2

Coroado ainda aguarda, pelo menos, asfaltamento de suas ruas…

Já desiludida quanto às ações de drenagem da Prefeitura de São Luís, comunidade espera passar as festas de fim de ano pelo menos com as ruas asfaltadas, o que aprece cada vez mais distante, sobretudo com a proximidade do período chuvoso

 

PRINCIPAL RUA DO BAIRRO ESTÁ ASSIM DESDE 2011, ENFRENTANDO INVERNO APÓS INVERNO sem nenhum tipo de serviços da Semosp

A Prefeitura de São Luís anunciou em agosto um pacote de obras em São Luís que inclui serviços de drenagem e asfaltamento em vários bairros de São Luís.

Desde então, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça cobra os dois serviços para a comunidade do Coroado – a drenagem e o asfaltamento; serviços estes, aliás, que deveriam estar prontos desde 2010, quando o Banco Mundial liberou milhões para o saneamento do bairro.

Cobranças que podem ser relembradas nos posts abaixo:

Milhões e milhões gastos para nada no Coroado…

Coroado pela enésima vez embaixo d’água…

Coroado com todas as ruas destruídas…

R$ 50 milhões no Coroado por água abaixo…

A vida no Coroado: drenagem não funciona e manutenção pior ainda…

OS ALAGAMENTOS INCOMODAM A COMUNIDADE DO COROADO DE DIA E DE NOITE, levando desespero aos moradores, que sequer podem dormir em paz

Já se passaram nove anos desde a chegada dos recursos e os alagamentos no Coroado continuam ano após ano; e poderiam ser resolvidos com a simples de apenas uma casa na área que impede o escoamento das águas.  (Entenda aqui)

Mas a comunidade já desistiu de ter os serviços de drenagem nesta gestão; espera, agora, ao menos, que possa passar o Natal e o Reveillon com as ruas asfaltadas.

Uma das principais, a Dr. Carlos Macieira – que liga a Avenida dos Africanos à avenida São Marçal – está sem asfalto há mais de oito anos.

ESTA ÁREA FOI ALAGADA EM 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 3 2019, sem nenhuma ação da prefeitura para resolver o problema

Com as cobranças, os agentes da prefeitura dizem que pra asfaltar a via, é preciso fazer a drenagem. e como a Secretaria de Obras não faz a drenagem, a via continua sem asfalto.

E assim segue ano após ano, a calamidade na comunidade do Coroado.

E mais um período chuvoso já se aproxima…

0

Com articulação de Pedro Lucas, Coroado ganha nova Praça Mururu…

Obra será entregue na tarde desta quinta-feira, com espaço para a prática de esportes, lazer e estar da população de um dos bairros mais tradicionais de São Luís

 

PRAÇA CONSERVOU ÀRVORES DO LOCAL E RECEBEU NOVOS BANCOS e aparelhos para a prática de ginástica

O bairro do Corado recebe na tarde desta quinta-feira, 26, a nova Praça do Mururu, que foi totalmente reformada e ganhou equipamentos para prática de esporte e lazer.

Construída ainda na década de 90, a Praça Mururu recebeu este nome por que construída onde antes era um alagado coberto por este tipo de planta.

O logradouro passou ano abandonados; e até o prédio onde o funcionava o Centro Comunitário foi invadido e chegou a dar lugar a um bar.

Para refazer a praça, que que começou na gestão do hoje deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB) na Agência Metropolitana, o prédio foi demolido e deu lugar a bancos e equipamentos de ginástica.

Urbanização

A RUA DR. CARLOS MACIEIRA, QUE É PARALELA À PRAÇA MURURU, FICA NESTA SITUAÇÃO O ANO INTEIRO, há pelo menos oito anos

A nova Praça Mururu é uma obra importante para a urbanização do Coroado.

A comunidade agora precisa se mobilizar para conquistar também outras ações, como o saneamento, o asfaltamento e a segurança, tocas carentes na área.

A Rua Dr. Carlos Macieira, por exemplo – que liga a Avenida dos Africanos à Avenida São Marçal  – está sem asfalto há quase oito anos.

