0

Brandão comemora resultado do Enem que mostrou fracasso do Maranhão…

Operadores das redes sociais do governador, que está de férias, decidiram comentar o resultado das provas do exame – que não trouxe nenhum maranhense entre os alunos com nota máxima – elogiando a região Nordeste, o que seria até louvável; mas resolve afirmar que “o investimento na educação continuará sendo prioridade” do seu governo; como assim?

 

A postagem de Brandão no Instagram, comemorando um Enem de terceiros, que mostrou apenas fracasso do Maranhão

O governador Carlos Brandão (PSB) perdeu a oportunidade de ficar calado nesta quarta-feira, 16, diante do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); de férias, ele decidiu ir às redes sociais – provavelmente por intermédio dos seus operadores de mídia – para comemorar o fracasso do Maranhão, que não apresentou nenhum estudante na lista das notas máximas.

– Orgulho para o Brasil. Mais de 40% dos estudantes que atingiram a nota máxima na redação do Enem são do Nordeste, resultado do esforço e dedicação dos nossos estudantes, que são inspiração para o país – disse o governador, certamente em postagem feita por sua equipe de mídias digitais de sua Secretaria de Comunicação. Poderia fiar só nisso, mas decidiram inventar:

– No Maranhão, investir em Educação continuará sendo prioridade! – afirmou a postagem; como assim?!? Se é prioridade onde estão os resultados no Enem?

Este blog Marco Aurélio d’Eça já mostrou em diversos posts que o setor de Comunicação do governo Brandão tenta atuar na era digital com gente, instrumentos e conceitos da era analógica. (Releia aqui, aqui e aqui)

Mas além de analógico, o pessoal parece tentar fazer de tudo para agradar o rei, indo além do necessário.

E quem faz além do necessário, faz o desnecessário.

É simples assim…

0

“Brandão está perdido, sem rumo e sem projeto”, diz presidente do Novo

Em Carta Aberta ao governador – espécie de Balanço de 2023 – Leonardo Arruda aponta que, ao mesmo tempo em que sufoca a população com aumento de impostos, criação de novas taxas em serviços essenciais como água e energia, Brandão cria mais despesas, aparelhando o estado com parentes, empréstimos desnecessários e novas secretarias que não servem para nada

 

Leonardo Arruda descascou o governo Brandão em uma carta aberta que serve também como balanço independente da gestão em 2023

Análise da notícia

Em carta aberta divulgada esta semana – espécie de balanço da gestão em 2023 – o presidente do Partido Novo no Maranhão, Leonardo Arruda, apontou as ações nocivas do governo Carlos Brandão (PSB) para o futuro do estado, como aumento de impostos e taxas para aumentar a arrecadação e gastos desnecessários com empréstimos e criação de novas secretarias.

O documento é uma das mais duras críticas ao governo iniciado em 2023, um balanço completo dos resultados alcançados pelo estado no primeiro ano do governo Brandão. Para Arruda, o governador demonstra uma angústia visível com a “falta” de recursos, mas parece não saber o que fazer, com ações se revelam nocivas para o Maranhão, “incoerentes despesas desnecessárias”.

– As últimas medidas adotadas por sua gestão causam preocupação e refletem o quanto o seu governo está perdido, sem rumo e sem projeto algum para livrar o Maranhão da profunda crise fiscal e social que bate à nossa porta – aponta o dirigente partidário.

Brandão fecha 2023 com aumento de ICMS de 18% para 22%. Criou novas taxas no Detran, reajustou a conta de luz em mais de 30%, tributou o agronegócio e aumentou as taxas de embarque rodoviários e aquaviários; o dirigente cita ainda o desembolso de R$ 1,5 milhão para a escola de samba Mangueira, revelado neste blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Em crise financeira, governo Brandão vai dar R$ 1,5 milhão para a Mangueira homenagear Alcione…” 

Ao mesmo tempo, porém cria novas despesas com empréstimos milionários e aumenta o já inchado número de secretarias com mais três pastas “que não servem para absolutamente nada”.

