0

“Insistir no ENEM é prejuízo sem precedentes para estudantes”, afirma Zé Inácio

O deputado estadual Zé Inácio (PT)protocolou requerimento na assembleia legislativa do estado solicitando que seja enviado  ao  Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ao Dep. Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados e ao Senador Davi Alcolumbre, Presidente do Senado Federal, o pedido de imediata suspensão dos procedimentos de realização do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM 2020.

Na último dia 11 de maio de 2020, o Ministério da Educação – MEC divulgou o período de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2020, que se iniciou na mesma data e vai até o dia 22 de maio do presente ano. 

O MEC decidiu realizar a edição do ENEM 2020 ignorando a pandemia do novo Coronavírus declarada pela Organização Mundial da Saúde, que no Brasil já provocou a morte de mais de 16 mil pessoas, com 254.220 casos confirmados de infecção pela COVID-19; no Maranhão são mais de 14 mil infectados, 2875 casos em análise e 604 mortes já registradas.

“Tal determinação do Ministério da Educação contraria não apenas as recomendações dos Conselhos de Educação, entidades estudantis e profissionais da educação, mas sobretudo as orientações da própria OMS e de outros organismos de saúde do Brasil e do mundo”, afirma Zé Inácio. 

O ENEM é o passaporte de entrada dos jovens – sobretudo os mais pobres – no ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Alternativa ao vestibular, o exame democratizou o acesso ao ensino superior: 95% das universidades federais utilizam suas notas como mecanismo de seleção. O Enem é critério também para ingresso no ProUni, acesso ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e até mesmo a programas do Governo do Maranhão.

“É sabido por todos nós que as escolas públicas e privadas estão com as aulas suspensas desde a segunda quinzena de março, cumprindo isolamento social em função da pandemia da COVID-19. É sabido também que as experiências de ensino remoto, praticadas pelas mais diversas plataformas, não está obtendo resultado satisfatório, ao menos no que diz respeito ao alcance e ao acesso de todos os estudantes aptos a se submeterem ao Enem. Mais da metade deles não pode acompanhar essas aulas ou porque não tem internet ou porque não tem equipamento (PC, notebook e afins), além de uma série de outras questões afeitas à organização familiar e condições de moradia. É exatamente por esse motivo que o Enem precisa ser adiado. Como instrumento de superação das desigualdades sociais, a realização do Enem em novembro está fatalmente prejudicada. Significa apostar na exclusão digital, interromper sonhos e dar prioridade aos que já têm condições de acesso à educação, independente de pandemia. Significa macular a referência genética do Enem que são a democratização do acesso e a busca pela universalização da educação”, afirma o parlamentar. 

O deputado destacou ainda diversos outros fatores que atestam a impossibilidade de realização do ENEM no mês de novembro, tais como a precariedade do sistema de internet necessário para inscrição e o próprio estado físico e emocional que atinge milhares de alunos candidatos devido à pandemia. Dessa forma, insistir na realização do ENEM 2020 será um ato de prejuízo sem precedentes para a educação brasileira.

2

“Continuamos estagnados entre os piores”, diz Gastão, sobre educação brasileira

Deputado federal lamentou fraco desempenho do país no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa); e mostrou preocupação também pelo fato de as escolas privadas ficarem entre as piores no ranking internacional

 

O deputado federal Gastão Vieira (Pros) mostrou forte preocupação com a qualidade do ensino brasileiro, sobretudo, pelo fraco desempenho no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o Pisa.

– Os dados apontam que 43% dos brasileiros não aprenderam o mínimo de Leitura, Matemática e Ciências, ou seja, o resultado da avaliação internacional mostra, infelizmente, que continuamos estagnados entre os piores – disse Gastão.

O parlamentar maranhense mostrou ainda mais preocupação pelo fato de até mesmo o desempenho das escolas particulares ter sido fraco no exame.

– O mais preocupante ainda é que o desempenho das escolas privadas também está abaixo das escolas privadas dos outros países que participaram do Pisa – afirmou o parlamentar.

Segundo dados da edição de 2018 do programa, mais de dois terços dos estudantes brasileiros de 15 anos têm um nível de aprendizado em matemática abaixo do básico considerado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O Pisa é a principal avaliação da educação básica no mundo.

