2

Jornalista diz que polícia já liga Carlos Bolsonaro a assassinato de Marielle…

Kennedy Alencar, um dos mais respeitados analistas do Brasil, diz que já existe esta linha de investigação na Polícia Civil do Rio de Janeiro, mas caso está sendo mantido em absoluto sigilo

 

Carlos Bolsonaro e Marielle Franco viviam às turras na Câmara do Rio; o filho do presidente Jair Bolsonaro se recusava a dividir elevador coma colega

O jornalista kennedy Alencar, comentarista do Sistema Globo de Rádio, informou nesta quarta-feira, 20, uma linha de investigação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que aponta ligação do vereador Carlos Bolsonaro (PSC) ao assassinato da também vereadora Marielle Franco.

De acordo com Alencar, a polícia levanta hipóteses de participação do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a partir das suas relações com Ronnie Lessa, apontado como assassino de Marielle.

Lessa mora no mesmo condomínio de Bolsonaro e do filho.

Em, outubro, a polícia vazou informação de que um porteiro do condomínio afirmou em depoimento ter recebido autorização “do seu Jair” para que outro acusado, Anderson Gomes, entrasse no condomínio. 

Como o presidente estava em Brasília no dia do crime, foi descartada que a autorização tenha partido dele.

Desde então, no entanto, Carlos Bolsonaro passou a se recolher.

Há duas semanas, cancelou suas contas nas redes sociais, onde era ativo desde a campanha do pai.

A hipótese da participação do vereador na morte da colega está mantida em sigilo pela polícia..

1

Produtor de fake news, Carluxo foge das redes temendo CPI do Congresso

Filho 02 do presidente Jair Bolsonaro escondeu seus perfis no Instagram, Facebook e Twitter, já denunciados pela deputada Joyce Hasselmann; mas ainda espalha “conteúdo” em mais de dois mil grupos de WhatsApp

 

DURANTE A CAMPANHA DO PAI, CARLUXO BOLSONARO COORDENOU E ESPALHOU NOTÍCIAS FALSAS; chamado pela CPI das Fake News, ele apagou perfis nas redes sociais

De uma hora para outra, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), filho 02 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), decidiu suspender seus perfis nas redes sociais Instagram, Facebook e Twitter.

À imprensa, amigos próximos disseram que ele “daria um tempo da internet”, pelo menos por um mês. Jornalistas apuraram que ele teme, na verdade, os braços da CPI do Congresso Nacional que apura a distribuição de notícias falsas.

Desde a campanha, suspeita-se que Carluxo controle centenas de perfis falsos em redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, especializados em produzir fake news contra adversários.

Durante a campanha, o jornal espanhol El País produziu ampla reportagem mostrando “a máquina de fake news nos grupos favoráveis a Bolsonaro”.

Essa suspeita ficou mais forte em outubro, quando a ex-líder do governo Bolsonaro, Joyce Hasselmann, denunciou que “os filhos do presidente controlam “milícia digital” com 1,5 mil perfis falsos”.

No último dia 5, a relatora da CPI das Fake News, deputada Lídice da Mata (PSB-BA) anunciou que “é preciso investigar a participação do filho do presidente na produção de notícias falsas”.

Foi o bastante para precipitar a fuga de Carluxo das redes, como um rato que se esconde ao primeiro sinal de que será descoberto.

Mas segundo o site “Conversa afiada”, ele continua a controlar grupos de WhatsApp.

Que só no Rio de Janeiro chegam a 2 mil…

3

Agora político, Sérgio Moro prega levante contra decisão que favoreceu Lula…

Ex-juiz e atual ministro do governo Bolsonaro expõe sua parcialidade, criticando o STF e pressionando o Congresso Nacional a aprovar emenda constitucional para fazer valer a prisão em segunda instância

 

SERÁ SÉRGIO MORO, E NÃO BOLSONARO, QUEM VAI TENTAR FAZER O CONTRAPONTO AO DISCURSO DE LULA, AGORA LIVRE DA CADEIA, acentuando a parcialidade do julgamento do ex-juiz

Está mais do que provada ao Brasil a parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva.

As conversas reveladas pelo site The Intercept já provaram que ele manipulou o processo e comandou o Ministério Público para obter a condenação do petista.

Essa parcialidade foi provada também quando Moro aceitou ser político apenas seis meses depois de tirar Lula da disputa contra a quele que ofereceu-lhe emprego de ministro da Justiça.

Agora declaradamente político – inclusive com interesses na sucessão do próprio Jair Bolsonaro, o ex-juiz tenta manipular, de novo, a opinião pública a uma espécie de levante contra a decisão do Supremo Tribunal Federal.

