0

Coco Bambu desrespeita regras e é autuado pelo governo…

Restaurante vem promovendo sistematicamente música ao vivo, mesmo proibido, e acabou sendo vistoriado pelos fiscais da Vigilância Sanitária; em caso de reincidência no desrespeito, pode ser multado em R$ 50 mil

 

A “festa” ilegal do Coco Bambu, que tenta pairar acima das regras, desrespeitando o próprio cliente com algo fora da lei

O restaurante Coco Bambu, no Calhau, vem desrespeitando sistematicamente uma das regras de funcionamento durante a pandemia e acabou sendo autuado pelo Governo do Estado.

A casa promove música ao vivo durante suas refeições, além de extrapolar o horário limite de atendimento; na sexta-feira, 24, foi flagrado pelo blog Marco Aurélio D’Eça, que encaminhou imagens do “souwzinho” às autoridades.

Para funcionar, com capacidade e horário reduzido, nenhum bar ou restaurante pode promover música ao vivo; mesmo assim, a regra é desrespeitada por diversas casa.

A autuação das autoridades do governo Flávio Dino ao desrespeito da franquia de restaurantes

O Coco Bambu não foi o primeiro a mostrar desprezo às regras e desrespeito ao próprio cliente; há duas semanas, o restaurante Quintalão, na Ponta D’Areia, também promoveu música ao vivo.

Na advertência oficial das autoridades, o Coco Bambu recebeu o alerta de que uma reincidência pode resultar em multa de R$ 50 mil.

Mas o desprezo às regras sociais é uma mancha ainda maior na marca da casa…

3

São Luís volta a agir como se a pandemia tivesse acabado

Bares, restaurantes, praias e shoppings voltam a receber multidões no fim de semana, a maioria sem máscara; e as autoridades também ignoram as medidas de proteção e de restrição nos estabelecimentos

 

Os bares e vilas de lanchonetes ficaram lotados, sem a menor preocupação com coVID-19 durante o fim de semana

Quem passeou por São Luís no fim de semana teve a impressão de que a cidade está absolutamente livre da pandemia de coronavírus.

O blog Marco Aurélio D’Eça visitou os principais locais de aglomeração desde a sexta-feira, 17 – bares, restaurantes, praias e shoppings – e constatou que a capital maranhense vive uma acelerada volta à normalidade.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde, deste domingo, 19, o Maranhão já registra 106.335 casos, com 2.708 mortes.

Na sexta-feira e no sábado, bares da Lagoa da Jansén, da Península da Ponta D’Areia, e da Avenida Litorânea realizaram festas, inclusive com música ao vivo; e extrapolaram o horário de 0h00, estabelecido para encerramento.

Nestes bares, alguns funcionários – só alguns – utilizavam os equipamentos exigidos de proteção (máscaras e face shield); mas ninguém exigia os cuidados necessários aos clientes.

A impressão que se teve desse passeio é que as autoridades também deixaram as exigências de lado; algumas viaturas policiais foram vistas, mas nenhuma abordagem foi feita nos bares e restaurantes.

Nas praias, as mesas na areia ficaram lotadas, mas ninguém respeitou a exigência do distanciamento e do uso de proteção individual

No domingo, as praias da região do Calhau e da Ponta D’Areia foram as vilãs.

Bares e restaurantes também ignoravam as medidas de segurança; praticamente ninguém usava máscaras na areia e muito menos nas mesas dos estabelecimentos, que seguiram sem distanciamento.

O maior rigor se dá mesmo nos shoppings centers, em que o controle de entrada segue com teste de febre e higienização com álcool em gel; mas não há controle sobre o total de pessoas no estabelecimento.

O “nem aí!” com a pandemia segue também nas casas.

Tem sido comum se vê festas em residências, inclusive com música ao vivo, que segue proibida. Nesses eventos não há a menor preocupação com uso de máscaras ou higienização.

A tendência é que a normalidade aumente nas próximas semanas do chamado período de férias de verão maranhense.

