1

Weverton elogia novas regras para revalidação de diploma médico

O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (27), novas regras para o Revalida, exame nacional de revalidação de diplomas de medicina expedidos por universidades estrangeiras. De acordo com o projeto, tanto faculdades de medicina privadas quanto públicas poderão revalidar os diplomas dos candidatos aprovados, e não somente as públicas, como é a regra atual para qualquer diploma expedido no exterior.

No entanto, as instituições precisarão ter curso de medicina com nota 4 ou 5 no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) para participar do Revalida.

O senador Weverton Rocha (PDT) elogiou o texto.

“É uma vitória não apenas de governo e de oposição, mas de todos estes médicos e residentes que saíram do país e, com muita luta, conseguiram concluir os seus estudos”, destacou o parlamentar.

A proposta aprovada determina que as provas de revalidação passarão a ser aplicadas duas vezes por ano. Atualmente, não há periodicidade fixa. A última vez que se aplicaram os exames foi em 2017.

O texto prevê ainda que os médicos formados no exterior que quiserem revalidar o diploma no Brasil passarão por uma prova teórica e um exame de habilidades clínicas. A mesma prova será aplicada por todas as escolas médicas participantes do Revalida.

Pelo sistema atual, os médicos formados no exterior que desejam revalidar seus diplomas no Brasil passam por um complexo processo que inclui a apresentação de currículos e históricos escolares e a participação em aulas de disciplinas consideradas faltantes. Só depois disso se submetem às provas.

“É um instituto público que vai aplicar as provas, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). Será um tratamento único. Então, não tem perigo de um estudante ser submetido a uma prova mais fácil e o outro a uma mais difícil”, ressaltou Weverton.

De acordo com o projeto aprovado, o Revalida será implementado pelo governo federal e acompanhado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

“Muitos médicos poderão organizar a sua carreira e nós sabemos o tanto que é importante que eles continuem atendendo a nossa sociedade, principalmente rincões das regiões Norte e Nordeste do nosso país”, declarou.

O projeto aprovado é um substitutivo da Câmara dos Deputados ao texto inicial do Senado. Por causa das alterações feitas pelos deputados, teve de voltar para os senadores. O projeto foi para o Plenário do Senado em regime de urgência e agora vai para a sanção presidencial.

0

Dr. Gutemberg e Osmar Filho se reúnem com a classe médica para debater melhorias para a saúde

A saúde em pauta! O médico e vereador de São Luís, Dr. Gutemberg Araújo, junto com o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho, promoveram uma reunião, nesta segunda-feira (12), com lideranças médicas do Maranhão para buscar soluções para a saúde pública da capital.

Durante a reunião foi discutida a situação das políticas de saúde dos hospitais da cidade, além das condições de trabalho das categorias profissionais. E essa não é a primeira vez que o Dr. Gutemberg leva os problemas da saúde para a Câmara. Neste ano, o médico vereador liderou as ações para a reabertura da Maternidade Maria do Amparo.

“Neste encontro, reunimos as lideranças médicas do Maranhão em uma conversa franca com o presidente da Casa, Osmar Filho, que abriu de forma muito generosa um canal de comunicação com todas as instituições que representam a classe. Tratamos das situações de trabalho e dos profissionais de saúde, foi um encontro positivo’’, destaca Dr. Gutemberg.

Na ocasião, os representantes das entidades tiveram a oportunidade de expor suas dificuldades e demandas, além de propor estratégias para sanar alguns problemas que dificultam o pleno atendimento no sistema de saúde do município.

 “Um diálogo proveitoso em prol daqueles que exercem diariamente o bem-estar e trabalham constantemente pela saúde dos cidadãos. Parabenizo o doutor Gutemberg pela iniciativa de propor essa reunião e, assim, criarmos formas de lidar com diversas situações na garantia de um atendimento digno a quem tanto necessita do atendimento hospitalar em nossa cidade. Agradeço a visita das lideranças presentes e reforço, mais uma vez, o compromisso da Câmara com essa temática’’, destacou o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho.

Para o presidente da Associação Médica do Maranhão, Mauro Cesar Oliveira, o encontro ajudou a somar forças pela qualidade da assistência da saúde e as áreas de emergências da cidade, um debate que, segundo ele, deverá se estender como pauta para outros encontros.

Após a reunião, foi instituído um grupo de trabalho para que sejam adotadas ações com o intuito de monitorar os trabalhos pertinentes a esta área na capital maranhense.