– É tanta gente e tanta troca de cadeiras que até me arrisco a dizer que o senhor não decorou ainda seus nomes – afirmou Arruda.

O Partido Novo, comandado por Arruda no estado, é um exemplo de agremiação política no Brasil, com seleção rigorosa de seus membros e excelência em gestão, como a do governador  de Minas Gerais Romeu Zema, cotado, inclusive, para a presidência da República em 2026.

Manutenção da miséria

A imagem de Flávio Dino segurando um retrato de Brandão durante a campanha é o símbolo da manutenção da miséria maranhense

Capítulo especial Leonardo Arruda guarda para a miséria do estado, aumentada no governo Flávio Dino e mantida – até com certo orgulho – pelo atual governador.

– Seu Governo parece se recusar a pensar o Maranhão do futuro, porém brada aos 4 cantos inaugurando restaurantes populares, dando carrinho de lanche para ambulantes e entregando cestas básicas/peixes para seus apadrinhados políticos distribuírem aos seus eleitores. Seriam esses os seus maiores programas para o desenvolvimento econômico e social do Maranhão? – provoca o presidente do Novo.

O blog Marco Aurélio d’Eça também delineia, historicamente, em diversos posts desde 2015, os fracassos de Flávio Dino à frente do governo e o aumento da miséria, mantida por Brandão. (Relembre aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui) 

Reafirmando que o Maranhão segue à deriva, com Brandão aparelhando o estado com parentes e controlando os demais poderes, Leonardo Arruda encerra carta aberta, espécie de balanço de 2023, com um alerta:

– Essa política de pão e circo levará o Maranhão à bancarrota! Nesse ritmo que vai, V. Excelência será eternamente lembrado como um dos piores governantes que o nosso Estado já teve.

Abaixo, a íntegra da carta aberta ao governador Brandão:

Carta Aberta ao Governador do Maranhão

Prezado Governador,

As últimas medidas adotadas por sua gestão causam preocupação e refletem o quanto o seu governo está perdido, sem rumo e sem projeto algum para livrar o Maranhão da profunda crise fiscal e social que bate à nossa porta.

É perceptível a angústia do seu governo com a “falta” de recursos para honrar os compromissos, e as soluções encontradas por sua gestão infelizmente se demonstram nocivas para o Estado. Vosso Governo já escolheu um inimigo em comum para combater – que é a baixa arrecadação -, porém se esquecendo que os grandes vilões da atualidade são as incoerentes despesas desnecessárias que possuímos.

Quer ver?

Olha esse exemplo: de um lado, reajuste de ICMS (de 18 para 22%), suspensão do pagamento dos prestadores de serviço, atraso salarial de médicos, etc., e, de outro, aumento de Secretarias de Estado. O nosso Maranhão, que já estava inchado com 33 Secretarias e 5 Agências, ganhou na calada da noite mais 3 Secretarias que não servem para absolutamente nada, a não ser para empregar seus compadres políticos. É tanta gente e tanta troca de cadeiras que até me arrisco a dizer que o senhor não decorou ainda seus nomes.

Todos os dias são relatos e mais relatos na mídia sobre a criação de novas taxas, a exemplo daquela que tributa o AGRO e das recentemente criadas no DETRAN; reajuste acima de 30% na conta de água; taxas de embarque rodoviário e do ferryboat elevadas; etc.

Mais estranho ainda é conseguir autorização para contrair R$ 300 milhões em empréstimo – com aval quase unânime da Assembleia – enquanto o Maranhão segue insolvente ao não pagar as parcelas dos empréstimos contraídos, principalmente, durante a Gestão do seu padrinho político – e novo Ministro do STF -, Flávio Dino.
Bom, mas está escancarado que coerência não é um dos atributos de sua gestão, afinal, enquanto inúmeros artistas locais – que se apresentaram no “maior São João do mundo” – não receberam ainda seus pagamentos, vosso governo anuncia que enviará R$ 1,5 milhão para a Mangueira, conhecida escola de samba carioca que desfilará às custas do suor do trabalhador maranhense.