2

Gastão Vieira quer renegociação de dívidas na Caixa para alunos do Fies…

Parlamentar justificou que o descontos dados pela instituição bancária na semana de conciliação de dívidas, em outubro, chegaram a 90%, mas não incluíram estudantes inadimplentes com o financiamento educacional

 

O deputado federal Gastão Vieira defendeu quarta-feira, 20, na Comissão Especial de Educação que os estudantes inadimplentes do Fies também sejam beneficiados com a ação de conciliação de dívidas da Caixa Econômica Federal, que concedeu abatimento de até 90% da dívida para pessoas físicas e jurídicas em outubro deste ano.

Segundo estimativa do Banco, o valor dos débitos somava R$ 6,6 bilhões, e foi concedido desconto de até 90% para os interessados em quitar a dívida.

Para Gastão Vieira esse tipo de medida precisa olhar para o estudante, pois muitos já saem da universidade endividados e com dificuldade de entrar no mercado de trabalho.

“Na Bolívia, no Paraguai, a mensalidade do curso de medicina custa três, no máximo, quatro mil reais. Por que no Brasil tem que custar nove mil reais? Faço um apelo à liderança do governo para que procure saber da Caixa por que os estudantes do Fies não foram incluídos nesse mutirão? E, também, para marcar uma conversa com o Banco em que possamos encaminhar medidas que estendam esse benefício aos alunos” disse o deputado, acrescentando que o Estado precisa ajudar os estudantes a quitar suas dívidas e acertar sua vida financeira.

1

Sedel “hospeda” delegações dos Jems em “campo de concentração”…

Estudantes do interior que venceram as regionais estão em São Luís para as finais dos jogos escolares, e foram jogados em uma espécie de tapume, montado na sede do Ipem, no Calhau

 

Mais parece uma tenda de campo de concentração, mas as imagens que ilustram este post são do  que a Secretaria de Desportos e Lazer (Sedel), chama de alojamento dos jogos Escolares Maranhenses.

As tendas, com colchões espalhados em um chão coberto por carpete, foram montados na sede social do antigo Ipem, no Calhau.

Estão em São Luís as delegações das escolas que venceram as etapas regionais dos JEM’s; e são esses estudantes que ficarão jogados nas tendas no pátio do Ipem.

A expressão “campo de concentração” foi usada pelos chefes de delegações, que criticaram duramente as instalações.

Com a palavra o Governo do Estado…

11

A história fala; a ditadura se cala…

Imagem de menina cruzando os braços durante cumprimento do presidente Jair Bolsonaro – que viralizou na internet – reproduz com precisão outro fato histórico, ocorrido no regime militar

 

A MENINA YASMIN E SUAS COLEGUINHAS EM IMAGEM ICÔNICA, que entrará para a história; relembranças do golpe de 64

Viralizou na internet a imagem da menina identificada por Yasmim, que se recusou – acompanhada de outras coleguinhas – a cumprimentar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante evento de páscoa.

Os alunos de uma escola do Distrito Federal foram levados ao Palácio do Planalto, na quarta-feira, 17, para cerimônia em comemoração à Pascoa.

Bolsonaro cumprimento os alunos, mas a menina Yasmim cruzou o braços. uma outra menina, fez sinal de dedo pra baixo, que significa desaprovação.

As fotos e o vídeo ganharam as redes sociais, blogs, sites e portais de internet, viralizando diante da reação da garota.

A HISTÓRICA IMAGEM DE FIGUEIREDO REJEITADO POR UMA MENINA DE 4 ANOS; a história repetida como tragédia

O episódio faz lembrar um outro envolvendo um presidente militar.

Em 1979, a menina Raquel Menezes, de apenas 4 anos, recusou-se a cumprimentar o então presidente João Batista Figueiredo, o último dos generais que governaram o Brasil após o golpe de 1964.

A imagem de Raquel Coelho é considerada histórica.

E agora terá a companhia da imagem de Yasmin…

0

Hildo Rocha defende revalidação de diplomas de estudantes formados no exterior

O deputado federal Hildo Rocha foi recebido em audiência pelo Reitor da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Gustavo Costa, e pelo vice-reitor, Walter Canales. Também participaram do encontro o chefe de gabinete José Oscar Pereira e um grupo de médicos formados no exterior que pleiteiam a revalidação dos diplomas.

