0

Decreto mal explicado do governo confunde população sobre uso de máscaras

Embora em São Luís e outras 12 cidades o uso de proteção contra a CoVID-19 esteja desobrigado em qualquer ambiente, empresários, cidadãos e até autoridades ainda entendem que a regra vale apenas para ambientes abertos; motivo: a falta de clareza no anúncio de Flávio Dino

 

Em São Luís, cidadãos ainda têm dúvidas se devem ou não usar a máscara, apesar de liberadas pelo governo

Seis dias depois de o governador Flávio Dino (PSB) ter liberado, por decreto, o uso de máscaras em ambientes – tanto abertos quanto fechados – em São Luís e outras 12 cidades, a população ainda se confunde.

Motivo: a falta de clareza nas explicações do próprio Flávio Dino.

De acordo com o decreto, nas cidades que já tenham vacinado mais de 70% da população com duas doses, o uso da máscara passou a ser opcional, tanto em ambientes abertos quanto fechados.

Mas, inseguro quanto à própria decisão – que recebeu críticas de autoridades e especialistas – Flávio Dino fez questão de deixar dúvidas, ao explicar, de forma truncada, que há outras cidades que a máscara continua sendo obrigatória em ambientes fechados.

O resultado é uma confusão de interpretação em lojas, shoppings, supermercados e ambientes públicos, em que ninguém entende exatamente o que fazer.

O fato é: em São Luís, a máscara não é mais obrigatória por força do decreto de Flávio Dio; e tanto faz se a pessoa está em ambiente aberto ou fechado.

E é preciso que a imprensa esclareça de forma mais didática esta questão…

3

Para Weverton, pouco importa data de escolha do candidato: “importante são os critérios”, diz ele

Senador e pré-candidato do PDT diz que o grupo alinhado ao Governo do Estado quer ter confiança de que o governador Flávio Dino seguirá todos os critérios na definição do nome da base para as eleições de 2022, ocorra essa escolha agora em novembro ou apenas no ano que vem

 

Weverton, que está no interior neste fim de semana de feriadão, não mostra preocupação com a data de escolha do candidato, mas quer o cumprimento dos critérios

O senador  Weverton Rocha (PDT) mostrou-se indiferente em relação à polêmica que ganhou corpo nesta semana sobre o adiamento ou não da escolha do candidato da base governista às eleições de 2022.

Para ele, mais importante do que escolher o candidato agora ou depois é o respeito aos critérios estabelecidos lá atrás, ainda em julho.

– Não importa se a escolha seja agora ou mais lá na frente; o importante é termos a confiança de que o governador adotará os critérios estabelecidos pela base para indicar seu candidato – afirmou Weverton, com exclusividade, ao blog Marco Aurélio D’Eça.

O debate sobre o adiamento da escolha do candidato começou a partir da revelação deste blog, de que o ex-presidente Lula aconselhou o governador Flávio Dino (PSB) a tomar sua decisão somente 2022.

A posição de Lula foi seguida por diversas outras lideranças políticas maranhenses, incluindo o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB) e diversos presidentes de partido.

A avaliação de Lula – e dos demais líderes partidários – é a de que Dino não tem condições de indicar o vice-governador Carlos Brandão agora, como especulam seus aliados, por que o tucano não atende a nenhum dos critérios postos pelo próprio Flávio Dino.

Desde então, aliados de Brandão na imprensa e na política começaram a pressionar Flávio Dino para que consolide a data de escolha em novembro, de qualquer jeito, assim como prega o ex-governador José Reinaldo Tavares desde o início de 2021.

A posição pública de Weverton sobre o assunto aumenta a responsabilidade de Flávio Dino.

Não com a escolha do candidato, mas com o respeito às regras impostas…

2

Centenas de lideranças em Monção declaram apoio a Edivaldo em 2022

Um grande ato político marcou a visita do pré-candidato ao Governo do Maranhão e ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PSD), a Monção, na região do Vale do Pindaré, nesta sexta-feira (12).

O evento promovido pelo vereador e presidente do Sindicato dos Pescadores do município, Júnior da Pesca, reuniu centenas de lideranças, da sede e zona rural, além de vereadores, ex-vereadores e demais lideranças políticas de municípios vizinhos, como Pindaré-Mirim e Santa Inês. Todos unânimes na manifestação de apoio ao projeto do pessedista de disputar as eleições estaduais em 2022.