Espera-se ações ainda neste 2019…

0

Vereador pede reforma de obra inacabada no Coroado…

Por intermédio de indicação, Osvaldo Muller pediu ao Governo do Estado que dê atenção a uma das várias obras paralisadas no bairro, comunidade que sofre com falta de infraestrutura e abandono ano após ano

 

ASSIM FICARIA O CENTRO ESPORTIVO E CULTURAL DO COROADO se as obras fossem levadas a cabo há quase 10 anos…

O vereador Osvaldo Muller (PT) apresentou à Câmara Municipal a indicação 239/19, que pede ao Governo do Estado a recuperação do Centro Cultural e Esportivo do Coroado.

As obras é uma das várias abandonadas pelo poder público no bairro – algumas paralisadas há anos.

A tal obra é de 2011, ainda na gestão João Castelo; e teve anúncio de inauguração ainda em 2013, na própria página da prefeitura. (Veja aqui)

Além do centro esportivo cultural, estão largadas à própria sorte a construção da Praça do Centro Comunitário, o sistema de drenagem e esgotamento, o asfaltamento de todas as ruas, e a obra de drenagem e urbanização do canal do Coroado.

Todas obras cujos orçamentos foram feitos na casa dos milhões. (Reveja aqui, aqui e aqui)

…MAS, ATÉ HOJE, A REALIDADE DO BAIRRO É ESTA, com alagamentos crônicos a cada período de chuvas, sem que nenhuma autoridade resolva o problema

As indicações, como as apresentadas por Osvaldo Muller, não tem poder algum de obrigar o poder público – governo e prefeitura – a realizar a obra.

Mais do que isso, é preciso mobilização da própria comunidade.

Até porque o mandato do vereador é temporário…

Leia também:

Empreiteira da Caema destrói rua no Coroado e se recusa a recuperar…

Milhões e milhões gastos para nada no bairro do Coroado..

Canal do bairro do Coroado: uma obra interminável…

Coroado pela enésima vez embaixo d’água…

1

Coroado faz feijoada para arrecadar fundos que vão ajudar na melhoria de espaços públicos….

Sem apoio efetivo do poder público, UMBC busca apoio da própria comunidade para recuperar quadras, centros comunitários e até ruas esburacadas

 

A União dos Moradores do Bairro do Coroado em comemoração aos seus 43 anos de lutas e conquistas, promove em sua segunda edição a feijoada “FEIJOQUADRA” com o intuito de arrecadar recursos pra investir em reparos no Centro Esportivo Cultural do Coroado – Quadra do Coroado.

– Tendo em vista de que não recebemos apoio financeiro do Poder Público para mantermos o espaço adequado para a prática de esportes e outras atividades, temos que buscar apoio na própria comunidade – afirmou o presidente da UMBC, Roberth Alan Garcêz de Oliveira.

Sem apoio dos poderes públicos, a União busca políticas que beneficiem o bairro.

– Venham e participem de uma maravilhosa programação com música ao vivo, e um bingo com a premiação de R$100,00, cervejinha gelada e uma deliciosa feijoada – convida o presidente Roberth Oliveira.

Presença confirmada da Banda ALAN MIX E ESKEMA MIX COM JANA TANA NO VOCAL.

O convite custa somente R$10,00…

2

Feira Livre é sucesso também no Rio Anil Shopping

Evento da Prefeitura de São Luís, coordenada pelo secretário de Abastecimento Raimundo Chocolate, reúne autoridades e populares para venda e consumo de produtos da ilha

 

Chocolate com o deputado estadual Zé Inácio, Gerson Pinheiro e visitantes das feira

A tradicional Feira Livre da Prefeitura de São Luís ganhou, nesta gestão de Edivaldo Júnior (PDT), novos cenários para comercialização dos produtos da ilha.

E depois de movimentar o Shopping da Ilha passou a ser realizada também no Rio anil Shopping.

A movimentação foi intensa durante toda a tarde/noite de segunda-feira

– Nós estamos levando este novo conceito para os shoppings de São Luís; e a resposta da população tem sido positiva – comemorou o secretário de Abastecimento, Raimundo Chocolate.

Na edição desta segunda-feira, 17, a feira livre recebeu a presença do vice-prefeito Júlio Pinheiro (PCdoB), que representou o prefeito Edvaldo Holanda Júnior (PDT), o deputado estadual Zé Inácio (PT), os secretários Lula Fylho (Saúde), Maluda Fialho (Meio Ambiente), além dos secretários de estado Gerson Pinheiro (representando o governador Flávio Dino) e Kleber Gomes (Adjunto de Cidades).