Seu Governo parece se recusar a pensar o Maranhão do futuro, porém brada aos 4 cantos inaugurando restaurantes populares, dando carrinho de lanche para ambulantes e entregando cestas básicas/peixes para seus apadrinhados políticos distribuírem aos seus eleitores. Seriam esses os seus maiores programas para o desenvolvimento econômico e social do Maranhão?

Está claro que não existe sequer um plano de médio/longo prazo para desenvolver o Estado!

Nosso Maranhão segue à deriva enquanto V. Excelência busca, a qualquer custo, aparelhar ainda mais o Estado ao indicar seus familiares para ocupar cargos de destaque em outros poderes, a exemplo da Sec. De Relações Institucionais da ALEMA, que é chefiada por seu irmão, Marcos Brandão – que detém mais poderes do que a própria presidente da Assembleia – e de seu sobrinho, Daniel Brandão, Conselheiro no TCE.

Para concluir, Governador, fica o alerta: essa política de pão e circo levará o Maranhão à bancarrota! Nesse ritmo que vai, V. Excelência será eternamente lembrado como um dos piores governantes que o nosso Estado já teve.

Leonardo Arruda

Presidente do Diretório estadual do Maranhão

0

De como Flávio Dino destruiu a infraestrutura do Maranhão e tirou o estado do mapa da mobilidade

Sem projeto definido para o estado – que jogou na miséria após oito anos de mandato – o agora ministro da Justiça deixou o Maranhão de fora das obras do governo a que serve e tenta ser o pai da criança de obra garantida por projeto de terceiros; “mentiroso compulsivo”, como define o senador Roberto Rocha

 

Como um líder absolutista que é, Dino saúda, em 2015, o povo que iria enganar nos oito anos de mandato como governador

Editorial

O ministro da Justiça Flávio Dino (PSB) destruiu o Maranhão em seus quase oito anos como governador, fato que se pode constatar aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Sem projeto, sem ideia do que é a condução de um estado, ele sustentou seu governo comunista em dois pilares:

1 – a prostituição da política;

2 – a ruína da economia.

O resultado disso é a piora de todos os indicadores sociais do Maranhão nos últimos oito anos, fato que também se pode constatar aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Agora, o governo Lula, do qual Dino é um dos ministros mais reluzentes, anunciou um pacote de R$ 300 bilhões para a mobilidade urbana; e nenhum projeto do Maranhão foi contemplado.

Dinistas chegaram a comemorar nesta terça-feira, 17, o anúncio de pavimentação de trecho da BR-135, tentando atribuir a Dino uma paternidade que não é dele.

Explica o ex-senador Roberto Rocha (PTB):

– É um cara de pau. Só tem obra porque fiz o projeto; dependesse de Flávio Dino, jamais teria obra.

Segundo Rocha, esta etapa da BR-135 é resultado de projeto de sua autoria, “viabilizado muitos anos atrás”, que começa a sair agora do plano de investimentos do Governo Federal.

– Este caso de Miranda para Caxuxa (“e ele [Flávio Dino] nem conhece o trecho”) está no pacote de três projetos que eu viabilizei há muitos anos atrás. São três: Miranda/Caxuxa; Miranda/Estaca Zero/Santa Luzia; Readequação da BR-230, de Balsas a Barão do Grajaú – explicou o ex-senador.

Este blog Marco Aurélio d’Eça traça desde o primeiro ano de mandato o perfil político do ministro da Justiça, de muita falácia, muito blablablá e pouca eficácia, como se pode constatar no mergulho do Maranhão no mapa da miséria após seus oito anos de mandato.

Roberto Rocha é mais duro ainda, e não se faz de rogado ao afirmar:

– Flávio Dino é um mentiroso compulsivo, que prostituiu a política do Maranhão, arruinou a economia e, por consequência, piorou todos os indicadores sociais.

