9

Clayton Noleto confirma crime eleitoral em favor de Holandinha, revela vídeo…

Durante a sabatina na Assembleia Legislativa, secretário de Infraestrutura diz que obras no Santa Cruz foram “intervenção direta” do governo, desmentindo o prefeito, que a incluiu como obra da prefeitura; e ainda é obrigado a ouvir de Eduardo Braide o apelo para que mantenha as máquinas funcionando, como na campanha

 

O vídeo acima foi extraído da sabatina a que o secretário Clayton Noleto fora submetido na Assembleia Legislativa, na última quarta-feira, 15.

O trecho é a confirmação de que o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) utilizou-se de obra paga com dinheiro público para fazer propaganda de campanha.

– Essa rua foi execução direta do governo do Maranhão, tenho quase certeza – afirmou Noleto, ao responder pergunta do deputado Eduardo Braide sobre ruas asfaltadas no bairro Santa Cruz.

Braide exibiu prints do blog de campanha de Edivaldo Júnior (PDT) – já publicados nesta página – em que o prefeito fala que “as máquinas da prefeitura” estavam agindo no Santa Cruz, no Vera Cruz e na Radional.

– Esta mesma foto foi postada no blog de campanha do prefeito no dia 17 de outubro. E o próprio Edivaldo diz o seguinte: “melhor ainda é saber que as máquinas da prefeitura continua executando esses serviços em novas regiões da ilha. Na última sexta-feira os bairros do Santa Cruz, da Vera Cruz e da Radional foram beneficiados com ações” – replicou Eduardo Braide, para completar:

– Vossa excelência acaba de confirmar uma obra executada pelo Governo do Estado, paga com dinheiro público, sendo usada pela propaganda eleitoral do prefeito.

O parlamentar ressaltou que o documentos apresentados fazem parte da ação de cassação de mandato de Holandinha. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Braide encerrou com um apelo ao secretário:

– Traga de volta as máquinas de asfalto para os bairros. Faça o programa “Mais Asfalto” funcionar dia e noite e de madrugada, como funcionou na eleição. Tenho certeza que, assim, vossa excelência vai mostrar que eu estou errado. E quem vai ganhar é o povo do Maranhão. mas traga as máquinas de volta – concluiu.

Sob o silêncio do auxiliar de Flávio Dino…

3

Mais um estelionato eleitoral de Edivaldo Júnior…

Prefeito chantageou o eleitor durante a campanha, dizendo que precisava ser reeleito para que as obras da Maternidade da Cidade Operária não parassem; mas ocorreu exatamente o contrário

 

Prometida para junho de 2016, Maternidade da Cidade Operária segue com a obra parada: estelionato eleitoral

A reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) foi uma fraude, um estelionato contra o eleitor de São Luís em todos os aspectos.

E a reportagem do jornal O EstadoMaranhão do último fim de semana mostrou que a Maternidade da Cidade Operária é mais uma dessas fraudes para reeleger o prefeito.

– Como Saúde é uma das áreas mais importantes para você, é prioridade absoluta da minha gestão. Estamos fazendo esta obra aqui, que é muito importante para São Luís: a maternidade da Cidade Operária – mentiu o prefeito, durante o horário eleitoral, em propaganda que contou com a presença da própria secretária de Saúde, Helena Duailibe. (Veja o vídeo abaixo)

Era tudo mentira.

Hoje, a obra está totalmente paralisada, e nem construtora tem mais.

Segundo a reportagem de O Estado, assinada pelo jornalista Adriano Martins Costa, a Secretaria de Saúde ainda vai realizar nova licitação para recomeçar as obras.

Adversário de Holandinha no segundo turno das eleições, o deputado Eduardo Braide (PMN) revela em sua página no Facebook que, apesar de a obra estar parada, a construtora continua recebendo.

– O Hospital da Criança e a Maternidade da Cidade Operária são exemplos da falta de gestão e da mera propaganda eleitoreira. No caso da maternidade, segundo o Portal da Transparência, já foram pagos pela Prefeitura R$ 3.386.400,00 (três milhões trezentos e oitenta e seis mil e quatrocentos reais). O último pagamento foi realizado no dia 21 de dezembro do ano passado, no valor de R$ 242.400,00 – revelou o parlamentar

A maternidade deveria ter sido inaugurada em junho de 2016.