– A resposta aos avanços efêmeros de criminosos não pode ser a frustração, mas, sim, a reação, com a votação e aprovação no Congresso das PECs [propostas de emendas à Constituição] para permitir a execução em segunda instância e do pacote anticrime – disse o ex-juiz, em mensagens nas redes sociais.

Ainda em reação à decisão do STF, Moro quis fazer de conta que ignorava as críticas de Lula respondendo contra ele, num claro exercício de contraponto, que deve colocar Bolsonaro de escanteio.

Neste ponto, ao que se vê, será o ministro, e não o presidente, o responsável pelo confronto de ideias com o ex-presidente.

E como já resta provado a sua parcialidade contra Lula, não há outro caminho para a Suprema Corte senão o de anular o julgamento comandado por ele contra o ex-presidente.

Para isso, batam apenas três votos dos cinco que forma a 2ª Turma do STF…

1

Apenas Bolsonaro pode administrar o Lula Livre; seria ele capaz?!?

Presidente conviveu com uma oposição desarticulada desde que assumiu o governo, cometendo erros atrás de erros; agora, tem de frente um contraponto real e com história para contar ao Brasil; seu futuro, portanto, depende de si mesmo, o que já é um complicador

 

LULA COM A MILITÂNCIA APÓS DEIXAR A CARCERAGEM DA POLÍCIA FEDERAL; com ele no debate político, Bolsonaro vai ter que abandonar o estilo Bolsonaro

Editorial

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) é hoje o maior opositor do governo Bolsonaro.

Sua verborragia, seu comportamento irascível e truculento, sua incapacidade gerencial, seu despreparo e seus filhos jogam dia a pós dia contra as ações de alguns poucos ministros de fato preparados para o exercício do poder.

Mas mesmo diante dos erros pessoais do presidente, o governo seguiu até aqui por ter diante de si uma oposição absolutamente desarticulada, uma mídia meio que acuada e uma população ainda dividida entre a esperança e a frustração.

Tudo deve mudar a partir do Lula Livre.

O ex-presidente deixou ontem a prisão onde se encontrava há um ano e meio, em Curitiba, e mostrou que está pronto para fazer o contraponto a tudo que Bolsonaro representa.

A repercussão da saída de Lula em o todo o país mostrou que Bolsonaro tem muito com o que se preocupar. Mas o presidente ainda é o senhor absoluto da própria situação.

Cabe apenas a Bolsonaro conduzir o debate na era pós-liberdade de Lula, um novo momento político para o seu governo e para o país.

E Bolsonaro, por si só, já é um complicador.

Se quiser ter futuro no exercício do poder, o presidente precisa controlar a sangria verbal que tem na língua, mudar seu estilo truculento com a imprensa e com quem não reza em sua cartilha, e, principalmente, tirar de foco os filhos, causa de nove a cada dez crises que o governo tem.

Se não seguir esse comportamento, Lula vai engoli-lo já no primeiro momento, quando estará exposto a mídia e será atração de todos o programas, com um capital de oito anos de mandato presidencial para fazer a comparação com o atual governo.

O futuro no Lula Livre não é bom para Bolsonaro, mas cabe ao próprio Bolsonaro saber conduzi-lo.

E isso, para quem torce contra, já é uma vantagem adicional para Lula…

0

Othelino Neto diz se assustar com destempero de Bolsonaro…

Em podcast divulgado esta semana, presidente da Assembleia Legislativa diz que presidente não tem preparo para reagir a atos que o incomodam; para o deputado, ação de Bolsonaro no caso Marielle caracteriza obstrução de Justiça

 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), mostra-se cada bez mais assustado com o destempero verbal do presidente Jair Bolsaonro (PSL).

– Se ele se sente injustiçado, é natural que reaja de forma indignada, mas não de forma a ameaçar veículos de imprensa. Mesmo reconhecendo que em alguns momentos pode haver excessos, é natural a indignação de quem se sente vítima. Mas não devemos ameaçar a liberdade de imprensa – pontuou o parlamentar, em podcast divulgado esta semana.

Caso Marielle

Para Othelino Neto, há claros sinais de obstrução da Justiça na forma como o presidente interveio na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco.

– Mandar buscar a gravação, para os entendidos no assunto, para os especialistas, passou a impressão de que ou ele obstruiu a justiça ou andou no limite de promover esse tipo de obstrução, o que é crime – pontuou.

No caso dos filhos do presidente, Othelino Neto vê ainda mais destempero verbal.

