2

Assassino de Irialdo pega 17 anos, mas PMs permanecerão em liberdade…

Mecânico foi executado em praça pública por um mecânico que fazia as vezes de policial em Vitória do Mearim e teve a cobertura dos agentes públicos para cometer o crime

 

MOMENTO DA EXECUÇÃO DE IRIALDO, EM PRAÇA PÚBLICA, por um vigilante que agia como policial em Vitória do Mearim

O juiz Antonio Agenor Gomes, do 2º Tribunal do Júri, condenou a 17 ano de reclusão o vigilante Luiz Carlos Machado de Almeida, que executou em praça pública,  em 2015, o mecânico Irialdo Batalha.

O mesmo juiz também sentenciou o soldado PM Flávio Roberto Gomes dos Santos a um total de 11 anos e sete meses, pelo mesmo crime.

O sargento José Miguel de Castro, que estava no grupo que executou o mecânico, foi absolvido do crime de homicídio e condenado a 2 anos e 9 meses por Prevaricação, Denunciação caluniosa, Usurpação de Função Pública e Fraude Processual.

Detalhe: apenas o vigilante continuará preso; os dois PMs ganharam o direito de recorrer em liberdade.

OS ACUSADOS NO MOMENTO DA SENTENÇA: só o vigilante seguirá preso; PMs recorrerão em liberdade

Irialdo Batalha foi executado por Luiz Carlos em Vitória do Mearim, em 2015; ele não parou em uma blitz organizada pelos PMs José Miguel e Flávio Roberto, que passaram a persegui-lo. (Entenda aqui e aqui)

Atingido na perna, Irialdo caiu da moto, que era conduzida por Diego Gianni Ferreira Fernandes.

AS IMAGENS DA ÉPOCA DO CRIME MOSTRAM A RELAÇÃO DO VIGILANTE ASSASSINO COM OS PMS, que, inclusive, cediam vaga a ele em suas viaturas

O vigilante – que estava na viatura PM, acompanhado dos policiais – desceu e atirou na cabeça do mecânico, em frente aos curiosos que se aglomeraram.

O crime chocou o Maranhão e ganhou repercussão internacional. Após quatro anos, saiu a sentença.

Luiz Carlos, que já estava preso, continuará recolhido, mesmo recorrendo.

Já os PMs continuarão nas ruas…

2

Prisão de homem-chave pode causar reviravolta no caso Décio…

Homem que era apontado como piloto da moto de Jhonatan de Sousa está preso em Goiás desde dezembro, mas a Polícia e a Justiça maranhenses parecem ter esquecido  sua relação com o estado

 

A prisão do homem identificado por Shirliano Graciano de Oliveira, o Balão, no final de 2016, em Anápolis (GO), pode trazer novos elementos para a tão sonhada reabertura do caso Décio Sá.

As informações são do blog O Informante.

Balão era tido até agora como piloto da moto usada por Jhonatan de Sousa, assassino confesso de Décio Sá, executado na avenida Litorânea no dia 23 na noite de 2012.

Mas, agora, a polícia já sabe que, à época, o tal piloto sequer sabia usar motos, o que só conseguiu anos depois, já foragido do Maranhão.

Leia também:

A insistência de Raimundo Cutrim no caso Décio…

Caso Décio: o juízo já está formado…

A farsa chamada Jhonatan de Souza…

A participação de Balão na morte de Décio se daria pelo fato de ter sido em seu sítio as reuniões para definir a execução do jornalista.

O que estranha no caso é que, mesmo preso desde dezembro – e mesmo figurando na lista de envolvidos no caso Décio – a polícia maranhense nunca se interessou em trazer o criminoso de volta ao estado.

Alega para isso, ainda segundo apurou O Informante, que não há mandados de prisão contra eles no Maranhão.

Mas há, sim, pelo menos um.

Shirliano tem prisão decretada pelo juiz da 3ª Vara Criminal, José Gonçalo de Sousa Filho.

Esses fatos novos devem reforçar um pedido de reabertura do caso Décio, feito pelo deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) à 1ª Vara do Tribunal do Júri, em São Luís.

O parlamentar até hoje espera resposta da Justiça…

2

Deputado diz que Flávio Dino ainda deve explicações sobre o caso Irialdo…

Dois anos após a execução do mecânico, em Arari, por um vigilante que atuava clandestinamente para a Polícia Militar, Hildo Rocha diz que o governador sequer pediu desculpas à família

 

O deputado federal Hildo Rocha lembrou, em pronunciamento na tribuna da Câmara, os dois anos da tragédia que teve como vitima o mecânico arariense Irialdo Batalha. O parlamentar destacou que Irialdo foi assassinado durante policial irregular.

