2

Próximo passo: proibição da venda de animais no país…

Decisão do Senado que protege os animais como seres dotados de natureza biológica tira deles a condição de objetos; mas é preciso proibir também a comercialização, para que eles deixem também de ser meros produtos

 

CACHORROS, COMO QUALQUER ANIMAL, NÃO SÃO PRODUTOS; NÃO DEVERIAM, PORTANTO, SER VENDIDOS; caso contrário, continuarão como objetos

Editorial

O blog Marco Aurélio D’Eça – como todas a empresas e segmentos do Grupo Malerean LTDA. – segue em todos o seus aspectos os conceitos de sustentabilidade, agregação social, individualidades humanas e defesa irrestrita e plena dos animais.

Essa postura pode ser vista em posts como a defesa do fim das vaquejadas, a crítica à atuação da polícia na defesa animal ou na luta contra o abandono de animais.

Por isso, este blog comemora, como muitos, a decisão do Senado Federal, de classificar os animais – todos eles, como “seres sencientes, dotados de natureza biológica e emocional e passíveis de Para a senadora, o projeto agrega nossa legislação ambiental”.

Mas é preciso avançar ainda mais.

O blog Marco Aurélio D’Eça defende a proibição plena e absoluta da comercialização de todo e qualquer tipo de animal em território nacional.

A compra e venda de cachorros, gatos e outros animais domésticos e silvestres transforma estes seres vivos em meros produtos; e os pais em meros reprodutores mecânicos.

E isto também é sofrimento.

Quem precisa de um animal em sua vida deve adotá-lo – seja por doação de conhecidos, seja para resgatá-los de maus-tratos.

Comprar ou vender um animal é transformá-lo em objeto.

E sem essa proibição ampla, a nova lei do Senado terá alcance restrito.

É simples assim…

2

Flávio Dino nem aí para José Reinaldo…

Governador comunista ignora mais uma vez evento de campanha do seu padrinho político pelo Senado Federal

 

LUGAR-TENENTE
Márcio Jerry, que não morre de amores por Tavares, foi o representante de Flávio Dino em Tuntum…

O governador Flávio Dino (PCdoB) poderia ter aproveitado a festa organizada pelo prefeito de Tuntum, Cleomar Tema (PSB), para mostrar que apóia a candidatura do ex-governador José Reinado Tavares (sem partido) ao Senado Federal. Mas ignorou, como tem feito desde o início do governo. Como tem ocorrido em todas as ações políticas de Tavares, Dino silenciou diante da manifestação pública em favor do seu padrinho político.

Desde que se declarou interessado na disputa pelo Senado, Tavares tem esperado uma declaração pública de Flávio Dino em seu favor, o que nunca ocorreu. E o comunista não pode nem dizer que evitou fazer uso político do governo, já que, no dia seguinte, lá estava ele na convenção que reconduziu o vice-governador Carlos Brandão ao comando do PSDB.

NO NINHO
Ausente do evento de José Reinaldo, Flávio Dino fez questão de estar na convenção de Carlos Brandão

Não é de hoje que o presidente da Famem, Cleomar Tema, trabalha para viabilizar o nome de José Reinaldo. No dia da sua posse na Famem ele já havia declarado que apoiaria o ex-governador ao Senado. Enquanto isso, Dino mostra-se calado.

Para representar o comunismo no encontro de Tema foi enviado o presidente regional do PCdoB, Márcio Jerry, conhecido desafeto de José Reinaldo – e que, inclusive, já declarou apoio à candidatura do também deputado federal Weverton Rocha (PDT).

Os movimentos de Dino podem até ser para evitar desgastes antes da hora. Mas fica a impressão de que ele ignora a candidatura do seu padrinho político.

Isso fica bem nítido…

Da Coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, sob o título “Nem aí pra ele…”

4

Weverton Rocha recebe apoio de lideranças do PMDB e amplia base rumo ao Senado…

Deputado federal, que já contava com apoio de membros de PDT, PCdoB, PT, PSB, DEM e PSDB agora reforça o espectro partidário de seu projeto

 

Talita e o pai com Weverton: fortalecimento do projeto Senado

O deputado federal Weverton Rocha (PDT) recebeu em seu gabinete a prefeita de Água Doce do Maranhão, Talita Dias, e seu pai, o ex-prefeito Eliomar, tradicionais lideranças do PMDB na região.

Os dois peemedebistas declararam apoio ao projeto de candidatura de Weverton ao Senado, em 2018.

Com o apoio das lideranças do PMDB, Weverton Rocha amplia o espectro partidário que já compõe a base de sustentação de sua candidatura.

