0

Roberto Rocha dá sinais de que deve disputar o governo…

Senador cujo mandato se encerra em 2022 – e já aparece em pesquisas isoladas em vários municípios – está em pré-campanha aberta, com formação de alianças do PSDB para disputa das eleições municipais, anúncio e entrega de obras em várias cidades

 

Ao lado de Maura Jorge – e sem máscara – Roberto Rocha foi apresentado como aliado no município de Lago da Pedra

O senador Roberto Rocha (PSDB) teria a dura missão de renovar o mandato de senador em 2022, desta vez como candidato da oposição ao atual governo maranhense, ao contrário do que ocorreu em 2014.

Mas ao que parece, Rocha se movimenta não para concorrer à reeleição, mas como pré-candidato cada vez mais à vontade ao Governo do Estado.

É na condição de liderança estadual que o senador do PSDB tem se movimentado na capital e no interior maranhense, sempre fortalecendo candidatos de oposição nas eleições municipais.

No último fim de semana, Rocha esteve em Lago da Pedra e região, ao lado da também oposicionista Maura Jorge.

O senador mobilizou na região diversos outros prefeitos e candidatos a prefeito nas eleições de outubro, numa pré-campanha casada entre 2020 e 2022

A disposição ainda não assumida de disputar o governo tem incluído o tucano em listas de pesquisas, como a do Ibope, que o mostrou em segundo lugar em São Luís, atrás do também senador Weverton Rocha (PDT).

E a mudança de rumo se dá no período em que o governador Flávio Dino (PCdoB) – tentando se incluir no cenário da corrida presidencial – também admite que pode concorrer ao Senado.

A Roberto Rocha, portanto, caberá a escolha entre enfrentar os candidatos de Dino ou o próprio Dino.

Missões difíceis, sejam quais forem as circunstâncias…

3

Mensagen de WhatsApp indicam futuro político de Roberto Rocha…

Senador cujo mandato termina em 2022 revelou em grupos de troca de mensagem que não pretende disputar a reeleição e pode até articular sua ida para o Tribunal de Contas da União

 

Eleito na chapa de Flávio Dino, em 2014, Rocha rompeu com o governador ainda no início do mandato; e não pretende disputar a reeleição em 2022

Mensagens do senador Roberto Rocha (PSDB) – que acabaram chegando também a grupos dos quais participa o titular do blog Marco Aurélio D’Eça – acabaram por revelar o caminho político que o tucano pretende ter em 2022.

– Não quero ser mais candidato a nada. Se quiser posso ser ministro do TCU – afirmou o senador, cuja vaga está sendo disputada por 10 entre 10 lideranças políticas com chances majoritárias em 2022.

Não ficou claro em que contexto as mensagens de Roberto Rocha foram divulgadas, qual o interlocutor do senador e nem em que dia a conversa ocorreu.

Mas elas deixam claro um fato já esperado: ele não vai concorrer à reeleição…

0

“Espero que o Maranhão possa dar um passo adiante”, diz Roberto Rocha, sobre índices de pobreza..

Em um aparte à fala do senador Paulo Paim (PT-RS), sobre os dados do IBGE referentes à situação de extrema pobreza no Brasil, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) manifestou-se em relação à posição do Maranhão como o estado com o maior percentual de pessoas em situação de pobreza da federação.

“Nós temos dois Brasis: No Brasil da metade pra baixo, a sociedade é maior que o governo. No Brasil da metade pra cima, o governo é maior que a sociedade, sendo que o maior agravo se dá no Nordeste, em particular, no Maranhão, em que, nessa pesquisa do IBGE, infelizmente foi identificado como o estado em pior situação. Tem a maior parte da população vivendo absolutamente abaixo da linha da pobreza”, contextualizou Rocha.

Ao externar sua preocupação com os índices maranhenses de pobreza, Roberto Rocha lembrou da abrangência do projeto de lei de sua autoria (PL 217/2015), que dobra o repasse de recursos para alimentação escolar em municípios com situação de extrema pobreza.

“Nós aprovamos, nesta casa, um projeto que dobra a percapita da merenda escolar para os municípios em extrema pobreza do País. Foram detectados no Brasil 470 municípios. Desses, 108 estão no Maranhão. Mais recentemente, o IPEA divulgou  30 municípios do Brasil sem nenhum organismo público de atendimento, dos quais 16 são do Maranhão”, revelou o parlamentar.

O senador maranhense finalizou seu aparte evidenciando que os índices sociais podem melhorar por meio do investimento na economia do estado.

“Eu só acredito no desenvolvimento social, quando está aliado ao desenvolvimento econômico. O desenvolvimento econômico não é inimigo do social, mas, sim puxa o social para cima. Eu espero que o nosso estado, o Maranhão, que termina criando um problema pro Brasil, na medida em que puxa os índices pra baixo, possa dar o passo adiante”.

