1

Após denúncia do blog, blitz age em locais de aglomeração

Depois de um primeiro dia de indiferença de logistas e comerciantes em relação ao lockdown judicial do Maranhão, policiais amanhecem nas principais áreas do comércio – no São Cristovão e em outros bairros – onde houve excesso de gente nas ruas

 

Pontos como o Terminal da Integração, na Cohab, serviram de base para a barreira policial á circulação de veículos

No balanço do primeiro dia do lockdown judicial da Grande São Luís, o blog Marco Aurélio D’Eça mostrou que em alguns setores da capital maranhense o bloqueio foi ignorado por lojistas, comerciantes e população.

No São Cristovão, no Cohatrac, no João Paulo e na avenida Kennedy foram vistas aglomerações em agências bancárias e constatadas até lojas abertas. (Relembre aqui)

Na manhã desta quarta-feira, 6, policiais militares e a Blitz Urbana amanheceram nesses locais para impedir a abertura de lojas.

Algumas, que abriam apenas parte das portas, foram obrigadas a fechar.

A intenção é que, ao longo do dia, outros pontos considerados críticos em relação ao lockdown também sejam, visitados pelas forças de segurança.

O que não ocorreu no primeiro dia…

2

Deputado aponta mais um fracasso de Flávio Dino…

Hildo Rocha visita o trecho onde já deveria estar funcionando o Anel Metropolitano da Grande São Luís, projeto idealizado pela ex-governadora Roseana Sarney e que foi paralisado mesmo com recursos garantidos

 

Batizado com o nome de “Anel Metropolitano”, projeto idealizado pela então governador Roseana Sarney (PMDB), em 2013, já deveria estar funcionando, integrando os municípios de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Raposa e 56 bairros da capital.

Mas a obra oi completamente paralisada no governo Flávio Dino (PCdoB), apesar dos recursos garantidos pelo BNDES.

 – A ordem de serviços foi assinada há dois anos. A obra foi iniciada, mas, por incompetência do governador Flavio Dino a obra não prosperou. O anel rodoviário metropolitano da grande São Luís já deveria estar pronto. Era para estar passando BRT; o tráfego poderia estar fluindo com tranquilidade, mas infelizmente o governador Flávio Dino não concretizou o projeto – criticou o parlamentar, que foi ao local, em que gravou o vídeo que deu base a este post. (Veja acima)

O mais grave é que o prazo para conclusão da obra, de 24 meses, já foi expirado, o que deve resultar em devolução dos recursos ao BNDES.

– Ainda tenho esperança de que o governador conclua esta obra porque é um projeto importante para a nossa capital e demais cidades que fazem parte da região metropolitana de São Luís – concluiu Hildo Rocha.

4

Os 30 anos de oposição em São Luís..

O blog inicia hoje uma série para analisar as três décadas de domínio da oposição na Prefeitura da capital maranhense. Com base em fatos que se podem comprovar a olhos vistos e dados históricos, o blog vai abordar desde os resultados práticos deste domínio, passando pela “obra” de cada um dos oito prefeitos, e discutir como seria São Luís sem o que foi realizado pelos governadores. Abaixo, o primeiro da série de três posts

 

Grandes obras, como a Via Expressa, são todas feitas pelos governadores

Grandes obras, como a Via Expressa, são todas feitas pelos governadores

A oposição maranhense completa neste 2014 nada menos que 30 anos de controle da Prefeitura de São Luís.

À exceção de um curto período de três anos em que coincidiram os mandatos dos governadores José Reinaldo (PSB) e Jackson Lago (PDT) com o do prefeito Tadeu Palácio (ex-PDT, hoje no PP), todos os eleitos na capital maranhense – de Gardênia Gonçalves (antigo PDS) a Edivaldo Júnior (PTC) – fizeram e fazem oposição ao Governo do Estado, e sobretudo ao grupo Sarney.

Mas o resultado prático deste controle oposicionista é quase nulo, em termos de obras estruturantes.

Nenhum dos oito prefeitos fez qualquer obra que pudesse ser considerada como importante para o desenvolvimento futuro da cidade. Nem Jackson Lago, que passou três vezes pela prefeitura.

Tudo o que São Luís tem em obras de mobilidade urbana, melhoramento de trânsito, abertura de avenidas, construção de hospitais e saneamento básico foi feito pelos prefeitos anteriores a estes oposicionistas – aliados exatamente a Sarney – ou pelos governadores José Sarney, João Castelo, Epitácio Cafeteira, Edison Lobão, João Alberto de Souza e Roseana Sarney.

Absolutamente tudo mesmo.

O que os prefeitos fizeram nestes 30 anos, mal e porcamente, foi apenas a manutenção  do que já existia ou do que foi feito pelos governos. A inoperância é tamanha que se vê aberrações como as de Holandinha, que distribui farto material publicitário e de comunicação para anunciar operações tapa-buracos.

Apesar do fracasso da mulher, Gardênica, castelo é uma honrosa exceção entre os prefeitos

Apesar do fracasso da mulher, Gardênica, castelo é uma honrosa exceção entre os prefeitos

A honrosa exceção é feita a João Castelo (PSDB), coincidentemente, também um governador realizador.

Ele construiu ou recuperou em quatro anos de mandato, pelo menos quatro importantes avenidas da capital – Santos Dumont, Estrada da Vitória, Mário Andreazza e Santo Antonio do Calhau; também construiu a Avenida Mauro Bezerra e uma outra, que liga, a Santos Dumond à Guajajaras, por dentro do João de Deus.

Além disso, iniciou a recuperação dos canais que cortam São Luís e o prolongamento da avenida Litorânea.

Os demais prefeitos se preocuparam em aperfeiçoar apenas serviços básicos, deixando as grandes e importantes obras apenas para os governadores que eles próprios diziam combater.

Como será mostrado nos próximos posts…

Publicado originalmente em  06/02/2014
5

Avenida tomada pelo mato no Barramar…

Quem trafega na avenida tem dificuldade de ver os carros em alguns trechos

Tomada pelo matagal tanto no canteiro central quanto nas laterais de terrenos deixados a deus-dará pelos proprietários, a avenida Santo Antonio do Calhau, construída há menos de três anos, é a imagem do abandono. O tráfego de veículo está quasde impedido pelo mato. E a ameaça aos transeuntes também é grade, devido à ameaça de assaltos.

Aqui, a mesma via vista de outro ângulo, no sentido Altos do Calhau/Barramar

A via foi construídas nos estertores da gestão do ex-prefeito João castelo (PSDB), para ajudar no escoamento a partir da avenida dos Holandêses. Mas, nestas condições, ela gera riscos para motoristas e pedestres.