0

Weverton põe dúvidas sobre necessidade de empréstimo pretendido por Brandão…

Senador pedetista questionou a aprovação da Assembleia Legislativa para uma operação de crédito da ordem de R$ 350 milhões no mesmo momento em que o governador  cria mais despesas com aumento do número de secretarias e vai garantir aumento da arrecadação com elevação de taxas e impostos

 

Na articulação em favor de Dino, Weverton conseguiu apoio até de Sérgio Moro; agora, se posiciona como líder da oposição no Maranhão

O senador Weverton Rocha (PSDT) voltou à carga contra o governador Carlos Brandão, criticando, sobretudo, a operação de empréstimo autorizada pela Assembleia Legislativa, de cerca de 350 milhões.

– Eu tenho as minhas dúvidas se o Maranhão vai realmente precisar desse empréstimo. Primeiro, porque quem está com dificuldades não cria mais despesas. O governador acabou de criar novas secretarias, então não me parece que ele esteja precisando de mais recursos – falou o senador, em entrevista ao jornalista Elias Lacerda.

Para Weverton, o Maranhão terá forte aumento de arrecadação em 2024, após o próprio Brandão aumentar significativamente a alíquota de impostos e as taxas de vários serviços no estado.

– O Maranhão deve arrecadar bem a partir do ano que vem, porque ele (Brandão) acabou de aumentar os impostos estaduais consideravelmente. Isso deve dar uma robustez no caixa, ele deve melhoras as condições para continuar investindo no Maranhão, para continuar fazendo o trabalho que se espera dele – ressaltou.

Em junho, após seis meses de silêncio em relação ao governo, Weverton Rocha já havia criticado o interesse de Brandão em um empréstimo, à época na casa dos R$ 3,5 bilhões; ele criticou duramente o governador, como revelou este blog Marco Aurélio d’Eça no post “Vou estar atento e acompanhar de perto…”.

A postura dura de Weverton em relação ao governador se dá após sua atuação em defesa da indicação do ministro Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal; e indica que o senador  pedetista deve mesmo assumir o contraponto político ao Palácio dos Leões, como líder da oposição.

Mas esta é uma outra história…

0

A era pós-Dino: seria Weverton o herdeiro do dinismo na esquerda?!?

Com estrutura política própria, partido estabelecido em todo o estado e influência no Maranhão e em Brasília, senador do PDT é o único nome entre os aliados do ministro da Justiça com capacidade para seguir o seu legado; mas precisa demonstrar poder de aglutinação e de manutenção de grupo ainda não claramente consolidado em sua trajetória

 

Weverton precisou de Flávio Dino em seu melhor momento, mas não obteve apoio; Agora é Dino quem recebe o apoio de Weverton em seu “pior” momento

O senador Weverton Rocha (PDT) viveu uma espécie de ano sabático em 2023.

Duramente derrotado nas eleições de 2022 para o Governo do Estado – após uma sequência histórica de vitórias desde 2010, quando disputou a primeira eleição – precisou de meses para recuperar o fôlego e manteve no primeiro semestre um incômodo silêncio, registrado neste blog Marco Aurélio d’Eça no post “O Silêncio da oposição maranhense…”.

Mesmo afastado do Maranhão, porém, manteve-se ativo em Brasília, onde tem forte influência política e articulação com todas as correntes ideológicas.

Se reaproximou de Flávio Dino em setembro, numa visita ao Palácio dos Leões na ausência do governador Carlos Brandão (PSB), episódio também registrado no blog Marco Aurélio d’Eça, no post “O cachimbo da paz entre Flávio Dino e Weverton Rocha…”.

Weverton e Dino vinham montando uma agenda comum para 2024 e 2026, que poderia ou não contemplar o próprio Brandão, dependendo das circunstâncias políticas; e é exatamente por causa desta agenda que Weverton surge como principal herdeiro do legado político do dinismo nesta era pós aposentadoria política do ministro.

Ao contrário do vice-governador Felipe Camarão (PT), cuja agenda eleitoral está amarrada à do governador.