Voz em defesa dos médicos

Hildo Rocha ressaltou que dezenas de médicos maranhenses que se formaram no exterior enfrentam dificuldades porque a lei exige que os seus diplomas sejam revalidados por instituição pública brasileira de ensino superior. O parlamentar destacou que existe uma carência muito grande de médicos no Maranhão, principalmente nas pequenas cidades.

“A situação se agravou com a saída de centenas de profissionais que integravam o Programa Mais Médicos. Então, diante dessa realidade, é justo e necessário que esses profissionais da medicina formados no exterior sejam avaliados pela UEMA e tenham seus diplomas validados para que possam trabalhar normalmente”, argumentou o deputado.

Celeridade

Hildo Rocha defendeu celeridade na solução do tema.

“Essa questão deve ser resolvida o mais rápido possível, não podemos perder esses profissionais, muitos deles mais preparados do que alguns formados aqui no Brasil. Eu defendo essa causa. O reitor já submeteu  o tema ao Conselho Universitário, colegiado que tem as prerrogativas de decidir sobre a questão. A decisão final será formalizada em março deste ano”, comentou.

Recursos para a UEMA

Além da questão da revalidação, foram discutidos temas administrativos referentes às emendas individuais no valor de R$ 1 milhão de reais, que o deputado Hildo Rocha destinou para a instituição de um Ginásio Poliesportivo no Campus Universitário Paulo VI, em São Luís; construção de academias ao ar livre, em polos localizados em cidades do interior, e compra de equipamentos pedagógicos. Foi tratado também sobre o convênio entre a Codevasf e a Uema, para realizar o diagnóstico e a confecção do Plano de Manejo das águas da bacia do Itapecuru.

“Os procedimentos administrativos já estão bastante avançados. Parte dos recursos financeiros já estão na conta da Uema. Esse será o maior estudo já realizado acerca da situação do Rio Itapecuru, um dos mais importantes rios do Maranhão. Em breve os trabalhos de campo serão concluídos pela nossa Universidade”, explicou Hildo Rocha.

0

Júnior Verde recebe estudantes em mais uma edição do “Jovens no Parlamento”

Em mais uma edição do projeto Jovens no Parlamento, nesta sexta-feira (6), alunos do 2º ano do Ensino Médio do Centro de Ensino Professora Joana Batista conheceram a Assembleia Legislativa. A visita teve início no Salão Nobre, na galeria dos ex-presidentes.

Lá, os estudantes conheceram um pouco da história daqueles que já conduziram o legislativo estadual.

Os 46 alunos foram recepcionados e conduzidos pelo deputado Júnior Verde (PRB), autor do requerimento que criou o projeto. “O projeto é importante pela aproximação daqueles que fazem a sociedade, reivindicam e buscam direitos, que são os nossos jovens. Quando pessoas nessa perspectiva de poder participar e interagir com eles, pensamos nesta Casa como um espaço democrático de participação e interação”, afirmou o deputado Júnior Verde.

“É importante relembramos a memória do nosso Estado e achei muito interessante podermos recordar o que aconteceu, quais foram os nossos presidentes. Fiz apenas uma observação pelo fato de não termos tido mulheres como presidentes da Assembleia, e a participação da mulher tem que ser cada vez maior na sociedade”, assinalou a estudante Marilya Angela aranha Sales, de 16 anos.

Depois de percorrer as salas da Presidência, eles seguiram para o Plenário Nagib Haickel, onde ouviram do próprio deputado sobre o funcionamento político da Casa. “É importante trazê-los à Assembleia para que eles compreendam as questões políticas, se envolverem desde jovem para que, quando chegarem à vida adulta, saibam lidar com a política de forma responsável e inteligente”, destacou a professora Ana Cláudia Guimarães.

Os alunos aproveitaram a oportunidade para fazer perguntas e dar sugestões. Desse ambiente de debate, surgiram ideias valiosas, que vão virar proposições. “Antes dessa visita, eu não tinha a mínima ideia de como era. Passava sempre pela porta, mas nunca tinha tido a oportunidade de entrar. Gostei bastante e aprendi várias coisas. Pudemos expressar opiniões e temos certeza que o deputado Júnior Verde irá acatar”, disse o estudante Joseph Santos Desterro.