Mas, com a nova paralisação, não há previsão sequer para a retomada dos trabalhos.

E este é só mais um estelionato eleitoral de Holandinha…

4

“Nhozinho Santos é apenas um espaço abandonado”, lamenta Wellington…

Deputado voltou a cobrar a recuperação do estádio, interditado desde 2015, e lamentou que os campeonatos de futebol comecem sem uma praça esportiva alternativa ao Castelão

 

Abandonado, Nhozinho Santos tem servido de depósito de caminhões da Citeluz

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) visitou nesta segunda-feira, 23, o Estádio Nhozinho Santos; e constatou que nada foi feito, desde a sua primeira denúncia, ainda em abril de 2016.

O estádio foi interditado em 2015, por intermédio do Ministério Público. Desde então, está fechado.

Abandonado, o local serve apenas de depósito de caminhões de prestadoras de serviços à prefeitura.

– No dia 7 de abril de 2016, nós cobramos a retomada das obras, mas ao que parece, nada ou quase nada foi feito. Esse estádio foi interditado desde 2015 e fica o questionamento: quando reinaugurará? Quem passa em frente ao Nhozinho vê apenas um espaço abandonado. O que eu trago aqui não é uma constatação minha, mas sim denúncias e reclamações de torcedores, da população. Teremos várias competições e, lamentavelmente, apenas o Castelão receberá as partidas de futebol – disse Wellington.

Wellington denunciou o abandono do estádio em sucessivos discursos e em vários documentos à prefeitura

O parlamentar cobrou novas informações da prefeitura, mas pretende levar o caso à discussão também nas comissões de Desporto e de Obras da Assembleia Legislativa.

– Durante a propaganda eleitoral, o prefeito reeleito de São Luís garantiu que entregaria o estádio pronto. Então, 2017 já chegou e, com ele, as várias competições. Infelizmente, o que vemos é apenas o Castelão tendo que suportar sozinho toda a demanda de jogos. Se a Prefeitura não se posicionar, iremos cobrar a discussão por parte das Comissões de Desporto e, ainda, de Obras na Assembleia – afirmou.

As tentativas de manutenção têm sido precárias e rudimentares

Além das indicações à gestão de Edivaldo Júnior (PDT), Wellington encaminhou documentos também ao governo Flávio Dino (PCdoB) – tutor do prefeito – para que ajude na recuperação do estádio, por meio de parceria da Sedel.

Afinal, padrinho também é para essas coisas…

6

VLT de volta ao noticiário…

O Jornal Nacional da Rede Globo mostrou ontem o que este blog tem dito há mais de quatro anos: o desperdício causado pelo desinteresse da gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) com o VLT. Um serviço que poderia melhorar a mobilidade em São Luís está abandonado em um galpão no Tirirical. E ao que tudo indica, permanecerá por lá enquanto Holandinha for prefeito. Veja o vídeo.

7

Cidade imunda: mais um custo da eleição de Holandinha…

Prefeitura deve cerca de R$ 20 milhões à empresa responsável pela coleta de lixo, que,s em recursos, é obrigada a demitir e reduzir as ações em São Luís, para reduzir custos

 

Sem limpeza, lixões e lixinhos podem se consolidar em São Luís (imagem ilustrativa)

Reeleger o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) teve um custo altíssimo para o morador de São Luís, em todos os aspectos.

E a limpeza urbana da capital maranhense é só mais um destes custos.

Com cerca de R$ 20 milhões no “toco” da prefeitura, a empresa responsável pela coleta e destinação do lixo ~está prestes a entrar em colapso, o que poderá gerar uma ilha de imundície na cidade.

A tendência é que este débito aumente até o fim do ano.

Sem obras, sem atendimento adequado de Saúde, sem merenda escolar e com fraudes no sistema de transporte, São Luís pode virar, agora, também, uma cidade suja.

