0

Com 2026 no radar, Braide quer vice próprio…

Prefeito de São Luís projeta uma vitória em primeiro turno, que o fortaleceria na sucessão do governador Carlos Brandão; por isso evita negociar a composição de sua chapa, mesmo correndo o risco de se isolar no âmbito estadual, o que ocorreu com o seu antecessor Edivaldo Júnior

 

Confiante na vitória em primeiro turno, Braide quer montar a própria chapa, sem alianças partidárias e com gente como Diego Rodrigues, que ele controla politicamente

O prefeito Eduardo Braide (PDT) tem evitado q1ualquer discussão com partidos para composição de sua chapa à reeleição.

Ele quer como vice um aliado da própria gestão, que não seja político tradicional e lhe deva absoluta continência; fala-se nos secretários de Trânsito, Diego Rodrigues, no secretário de Obras David Col Debella e até no atual titular da Cultura, Maurício Itapary.

O prefeito pretende mesmo deixar a prefeitura em 2026 para concorrer ao Governo do Estado, mas não quer negociar com partidos essa condição por que entende que não precisa deles para a sucessão do governador Carlos Brandão (PSB).

Com forte aprovação popular – cerca de 65%, segundo a última pesquisa DataIlha – Braide entende que o reconhecimento à sua gestão repercute em outras cidades do estado, garantindo espaço para crescimento como candidato em 2026.

MDB, PDT, PL e Podemos já chegaram a se insinuar como opções de vice, mas foram todos rejeitados pelo prefeito, apesar da força que detêm na propaganda eleitoral e do altíssimo valor do Fundo Eleitoral.

Braide passou os últimos três anos de gestão absolutamente só, sem relação com nenhum tipo de liderança política, distante da imprensa e focado apenas no controle da própria gestão, onde tem poder para botar, tirar ou movimentar qualquer peça; e com uma relação próxima nas comunidades, o que lhe garante aprovação recorde.

É com estes dados em mãos que ele vai costurando seu projeto de reeleição, beneficiado, também, pela falta de alcance de denúncias como a do escândalo do Carnaval, que nenhum efeito teve – pelo menos ainda não – em sua performance nas pesquisas.

Por isso aposta totalmente na vitória em primeiro turno, praticamente sem adversários…

0

Os estranhos números da pesquisa DataILha em São Luís…

Em comparação com levantamento do mesmo instituto, de agosto de 2023, números de agora mostram exponencial – e injustificado – crescimento de 11 pontos percentuais do prefeito Eduardo Braide, presença, também injustificada, do ex-prefeito Edivaldo Júnior acima dos dois dígitos e queda de gente que está se movimentando muito mais nas ruas, nas redes sociais e na mídia

Os números do DataIlha mostraram uma movimentação significativa em comparação com números de agosto do mesmo instituto

Editorial

Este blog Marco Aurélio d’Eça demorou para divulgar os números da primeira pesquisa do Instituto DataIlha sobre a corrida eleitoral de São Luís neste início de 2024; e demorou por que achou estranhos e injustificados os números, sobretudo em comparação com pesquisa do mesmo Instituto, divulgada em agosto de 2023. 

Nesta comparação, o prefeito Eduardo Braide (PSD) dá um salto significativo de 11,4 pontos percentuais, chegando a 39,7%; ainda que se reconheça a força do prefeito, não há fato que justifique crescimento tão grande, sobretudo diante de forte oposição sofrida por ele nos últimos cincos meses de intervalo entre os dois levantamentos.

Mais surpreendente é a presença de Edivaldo Júnior com 10,1%.

O ex-prefeito está fora do cenário das eleições desde novembro, quando praticamente desistiu da disputa por falta de acolhimento nos grupos políticos e espaço em partidos; este blog Marco Aurélio d’Eça elencou esses revezes no início de janeiro, no post “Praticamente fora da disputa em São Luís, Edivaldo some, de novo, das redes sociais…”.

O potencial demonstrado por Holandinha é mais estranho ainda quando comparado com outro pré-candidato, deputado Neto Evangelista (União Brasil), que também parece ter abandonado a disputa; fora do debate eleitoral desde novembro, Neto surgiu com apenas 4,9%, nada menos que 6,3% de queda em cinco meses.