“Acolhemos algumas iniciativas, dialogando, buscando informar sobre esse processo de acompanhamento da política, que é a essência da sociedade. Nós abrimos um espaço de diálogo, que é permanente. As reivindicações que nascem dessas interações são importantes como voz a ser ecoada não só na tribuna, mas a ser ecoada em forma de projetos, requerimentos e proposições, que venham a melhorar a qualidade de vida do povo do Maranhão através da juventude”, finalizou o deputado Júnior Verde.

0

Deputado Stenio Rezende recebe visita de estudantes na Assembleia…

Stênio com os estudantes nas dependências da Assembleia

O deputado estadual e segundo secretário Stênio Rezende (DEM) recebeu na tarde de quinta-feira, 30, a visita de alunos do segundo ano do ensino médio do Centro Integrado do Rio Anil – CINTRA.

Acompanhados do professor Said, os alunos estavam empolgados para conhecer as dependências da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

Os alunos foram recebidos pelo deputado e conduzidos para a sala da presidência, onde dialogou com os jovens, explicando o funcionamento, o trabalho dos parlamentares e de que forma os cidadãos podem acompanhar e sugerir demandas para o Legislativo.

Em alusão ao Dia da Juventude – comemorado ontem, 30 – o parlamentar fez questão de receber os estudantes, destacando a importância significativa e o lugar que eles têm conquistado na política brasileira.

– Os jovens são por natureza ousados e desafiadores de paradigmas. O Brasil é um país de jovens que crescem cada vez mais conscientes do seu papel político na sociedade – frisou Stênio.

A visita tem o intuito de realizar com os alunos um estudo sobre as atividades parlamentares e poder mostrar, de forma prática, o que os estudantes veem na sala de aula.

3

Projeto de Roberto Rocha institui passe livre estudantil no transporte coletivo…

Proposta feita em parceria com a senadora Lídice da Mata, cria também o Fundo Federal do Passe Livre, e é uma das várias medidas parlamentares para baixar o custo do transporte no Brasil

 

Projeto visa garantir acesso universal ao transporte

O senador maranhense Roberto Rocha (PSB), ora licenciado, é autor do Projeto de Lei 353/2016, que institui o passe livre a estudantes de baixa renda no transporte coletivo em todo o país.

De acordo com a proposta – criada em parceria com a senadora Lídice da Mata, do PSB da Bahia – o estudante de baixa renda terá transporte público gratuito entre a residência e a escola.

Roberto Rocha articula nas comissões a aprovação de sua proposta

O projeto de Roberto Rocha cria também o Fundo Federal do Passe Livre,m que garantirá o custeio do transporte gratuito para estudantes em todo o Brasil.

A proposta já foi aprovada na Comissão de Educação do Senado e está sob análise da Comissão de Assuntos Econômicos…

2

Pinto Itamaraty defende projeto que institui passe livre estudantil…

Pinto Itamaraty na tribuna do Senado

Pinto Itamaraty na tribuna do Senado

O senador Pinto Itamaraty (PSDB) defendeu nesta quinta-feira, 10, em Plenário, a aprovação do projeto de lei (PLS 353/2016) que institui o passe livre estudantil e cria o fundo federal do passe livre.

O senador é o relator do projeto na Comissão de Educação (CE).

Apresentado pelo senador Roberto Rocha (PSB), atualmente licenciado, em parceria com a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), o projeto deve beneficiar os alunos da rede pública e os bolsistas da rede privada de ensino fundamental e médio.

Pinto Itamaraty lembrou que o passe livre estudantil foi uma das bandeiras que ganharam evidência durante as manifestações de 2013. Segundo ele, o projeto vai ajudar a evitar a evasão escolar.

– Entendo que é o momento de fortalecer a educação e se fortalece a educação a partir das condições que se oferece para a classe estudantil – afirmou.

Reforma política

O senador elogiou ainda a aprovação pelo Senado, em primeiro turno, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 36/2016, que acaba com as coligações partidárias nas eleições proporcionais (vereadores e deputados) e cria uma cláusula de barreira para a atuação dos partidos políticos.