0

Ônibus são retirados de circulação…

Sindicatos dos empresários e dos trabalhadores no setor de transportes decidiram recolher a frota por causa da continuidade dos ataques, mesmo diante da mobilização da polícia

 

ônibus continuam sendo queimados em São Luís (imagem ilustrativa)

ônibus continuam sendo queimados em São Luís (imagem ilustrativa)

As facções criminosas decidiram endurecer o jogo na guerra que trava com a polícia desde ontem, quando ônibus foram queimados em São Luís.

Agora há pouco, outro ônibus foi queimado, no Parque Jair, atingindo, inclusive, duas casas.

Diante da ameaça, os operadores do setor de transportes decidiram retirar os ônibus de circulação.

A informação já foi repassada, inclusive, para o comando da Polícia Militar, que tenta monitorar a ação dos bandidos.

desde cedo, a polícia já prendeu dezenas de criminosos, mas eles insistem em desafiar o sistema de Segurança.

Policiais civis aposentados, militares aposentados e membros do Corpo de Bombeiros, que estavam de folga, decidiram se equipar para guerra contra as facções criminosas.

E, ao que tudo indica, será mais uma noite de terror e ameaças em São Luís…

1

A morte de blogueiros e o descaso da polícia….

Após o segundo assassinato no interior maranhense – sem que nenhuma informação a respeito da primeira execução tenha sido dada pelos homens da lei – o clima é de medo entre profissionais em todo o estado

 

Os dois blogueiros executados: por que a polícia não diz nada?

Os dois blogueiros executados: por que a polícia não diz nada?

Os blogueiros – profissionais da comunicação que atuam na internet – gera uma antipatia em todos os segmentos sociais, e até entre os demais profissionais de imprensa , pela liberdade que têm para questionar.

Por isso são antipatizados pelo judiciário, por jornalistas e radialistas e até pela polícia.

Mas nada disso justifica a falta de informações claras para a execução de dois blogueiros no interior do Maranhão.

A primeira execução ocorreu em 13 de novembro. Ítalo Diniz foi executado a tiros em Governador Nunes Freire, onde mantinha um blog e já denunciava ameaças de morte.

Até a ora, a polícia não deu qualquer informações sobre os executores do blogueiro.

No último sábado foi a vez de Orislandio Timóteo Araújo,o Roberto Lano, de Buriticupu. Ele foi executado na frente da mulher, no Centro do município.

São evidentes os indícios de pistolagem nos dois crimes; claro assassinato por encomenda, nos mesmos moldes da execução do jornalista Décio Sá, em 2012.

Mas a polícia parece nem estar investigando os dois casos.

O que é lamentável, sob todos os aspectos…

4

Abra o olho Flávio Dino…

Com mulheres e crianças em condições precárias, ´ndios estão cada vez mais irritados 9imagemm: De Jesus/O EstadoMaranhão

Em condições precárias, índios estão cada vez mais irritados (imagem: De Jesus/O EstadoMaranhão)

Arrogantes, o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus auxiliares mais próximos podem levar o Maranhão a figurar mais uma vez no noticiário internacional como estado da barbárie.

Os índios acampados na Assembleia Legislativa e em frente ao Palácio dos Leões não estão para brincadeira, e têm respaldo internacional, são intocáveis e inimputáveis.

O que irritou os índios na negociação de ontem foi o fato de o governo sequer ter noção da pauta de reivindicações apresentadas, o que foi visto como desdém pelos indígenas.

Por isso eles resolveram permanecer em protesto.

E Dino, do alto de sua arrogância mostra-se pouco preocupado com a situação.

Mas deveria… Ah se deveria…

 

10

“Eu não lhe prometi um mar de rosas”…

Juíza Alice nega pressões…

O título acima é um trecho de música da banda The Fever’s, sucesso da Jovem Guarda. Expressa bem a análise do caso dos juízes Alice de Souza Rocha e Paulo Augusto Moreira Lima.

A primeira teve autorizada ontem, no Tribunal de Justiça do Maranhão, seu pedido de transferência da 1ª Vara do Tribunal do Juri, onde presidia as investigações do assassinato do jornalista Décio Sá.

O outro, juiz de Goiás, determinou a prisão do bicheiro Carlinhos Cachoeira e pediu pra sair do caso no início da semana.

Alice nega que seu pedido de trasnferência tenha a ver com o caso Décio. Moreira Lima, por sua vez, assume que se sentiu ameaçado, mas nega que tenha agido por covardia.

O exemplo dos dois é um retrato da situação do serviço público no Brasil.