Note que Edivaldo Júnior é o único dos candidatos do segundo pelotão que se mantém em todos os cenários da pesquisa DataIlha – junto com Braide e Duarte Jr. (PSB) – um claro sinal de que o levantamento visa testar exclusivamente sua força.

Há uma clara tentativa de mostrar Edivaldo como melhor opção para enfrentar Braide, inflando o prefeito em relação aos demais adversários

O desempenho de Duarte Júnior é outro ponto a ser analisado na pesquisa DataIlha em comparação com seus números de agosto. O candidato do PSB tinha 21,8% em 17 de agosto na pesquisa DataIlha.

Nestes últimos cinco meses conquistou o apoio do governador Carlos Brandão (PSB), recebeu a adesão de inúmeros partidos, deputados, vereadores, praticamente influenciou na desistência de outros nomes da base e polarizou a disputa com Eduardo Braide; não faz nenhum sentido que apareça, agora, com 20,6% no principal cenário, uma perda de mais de um ponto percentual.

Outros candidatos igualmente ativos como Duarte Júnior, e bem mais intensos na disputa que Edivaldo Júnior, como Dr. Yglésio Moyses (ainda no PSB) e Fábio Câmara (PDT) registraram, 2,3% e 1,5%, respectivamente, sem justificativa plausível.

Este blog Marco Aurélio d’Eça não tem dúvidas de que os números do DataIlha tentam dar um recado pró-Edivaldo, fortalecendo Braide em relação aos demais adversários e tentando manter o ex-prefeito numa disputa que ele mesmo já havia abandonado.

Vai conseguir?!?

0

Câmara Municipal tem novo diretor de Comunicação…

Jornalista Igor Almeida, que foi secretário de Comunicação da Prefeitura de São Luís na gestão do prefeito Eduardo Braide até dezembro, vai comandar o setor sob a presidência do vereador  Paulo Victor

 

Ex-secretário de Eduardo Braide, Igor Almeida vai auxiliar Paulo Victor na comunicação da Câmara Municipal

O jornalista Igor Almeida passa a comandar, a partir desta quinta-feira, 1º, a diretoria de Comunicação da Câmara Municipal de São Luís.

Ele vai substituir Mayara Rego, que estava respondendo pelo setor na gestão do presidente Paulo Victor (PSDB).

Almeida esteve no comando da secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Luís até dezembro, quando decidiu pedir demissão.

0

A espera de um “laranja”, Duarte finge que denúncia contra Braide não lhe diz respeito

Escândalo recente envolvendo o carnaval em São Luís foi o primeiro teste de uma nova postura orientada pelo Palácio dos Leões ao seu candidato a prefeito, que passou pelo episódio em meio a entrevistas com testemunhos de vida e pregações em igrejas, sem fazer comentários, esperando que outros se desgastem no embate com o atual ocupante do Palácio La Ravardiere

 

SANTO ADVERSÁRIO. Enquanto Braide sofria com denúncias, Duarte ficava longe da polêmica, com testemunhos de vida e imagens de joelhos em igrejas

O pré-candidato do PSB a prefeito de São Luís, Duarte Júnior, adotou uma postura diferente da usual no episódio envolvendo suspeitas de corrupção na gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD) em um contrato de R$ 7 milhões para o carnaval; enquanto Braide sofria as agruras da repercussão negativa, Duarte dava testemunhos de vida em entrevista e pregava em igrejas.

Essa postura adotada pelo candidato socialista, segundo apurou este blog Marco Aurélio d’Eça, é o objetivo do Palácio dos Leões para tirá-lo do embate direto com Braide no primeiro turno; para complementar a estratégia, o governo busca uma espécie de “laranja” para fazer o contraponto a Braide.

Na base do governo Carlos Brandão (PSB), que apoia Duarte, há pelo menos mais dois pré-candidatos postos à disputa – Neto Evangelista (União Brasil) e Dr. Yglésio Moyses (ainda no PSB) – mas nenhum deles aceita assumir o papel de laranja.

