8

Holandinha fracassa em inauguração do Hospital da Criança e tira a placa com a data da entrega…

Com a obra que iniciou ainda em 2014 paralisada desde o fim do segundo turno, prefeito não conseguiu entregá-la no dia 11 de fevereiro, e preferiu esconder a data a ter que explicar denúncia do site “Desboando”

 

A placa previa inauguração em 11 de fevereiro; perceba que a primeira data já havia sido coberta…

A data acima, 11 de fevereiro de 2017, constava da placa identificativa da reforma do Hospital da Criança, obra que se arrasta desde 2014.

Era o dia em que o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) deveria entregar o hospital à população.

Mas, ao contrário disso – e porque a obra está paralisada desde o fim das eleições em São Luís – ao invés de entregar o prédio no último sábado, Holandinha determinou foi a retirada da placa, como mostra a imagem abaixo.

Agora só tem a placa que ficava ao lado da outra, e não há mais data alguma para entrega da obra, que se arrasta desde 2014

E determinou a retirada por causa do vídeo abaixo, do repórter “Desboando”, canal satírico das redes sociais, que mostra, de forma bem humorada, os casos e descasos envolvendo os políticos maranhenses.

No sábado, 11 de fevereiro, o “Desboando” foi ao local da obra; só encontrou escombros. (Veja abaixo)

Além de retirar a placa que previa a inauguração para o início de fevereiro, a prefeitura não emitiu sequer uma nota para informar como anda a obra e quando o hospital deve funcionar.

Maternidade

Mas não é a primeira vez que Edivaldo Júnior marca data de inauguração para obra que sequer foi levantada.

Durante a campanha, adversários chegaram a gravar imagens do local onde deveria ser entregue – no dia 25 de junho – uma maternidade promessa de campanha na Cidade Operária.

Após a denúncia da paralisação da obra, o prefeito gravou imagens no local, ao lado da secretária de Saúde, Helena Duailibe, anunciando a retomada das obras.

Qual nada!

Até hoje, a obra da Cidade Operária, a exemplo do Hospital da Criança, continua abandonada à própria sorte.

E agora também sem data de inauguração…

4

Eduardo Braide denuncia abandono do Hospital da Criança….

Deputado estadual usou seu perfil no Facebook para lembrar que a obra só seguiu durante a campanha eleitoral, em mais um crime pela reeleição do prefeito Edivaldo Júnior

 

Braide mostra que as ações de Holandinha serviram apenas para reelegê-lo; fraude eleitoral, portanto

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) destacou nesta segunda-feira, 9, em sua página no Facebook, o abandono das obras de construção do Hospital da Criança.

Fruto de uma parceria entre o governo comunista de Flávio Dino e a gestão de Edivaldo Júnior (PDT), o hospital tem prazo de entrega em 11 de fevereiro, mas, hoje, apenas vigilantes se encontraram no local.

– O encanto acabou! A ilha da fantasia não existe mais. Diferente de tudo que aparecia na propaganda eleitoral do prefeito, São Luís – após o dia 30 de outubro de 2016 – teve um encontro com a realidade – ressaltou Braide, destacando reportagem de O EstadoMaranhão sobre o tema.

Mas, para Braide, não é apenas o abandono da ora do Hospital da Criança que mostra o custo da reeleição de Edivaldo Júnior. O deputado aponta uma série de problemas ressurgidos logo após a campanha de 2016.

– As obras do Hospital da Criança foram paralisadas; as máquinas de asfalto que trabalhavam durante a madrugada desapareceram dos bairros; o lixo e os buracos estão por toda cidade; vigilantes estão com salários atrasados; alunos ficaram sem aulas por falta de merenda escolar; a cultura até hoje não pagou os eventos do Carnaval e São João do ano passado como acertado em pleno período eleitoral; o wi-fi não foi instalado nos ônibus e nem os 210 veículos com ar-condicionado conforme prometido chegaram até o fim de 2016 – destaca o parlamentar.

Apenas vigilantes encontram-se na obra do Hospital da Criança, iniciada só para reeleger Edivaldo

Eduardo Braide destaca diretamente os problemas no setor da Saúde.

– Faltam água, materiais e remédios básicos nos hospitais e postos de saúde. São inúmeras as denúncias de quem precisa dos serviços; pacientes estão sendo retirados da Santa Casa por falta de pagamento da prefeitura – destacou.

