2

Weverton busca consolidar nome para 2022 com agenda política

Apoiado por PDT, DEM PP, PSL, PRB e Cidadania, pelos presidentes da Assembleia, da Câmara de São Luís e da Famem – e com alianças nos principais colégios eleitorais – senador quer engajar os prefeitos aliados, cumprindo mais uma etapa do “pacto” para escolha do candidato a governador

 

Weverton tem cumprido sua parte no pacto com Flávio Dino; agora busca consolidar-se no interior maranhense para ser escolhido candidato da base

Passado o período de recesso de julho, o senador  Weverton Rocha (PDT) vai retomar, a partir do dia 14, sua agenda política e pré-eleitoral no interior maranhense.

Principal candidato da base do governo Flávio Dino (PSB) – liderando a maioria dos cenários das pesquisas – Weverton decidiu suspender a pré-campanha depois da assinatura do pacto do início de julho.

A retomada visa consolidar os pré-requisitos estabelecidos no pacto para escolha do candidato que representará a base dinista nas eleições de 2022.

Em acordo com o próprio Dino, Weverton tem cumprido todos os pontos do pacto, além de estar consolidado em todos ops pré-requisitos estabelecidos.

Ele lidera as pesquisas, tem o apoio de seis partidos – PDT, DEM PP, PSL, PRB e Cidadania – e dos presidentes da Assembleia Legislativa, da Câmara Municipal de São Luís e da Famem.

Também lidera nos principais colégios eleitorais em aliança com os prefeitos de São Luís, Imperatriz, Balsas, Bacabal e Pinheiro.

Sua agenda política inclui atos regionais, começando por Imperatriz, dia 14, e encerrando com Pinheiro, em 19 de setembro, passando por São Bernardo, dia 21 de agosto, e Presidente Dutra, em 4 de setembro.

Após os atos, confirmando as alianças regionais, Weverton espera ser confirmado por Dino como o escolhido para representar a base em 2022.

É aguardar e conferir…

2

Roberto Costa mostra que MDB caminha para aliança governista…

Ao revelar sua tendência pessoal de votar em Flávio Dino para o Senado e que o partido tende a apoiar um aliado de Dino ao governo, vice-presidente da legenda sepulta pretensão de candidatura de Roseana, ela própria já comunicada pela cúpula do PT que a preferência é pelo senador  Weverton Rocha no Maranhão

 

A relação de Roberto Costa e Flávio Dino tem-se estreitado ao longo dos dois mandatos do governador comuno-socialista

No mesmo dia em que a ex-governadora  Roseana Sarney apareceu em primeiro lugar na pesquisa Econométrica sobre o Governo do Estado, com 24,6%, o vice-presidente do MDB, deputado Roberto Costa, assumiu publicamente a tendência de aliança do partido com o governo Flávio Dino (PSB).

– Eu, pessoalmente, tenho a tendência muito forte de votar no Flávio para o Senado uma vez que o partido [o MDB] já disse que não tem interesse na discussão ao Senado – afirmou o deputado, na quinta-feria, 29, ao jornalista John Cutrim.

A declaração sepulta de uma vez por todas qualquer debate em torno de uma candidatura de Roseana Sarney ao governo, uma vez que ele adiantou, ainda, que o MDB tende a seguir o candidato apoiado por Flávio Dino.

A própria Roseana Sarney já havia descartado candidatura ao governo, mas ainda não havia manifestado posicionamento sobre candidaturas a governador.

Parte do seu grupo tem mais simpatia pelo vice-governador Carlos Brandão (PSDB), mas Roberto Costa mostra-se mais alinhado ao o senador Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas nos cenários sem a ex-governadora.

A própria Roseana já foi comunicada pelo ex-presidente Lula e pelos ex-ministros Gilberto Carvalho e José Dirceu que o PT vai apoiar Weverton e quer – tanto ela quanto o MDB – apoiando o senador pedetista.

Mas esta é uma outra história…

1

Brandão pode trocar PSDB pelo PSB, admitem dinistas…

Após Flávio Dino ouvir do ex-presidente Lula e do ex-ministro José Dirceu que o PT não apoiaria o PSDB no Maranhão, vice-governador passou a cogitar abandonar o ninho tucano para tentar consolidar candidatura na esquerda, mesmo sem identificação ideológica

 

Menos de seis meses depois de voltar ao PSDB, Brandão já estaria cogitando deixar a legenda em nome das eleições de 2022

Na semana passada, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou o post “‘PSDB não!’, diz Lula a Flávio Dino…”Tratava-se de uma apuração de bastidores da última conversa do ex-presidente com o governador maranhense sobre a sucessão de 2022, para qual o PT tem preferência em uma aliança com o PDT.