– Faz dois anos que Irialdo foi assassinado durante operação desastrada e irresponsável pelo braço armado do Estado e até hoje a justiça não foi feita. O governador Flávio Dino não fez sequer um pedido de desculpas à família da vitima – enfatizou Rocha.

Veja o vídeo acima…

3

Em vídeo, homem põe dúvidas sobre versão da polícia para execuções no Maiobão…

Casal foi alvejado por tiros na manhã do domingo, resultando na morte da mulher, grávida, e de um motoqueiro também atingido; Secretária de Segurança diz que tratou-se de acerto de contas, mas vítima aponta para ação do serviço velado

 

Um crime brutal ocorrido na manhã do domingo, 20, na região do Maiobão, pode ter novos rumos com a revelação de um vídeo em que uma das vítimas aponta o serviço velado da Polícia como responsável pelos assassinatos.

Homem chora ao saber da morte da mulher, que está no carro

Homem chora ao saber da morte da mulher, que está no carro

Jackson Dutra, 35, e sua mulher, Hariedna da Silva Melo, 31, foram perseguidos na estrada da Maioba e alvejados com tiros, por homens em um veículo não identificado.

Desesperado, o homem seguiu para a delegacia do Maiobão, onde sua mulher já chegou sem vida. Outro homem, que estva em uma moto, também foi atingido e teria sido morto.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que as investigações apontam para uma certo de contas.

Aos prantos, na porta da delegacia, no entanto, Jackson acusa diretamente o serviço velado da polícia.

A revelação aina não foi comentada pela cúpula da SSP…

5

“Mais um crime nas costas do governo Flávio Dino”, diz Hildo Rocha, sobre rapto e execução de presos…

Deputado federal diz que é responsabilidade do estado garantir a vida de quem está sob sua custódia,  aponta mais uma violação dos direitos humanos no governo comunista e alerta: “não é a primeira vez”

 

Para o deputado federal Hildo Rocha (PMDB), o governo Flávio Dino (PCdoB) e seu sistema de Segurança devem ser responsabilizados pelo sequestro e execução de dois presos da delegacia de Buriti, no interior maranhense.

Em discurso na Câmara Federal, Hildo disse que caberia ao governo dar garantia de vida aos dois homens, mas o que houve foi uma facilitação da invasão da Delegacia de Buriti, para rapto dos dois homens – depois executados e jogados em um algo no Piauí.

– Mais um crime nas costas do governo Flávio Dino por que o estado facilitou o sequestro. É uma obrigação do estado dar proteção à vida. E não é a primeira vez. Nesta tribuna eu já subi dezenas de vezes, reclamando a violação dos direitos humanos no Maranhão – declarou Hildo Rocha.

Assista o vídeo acima…

1

A morte de blogueiros e o descaso da polícia….

Após o segundo assassinato no interior maranhense – sem que nenhuma informação a respeito da primeira execução tenha sido dada pelos homens da lei – o clima é de medo entre profissionais em todo o estado

 

Os dois blogueiros executados: por que a polícia não diz nada?

Os dois blogueiros executados: por que a polícia não diz nada?

Os blogueiros – profissionais da comunicação que atuam na internet – gera uma antipatia em todos os segmentos sociais, e até entre os demais profissionais de imprensa , pela liberdade que têm para questionar.

Por isso são antipatizados pelo judiciário, por jornalistas e radialistas e até pela polícia.

Mas nada disso justifica a falta de informações claras para a execução de dois blogueiros no interior do Maranhão.

A primeira execução ocorreu em 13 de novembro. Ítalo Diniz foi executado a tiros em Governador Nunes Freire, onde mantinha um blog e já denunciava ameaças de morte.

Até a ora, a polícia não deu qualquer informações sobre os executores do blogueiro.

No último sábado foi a vez de Orislandio Timóteo Araújo,o Roberto Lano, de Buriticupu. Ele foi executado na frente da mulher, no Centro do município.

São evidentes os indícios de pistolagem nos dois crimes; claro assassinato por encomenda, nos mesmos moldes da execução do jornalista Décio Sá, em 2012.

Mas a polícia parece nem estar investigando os dois casos.

