0

Anuência do PEN garante transferência partidária de Marcial Lima…

Vereador deixou o partido em consenso com a sua direção, o que o livra de qualquer ação por infidelidade por parte da legenda

 

O vereador Marcial Lima (PRTB) encaminhou ao blog, na tarde desta sexta-feira, 18, uma Carta de Anuência do PEN para sua saída da legenda.

Segundo o vereador, com esta carta, ele fica livre de qualquer ação do partido contestando sua fidelidade partidária.

Na manhã de hoje, este blog publicou decisão do TSE segundo a qual a janela partidária deste ano não se aplica a vereadores, mas apenas a deputados estaduais e federais.

Com base nesta decisão, o blog citou o nome dos quatro vereadores que trocaram de legenda – e que, portanto, poderiam ser acionados judicialmente por infidelidade partidária.

A carta de anuência do PEN, no entanto, livra Marcial Lima de qualquer contestação por parte do seu ex-partido.

Veja abaixo a carta do PEN…

2

Os caminhos de Eduardo Braide…

Deputado precisa de um partido com tempo de TV e que esteja apto à participação nos debates, mas, ao contrário do que se especula, pode esperar até as convenções de agosto para isso

 

A pressão é grande sobre Eduardo Braide, mas ele tem tempo para definir-se

O fim da janela partidária – e a declaração do ex-governador José Reinaldo (PSDB) de que terá dois palanques de governador no Maranhão – geraram uma série de fatos e factóides em torno do deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

Alçado à condição de pré-candidato a governador por conta do recall das eleições de 2016, Braide tem a situação considerada difícil por que não tem partido com tempo na propaganda e com bancada para assegurar sua participação em eventuais debates.

Mas as coisas não são assim como parecem aos profetas do caos e aos ansiosos de plantão.

Com relação ao partido, ideal é que o deputado consiga, até o próximo sábado, 7, o controle de uma legenda com tempo suficiente na propaganda.

Mas isso não é sangria desatada.

Se conseguir apenas a garantia de aliança com um partido de peso – e na política as coisas têm que ser feitas na confiança mútua – o parlamentar já poderá respirar até as convenções de agosto, mantendo seu nome em evidência.

Com relação à participação em debates, a garantia a Braide – mas do que seu partido ter bancada – é sua performance nas pesquisas.

E, por enquanto, essa participação está garantida com o terceiro lugar que ele tem em todos o levantamentos.

Como se vê, apesar da ansiedade de aliados e adversários, Eduardo Braide tem todo um terreno para caminhar até agosto, quando, finalmente, se definirão os candidatos e as alianças partidárias para o pleito.

Talvez até por isso ele se mantenha naturalmente equidistante do debate.

Isso também faz parte das estratégias…

2

Janela partidária se fechando…

Candidatos do peso de José Reinaldo Tavares, Eduardo Braide e Waldir Maranhão entram na reta final do prazo de filiação ainda em busca de um partido com importância política no processo eleitoral

 

Eduardo Braide e José Reinaldo ainda precisam viabilizar partido para seguir na campanha

Faltam exatos 15 dias para o fechamento da janela partidária que permite aos candidatos nas eleições de outubro a troca de partidos sem infringir leis eleitorais.

Até o dia 7 de abril, candidatos a presidente, governador, senador, deputado federal e estadual terão que buscar um abrigo partidário que  lhes garanta condições de se eleger em outubro.

E é exatamente este o problema.

É cada vez mais restrito o espaço em legendas que ofereçam o mínimo de condições estruturais para seus filiados – militância, tempo de propaganda, consolidação programática… – sem que oprimam seus valores.

E há uma profusão de candidatos ainda em busca deste espaço.

Na lista dos “sem-partidos” está desde o candidato a governador Eduardo Braide (ainda no minúsculo PMN) até centenas de candidatos a deputado federal e estadual, passando pelos candidatos a senador José Reinaldo Tavares (sem partido) e Waldir Maranhão (Avante).

Além de encontrar uma legenda que dê abrigo, esses candidatos precisam ter tempo na propaganda eleitoral, uma chapa de qualidade para a disputa e, sobretudo, um palanque de peso, que abrigue um candidato a presidente e um candidato a governador com o mínimo de competitividade.