Daí os termos acima, usados por este blog Marco Aurélio d’Eça.

A prostituição política criada no Maranhão na era dinista se vê a olho nu, com a política infestada por amigos e apadrinhados do agora ministro da Justiça, na Assembleia, nas prefeituras.

Ele agora começa a aparelhar os ministérios de Lula e as instituições de Brasília.

E o Maranhão esquecido, como sempre, dos projetos estruturantes do Brasil…

0

Flávio Dino sente o peso de suas ações, reprovadas por brasileiros…

Mais da metade da população brasileira considera ruim ou péssima a gestão do governo Lula na área da Segurança pública – comandada pelo maranhense; além disso, a população reprova a postura do ministro na questão das imagens dos atos de 8 de janeiro

 

Flávio Dino é antipatizado no Congresso, evitado no ministério, visto com desconfiança pela mídia quatrocentona e reprovado pela população

O blog Marco Aurélio d’Eça aponta desde janeiro que o ministro da Justiça Flávio Dino (PSB), por suas ações no governo Lula (PT), vai se inviabilizando com a classe política e com própria população. (Entenda aqui, aqui, aqui e aqui)

Sua postura de semideus – que tudo sabe, tudo vê e tudo pode – cria antipatias em todos os flancos, inclusive inviabilizando seu nome para uma eventual indicação ao Supremo Tribunal Federal.

Pesquisa do Instituto Atlas divulgada nesta quinta-feira, 28, confirmou os alertas deste blog Marco Aurélio d’Eça e mostrou ao ministro da Justiça que ele não está com essa bola toda no conjunto da população.

Nada menos que 47% dos 3.038 entrevistados pela pesquisa apontam a gestão do governo Lula na Segurança Pública – comandada pelo maranhense – como “ruim”; outros 9% classificaram-na de “péssima”.

Os entrevistados também consideraram erros a confusão com as imagens dos atos de 8 de setembro e a relação com a Suíça no âmbito da Lava Jato. 

Os desenhos da política que se fazem em Brasília neste primeiro ano de mandato de Lula mostram que a vida de Flávio Dino não será uma maravilha, como foi no governo do Maranhão.

E o risco de inviabilização política em todos os planos é cada vez mais real…

0

Com pior IDH, Maranhão chega ao nível da Venezuela sob Flávio Dino…

Com mais de R$ 2 bilhões deixados em caixa pela antecessora, governador comunista – hoje ministro da Justiça do governo Lula – passou oito anos fazendo festas para inaugurar restaurantes populares, mas piorou os índices sociais do estado, que hoje é o único de toda a América Latina a figurar em amarelo no Mapa do Desenvolvimento Humano, ao lado da ditadura comandada por Nicolas Maduro, segundo dados do IDH 2022

 

O fracasso de Flávio Dino já era evidente em 2018, quando ele tentou negar, em entrevista ao jornalista Sidney Pereira, o que prometera em 2014

O ex-governador Flávio Dino (PSB) teve dinheiro, teve apoio e teve equipe para iniciar o ciclo de desenvolvimento do Maranhão em seus oito anos de mandato; mas os números oficiais mostram que ele entregou o estado em último lugar em Índice de Desenvolvimento Humano em toda a América Latina .

Sob Flávio Dino, o Maranhão, que já tinha a pior renda per capta do Brasil, agora também é o único da América Latina a figurar em amarelo no mapa do desenvolvimento, ao lado de ninguém menos que a Venezuela, hoje sob o jugo da ditadura de Nicolas Maduro.

Os dados do IDH 2022, que podem ser lidos na íntegra aqui, analisam o biênio 2021/2022, exatamente os últimos do governo Flávio Dino; embora o programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), aponte na CoVID-19 uma justificativa para a queda generalizada nos índices em todo o mundo, o fato é que, nos quase oito anos de mandato de Flávio Dino, o Maranhão manteve-se estacionado em último lugar.