Juízes não vivem num mar de rosas. Na maioria dos casos, enfrentam situações adversas na condução de comarcas em ambientes de tensão, em localidades sem estrutura e cercado por ameaças de toda sorte.

Mas eles sabiam disso desde quando decidiram fazer o concurso público para ser juiz. Assim como o titular deste blog – e qualquer outro jornalista – sabia desde cedo os riscos inerentes à sua profissão.

Mas todos fizeram o juramento de servir ao povo, independentemente das condições que encontrassem.

Juiz Moreira Lima nega covardia

O problema está na praga  em que se tornaram os concursos públicos no Brasil. Pelo menos 95% dos concurseiros de plantão estão a fazer provas não para servir ao povo, mas pela atração do salário farto e das comodidades do cargo.

Um juiz, apesar das adversidades, ganha muitíssimo bem para o trabalho que faz.

Se um jovem bacharel em Direito tiver a noção exata dos riscos inerentes à profissão, saberá, certamente, valorizar o salário que recebe, enfrentanto estas adversidades e valorizando cada centavo que investiu na carreira que escolheu.

Mas, se o foco for apenas o alto salário – como imagina a maioria dos que fazem concurso para a área – certamente a missão de servir ao povo e o juramento que fizeram no início da carreira ficarão em segundo plano.

E estes nunca serão juízes de fato…

22

Chantagens e ameaças…

Consórcio: chantagenms, ameaças, mentiras e traições

Poucas horas depois de implodido o consórcio oposicionista, com o lançamento de duas candidaturas independentes, começaram surgir histórias de chantagens e ameaças envolvendo o debate para escolha das candidaturas.

Uma destas histórias diz que, para convencer Flávio Dino (PCdoB) a declarar apoio a Edivaldo Holanda Júnior (PTC), o PDT ameaçou retornar à aliança com o prefeito João Castelo (PSDB).

Outra história revela que o próprio pai de Holanda Júnior, o ex-deputado de mesmo nome, ameaçou diretamente Flávio Dino de levar o filho a ser vice de Castelo.

A história do PDT já tinha sido tema de comentários neste e em outros blogs, e foi confirmada hoje pelo ex-prefeito Tadeu Palácio (PP). Weverton Rocha nega a história e desafia Palácio a dizer se ouviu dele tal proposta.

A história envolvendo Edivaldo Holanda, o pai, também surgiu primeiro na internet – em matérias e comentários de blogs, sobretudo.

Nem o pai nem o filho foram alcançados – ainda – para esclarecer este fato.

Mas não serão apenas estas as histórias dos bastidores da opção de Flávio Dino por Holanda Júnior e a candidatura independente de Tadeu Palácio.

Outras surgirão, certamente…

12

As historinhas de ameaças a Bira do Pindaré…

Bira do Pindaré: fleuma e empáfia como características

É estranho que o deputado estadual Bira do Pindaré (PT) sempre torne público suposta ameaças a ele em época de decisões político-eleitorais importantes.

E é estranho também que ele nunca se digne a encaminhar às autoridades policiais os indícios de tais ameaças, preferindo usar setores da mídia para fazer proselitismo.

A mesma historinha de ameaça sofrida por ele agora, ele também anunciou durante as eleições de 2006, quando disputava vaga no Senado Federal. Mas nunca encaminhou nada à polícia, para investigação séria.

O problema de Bira do Pindaré é que ele se acha bem mais do que realmente é, mas sua carreira política é apenas fruto do voto de protesto das eleições de 2006.

Revoltado com as candidaturas de Epitácio Cafeteira (PTB) e João Castelo (PSDB) – e turbinado pelo esquema do então governador Joé Reinaldo Tavares (PSB) – o eleitorado despejou votos em Bira, dando recado para os dois anciãos da política.

Foi Bira do Pindaré, mas poderia ser qualquer um que estivesse naquela situação específica.

Ele é, portanto, apenas como Pedro Celestino, Antonia Senhorinha e tantos outros “fenômenos” eleitorais, que surgem, aproveitam seus 15 minutos de fama e desaparecerem, como que num passe de mágica.

Por isso, o deputado do PT tenta manter-se em evidência, disputando o que aparecer pela frente e criando historinhas como esta das supostas ameaças, quando deveria, primeiro, procurar a polícia para denunciar o fato.

Soberbo e arrogante, tenta vender-se como o líder estadual que não é e como figura de proa de uma oposição que não existe – e para isso vale qualquer coisa, inclusive historinhas de ameaças como esta.

Historinha, aliás, que merece a clássica pergunta, sem ofensa alguma:

Afinal, quem diabos teria interesse em ameaçar Bira do pindaré???