Leia também:

Projeto de Weverton reúne representantes de todas as regiões…

Weverton consolidado entre prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais…

Políticos de duas gerações se unem para apoiar candidatura de Weverton ao Senado…

Políticos de várias gerações reunidos em Santa Inês em apoio a Weverton Rocha

Além do PMDB,  e de seu partido, o PDT, deputado já tem o apoio também do PCdoB, do PSB, do PT, do DEM e do PSDB, representados por deputados, prefeitos, vereadores e outras lideranças políticas.

Weverton Rocha é hoje o único candidato a senador – entre governistas e oposicionistas – a ter uma base sólida de partidos em sua base.

O que garante forte competitividade pelas duas vagas em jogo nas eleições de 2018…

1

Weverton Rocha consolidado entre prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais…

Pré-candidato a senador reuniu nada menos que 30 prefeitos, outros 30 vereadores, deputado federal, quatro deputados federais e três ex-deputados em Codó, neste domingo; e ainda conseguiu a façanha de levar o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior

 

Ao lado de deputados federais e estaduais, Weverton ouve o discurso da prefeita de Santa Inês, Vianey Bringel

Praticamente consolidado como candidato a senador nas eleições de 2018, o deputado federal Weverton Rocha exibiu neste domingo, 19, o tamanho do seu prestígio político entre as lideranças políticas maranhenses.

O líder pedetista reuniu nada menos que 30 prefeitos e mais de 30 vereadores em um encontro no município de Codó.

Além deles, Weverton reuniu também o deputado federal Juscelino Filho (DEM) e os estaduais César Pires (PEN), Rogério Cafeteira (PSB), Rafael Leitoa (PDT), Glalbert Cutrim (PDT) – e os ex-deputados Marcos Caldas (PSDB), Helio Soares (PP) e Jota Pinto (PEN).

O encontro reuniu lideranças de todo o Maranhão, como o ex-deputado Rubens Pereira,de Matões

Weverton Rocha conseguiu ainda outra façanha: levar para o encontro o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), conhecido pela resistência em sair de casa.

Todos os presentes confirmaram apoio à candidatura de Weverton ao Senado, a exemplo do que ocorreu em Santa Inês, em dezembro. (Relembre aqui)

E outros eventos devem ser realizados em outros municípios, ao longo do ano…

1

A arriscada, mas promissora estratégia do grupo Sarney…

Colocar o ministro Sarney Filho e a ex-governadora Roseana Sarney numa mesma chapa é uma jogada difícil no xadrez da política maranhense; mas, vai que…

 

Roseana pode ou não ser candidata ao governo…

O ministro do meio Ambiente, Sarney Filho (PV), deixou claro: pretende mesmo disputar uma vaga no Senado Federal em 2018. (Relembre aqui)

E disse mais:

– Se essa movimentação espontânea do povo maranhense continuar, dificilmente Roseana deixará de ser candidata, mas essa é uma decisão muito pessoal. (Leia aqui)

Sem dúvida, é uma difícil e arriscada estratégia por os dois irmãos para disputar vagas majoritárias na mesma eleição.

Para os especialistas, a tendência é que o eleitor faça a escolha por apenas um deles.

…Mas Sarney Filho certamente disputar o Senado

Mas isto é um paradigma; e paradigmas servem para ser quebrados.

Roseana disputando o Governo do Estado contra o governador Flávio Dino (PCdoB) terá um foco próprio do eleitor; Sarney Filho como candidato a senador – na mesma chapa ou em chapa diferente – terá outro foco eleitoral.

E já houve casos de irmãos ganharem o governo e o Senado em outros estados.

No Acre, Jorge Viana elegeu-se governador na mesma chapa em que o irmão, Tião Viana, foi eleito senador, ambos pelo PT.

No Paraná, os irmãos Álvaro e Osmar Dias já dividiram as vagas do estado no Senado. E para as eleições de 2018, ambos lideram a corrida pelo Governo do Estado. (Saiba mais aqui)

Deputado federal de vários mandatos, Sarney Filho nunca pode concorrer ao Senado por que sua irmã sempre esteve em mandatos no governo, tornando-o inelegível justamente nas ocasiões em que ele tinha chances.

Agora, ambos podem concorrer a qualquer cargo, já que nenhum dos dois ocupa postos no Executivo estadual.

É uma jogada arriscada, sem dúvida.