O Palácio dos Leões não desmentiu a declaração atribuída a Lula, mas a reação de bastidores começou a ser operada: segundo também apurou este blog, o vice-governador Carlos Brandão já cogita deixar novamente o PSDB para entrar no PSB, com a anuência do próprio Dino.

“Seria uma forma de convencer Lula a apoiá-lo”, justificaram lideranças do governo ouvidas nesta quinta-feira, 29.

A tese ganhou ainda mais força após conversa de Dino com o ex-ministro José Dirceu, que reafirmou as palavras de Lula e deixou claro a preferência pelo senador  Weverton Rocha (PDT), “mais identificado com as lutas do PT”.

De fato, o blog Marco Aurélio D’Eça já mostrou em diversos posts a relação histórica na esquerda entre Weverton, Lula e o PT. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Weverton Rocha entre esquerdistas de todo o país como primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba, em gesto reconhecido pelo próprio ex-presidente

Weverton Rocha foi, inclusive, o primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba.

Mesmo sem identidade política com o PT e com Lula, Brandão tenta ter o apoio do PT para convencer as lideranças nacionais de esquerda que Flávio Dino tem força política no estado.

E agora tenta um gesto considerado arriscado: devolver o PSDB menos de seis meses após entrar no partido…

2

Weverton já está em condição de empate com Roseana pelo governo

Senador do PDT alcançou 19,9% das intenções de votos – menos de quatro pontos atrás da ex-governadora – segundo pesquisa da Econométrica  divulgada nesta quinta-feira, 29; sem Roseana, ele impõe mais de 10 pontos percentuais de diferença para os demais pré-candidatos

 

Weverton já chega à condição de empate técnico com Roseana no cenário em que ela lidera; e impõe larga vantagem no cenário sem a ex-governadora

O senador Weverton Rocha (PDT) mostrou-se mais uma vez consolidado como principal pré-candidato a governador nas eleições de 2022, segundo pesquisa do Instituto Econométrica, divulgada nesta quinta-feria, 29, pelo programa Ponto & Vírgula, da 92,3 FM.

Weverton chegou a 19,9% das intenções de votos e entrou em condição de empate técnico com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), que aparece com 24,6%.

Como a margem de erro é de 2,4 pontos percentuais, para mais ou para menos, significa dizer que Weverton e Roseana estão em condição de empate técnico.

No cenário em que a ex-governadora não aparece como candidata, Weverton vai a 26,8% das intenções de votos, impondo mais de 10% pontos percentuais sobre o segundo colocado, senador Roberto Rocha (sem partido), que aparece com 16,8%.

Nos dois cenários – com e sem Roseana – Roberto Rocha e o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD) aparecem rigorosamente empatados.

Mesmo com toda a estrutura do governo à disposição, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) mostra cada vez mais dificuldade como opção para 2022

Ele aparece apenas em quarto lugar, tanto no cenário com Roseana, em que soma 10%, quanto no cenário liderado por  Weverton, quando vai a 12,7%.

A pesquisa Econométrica foi realizada entre os dias 22 e 25 de julho. Foram realizadas 1616 entrevistas. O erro amostral foi de 2,4% com um intervalo de confiança de 95%.

2

Militar da PM apresenta a Weverton proposta contra feminicidio

Ao lado da mulher, Fátima Ferreira, o oficial Bruno Ferreira encaminhou ao senador maranhense argumentos, documentos e ideias para transformar em crime a “ameaça por misoginia”

 

Fátima e Bruno Ferreira: ação prática contra o feminicídio

O oficial Bruno Ferreira, da Polícia Militar do maranhão, esteve reunido com o senador  Weverton Rocha (PDT) para uma ação contra o feminicídio.

Ao lado da mulher, Fátima Ferreira, o oficial apresentou ao senador uma proposta que visa endurecer, legalmente, o combate aos crimes contra a mulher.

A proposta do PM maranhense visa tornar crime a “ameaça por misoginia”, o que, em sua avaliação, fatalmente reduzirá as chances de crimes contra as mulheres.

