0

Mical Damasceno promove sessão solene com “‘Segundo Círculo de Oração no Parlamento”

Em comemoração ao Dia Estadual do Círculo de Oração, no dia 6 de março – Lei de autoria da própria deputada –  Assembleia realizou ato solene com a participação de mulheres representantes de diversas igrejas evangélicas Assembleia de Deus em São Luís

 

Em sessão solene proposta pela deputada Mical Damasceno (PSD), a Assembleia Legislativa do Maranhão realizou, na tarde de quarta-feira (06), ato de celebração alusivo ao “Segundo Círculo de Oração no Parlamento”. Participaram do evento representações da Igreja Assembleia de Deus de São Luís (IADELS) e do interior do estado, ministérios independentes e outras denominações evangélicas.

O Dia Estadual do “Círculo de Oração” é comemorado no dia 6 de março, por iniciativa da deputada Mical Damasceno. A parlamentar coordenou o ato solene, que contou ainda com a participação das deputadas Ana do Gás (PCdoB) e Dra. Vivianne (PDT).

Leituras bíblicas intercaladas por cânticos de louvor marcaram a cerimônia.

Mical Damasceno explicou a origem do “Círculo de Oração” e expressou sua alegria em realizar o “Segundo Círculo de Oração no Parlamento Estadual.

“O Círculo de Oração teve origem em Recife (PE), em 1942, por meio da missionária Albertina Bezerra, que alcançou uma graça. Estamos aqui, nesta sessão solene, repleta de mulheres, para celebrarmos o Segundo Círculo de Oração no Parlamento e para glorificarmos o Senhor Jesus Cristo”, frisou.

Missionárias 

A missionária Jarildes Rios, do campo Vila Brasil, em São Luís, esclareceu o que é o “Círculo de Oração” e externou seu contentamento em participar do evento.

“É um ministério que nós temos em todas as igrejas Assembleia de Deus aqui em São Luís. É a nossa vida. É o que as missionárias, as mulheres desempenham na igreja. É interceder e orar pelas pessoas para que sejam curadas, pela libertação de vidas e pela obra missionária. É uma satisfação muito grande participar de um evento desse para falar de oração. Uma oportunidade nica de orarmos pela Assembleia, que é a Casa do povo”, afirmou.

Importância
Marcela Pinheiro, dirigente do Círculo de Oração da área 6, da Igreja Assembleia de Deus do Anjo da Guarda, ressaltou a importância do evento.

“Agradecemos à deputada Mical e a toda a Assembleia Legislativa por nos proporcionar este momento de propagação da Palavra. Estamos aqui para darmos continuidade a essa obra”, assinalou.

A missionária Rubenilde Soares, da Igreja Assembleia de Deus, campo São Luís, também agradeceu ao Parlamento Estadual a oportunidade de louvor a Deus.

“Somos gratos à Assembleia Legislativa por este momento de louvor. É uma iniciativa excelente da deputada Mical de reunir, todo ano, essas mulheres para celebrar o aniversário do “Círculo de Oração”, disse.

Da assessoria

0

Mical Damasceno faz balanço do mandato em 2023…

Com forte atuação em plenário e nas comissões, deputada estadual tem projetos de lei específicos que trabalham com objetivo de construir o Maranhão alinhado aos seus princípios cristãos-evangélicos

 

Para Mical Damasceno, os valores cristãos devem nortear os princípios da família maranhense em todos os seus aspectos

A deputada estadual Mical Damasceno (PSD) publicou em suas redes sociais o balanço de suas atividades parlamentares em 2023.

Com forte atuação em plenário voltada para as causas cristãs, a parlamentar apresenta projetos específicos, que também se encaixam dentro destes princípios.

– Cada ação legislativa é um passo na construção de um Maranhão mais justo e alinhado aos nossos princípios cristãos – diz a deputada.

Em 2023, Mical Damasceno apresentou Projeto de Lei que amplia a rede de escolas civico-militares no Maranhão; em outra proposta ligada à Educação, ela apresentou o PL que desobriga professores da rede estadual a participar de festas religiosas nas escolas.

