0

População de Imperatriz se revolta com omissão do governo Flávio Dino…

Auxiliar do governador vai às redes sociais para anunciar obras em São Luís e recebe uma enxurrada de criticas de imperatrizenses que cobram atenção ao município e o fim da rixa com o prefeito Assis Ramos

 

A POSTAGEM DE CLAYTON NOLETO QUE GEROU AS CRÍTICAS DA POPULAÇÃO DE IMPERATRIZ e mostrou revolta com o governo Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PCdoB) acabou sendo alvo de uma série de críticas nas redes sociais, nesta segunda-feira,22.

Tudo começou com uma postagem do seu secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

Ao mostrar uma obra de tapa buracos em São Luís – no mesmo período em que Dino demonstrou desprezo pela cidade de Imperatriz – Flávio Dino demonstrou retaliação ao prefeito Assis Ramos.

Uma das primeiras críticas foi a de um internauta, que comparou: “dois pesos  duas medidas. O que vale para São Luís não vale para Imperatriz”.

Em seguida, diversos outros imperatrizenses se manifestaram – às centenas – sempre com críticas ao governador.

Veja abaixo os prints das críticas de Imperatriz a Flávio Dino:

 

3

Por que Flávio Dino não mudou o Maranhão?, questiona Ricardo Murad…

Pré-candidato do PRP diz que Flávio Dino não pode mais pleitear nada da população por que, após três anos de mandato, o Maranhão, sob sua tutela, ainda ocupa as últimas posições no ranking do desenvolvimento. Murad falou em entrevista a um grupo de jornalistas

 

O Flávio Dino está no último ano de mandato e não mudou nenhuma vírgula no ranking, o Maranhão era último, penúltimo, continua último e penúltimo. Tem alguma coisa errada nos governos do Maranhão. E não adianta culpar os outros. Por que o Flávio Dino não mudou e o Maranhão continua na mesma? Eu quando entrei na saúde não permiti política dentro dos hospitais e nem nas UPA’s. Mas eu consegui fazer um trabalho que mudou a realidade da saúde. Se você entrava antes numa unidade de saúde e entrou depois que assumir você vê uma coisa decente, de qualidade e de resultados, que dava satisfação ao povo. Como é que um governador passa 4 anos com todo poder que tem e não consegue mudar a realidade numa educação, porque nós temos o pior ensino. Tem alguma coisa errada no Maranhão e no meu ponto de vista é porque tudo vai pra política, tudo. Se você quer administrar a educação, a política entra. ‘Ah eu quero nomear o diretor’. ‘Ah eu quero isso’. O delegado a mesma coisa. O diretor do hospital a mesma coisa. Enquanto estiver neste modelo, o Maranhão não terá resultado de gestão. E no meu governo eu penso diferente completamente de tudo que já passou”

Ricardo Murad, pré-candidato a governador

0

“Saldo do Governo é negativo”, diz Edilázio…

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) fez uma espécie de levantamento de alguns dos principais episódios de desgaste da imagem do governador Flávio Dino (PCdoB) no mês de outubro.

Além da morte de um comerciante numa “jaula” instalada na Delegacia de Barra do Corda, que ganhou repercussão nacional, ele apontou a falta de apoio à Expoema, que deixou de ser realizada na agenda já tradicional do evento, e a polêmica das emendas parlamentares para a Saúde.

Para Edilázio, o saldo de Dino é negativo.

“Estamos findando o mês de outubro, mês este que o governador não vai querer tão cedo lembrar”, disse.

Edilázio lembrou que após a imprensa nacional abordar a trágica morte de um comerciante no “gaiolão” em Barra do Corda, Dino teve de determinar a demolição do cárcere, que feria a dignidade humana.

“Flávio Dino teve que engolir seco e dar o braço a torcer com o gaiolão, lá em Barra do Corda, onde vitimou um empresário. Ele, açodadamente, como sempre faz e é peculiar dos comunistas, nas redes sociais, correu para dizer que aquilo era para o banho de sol dos presos em custódia. Mas não aguentou e viu que realmente estava errado, mandou demolir. Mas não dá o braço a torcer e não reconhece que aquele cidadão foi vítima da omissão do Estado”, disse.

Edilázio também afirmou que Dino deixou de apoiar a Expoema.