Participaram do encontro: o Professor Aldir – Academia Maranhense de Medicina, Dr. Carlos Frias – Sindicato  dos Médicos , Dr. Mauro Oliveira – Associação Médica do Maranhão, Dra Janaína Bentivi e Dr. Érico Cantanhede – Associação dos Médicos do Socorrão, Dr. Egidio – Maternidade Nossa Senhora do Amparo e Dra . Francisca Luzia Araújo – UFMA.  O Dr. Abdon Murad – CRM- justificou sua ausência mas se prontificou em participar deste grupo de trabalho.

2

Programa Saúde na Família pode entrar em colapso…

Justiça Federal atendeu a pedido do Conselho Federal de Medicina e proibiu os enfermeiros – primeiros profissionais no contato com o paciente – de prescrever receitas e fazer exames, o que pode inviabilizar o PSF

 

Enfermeira no atendimento domiciliar; não há médicos para fazer esse trabalho

Uma decisão da Justiça Federal – atendendo à ação do Conselho Federal de Medicina – poderá por em colapso o Programa Saúde na Família, do Governo Federal.

A decisão proíbe os enfermeiros de solicitar exames complementares, prescrever medicações e encaminhar usuários ao atendimento médico em casos mais graves.

Ocorre que são os próprios enfermeiros os primeiros profissionais de nível superior a ter o contato com o paciente nas comunidades, baseado na Portaria nº 2.488/2011 do Ministério da Saúde, que permitia essas ações à categoria.

– No pré-natal, por exemplo, é o enfermeiro quem faz a solicitação dos exames complementares, ultrassonografia obstétrica e realiza os testes rápido de HIV, Sífilis e Hepatite, enfim, o que agora fica totalmente proibido – pondera Livia Bustamante, diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Maranhão.

Segundo ela, se a decisão da Justiça Federal não for reversível,  a mortalidade por causas evitáveis poderá aumentar muito, pela dificuldade de acesso ao atendimento.

Para a profissional de enfermagem, a decisão pode superlotar os hospitais, já que o pacientes precisarão ir às unidades de saúde para atendimento.

O Conselho Federal de Enfermagem fará manifestação nesta terça-feira, 10, em Imperatriz, contra a decisão judicial…

0

Vereador Gutemberg participa de encontros sobre Saúde com presidente da AMB…

Parlamentar esteve presente tanto no encontro com o governador Flávio Dino quanto na reunião com o prefeito Edivaldo Júnior

 

Gutemberg com Helena, Edivaldo e os representantes da AMB

Médico, o vereador Gutemberg Araújo (PSDB) participou dos dois encontros que o presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino de Araújo Cardoso Filho, teve na capital maranhense, na última quarta-feira, 5.

No encontro com o prefeito Edivaldo Júnior,  Gutemberg ressaltou a importância da colaboração nos serviços de Saúde.

– Num momento em que o país atravessa uma grave crise, estamos dispostos a colaborar no que for preciso para que a população não sofra tanto com esse cenário. Temos nos aproximado dos gestores para que estes possam ouvir melhor as reivindicações da população. Também temos abraçado a causa dos profissionais da área da saúde e sobretudo, temos apresentado ações concretas para valorizar o paciente e o médico. A Associação Médica Brasileira, por seu caráter suprapartidário, pode nos ajudar muito nessa batalha – disse o parlamentar.

O vereador do PSDB também esteve presente na reunião com Flávio Dino

Gutemberg esteve também no Palácio dos Leões, onde reforçou ao governador Flávio Dino (PCdoB) necessidade de maiores investimentos na saúde ofertada à população.

Na reunião com Edivaldo participaram também o vice-prefeito Júlio Pinheiro (PCdoB), a secretária de Saúde Helena Duailibe (PMDB).

Do encontro com Flávio Dino também participaram o presidente da Associação Médica de Minas Gerais e Segundo vice-presidente Nacional da AMB, Lincoln Ferreira; os presidentes da Associação Médica do Maranhão, Mauro César Oliveira; do Sindicato dos Médicos, Adolfo Paraíso; do Conselho Regional de Medicina, Abdon Murad; e da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares, Ianik Rafaela Lima Leal.

