1

Saúde do pai mantém Rubens Júnior mais distante da campanha…

Candidato do PCdoB já ficou isolado por mais de duas semanas por contaminação pela coVID-19; agora tem que acompanhar o estado grave do ex-deputado Rubens Pereira, que está entubado por causa da mesma doença

 

Onipresente na campanha do filho candidato, agora é o pai, Rubens Pereira – vítima da coVID-19 – quem precisa da atenção de Rubens Júnior

Não está sendo fácil a vida do candidato comunista a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior.

Sem conseguir alavancar nas pesquisas de intenção de votos, ele foi obrigado a se afastar da campanha por mais de 15 dias, por ter contraído a coVID-19.

Praticamente recuperado da doença, o candidato, agora, se vê obrigado a dividir a agenda de campanha com a atenção ao pai, Rubens Pereira, também vítima da coVID-19 e internado em estado grave, inclusive com entubação.

A situação do ex-deputado já gerou, inclusive, novas especulações sobre uma possível desistência do filho candidato.

No PCdoB, a campanha de prefeito segue sendo conduzida pelo candidato a vice, Honorato Fernandes (PT) e pelos coordenadores, senadora Eliziane Gama (Cidadania) e deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), que aguardam os números das pesquisas esperadas para esta semana.

Estes levantamentos podem selar o futuro de Rubens Júnior na disputa…

2

As estranhas idas e vindas de Rubens Júnior nas pesquisas…

Candidato do PCdoB alterna estrondosos crescimentos em pesquisas alinhadas ao Palácio dos Leões com fracassos de desempenho em levantamentos outros, o que levanta dúvidas sobre a sua real performance na disputa pela Prefeitura de São Luís

 

Candidato do Palácio dos Leões, Rubens Júnior aparece sempre com bom desempenho em pesquisas de institutos vinculados ao governo Flávio Dino; coincidência?

Na semana passada, o candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, surgiu com nada menos que 6% das intenções de voto na pesquisa Econométrica, o que foi recebido com festa no Palácio dos leões.

Dias depois, a dura realidade se impôs sobre o candidato, com o Instituto Prever devolvendo seus índices para a casa dos 2% que vinham sendo registrados sistematicamente.

Nesta terça-feira, 6, no entanto, o DataIlha apresenta Rubens com 7,7% das intenções, em condições de empate técnico com Duarte Júnior (Republicanos) e, sobretudo, Neto Evangelista (DEM).

A coincidência é que as duas pesquisas nas quais o comunista aparece com boa performance são de institutos vinculados, de uma forma ou de outra, aos interesses do Palácio dos Leões e do núcleo duro do governo Flávio Dino (PCdoB).

Até que ponto, portanto, essas pesquisas inflam o candidato de Dino para fazê-lo parecer competitivo aos olhos do eleitor?

Essa pergunta só será respondida com a pesquisa Escutec, que não tem relação alguma com nenhum grupo político interessado diretamente nas eleições de São Luís.

É a partir desses dados que se terá o real cenário da disputa…

2

Rubens Júnior indica que Edivaldo já está com ele…

Ao declarar ao jornal O EstadoMaranhão ser desrespeitoso antecipar a posição que o prefeito vai adotar, o candidato do PCdoB demonstra já saber qual será esta posição e reforça essa impressão ao fazer apologia das obras do pedetista em São Luís

 

Edivaldo faz de conta que está fora do debate eleitoral, mas Rubens Júnior sugere que ele já se definiu; e não foi pelo candidato do PDT

O deputado federal e pré-candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, jogou ainda mais polêmica na aguardada decisão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) nas eleições de São Luís.

Em entrevista ao jornal O EstadoMaranhão, Pereira Júnior indicou não apenas já saber qual a posição do prefeito, como também revelou “ser desrespeitoso antecipá-la agora”. 