“Ano retrasado [2015] ele disse que a Expoema era um evento privado e que o Estado não tinha que se meter. E deu um calote de R$ 70 mil na Associação dos Criadores quando prometeu essa ajuda para que colocasse a logomarca do Governo do Estado nos banners da Expoema. Ano passado nem teve o evento. E este ano ele vai para a Expoema e dá o braço a torcer, mas não reconhece. Agora ele fala que é importante, que traz entretenimento, que gera emprego, que realiza grandes negócios em nosso Estado, que melhora o nosso plantel de ovinos, caprinos, bovinos, equinos, enfim, melhora toda a nossa pecuária”, completou.

Ao concluir o seu pronunciamento, Edilázio lembrou da polêmica sobre a não liberação das emendas parlamentares para a Saúde.

“E ainda no mês de outubro, vem as emendas, ele foi estrebuchar e espernear querendo emenda, que os senadores do Estado do Maranhão tinham que pegar as emendas e mandar para a Saúde do Estado. Enquanto isso ele não dá o braço a torcer, mais uma vez, em relação a esta Casa, em relação aos parlamentares de oposição quando não honra e não paga as nossas emendas. Emendas essas que foram aprovadas, que foram publicadas no Diário e no Orçamento Anual do Estado para a execução no ano de 2017. Mas, mais uma vez, ele dá calote”, finalizou.

0

Edilázio repudia atos de vandalismo registrados em manifestações no DF…

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) manifestou repúdio hoje, no Legislativo Estadual, aos atos de vandalismo praticados por manifestantes ontem contra o patrimônio público em Brasília.

Durante os protestos, houve depredação da Esplanada dos Ministérios, prédios, paradas de ônibus, bancas, orelhões e refletores destruídos com uso de pedras e fogo.

“Ontem o que nós vimos em Brasília pelos meios de comunicação foram imagens de baderna e de vandalismo. E aí nada contra se manifestar, o que nós não podemos ser favoráveis é à depredação do nosso patrimônio”, disse.

Edilázio lembrou que no ano passado, durante as manifestações em favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), não havia registro de depredação do patrimônio público.

“Nós acompanhamos as manifestações contra a presidente Dilma pedindo ‘Fora Dilma’. Nós vimos 1 milhão de pessoas na [avenida] Paulista, da mesma forma em Brasília também mais de 300 mil pessoas, e não vimos um empurra-empurra, não houve um quebra-quebra, não houve um spray de pimenta, porque as pessoas que saíram de casa para se manifestar contra o PT eram pessoas de bem, famílias. Quantos de nós vimos crianças, idosos naquelas manifestações. E ontem o que nós vimos eram só mascarados, quebraram todas as paradas de ônibus, atiravam pau e pedra contra a polícia. Tocaram fogo em três Ministérios, quebraram os computadores. E tudo aquilo é patrimônio nosso, é patrimônio do país”, completou.

O parlamentar classificou como correta a decisão do presidente Michel Temer (PMDB) de convocar as Forças Armadas para fazer a contenção dos atos de vandalismo e repudiou a atuação de militantes de esquerda nos movimentos.

“Quando se pediu ali o auxílio do Exército, não foi para querer reprimir uma manifestação não, mas para proteger o patrimônio. O Exército também esteve na Copa do Mundo e nas Olímpiadas para por ordem e garantir a segurança do brasileiro. Fica o meu repúdio àqueles vândalos que ontem estavam ali, foram apenas para fazer baderna, meia dúzia de desocupados que estiveram fazendo de Brasília um campo de guerra. E aí eu pergunto: por que essas imagens passaram no mundo todo ontem. Qual o investidor que vai ter coragem de vir para este país com essa insegurança que tem da esquerda? Porque vocês podem ver que não tem uma bandeira do Brasil, é só bandeira vermelha. Então, fica o meu repúdio e a minha solidariedade aos brasileiros”, finalizou.

 

3

“A Assembleia Legislativa está se deformando”, afirma César Pires…

Para o deputado, Parlamento se reduz, em grande parte, apenas à concessão de títulos de cidadania e de reconhecimento de trabalho, e às vezes o faz mal feito

 

PEQUENEZ
Para Pires, Assembleia virou cartório

O deputado César Pires (PEN) criticou a decisão da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de negar as informações requeridas pelo deputado Wellington do Curso (PP) à Secretaria de Estado da Educação, sobre obras de escolas divulgadas em propaganda oficial do governo estadual.

