1

Liberdade de Lula põe fim à lua de mel entre PT e PCdoB no MA…

Incomodados com a possibilidade de perder o protagonismo da oposição ao presidente Jair Bolsonaro, agentes ligados ao governador Flávio Dino têm vindo a público para criticar a postura exclusivista do ex-presidente e de seu partido

 

Manifestação de agentes comunistas começam a mostrar que Flávio Dino tem se incomodado com o protagonismo de Lula na esquerda

Por enquanto, o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) mantém silêncio sobre o assunto, é verdade.

Mas seus principais agentes políticos e familiares já começaram a alfinetar a postura do PT e do ex-presidente Lula, que foi posto em liberdade há duas semanas.

Primeiro foi o irmão do próprio Dino, o advogado Sálvio Dino Jr., quem se manifestou pelo Twitter apenas um dia depois de Lula ser libertado.

– Lula Livre, ok! Mas é preciso entender que o PT não tem mais condições de hegemonizar a esquerda – afirmou Sálvio Jr., em post que repercutiu na internet e na imprensa.

Lembrando que o irmão de Dino era filiado ao próprio PT até as eleições de 2018.

Dando de ombros à opinião dos líderes esquerdistas, Lula seguiu seu roteiro de fortalecer o PT como principal partido da esquerda brasileira; até que foi ainda mais direto, em Salvador (BA).

– O PT tem que ter em conta que um partido só cresce se ele disputa. O PT não nasceu para ser um partido de apoio – disse o ex-presidente. (Leia a íntegra aqui)

A acusação de golpe no PCdoB maranhense veio de ninguém menos que o deputado federal Márcio Jerry, principal agente político de Flávio Dino.

– Lula é a maior liderança do Brasil e aqui fora tem um papel fundamental, por isso espero que ele pense muito em ajudar o Brasil a sair desta crise, não com o hegemonismo petista, não achando que o PT sozinho resolve todo os problemas. Isto é errado. É preciso dialogar e ter a mente aberta – declarou o deputado.

É bom lembrar que Jerry chegou a oferecer o Maranhão como morada ao petista, logo que ele deixou a cadeia.

Neste aspecto, Lula no Maranhão seria o quê? Auxiliar do projeto de Flávio Dino?

Ao que tudo indica, para Dino e seus agentes, Lula só valia enquanto preso…

0

Eliziane vê “atitude intolerável de Bolsonaro” contra ex-presidente do Chile…

Como sempre faz ao tentar defender a ditadura militar presidente brasileiro ofendeu a memória da família de Michele Bachellet ao ironizar a morte do pai dela durante o regime de Augusto Pinochet

 

ELIZIANE MANTÉM FIRME POSICIONAMENTO CONTRA O QUE CONSIDERA ERRADO NA POSTURA DE JAIR BOLSONARO, em discurso e posicionamentos certeiros

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) lamentou profundamente o destempero verbal do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, desta feita, teve como vítima a ex-presidente do Chile, Michele Bachelet, hoje Alta Comissáira da ONU para os Direitos Humanos.

Para rebater posicionamento de Bachelet na ONU, Bolsonaro disse que a ditadura de Augusto Pinochet “livrou o Chile de virar uma Cuba”.

– Graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973 – afirmou O desbocado presidente.

O pai de Michele Bachelet foi uma das vítimas de Pinochet.

A POSTURA DE BOLSONARO TEM SIDO A DE UM COVARDE, POR USAR O POSTO DE PRESIDENTE para atacar lideranças que mostram posicionamento ideológico contrário aos seus

Na avaliação de Eliziane Gama, mostra o despreparo de Bolsonaro para o comando do país.

– Além de criar mais uma crise diplomática desnecessária, as declarações desumanas do presidente em relaçāo ao pai da ex-presidente chilena, Michelle Bachelet, sāo agressões a uma família. Atitude intolerável – afirmou a senadora.

Elizaine tem sido uma das principais críticas dos destemperos de Bolsonaro – que demonstra descontrole tanto nas ações quanto nos discursos à frente do país.

O ataque à ex-presidente do Chile repercutiu no mundo inteiro, em mais um desgaste internacional do mandatário brasileiro…

1

Com Lula, Dino abre novo momento na corrida presidencial…

Independentemente do que será discutido entre o ex-presidente e o governador, nesta quinta-feira, 6, o comunista sai na frente como projeto da esquerda brasileira sob a orientação de Lula

 

A ARTICULAÇÃO DE FLÁVIO DINO ENVOLVENDO LULA deixou irritado o pedetista Ciro Gomes

Confirmada para esta quinta-feira, 6, em Curitiba, o encontro entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o governador Flávio Dino (PCdoB) marcará uma espécie de largada na corrida presidencial entre as esquerdas.