Como mostrou o blog Marco Aurélio d’Eça no segundo documentário da série “A era pós-Dino”, intitulado “O papel de Felipe Camarão…”, Weverton tem agenda própria, tem partido e tem aliados em todo o Maranhão, o que lhe dá peso na mesa de negociações.

Seus mais de 20% de votos nas eleições estaduais – que pareceram pouco em 2022 – são significativos e orgânicos, uma vez que, na campanha, ele não conseguiu se identificar com a direita e acabou perdendo parte dos votos da esquerda pela pressão da dupla Flávio Dino/Lula em favor de Brandão.

Pode-se dizer, desta forma, que os votos de 2022 são totalmente seus.

Mas Weverton ainda precisa superar um obstáculo indissociável de seu perfil político: a incapacidade de construir grupo sólido e manter aliados para além de um círculo íntimo, que lhe influencia para o bem e para o mal.

Das eleições de 2010, quando alcançou a primeira suplência de deputado federal, até agora em 2022, passaram pelo entorno do senador  pedetista nomes como o ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido), os ex-vereadores Ivaldo Rodrigues, Bárbara Soeiro e seu filho, o atual parlamentar Octávio Soeiro, os ex-deputados Julião Amin e Rubem Brito, o vereador Nato Júnior, os irmãos Gil e Glalbert Cutrim, os deputados Othelino Neto, Osmar Filho, Francisco Nagib, Zito Rolim e Rafael, os prefeitos Hilton Gonçalo, de Santa Rita, e sua mulher, Fernanda; o de Pinheiro Luciano Genésio e sua ex-mulher Drª Thaiza, além de diversos outros políticos Maranhão a fora.

A mesma capacidade de aglutinar demonstrada nos momentos de exibição de força, mostra-se refratária quando no exercício do poder ou nos momentos de intervalo eleitoral.

Muito próximo do senador pedetista desde os idos de 2007, o titular deste blog Marco Aurélio d’Eça ouviu dele, certa feita, que uma de suas características principais é o empoderamento de aliados.

Além de empoderar, porém, é preciso evitar afastamentos.

Sem isso, é impossível alcançar o poder…

0

“Nem precisa votar, basta não atrapalhar”, disse Weverton, sobre contrários a Dino

Relator do processo de indicação do ministro da Justiça ao Supremo Tribunal Federal, senador pedetista disse que tem conversado com oposicionistas e bolsonaristas para que atuem dentro das quatro linhas na sabatina do dia 13 de dezembro, para que “as batidas sejam apenas na canela”

 

Weverton tem acompanhado a movimentação de Flávio Dino no Senado e é o principal articulador dos votos em favor do ministro

O senador Weverton Rocha (PDT) mostrou-se otimista em relação à aprovação do nome do ministro da Justiça Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal; Weverton conversou com o titular deste blog Marco Aurélio d’Eça sobre a movimentação por Dino.

– Não é que esteja sendo fácil, mas tudo segue um trabalho de articulação prévia; nós esperamos alcançar o patamar de votos necessários – afirmou o senador, que projeta cerca de 55 votos favoráveis; o mínimo para a aprovação é 41 votos.

Em relação aos bolsonaristas, Weverton explicou que não trabalha necessariamente pelo voto deles, mas que pelo menos não gerem confusões durante a sabatina.

– Se não criar empecilhos já é o bastante – afirmou.

A base do ex-presidente Jair Bolsonaro tem se manifestado contra a indicação de Flávio Dino ao STF, mas de forma respeitosa, levando em conta apenas questões ideológicas, não pessoais.

– Se for pra bater, que se bata apenas na canela – brincou o senador pedetista.