Em suas ações mais específicas dentro de seus valores evangélicos, Mical Damasceno teve duas propostas de forte repercussão.

A primeira cria o programa  “Igreja Livre”, que garante a liberdade religiosa, “dando às igrejas segurança para exercer sua fé”; outra proposta pede a revogação da Lei que obriga estabelecimentos comerciais a instalar placas sobre identidade de gênero.

Mical Damasceno está no segundo mandato de deputada estadual e se prepara para atuar ativamente nas eleições de 2024.

Já em busca de voos mais altos em 2026…

0

Natal não é o nascimento de Jesus…

Ao contrário do que tentam impor as religiões, o mais provável, segundo os estudos históricos mais respeitáveis – e levando em consideração a hipótese de que o mito bíblico de fato existiu – o nazareno teria nascido em abril ou maio, início da primavera, não em dezembro

 

O mito do nascimento de Jesus nada tem a ver com o Natal, uma festa pagã usada pela igreja de Roma

As Igrejas – católica e evangélica – condenam o consumismo natalino estabelecido pela indústria cultural; mas cometem o mesmo crime ao tentar sacralizar a festa pagã, incentivando a ideia equivocada de que, no Natal, deve-se comemorar o nascimento de Jesus.

Tudo em nome do proselitismo religioso o que, em essência, acaba sendo também uma forma de consumismo – o mercantilismo da fé.

Natal nada tem a ver com o nascimento de Jesus.

Admitindo a hipótese (apenas hipótese) de que Jesus tenha existido, ele não nasceu em dezembro e muito menos no inverno, como mostra o relato de Lucas;  os historiadores mais respeitados e aceitos apontam o nascimento de Jesus no mês de abril, maio ou junho.

– Ainda que se celebre o Natal em dezembro, a data do nascimento de Jesus é desconhecida. É mais provável que tenha sido na primavera (maio-junho) – explica o teólogo e biblicista Russel Philip Shedd, PHd, autor da Bíblia Shedd a mais respeitada tradução da bíblia no Brasil. 

Outra controvérsia entre a Bíblia e a história: Jesus nasceu em Nazaré, não em Belém, como impuseram os evangelistas Marcos e Lucas para conciliar a história do nazareno com o mito da profecia bíblica de Miquéias.

Portanto, quando a igreja “comemora” a morte de Jesus, durante a semana santa – também por interesses meramente  proselitista – deveria, na verdade, comemorar seu nascimento.

A guerra entre Jesus e Papai Noel tem apenas um objetivo: o mercantilismo, do consumo ou da fé

O Natal é uma festa criada pelos povos antigos para comemorar a chegada do Sol, após o inverno rigoroso.

Os povos antigos o comemoravam no dia 25 de dezembro, data do nascimento do deus pagão Mitra; como a igreja necessitava de uma data para comemorar o nascimento do seu símbolo maior, apropriou-se do Natal, festa já muito popular e com cunho religioso por causa de Mitra.

Daí passou a impor como data de festa para Jesus.

Mas a única relação do Jesus com o Natal é o clima de paz, confraternização e alegria que marca a data. Coisa que também o símbolo do Papai Noel representa bem, para despeito das igrejas e dos anti-imperialistas.

Natal é só uma festa, uma época para se divertir, dançar, beber, brincar, se confraternizar, comprar, renovar a casa e sorrir – quer queiram ou não os puristas.

E por si só, já é a melhor época do ano.

É este o verdadeiro espírito do Natal…

Publicado originalmente em 24/12/2009

0

Com sabatina dupla para indicados de Lula, Senado tenta minimizar pressão em Flávio Dino…

Aliados do ministro da Justiça – indicado pelo presidente Lula para o Supremo Tribunal Federal – cercaram-se de todos os cuidados para evitar maiores desgastes durante a sessão na Comissão de Constituição e Justiça, incluindo uma inédita entrevista conjunta com Paulo Gonet, indicado à Procuradoria-Geral da República

 

A presença de Paulo Gonet na mesma sabatina de Flávio Dino visa minimizar a pressão da oposição sobre o ministro da Justiça

Mesmo com todo o já autodeclarado preparo técnico e conhecimento jurídico, o ainda ministro da Justiça Flávio Dino não quis correr nenhum risco de exposição pública durante a sabatina que vai decidir sobre sua indicação para o Supremo Tribunal Federal.