0

Comunista desmente comunista no caso da demissão dos médicos das UPAs…

Bi-secretário Márcio Jerry chegou a classificar de “mentira” notícia sobre perseguição aos profissionais que denunciaram atraso de salários, mas o titular da Saúde, Carlos Lula, confirmou ao presidente do CRM que a represália se deu na empresa que administra as unidades

 

As UPAs estão sendo sucateadas gradativamente no governo Flávio Dino

O presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM), Abdon Murad, confirmou nesta sexta-feira, 30, em um grupo de médicos, a represália do governo Flávio Dino (PCdoB) a profissionais da saúde que denunciaram atraso de salários nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

A denúncia dos médicos foi  divulgada em primeira mão no blog de Jorge Aragão e ganhou repercussão pela TV Mirante. (Releia aqui)

Para tentar desqualificar a denúncia, o bi-secretário Márcio Jerry chegou a desdenhar da existência dos três profissionais, chamando-os de “supostos médicos”.

A reação grosseira do bi-secretário Márcio Jerry; desrespeito

Mas o próprio secretário de Saúde, Carlos Lula, confirmou a Abdon Murad, ainda que de forma transversa – em conversa a qual este blog teve acesso – os nomes e a confusão envolvendo os três profissionais.

– Durante a conversa com o CRM, o secretário dr. Carlos Lula disse que não foi determinação dele, nem do governador, o afastamento dos colegas Igor Bonifácio, Eduardo Buna e Andrea Santos e sim da empresa que gere a UPA da Vila Luizão – afirmou o presidente do Conselho, que disse ter recebido garantias da reintegração dos três.

Como Lula não desmentiu a fala do presidente do CRM, ficou claro que houve apenas um mentiroso na história.

Trata-se do próprio bi-secretário Márcio Jerry.

Simples assim…

0

Médicos são homenageados em Sessão Solene…

Hildo Rocha fala sobre os médicos

Hildo Rocha fala sobre os médicos

O deputado Hildo Rocha representou o PMDB na Sessão Solene realizada pela Câmara Federal em homenagem ao Dia do Médico. O parlamentar destacou que entre as diversas atividades profissionais ligadas à área da saúde, os médicos são os primeiros a serem lembrados e procurados.

“A medicina é, e sempre será, a primeira das profissões da saúde a ser lembrada, afinal, por meio da orientação do médico é que o paciente recebe orientações adequadas de tratamento”, destacou o parlamentar.

Avanços

Rocha enfatizou que os avanços da medicina abrem perspectivas animadoras.

“A medicina avança rápido, e as promessas são fantásticas. É incrível pensar que, no começo do século 20, a ciência ainda estava descobrindo a genética e que, apenas um século depois, já começamos a explorar as possibilidades da terapia gênica. Em outra frente de pesquisas, as células-tronco podem levar à regeneração de tecidos e daí à cura de doenças cardíacas, da artrite degenerativa e da reumatoide, de lesões à medula espinhal e de outras mazelas”, frisou.

Condições de trabalho

O deputado destacou ainda as adversidades enfrentadas pela categoria. “No ano passado, a campanha do Conselho Federal de Medicina destacou a falta de condições de trabalho enfrentada por muitos médicos, que têm de fazer sacrifícios para superar a falta de remédios, de equipamentos, de vagas hospitalares, e até de instalações adequadas”, disse.

Rocha disse que há casos em que médicos tiveram de comprar materiais, pagar exames, e preparar refeições para acompanhantes de pacientes (porque a empresa responsável havia suspendido o fornecimento), e outras situações dramáticas.

“Isso tem que acabar. É ruim para os pacientes, e é ruim para os próprios médicos. Não é fácil ser tido como responsável pelo bem-estar de todos que acorrem a um posto de saúde e não ter sequer condições de atendê-los. Uma entidade norte-americana calculou que as taxas de depressão e de suicídios entre médicos são mais altas que na população em geral, talvez pelo peso do dever que cai sobre eles. Se nos Estados Unidos, o país mais rico do mundo, os médicos sofrem ao lidar com os desafios da profissão, imagine aqui, onde as condições de trabalho são tão adversas”, argumentou o deputado.

Caos na saúde pública

Rocha lembrou que, no Maranhão, a situação é ainda mais preocupante porque o governador Flávio Dino não tem sido capaz de cumprir as promessas de campanha e dar respostas satisfatórias às demandas da população.

“Precisamos de um Estado mais eficiente que saiba fazer bem aquilo que lhe cabe, como por exemplo cuidar da saúde da população. Temos que trabalhar para isso nesta Câmara dos Deputados, a fim de que os brasileiros tenham uma vida mais sã, e os médicos vejam realizada a missão altruísta que os leva a abraçar tão nobre carreira. Parabéns aos médicos brasileiros”, argumentou Hildo Rocha.