O documento foi analisado pelo blog Marco Aurélio d’Eça, que conversou sobre o tema com lideranças políticas maranhenses; é de uma delas, por exemplo, o ex-senador Roberto Rocha, o mapa que ilustra este post.

O mapa mostra o Maranhão como único estado do Brasil em amarelo, que representa o menor IDH no mapa do Desenvolvimento Humano da ONU

Ao assumir o mandato em 2015, o ex-comunista que hoje comanda a pasta da Justiça no governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tinha em caixa nada menos que R$ 2 bilhões restantes de um empréstimo de cerca de R$ 4 bilhões contraídos por Roseana. (entenda aqui)

O próprio Dino prometeu, aos gritos, em seu discurso de posse, que ao final do seu governo, “nenhum município do Maranhão estaria entre os 100 com pior IDH do país”; hoje, o Maranhão tem 40 entre as 50 cidades com pior IDH.

O Maranhão figura no mapa do IDH como o pior da América Latina em termos de renda, educação e longevidade, dimensões que formam o Índice de Desenvolvimento da Organização das Nações Unidas.

Na comparação com o mesmo mapa de 2010, o Maranhão foi o único estado que ficou para trás, uma vez que o Piauí avançou e deixou de figurar em amarelo no mais recente.

No Mapa do Desenvolvimento Humano Maranhão é o único estado ou província em toda a América Latina nesta condição; ao seu lado aparece apenas a Venezuela, pelas circunstâncias de estar sob a tutela de uma ditadura há mais de 20 anos.

Este é o legado do agora ministro da Justiça do governo Lula.

Sem tirar nem pôr…

2

Fracasso no IDEB expõe chapa Flávio Dino, Brandão, Camarão…

Após oito anos de governo comunista, Maranhão ocupa as últimas colocações no ranking da educação e segue com o mesmo projeto, que teve à frente o ex-governador que ser senador, o atual que pretende manter tudo como está e o ex-secretário de Educação, agora candidato a vice-governador

 

A chapa do fracasso no IDEB: Flávio Dino quer ser senador, Felipe é o vice de Brandão, que quer manter o que Dino deixou; e apostam na falta de educação da população para se eleger

Análise da notícia

A julgar pelos números do IDEB, o eleitor maranhense tem como opção de voto no estado uma chapa completa responsável pelo fracasso da Educação nos últimos oito anos.

O comunista Flávio Dino (hoje no PSB) foi o governador durante sete anos e três meses e agora disputa o Senado;

Carlos Brandão (PSB) foi o seu vice-poste, e assumiu o mandato em  abril com o discurso aberto de que pretende manter tudo como Dino deixou;

E Felipe Camarão (PT) foi o secretário de Educação – que se gaba de ter ficado mais tempo no posto – e agora concorre a vice-governador.

Os três são responsáveis diretos por incluir o Maranhão na lista dos piores fracassos na Educação, segundo op Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

O IDEB analisou o desempenho dos estados nas duas principais disciplinas do currículo escolar – Português e Matemática – e apontou que o Maranhão é o último colocado nos anos compreendidos entre 2019 e 2021..

Neste período, Fla´vio Dino era governador, Brandão seu vice e Camarão o Secretário de Educação.

Mas é exatamente pelo fato de fracassar no IDEB que os três disputam, agora mandatos eletivos.

Afinal, sem educação formal, o povo nem vai saber o que eles fizeram…

3

Despreparo de Brandão assusta até aliados…

Lideranças, jornalistas, observadores da cena política e comando do Palácio dos Leões apostavam no debate do imirante como um teste para o governador-tampão, que havia fugido do debate da TV Difusora; após o desastre da participação, todos já repensam participações em outros programas

 

Visto como um bonachão boa praça, Brandão passou a ser visto como despreparado após primeira participação em debate, o que incomodou até aliados

Opinião

Assustou o Maranhão inteiro o nível de despreparo apresentado pelo governador Carlos Brandão (PSB) durante o debate desta quinta-feira, 1º, no portal imirante.com.