Simples assim…

2

Artistas criticam proibição de voltar aos bares…

Portaria do Governo do Estado estabeleceu restrições para funcionamento dos estabelecimentos noturnos, a partir deste sábado, 27, entre elas a realização de eventos artísticos de qualquer espécie que possam gerar aglomeração de público; mas não há nenhuma política publica de auxílio a este setor da economia

 

Os palcos dos bares e casas de shows podem até continuar iluminados, mas com os banquinhos vazios para os artistas

Ansiosos com a volta do funcionamento da noite de São Luís, os artistas que cantam em bares e casas noturnas frustraram-se com a Portaria do Governo do Estado, que proibiu a realização de shows e eventos com potencial de gerar aglomeração.

O bares, restaurantes e afins poderão reabrir a partir deste sábado, 27, mas com fortes restrições, que vão da redução do horário de funcionamento à proibição de contratar artistas e atrações culturais.

A proibição de cantores e artistas nos bares foi determinada pela Vigilância Sanitária Estadual, e está prevista no artigo 1.44, da Portaria 042/2020:

– Ficam proibidas atrações musicais, culturais e de qualquer tipo que promovam aglomeração ou movimentação, até nova deliberação dos órgãos sanitários. (Veja a íntegra aqui)

Nestes últimos 90 dias sem shows, alguns artistas tiveram até que voltar para sua família a fim de garantir sua sobrevivência; é o caso de Caio Montteiro, ativo interprete da noite na capital maranhense.

– Estou com minha família em Santarém (PA). Com a quarentena, ficamos sem trabalho; a solução foi voltar para a minha terra – disse Montteiro, que já se preparava para retornar à capital maranhense.

Uma das saídas para sobreviver na pandemia foi a realização de lives; mas esta atividade também dependia da boa vontade de apoiadores e patrocinadores, que nem sempre estavam dispostos a participar.

– As lives não deixam de ter um custo; e precisamos da boa vontade de contribuintes, que nem sempre mostram-se abertos a isso – lamentou Brendo Costa, especializado em reggae, que também ansiava pela volta dos shows em bares.

A Portaria 042/2020 do Governo do Estado não estabeleceu como se dará a fiscalização dos bares e casas noturnas de São Luís…

2

Bares, restaurantes e praças de alimentação devem abrir dia 29…

Embora nenhuma nova medida tenha sido anunciada pelo governador Flávio Dino na entrevista coletiva desta segunda-feria, 8, os decretos anteriores, com datas para flexibilização da quarentena, continuam valendo

 

Os bares permanecem fechados em toda São Luís, pelo menos até o dia 29, quando há a previsão de nova flexibilização para o setor

A entrevista coletiva anunciada pelo Governo do Estado na manhã desta segunda-feira, 8, acabou-se transformando em uma espécie de pronunciamento do governador Flávio Dino (PCdoB), sem nenhuma nova medida para enfrentamento da coVID-19.

A única coisa que pode ser vista como novidade foi a nova previsão para reabertura das aulas, desta vez para 1º de julho.

Mas é uma previsão, como frisou o próprio Dino.

A reabertura das demais atividades mantem-se nos decretos anteriores de Flávio Dino, que continuam valendo. 

Dia 15: Demais lojas de rua, tais como sapatarias, lojas de roupas, presentes e congêneres; Lojas situadas em shopping (menos restaurantes, bares, lanchonetes e cinemas);

Dia 22: Academias de ginástica e esporte.

Dia 29: Bares, restaurantes, cinemas e praças de alimentação dos shopping.

Apesar de Flávio Dino nada falar sobre cultos e missas, as maioria das igrejas – sobretudo as evangélicas – voltaram a funcionar normalmente no fim de semana, mesmo ainda proibidas.

Mesmo diante da desobediência das restrições, o governo, mesmo assim, garante que está havendo fiscalização.