– Seria muito desrespeitoso antecipar o que eu acho sobre a posição que o prefeito Edivaldo vai adotar – disse o candidato comunista, enaltecendo a gestão pedetista, criticada por ele nas eleições de 2016. (Veja a íntegra aqui)

Há meses, o blog Marco Aurélio D’Eça vem abordando o silêncio do prefeito Edivaldo Júnior em relação ao projeto de poder do seu partido, o PDT. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Reeleito pela força da militância pedetista em 2016 – em uma disputa que o próprio governo Flávio Dino já julgava perdida, como apontou este blog no post que mostrou o hoje senador Weverton Rocha  como artífice de sua vitória – Edivaldo vem sendo assediado por Dino, que já ofereceu a ele, inclusive, a coordenação da campanha comunista.

Esta imagem é simbólica da ação de Weverton e do PDT na reeleição de Edivaldo Júnior, quando o governador e seu grupo já haviam jogado a toalha

Para tentar fugir à pressão da mídia diante do possível rompimento com o partido do senador, o prefeito mantém silêncio sobre a candidatura de Neto Evangelista, oficialmente apoiada pelo PDT.

Mas no Palácio dos Leões, os aliados de Flávio Dino já dão como certo o apoio do pedetista, no movimento que será a principal reviravolta das eleições e São Luís. 

– É preciso dar o tempo para que, legitimamente, [Edivaldo] resolva qual vai ser seu posicionamento no pleito. Mas desejamos sim que ele continue apoiando o projeto do partido do governador Flávio Dino, o PCdoB – declarou Rubens Júnior.

Mas o tempo de Edivaldo, queira ele ou não passar ao largo do processo eleitoral, se encerra nas convenções.

Até lá, ele vai ter que dizer se honra o próprio partido ou a “dívida” de amizade com Dino…

7

Com imagem “anti-sistema”, Duarte suplanta Neto e Rubens no próprio sistema

Vinculado à mesma base política do governo Flávio Dino, o deputado do Republicanos conseguiu construir imagem de “outsider” – ajudado pela própria classe política, que o odeia – se afastando do desgaste de ser comunista e da chamada “fadiga de material” das sucessivas gestões pedetistas em São Luís

 

Desde que assumiu mandato, Duarte Júnior deu de ombros para a rejeição da classe política e se tornou popular nas redes sociais e nas ruas

A pesquisa do Instituto Prever divulgada neste sábado confirmou um fato que vinha se desenhando apenas de forma empírica: a capacidade do deputado Duarte Júnior (Republicanos), de se mostrar “anti-sistema” mesmo sendo membro do sistema político controlado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Duarte ocupa a segunda posição na pesquisa e se mostra o adversário com mais chances de ir a um eventual segundo turno com o deputado federal Eduardo Braide (Podemos).

E nessa disputa, leva vantagem absurda contra os dois candidatos assumidamente do sistema, os também deputados Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM).

Desde que assumiu mandato na Assembleia Legislativa, ainda no PCdoB, Duarte Júnior passou a enfrentar rejeição tanto do próprio grupo político, hegemônico na Casa. O equívoco dos colegas o transformou no que seria uma espécie de pária, alguém rejeitado na própria comunidade.

Este equívoco da classe política foi retratada no blog Marco Aurélio D’Eça ainda em 2019, no post “Classe política erra ao hostilizar Duarte Júnior…”

Ativo nas redes sociais, essa rejeição ele transformou em trunfo, e passou a tomar decisões mais independentes, inclusive com ações que contestavam posições pontuais do próprio governo Flávio Dino, o que irritava ainda mais seus pares.

Mas a irritação dos pares contrastava com uma crescente popularidade nas redes sociais, que só aplaudiam suas ações anti-sistema.

A saída estratégica do PCdoB foi a cartada final, que garantiu esse distanciamento do Palácio dos Leões, mesmo mantendo vínculos com o governo. 

Neto Evangelista – com Rubens Júnior lá atrás – optaram pelas estruturas governamentais, mas sofrem com o desgaste do sistema ou com “fadiga de material”

Ao contrário de Duarte, Rubens Júnior insiste, equivocadamente, na tutela do PCdoB, do Palácio e do próprio Flávio Dino, mas não consegue o apelo popular para deslanchar, ficando apenas com o ônus do desgaste comunista.