0

Roberto Rocha e Allan Garcês “ampliando caminhos”…

Senador recebeu em Brasília o médico maranhense que compõe a equipe de transição do governo Jair Bolsonaro em busca da “construção de um futuro melhor”

 

Roberto Rocha e Allan Garcês; união em torno de Bolsonaro e contra Flávio Dino

O senador Roberto Rocha (PSDB) e o médico Allan Garcês (PSL) encontraram-se ontem em Brasília.

O primeiro é membro da ala do PSDB que defende o apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro; o outro compõe a equipe de transição do presidente eleito.

– Fiz uma visita de cortesia ao senador do Maranhão, Roberto Rocha, ampliando caminhos para construção de um futuro melhor – escreveu Garcês, em suas redes sociais.

Alinhados ao projeto de Bolsonaro e articulados na oposição ao governo comunista de Flávio Dino, Roberto Rocha e Allan Garcês conversaram também sobre a sucessão em São Luís, em 2020.

Mas esta é uma outra história…

0

Zona de Exportação do Maranhão tem parecer favorável em comissão

Proposta do senador Roberto Rocha transforma São Luís em uma área de livre comércio para exportação de produtos fabricados no estado

 

Foi lido na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado o parecer favorável ao Projeto de Lei 319/2015, que cria a Zona de Exportação do Maranhão (ZEMA).

A proposta, de autoria do senador Roberto Rocha (PSDB-MA), declara a Ilha de São Luís em área de livre comércio com o exterior, permitindo que empresas nacionais e internacionais se instalem em solo maranhense e recebam incentivos econômicos para produção de bens e serviços a serem comercializados no mercado internacional.

Em seu relatório, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) disse que a ZEMA cria condições especiais para tornar a região atrativa para novos investimentos com foco no mercado externo.

“Não há dúvida de que o projeto, ao se tornar lei, vai contribuir de forma decisiva para o desenvolvimento econômico e social do Maranhão e do País”.

Embora os incentivos econômicos sejam para a capital São Luís, a proposta também beneficia a região Centro-Norte, que poderá produzir bens com matérias-primas que chegam ao mercado internacional, por meio do Complexo Portuário do Itaqui.

Ao apresentar subemenda ao texto do projeto, o parlamentar capixaba defendeu que empresas instaladas na ZEMA e na Zona Franca de Manaus possam abrir conta denominada em moeda estrangeira no Brasil. Na prática, cria condições cambiais especiais, já existentes no exterior, às empresas da ZEMA, com apenas efeitos operacionais.

“Estamos oferecendo um ambiente de negócios com segurança jurídica para os investidores nacionais e internacionais. Estamos transformando a face econômica do estado, ao tornar o povo do Maranhão sócio da riqueza que podemos explorar por aqui, por meio da geração de novos postos de trabalho e impactos bastante promissores na vida da população do estado”, destacou o autor do projeto, senador Roberto Rocha.

A proposta retorna para a pauta na próxima terça-feira para deliberação dos senadores da comissão. Em caso de aprovação, o projeto poderá seguir direto para análise da Câmara dos Deputados, sem necessidade de ser votado no plenário do Senado.

4

Aliados de Flávio Dino fecham com Sarney Filho para o Senado…

Cada vez mais deputados e prefeitos da base – e até do próprio partido do governador – trabalham pela eleição do ministro do Meio Ambiente

 

Sarney Filho e Flávio Dino mostram respeito mútuo nos eventos políticos públicos

O ministro do Meio Ambiente Sarney Filho (PV) tem conseguido uma proeza política nesta pré-campanha; ele consegue penetrar nas fileiras já fechadas com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Cada vez mais aliados do comunista declaram votos abertos em Sarney Filho, nas conversas políticas no interior.

Este blog já havia apontado a força política do ministro do Meio Ambiente para além do seu grupo, em postagens ainda no ano passado.

E chegou a revelar, inclusive, o interesse de aliados de Dino em tê-lo na própria chapa do governador. (Releia aqui)

Esta penetração está sendo confirmada agora; são muitos prefeitos e deputados do PDT, do PT, do PSDB, do PMDB, do PP e até do PCdoB que declaram voto em Sarney Filho, geralmente vinculado também ao candidato dinista Weverton Rocha (PDT) – já que são dois votos para senador neste pleito.

Nem mesmo o próprio Flávio Dino desestimula o apoio.

A força de Sarney Filho o consolida como candidato a senador nas eleições de outubro, faltando apenas a sua definição partidária, que deve ser o PSD.

Mas esta é uma outra história…

2

Os sete senadores do Maranhão em sete anos…

Estado teve praticamente um senador por ano desde 2010, quando foram eleitos dois dos três atuais ocupantes das vagas

 

OS ATUAIS SENADORES MARANHENSES. Eles foram os eleitos, mas outros quatro ocuparam seus mandatos

O Maranhão elegeu em 2010 os senadores João Alberto de Sousa e Edison Lobão (ambos do MDB).