Flávio Dino não disse quando voltará a falar para tratar da regulamentação das novas datas…

3

Imperatriz anuncia reabertura de igrejas, shoppings, restaurantes e academias

O shopping imperial será reaberto a partir desta quinta-feria, 28; além dele, estão liberados academias, restaurantes e igrejas

A prefeitura de Imperatriz anunciou nesta quarta-feira, 27, novo decreto, permitindo a abertura de igrejas católicas e evangélicas, academias e até shoppings centers.

O documento impõe algumas regras, como número reduzido de presentes, algo em torno de 30% da capacidade, e  área de pelo menos 20 metros quadrados para as academias.

O último boletim da pandemia de coronavírus apresentou 1.610 casos em Imperatriz, com 79 mortes.

 

 

6

Hotéis fecham as portas em São Luís; restaurantes demitem

Sindicatos apontam forte recessão e justificam suspensão das atividades como forma de encarar a crise provocada pela pandemia, que afetou drasticamente o setor de turismo e entretenimento no estado

 

Hotel Blue Tree anunciou semana passada a suspensão de suas atividades em São Luís

Nada menos que sete hotéis de São Luís já anunciaram o fechamento de suas atividades desde o início da quarentena ocasionada pela pandemia do coronavírus, segundo o sindicato do setor.

O último a anunciar que fechou as portas foi o Grand São Luís Hotel.

Também suspenderam as atividades o Blue Tree (antigo Pestana), Abbeville, Skina Hotel, Hotel Ponta D´areia, Stop Way, Calhau Praia Hotel.

O setor de turismo é um dos que mais sofrem com a pandemia de coronavírus em São Luís.

Sem poder realizar eventos, restaurantes e bares também estão demitindo para tentar sobreviver durante o período de isolamento social.

Sem poder abrir as portas, restaurante Cabana do Sol anunciou demissão de funcionários

O Sindibares calcula em 5 mil o número de demissões no setor de bares e restaurantes desde o início da pandemia.

Já anunciaram demissões os restaurantes Cabana do Sol, Churrascaria Sal e Brasa, Pizzaria Vignoli, Feijão de Corda e Flor de Vinagreira, que atuam sobretudo com vendas presenciais.

Porém, mesmo nas redes que fazem drive thru e delivery – como Bobs, Bulldog e outras – já há previsão de demissões.

O risco de colapso no setor de turismo é iminente…

Com informações do blog de Diego Emir

P.S.: Segundo comentaristas do blog, o hotel Abeville continua em funcionamento 

1

Sobre cuxá e bobó de vinagreira…

Muita gente em São Luís confunde as duas iguarias típicas e acaba servindo um pelo outro; foi o que aconteceu com a Pizza Ludovicense, da Pizza One, que começou tendo borda de cuxá e hoje é servida apenas com bobó

 

DUAS TEXTURAS. O da esquerda é o cuxá, mais cremoso, cozido até o ponto de fervura; o bobó é o da esquerda, apenas vinagreira picada e refogada

Há uma diferença básica entre o verdadeiro cuxá – iguaria típica maranhense, que marca os principais pratos da culinária local – e o bobó de vinagreira.

O bobó é aquela massa de vinagreira simplesmente amassada, moída e picada, servida após ser refogada. O chamado arroz de cuxá seria, na verdade, arroz de vinagreira, porque leva bobó, não cuxá.

Já o cuxá, mais tradicional, é um caldo encorpado, uma espécie de pirão, preparado com vinagreira cozida misturada a uma farofa que leva camarão seco, gergelim e cebola socados em pilão de madeira.

Muita gente no Maranhão serve bobó como sendo cuxá, por falta de conhecimento. Até chefes e publicações especializadas que tratam o bobó como cuxá. Estão errados.

Outros o fazem por economia, tentando passar a perna em paladares incautos.

OUTRA RECEITA. A pizza ludovicense, que começou servida com cuxá e hoje tem apenas bobó em sua borda

É o que parece ter acontecido com a premiada Pizza Ludovicense, da Pizza One, uma das mais inovadoras pizzarias de São Luís.