É o custo da reeleição de Holandinha…

4

Chaguinhas critica iluminação de Natal restrita ao Centro…

Parlamentar diz que Flávio Dino e Edivaldo Júnior mantêm as principais avenidas de São Luís num verdadeiro “apagão natalino”, sem a devida atenção do poder público

 

Iluminação de Natal se restringe à praça Pedro II e a duas pontes

Iluminação de Natal se restringe à praça Pedro II e a duas pontes

O Vereador Francisco Chaguinhas (PP) criticou a falta de investimentos dos governos Flávio Dino (PcdoB) e Edivaldo Júnior (PDT) na iluminação natalina nas grandes avenidas da capital ludovicense.

Segundo o progressista,  Edivaldo e Flávio Dino presentearam São Luís com o  “Apagão Natalino”.

– São Luís, nossa querida e amada ilha do amor, está abandonada. O natal, que acontece uma vez por ano, não está tendo a atenção devida dos governos. A iluminação natalina deveria ser, sem sombras de dúvidas, muito bem feita. As nossas avenidas, como a  Africanos, Casemiro Junior, Santos Dumont, Guajajaras, Rei de França, Holandeses e Daniel de La Touche, deveriam ter uma iluminação diferenciada, mostrando o que temos de melhor – disse.

Para Chaguinhas, governos entregaram "apagão natalino" de presente aos bairros

Para Chaguinhas, governos entregaram “apagão natalino” de presente aos bairros

Em São Luís, a iluminação de Natal está restrita à sedes dos governos estadual e municipal e algumas ruas do Centro, alcançando apenas as duas pontes que dão acesso à cidade nova.

A decoração natalina não alcança os bairros mais distantes do Centro

O vereador citou as capitais de Belém, Teresina e Palmas, além do estado de Tocantins, como exemplos de uma boa administração cultural, e que lá, nesse período, a cidade é iluminada pelo brilho natalino.

– Todos esses lugares ganham de cem a zero. O município de São Luis perde até nisso. Lamentável ver que os que administram o estado e município não têm o sentimento natalino, o que é mais uma vez, lamentável – finaliza.

3

Edivaldo aumentou sua votação em menos de 5 mil em quatro anos…

Prefeito foi eleito em segundo turno, em 2012, com 280.809 votos; e teve  no segundo deste ano 285.242 votos, diferença de meros 4.433 votos, o que reforça a ideia de compra de votos para ajudar a manter o prefeito no cargo

 

Edivaldo: quatro anos para 4 mil votos a mais

Edivaldo: quatro anos para 4 mil votos a mais

Preste atenção neste número: 280.809 votos.

Esta foi a votação obtida pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT) no segundo turno das eleições de 2012.

Passados quatro anos, Edivaldo disputou novamente o segundo turno em São Luís e obteve 285.242. , Uma diferença de apenas 4.433 votos a mais que o obtido há quatro anos.

Em outras palavras, Edivaldo passou quatro anos no poder e só conseguiu ampliar seu eleitorado em menos de 2%, o que caracteriza a rejeição à sua gestão.

Os números mostram também que a eleição de Holandinha foi a fórceps, um estupro popular com compra de votos e uso da máquina administrativa, única forma de barrar a rejeição ao prefeito.

E foi assim que Edivaldo se manteve no poder em São Luís…

44

Edivaldo quebra a prefeitura para ter metade de São Luís…

Derrame de dinheiro público nunca visto na história eleitoral da capital maranhense serviu apenas para dividir o eleitorado; e o cidadão deve pagar a conta já partir desta segunda-feira

 

O prefeito vai ter que repensar suas atitudes, manchadas por uam eleição caracterizada pelo crime eleitoral e abuso do dinheiro público

O prefeito vai ter que repensar suas atitudes, manchadas por uam eleição caracterizada pelo crime eleitoral e abuso do dinheiro público

Para se reeleger prefeito de São Luís, o pedetista Edivaldo Júnior teve que se submeter a um derrame de dinheiro público sem precedentes na capital maranhense.

Ele alcançou pouco mais da metade dos votos válidos, mostrando que se o dinheiro público não tivesse sido usado na campanha – de forma velada, disfarçada ou mesmo escancarada – suas chances de renovar o mandato seriam nulas.

O cidadão médio de São Luís rejeitou a gestão de Holandinha e isso ficou provado na campanha.