Brandão apresentou um nível de desconhecimento da gestão nunca visto em alguém que passou oito anos como vice-governador; com medo de desgastes, o Palácio dos Leões e o comando da campanha já repensam sua participação em outros encontros com os adversários.

O blog Marco Aurélio d’Eça ouviu deputados estaduais, jornalistas e lideranças políticas; e monitora, desde ontem, em grupos de troca de mensagens, a opinião de especialistas e observadores da cena política.

É quase unânime a opinião de que Brandão não está à altura do cargo de governador.

Nem mesmo a mídia alinhada conseguiu transformar em fato positivo a participação do governador-tampão; tanto que a avaliação mais comum entre os setores da mídia alinhadas ao Palácio dos Leões foi a de que “ele conseguiu resistir às ‘armadilhas’ dos adversários”. (Entenda aqui)

A estratégia do Palácio dos Leões era usar o debate do imirante.com – teoricamente com menos audiência que o da TV Mirante – para testar a capacidade do governador-tampão, que já havia sofrido desgaste ao fugir do debate da TV Difusora.

O fracasso de sua participação, no entanto, está fazendo a campanha governista enfrentar um dilema

O desgaste enfrentado no imirante foi destruidor e a participação em outros debates pode minar a credibilidade do candidato; mas se ele fugir, ficará mais evidente a incapacidade de enfrentar as questões do governo, o que pode ameaçar até mesmo suas chances de ir ao segundo turno.

A conclusão de tudo é: Brandão não está pronto para comandar o estado, mesmo tendo passado oito anos como vice de Flávio Dino.

E isso ficará cada vez mais claro na campanha.

Esteja ele ou não nos debates…

4

Imagem do dia: Brandão faz almoço às pressas para lembrar 100 dias de governo e só consegue atrair 22 prefeitos

Governador-tampão havia esquecido de que a terça-feira, 12 era o centésimo dia de seu governo e, somente após o blog Marco Aurélio D’Eça lembrar da falta do que mostrar na data, resolveu chamar os aliados de afogadilho para um baquete um dia depois, que acabou saindo pior para o Palácio dos Leões

 

A imagem acima foi publicada pelo blog Marrapá.

Mostra o governador Carlos Brandão (PSB) com aliados no jardim do Palácio dos Leões, após um almoço organizado às pressas para “comemorar” os 100 dias de governo-tampão.

Sem nenhuma obra, ação ou serviço efetivo para mostrar à população, Brandão simplesmente esqueceu que a terça-feira, 12, era o centésimo dia de seu governo; e só lembrou da data um dia depois, após série de posts do blog Marco Aurélio D’Eça com críticas à ausência do que comemorar na data. (Relembre também aqui e aqui)

Mas era melhor ter feito cara de paisagem e deixar a data passar mesmo em branco.

Feito de afogadilho para justificar os 100 dias esquecidos, o banquete fracassou no quesito presença de aliados; o Tampão esperava ao menos 50 prefeitos convidados, mas só apareceram 22.

As demais figuras da foto são secretários, auxiliares do governo e parlamentares aliados ao governador.

Mais uma triste imagem do governador-tampão…

0

Fábio Câmara define quatro “sem” de Brandão nos cem dias de governo…

Vereador diz que – na falta de obras, serviços e ações que justificassem a presença do Tampão por três meses e dez dias no comando do Palácio dos Leões – é preciso destacar os quatro sem (com S) mais significativos

 

Fábio Câmara com os colegas Raimundo Penha e Dr. Gutemberg na recepção aos agentes de saúde e de endemias

Em novo discurso contundente na Câmara Municipal de São Luís, nesta quarta-feira, 13, o vereador Fábio Câmara (PDT) lembrou os 100 dias do governo Carlos Brandão (PSB), que havia sido esquecido até pelo próprio governador-tampão.

