, que organizou o encontro com Weverton, mostra-se dividido socialmente nestas eleições.

Do lado de Brandão está a elite do partido, dirigentes com altos caros no Palácio dos Leões para si e para familiares; já com Weverton, estão o que ele chama de petistas-raiz, aqueles da base partidária, que atuam diretamente nas ruas e na luta da classe trabalhadora, no campo, na cidade, nas comunidades quilombolas e terras indígenas em todo o Maranhão.

E a disputa “povo X elite tradicional” se vê também na própria imprensa.

Uma parte da mídia, envelhecida, defende velhas práticas e tenta dar suporte aos antigos grupo que dominaram o governo-tampão; do outro lado, está a parte mais progressista da mídia, que sempre atuou em defesa da sociedade e da inclusão social, tanto nos governos Sarney, quanto Jackson, José Reinaldo ou mesmo Flávio Dino.

Para Weverton, essa união popular e progressista fará a diferença na disputa contra as famílias e grupos tradicionais que voltaram ao poder com Brandão.

Numa batalha de classes e de gerações…

3

Brandão vai ter que refazer obra entregue há menos de três meses por Flávio Dino

Rodovia MA-315, na região de Paulino Neves, foi feita a toque-de-caixa pelo ex-governador e já gerou um enorme buraco, com riscos de mais buracos ao longo do percurso, num desperdício de dinheiro público que cai no colo do governador-tampão

 

Obra entregue a toque de caixa por Flávio Dino teve que receber intervenção menos de três meses depois para colocação de tubulação

Uma das bombas deixadas pelo ex-governador Flávio Dino (PSB) ao seu sucessor, Carlos Brandão (PSB), vai trazer uma dor de cabeça ao governador-tampão.

A MA-315, entregue por Dino há menos de três meses já tem uma enorme cratera aberta; e outros buracos ameaçam surgir ao longo do percurso.

O ex-governador entregou diversas obras e serviços a toque-de-caixa, deixando diversas bombas com o governador-tampão.

Na MA-315, só agora, depois da erosão causada pelas chuvas, o governo decidiu colocar anilhas de escoamento d’água.

Além de ter que lidar com greves de professores, policiais civis e ameaças de greves de outras categorias, Brandão vai precisar gastar dinheiro público em obras que já foram pagas.

E a população é quem pega conta…

3

Brandão promete a mesma pasta a vários e gera crise entre aliados

Deputados Fábio Macedo, Duarte Júnior e Pedro Lucas, além do irmão da senadora Eliziane Gama, Eliel Gama, tinham espaços garantidos no futuro governo pelo vice-governador, que agora negocia com novos apoiadores de última hora

 

Para construir base eleitoral a qualquer custo, Brandão oferece o mesmo cargo a mais de um apoiador, o que tem provocado desgaste entre aliados

A tentativa de consolidar sua base eleitoral tem levado o vice-governador Carlos Brandão (ainda no PSDB) a gerar crises entre aliados por causa de espaços no futuro governo, que começa dia 2 de abril.

Já manifestaram insatisfação com as múltiplas negociações de Brandão o deputado federal Pedro Lucas Fernandes (União Brasil) e os estaduais Fábio Macedo (PROS) e Duarte Júnior (PSB).

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, o problema ocorre por que Brandão – para criar artificialmente uma base de apoio – tem loteado o governo prometendo a mesma pasta a dois ou até três pretensos apoiadores, o que gera o desgaste.

No caso de Duarte Júnior – que, segundo a imprensa ameaçou até deixar o PSB – Brandão teria oferecido o Viva Procon, gerenciado pela sua mulher, em troca do apoio do MDB.

A insatisfação de Macedo, ainda segundo apurou este blog, se dá pela decisão de Brandão de entregar o controle, do Detran ao deputado federal André Fufuca (PP); o deputado estadual tinha como certo que o órgão seria presidido pelo seu irmão, ex-prefeito de Dom Pedro Hernando Macedo.

Também esperava espaço de poder consolidado no governo Brandão o presidente do Cidadania, pastor Eliel Gama, que é irmão da senadora Eliziane Gama (Cidadania); a ele, também teria sido oferecido o mesmo Detran “dado” a Macedo e a Fufuca.

O problema para Eliel é que o Cidadania está e em federação com o PSDB, que já se posicionou pelo apoio a Weverton Rocha no Maranhão.

Para Pedro Lucas, que anunciou apoio ao vice-governador há duas semanas, a condição para garantia de espaços de poder é a entrega do União Brasil, hoje apoiando o senador  Weverton Rocha (PDT); para conseguir, Fernandes precisa vencer a queda de braço com o colega deputado Juscelino Filho.

A guerra de bastidores no governo Brandão tende a se intensificar depois do dia 2 de abril, quando a gestão começa de fato e o loteamento dos espaços tende a ser intensificado.

O problema é que, depois disso, nenhum dos aliados poderá mais mudar de partido, caso seja preterido nas articulações…

0

Brandão ainda mira o “União Brasil”…

Pré-candidato tucanosocialista quer o partido comandado pelo deputado federal Juscelino Rezende, e faz ofensiva na esfera estadual, oferecendo cargos no governo, quanto nacional, prometendo filiação de ‘potenciais deputados”

 

Brandão quer o “União Brasil”; e tenta convencer Pedro Lucas Fernandes a tirar o partido da aliança de Weverton Rocha

As frustradas tentativas de conseguir o apoio do partido “União Brasil” não desanimaram o vice-governador Carlos Brandão, candidato tucanosocialista do governador Flávio Dino (PSB) ao Governo do Estado.

Agora garantido com a certeza de que terá Dino integralmente em seu palanque – e com a garantia de aliança entre PSB e PT – Brandão voltou a carga para o “União Brasil”, que tem no comando maranhense o deputado federal Juscelino Filho (ex-DEM).

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Brandão já ofereceu ao menos duas secretarias ao partido, além de prometer à direção nacional a entrada de “potenciais deputados federais” para reforçar a bancada em 2023.

Resultado da fusão entre o DEM e o PSL, o União Brasil é hoje o maior partido do país, com o maior tempo na propaganda eleitoral e maior fatia do Fundo Eleitoral

Aliado ao senador  Weverton Rocha (PDT), o partido de Juscelino Filho é estratégico para Brandão. E ele conta para alcançar seus objetivos com a adesão do também deputado federal Pedro Lucas Fernandes (ex-PTB).

No final do ano passado, o vice-governador chegou a anunciar o apoio do União Brasil, mas acabou frustrado com a confirmação do apoio da legenda a Weverton Rocha.

Mesmo diante do revés, ele não desistiu, e agora volta à carga.

Vai conseguir?!?