E são esses pré-requisitos que tornam ainda mais tensa os últimos dias de janela aberta para filiações.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Wellington deixa o PPS, que deve ser o caminho de Eliziane…

Deputado estadual anunciou sua desfiliação nesta sexta-feira, 18, mas não disse para onde vai. “Só sei que manterei minha independência”, frisou; Eliziane Gama estuda retorno à legenda

 

Eliziane Gama e Wellington: ela entra e ele sai do PPS...

Eliziane Gama e Wellington: ela entra e ele sai do PPS…

O deputado estadual Wellington do Curso anunciou no final da tarde desta sexta-feira, 18, a sua desfiliação do PPS, partido pelo qual foi eleito em 2014.

O parlamentar, no entanto, não revelou qual o seu novo destino partidário.

– Ainda não sei. Só sei que manterei minha independência – ressaltou.

A decisão de Wellington reflete que ele ainda sonha ser candidato a prefeito de São Luís, embora não saiba ainda por qual legenda.

E aponta também para um provável retorno da deputada Eliziane Gama ao PPS.

A deputada federal decidiu deixar a Rede Sustentabilidade, embora não tenha feito anúncio oficial, mas recuou na indicação de ir para o PSB.

O caminho de Eliziane Gama deve ser mesmo o próprio PPS, legenda que ela dirigiu até 2015.

Mas esta é uma outra história…

3

Juscelino explica crise com deputados do DEM na Assembleia Legislativa…

Deputado federal que controla o partido no Maranhão diz que indicou a composição dos blocos porque os dois parlamentares da legenda não se entenderam; polêmica levou César Pires a anunciar saída

 

Juscelino; "DEM não tem diálogo com governo"

Juscelino; “DEM não tem diálogo com governo”

O deputado federal Juscelino Filho (PRP), que controla o DEM no Maranhão, explicou ontem que a legenda só decidiu interferir na questão da formação dos blocos na Assembleia Legislativa por que os dois deputados – César Pires e Antonio Pereira – não se entenderam.

pires

Pires: em busca de um novo caminho

– O problema é que Antonio Pereira queria formar com o bloco União Parlamentar, mas César Pires queria entrar no bloco do governo. Como o DEM não tem qualquer diálogo com o governo, decidiu encaminhar documento pela formação no União Parlamentar – explicou Juscelino.

A crise no DEM levou ontem o deputado César Pires a anunciar sua saída do partido.

Ele deve aproveitar a janela partidária para decidir novo futuro partidário.

Mas esta é uma outra história…

2

Janela partidária pode alterar correlação de forças em São Luís…

Pelo menos cinco lideranças diretamente ligadas às eleições na capital maranhense podem trocar de partido até abril

 

candidatosOs deputados Eliziane Gama (Rede), Andrea Murad (PMDB), Bira do Pindaré (PSB) e Wellington do Curso, além do senador Roberto Rocha (PSB), têm o futuro eleitoral em São Luís atrelado ao futuro partidário.

Todos eles estão na disputa pela Prefeitura de São Luís – ou pelo menos pretendem entrar – mas ainda precisam consolidar um projeto de partido.

Favorita na capital, Eliziane trocou o PPS pela Rede Sustentabilidade  em setembro do ano passado. Mas pode buscar novo rumo – PSB ou PSDB – ou até mesmo retornar ao PPS.

Aliado de Eliziane no PPS, Wellington pode fazer o caminho inverso. Ainda com projeto de entrar na disputa, ele pode deixar o partido para viabilizar seu nome.

O PSDB pode ser também o destino de Roberto Rocha, que nunca foi, de fato, um socialista. Ele tem convites nacionais para retornar ao ninho tucano e conduzir o processo eleitoral à frente da legenda.

Mas pode permanecer no PSB se Bira do Pindaré sair.

O deputado que ora ocupa a Secretaria de Ciência e Tecnologia reconhece as dificuldades de viabilização no PSB. E pode até retornar ao PT, projeto que tentou ainda no ano passado.

Por fim, a deputada Andrea Murad admitiu, ela própria, que pode até deixar o PMDB se não conseguir viabilizar o seu projeto de ser candidata a prefeita.

E qualquer uma dessas mudanças que se efetivar altera, fortemente, a correlação de forças na disputa em São Luís.

É aguardar e conferir…