– Quando o presidente não tem uma fala infeliz, é um filho que questiona a democracia, que ameaça com a reedição do AI-5; ou agredindo as instituições, como no caso do tweet do presidente da República, no qual ele se coloca na figura de um leão que é atacado por hienas representando instituições como o Supremo Tribunal Federal, a imprensa e os partidos de oposição. Ou seja, infelizmente, no Brasil, o presidente da República é um fator de instabilidade que prejudica muito a todos os cidadãos e cidadãs – concluiu.

4

André Fufuca vai lutar pela não extinção de municípios maranhenses…

Deputado federal entende que as propostas devem ser para viabilizar as cidades brasileiras e não para acabar com elas; objetivo do governo federal é tirar do mapa cerca mais de 1 mil municípios

 

O deputado federal André Fufuca (PP) reagiu à proposta do governo federal de extinção de 769 municípios. Segundo o parlamentar, a medida inserida na PEC do novo Pacto Federativo deve ter como meta a viabilidade financeira dos municípios e não as suas extinções.

“Acredito que a proposta é boa desde que não sejam sacrificadas as cidades. Dessa forma, vou me colocar contra qualquer tipo de extinção dos municípios brasileiros”, afirmou o deputado.

Para André Fufuca, a extinção de cidades é um retrocesso político e cultural. “Existem cidades que apesar da pouca população, já têm toda uma identidade de município. Extinguir esses municípios significaria um atentado a identidade dessas pessoas, por isso sou contra a proposta”, explicou o parlamentar.

As mudanças no pacto federativo propostas em uma das três PECs enviadas nesta terça-feira (05) pelo governo ao Congresso preveem a incorporação a municípios vizinhos das cidades com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total.

A partir da semana que vem, André Fufuca deverá iniciar os trabalhos contra a proposta de extinção dos municípios sensibilizando a bancada maranhense e posteriormente os demais membros do Congresso Nacional.

3

Pacto federativo de Bolsonaro pode extinguir quatro municípios no MA…

Proposta Governo Federal encaminhado ontem ao Congresso prevê a extinção de municípios com menos de 5 mil habitantes, o que atinge diretamente Nova Iorque do Maranhão, São Pedro dos Crentes, São Félix de Balsas e Junco do Maranhão

 

JUNCO DO MARANHÃO É O MENOR MUNICÍPIO MARANHENSE, COM APENAS 3.432 HABITANTES; e pode ser extinto se a proposta do governo Jair Bolsonaro passar no Congresso Nacional

A proposta do governo Jair Bolsonaro (PSL), de extinguir os municípios com menos de 5 mil habitantes deve varrer do mapa do Maranhão os municípios de Nova Iorque, São Pedro dos Crentes, São Félix de Balsas e Junco do Maranhão.

A proposta de Bolsonaro, que faz parte do pacto federativo, um conjunto de projetos que se adequarão à nova realidade da Previdência após reforma, foi entregue nesta terça-feira, 5, ao Congresso Nacional.

De acordo com o projeto, serão extintos todos os municípios brasileiros que tenham menos de 5 mil habitantes e que não consigam garantir ao menos 10% de seu orçamento com receitas próprias.

O Maranhão tem apenas quatro município com população baixo de 5 mil:

Nova Iorque – 4.683

São Pedro dos Crentes – 4.668

São Félix de Balsas – 4.585

Junco do Maranhão – 3.432.

Não se sabe se o orçamento destas cidades alcança 10% de receitas própria, o que as livraria da extinção, prevista para ser efetivada em 2026.

Os municípios que forem extintos terão suas populações divididas entre os municípios vizinhos…

0

Marielle: partidos querem anular laudo do MP feito em duas horas sobre porteiro…

Polícia Civil já descobriu que o porteiro do condomínio que disse – em dois depoimentos – ter recebido o “ok” do presidente Jair Bolsonaro para a entrada do assassino da vereadora não é o mesmo que aparece no áudio divulgado por Carlos Bolsonaro e “periciado” pelas promotoras do caso

 

CONDOMÍNIO ONDE MORA JAIR BOLSONARO, que tem como vizinho ninguém menos que Ronnie Lessa, tido como assassino da vereadora Marielle Franco

O Partidos dos Trabalhadores denunciou ao Supremo Tribunal Federal o presidente Jair Bolsonaro (PSL), seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), e o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O PT entende que Bolsonaro e Carlos podem ter manipulado – com a anuência de Moro – os registros eletrônicos da portaria do condomínio onde moram, e onde um porteiro garantiu ter recebido autorização de Bolsonaro para que um dos acusados pelo assassinato de Marielle Franco entrasse no condomínio, onde se reuniu com o outro acusado.