Uma outra alternativa seria estimular a candidatura do deputado Wellington do Curso (sem partido), desde que ele se submetesse ao projeto governista.

O escândalo envolvendo o contrato de R$ 7 milhões para o carnaval desgastou significativamente a imagem de Eduardo Braide, que navegava incólume rumo à reeleição; mas do que isso, no entanto, o que chamou a atenção foi a absoluta distância de Duarte Júnior da polêmica.

O Palácio dos Leões espera até abril para definir o laranja governista.

E será este o responsável pelos ataques…

0

Escândalo de R$ 7 milhões da Juju e Cacaia derruba secretário de Cultura de Braide…

Contrato da prefeitura de São Luís com o Instituto de Educação da Cidade Olímpica manchou o projeto Cidade do Carnaval faltando pouco mais de uma semana para o início do carnaval na capital maranhense

 

Braide já demitiu três altos servidores do setor de Cultura da prefeitura, mas não explicou o que há de errado com o contrato do Instituto Juju e Cacaia

O Diário Oficial do Município trouxe na noite desta terça-feira, 30, em edição extraordinária, a demissão do secretário municipal de Cultura, Marquinho Duailibe; ele cai uma semana depois do início da repercussão do contrato de R$ 6,9 milhões firmado com o “Instituto de Educação Juju e Cacaia – Tu és uma benção.”

Embora nenhuma irregularidade formal tenha sido apresentada – uma vez que a entidade tem as prerrogativas necessárias para realizar os eventos da prefeitura – a simples divulgação do contrato levou o prefeito Eduardo Braide (PSD) a decisões drásticas nos últimos dias, até culminar com a demissão do  próprio titular da Secult.

O noticiário do contrato com o “Juju e Cacaia” – que já tem parceria antiga com a própria gestão Braide – começou despretensiosamente ainda na quinta-feira, 25, e ganhou repercussão durante o fim de semana; na segunda-feira, 29, a prefeitura anunciou a suspensão do contrato e do pagamento, além de demitir dois auxiliares de Marquinhos Duailibe.

A demissão do secretário se deu em edição extra do Diário Oficial do Município na noite desta terça-feira, 30

Nas últimas 24 horas novas revelações sobre as relações da gestão de Braide com o instituto levaram a mais notas de esclarecimento e manifestações de autoridades de controle e fiscalização, até culminar com a demissão do secretário de Cultura, nesta noite.

Eduardo Braide tem dois dias para explicar à opinião pública como se dará o pagamento da estrutura e dos artistas do último final de semana da Cidade do Carnaval, além de ter que organizar toda a pasta da cultura e o carnaval de São Luís faltando apenas uma semana para a festa.

Até agora não há informações sobre o novo secretário de Cultura de São Luís…

0

Governo Brandão pagou R$ 300 mil ao “Instituto Juju e Cacaia” via emenda de Fernando Braide

 Secretaria de Estado da Cultura garantiu em 2023 recursos para realização do “São Luís Gospel”, promovido pela entidade agora suspeita de favorecimento na gestão do prefeito Eduardo Braide, irmão do deputado estadual que apresentou a emenda ao governo

 

Projeto que deveria ser a marca da gestão de Eduardo Braide, está dando dor de cabeça para o prefeito de São Luís

Tornada famosa por um contrato de R$ 6,9 milhões com a gestão do prefeito de São Luís Eduardo Braide (PSD) – que resultou na demissão de dois altos funcionários da Secretaria Municipal de Cultura – o “Instituto Juju e Cacaia – Tu és uma benção”, é conhecida de outros carnavais pela família do prefeito.

Em 2023, o governo Carlos Brandão (PSB) pagou à entidade – uma escola infantil com sede na Cidade Olímpica – R$ 300 mil para a realização do “Projeto São Luís Gospel”, conforme “demanda governamental de Fernando Braide referente ao processo 29274/2023, com Nota de Empenho 2023NE000260.”

O “Instituto Juju e Cacaia” tem fortes relações tanto na Prefeitura de São Luís quanto no Governo do Estado e em outras prefeituras da Grande São Luís e do interior; opera geralmente por indicação de deputados estaduais e vereadores.