Embora não se tenha divulgado nada sobre o teor do encontro, a simples divulgação gerou crise entre Dino e Ciro Gomes (PDT), que também pretende o controle do espólio de esquerdista.

O governador maranhense tenta se viabilizar como líder de esquerda e da oposição ao governo Bolsonaro (PSL); mas o quer sob as bênçãos de Lula e com o apoio do PT.

Ciro Gomes, por sua vez, entende que o PT já passou, que Lula não tem mais influência política no país, que vai continuar preso e condenado.

E quer suplantar o PT como eixo catalisador da esquerda.

Só o tempo e a aproximação da eleição presidencial vai dizer qual dos dois está certo.

Só lembrando que, com o parecer favorável do Ministério Público, Lula poderá ser solto ainda este ano.

E será preciso medir seu grau de influência em liberdade…

0

PDT pode acirrar animosidade entre Ciro Gomes e Flávio Dino…

Legenda do ex-candidato a presidente tem uma espécie de “paquera” com o governador maranhense, o que eleva o grau de relacionamento entre os dois ao clima de guerra pelo espólio esquerdista

 

CIRO GOMES ENTRE OS PEDETISTAS LUPI E WEVERTON E O COMUNISTA FLÁVIO DINO; clima tende a azedar com a aproximação das eleições

A recente animosidade do ex-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) em relação ao governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) perpassa o convite do ex-presidente Lula para uma visita do comunista a Curitiba.

Apesar de Ciro ter passado a alfinetar Dino logo após o convite de Lula ao maranhense, a questão entre os dois envolve muito mais o PDT do que o PT.

Ciro disputou a presidência pelo PDT, mas demonstra uma dificuldade de relacionamento com outras forças políticas, o que deixou a legenda isolada em 2018.

E desde que encerrada a última eleição, os pedetistas iniciaram uma espécie de “namoro” com Flávio Dino, o que pode levar a uma aliança em 2022.

Mesmo porque, o hoje líder da legenda no Congresso Nacional, senador Weverton Rocha – atualmente uma das principais vozes pedetistas no Brasil – tem interesse na candidatura ao governo maranhense.

E tem no PDT um trunfo na busca pelo apoio de Flávio Dino.

Explosivo, temperamental, agressivo, Ciro Gomes já brigou com o PT, com o PSB e com o PCdoB de Flávio Dino; seu último passo pode ser brigar com o próprio PDT

E não há dúvidas de que os pedetistas esperam por isso.

No Brasil e no Maranhão…

5

Ao perseguir a esquerda, Bolsonaro acena com pensamento único no Brasil…

Presidente eleito diz que quer um Brasil sem ideologias, mas tenta impor os ideais da extrema direita como pensamento único, transformando o país em uma espécie de “ditadura branca”, onde só se poderá pensar de uma forma

 

MORDAÇA IDEOLÓGICA. Impedir alguém de expressar seui pensamento político é como carregá-lo num pau de arara em praça pública

Editorial

O discurso do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), e dos seus auxiliares, é o da transformação do Brasil em um país sem ideologias. Mas seus gestos, suas ações e seus discursos apontam apenas para a mudança de perfil ideológico e não para o fim das ideologias.

Bolsonaro quer um país com ideologia de Direita e não sem ideologia – até porque impossível é viver sem ideologia.

Ao perseguir petistas, comunistas e esquerdistas no Ministério Público, na Polícia Federal, no Ministério da Saúde, no Meio Ambiente e Agricultura, e na Educação, o presidente aponta para uma espécie de ditadura, em que só se pode pensar de um jeito.

O futuro ministro da Educação declarou que pretende “varrer o marxismo das escolas públicas”. E deixa claro qual o seu ideal de ensino: o militar, com a consequente ordem unida cívica que marca este tipo de educação, focada na “hierarquia e disciplina” dos quartéis.

Bolsonaro já disse que não quer na diplomacia brasileira embaixadores identificados com o pensamento de esquerda; exige o denuncismo contra professores de esquerda nas escolas e faculdades, e  forçou o abandono dos médicos cubanos no programa “Mais Médicos”.

HOMENS E ARMAS. Com suas declarações pós-eleição, Bolsonaro deixa claro o caminho da perseguição ideológica

Uma sociedade é mais desenvolvida quanto mais ela for plural.

E o pluralismo de uma sociedade se funda na liberdade de expressão, de pensamento e de credo; na igualdade das raças e na equidade de gênero.

Exigir de uma sociedade pensamento único no que diz respeito à sua história, suas raças e seus credos é castrar as liberdades individuais e transformar os cidadãos em espécies de robôs, fadados a seguir o rebanho.