A sbatina de Fla´vio Dino ocorre no dia 13 de dezembro…

0

Perfil de Weverton criticado por dinistas vai ajudar o próprio Flávio Dino no Senado…

Senador do PDT é um dos mais hábeis articuladores do Congresso Nacional e circula com desenvoltura em todas as alas políticas, incluindo o bolsonarismo, o que levou a críticas do ainda ministro da Justiça, agora precisando de votos no Senado para ter o nome aprovado para o STF

 

Da esquerda histórica, Weverton tem perfil conciliador e vai ajudar Flávio Dino na busca por votos bolsonaristas, incluindo Flávio Bolsonaro

Aliados do ainda ministro da Justiça na imprensa maranhense bateram, duramente, durante a campanha de 2022, em um perfil que deveria ser visto com respeito na personalidade do senador Weverton Rocha (PDT): sua capacidade de diálogo com todas as correntes políticas.

Apoiando a candidatura do então candidato a governador Carlos Brandão (PSB) Flávio Dino condenava a relação de Weverton com o senador Flávio Bolsonaro (PL)-RJ), filho do então presidente Jair Bolsonaro (PL), e com outros senadores da direita bolsonarista no Senado.

Influenciados pelo então ex-governador, blogs alinhados chegaram a bater forte em Weverton por causa deste perfil. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

O tempo passou, tanto Brandão quanto Dino elegeram-se, Dino chegou ao ministério de Lula, inviabilizou-se na política até ser indicado para o Supremo Tribunal Federal pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Agora precisa de 41 votos no Senado para ter essa indicação aprovada.

Por ironia do destino, é a relação de Weverton Rocha com os senadores da direita bolsonarista que deve garantir a aprovação do nome de Dino; há possibilidade de que até mesmo Flávio Bolsonaro acabe acatando a indicação do ex-comunista.

Weverton sempre teve relações com o presidente Lula, antes mesmo até de o próprio Flávio Dino entrar na política.

Mas isso não o impediu de mostrar-se um hábil articulador no Congresso Nacional, mantendo-se próximo de todas as correntes políticas, como já mostrou este blog Marco Aurélio d’Eça no post “Weverton ganha força de articualdor em Brasília…”.

O senador do PDT conta com um mínimo de 55 votos favoráveis no Senado ao nome de Flávio Dino.

Mas espera aumentar essa votação para mais de 60 nos próximos 15 dias…

0

Weverton terá controle do destino de Flávio Dino no Senado…

Senador maranhense foi nomeado relator da indicação do ministro da Justiça ao Supremo Tribunal Federal e caberá a ele, em cerca de 15 dias, atuar para convencer os colegas a aprovar o nome apresentado pelo presidente Lula, em sabatina marcada para o dia 13 de dezembro

 

Weverton tem poder de articulação para garantir aprovação do nome de Flávio dino no plenário do Senado Federal

O senador  maranhense Weverton Rocha (PDT) será o relator do processo de validação do nome do ministro da Justiça Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal.

Caberá a Weverton Rocha convencer os colegas senadores a aprovar a ida de Dino para o STF; o ministro enfrenta forte resistência, sobretudo da ala bolsonarista, que tenta impor derrota ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Aliado histórico de Flávio Dino, Weverton disputou as eleições de 2014 para deputado federal na chapa vitoriosa do então comunista ao governo; em 2018, foi eleito senador na reeleição de Flávio Dino ao governo.

Os dois se afastaram em 2022, quando Weverton esperava o apoio de Dino ao governo, que acabou indo para o atual governador  Carlos Brandão (PSB).

A reaproximação se deu logo após a posse de Dino no Ministério, como foi revelado por este blog Marco Aurélio d’Eça no post “O cachimbo da paz entre Flávio Dino e Weverton Rocha…”.

Dino e Weverton vinham traçando planos políticos para 2024 e 2026, planos estes que não incluíam, necessariamente, o governador Carlos Brandão.

Com a saída de Flávio Dino da cena política, Weverton Rocha passa a ser o seu principal aliado político em Brasília, pela experiência parlamentar adquirida e o trânsito com todas as alas políticas; esse transito político – inclusive entre bolsonaristas – pode ser fundamental para a aprovação do nome de Dino no Senado.