Na avaliação do parlamentar, os fatos mostram que a parceria entre governo e p´refeitura serviu apenas para forçar a reeleição de Holandinha, com prazo de validade em 30 de outubro.

– O prefeito não pode mais usar a desculpa de “herança maldita” para não trabalhar, pois recebeu a Prefeitura dele mesmo. A reeleição do prefeito custou caro. E o mais triste é ver que quem está pagando é o povo – declarou o deputado.

Eduardo Braide é autor de uma ação de cassação do prefeito Edivaldo, por fraude eleitoral…

16

Imagem do dia: isto também é momento de intimidade?!?

Flagrante feito no mesmo Hospital da Criança em que a mãe foi fotografada dormindo no chão ao lado do bebê – atitude classificada pelos aliados de Edivaldo Júnior (PDT) de “momento de intimidade” – mostra exatamente cinco bebês amontoados em duas macas sem segurança alguma. Observe que as mães se mantêm perto para evitar quedas; talvez até por isso, a mãe da polêmica tenha preferido dormir no chão

 

bebês como sacos de feijão; é isso ou dormir no chão

bebês como sacos de feijão; é isso ou dormir no chão para protegê-los

A imagem acima é mais uma degradação do atendimento de Saúde oferecido no Hospital da Criança pela gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

São cinco bebês amontoados como meros pacotes em duas macas sem a menor segurança.

É o mesmo hospital em que foi flagrado, nesta terça-feira, 25, uma mãe que preferiu dormir com o filho no chão a ter que submetê-lo0 ao risco de queda ou a uma infecção ao ficar amontoada com outras crianças.

Aliados do prefeito Edivaldo Júnior, que há anos mantém uma obra a passos de cágado no hospital, classificaram a imagem da mãe no chão como ‘mero “momento de intimidade”.

Em Nota, a Secretaria de Saúde disse que abriu sindicância para apurar responsabilidades sobre o caso.

As imagens, em sua maioria, são feitas pelos próprios médicos e funcionários, que não aguentam mais “o inferno que é este puxadinho”, apelido que deram ao que sobrou da unidade original de saúde em meio às obras.

Este blog só publicou a nova foto após ter certeza da sua autenticidade e do local, garantidos pelo autor, também indignado com a farsa da gestão do prefeito pedetista.

Ali, naquele hospital, só há duas saídas: amontoar bebês como sacos de feijão ou dormir no chão com eles, submetendo-se a mais riscos de infecção.

E as imagens não mentem, jamais…

1

Um novo Hospital da Criança em SL…

Em convênio com o Governo do Estado, prefeitura vai praticamente refazer todo o Hospital Odorico Matos, que nos últimos ano sofreu, inclusive, com enchentes em períodos de chuva

 

Edivaldo com Flávio Dino na assinatura do convênio

Edivaldo com Flávio Dino na assinatura do convênio

A Prefeitura de São Luís vai reformar completamente o Hospital da Criança Dr. Odorico Amaral de Matos, na Alemanha.

O convênio, assinado como o Governo do Estado, garantirá R$ 10 milhões para a obra.

– Este ato é um grande marco para área da saúde em nossa capital. A previsão é que dentro de seis meses São Luís tenha um novo Hospital da Criança, com uma grandiosa estrutura de atendimento médico infantil que transformará a unidade em um hospital de referência na área. Nossa meta é proporcionar aos nossos pacientes toda a qualidade do atendimento em saúde que merecem e a que têm direito – afirmou o prefeito Edivaldo Júnior (PDT), na solenidade de assinatura de convênio, com a presença do governador Flávio Dino (PCdoB).

Com a reforma e ampliação, o Hospital da Criança (HC) passará a ter quatro andares e vai dobrar a capacidade de atendimento.

Serão instalados mais 91 leitos de internação, UTI com 11 leitos, inclusive de isolamento; além de centro cirúrgico com quatro salas de grande porte; mais 25 enfermarias, que, com as oito já existentes, vão totalizar 178 leitos de internação.

O hospital vinha sofrendo com a fala de estrutura. No início do ano, a secretaria de Saúde foi obrigada a transferir boa parte dos pacientes por causa de alagamentos no prédio, atribuídos à obra da avenida Quarto Centenário.