1

Dr. Gutemberg parabeniza médicos pelo seu dia..

A (com) paixão do médico

Cê parece um anjo

Só que não tem asas iaiá

Oh meu Deus 
Quando asas tiver 
Passe lá em casa  (Armandinho)

Gutemberg: médico e vereador

Gutemberg: médico e vereador

O trecho da música do compositor Armandinho é uma declaração de amor, mas bem que poderia ser uma constatação do profissional da medicina, homens e mulheres que atendendo o chamado do servir o próximo com dedicação e paixão, muitas vezes em detrimento de suas próprias vidas.

E como lamenta o Armandinho em sua canção, só não podem estar presentes em todos os lugares porque não possuem asas…e a despeito da falta delas, eles – os médicos e as médicas – fazem o possível, mesmo quando várias vezes ele se reveste de impossibilidade.

Rubem Alves escreveu uma das mais belas constatações do ser médico que aqui reproduzo”(…) o médico, que pode não estar sofrendo nada ( se ele estiver sofrendo será um médico mais compassivo… ), sofre um sofrimento que não é seu, é de um outro. E é só porque ele sofre com os sofrimentos dos outros que ele se impõe a disciplina de estudar, pesquisar e desenvolver habilidades: para que o outro sofra menos ou deixe de sofrer”.

Aliviar dores, cuidar e orientar e quando possível, curar. Mais o médico e a médica sozinhos não podem fazer tudo. Precisam de condições dignas de trabalho, hospitais melhor estruturados, carreiras valorizadas e remuneração justa. Hoje estou parlamentar, mas não esqueço das lutas e reivindicações de minha categoria. Apresentei um Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos para os médicos no Município de São Luís e um projeto de lei que prevê redução no ISS em 60% para as empresas que atuam na área de saúde no município de São Luís, beneficiando diretamente o profissional médico.

A tradição cristã informa ser o evangelista Lucas um médico muito dedicado à propagação do bem e da paz. Que seu exemplo ilumine a todos nós!

Por Gutemberg Araújo, médico e vereador reeleito de São Luís
3

Gutemberg Araújo quer providências de autoridades contra agressões a médico…

gutembergEm razão das agressões praticadas contra o médico neurocirurgião Benedito Sabbak Thomé Junior, no último dia 29 de junho, por parte de policiais militares e guardas da Secretaria Municipal de trânsito, o médico gastroenterologista e vereador Gutemberg Araújo (PSDB) cerra fileiras com entidades médicas e se engaja na luta em busca de providências por parte das autoridades responsáveis para punições aos autores dos atos de covardia contra o profissional da medicina.

Explica Dr. Gutemberg que o seu colega, no dia em que sofreu atos de covardia, estava de plantão de sobreaviso no Hospital Carlos Macieira e se dirigia à Academia de Polícia Civil para ministrar uma aula curso Operações especiais.

“No entanto, quando se encontrava na Avenida Beira Mar, próximo ao terminal da Integração, foi impedido de prosseguir caminho pois a via estava tomada pelos fiéis da procissão de São Pedro”, continua Gutemberg Araújo para completar: “ao avistar um veículo da SMTT procurou ajuda, identificando-se o serviço que iria realizar e acabou sendo protagonista de atos de violência”.

Dr. Gutemberg afirma estar “buscando respostas e providências para que os autores dessas agressões não fiquem na impunidade e não venham a ocorrer casos dessa natureza e semelhantes”.

Ele faz esse destaque para informar que diante do que estava acontecendo com o trânsito todo paralisado e diante do pedido de ajuda do dr. Benedito Sabbak,“um dos guardas da SMTT disse que estava sendo desacatado, para chamar três policiais militares próximos que chegaram sem ouvir qualquer explicação, algemaram o médico, colocaram no camburão e o levaram para o plantão central do Parque do Bom Menino, deixando-o incomunicável”.

A revolta de Gutemberg Araújo se mostra mais evidente ao constatar que “as pessoas que deveriam zelar pela nossa segurança, cometem estes tipos de atos arbitrários e truculentos”.