Entre as estratégias para minimizar a pressão sobre Dino, o comando e os aliados do governo Lula (PT) no Senado decidiram realizar uma inédita sabatina dupla, com a presença do procurador Paulo Gonet Branco, indicado por Lula para a Procuradoria-Geral da República.

A divisão de atenções visa preservar Dino, que deve ser bombardeado por senadores de oposição, apesar dos apelos de aliados para que “não batam acima da canela”.

Temas como aborto, união civil homoafetiva e liberação do uso recreativo da maconha devem marcar a audiência com o ministro da Justiça, que se declara cristão; apesar da teoria do estado laico, o ex-comunista teme represálias da religião.

A expectativa do relator do processo de indicação de Dino ao STF, senador  Weverton Rocha, é que ele alcance um mínimo de 60 votos.

Para ter a indicação aprovada são necessários 41 dos 81 votos de senadores…

0

Assembleia realiza sessão inédita em homenagem à Reforma Protestante…

Proposta da deputada Mical Damasceno comemora os 506 anos das teses estabelecidas por Martinho Lutero, que mudaram o conceito de religião, deram origem aos protestantes e evangélicos e mudaram os próprios valores do mundo ocidental

Mical vai reunir líderes evangélicos e protestantes em homenagem à Reforma de Martinho Lutero, na Assembleia, nesta quarta-feira, 25

A Assembleia Legislativa realiza nesta quarta-feira, 25, uma inédita sessão em homenagem à Reforma Protestante.

Movimento iniciado há 506 anos pelo monge Martinho Lutero, que rompeu os laços com a igreja católica, dando origem à igreja evangélica, será reverenciado pela primeira vez no Palácio Manuel Beckman.

A proposta de comemoração ao aniversário da reforma protestante é da deputada estadual Mical Damasceno (PSD).

– Vamos celebrar esse dia louvando e adorando ao nosso Deus – pregou maical Damasceno, principal representante do movimento evangélico no parlamento estadual.

A cerimônia vai ocorrer a partir das 14h30 no plenário Nagib Haickel e terá presença de diversos líderes do movimento evangélico do Maranhão.

0

Lei de Mical desobriga professores em festas religiosas em escolas estaduais…

Proposta sancionada pelo governador Carlos Brandão estabelece que os profissionais da educação terão direito de decidir participação em festejos que não se alinham à sua profissão de fé, como já ocorria com os alunos desde 2021

 

Mical Damasceno agradeceu aos deputados estaduais que aprovaram a Lei, sancionada pelo governador Carlos Brandão

Já está em vigor uma lei de autoria da deputada estadual Mical Damasceno (PSD) que desobriga os professore da rede estadual de  ensino a ter que participar de festas religiosas em suas escolas, sejam elas de que tipo de religião for.

Pela nova regra – que, na verdade, apenas acrescenta o termo “professor” a uma outra lei, também de Mical, que estabelecia a mesma proteção para os alunos e foi aprovada em 2021 – cada professor poderá decidir se participa ou não de um festejo na sua escola, de acordo coma sua profissão de fé.

– Essa lei contemplava apenas os alunos. E, pela graça de Deus, eu quero aqui agradecer aos nobres deputados que votaram na alteração dessa lei para a gente incluir também os  queridos professores do nosso Maranhão. Vocês não são mais obrigados, não estão mais constrangidos a participarem de festas religiosa – disse a parlamentar.

A partir da lei as escolas não podem por exemplo, vincular nota de aluno à sua participação nas festas escolares; com relação aos professores, também ficam proibidas punições administrativa para quem se recusar a festejar entre os colegas.

A grande preocupação da deputada e dos professores que a procuraram era o São João, festa pagã, mas com forte vínculo com a Igreja Católica, que não é seguida por professores evangélicos.