Para o parlamentar, o Legislativo estadual se deforma quando deixa de exercer suas funções e se resume a mero prestador de homenagens.

– A Mesa Diretora nega a importância desta Casa ou, no mínimo, dá um testemunho claro de que os aliados não acreditam na mídia do governo. Eu acredito no secretário Felipe Camarão, homem sério e correto, por isso não vejo porque negar essas informações. Tenho certeza que o secretário se recusaria a fazer essa propaganda se as informações não fossem verdadeiras. Então, a base governista, a Mesa e até o próprio Governo não acreditam no que venderam para todos nós da sociedade maranhense – enfatizou César Pires.

Wellington do Curso requereu informação oficial dos endereços das 303 escolas que serão construídas até o final de 2018, quantas já foram entregues e seus locais de funcionamento; o endereço das 574 escolas reformadas ou que estão em processo de reforma, com prazo de conclusão para o primeiro semestre de 2017; e o tipo de reforma que foi ou está sendo realizada.

Para o deputado, a Assembleia se reduz, em grande parte, apenas à concessão de títulos de cidadania e de reconhecimento de trabalho, e às vezes o faz mal feito.

– Na homenagem ao Banco do Brasil nenhum parlamentar foi a esta tribuna falar dos 100 anos da instituição, nem mesmo o proponente da sessão solene. É uma demonstração clara de como esta Casa se apequena – finalizou César Pires.

0

Lei que “beneficia” atacadistas traz incertezas para o setor, diz AMDA…

Associação Maranhense de Distribuidores e Atacadistas diz que a proposta de Flávio Dino, votada na Assembleia, deveria ser discutida com o setor antes da votação na Assembleia

A Associação Maranhense dos Distribuidores e Atacadistas (AMDA) divulgou Carta Aberta nesta quinta-feira, 30, por meio da qual critica duramente o projeto do governo Flávio Dino (PCdoB) que beneficia empresas específicas do setor.

A exemplo do que ocorreu também  no setor da construção civil, a proposta comunista também não foi discutida com os atacadistas antes de ser votada na Assembleia Legislativa.

– Um dos pontos mais críticos, que verificamos, se trata da antecipação da substituição tributária do ICMS. No Projeto de Lei estes Centros de Distribuição deixariam de recolher o imposto para o Estado na compra das mercadorias e passariam a pagar esse ICMS nas saídas desses produtos. Uma “briga” desigual com os demais atacados que hoje pagam esse ICMS logo na compra sem nem mesmo ter vendido seus produtos – revelou a nota.

A Associação de Atacadistas diz ainda que o Decreto que beneficia atacadistas com benefício de 2% de ICMS não tem segurança jurídica, e precisaria ganhar força de lei.

Leia abaixo a íntegra da nota da AMDA:

CARTA ABERTA

A Associação Maranhense de Distribuidores e Atacadistas (AMDA) vem a público solicitar o adiamento da votação do Projeto de Lei nº 224/16 que determina sobre que institui o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento dos Centros de Distribuição no Estado do Maranhão.

Os empresários do segmento atacadista distribuidor defendem que este Projeto de Lei deveria ser, em primeiro lugar, debatido amplamente com os setores de atacado, distribuição e varejo.

O que temos hoje é um Projeto de Lei que exige capital social mínimo de 100 milhões e um quadro mínimo de 500 funcionários para que as empresas (CD – Centro de Distribuição) possam gozar do benefício fiscal e pagar uma carga tributária final de 2% para ICMS.

A matéria a ser votada traz muitas incertezas para os comerciantes atacadistas já estabelecidos no Maranhão, e que tentam manterem-se vivos no mercado. Hoje há um decreto que concede ao atacadista o benefício de 2% de pagamento do ICMS. Entretanto, uma das incertezas do setor é que, por ser um decreto,possui flexibilidade para ser alterado ou revogado.

Outro ponto questionável, no Projeto de Lei nº 224/16, é que nada impedirá que os Grandes Atacadistas do Brasil instalem os grandes comércios varejistas dentro do Estado e, com isso, transferiram parte do crédito concedido pelo Estado para esses varejos.