Em 2014, foi a vez de Roberto Rocha (PSDB).

Nestes últimos sete anos, porém, o estado teve nada menos que sete representantes diferentes na Câmara Alta.

Na vaga de Lobão assumiu seu filho, o suplente Edinho Lobão (MDB), logo no início do mandato. Atualmente é o segundo suplente de Lobão, Pastor Bel,  quem está representando o Maranhão no Senado.

Também eleito em 2010, João Alberto ficou no governo Roseana até 2014, abrindo vaga para o suplente Clóvis Fecury (DEM).

E mesmo a vaga de Roberto Rocha, que só assumiu em 2014, já foi ocupada por um suplente.

Em 2016, o tucano Pinto Itamaraty assumiu o posto, numa articulação que visava o apoio à candidatura de Wellington do Curso (PP) – que tinha o filho de Rocha na vice – para prefeito de São Luís.

Agora em 2018, duas das três vagas no Senado serão novamente postas em disputa; E é bom ficar de olho nos suplentes de cada candidato.

Afinal, o eleitor pode eleger um e dar mandato a outro…

Com informações do G1

2

A solução de Flávio Dino para José Reinaldo…

Governador deve abrir vaga em sua chapa para o secretário Marcelo Tavares, o que deixaria a chapa de senador garantida para o trabalho de eleger o deputado federal Weverton Rocha

 

José Reinaldo teria bom desempenho ao Senado, mas, para Dino, atrapalharia seu projeto…

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem um compromisso de honra com o deputado federal Weverton Rocha (PDT): elegê-lo senador nas eleições de outubro.

Mas Dino sabe que, se incluir o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) na chapa senatorial, poderá por em risco o projeto do pedetista, pelo fato de Tavares ter mais capilaridade no interior maranhense.

…Que é o de eleger Weverton Rocha sem maiores riscos em uma disputa difícil com a oposição

O raciocínio de Flávio Dino parte do seguinte: dificilmente o governo fará as duas vagas de senador, já que, na oposição, os nomes de Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB) são também poderosos do ponto de vista eleitoral.

Para Dino, se formar a chapa com Weverton e Tavares, o risco de eleger apenas o ex-governador aumenta – mas sua prioridade é eleger o pedetista.

Por isso, o comunista trabalha com a ideia de ter Weverton e outro nome – que não seja o de José Reinaldo – a fim de trabalhar pela eleição de seu senador já escolhido.

Para José Reinaldo, a compensação seria incluir o chefe da Casa Civil Marcelo Tavares como candidato a vice-governador – com a certeza de que será, fatalmente, governador em 2022.

Mas esta é uma outra história…

0

O fator Márcio Jardim para o Senado…

Petista recentemente exonerado do governo Flávio Dino aparece com até 9% das intenções de voto para senador, em um ambiente com presença de fortes lideranças e sem fazer qualquer tipo de campanha

 

ALTA PERFORMANCE. Com a força de Lula, Márcio Jardim pode colocar o PT no jogo da sucessão

O ex-secretário de Esportes Márcio Jardim (PT) é a grande surpresa da pesquisa Vox Populi no que diz respeito à disputa pelo Senado Federal.

O petista aparece com nada menos que até 9% das intenções de voto de acordo com os cenários pesquisados.

A performance de Márcio Jardim é ainda mais relevante quando se analisa os nomes na disputa, que tem desde o senador Edison Lobão (PMDB), passando pelo ministro Sarney Filho (PV), até os deputados federais José Reinaldo Tavares (PSB), Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) todos já manifestamente declarados candidatos.

VOX POPULI. Pesquisa para o Senado

VOX POPULI

A presença de Márcio Jardim na disputa põe o PT no jogo da sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB), em condições plenas de negociação.

Desde que as lideranças do partido não estejam apenas interessados em cargos…

1

José Reinaldo será candidato a senador, mas não por gratidão de Flávio Dino…

Ex-governador conseguiu a liberação do PSB para se filiar ao DEM, que impôs sua candidatura à Câmara Alta como condição para a aliança com o PCdoB

 

José Reinaldo deve ser o outro candidato a senador na chapa de Flávio Dino, ao lado de Weverton Rocha

O ex-governador José Reinaldo Tavares deve anunciar nos próximos dias sua transferência para o DEM

Seu atual partido, o PSB, autorizou sua transferência.

E o presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia, já mandou avisar ao governador Flávio Dino (PCdoB): só coliga com os comunistas na condição de Tavares ser o candidato a senador na chapa.

Ontem, Flávio Dino decidiu antecipar sua decisão e declarou que o deputado Weverton Rocha (PDT) será seu primeiro candidato ao Senado.

Agora, terá que fazer o mesmo com José Reinaldo…