– Quando chegavam festas juninas, eram obrigados a fazer bandeirinhas e tantas outras coisas que afrontavam a sua fé. E aí, nós fizemos essa alteração dessa lei, justamente para contemplar os professores – completou Mical Damasceno.

0

Fernando Braide participa de procissão no encerramento do Círio de Nazaré, no Cohatrac

O deputado estadual Fernando Braide (PSD) marcou presença no encerramento da programação do Círio de Nazaré 2023, que aconteceu no bairro Cohatrac, em São Luís, na noite de ontem (5). O parlamentar percorreu 10 km em procissão junto a milhares de fiéis e acompanhou a missa celebrada pelo arcebispo de São Luís, dom Gilberto Pastana.

Além da procissão e missa que marcaram o encerramento do Círio de Nazaré, o deputado Fernando Braide também participou da abertura das celebrações em homenagem a Nossa Senhora. Reconhecido por seu envolvimento com a comunidade e suas ações em prol da cultura e religiosidade maranhense, o parlamentar destacou a importância do evento para a cidade e para a fé dos devotos.

“A devoção e a fé mobilizam os participantes do evento anualmente. É emocionante acompanhar e fazer parte dessas celebrações que destacam o importante papel das igrejas e da religiosidade para a sociedade”, disse Fernando Braide reforçando seu compromisso em apoiar e valorizar as tradições religiosas do estado.

O Círio de Nazaré é uma das maiores manifestações religiosas do estado do Maranhão, e acontece anualmente em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré. A festividade reúne milhares de fiéis em procissões, missas e atividades culturais, fortalecendo a fé e a devoção dos maranhenses, tornando-se, ainda, uma oportunidade para os micro e pequenos empreendedores da cidade, como avaliou o parlamentar.

“Assim como as manifestações culturais do nosso estado, o Círio de Nazaré é um importante incentivo para a economia local, uma vez que a festa atrai visitantes de diversas regiões do estado, movimentando o comércio e gerando empregos temporários”, avaliou o deputado que atua fortemente no desenvolvimento do empreendedorismo maranhense.

Da assessoria

0

Deputada Mical combate falsa acusação de intolerância religiosa e defende a manifestação de Cristãos em Itapera, Maracanã

Nesta terça-feira, 12, a Deputada Estadual Mical Damasceno usou a tribuna da Assembleia Legislativa para enfrentar uma alegação de suposta intolerância religiosa.

A deputada fez questão de apoiar os cristãos da Área 11 da Assembleia de Deus do Campo Tirirical, uma igreja liderada pelo Pastor Osiel Gomes, a quem a deputada elogiou e enfatizou seu compromisso com o amor, respeito e tolerância.

Ela também destacou o trabalho vital da igreja naquele bairro.

“São 30 anos de trabalho em Itapera por essa congregação, e nunca houve sequer uma denúncia. São anos contribuindo para a comunidade, resgatando pessoas do mundo das drogas e do crime, curando e libertando aqueles cativos pelo pecado, libertando-os de vícios e violência. Tudo isso foi manchado por apenas 9 segundos de uma fala tirada de contexto em uma matéria tendenciosa. Não houve incitação ao ódio, violência ou intolerância, apenas orações pela libertação e clamor por vidas”, disse a deputada.

A deputada Mical Damasceno enfatizou a importância do respeito religioso e do entendimento entre diferentes crenças em nossa sociedade.

Da Assessoria

0

Mical critica resolução que reconhece casas religiosas de matriz africana como complementares ao SUS

Em sessão plenária nesta terça-feira, 22, deputada lamentou a aprovação da Resolução nº 715, de 20 de julho de 2023, do Conselho Nacional de Saúde, que define terreiros, barracões e casas de religião africana como equipamentos promotores de saúde e cura complementar

 

A deputada Mical Damasceno (PSD) criticou, na sessão plenária desta terça-feira, 22, uma resolução do Conselho Nacional de Saúde que reconhece os espaços religiosos de matriz africana como equipamentos promotores de saúde e cura complementar do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Segundo a parlamentar, a Resolução nº 715, de 20 de julho de 2023, traz um entendimento de que espaços como terreiros, barracões e casas de religião africana são considerados como a primeira porta de entrada para os que mais precisam dos atendimentos em saúde.