Um dos pontos mais críticos, que verificamos, se trata da antecipação da substituição tributária do ICMS.No Projeto de Lei estes Centros de Distribuição deixariam de recolher o imposto para o Estado na compra das mercadorias e passariam a pagar esse ICMS nas saídas desses produtos. Uma “briga” desigual com os demais atacados que hoje pagam esse ICMS logo na compra sem nem mesmo ter vendido seus produtos.

Dessa forma, ressaltamos o pedido do setor Atacadista Distribuidor para a suspensão da votação do Projeto de Lei nº 224/16, a fim de que seja realizada uma discussão com a classe empresarial a fim de que a redação final da matéria traga de fato benefícios a todos os empresários do segmento atacadista distribuidor.

Rodrigo Furtado Viera

Presidente da Associação Maranhense de Distribuidores e Atacadistas

5

Golpe do governo contra professores vira meme de internet…

Categoria viraliza em redes sociais e aplicativos de troca de mensagens críticas contra o governador Flávio Dino e seus líderes na Assembleia Legislativa, chamados de “picaretas” e “covardes”

 

A soma do golpe contra professores e o aumento de imposto gerou duras críticas a Flávio Dino

Ganhou as redes sociais, desde a tarde de quarta-feira, 15, críticas de todos os tipos contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e sua bancada de deputados na Assembleia Legislativa.

Os deputados Bira do Pindaré e Marco Aurélio oram os mais criticados, chamados de covardes e picaretas

A revolta dos professores pela alteração do Estatuto do Magistério, que tirou direitos adquiridos, passou a viralizar na internet, sobretudo por ter se somado a outro golpe, o do aumento de impostos.

Os principais alvos, além do próprio Flávio Dino, são os líderes governistas na Assembleia Legislativa – Professor Marco Aurélio (PCdoB) e Bira do Pindaré.

Dino e Bira ganharam memes juntos, pela proximidade ideológica e decepção dos professores

Os deputados são chamados de “picaretas” e “covardes”.

E a repercussão deve continuar nos próximos dias…

0

Eliziane denuncia abandono da delegacia estadual agrária no Maranhão…

Críticas de Eliziane sobraram também para o govenrno Flávio Dino

A deputada Eliziane Gama (PPS) denunciou nesta quarta-feira, 14, na tribuna da Câmara Federal,  o completo abandono da delegacia estadual agrária no Maranhão.

– A delegacia está praticamente extinta. Está desestruturada, sem condições de funcionamento. A estrutura mínima para ajudar no processo de regularização não funciona. Os investimentos não estão acontecendo. O batalhão da Polícia Militar, que deveria mediar os conflitos junto com a delegacia agrária, acaba não atuando  pela falta do funcionamento mínimo destes órgãos  – afirmou.

A parlamentar denunciou oficialmente o problema ao Ministério da Justiça, e cobrou, via Requerimento, providências para a grave crise no campo por conta dos conflitos agrários no estado.

No discurso, Eliziane não poupou críticas ao Governo do Maranhão, ao explicar que a falta de funcionamento da delegacia agrária está ligada diretamente ao acirramento da violência no campo.

– Direitos humanos que é uma luta nossa e mais do que nunca precisa de um apoio dos governos estadual e federal – acrescentou.

De acordo com levantamento realizado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), o Maranhão é o segundo estado com mais casos de violência no campo.

Em apenas 11 meses foram registrados 12 assassinatos no Maranhão. Os dados foram divulgados na semana passada.

Eliziane também enviará requerimento para o governo estadual pedindo providências para a violência no campo.

19

“Cabra corajoso só pela metade não existe”, critica jornalista, sobre fuga de Holandinha dos debates..

Professor de Comunicação, o jornalista e publicitário Marco Duailibe cobrou do prefeito de São Luís que compareça ao confronto direto com o deputado Eduardo Braide, hoje, na TV Guará

 

Edivaldo e a cara de mau da propaganda

Edivaldo e a cara de mau da propaganda

Tem repercutido mal entre os formadores de opinião a mudança de postura do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), que faz pose de “mau” na propaganda, chamando Braide para “o debate cara a cara”, mas não responde se vai ou não ao debate da TV Guará, na noite esta quinta-feira, 20.