Neto Evangelista, por sua vez – mesmo sendo filiado ao DEM, não ao PDT –  carrega consigo apenas o fardo das longas e sucessivas gestões pedetistas, aquilo que o atual chefe da Casa Civil do governo, Marcelo Tavares, classificou um dia de “fadiga de material”.

Rejeitado pela classe política, odiado e invejado pelos próprios pares, Duarte Júnior vai construindo sua candidatura, ao contrário dos colegas, com o bônus de estar próximo do “dono” do governo, sem, no entanto, pagar o ônus de ser candidato do sistema.

E essa diferença pode significar a presença em um eventual segundo turno.

Para mais desespero ainda do sistema…

1

Desincompatibilização gera expectativa em torno de Rubens Jr.

Secretário de Cidades não havia conseguido demonstrar competitividade com sua candidatura a prefeito de São Luís – e acabou desaparecendo do cenário durante a pandemia de coronavírus – o que abriu especulações sobre seu futuro eleitoral

 

Rubens Júnior tem cinco dias para dizer se acredita na própria candidatura, deixando a secretária de Cidades na próxima quarta-feira, 4

A desincompatibilização do secretário de Cidades Rubens Pereira Júnior (PCdoB) passou a ser uma espécie de senha para o projeto do grupo Flávio Dino (PCdoB) nas eleições de 2020.

Há, no próprio governo, quem especule sua desistência da candidatura a prefeito de São Luís, diante de números tão insignificantes nas pesquisas já divulgadas.

E seu “sumiço” durante a pandemia de coronavírus também é sintoma de desânimo na candidatura.

Sua saída do cargo de secretário na próxima quarta-feira, 4 – último dia para desincompatibilização dos pré-candidatos a prefeito – vai dizer o caminho do PCdoB e do seu grupo no processo eleitoral da capital.

Se deixar o cargo, o secretário ganha sobrevida como candidato, pelo menos até o dia 15 de agosto, quando termina o prazo das convenções partidárias.

Mas sua desincompatibilização é também um embaraço político para o próprio Flávio Dino (PCdoB), já que significará a saída do deputado Gastão Vieira (Pros) da Câmara Federal.

Esta, porém, é uma outra história…

4

Agora no PCdoB, Astro de Ogum busca sexto mandato….

Vereador oficializou sábado sua entrada no partido que tem o secretário Rubens Pereira Júnior como candidato a prefeito e vai brigar à reeleição na Câmara Municipal, onde está há mais de 20 anos

 

Astro decidiu concorrer à reeleição pelo partido de Flávio Dino, que tem Rubens Pereira Júnior como candidato a prefeito

O vereador Astro de Ogum oficializou sábado, 4 sua filiação ao PCdoB, partido pelo qual vai concorrer ao sexto mandato na Câmara de São Luís.

Legenda do governador Flávio Dino,a  sigla tem como candidato a prefeito o secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior.

– Depois de conversar com os nossos amigos, dialogar com a nossa comunidade e com a minha família, entendemos que o PCdoB é o melhor caminho para a nossa caminhada em busca do nosso sexto mandato consecutivo – disse o parlamentar, que já oi presidente da Câmara.

No PCdoB, Astro disputará vaga ao lado dos colegas Marcelo Poeta, Fátima Araújo, Concita Pinto e Paulo Victor, além do vice-prefeito Júlio Pinheiro.

0

Rubens Júnior acusa o golpe e nega tutela familiar…

Candidato do PCdoB mostra incômodo pelas críticas à onipresença do pai, ex-deputado Rubens Pereira, e da mãe, a ex-prefeita Suely Pereira; e também pela forte dependência política que demonstra em relação a Flávio Dino

 

A presença do pai e da mãe na pré-campanha passa a ideia de que Rubens Júnior é uma espécie de reserva, um “plano B” de um projeto familiar

O candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, mostra forte incômodo com as críticas à presença dos seus familiares em sua campanha.

Em entrevista ao Jornal Pequeno, Pereira júnior acusou o golpe e tentou afirmar que não é tutelado – nem pelos pais, nem pelo governador Flávio Dino (PCdoB), a quem demonstra forte dependência política.