Consumidores sentiram-se à vontade com as instalações da feira em pleno shopping

– A grande aceitação do público e a presença destas autoridades mostram que estamos no caminho certo – afirmou o secretário.

Outras edições da Feira Livre nos shoppings já estão sendo preparadas na Semapa…

1

Após denúncia deste blog, Caema inicia recuperação de rua no Coroado…

Via foi destruída pela empreiteira Artec, que se recusava a recuperá-la; companhia determinou a obra após articulação do líder comunitário Antonio Araújo, o Maninho, e a divulgação nesta página de internet

 

Homens começaram a trabalhar na quarta-feira; expectativa é de total recuperação da Rua Dr. Carlos Macieira

Um dia depois da denúncia deste blog, a Caema determinou o início imediato da recuperação da Rua Dr. Carlos Macieira, importante via que corta toda a extensão do bairro do Coroado.

A rua foi destruída pela Artec Construções, que está implantando rede de esgoto no bairro, mas a empresa se recusava a recuperá-la, alegando que a situação era anterior à chegada das obras, o que foi desmentido pela comunidade. (Releia aqui)

– Após a reportagem no blog, os dirigentes da Caema nos procuraram e garantiram a recuperação da rua, o que começou na tarde de ontem [quarta-feira]. Agora é acompanhar para que a obra seja concluída – disse o líder comunitário Antonio Araújo, o Maninho.

Maninho tem sido um dos principais interlocutores da Caema e da Artec nas obras do Coroado. Ele vistoria todo o serviço e exige a qualidade dos serviço de recuperação asfáltica e pavimentação.

Os primeiros serviços visam “enxugar” a rua, toda alagada; mas é preciso corrigir as infiltrações

Para recuperar a Rua Dr. Carlos Macieira, a Caema vai precisar corrigir as infiltrações, que provocam os alagamentos, fazer toda a terraplanagem e recolocar o asfalto na via, que liga o Coroado ao João Paulo e à avenida dos Africanos.

– Não vamos descansar enquanto o bairro não estiver todo recuperado. E a Prefeitura de São Luís também tem o dever de assumir sua obrigação na comunidade – diz Maninho.

Mas esta é uma outra história…

2

Empreiteira da Caema destrói rua no Coroado e se recusa a recuperar…

Artec realiza serviços de implantação de rede de esgoto – que sequer tem previsão de funcionamento – e alega que a rua Carlos Macieira já estava destruída quando começou a trabalhar na área

 

Na rua Carlos Macieira jorra água dia e noite, resultado de vários canos quebrados pela empreiteira da Caema

As imagens e vídeos que ilustram este post foram feitas na tarde desta segunda-feira, 30.

Trata-se da Rua Carlos Macieira, no bairro do Coroado.

Ou o que resta dela.

A via foi completamente destruída pela empresa Artec Construções, para implantação de uma rede de esgoto bancada pela Caema e que não tem sequer onde ser ligada.

E agora, a mesma Artec se recusa a recuperar a rua, importante via de interligação entre o Coroado, o João Paulo e à avenida dos Africanos.

– Já conversei com os operários da Artec e eles disseram que não vão fazer o serviço porque a rua já estava esbandalhada antes de eles chegarem. mas nós temos como provar que a rua foi rasgada por eles – denuncia o líder comunitário Antonio Araújo, o Maninho.

A Artec se recusa a recuperar mesmo diante dos testemunhos dos moradores d que a empresa destruiu o local

Segundo ele, moradores pretendem até interditar as obras da empresa, que continua no bairro, escavando para colocação de tubos de esgoto.

O resultado é que a Rua Carlos Macieira jorra uma água imunda ininterruptamente, fruto da destruição das redes de água e de esgoto que já existiam no local.

E a Caema sequer fiscaliza a operação da empresa no bairro…

3

Caema abandona obra no Coroado e deixa todas as ruas do bairro destruídas..

Moradores da comunidade ameaçam barrar serviços da Artec Construções até que as ruas com tubulação de esgotos já concluída sejam recapeadas

 

Sem calçamento, as ruas viraram poças de lama e buracos, o que impede o tráfego

Uma obra sem explicação da Caema no bairro do Coroado – a instalação de tubos de esgoto que não tem sequer onde ser despejado – deixou todas as ruas destruídas por crateras e escavações.

Os serviços estavam sendo feitos até o mês passado pela Artec Construções, uma espécie de caça-níqueis da Caema, que retirou todas as máquinas da comunidade, deixando as ruas do jeito que podem ser vistos nas imagens que ilustram este post.