Criada há quase 10 anos, a Pizza Ludovicense é um disco de massa recheado com camarão, que começou a ser servida, lá atrás, tendo a borda recheada com o verdadeiro cuxá. Foi assim que ela ganhou prêmios.

Hoje, porém, a Ludovicense vem com bobó no lugar do cuxá.

A mudança na receita pode ter ocorrido, também, por troca de pizzaiolos, mas é preciso deixar claro que a pizza ludovicense da premiada Pizza One, hoje, não tem mais cuxá na borda. Tem bobó, o que muda completamente o paladar.

Para entender a cultura gastronômica maranhense é preciso saber diferenciar claramente o cuxá do bobó, caso contrário, poderá se servir o segundo no lugar do primeiro, o que é um sacrilégio.

É como servir arroz coberto de torresmo no lugar do também tradicional arroz de toucinho.

Mas esta é uma outra história…

3

O que houve com o Manu?!?

Restaurante que se propõe premium em São Luís mudou de endereço, mas parece ter deixado a cozinha ainda no antigo

 

Manu, agora em novo endereço: ambiente aprazível e falhas de cozinha

Manu, agora em novo endereço: ambiente aprazível e falhas de cozinha

O Manu Restaurante, um dos bons espaços da cozinha contemporânea em São Luís agora funciona no lobby do hotel BrisaMar, em uma das vistas mais espetaculares da orla marítima da capital.

Um bate papo gostoso entre casais amigos, na noite da sexta-feira, 12, tinha todos os ingredientes para uma boa happy hour. A proposta do restaurante, ainda em adaptação no novo endereço, é oferecer exatamente isto – inclusive com a construção de um deck externo, com vista para o mar.

Mas apesar do atendimento atencioso e gentil de garçons e maitre, o serviço de cozinha deixou a desejar.

Poucos pratos estavam disponíveis – faltou, por exemplo, o tradicional camarão Manu, servido com pedaços de abacaxi. “O fornecedor não entregou o camarão”, justificou o gentil garçon.

O prato pedido com arroz de tarioba veio sem tarioba, o que só foi admitido após a cliente perceber textura, aroma, cor e sabor diferentes.

Não havia as sobremesas do cardápio e o sucos disponíveis eram apenas de laranja e, ou com, abacaxi, numa mistura inusitada para qualquer estômago.

Detalhe: a primeira pedida de suco foi simplesmente esquecida pelo garçom, que só lembrou meia hora depois, após advertência da cliente.

Na hora da conta, outro problema: pratos registrados a mais e outros a menos.

Enfim, para um restaurante que se destina a servir em alta classe, ou Class, a mudança de endereço ainda precisa ser absorvida.

E ensinada a fornecedores…

0

OAK Wine: happy hour com cozinha gourmet e sofisticação…

Casa de vinhos é opção para jantar a dois com cozinha contemporânea – apesar do risoto como única opção de acompanhamento -; ou  bate papo gostoso, regado a uma boa cepa de tintos, brancos e espumantes

 

OAK Wine: ambiente de descontração elegante

OAK Wine: ambiente de descontração elegante

Quem busca um fim de noite a dois, ou mesmo uma reunião de amigos com horas felizes após o trabalho, tem na casa de vinhos OAK Wine – antiga Expand Storie – uma das opções mais sofisticadas de São Luís.

A casa reúne boa comida, boa música e bom atendimento na mesma medida.

Os pratos da cozinha contemporânea só têm um  senão: o risoto como única opção de guarnição. Mas a seleção de vinhos – do mais clássico tinto ao mais requintado espumante – combina perfeitamente com a música instrumental tocada às sextas-feiras e com as entradas espetaculares, que vão do tradicional carpaccio clássico, aos cubos de Salmão e rosbifes.

A OAK Wine funciona a la carte no jantar, mas tem opção  de buffet no almoço, e a degustação nos fins de semana.

Sem dúvida uma das mais sofisticadas opções de happy hours da capital maranhense…