A suspeita se deu por que foi Carlos Bolsonaro quem primeiro se apossou dos registros eletrônicos, depois periciados em pouco mais de duas hora pelas promotoras do caso, uma delas já afastada.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu que o porteiro cuja voz é ouvida no áudio do filho do presidente não é o mesmo porteiro que depôs por duas vezes e confirmou, nas duas, que falou com Bolsonaro para liberar a entrada do assassino.

Os líderes de partidos como PSOL, PSB e Rede já pediram ao próprio Ministério Público que refaça a perícia nos equipamentos do condomínio.

Enquanto isso, o porteiro que depôs contra Bolsonaro segue de férias… 

5

Sobre pais e filhos…

Ao chegar ao poder nacional cercado de filhos encastelados nas instâncias políticas como profissão, Jair Bolsonaro potencializa os riscos para o estado de direito de um presidente com filhos sequiosos de poder e treinados para fazer o que quiserem

 

BOLSONARO COM O FILHOS, 02, 03 E 01, NA SEQUÊNCIA; mandatos populares como profissão, rachadinhas, enriquecimento e relação com milícias e assassinos

 

Certa feita, ouviu-se de um ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça um comentário sobre um ex-governador do Maranhão que se pretendia candidato a prefeito. Dizia ele: “fulano só foi um bom governo porque tinha filhos pequenos; hoje são todos adultos, os problemas de comando serão potencializados”.

A presença do presidente Jair Bolsonaro no poder eleva essa máxima do ex-ministro à enésima potência.  

Ele chegou ao poder no comando de uma família mimada, onde todos receberam mandatos populares como espécie de carreiras de estado, profissões mesmo.

E por tudo isso, o 01, o 02 e o 03 acham que podem fazer o que quiserem.

– Papai eu quero ser diplomata nos EUA!!! – pede o Zerotrês.

– Talkey, meu filho, você será! – responde o pai.

O Zerohum diz: “Pai meu, não quero mais o Bebianno no governo”.

– Tu tá querendo isso aí? então terá, filho meu – garante o presidente.

LULA ENTRE OS FILHOS: investigação constante e patrulha bolsonarista nas redes sociais, mesmo diante da falta de provas das acusações

Desde a redemocratização do país, a partir de 1985, foram sete os presidentes do Brasil; dois deles – Itamar Franco e Michel Temer (ambos do MDB) – assumindo após cassação do titular.

Mas nenhum desses políticos teve uma família tão onipresente nas decisões de poder e de estado.

Até mesmo os filhos de Lula, que muita gente aponta, sem provas, como milionários a partir do governo do pai, foram tão presentes nas ações políticas entre 2003 e 2010.

Bolsonaro e seus rebentos são a típica família buscapé, que saíram dos subterrâneos das Câmaras e Assembleias – após fazerem fortuna com mandatos populares – para o centro do poder, sem o devido preparo.

FHC COM O FILHO PAULO HENRIQUE: mesmo com discrição familiar, não passaram incólume pela patrulha sobre negócios dos filhos nos governos dos pais

O resultado é este que se vê aí: milicianos protegidos, os Queiroz da vida ganhando notoriedade com as rachadinhas, e assassinos de políticos como vizinhos de condomínio, só para ficar nos casos mais recentes.

Jair Bolsonaro é absolutamente despreparado para o mandato presidencial, isto é um fato; mas poderia seguir aos trancos e barrancos caso seus filhos não fossem tão mimados.

O problema dele, é que o 01, 02 e 03 também acham que foram eleitos presidentes.

E como dizia o ministro do STJ há anos atrás, não há como o governo funcionar deste jeito.;

É simples assim…

2

Juscelino Filho vai comandar processo de cassação de Eduardo Bolsonaro…

Maranhense é o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Federal, para onde serão encaminhados o pedidos de perda do mandato do filho do presidente, que defendeu abertamente a volta do AI-5 contra as esquerdas

 

Caberá ao maranhense Juscelino Filho (DEM) comandar o processo de cassação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), denunciado por defender o uso do AI-5 contra radicalização da esquerda.

Ele é o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Federal, onde tramitarão os pedidos de cassação do filho do presidente.

Já anunciaram que acionarão o Conselho de Ética contra Eduardo a Rede Sustentabilidade e o PSOL.

O próprio presidente da Câmara, Eduardo Maia (DEM-RJ), classificou de “repugnantes” as declarações do colega carioca, o que abre margem para abertura do processo.

Além do pedido de cassação no Conselho de Ética, Eduardo Bolsonaro será denunciado à Procuradoria-Geral da República por improbidade administrativa.

Todos os processos devem começar a tramitar na segunda-feira, 4…