Misoginia é toda atitude contra uma mulher motivada apenas pelo fato de ela ser mulher. Esta postura leva aos casos que se conhece como feminicídio.

A partir do movimento que a misoginia virar crime, a tendência é a redução do feminicídio.

Weverton Rocha vai levar a proposta para transformá-la em projeto de lei ao Senado Federal…

0

André Fufuca vai comandar PP nacional…

Ascensão do deputado federal reforça a aliança estadual com o senador  Weverton Rocha e joga água na festa de aliados do senador Roberto Rocha, que já comemoravam a tomada do partido

 

André Fufuca vai sentar diretamente na mesa de negociações para as eleições de 2022, agora como chefe nacional do PP

O deputado federal André Fufuca vai ser o novo presidente do PP nacional.

Ele assume o comando do partido em substituição ao senador  Ciro Nogueira (PI), que vais e licenciar para ser o ministro da Casa Civil do governo Jari Bolsonaro.

Na semana passada, após ida de Nogueira para o governo, aliados do senador  Roberto Rocha chegaram a fazer festa com a possibilidade de ele tomar o partido no maranhão.

O PP é mais um partido que fecha as portas para RR. Ele já havia tentado o PSL, o PSD, o PTB e o PRB.

A ascensão de Fufuca também garante a aliança do PP com o PDT, que  tem o senador Weverton Rocha como candidato a governador.

Além de PP, o PDT já fechou com DEM, PRB, PSL, Cidadania e PSB…

0

“O DEM está fechado com Weverton”, diz Juscelino Filho a Brandão

Deputado federal e presidente regional do partido afirmou que ele, o pai, a irmã e todos os aliados do DEM comunicaram ao vice-governador que trabalham em favor do senador e torcem para que haja um consenso na base governista

 

Levados pelo ex-deputado Stênio, os Rezende disseram de corpo presente a Brandão: apoiam Weverton Rocha para o governo

Chamado a uma reunião no Palácio dos Leões para mais uma tentativa de conversa com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), o presidente regional do DEM, deputado federal Juscelino Filho, reafirmou seu apoio à candidatura do senador  Weverton Rocha ao governo.

– Na reunião deixei claro ao vice-governador Carlos Brandão, pessoa ao qual tenho relação e respeito, a nossa posição política. Minha, da minha irmã Luanna, prefeita de Vitorino Freire, e do meu pai ex-deputado Juscelino Rezende, assim como todos correligionários do DEM: estamos apoiando a pré candidatura do senador Weverton – afirmou o deputado.

Nas várias tentativas de construção de uma narrativa de fortalecimento de Brandão, seus aliados na mídia têm criado todo tipo de especulação sobre apoios.

Basta surgirem imagens de Brandão com lideranças políticas para as especulações ganharem a mídia alinhada ao Palácio dos Leões.

Juscelino Filho disse que aguarda a decisão do governador Flávio Dino (PSB) sobre as candidaturas em sua base; torcendo pelo consenso.

– Torcendo para que, em novembro, momento o qual o governador definiu pela escolha do candidato, estejamos todos unidos em torno de um só projeto – afirmou Juscelino.

4

Fala de Jerry sobre vice anima aliados de Weverton e irrita “brandonistas”

Em entrevista ao jornal O Imparcial, secretário de  cidades confirma que será candidato a  deputado federal, mas diz que poderia – e está preparado para – disputar qualquer cargo, o que levou a uma série de interpretações ao agrado de cada patrão

 

Principal interlocutor de Flávio Dino, Márcio Jerry é mais próximo de Weverton do que de Brandão; mas sua candidatura é a deputado federal

Uma simples resposta retórica do secretário de Cidades, Márcio Jerry, ao jornal O Imparcial, gerou uma série de narrativas sobre as eleições de 2022 e até à formação de chapa para a disputa de governo.

As partes essenciais da declaração estão transcritas abaixo:

“Disputarei a eleição de federal no ano que vem. (…) Mas, evidentemente, com toda humildade, que eu me sinto preparado para qualquer desafio. As pessoas para assumir uma função no Executivo, por exemplo, precisam ter biografia, e eu tenho. Precisa ter conhecimento do Maranhão, eu tenho e muitíssimo. Para ter uma vida pública marcada pela probidade, pela honestidade, eu também tenho, de modo que estou habilitado a disputar qualquer cargo dentro do Maranhão”.