Mas, vai que…

3

Eduardo Braide e Hilton Gonçalo na disputa estadual…

Embora nenhum deles assuma publicamente, ainda, os dois caminham para uma chapa que dispute as eleições majoritárias de 2018, com um ou outro concorrendo ao governo e ao Senado

 

Gonçalo e Braide: eles seguirão juntos

Gonçalo e Braide: eles seguirão juntos

O deputado estadual  Eduardo Braide (PMN) e o prefeito eleito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB), vão mesmo atuar como protagonistas nas eleições estaduais de 2018.

Os dois ainda não assumem publicamente, mas um deles deve encarar a disputa pelo governo, enquanto o outro concorrerá a uma das duas vagas no Senado.

Ambos sabem que o preço é alto.

Leia também:

A Quarta Via se movimenta…

José Reinaldo também aposta na quarta via…

Hilton Gonçalo abrindo caminhos…

Para concorrer ao governo – ou ao Senado – Eduardo Braide terá que abrir mão da reeleição à Assembleia Legislativa e pode ficar dois anos sem mandato. Mas também compreende que – caso não se eleja – serão apenas dois ano até o próximo pleito em São Luís, em que é, desde já, a principal opção para a prefeito.

Para concorrer ao governo – ou ao Senado – Hilton Gonçalo terá que renunciar a dois anos de mandato de prefeito, o que poderá gerar antipatia no eleitorado local. Mas sabe também que, elegendo-se ou não, entrará definitivamente no ´cenário estadual da política maranhense.

A história mostra que os grandes líderes maranhenses surgiram de atitudes de coragem e desprendimento.

E a história mostra também que todos aqueles que se apegaram ao mandato ficaram para trás na história.

Se confirmarem a decisão, Eduardo Braide e Hilton Gonçalo estarão mostrando que têm desprendimento e coragem.

E a história dará a resposta…

3

Weverton monta importante plataforma de comunicação para o projeto Senado…

Após contundente vitória nas urnas, deputado federal se cerca dos melhores nomes na área por que sabe a importância da comunicação para alcançar seu objetivo

 

Edivaldo foia principal aposta de Weverton, que arregaçou as mangas em campanha e venceu

Edivaldo foi a principal aposta de Weverton, que arregaçou as mangas em campanha e venceu

Pré-candidato ao Senado pelo PDT, o deputado federal Weverton Rocha conseguiu plena vitória nas eleições municipais, com a eleição de prefeitos do partido em importantes colégios eleitorais – como São Luís – e aliados estratégicos em outras legendas.

Com as vitórias políticas, ele praticamente consolidou-se como a principal opção na disputa.

Agora, o parlamentar parte para a segunda etapa de seu projeto, com uma plataforma de comunicação que possa alcançar o eleitor nos mais distantes rincões.

E para isso, cerca-se de alguns dos melhores profissionais da área.

Ao seu lado já está o jornalista e publicitário Zeca Pinheiro. Empresário do setor – é o dono da agência Sofia, uma das que mais crescem no estado – tem larga experiência em campanhas eleitorais, em São Luís e outros estados.

Pinheiro trabalhou nas eleições de Jackson Lago e Tadeu Palácio, em São Luís, e foi secretário de comunicação dos dois. Também atou em campanhas do ex-presidente José Sarney, no Amapá, acumulando poderoso know how.

Ao time, se juntou agora a jornalista Andrea Viana, uma das mais respeitadas do Maranhão.

Profissional de carreira do Supremo Tribunal Federal, Andreia foi secretária municipal de Comunicação na gestão de Tadeu Palácio – em substituição ao próprio Zeca Pinheiro – e esteve recentemente na assessoria do senador Roberto Rocha (PSB).

Experiência, portanto, ela tem de sobra.

Além do cacife adquirido com a eleição de prefeitos estratégicos, como o de São Luís, e de presidir um dos partidos mais fortes no Maranhão, Weverton vai se fortalecendo numa área considerada imprescindível para alcançar seu objetivo em 2018.

Por isso, é o nome da vez entre as lideranças do Maranhão…

9

“Vou disputar o Senado em 2018”, afirma Gastão Vieira…

seloEx-ministro e atual presidente do FNDE atribuiu a tentativa de afastá-lo do cargo a uma pressão do senador Roberto Rocha, elogia a “Quarta Via” criada por Hilton Gonçalo, Eduardo Braide e Wellington do Curso, e descarta participação no governo Flávio Dino

 

Gastão Vieira quer o Senado em 2018

Gastão Vieira quer o Senado em 2018

O ex-ministro do Turismo, ex-deputado federal e ex-candidato a senador Gastão Vieira (PROS), revelou ontem, em conversa exclusiva com o titular deste blog, suas pretensões para as eleições de 2018.

– Sou candidato a senador. Tenho legenda e história para pleitear a vaga – afirmou Vieira, negando que esteja articulando vaga no governo Flávio Dino (PCdoB) ou na gestão de Edivaldo Júnior (PDT).