O que é lamentável, sob todos os aspectos…

0

Wellington cobra rigor na apuração de morte de blogueiro…

O deputado estadual Wellington do Curso  (PPS), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão, utilizou a tribuna da Casa Parlamentar, na tarde desta segunda-feira (16), para cobrar esclarecimentos acerca do assassinato do blogueiro Ítalo Diniz, ocorrido no município de Governador Nunes Freire, no último final de semana.

weliNo último final de semana, a população do município de Governador Nunes Freire e a imprensa maranhense, mais uma vez, assistiram à execução covarde de mais um blogueiro. Desta vez, o ataque aconteceu na cidade de Governador Nunes Freire e vitimou o jovem Ítalo Diniz. Protocolamos uma Nota de Pesar à senhora Maria de Fátima Diniz Barros, mãe do blogueiro Ítalo, e à sua esposa Élida Moraes, pelo ocorrido. Estamos protocolando também à Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão, proposição para que, em um curto espaço de tempo, possa solucionar esse crime na cidade de Nunes Freire, que consternou todo o município e tem consternado toda a imprensa e todos os meios de comunicação. Em menos de três anos, temos outro jovem jornalista, blogueiro tendo sua vida ceifada e retirada do nosso convívio devido à pistolagem que ainda insiste em imperar no Maranhão. É responsabilidade da polícia e do Estado apresentar o resultado das investigações para que possa levar os culpados a responderem na justiça pelo ato de ‘covardia’. Seja quem for, a polícia tem o dever de prendê-los e mostrar à sociedade que ninguém está acima da lei. A família espera por uma resposta das autoridades policiais para que os assassinos possam ser julgados na forma da lei. Enquanto parlamentar em defesa do povo maranhense, não me calarei e muito menos deixarei passar despercebido na Assembleia Legislativa do Maranhão a referência a essa morte”, protestou o deputado.

6

“Execução cruel, desumana”, diz Portela, sobre crime em Vitória…

Após analisar os vídeos do assassinato do mecânico Irinaldo Batalha, secretário de Segurança refaz a versão do governo para o crime, exposta em nota irresponsável da Secretaria de Comunicação, que chegou a chamar a vítima de assaltante

 

aaaaaaO secretário de Segurança Pública Jefferson Portela classificou de “clara, cruel e desumana” a conduta do vigilante da Prefeitura Municipal de Vitória do Mearim, identificado por Luz Carlos, que matou com um tiro no rosto o mecânico Irinaldo Batalha, ontem, no município.

Portela reconheceu a culpa do vigilante e condenou também os policiais militares que atuaram no caso, após a Secretaria de Comunicação do governo ter emitido uma nota arrogante, irresponsável e mentirosa, pra tentar livrar a cara do governo, chegando a classificar a vítima de assaltante.

Após o vídeo revelado pela TV Mirante, a análise de Portela foi outra.

– O vídeo retrata o conjunto dos fatos. É uma prova material – afirmou.

Diante da prova, os PMs que participaram da execução também serão autuados na Delegacia de Homicídios para onde foram levados hoje à noite. O vigilante, por sua vez, está sendo perseguido pela polícia.

E Secom?!?

A Secom mostra, mais uma vez ser mero cartório de desmentidos do governo…

2

Imagem do dia: execução em praça pública…

aaaaaaO homem deitado em plena via pública, em Vitória do Mearim, é o mecânico Irinaldo Batalha. Ele está ferido e indefeso. O braço que aparece é o do vigilante Luiz Carlos, da Prefeitura Municipal. Luiz Carlos executou Irinaldo em via pública, na frente de dezenas de testemunhas. O governo Flávio Dino, tentando minimizar o fato, chegou a classificar Irinaldo de assaltante, em nota distribuída à imprensa, uma irresponsabilidade.

vitoriaA imagem acima é ainda mais grave: mesmo após executar o crime, o vigilante Luiz Carlos é auxiliado normalmente pelos policiais militares que chegaram para atender a ocorrência. E ainda ajuda a colocar na viatura o corpo da vítima que próprio matou. Há vídeos da execução e da pós-execução, mas o blog se reserva o direito de não publicar. O crime chocou Vitória do Mearim.

As duas imagens são do blog de Domingos Costa
8

Havia mais seis na lista de execução…

O secretário de Seurança Pública, Aluísio Mendes, revelou agora há pouco que a quadrilha responsável pela execução do jornalista Décio Sá tinha uma lista com outras seis possíveis vítimas.

Ele não revelou nomes, mas deixou claro haver “inclusive um ambientalista”  entre as pessoas marcadas para morrer.

O próprio Júnior Bolinha, intermediador da contratação do pistoleiro Jhonatan, estava na alça de mira do crime. O matador iria executá-lo no último domingo, por causa do restante da dívida pela morte de Décio.

– Ele acertou R$ 100 mil e só repassou efetivamente R$ 20 mil ao matador – contou Aluísio Mendes.

Bolinha só não foi morto por Jhonatan por que foi capturado antes pela polícia…