– Só uma pergunta: se o Edivaldo está fazendo pose de corajoso aparecendo na TV, dizendo que irá enfrentar o Braide no Debate da Mirante, será que ele irá amanhã [hoje] no Debate da TV Guará? – questionou o professor de Comunicação Social e publicitário Marco Duailibe, também um dos mais respeitados produtores culturais de São Luís.

Duailibe é ainda mais duro com Holandinha ao falar de sua cara de corajoso.

– Vou logo dizendo: cabra corajoso só pela metade não existe.

Edivaldo mudou o perfil no horário eleitoral, engrossou a voz e chamou Eduardo Braide para o debate da Mirante. Até agora, no entanto, nem toca no assunto do debate de hoje na TV Guará.

A cobrança de Duailibe: prefeito medroso?

A cobrança de Duailibe: prefeito medroso?

Marquinho Duailibe compara a postura do prefeito coma  do próprio Braide, que “foi a Resenha da Difusora mesmo sabendo o que iria enfrentar”.

– Mas Edivaldo já faltou ao debate do CRM, já faltou à reunião com os conselheiros municipais, faltou a sabatina da TV Guará e agora ninguém sabe se o 12 fujão irá ao debate do canal 23 – pondera o jornalista.

O debate da TV Guará está marcado para as 22 horas.

Até agora, Edivaldo não disse se vai ou não…

1

Multidão recebe Eliziane também na Vila Luizão e Divinéia…

Ato encerrou semana de ações que mostrou, mais uma vez, a popularidade da candidata da coligação São Luís de Verdade; fim de semana terá agenda mantendo a intensidade das atividades

 

 

Com as lideranças da coligação, Eliziane percorreu as ruas do bairro...

Com as lideranças da coligação, Eliziane percorreu as ruas do bairro…

Uma multidão recebeu, de braços abertos, a candidata da coligação São Luís de Verdade, Eliziane Gama (PPS), durante ato popular nesta sexta-feira (2) nos bairros Vila Luizão, Divinéia e adjacências. Na atividade, Eliziane agradeceu ao apoio e disse que a confiança das pessoas a fazem crer no projeto de transformação da cidade.

Na concentração, apoiadores de campanha já cantavam o tema de Eliziane, que exalta a “mulher de fé” e o seu “espírito de guerreira”. Com o já conhecido sorriso no rosto, Eliziane fez questão de falar com os moradores, por onde passava. A cada conversa com os eleitores, ela reforçou o compromisso dela para executar as reformas sociais previstas em seu governo.

“Eu quero agradecer a gentileza das pessoas. Recebi desde o início desta campanha várias manifestações de carinho que me fazem ter a certeza de que estamos no caminho certo”, disse Eliziane.

Ela – que esteve acompanhada de candidatos a vereador da coligação São Luís de Verdade – também fez questão de citar os pilares de sua futura administração na Prefeitura. Entre eles, a educação.

“É impossível que uma sociedade cresça, sem que haja investimentos na educação. Não se pode admitir os índices, por exemplo, de déficit escolar constatados atualmente em São Luís. No meu governo, não haverá crianças sem saber ler e escrever. Vou reformar as escolas já existentes, que não tem condições dignas de infraestrutura, e construir unidades em tempo integral”, afirmou Eliziane.

Até quem passava nos ônibus fazia questão de cumprimentar a candidata

Até quem passava nos ônibus fazia questão de cumprimentar a candidata

A caminhada na Vila Luizão, Divinéia e adjacências durou duas horas e foi encerrada no início da noite, aos gritos de “É Eliziane!”.

Ela mais uma vez agradeceu a todos pelo carinho.

“Nossa cidade necessita de mudanças. Eu me preparei para ser prefeita desta cidade e sei o que fazer, em cada setor, para melhorar nossa cidade e a vida de nossa população”, afirmou Eliziane.

A semana de atividades de Eliziane Gama foi marcada por intensas atividades. Foram registradas caminhadas na região central da cidade, no Santa Cruz, no São Francisco e adjacências. Neste fim de semana, Eliziane concederá entrevistas em emissoras locais, entregará a Casa de Eliziane (no bairro Parque dos Nobres) e estará em carreata na Zona Rural da cidade.

“Vamos a vitória, com o nosso 23, pela nossa São Luís!”, disse Eliziane.