Para vencer, o prefeito teve que subjugar a cidade, com obras eleitoreiras de última hora – e de qualidade duvidosa – e um derrame de dinheiro, mais muito dinheiro, na zona rural, onde a cidadania é mais vulnerável, pela ausência do próprio poder público que agora compra uma eleição.

Os custos desta vitória não serão políticos, mas econômicos e sociais.

E a própria população começa a pagar a conta já a partir desta segunda-feira.

É aguardar e conferir…

6

Você vai pagar a conta, eleitor!!!

Uso escancarado da máquina pública para tentar eleger Edivaldo Júnior é um custo altíssimo para a própria população arcar nos próximos quatro anos

 

Márcio Jerry, o controlador de Holandinha: é você quem vai pagar essa conta

Márcio Jerry, o controlador de Holandinha: é você quem vai pagar essa conta

No fim das contas, o custo da campanha do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) será um peso para o cidadão de São Luís.

O dinheiro público gasto nestas eleições para compra de votos – de forma velada, disfarçada e escancarada, tudo nas barbas da Justiça Eleitoral – tende a deixar São Luís no vermelho por um bom tempo.

E o gasto continuou a todo vapor neste domingo de eleição.

E o próprio eleitor mais desavisado, que acaba sucumbindo à opressão da máquina é quem vai arcar com o prejuízo.

17

Caminhões de asfalto afrontam a dignidade da periferia…

Com as obras eleitoreiras meramente “compra votos”, Edivaldo Junior e seu tutor Flávio Dino deixam uma mensagem clara: a de que podem manipular os cidadãos mais carentes de São Luís por que estes são totalmente vulneráveis, o que humilha as comunidades

 

Comboi de caminhões desfila asfalto nas comunidas, coma s bandeirinhas do 12 penduradas, num claro flagrante de crime eleitoral

Comboio desfila asfalto nas comunidades, com bandeirinhas do 12 penduradas, num claro flagrante de crime eleitoral

Editorial

A forma acintosa, criminosa, abusiva e covarde com que o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tem invadido o bairros de São Luís nesta reta final de campanha, oferecendo apenas um pouco do que ele teve a oferecer em quatro anos de mandato, é uma afronta à dignidade da periferia de São Luís.

O recado que o prefeito manda às próprias comunidades é claríssimo: ele pode passar quatro anos sem trabalhar e ainda assim pode ganhar novo mandado; basta que faça o que está fazendo, carregando caçambas de asfalto em troca do voto desavisado.

E tudo nas barbas da Justiça Eleitoral inerte.

Com o gesto criminoso e indigno, Edivaldo ganha carta de seguro para passar mais quatro anos alheios aos anseios da população carente, indiferente às angústias sofridas também em 2013, 2014, 2015 e até em 2016.

Talvez por isso, ecos de dignidade são ouvidos diariamente na periferia e na zona rural abandonada e agora aliciada por obra de última hora, caça-votos criminoso a rondar os bairros, dia e noite.

Máquina da prefeitura afunda na lama de asfalto jogada de qualquer forma, apenas para garantir o voto de última hora

Máquina da prefeitura afunda na lama asfáltica jogada apenas para garantir o voto de última hora

Gritos como o da moça do São Cristovão, que ressoou a indignação dos moradores, obrigados a levantar bandeirinhas do 12 quando o asfalto estivesse passando. (Relembre aqui)

Gritos como senhor da Cidade Olímpica, que revoltou-se com a afronta da carreata do prefeito, que deu um zignal para não adentrar em sua rua poeirenta, que aguarda asfalto desde o início da gestão. (Releia aqui)

Ou como o jovem indignado do bairro Santa Cruz, que mostrou a péssima qualidade do asfalto compra-votos, jogado de qualquer jeito, na tentativa de convencer o eleitor a dar mais quatro ano de paralisia a Edivaldo. (Saiba mais aqui)

A qualidade do asfalto é tão ruim que engoliu a máquina da própria prefeitura.

É esta revolta popular que mostra o quanto Edivaldo se seu tutor Flávio Dino ferem a dignidade do povo achando que podem humilhá-lo com a com a compra de votos.

E este blog não cansa de repetir:

Tudo nas barbas da Justiça Eleitoral inerte…