Para muitos grupos – evangélicos e religiosos de um modo geral; militares e conservadores – esta sociedade é a ideal porque força o Estado a fazer por eles o que suas pregações já não têm mais forças para fazer.

Cada um pode conviver com seus ideais de vida, suas crenças e suas ideologias da maneira como bem lhe convir; e pode até cobrar fidelidade canina dos que aceitam seguir suas doutrinas.

Mas fazer do estado instrumento de opressão a quem pensa diferente, só pode ser classificado de uma única forma: ditadura, seja ela assassina ou não.

É simples assim…

2

Esquerda dominará governos no Nordeste…

Além de dar ao candidato petista Fernando Haddad vitórias maiúsculas em toda a região, PT e aliados vão comandar todos os governos estaduais, mantendo uma espécie de enclave nordestino anti-bolsonarista

 

ENCLAVE VERMELHO. Vencedor em todo o Nordeste, Fernando Haddad terá base de governadores na oposição

A esquerda terá um nicho de poder regional no país, a partir de 2019.

PT e seus aliados conseguiram eleger todos os governadores dos nove estados da região, além de dar vitórias monumentais ao presidenciável petista Fernando Haddad.

O partido de Lula elegeu quatro governadores: Rui Costa, na Bahia; Camilo Santana, no Ceará, Wellington Dias, no Piauí, e Fátima Bezerra, no Rio Grande do Norte.

Além disso, os petistas compõem coligações nos outros cinco estados: Maranhão, com Flávio Dino (PCdoB); Alagoas, com Renan Filho (MDB); Paraíba, com João Azevedo (PSB), Sergipe, com Belivaldo Chagas (PSD) e Pernambuco, com Paulo Câmara (PSB).

O Enclave esquerdista no Nordeste será referência para Bolsonaro, para o bem e para o mal.

Aliados do presidente eleito chegaram a desmerecer e a ridicularizar nordestinos por votar no PT; e a relação com governadores, como o comunista Flávio Dino, é de tensão.

A região será, portanto, importante contraponto político ao governo central de Brasília, a partir de 2019…

1

Dois grupos já se articulam para a disputa de 2018…

Governador Flávio Dino trabalha para reunir em seu palanque os partidos de esquerda, deixando na órbita da oposição legendas como PMDB e PSDB

 

Roseana pode compor chapa com Maura, Eduardo ou Madeira

Faltando pouco mais de um ano para as convenções que vão definir os candidatos a governador do Maranhão, os partidos já começam a se encaminhar para dois grupos majoritários na disputa.

O primeiro deles, liderado pelo governador Flávio Dino, tem o seu PCdoB e caminha para fechar com PDT e PT, formando uma aliança mais à esquerda. O outro grupo, que já começa a se desenhar, deve ter o PMDB, da governadora Roseana Sarney, e mais o PSDB, o PV, PMN e PTN, embora alguns pré-candidatos, como o deputado Eduardo Braide (PMN) e a ex-deputada Maura Jorge (PTN) ainda demonstre pouco interesse em uma composição.

No meio dos dois grupos o senador Roberto Rocha, e o seu PSB, que não tem definição de candidatura própria ou de composição, ampliando a aliança de esquerda em torno de Flávio Dino.

Todos candidatos

A primeira cogitação em torno de uma aliança mais ampla – reunindo PMDB, PSDB, PMN e PTN – foi ventilada há duas semanas e especulada em blogs e redes sociais. Essa possibilidade, que daria a Maura Jorge a condição de vice, foi rechaçada pelo deputado Aluisio Mendes, principal líder do seu partido na Câmara Federal.

Na última quinta-feira, 25, o ex-prefeito Sebastião Madeira, também indicou o caminho do PSDB, que, na sua avaliação, deve seguir a indicação nacional e compor com Roberto Rocha, “inclusive sendo ele o nome do partido”.

Com o PT, de Augusto Lobato, Flávio consolida chapa de esquerda, mas pode liberar PSDB para Roberto Rocha

Neste caso, o PSB seria liberado para a aliança à esquerda ou permaneceria na órbita de Rocha? Madeira não soube responder à esta questão.

Dos quatro nomes postos para uma aliança majoritária – Roseana, Madeira, Maura e Eduardo Briade – apenas Braide comentou o assunto. E mostrou-se entusiasmado com a possibilidade de concorrer ao governo, embora reafirme sua pré-candidatura a Deputado Federal.

– Não tenha dúvida de que uma aliança mais ampla na oposição incomoda sobremaneira os comunistas – provocou ele.

A indicação de Madeira, de que o PSDB não fica com Dino, e a indefinição do PSB torna o assunto da ampla aliança recorrente nos bastidores.