No mês de julho, o Hospital da Criança reativou as enfermarias e as semi-UTI’s interditadas em abril, quando uma enchente inundou o hospital.

O investimento do Executivo Estadual será destinado às obras de ampliação e reforma do Hospital.

5

Imagem do dia: cadeira vira leito no Hospital da Criança…

A imagem acima mostra a realidade do Hospital da Criança Odorico Matos, na Alemanha, inundado duas vezes pelas chuvas da semana passada. Hoje, os vereadores Fábio Câmara (PMDB), Rose Sales (sem partido) e Manoel Rêgo (PRP), fizeram uma vistoria na unidade de saúde. Pacientes precisam usar cadeiras como leitos, fazem papelão de colher e deitam no chão para continuar internados. E a secretária de Saúde Helena Duailibe acha que tudo está ás ml maravilhas. (imagem: Isaias Rocha)

2

Vereadores cobram responsabilidade da Prefeitura no Hospital da Criança…

Os vereadores Fábio Câmara (PMDB), Rose Sales (PCdoB) e Manoel Rego (PTdoB), visitaram na manhã desta quarta-feira (22), o promotor de Justiça de Defesa da Saúde de São Luís, Dr. Herberth Costa Figueiredo, com o intuito de obter mais informações a cerca da desativação de vários setores do Hospital Odorico Amaral de Matos, o ‘Hospital da Criança’.

Durante o encontro, os parlamentares convidaram o promotor, juntamente com a Vigilância Sanitária Estadual, para realizar uma visita na próxima sexta-feira (24), na unidade de saúde.

No último domingo (19), a forte chuva que atingiu a capital maranhense, provocou alagamento nas dependências do Hospital. A enxurrada atingiu a Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e alarmou pacientes, acompanhantes e funcionários. Por causa do incidente, pacientes foram transferidos para outros hospitais.

Para o vereador Manoel Rego, a situação provocou prejuízos à assistência prestada aos pacientes.

Fiquei estarrecido com a declaração da secretária Helena Duailibe afirmando que todos os anos o hospital era alagado. Isso comprova que a secretária já tinha conhecimento do problema, mas não tomou medidas definitivas para resolver a questão – declarou Manoel Rego.

A vereadora Rose Sales lamentou a notícia da desativação do hospital da criança até que os problemas de inundação sejam resolvidos e a reforma da unidade seja concluída. Ela afirmou que a situação vai provocar prejuízos para a população de vários municípios que possuem os serviços da saúde pactuados com a capital do estado.

O hospital da criança é uma unidade de referência no serviço. O hospital tem porta aberta para atendimentos de emergência e se o hospital for desativado vai provocar prejuízos para a população de vários municípios que possuem os serviços da saúde pactuados com a capital do estado – informou a vereadora.

Durante a visita, o vereador Fábio Câmara cobrou do prefeito Edivaldo Júnior, as responsabilidades pela situação envolvendo a unidade de saúde. O peemedebista levantou questionamentos que precisam ser esclarecidos pela Prefeitura.

A Central de Material de Esterilização (CME) é um setor considerado o coração de um hospital, pois fornece material limpo para toda  a unidade. Precisamos saber se já foram avaliados os danos da Central de Material de Esterilização (CME) e seus equipamentos como autoclaves e estufas?  Por isso a minha preocupação com relação ao setor que é responsável no controle de infecção hospitalar – questionou o parlamentar.

No encontro entre os vereadores e o promotor de saúde, foram debatidos temas relacionados às transferências de pacientes, funcionamento da unidade com seus respectivos setores e o atendimento à população.

Na reunião de trabalho, Fábio Câmara sugeriu que a Prefeitura aproveite a parceria com o governo do Estado para a instalação de um hospital de campanha, nas proximidades do Hospital da Criança.

A informação que recebi é que a Secretaria Municipal de Saúde ainda não transferiu as crianças da UTI e semi-intensiva. Também não decidiram onde vai funcionar o setor de urgência, nem outros setores como farmácia, nutrição, laboratório, que foram afetados com a enxurrada. A minha sugestão é que a Prefeitura de São Luís aproveite a parceria com o Governo do Estado para a instalação de um hospital de campanha nas proximidades do Hospital da Criança. Com a instalação do hospital de campanha tanto a população quanto os funcionários, não iriam precisar ficar rodando de um lado pra outro – sugeriu.