“É uma honra e uma grande alegria fazer parte deste projeto da pré-candidatura do Edivaldo, que é guiado por Deus. Acreditamos no seu compromisso como gestor público e sabemos que ele tem muito a contribuir com o desenvolvimento do nosso estado, em especial de Monção e toda população do Vale do Pindaré. Conte conosco, Edivaldo”,  afirmou Júnior da Pesca.

O presidente da Associação Comercial de Monção, Oliveirus Silva Sousa, também reafirmou apoio à pré-candidatura do ex-prefeito de São Luís na disputa pelo Palácio dos Leões nas eleições do ano que vem.

Bastante prestigiado, o ato político de apoio à pré-candidatura de Edivaldo em Monção teve a participação ainda do vereador de Santa Inês, Dilson Vilarinho; a vereadora Keyssiane Vasconcelos, de Pindaré-Mirim; entre outros líderes de Pindaré-Mirim e região.

União de forças – Ainda em Monção, o pessedista participou de café da manhã com o grupo do ex-vereador e ex-presidente da Câmara de Monção, Alex Lima, onde também recebeu a adesão de lideranças políticas e religiosas.

Finalizando a agenda, Edivaldo Holanda Junior foi recebido pelo grupo do advogado e líder político Willian Câmara, que também garantiu apoio ao seu projeto de concorrer ao governo em 2022.

Os encontros realizados em Monção, distante cerca de 250 km da capital do estado, São Luís, fortaleceram a pré-candidatura de Edivaldo ao Palácio dos Leões. Desde que iniciou suas viagens pelo interior maranhense ele já esteve em municípios da região Tocantina e Baixo Parnaíba, onde também recebeu adesão de vereadores, vice-prefeitos, ex-prefeitos, lideranças sindicais, profissionais liberais, entidades de classe, além de dezenas de líderes rurais, entre outros.

“Nessa caminhada pelo Maranhão, tenho sido acolhido pelas lideranças e a população, que têm abraçado a nossa pré-candidatura ao governo com muito entusiasmo. Em Monção não foi diferente. Essa confiança nos motiva a seguir com determinação. O meu compromisso é com o desenvolvimento do meu estado e a transformação para melhor da vida de todos”, destacou Edivaldo.

O pré-candidato pretende manter esse ritmo de viagem pelo interior do estado cada vez mais intenso, ampliando adesões ao seu nome.

1

Maranhão tem 13 cidades livres do uso de máscaras

Além da capital, São Luís, outros 12 municípios do interior já atingiram mais de 70% de vacinação completa, o que, segundo o decreto do Governo do Estado, garante a livre circulação de pessoas em ambientes públicos, abertos ou fechados; nos demais municípios, a máscara também não é mais obrigada, mas apenas em locais abertos

A população de 13 municípios maranhenses está, a partir desta sexta-feira, 12, desobrigada de usar máscara de proteção contra a CoVID-19, tanto em ambientes abertos ou fechados.

Estas cidades já atingiram 70% de vacinação completa contra o coronavírus, o que, segundo Decreto do Governo do Estado, garante a imunização dos cidadãos.

Nos demais municípios, a máscara não é mais obrigada apenas em ambientes abertos.

Além da capital, São Luís, a máscara está desobrigada nos municípios de Afonso Cunha, Alcântara, Bacutirtuba, Caxias, Santo Antonio dos Lopes, São João dos Patos, Junco do Maranhão, Guimarães, Cedral, Sucupira do Riachão, Mirinzal e Nova Colinas.

O decreto está valendo desde a quinta-feira, 11…

4

Flávio Dino entre a cruz e a espada na escolha do seu candidato

Pressionado por aliados do vice-governador Carlos Brandão a escolhê-lo logo agora – e aconselhado por lideranças do seu grupo político a adiar a escolha para o ano que vem – governador mostra-se inseguro quanto aos riscos do racha em sua base

 

Flávio Dino vive momentos de drama numa situação criada pela própria maneira como ele trouxe seu grupo político até aqui

O governador Flávio Dino (PSB) vem recebendo uma forte pressão  – tanto pública quanto nos bastidores – de aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) para que anuncie seu candidato agora em novembro, como prometeu em julho.

Deputados aliados ao vice e setores da mídia alinhados ao seu projeto de poder fizeram manifestação pública em defesa do anúncio até o final do mês; já nos bastidores, lideranças ligadas a Brandão dizem que Dino não pode recuar, sob pena de prejudicar o tucano.

Mas Flávio Dino sabe que não tem elementos para impor o nome de Brandão neste momento.

Além de estar bem atrás nas pesquisas de intenção de votos – disputando o terceiro lugar em alguns cenários, bem distante dos líderes – o tucano não consegue a adesão de nenhum partido, além dos controlados pelo próprio Flávio Dino.