E deve voltar à tona nos próximos meses…

Do jornal O EstadoMaranhão

1

Petistas e comunistas reforçam tese da aliança de esquerda…

Durante plenária comemorativa do PT, lideranças dos dois partidos – como o deputado Zé Inácio e o secretário Márcio Jerry – defenderam a unidade das legendas como forma de “enfrentamento do golpe”

 

Inácio acompanha discurso de Magalhães, e Jerry conversa com Pedrosa, do PSOL: unidade de esquerda

O deputado estadual Zé Inácio (PT) e o secretário de Articulação política do governo Flávio Dino, jornalista Márcio Jerry (PCdoB), reforçaram, segunda-feira, 13, uma aliança de esquerda para a disputa eleitoral no Brasil e no Maranhão.

– Hoje estamos diante do enfrentamento do golpe, e estamos em busca da defesa de nosso Partido, a partir da rearticulação dos partidos de esquerda – afirmou Zé Inácio.

– É preciso a todo instante ter coragem e disposição para enfrentar aqueles que querem criminalizar e aniquilar o pensamento de esquerda e progressista – completou Márcio Jerry.

Esta página já abordou o tema, no post Flávio Dino pode ter chapa de esquerda em 2018.

A tendência foi confirmada tanto por membros do PCdoB quanto do PT.

Além de petistas e comunistas, o evento, no Hotel Abeville, reuniu líderes do PSOL.

E de movimentos sociais, como MST e CUT…

7

Flávio Dino pode ter chapa de esquerda em 2018…

Movimentos que devem tirar PSDB e DEM da aliança comunista pode favorecer o governador a se apresentar como o nome mais puro da oposição esquerdista, reunindo PT, PCdoB, PDT e PSB na mesma chapa, algo que nem Lula conseguiu

 

Com chapa pura de esquerda, Dino ficará ainda mais forte se Lula for candidato a presidente

O governador Flávio Dino (PCdoB) não tem interesse em se livrar do PSDB nas eleições de 2018.

Mas não quebrará nenhuma lança para ter os tucanos em sua chapa.

Se o PSDB se afastar de sua coligação – como vem sendo desenhado nacionalmente – Dino terá a opção de formar uma aliança eminentemente de esquerda para disputar a reeleição.

E isso é tudo o que o comunista quer.

Sem os tucanos na chapa, o governador pode trabalhar para buscar o PSB, que tem os aliados Luciano Leitoa e José Reinaldo Tavares entre os mais influentes na legenda – sobretudo se se confirmar a saída do senador Roberto Rocha.

Assim, o maranhense realizará o sonho que nem Lula conseguiu: botar na mesma coligação PT, PDT, PCdoB e PSB, as principais legendas de esquerda no Brasil.

Leia também:

Uma nova oposição no Maranhão…

A força eleitoral do PDT e o projeto de 2018…

PT quer ser protagonista em 2018, diz deputado…

 

Weverton e José Reinaldo são as opções consolidadas para o Senado na chapa comunista

O governador poderia formar a chapa do jeito que quisesse, contemplando todas as legendas da coligação – e ainda mantendo confortável tempo na propaganda eleitoral.

A ideia é trabalhar uma chapa com PCdoB e PT na cabeça e tendo os dois candidatos do PDT e do PSB ao Senado.

Outras legendas podem se agregar ao projeto, mas sem a importância das quatro principais.

E ainda por cima, a formação das chapas poderá dar ao Maranhão duas opções de candidatura para 2018.

Uma de centro-esquerda, encabeçada por Dino, e outra de centro direita, representada por PSDB ou PMDB.

Um embate eminentemente ideológico…

2

Zé Inácio e a Frente Brasil Popular…

Parlamentar participou de lançamento do movimento que envolve movimentos sociais, centrais sindicais e partidos políticos, com objetivo de lutar contra “a ofensiva de direita no país”

 

Inácio em discurso durante o lançamento da FBP: "união contra golpe"

Inácio em discurso durante o lançamento da FBP: “união contra golpe”

O deputado Zé Inácio (PT) participou na manhã desta quarta-feira (23) do Lançamento da Frente Brasil Popular. O evento aconteceu no Gran São Luís Hotel e contou com a presença de Movimentos sociais, Centrais Sindicais e Integrantes de Partidos.

“O objetivo dessa reunião é para defender a democracia e a soberania do nosso país. Não podemos deixar que a elite continue insistindo em dar golpe, precisamos reagir contra essa força conservadora”, disse.

A  Frente Brasil Popular é uma articulação plural de diversos setores que lutam por mais democracia, mais direitos para os trabalhadores, pela soberania nacional e contra a ofensiva de direita em curso, que visa desestabilizar o governo e impor uma agenda conservadora ao conjunto da sociedade.