– Eles vêm escavando do bairro desde novembro do ano passado, para implantar uma rede de esgotos que não tem nenhuma previsão de quando será interligadas às estações; agora foram embora e deixaram as ruas deste jeito – denunciou Antonio Araújo, o Maninho, uma das lideranças do Coroado.

Nenhuma das ruas do Coroado foi poupada pela Caema, que destruiu todo o asfaltamento

O mesmo serviço a Artec está fazendo em outros bairros, mas nenhum deles deixou as ruas tão destruídas quanto as do Coroado.

– A população já decidiu que vai barrar os serviços da Artec, caso ela volte, até que sejam recuperadas todas as ruas do bairro – afirmou Araújo.

O pior é que a rede de esgoto instalada nem foi ligada às casas por que não tem para onde levar os dejetos

A rede de esgoto do Coroado deveria ser interligada a uma elevatória que funcionaria na região do Bairro de Fátima; mas esta estação sequer tem previsão para ser concluída.

E os moradores da comunidade sofrem as consequência da incompetência da Caema…

1

Pedro Lucas fortalece agricultura familiar com ações da Agência Metropolitana…

Parlamentar entregou sementes de hortaliças e insumos para trabalhadores do Cinturão Verde e anunciou a obra de reforma e ampliação do matadouro de aves

 

Pedro Lucas com Adelmo Soares na comunidade Cinturão Verde: investimentos

O presidente da Agência Executiva Metropolitana, Pedro Lucas Fernandes, fortaleceu a agricultura familiar na comunidade Cinturão Verde, na Zona Rural de São Luís, com repasse de recursos financeiros da ordem de R$ 300 mil para implantação do matadouro e adequação e construção de aviários.

Além disso, entregou insumos agrícolas para os agricultores familiares.

– O olhar para a agricultura familiar é uma realidade. O governador vai assinar a instrução normativa que facilita o comércio na região metropolitana e auxilia no combate ao abate clandestino, facilitando à população de toda região metropolitana, ter acesso facilitado a produtos inspecionados, como o produto que será produzido aqui por vocês, produtores rurais – concluiu Pedro Lucas, que é vereador licenciado de São Luís.

Os projetos capitaneados por Pedro Lucas garantirão, além da produção de subsistência, investimentos também para a produção comercial e o escoamento de produtos na Grande São Luís.

2

Juiz suspende reintegração de posse do Nova Era, em Ribamar..

Moradores da comunidade foram informados da decisão pelo deputado estadual Zé Inácio, que atuou para evitar o despejo da área

 

Zé Inácio com moradores e responsáveis pela articulação que resultou na suspensão do despejo em Nova Era

O juiz Gilmar de Jesus Everton, da 1ª Vara Cível de São José de Ribamar, determinou a suspensão da Ordem de Despejo do Residencial Nova Era, em São José de Ribamar.

Na decisão, o juiz entendeu que o caso envolve uma relação complexa e que requer uma análise e estudo da situação.

– A articulação política com as entidades e órgãos, juntamente com o advogado que está acompanhando o caso, contribuiu para mostrar a situação dos moradores que estavam prestes a serem despejados. Agora, com a suspensão da reintegração de posse, a situação deles deve ser julgada pela Vara especializada em Direitos Difusos e Coletivos para julgar a matéria, por se tratar de um conflito coletivo – disse o deputado Zé Inácio (PT), um dos articuladores do movimento comunitário.

Desde que foi informado sobre a situação pelos moradores, Inácio se mostrou sensibilizado com a causa e realizou algumas ações. Dentre elas, reunião com o Secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves.

ara que a situação seja acompanhada pelo Estado e as medidas necessárias de prevenção e assistência de acordo com a Lei Estadual nº. 10.246, de 29 de maio de 2015, sejam cumpridas pela Cooperativa Habitacional do Grupo Comunitário Independente-COOPHAB, que ajuizou a ação.

O parlamentar, que é membro do Conselho Estadual dos Direitos Humanos, também relatou a decisão judicial aos conselheiros, e repassou o processo a Defensoria Pública do Estado.

Outra medida será oficializar à Prefeitura de São José de Ribamar o pedido de levantamento cadastral das famílias que ocupam a área para que elas não fiquem em estado de vulnerabilidade social.