– Não teria por que ser secretário por apenas 1 ano, já que vou deixar o posto no início de 2018 para disputar o Senado – revelou ele, diante das especulações de que estaria sendo exonerado da presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Gastão Vieira, inclusive, atribui ao senador Roberto Rocha (PSB) a pressão para afastá-lo do posto; mas garante que não há nenhuma ação do governo Michel Temer para tirá-lo.

Ainda sobre as eleições de 2018, Gastão Vieira diz ver com simpatia a chamada “Quarta Via”, movimento criado pelo prefeito eleito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB) e pelos deputados Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso (PP).

– Eu incentivo este tipo de ação. São jovens ousados e corajosos, que podem chegar bem em 2018, sobretudo se tiverem a orientação de um político experiente. O futuro passa por estes jovens, como Hilton, Braide, Wellington, Edivaldo, Weverton, Eliziane – apontou.

Se tiver de optar por uma posição no Maranhão, revelou o ex-ministro, seu caminho mais natural seria um posto na gestão do futuro prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB).

Mas esta é uma outra história…

5

O momento dele…

sarneyNo projeto eleitoral de médio e longo prazo do PMDB e do PV no Maranhão, as eleições de 2016 devem funcionar como espécie de plataforma para o projeto maior, o de 2018.

Os dois partidos, que têm hoje como figuras mais reluzentes o ministro de Meio Ambiente Sarney Filho (PV) e o senador Lobão Filho (PMDB) trabalham com a perspectiva de disputar com força o Governo do Estado e garantir, pelo menos, uma das vagas no Senado Federal.

E para isso contam também com a força eleitoral da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

A princípio, Roseana ainda se mostra reticente em relação à disputa, mas sabe que, a qualquer tempo, pode apresentar-se como candidata, levando em conta, sobretudo, o recall eleitoral que mantém em todos os municípios do Maranhão.

A ex-governadora pode ser candidata ao governo, ao Senado, a deputada federal e até a deputada estadual, desejo que havia manifestado já no fim do seu mandato, em 2014.

E é exatamente pela posição estratégica de Roseana que o ministro Sarney Filho vive o seu momento de maior expectativa em termos de eleição majoritária.

Tanto que, no grupo, já há vozes públicas apontando 2018 como “o momento de Sarney Filho”, a exemplo do que já declararam o próprio senador Lobão Filho, o acadêmico e ex-deputado federal constituinte Joaquim Haickel, e historiadores políticos como o escritor Benedito Buzar.

Sarney Filho pode ser candidato a governador ou, o mais provável, disputar uma sonhada vaga no Senado, o que agrada, inclusive, adversários do grupo, como o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), o senador Roberto Rocha (PSB), deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores de todas as correntes partidárias.

Por isso é que a expressão, “o momento é dele” tem sido cada vez mais repetida nos bastidores políticos.

Da coluna EstadoMaior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog
1

Senado agora conta com Ouvidoria-Geral…

Sarney discursa durante instalação de ouvidoria do Senado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB), instalou na última terça-feira a primeira Ouvidoria-Geral do  Senado em 187 anos de história.  A ouvidoria vai receber e dar encaminhamento às críticas, sugestões, denúncias e elogios relacionadas com o Senado.

Para Sarney, é mais um passo na busca pela transparência total dos atos do Senado, que já conta também com o Portal da Transparência, disponível na Internet.

O senador Flex Ribeiro (PSDB-PA) será o primeiro ouvidor-geral da Casa.

– No Senado Romano já existia a figura do Senador da Plebe. Aquele que tinha como missão ouvir o que o povo pedia e retransmitir a seus pares – lembrou Sarney,m ao dar posse ao ouvidor.

Para Ribeiro, a ouvidoria amplia o sistema democrático por que dá ao cidadão cada vez mais acesso às decisões dos poderes.

– Tenho a missão de despertar no cidadão o sentimento de credibilidade, transparência e celeridade no tratamento das suas manifestações – disse o senador paraense.

Abaixo, os canais para encaminhamento de críticas e sugestões à ouvidoria do Senado:

Internet www.senado.gov.br/ouvidoria
Telefone – através do Alô Senado 0800 612211 (opção Fale com a Ouvidoria)
Carta Postal – Senado Federal – Praça dos Três Poderes – Palácio do Congresso, Anexo II, Bloco A, Térreo, sala da Ouvidoria, Brasília – DF. CEP 70165-900
Formulários – distribuídos pela Ouvidoria, os formulários devem ser depositados nas urnas disponíveis no Senado.