13

É assim que eles agem…

As declarações que ilustram este texto são de gente que se identifica como membro do movimento grevista de policiais e bombeiros militares, acampado há uma semana na Assembléia Legislativa.

São agressões gratuitas, que o blog expõe aqui, com e-mails identificados – ainda que sejam falsos – e IPs dos computadores usados por eles.

Devem ser os mesmos que agrediram o fotógrafo Biaman Prado, hoje pela manhã, quando o profissional exercia seu trabalho na Assembléia.

Nenhum assusta, mas servem para demontrar o nível daqueles que são pagos para defender a sociedade e que a ameaçam ao primeiro sinal de contrariedade.

E para exemplificar a covardia que marca este tipo de gente.

Despreparados e agora perigosos, por que armados e sem controle nenhum.

Bandidos disfarçados de policiais…

0

Atenir Botelho esclarece atentado contra servidores da prefeitura…

Atenir garante não ter dívidas com agiotas

O prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Atenir Botelho, esclareceu hoje o atentado sofrido por funcionários da prefeitura, na semana passada. Segundo o prefeito, houve certa confusão, apontando-o como vítima do atentado, pelo fato de um dos ocupantes do carro parecer-se com ele.

– O fato nos assustou a todos, criando grande alvoroço e provocando uma série de especulações acerca do que, realmente, queriam os bandidos: teria sido uma tentativa de assalto ou um atentado? Tais dúvidas surgiram por vários motivos, mas, principalmente, porque o ocupante do banco do carona era Raimundo Melo, funcionário da nossa prefeitura e meu amigo pessoal. Todos dizem, em nossa Cidade, que ele se parece muito comigo, chegando a ser confundido quando visto de longe – explicou o prefeito.

Atenir confirma que iria viajar, mas desistiu de última hora, pedindo aos dois que o substituísse.

Mas o prefeito descarta qualquer questão envolvendo dívidas ou agiotagem.

Não precisei me endividar para realizar a campanha. Nunca precisei de agiotas. E não devo a nenhum. Sou uma pessoa que não tem inimigos. Eu tenho adversários políticos que não se conformam em ter perdido o poder para um homem jovem, respeitado, competente, comprometido, popular e trabalhador. E isso incomoda. Muito! – afirma.

O carro em que viajavam os funcionários da prefeitura, atingidos pelas balas

De origem pobre – ex-professor, diretor de escola e vereador – o prefeito conta que sua campanha foi feita, sobretudo, com apoio da população, que se juntou para bancar as despesas.

Mas Botelho revela que está com medo.

Esse ato violento, e todas as especulações que dele se originaram, causa certo medo. Mas, ao mesmo tempo, enche-me de força para continuar lutando pelo povo que acredita em mim e espera que eu continue fazendo por eles e por nosso Município. O medo existe, mas se dissipa pela certeza de que sempre terei o apoio do povo e, principalmente, de Deus, que está conosco e protege quem age pelo bem comum – concluiu.

A polícia da região de Alto Alegre do Pindaré continua investigando os autores do atentado cotnra servidores da prefeitura…

5

Eduardo Braide defende medidas para proteção de juízes…

 

Braide: preocupação com a segurança de magistrados

Em contundente pronunciamento nesta quinta-feira na Assembléia Legislativa, o líder do bloco “União Democrática”, deputado Eduardo Braide (PMN) defendeu a adoção de medidas urgentes para proteção dos juízes maranhense.

Lembrando o caso da juíza Patrícia Aciolly, assassinada no Rio de Janeiro, o parlamentar destacou também outros casos, principalmente no interior do Maranhão.

– Muitos desses juízes entraram nos últimos concursos; juízes novos, que têm completa dedicação e seriedade no desenvolver do seu trabalho, tomando decisões que muitas vezes vão de encontro aos interesses de criminosos, interesses de pessoas que detêm maior poder econômico – destacou Braide.

Ele citou o casos envolvendo os juízes de Tuntum, que teve a casa alvejada de balas; de Rosário, onde a juíza teve a toga jogada no rio, e outros casos de invasão de Fóruns.

Em seu discurso, Eduardo Braide destacou o trabalho do corregedor de Justiça, desembargador Antonio Guerreiro Júnior, e lembrou episódio de Lago da Pedra, em que testemunhou a Correedoria agir prontamente quando os magistrados foam ameaçados.

– Eu acho de fundamental importância que o Poder Legislativo esteja de mãos dadas com o Poder Judiciário e com o Poder Executivo para que a gente evite que aconteça uma situação no Maranhão como aconteceu no Rio de Janeiro – frisou o parlamentar.