– Não será uma gestão tutelada por parentes, pelo governador, por B ou C. Eu estarei na linha de frente, sendo o responsável. Serei o protagonista, sem delegar a responsabilidade. Me preparei a vida inteira para isso – afirmou o candidato, que é deputado federal e secretário de estado.

O problema é que o próprio Rubens Júnior demonstra em sua campanha ser uma espécie de “plano B” de um projeto familiar.

As negociações de apoio, por exemplo, quase sempre são comandas pelo seu pai, o ex-deputado Rubens Pereira. A presença de Rubão incomoda inclusive o PCdoB, que faz gestões para tirá-lo da linha de frente.

Ao dizer a interlocutores que a candidatura não é sua, “mas do grupo do governador e do PCdoB”, Pereira Júnior mostra também forte dependência a Flávio Dino, seu padrinho de casamento e ídolo político indisfarçável.

Por todos esses fatores, a candidatura do comunista passa a ideia de tutela partidária e de “plano B” de um projeto familiar que fez água com a inelegibilidade do pai. 

E não importa o que ele diga, seus atos mostram o contrário…

4

Aliados de Flávio Dino em pé-de-guerra pela prefeitura…

Pré-candidatos à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior  que fazem parte da base do Palácio dos Leões usam as redes sociais para atacar uns aos outros, numa batalha fratricida que pode favorecer vitória de Braide em 1º turno

 

Os ataques a Duarte Júnior começaram durante o carnaval, logo após ele aparecer ao lado de Flávio Dino, Carlos Brandão e Eliziane Gama

Com nada menos que cinco candidatos a prefeito diretamente ligados às suas bases – e outros dois com relações próximas ao Palácio dos Leões – o governo Flávio Dino (PCdoB) parece ter perdido o controle da disputa.

Nos últimos dias, a guerra fratricida dos governistas atingiram níveis de Trending Tops nas redes sociais.

Imagens de Neto Evangelista com blogueiros que atacaram Duarte foram usadas para apontá-lo por trás da pancadaria

O alvo principal é o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos), que disputa com o colega Neto Evangelista (DEM) a segunda posição nas pesquisas.

O objetivo é tirar do páreo o candidato do vice-governador Carlos Brandão.

Ainda que indiretamente, Duarte responsabiliza aliados do próprio Evangelista e dos também palacianos Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Dr. Yglésio (Pros) pelos ataques nas redes sociais.

O próprio Yglésio foi para s redes sociais fazer trocadilho com as histórias atribuídas a Duarte no áudios do Procon

Desde sábado, blogs ligados a Neto Evangelista, a Pereira Júnior e a Yglésio espalham nas redes áudios atribuídos a Duarte, dando ar de escândalo à sua passagem pelo Procon.

O próprio Yglésio foi às redes, publicando ironias relacionadas ao conteúdo dos supostos áudios.

No domingo, Duarte Júnior reagiu, também nas redes classificando de “jogo sujo” a pancadaria distribuída pelos próprios membros da base do seu governo.

– Estão tentando a todo custo me desmoralizar e minar minha pré-candidatura, mas a estes eu digo que seguirei em frente, pois todos esses ataques me fazem ter ainda mais certeza de que estou no caminho certo – afirmou o candidato do Republicanos.

Relação de Pereira Júnior com outro blog contra Duarte é vista como prova de autoria dos ataques

Especialistas em pesquisas eleitorais ouvidos pelo blog apontam que os ataques da base a Duarte pouco efeito eleitoral produzirá.

E se produzir – combinado com o esvaziamento da candidatura de Wellington do Curso (PSDB) – só facilitará a decisão do pleito em primeiro turno.

E o depurado Eduardo Braide, que segue favorito, agradece…

4

No fim das contas, Adriano é o único sem apoio de sarneysistas…

Remanescentes do grupo liderado por José Sarney se espalharam em candidaturas que vão do favorito Eduardo Braide até o comunista Rubens Pereira Júnior, mas nenhum, até agora, fechou com o neto do ex-presidente

 

Adriano é o primeiro sarneysista da história a entrar numa disputa em São Luís sem aliança com nenhum membro dos eu próprio grupo político

Tema obsoleto e já ultrapassado e sem sentido no Maranhão da era Flávio Dino (PCdoB), o debate sobre a presença de sarneysistas como candidatos – ou em apoio a candidatos – voltou à tona nesta campanha pela Prefeitura de São Luís.