Diante do cenário de inviabilidade do vice-governador, Dino já foi aconselhado por lideranças aliadas locais e nacionais a adiar esta escolha – inclusive o próprio ex-presidente Lula.

E esta pressão dos dois lados tem deixado o governador sem rumo, sobretudo pelo fato de que, em queda livre na preferência do eleitorado para o Senado, ele vai necessitar totalmente de Brandão para consolidar sua própria eleição.

É neste cenário de insegurança e indefinição que Dino chega ao final do último ano de mandato.

E qualquer que seja a decisão de agora – definir o candidato ou adiar a escolha – terá consequências diretas na vida dele.

Simples assim…

1

Flávio Dino controla apenas três partidos para aliança com Carlos Brandão

Apenas PSB, PCdoB e PSDB – dentre os 10 que ainda compõem sua base – tendem a seguir orientação absoluta do governador, o que torna improvável uma cooptação a jato para viabilizar o vice-governador Carlos Brandão como candidato único até o fim de novembro

 

Éramos 16; governador já perdeu cinco partidos de sua base política e tem controle de apenas três para forçar uma aliança em torno do vice tucano Carlos Brandão

Desde o início do ano, o governador Flávio Dino (PSB) perdeu nada menos que cinco legendas em sua base de apoio:  PL, Patriotas, Avante, Pros e PTB.

Os três primeiros são controlados pelo deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL), que rompeu com Dino.

Já o PTB e o Pros – hoje controlados, respectivamente, pela deputada estadual Mical Damasceno e pelo vereador Chico Carvalho – são alinhados ao projeto de poder do presidente Jair Bolsonaro.

Dos 12 partidos que restam em seu grupo, Flávio Dino tem controle direto de apenas três:

O seu próprio PSB;

O PCdoB, controlado pelo deputado federal Márcio Jerry;

E o PSDB, do vice-governador Carlos Brandão, que ele quer emplacar como candidato único a governador.

Outros seis compõem hoje a base de apoio do senador Weverton Rocha (PDT): DEM, PP, PRB, Cidadania e o PSL,

Sobrariam o PT e o PTC.

A decisão do PT sobre o Maranhão é exclusiva da direção nacional e do ex-presidente Lula.

O PTC, por sua vez, pertence ao ex-deputado Júnior Verde, irmão de Cléber Verde, que apoia Weverton.

De que forma Flávio Dino pretende convencer, em tempo recorde, todas essas legendas a apoiar Carlos Brandão?

É uma equação que não fecha…

0

Zé Inácio denuncia parcelamento de lotes do Incra em São João do Sóter

O deputado Zé Inácio usou a tribuna esta quarta-feira (10) para comentar a visita que fez ao P.A. Pedra Mocambo, no município de São João do Sóter. Onde residem 2.100 famílias, entre assentados e não-assentados em uma área total de 11.221 hectares.

O deputado esteve no local para conversar com os moradores que relataram estar enfrentando problemas quanto ao loteamento da área. Segundo eles, a empresa Plantagro que está fazendo o serviço e que diz ter a autorização do INCRA no Maranhão para realizar os trabalhos, tem adotado métodos questionáveis, além de cobrar de dois a três mil reais dos moradores em troca do serviço, o que supostamente seria irregular.

“Nós recebemos a denúncia de que a empresa está fazendo essa cobrança talvez de forma irregular. Se a empresa for contratada pelo Incra e estiver recebendo recurso para isso, ela não pode cobrar das famílias que ali estão para ter seus lotes parcelados. Se esta empresa está autorizada pelo Incra para desenvolver o trabalho, ela precisa de acompanhamento da equipe técnica do órgão para orientar e selecionar como esse trabalho deve ser feito.”, disse o deputado.

Diante do problema quatorze das associações locais pediram na Superintendência Regional do INCRA o embargo do trabalho e paralização deste parcelamento. Foi realizada uma reunião, mas não tiveram o pedido atendido, e a empresa continua atuando, e as divergências permanecem. Segundo os assentados a seleção de escolha da empresa que faz o parcelamento não foi transparente e claro.

Os moradores pedem que o INCRA fiscalize os trabalhos de forma clara, respeitando as agrovilas, as benfeitorias feitas, as plantações já realizadas e que seja feito o recadastramento de assentados. Não deixando de considerar que as famílias estão há quase 30 anos na área.