Em sua manifestação, Gutemberg Araújo reconhece que “uma correção tardia da arbitrariedade” só aconteceu após a chegada do delegado de plantão, “que, como enfatiza a nota do nosso Sindicato dos Médicos, de forma civilizada e coerente tomou os depoimentos dos presentes e o liberou (dr. Benedito Sabbak)após o registro da ocorrência”.

Com o intuito de que situações lamentáveis como essa não voltem a acontecer “é que estamos lutando para que esse tipo de mal seja reparado e, caso haja necessidade, sejam aplicadas punições para esse tipo de profissional, visando que não seja colocada em dúvida a atuação do nosso sistema de segurança”.

“Estou certo que ações dessa natureza não emanaram do secretário de Segurança, Jefferson Portela, e do secretário de Transportes, Canindé Barros”.

Por tudo isso, “espero dessas autoridades uma manifestação sobre o corrido, para que a sociedade continue a manter a credibilidade no serviço que lhe é prestado”.

1

A homenagem de Juscelino Filho aos médicos…

Na tarde desta quarta-feira (21), o deputado federal Juscelino Filho (PRP-MA) se pronunciou em homenagem aos médicos, durante a sessão solene em comemoração ao Dia do Médico, no plenário da Câmara dos Deputados.

Neste ano, o destaque da sessão foi dado à PEC 454/2009, que institui a carreira de estado para o médico no Sistema Único de Saúde (SUS).

jusceÉ um tema de grande interesse para a sociedade civil e sociedade médica também, ao inserir na legislação, mecanismos que estabelecem vínculo do médico com o Estado, ingresso por concurso público e novos regimes. Vejo o projeto como uma forma eficiente de incentivar a fixação dos médicos em áreas distantes, de estimular a permanência dos profissionais na rede pública. É claro que o Estado precisa garantir condições para o desenvolvimento da atividade médica com estabilidade e aposentadoria, salário digno. Nossa profissão tem que ser valorizada. Vamos fazer a mobilização necessária para a aprovação deste importante projeto”, afirma Juscelino. Continue lendo aqui…

 

1

Câmara discute melhorias para a classe médica…

Audiência Pública foi proposta pelo vereador Gutemberg Araújo e reuniu representantes do setor em São Luís

 

Dr. Gutemberg, em discurso na audi^ncia

Dr. Gutemberg, em discurso na audi^ncia

A Câmara Municipal de São Luís realizou na última terça-feira, dia 15, uma Audiência Pública proposta pelo vereador Dr. Gutemberg Araújo  (PSDB-MA), com o tema “Planos de Cargos e Salários e piso FENAM para a Classe Médica”.

Para quem não sabe, a FENAM é a Federação Nacional dos Médicos (FENAM), que reúne 53 sindicatos médicos pelo país, e tem como algumas das principais bandeiras de luta a adoção de um piso nacional e a criação de uma carreira de Estado, a exemplo do que ocorre no judiciário, como medida para fixação dos profissionais no interior e diminuição das distorções. 

Em sua fala, bastante aplaudida pela plateia, o vereador Dr. Gutemberg Araújo afirmou ser inaceitável uma carreira tão importante como a carreira médica, composta de 400 mil profissionais, que não tenha uma carreira profissional que contemple piso salarial, mobilidade, ascensão social e estímulo à qualificação, permitindo não apenas dedicação exclusiva como também aperfeiçoamento continuado, gerando benefícios à população.

“A lei que que regulamenta o salário mínimo dos médicos é de 1961 e desde os anos 90, diversas diretorias da FENAM têm procurado a atualização do texto de lei no Congresso Nacional, e por isso trouxemos a discussão para o nível local, para abrir um canal de diálogo com o Executivo, para que construamos com civilidade e responsabilidade a materialização dos nossos anseios”, destacou.

O vereador lembrou ainda outras leis de sua autoria em favor da classe dos profissionais da saúde, a exemplo da lei que regulamentou as 30h da enfermagem no município, sendo São Luís  a sexta capital a obter o benefício; a iniciativa na redução de 60% de ISS da saúde, e que já só espera a regulamentação por parte do Executivo. O vereador também avisou que iria entrar em tramitação um projeto de lei de sua autoria criando em São Luís o Setembro Verde, mês dedicado à reflexão e ações que objetivem o despertar pela doação de órgãos. 

Presentes diversas autoridades ligadas à área da saúde – como o Secretário Estadual, Marcos Pacheco e a Secretária Municipal, Helena Duailibe – a audiência reuniu ainda médicos e acadêmicos de medicina, num auditório lotado.