Mas neste carnaval, a simples publicação do contrato com a prefeitura de São Luís, publicada com exclusividade pelo jornalista Gláucio Ericeira, levou a gestão de Eduardo Braide a tomar atitudes drásticas em relação à entidade:

  • ele primeiro divulgou que a Controladoria-Geral do Município determinou suspensão do pagamento, previsto para a segunda-feira, 29;
  • em seguida, anunciou a demissão de dois altos servidores da Secretaria de Cultura, a chefe de gabinete e o consultor jurídico;
  • Eduardo Braide também determinou o cancelamento da licitação e a abertura de outro processo nesta terça-feira, 30;
  • e também nesta terça-feira, 30, o próprio instituto garantiu não haver nenhuma irregularidade na atuação da entidade.

O que chama a atenção é exatamente a postura do prefeito, uma vez que a entidade presta serviços não apenas para a gestão de São Luís, mas também para o Governo do Estado e outras prefeituras maranhenses.

E se a entidade está regular diante do Ministério Público, por que Braide tomou as atitudes que tomou…

0

Instituto Juju e Cacaia diz que era tudo legal no contrato do carnaval com a prefeitura

Escola infantil que ganhou contrato de R$ 6,9 milhões para conduzir o projeto organizado pelo prefeito Eduardo Braide diz que tem legitimidade para atuar no setor e que recebeu certificado do Ministério Público Estadual atestando sua regularidade; só não disse por que, sendo assim, o prefeito decidiu cancelar o contrato e demitir dois servidores da Secretaria de Cultura

 

O “Instituto de Educação Juju e Cacaia – Tu és uma benção” emitiu nota de  esclarecimento nesta terça-feira, 30, em que joga nas mãos do próprio prefeito Eduardo Braide (PSD) a batata q1uente do escândalo relacionado a um contrato de R$ 6,9 milhões para organização do carnaval 2024.

No documento, além de garantir ter certificado do Ministério Público Estadual atestando sua regularidade, a escolinha infantil da Cidade Olímpica garante que mantém várias atividades estatutárias com finalidades de ordem pública; podendo atuar tanto na educação, através da Creche que é mantida pela Entidade, quanto na cultura, saúde, desporto, assistência social, dentre outras ações esculpidas em seu Estatuto Social.

Mas por que o esclarecimento da escolinha joga a responsabilidade nas mãos de Braide?!?

Ora, o prefeito determinou à Controladoria-Geral do Município que suspendesse o pagamento do Instituto Juju e Cacaia logo que o contrato veio à tona; e demitiu dois servidores graduados da Secretaria de Cultura por causa disso.

Se está tudo em dias, tudo às mil maravilhas com a entidade contratada, por que Eduardo Braide agiu como se  não estivesse?!?

Com a palavra a própria prefeitura de São Luís…

Abaixo a nota do instituto:

0

Abatido por escândalo, Braide tenta quebrar agenda negativa com anúncio de novo hospital

Prefeito de São Luís – cuja gestão está sendo questionada por corrupção em um contrato de R$ 7 milhões para o carnaval – foi ao Socorrão II para anunciar que a unidade de saúde será desativada para dar lugar a uma nova; mas deixou claro o incômodo com as denúncias, ao declarar: “enquanto uns falam, eu trabalho”

 

Prefeito vem tentando mudar o foco da agenda que mostra escândalo no carnaval da prefeitura

É visível o abatimento público do prefeito de São Luís Eduardo Braide (PSD) com as suspeitas de corrupção envolvendo o projeto de “Cidade do Carnaval”, que ele anunciou a toque-de-caixa e entregou para uma escola infantil gerenciar.

Nesta terça-feira, 30, um prefeito visivelmente abatido tentou mudar a agenda negativa que marca a prefeitura desde a semana passada e anunciou que vai fechar o Hospital Socorrão II, na Maiobinha, para construir no local uma nova unidade de Saúde.

Enquanto uns falam, eu trabalho e faço o que nunca foi feito pela cidade – afirmou o prefeito.