Além de apresentar relatório circunstanciado recomendando a aprovação do colega maranhense, Weverton articulará o clima na sabatina que será feita com Dino.

A sessão na Comissão de Justiça no Senado – e a votação em plenário – estão marcadas para o dia 13 de dezembro…

0

Após pesquisa Difusora, Weverton vê Fábio Câmara com potencial para terceira via…

Senador-presidente do PDT maranhense entende que o pré-candidato do partido mostra força para crescer durante a campanha, com perspectiva para ser o fiel da balança na disputa pela Prefeitura de São Luís

 

Weverton confirmou o nome de Fábio Câmara como pré-candidato do PDT há menos de uma semana

O senador Weverton Rocha (PDT) avaliou com otimismo os números da pesquisa do Instituto Três/TV Difusora, divulgados nesta segunda-feira, 20; para Weverton, o pré-candidato do PDT deve ser a terceira via na disputa.

– O Fábio chegará, no mínimo, em terceiro ao final do primeiro turno. Tem todo potencial para isso – apontou o senador pedetista.

A aposta de Weverton, da militância pedetista e do próprio Fábio Câmara é a força histórica que o partido tem na capital maranhense; no levantamento do Instituto três/Difusora, o ex-vereador surgiu entre os quatro mais citados na pesquisa espontânea, quando o eleitor cita um nome sem nenhuma lista para estimulá-lo.

– Neste momento, a análise deve caber mesmo nesta manifestação espontânea do eleitor; é isso que dá a certeza do caminho que vamos percorrer – frisou o próprio Fábio, citado por 1,1% de eleitores espontâneos.

À frente de Fábio Câmara foram citados apenas o atual prefeito Eduardo Braide (PSD), o deputado federal Duarte Júnior (PSB), que vai para sua segunda eleição à prefeitura com apoio da máquina estadual, e o ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido), que teve dois mandatos na capital.

Fábio Câmara tem percorrido as comunidades da Zona Rural e os bairros da periferia de São Luís, numa campanha de baixo para cima

A presença de Fábio entre os quatro principais candidatos já foi abordada neste blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Disputa em São Luís se resume a quatro candidatos…”; a única diferença em relação à pesquisa é que este blog entende ser de Neto Evangelista (União Brasil) o lugar hoje ocupado por Edivaldo entre os quatro principais.

Com uma campanha inicial voltada para as classes menos favorecidas, comunidades da zona rural e bairros da periferia, o pré-candidato do PDT conseguiu construir o nome na base, começando a chegar agora aos formadores de opinião.

É esta consolidação na base que o senador Weverton entende como fundamental para tornar o candidato do PDT uma terceira via na polarização entre Braide e Duarte Jr..

0

“Fábio Câmara é o nosso pré-candidato a prefeito”, garante Weverton…

Presidente regional do PDT, senador afirmou em entrevista à TV Mirante  que o partido está pronto para seguir com o ex-vereador, “que tem uma história de vida linda” e está preparado para fazer uma grande gestão em São Luís

 

Weverton recebeu Fábio Câmara um dia antes da entrevista à TV Mirante, para conversar sobre a pré-candidatura em São Luís

 

O senador Weverton Rocha confirmou nesta sexta-feira, 17, em entrevista ao Bom Dia Mirante, que o ex-vereador Fábio Câmara é o pré-candidato do PDT a prefeito de São Luís.

Para reafirmar a candidatura do correligionário, Weverton foi duro na resposta ao apresentador Clovis Cabalau, que questionou ao perguntar se Fábio Câmara “tem mesmo condições de ser candidato a prefeito”.

– Eu mesmo ouvi várias vezes questionarem se o Jackson Lago tinha condições de ser prefeito, se o Edivaldo tinha condições. Se eu mesmo tinha condições de ser senador. Agora este questionamento com o Fábio Câmara. O Fábio tem uma história linda, é um filho da luta e tem nosso aval para ser candidato – afirmou Weverton.