4

Dirigente do PT confirma interesse de Lula em adiamento da escolha de candidato a governador

Márcio Macedo está no Maranhão para agenda envolvendo aliados do partido do ex-presidente Lula, o que confirma teor da conversa entre o líder petista e o governador Flávio Dino, revelada com exclusividade pelo blog Marco Aurélio D’Eça

 

 

Macedo esteve pela manhã c om o secretário Felipe Camarão, pré-candidato do PT a governador, apoiado pela ala mais ligada ao Palácio dos Leões

O vice-presidente do PT nacional, Márcio Macedo, está no Maranhão para uma série de conversas com aliados do partido com visitas as eleições de 2022.

Nesta quinta-feira, 11, ele se reúne com o governador Flávio Dino (PCdoB), a quem pedirá, em nome do PT, o adiamento da escolha do candidato da base às eleições de 2022.

O adiamento da decisão foi pedida a Dino pelo próprio Lula, em encontro no início da semana, cujo teor da conversa foi publicado com exclusividade no blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Encontro com Lula, leva Flávio Dino a repensar anúncio de candidato…”

Além dom encontro com Flávio Dino, Macedo tem agenda com petistas no interior do estado; e ficará todo o feriadão no Maranhão.

Mas esta é uma outra história…

1

Roberto Costa solicita reabertura total dos espaços culturais no estado

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) utilizou a tribuna, na sessão plenária desta quarta-feira (10), para solicitar a reabertura, em sua totalidade, de todos os espaços culturais existentes no Maranhão, a exemplo do Teatro Arthur Azevedo, que está funcionando com capacidade reduzida de público em razão da pandemia de Covid-19. 

O parlamentar disse que tratou desse assunto com o secretário de Estado da Cultura, Anderson Lindoso, uma vez que a problemática afeta o setor cultural, sobretudo, as pessoas envolvidas com espetáculos teatrais.

Segundo o parlamentar, graças às inúmeras ações do governo estadual, o Maranhão conseguiu superar o momento mais difícil da pandemia. 

“Isto possibilita a reabertura total das casas do gênero. Fiz um apelo ao secretário e ao governador Flávio Dino para que possamos pensar nessa possibilidade. É muito difícil para os produtores organizarem um espetáculo dispondo de apenas 30% dos espaços reservados, como é o caso do Teatro Arthur Azevedo, o que é economicamente inviável”, assinalou. 

Roberto Costa chamou atenção para o fato de que, com a redução da capacidade de público, os custos das produções aumentaram e precisaram ser embuidos nos valores dos ingressos.  

“Dessa maneira, nós deixamos de dar oportunidade de acesso a uma parte importante da população, pois os valores dos ingressos aumentam, uma vez que têm de cobrir todas as despesas do espetáculo. Por essa razão, fazemos este apelo para que o setor volte a funcionar normalmente e a nossa cultura seja fortalecida”, concluiu.

0

Secretária de Segurança Alimentar inicia distribuição de alimentos que vai beneficiar 50 mil famílias em vulnerabilidade alimentar

 

 

 

A Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa) segue sendo a principal aliada do prefeito Eduardo Braide no combate à fome na capital maranhense. Em mais uma ação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), a prefeitura de São Luís comprou 11 toneladas de alimentos da agricultura familiar.

Foram 400 agricultores beneficiados com a compra direta de seus produtos. Com isso, serão entregues 450 cestas de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Esse aumento inédito do PAA em São Luís é fruto dos esforços do secretário Júnior Vieira, titular da Semsa, que tem cumprido diversas agendas em Brasília, buscando parcerias com o Ministério da Cidadania.

Vale lembrar que há cinco anos, o PAA em São Luís atendia apenas 93 agricultores. Com a nova Gestão do Prefeito Eduardo Braide, 400 agricultores estão sendo beneficiados, e mais famílias estão recebendo alimento de qualidade.

“A ampliação do PAA integra o plano de assistência social da Semsa, que tem o objetivo de minimizar os impactos da pandemia, garantindo às pessoas em vulnerabilidade o atendimento às suas necessidades básicas e condições dignas de sobrevivência. Agradeço ao prefeito Eduardo Braide pela confiança em nosso trabalho. Estamos juntos em busca de uma São Luís melhor e mais alimentada”, afirma  o secretário Júnior Vieira.

Além da execução da Semsa, são parceiras do PAA: a Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimentl (Semapa) e a Secretaria da Criança e Assistência Social (Semcas) por meio dos Cras – Centro de Referência de Assistência Social.

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é um programa do Governo Federal com duas finalidades: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar.

Para o alcance desses dois objetivos, o programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, além dos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e à rede pública de ensino.