A frase revela o incômodo com o escândalo de quase R$ 7 milhões que seriam pagos para o “Instituto de Educação Juju e Cacaia” realizar o carnaval em São Luís.

Tentando evitar o desgaste com o escândalo, o prefeito anunciou a suspensão do pagamento e até a demissão de dois servidores graduados da Secretaria de Cultura, bodes expiatórios da gravidade da situação.

Mesmo diante das ações do prefeito, ainda não estão esclarecidas as questões envolvendo a Cidade do Carnaval e o Instituto de Educação Juju e Cacaia.

Afinal, se o pagamento ao instituto foi suspenso, mas a Cidade do Carnaval continua funcionando, quem está pagando a conta?

São respostas que precisam ser dadas à opinião pública…

0

Escolinha Juju e Cacaia mantém contratos de mais de R$ 1 milhão com a gestão de Braide…

Flagrada em convênio suspeito de quase R$ 7 milhões para realização do carnaval de São Luís, instituição teve nota de empenho emitida pela Fundação Municipal de Patrimônio Histórico, no valor de R$ 800 mil, e recebeu em 2023 outros R$ 370 mil para realização do São João na capital maranhense

 

Com diversas atividades em seu CNPJ, O Instituto Juju e Cacaia virou uma espécie de faz tudo para a gestão do prefeito Eduardo Braide

O “Instituto de Educação Juju e Cacaia Tu És uma Bênção”, é uma espécie de faz tudo da gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD); flagrada em contrato suspeito de quase R$ 7 milhões pra realização do pré-carnaval e do carnaval 2024, a escolinha infantil da Cidade Olímpica mantém outro contrato, de R$ 800 mil, para confecção de um monumento para a Fundação Municipal de Patrimônio Histórico.

A informação é do portal imirante.com.

A mesma instituição já havia recebido, em 2023, nada menos que R$ 370 mil para realização do São João na capital maranhense.

As suspeitas recaíram sobre o Instituto Juju e Cacaia por atitude do próprio prefeito Eduardo Braide; ao cancelar o contrato de R$ 6,9 milhões e demitir dois servidores graduados da Secretaria de Cultura, Braide indicou à opinião pública que havia algo de errado no convênio.

Já a nota de empenho do contrato com a Fundação do Patrimônio Municipal foi emitida em 28 de dezembro, no valor de R$ 798 mil, ficando um saldo de dotação de R$ 2 mil.

A Fundação Municipal de Patrimônio Histórico é presidido por Kátia Bogéa, que já foi cotada para ser a vice do próprio Braide.

Mas esta é uma outra história…

0

Eduardo Braide acusa o golpe do escândalo da Cidade do Carnaval…

Prefeito exonerou dois servidores graduados da Secretaria Municipal de Cultura após vir à tona contrato de quase R$ 7 milhões com uma Escola Comunitária para realização de eventos no pré-carnaval de São Luís

 

Sede do instituto que gerou as demissões na Secretaria de Cultura da gestão de Eduardo Braide

O prefeito Eduardo Braide (PSD) demitiu nesta segunda-feira, 29, a chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Cultura, Aulinda Mesquita Lima, e o analista jurídico da pasta, Jean Felipe Martins; as demissões ocorreram após repercussão negativa de um contrato de quase R$ 7 milhões que a Secult firmou com uma escola comunitária para realização de festas carnavalescas.

A denúncia começou a ser feita em blogs de São Luís ainda na semana passada; diante da repercussão negativa, a Controladoria-geral do município informou que o dinheiro não foi repassado à entidade; em seguida, anunciou-se o rompimento do contrato; e hoje saíram as demissões dos dois servidores.

Mas não é a primeira vez que o “Instituto de Educação Juju e Cacaia-tu és uma Benção”, localizado na Cidade Olímpica, presta serviços deste tipo para  gestão de Eduardo Braide; em junho de 2023, a prefeitura pagou R$ 370 mil à mesma entidade para realização de festas de São João.

Desta vez, o escândalo veio à tona por causa dos atropelos da prefeitura para montar sua agenda de pré-carnaval.

Resta saber agora como a prefeitura fará para pagar o pré-carnaval.

E quem será o operador da festa…