E um fato curioso surgiu neste início de formação de alianças: legítimo representante do clã Sarney, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) é o único dos nomes já postos à disputa que não tem – pelo menos até agora – apoio de nenhum representante do sarneysismo ou mesmo de ex-sarneysistas.

Sarneysista de quatro costados, Carioca do Povo é o principal destaque do DC no apoio ao comunista Rubens Júnior, afilhado de Flávio Dino

O apoio declarado do ex-vereador Carioca do Povo – aliado de primeira hora dos Sarney – ao comunista Rubens Pereira Júnior, afilhado de Flávio Dino, coloca sarneysistas também na candidatura do Palácio dos Leões.

Sem falar que Rubens – ele próprio um ex-sarneysista – já recebeu apoio também do deputado federal André Fufuca (PP), cujo pai, Fufuca Dantas, começou na política ao lado da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Há sarneysistas também, como Edilázio Júnior (PSD), na candidatura de Eduardo Braide (Podemos),  e outros, como Roberto Costa (MDB), a caminho da candidatura de Neto Evangelista (DEM).

Dr. Yglésio, por exemplo, está no Pros, comandando por ninguém menos que Gastão Vieira, um dos próceres do roseanismo.

Eduardo Braide recebeu o apoio de Edilázio Júnior, que tem laços não só políticos, mas familiares com o sarneysismo

Mas o próprio Adriano Sarney provoca o distanciamento do grupo que, mesmo esfacelado, ainda detém de 20% a 30% dos votos na capital maranhense.

Sua dificuldade de relacionamento o isolou na oposição desde que assumiu mandato na Assembleia Legislativa.

Além disso, decidiu, por vontade própria, suprimir o sobrenome Sarney do próprio nome parlamentar. (Entenda aqui e aqui)

É claro  que ainda há mais de cinco meses até o fim das convenções partidárias de agosto, quando Adriano pode ainda,m conseguir novas alianças para sua candidatura.

Se isso não ocorrer, porém, será a primeira vez que um candidato sarneysista irá para a disputa sem nenhum sarneysista em sua coligação.

Mas precisava ser exatamente o neto de Sarney?!?

0

Márcio Jerry: “Vamos ver como escalamos melhor quem vai ganhar”…

Presidente regional do PCdoB, deputado federal reforça o projeto de protagonismo dos comunistas, mas admite dialogar para discutir melhor as candidaturas na base do governo Flávio Dino

 

Rubens Pereira Júnior, o candidato do PCdoB; para Jerry, a prioridade é ele, mas… é preciso ter outras opções na base

O deputado federal Márcio Jerry admitiu hoje, em entrevista ao Portal Vermelho – que agora não é mais vermelho – a possibilidade de uma composição do PCdoB nas eleições em São Luís.

Segundo Jerry, o objetivo do partido é ser protagonista em São Luís e outras cidades; mas ele próprio abre uma brecha para a composição.

– Estamos naquele momento de botar o time no aquecimento. Vamos entrar em campo e ver como escalamos melhor aquele que vai ganhar eleição dia 4 de outubro – disse o deputado.

Ainda que meramente retórica, a possibilidade aberta por Jerry é significativa do ponto de vista da unidade do grupo comandado pelo governador Flávio Dino.

O candidato já definido pelo PCdoB na capital maranhense, embora não-anunciado oficialmente, é o secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior. Ocorre que o comunista não consegue deslanchar nas pesquisas de intenção de votos.

Outros nomes da base governista – que Jerry chama de “Partido do Maranhão” – como os deputados Neto Evangelista (DEM) e Duarte Júnior (PCdoB) têm posição muito mais confortável que Pereira Júnior.

– Vamos, uma vez mais, disputar da melhor forma possível, debatendo, dialogando, apresentando propostas reais que possam se transformar em ações concretas nas cidades do Maranhão, para ampliar o número de prefeitos, de vice-prefeitos e também de vereadores – admitiu Jerry.

Leia aqui a íntegra da entrevista