0

Mandato de Othelino no comando da Assembleia vai até 2023…

Mais de um ano e meio antes de encerrar o atual mandato, presidente se reelegeu para outro período de dois anos, que começa em fevereiro de 2021

 

OTHELINO NETO COM OS NOVOS MEMBROS DA MESA DIRETORA DA AL; no comando da Casa, mandato igual ao de governador

Está equivocada a conta feita em setores da imprensa – e até mesmo pela própria assessoria da Casa – para o mandato do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) à frente da Assembleia Legislativa.

É errado dizer que seu novo mandato – para o qual fora eleito ontem – termina em dezembro de 2022.

Na verdade, vai até fevereiro e 2023.

Regimentalmente, os mandatos da Mesa Diretora da Assembleia começam e se encerram no mês de fevereiro.

O atual, por exemplo, acabou de começar – em 1º de fevereiro de 2019 – e vai encerrar-se em 1º de fevereiro de 2021, quando, automaticamente inicia-se o novo, até fevereiro de 2023. 

E esse detalhe significa muito.

Significa, por exemplo, que Othelino Neto participará das eleições de 2020 e de 2022 no cargo de presidente da Assembleia Legislativa, o que dá forte influência política.

Ele pode até encerrar o mandato antes, mas isso apenas e tão somente se assumir o governo em abril de 2022 – já que está na linha de sucessão.

Ou caso se eleja governador, tomando posse em 1º de janeiro de 2023.

Estas, porém, são outras histórias…

2

Com reeleição na Assembleia, Othelino assegura-se no jogo da sucessão de 2022…

Antecipação da eleição da Mesa Diretora da Casa fortalece projeto de novo mandato presidencial ao deputado comunista, o que o coloca diretamente na linha de sucessão do governo

 

NETO EVANGELISTA E OTHELINO NETO: ARTICULAÇÃO QUE VAI DA ASSEMBLEIA, PASSA PELA PREFEITURA e chega à eleição de 2022 para o Governo do Estado

A Assembleia Legislativa aprovou nesta quinta-feira, 02, o Projeto de Resolução Legislativa que antecipa a eleição da Mesa Diretora da Casa para o biênio 2021/2023.

A princípio, a eleição ocorreria apenas no final de 2020, quando termina o mandato da atual mesa, mas a antecipação garante que isso ocorra já agora no primeiro semestre de 2019.

A princípio, a antecipação da eleição da Mesa não garante novo mandato ao atual presidente Othelino Neto (PCdoB), mas, de acordo as articulações em torno da sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB), é muito provável que ele e seu vice, Glalbert Cutrim (PDT), sejam reeleitos na Casa.

Caso isso ocorra, Othelino Neto põe-se diretamente no jogo de poder de 2022.

A leitura da situação deve ser feita levando em conta também que o autor da proposta de antecipação é ninguém menos que o deputado estadual Neto Evangelista (DEM).

O democrata é um dos principais nomes à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), e conta com o apoio tanto de Othelino quanto do senador Weverton Rocha, que deve levar os pedetistas a apoiá-lo.

Como o próprio Weverton Rocha pretende fortalecer este grupo para ser candidato a governador, significa que Evangelista e Othelino serão empoderados por ele.

A articulação na Assembleia também mostra que o jogo da sucessão de Flávio Dino está a do vapor.

O vice-governador Carlos Brandão (PRB) observa tudo de uma posição privilegiada, já que poderá estar no comando do próprio governo quando for candidato.

Mas o movimento de Othelino Neto pode indicar outros caminhos…

0

Othelino Neto entra no jogo de 2022…

Reconduzido à presidência da Assembleia por aclamação, deputado passa a ser também nome para a sucessão do governador Flávio Dino, levando em consideração os cenários que se desenham a partir de agora

 

Othelino Neto passa a ser um dos homens-chave para a sucessão de Flávio Dino em 2022

Aclamado nesta sexta-feira, 1º, presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) é, desde hoje, um dos nomes de peso para a sucessão do governador Flávio Dino, em 2022.

Ele se junta ao vice-governador Carlos Brandão (PRB), ao senadores Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), e ao prefeito de São Luís Edivaldo Júnior (PDT) como opção do grupo.

É claro que a opção Othelino se dará por uma conjunção de fatores – passando pela sucessão de Edivaldo Júnior, em 2020, até a sua eventual reeleição na Casa, em 2021 – mas há alta possibilidade de se dar esta conjunção.

Caso se mantenha no comando da Assembleia a parir de 2021 – o que seria absolutamente natura, nas atuais circunstâncias – Othelino entra na linha de sucessão do governo Dino.

E passará a ser, ao lado de Carlos Brandão, o vice, opção tanto para o Tribunal de Contas do Estado quanto para a própria sucessão de Dino.

Se Brandão aceitar o TCE, Othelino será o sucessor direto de Flávio Dino, caso este se desincompatibilize para concorrer em 2022. 

E a partir desta posse, o próprio deputado terá condições de construir sua reeleição.

O case envolvendo Othelino Neto é apenas um dos inúmeros que podem ocorrer a partir da reeleição de Flávio Dino, em 2018.

E reforça a ideia de intensas emoções políticas no Maranhão nos próximos quatro anos…