Segundo o parlamentar, na ausência do que ressaltar nesta centena de dias do sucessor de Flávio Dino (PSB), faz-se presente pelo menos quatro “sem”, com S, para reforçar a imagem que a gestão está passando ao eleitor.

1- Sem convocar sequer um dos 270 novos policiais militares que anunciou antes da cirurgia e do São João;

2 – Sem solucionar o prob lema dos ferry falsamente novos e sem poder manter funcionando o ferry velho;

3 – Sem dinheiro para custear medicamentos urgentes e insumos especiais na rede de saúde e, mesmo assim, bancar, sem pena, o Judiciário em mais de R$100 milhões;

4 – Sem diminuir ICMS e ainda criando secretarias para agasalhar um sem-número de apadrinhados políticos sabe-se lá até quando.

– E isso é só um aperitivo dos cem dias de desgoverno, sem nenhum tipo de ação que faça a população acreditar que tempos melhores virão – disse o vereador, que tem levado o debate sobre a falência do governo e a miséria do Maranhão para discussão na Câmara Municipal.

No final da manhã, a Assembleia Legislativa aprovou, finalmente, o desnecessário Projeto de Lei  que, finalmente, reduz o ICMS dos combustíveis para 18%.

– Agora é esperar se os preços vão baixar ou se os consumidores ficarão sem os benefícios da Lei aprovada no Congresso Nacional – lembrou Câmara no fim da tarde.

Ressaltando mais este “sem”…

0

De como Carlos Brandão faz força diária para perder a eleição…

Juntando a falta de carisma e a postura coronelista a um marketing que parece trabalhar pela própria derrota, governador-tampão vai fortalecendo a campanha de adversários com ações destrambelhadas no dia dia e desanimando a base aliada, que vê cada vez mais distantes as chances de vitória

 

Quanto mais este retrato circula pelas redes sociais, mais Brandão vai se tornando mero fantoche nas mãos do ex-governador Flávio Dino, o que diminui a imagem do candidato-tampão

Ensaio

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) é o principal adversário do candidato a governador Carlos Brandão.

Sem qualquer carisma, o chefe do Executivo trabalha diariamente pela própria derrota, tanto com  ações pessoais destrambelhadas quanto seguindo as decisões do “gênios” que fazem o seu marketing de campanha e de governo.

O anúncio arrogante de que teria ido à justiça contra a decisão que parou o ferry velho Zé Humberto foi mais um desses tiros no pé que marcam a campanha do tampão; ao publicar em suas redes sociais que estava na justiça em defesa da embarcação – que, diga-se de passagem, não tem condições de navegar – Brandão chamou atenção para seu próprio erro.

O resultado foi a rejeição do pedido e mais uma derrota pública do governador, explorada à exaustão na mídia independente.

Mas não é de hoje que Brandão faz força para perder a eleição.

Sua postura coronelista e sua falta de carisma formam desde sempre um “produto” difícil de vender; soma-se a isso a incompetência dos homens de mídia da campanha e do governo e o resultado é um desastre digno de estudo científico.

Imagens como a de um governador segurando uma cesta básica como troféu – em meio ao aumento da miséria no estado – ou aquela em que Flávio Dino segura seu retrato, dando a entender ser ele uma mera caricatura do ex-governador, serão exploradas à exaustão na campanha, enfraquecendo ainda mais a figura do candidato.

E o que falar das frustradas tentativas de fotos ao lado do ex-presidente Lula (PT), em que aparece quase dando uma chave de pescoço no candidato petista?

Com 100 dias de governo, Brandão não tem nenhum projeto ou ação a mostrar à população maranhense que justifique sua permanência no poder a partir de 2023; além disso, não tem qualquer ação de rua que justifique uma campanha de marketing consistente para torná-lo “vendável” ao eleitor.

O resultado é um candidato cada vez mais caricato e uma base mais desanimada a cada dia.

E é assim que ele chegará à campanha eletrônica…