“Como é que pode o SUS dizer que a única porta de espaço de cura para o desequilíbrio mental, psíquico, social e alimentar, é somente a religião afro? Me causa espanto para um governo que sempre criticou posturas e posicionamentos cristocêntricos, que sempre quis demonstrar e defender a laicidade estatal, possuindo, na verdade, posturas laicistas e anticristãs, trazendo uma única religião como complementar ao SUS”, questionou.

Mical Damasceno ressaltou que, em todo o Brasil, igrejas católicas e evangélicas também atuam em instituições de recuperação de dependentes químicos e penitenciárias, por exemplo, levando um trabalho social e espiritual para a recuperação de milhares de pessoas. 

“A igreja ressocializa muito mais que o Estado. A igreja arranca do mundo das drogas aquele de quem o Estado já desistiu. A igreja tira armas das mãos daqueles que nasceram dentro do crime. A igreja vai até os doentes acamados e despachados pelos médicos e, pelo poder do nome de Jesus, sai de lá mais vivo do que nunca, quando nós oramos. E, assim, Deus faz um milagre por meio desses trabalhos evangelísticos”, completou.

Por fim, a deputada disse que existem 29 tipos de formas complementares à saúde do SUS, em que a atuação dos terreiros é incluída, mas que não há sequer uma citação à massiva atuação do trabalho das igrejas evangélicas.

“É revoltante o que estamos vendo. É entristecedor saber que uma minoria religiosa tem sido reconhecida por esse governo, quando quem está no batalhão de frente, na nossa nação, é ignorado e menosprezado”, lamentou Mical Damasceno.

Da Agência Assembleia

2

Brandão garante plena liberdade à identidade de gênero e à orientação sexual no MA

Ao vetar projetos da deputada evangélica ultrarradical Mical Damasceno – claramente preconceituosos, fora do contexto sociológico mundial e com pendão de gerar perseguição – governador aponta para uma gestão de acolhimento das questões identitárias e de proteção às minorias e grupos discriminados, como o LGTBQIA+

 

Com vetos a projetos protoreligiosos da evangélica Mical Damasceno, Brandão garante plena liberdade de expressão da identidade de gênero e da orientação sexual no Maranhão

Análise da notícia

O governador Carlos Brandão (PSB) vetou nesta quarta-feira, 11, dois projetos de autoria da deputada Mical Damasceno (PSD), que tentavam restabelecer uma ordem de preconceito e tenderiam a gerar mais discriminação por identidade de gênero e orientação sexual no Maranhão.

Entenda aqui o que é identidade de gênero;

Entenda aqui o que é orientação sexual.

Ultrarradical evangélica, bolsonarista de extrema direita e intolerante quanto ao debate sociológico, Mical queria impedir o uso de placas em estabelecimentos públicos e privados com alertas sobre o crime de discriminação por orientação sexual e identidade de gênero; também queria proibir a instalação de banheiros multigêneros ou unissex no estado.

Numa postura que tende a impor seus valores como religiosa aos demais conjuntos da sociedade – mesmo àqueles que não seguem sua orientação de fé – Mical Damasceno tentou ainda proibir o uso da linguagem neutra no Maranhão.

O que é linguagem neutra?!?

Todos os projetos da deputada ultrarreligiosa foram vetados por Carlos Brandão.

Os vetos do governador apontam para uma gestão de acolhimento de grupos discriminados, como os LGTBQIA+ e acenam para uma regra que vem ganhando corpo no mundo inteiro, em que é cada vez mais livre a expressão da identidade de gênero e orientação sexual.

A discriminação ainda ocorre apenas em grupos da extrema direita católica-apostólica e radicais evangélicos, do quais faz parte Mical Damasceno; e ela tem todo o direito de exigir cumprimento dos dogmas religiosos a quem aceitar seguir sua profissão de fé.

Só não pode impor seu pensamento ao conjunto da sociedade laica.

É simples assim…