Além de reafirmar a candidatura de Fábio Câmara, Weverton Rocha contrapôs o preconceito velado contra os filhos do povo na disputa pelo poder

Na entrevista à TV Mirante, Weverton lembrou que o Maranhão é um dos estados brasileiros com maior população negra, mas, mesmo assim, ainda se vê discussões sobre as condições de ter um negro nas esferas de poder.

– As pessoas tendem a achar que só quem tem berço, quem é de família tradicional pode ocupar os espaços de poder. Mas eu tenho certeza que o Fábio Câmara fará uma ótima gestão em São Luís – disse o senador.

“História de vida linda!”, diz Weverton, ao responder pergunta sobre candidatura de Fábio Câmara

O senador lembrou que foi um dos primeiros a ouvir o interesse de Fábio Câmara em concorrer à prefeitura, garantia que lhe foi dada também pela militância, que abraçou o projeto.

– Se ele quer, a militância quer e a cidade precisa desse debate, o Fábio é o nosso candidato a prefeito de São Luís – concluiu o presidente pedetista.

0

Senadores maranhenses solidarizam-se com Flávio Dino…

Eliziane Gama, Ana Paula Lobato e Weverton Rocha entendem que o ministro da Justiça estás endo vítima de campanha difamatória, após revelação de que a mulher de um traficante do Comando Vermelho no Amazonas esteve por duas vezes em audiência no ministério

Ana Paula, Eliziane e Weverton saíram em defesa de Flávio Dino, que vem sendo bombardeado pela oposição em Brasília

Os três atuais senadores maranhenses no Congresso Nacional – Eliziane Gama (PSD), Ana Paula Lobato (PSB) e Weverton Rocha (PDT) – saíram nesta quinta-feira, 16, em defesa do ministro da Justiça, Flávio Dino.

Para eles, o maranhense  – que também é senador – está sendo vítima de campanha difamatória.;

Flávio Dino virou notícia negativa na mídia – e passou a ser cobrado pela oposição – após o jornal O Estado de S. Paulo revelar que a mulher de um traficante no Amazonas esteve em duas audiências no Ministério da Justiça.

Mas no entendimento de Weverton Rocha, o que há é uma tentativa de fazer ligação entre Dino e o tráfico.

– Minha solidariedade ao ministro Flávio Dino, que vem sendo vítima de uma campanha difamatória infundada – disse Weverton em suas redes sociais, lembrando que esteve em lado oposto ao de Dino nas últimas eleições.

Já a senadora Eliziane Gama classifica de fake news as notícias relacionadas ao ministro.

– Flávio Dino é homem sério e competente. Estamos juntos nessa – afirmou.

Suplente do próprio Dino no Senado, Ana Paula Lobato vê no titular do seu mandato um homem totalmente dedicado ao país.

– Trabalho focado no reforço da Segurança Pública e no combate ao crime organizado – afirmou.

Enquanto isso, o ministro segue sendo questionado por que a mulher do traficante esteve no ministério, com passagens pagas pelo ministério e em audiência com o alto escalão do ministério.

0

“Fábio Câmara é o nosso pré-candidato”, afirma Penha; “e ainda nem o lançamos oficialmente”, completa Weverton

Na primeira manifestação pública conjunta – e diante de especulações sobre pressão do ministro Flávio Dino para uma chapa única em torno do deputado federal Duarte Júnior – presidentes municipal e estadual do PDT reafirmaram nesta sexta-feira, 3, que o ex-vereador e ex-candidato a prefeito é o nome pedetista na sucessão municipal

 

Weverton Rocha e Raimundo Penha confirmara: o PDT tem Fábio Câmara como pré-candidato a prefeito de São Luís

Os presidentes estadual e municipal do PDT, senador Weverton Rocha e vereador Raimundo Penha, respectivamente, reafirmaram nesta sexta-feira, 3, a pré-candidatura do ex-vereador Fábio Câmara a prefeito de São Luís.

Foi a primeira manifestação pública dos dois dirigentes partidários desde que o PDT autorizou Câmara a buscar viabilização do seu nome.

Na conversa exclusiva com o titular deste blog Marco Aurélio d’Eça, tanto Weverton quanto Penha reagiram às especulações sobre uma pressão do ministro da Justiça Flávio Dino para que se crie uma frente única em torno do deputado federal Duarte Júnior (PSB) no enfrentamento ao prefeito Eduardo Braide (PSD).

– Vejo uma parte grande ansiosa querendo antecipar os passos; agora é que vai começar a discussão; e nós ainda nem lançamos o Fábio Câmara pré-candidato. Não é razoável, portanto, falar de alianças agora – disse Weverton.

Raimundo Penha foi ainda mais incisivo ao defender a candidatura do PDT.

– Pra mim o Fábio é o nosso pré-candidato – disse o vereador, lembrando que a viabilização demanda tempo. “É claro que ele foi o último pré-candidato anunciado e precisa de tempo para mostrar viabilidade”, completou o dirigente pedetista.

Desde que se apresentou como pré-candidato do PDT, Fábio Câmara alcançou forte penetração popular e ganhou importante espaço na mídia, embora ainda não tenha sido incluído nas pesquisas de intenção de votos, o que deve ocorrer nos próximos levantamentos que se propuserem sérios.

Mas a chancela do senador e do vereador pedetista é a garantia de que o PDT entrou, de fato, na disputa pela Prefeitura de São Luís…

0

O preconceito velado contra a candidatura de Fábio Câmara em São Luís…

Institutos de pesquisa, políticos e até jornalistas usam o equivocado argumento “ele não será candidato” para não incluir o nome do “pré-pré-candidato do PDT” nos levantamentos sobre a corrida sucessória em São Luís; ao mesmo tempo, porém, os mesmos jornalistas divulgam candidatos que sequer têm partidos ou foram autorizados por suas legendas, numa clara demonstração de má-vontade e segregação política

 

Fábio Câmara tem o aval de Weverton Rocha para se viabilizar no PDT desde setembro; e já se viabilizou nas bases do partido

Opinião

O suplente de deputado estadual, ex-vereador e ex-candidato a prefeito Fábio Câmara, foi autorizado ainda pelo PDT, ainda em setembro, a buscar viabilização para ser candidato à sucessão do prefeito Eduardo Braide (PSD).

Esta autorização partidária foi registrada neste blog Marco Aurélio d’Eça nos posts “Ao lado de Fábio Câmara, Weverton garante: ‘PDT ainda tem muito a contribuir em São Luís…'” e também no post “Com a disposição de Fábio Câmara, temos um novo cenário no PDT”, diz Penha…”

É um equívoco, portanto – ou seria preconceito?!? – achar que Fábio Câmara não pode entrar na pesquisa “por que não vai ser candidato”, como argumentam jornalistas e políticos.

Ele é o pré-candidato do PDT e só o PDT pode tirá-lo da disputa; mas esse debate só se dará no partido em julho de 2024, durante as convenções.

Não faz sentido excluí-lo das pesquisas – como a do Instituto Luneta, divulgada esta semana – e ao mesmo tempo incluir nomes como o do ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido), Dr. Yglésio (PSB) e Wellington do Curso (PSC) que não têm nenhuma garantia partidária.

E o que falar, então, de Carlos Lula, cuja candidatura nunca sequer foi levada em conta pelo PSB?!?

Fabio tem o aval do PDT pra se viabilizar. E só se saberá se ele estará viabilizado com pesquisas.

Um dos debates que o vereador quer incluir na sucessão é exatamente o que inclua as minorias, como negros, mulheres e a periferia; para se ter ideia da importância deste debate, em 412 anos de fundação, São Luís nunca elegeu um prefeito negro.

Seria este também o motivo de evitar dar espaço para o vereador?

Fábio Câmara é o nome posto da mesa pelo PDT e vai trabalhar pela sua viabilização até as convenções, com autorização da cúpula partidária.

Até lá, qualquer pesquisa que se proponha seria, precisa medir a intenção de votos dele…