Os aliados do senador  Weverton Rocha (PDT), um dos pré-candidatos do grupo de Flávio Dino (PSB) animaram-se em interpretar a resposta como uma admissão de possibilidade de compor a chapa.

Jerry é adversário político da família do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), em Colinas, o que dificulta qualquer aliança em torno do tucano. Natural, portanto, que a possibilidade de ele compor chapa encaminhe a interpretação para  Rocha.

Mas os aliados de Brandão buscaram também as suas interpretações para a frase de Márcio Jerry; e chegaram a afirmar que ele não apenas descartou candidatura a vice como também descartou aliança do PCdoB com o PDT.

Retóricas narrativas apenas.

A análise sintática, semântica e morfológica do texto de Márcio Jerry leva a uma simples, clara e única interpretação: o secretário é candidato a deputado federal; mas, no caso de vir a ser chamado a disputar outro posto – e apenas nesta hipótese – disse sentir-se preparado para tal.

Foi apenas isso, e tão somente isto, que o presidente Márcio Jerry disse ao jornal O Imparcial.

O resto, é construção narrativa de aliados de candidatos.

Simples assim…

3

A aproximação entre Brandão e Weverton…

Vice-governador e senador têm se reunido cada vez mais, desde a reunião com o governador Flávio Dino, e buscam juntos o consenso para a escolha do candidato da base governista em 2022

 

Brandão e Weverton em mais uma tentativa de armistício: para muitos, mais uma humilhação de Dino aos dois; para outros, busca de consenso

As imagens que ganharam a imprensa, a blogosfera e as redes sociais no fim de semana foram a confirmação de um fato já consolidado nos bastidores: o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) têm-se reunido cada vez mais para discutir a sucessão do governador Flávio Dino (PSB)

Desde a reunião do dia 6 de julho, em que Dino estabeleceu os critérios para escolha do seu candidato, os dois principais nomes da base têm conversado constantemente, um tentando convencer o outro de que é a melhor opção do grupo.

Há duas semanas, por exemplo, o vice-governador e o senador reuniram-se em um jantar a sós, em que foram colocados argumentos de convencimento mútuo.

O blog Marco Aurélio D’Eça apurou que, neste jantar, Weverton ofereceu, mais uma vez, apoio a Brandão em uma eventual indicação para o Tribunal de Contas do Estado.

– Se o TCE é tão bom, por que não vai você? – teria respondido Brandão.

Mas, mesmo diante desta “treta”, o clima tem amenizado de lado a lado.

Weverton, por exemplo, deixou de realizar reuniões no interior e de ostentar apoios de partidos, prefeitos e lideranças, embora mantenha suas articulações nos bastidores. 

O senador espera que os termos do Pacto assinado por Flávio Dino e Brandão sejam cumpridos em novembro, quando pretende mostrar o cumprimento de todos os pré-requisitos para ser o candidato da base.

Brandão, por sua vez, também recuou na pressão para que Flávio Dino assuma logo sua preferência por ele. Mas continua realizando reuniões políticas com partidos fora da base, a exemplo do MDB e do PSD, que fazem oposição de Dino.

O vice-governador espera ser indicado em novembro dentro de critérios próprios, como o fato de que assumirá o governo em abril e terá condições de manter as políticas implantadas por Flávio Dino.

Neste clima mais amistoso é que os dois pré-candidatos vão se movimentando neste período de recesso parlamentar.

O clima deve esquentar, porém, a partir de agosto, quando ambos pretendem intensificar as articulações para se consolidar como a melhor opção do grupo.

Mas esta é uma outra história…

5

Movimentos de Weverton reforçam unidade na base de Flávio Dino…

Senador reúne os principais critérios definidos pelo próprio governador para escolha do candidato do seu grupo: alcance popular, apoio partidário e garantia de continuidade das ações do governo; e ainda reúne lideranças nacionais dos partidos alinhados ao campo popular e democrático

Senador Weverton Rocha reúne os critérios definidos pelo próprio governador Flávio Dino

Se fosse decidir hoje pela escolha do candidato da sua base – e levando em conta os critérios assinados por ele mesmo na carta-compromisso do dia 5 de julho – o governador Flávio Dino (PSB) optaria pelo senador Weverton Rocha (PDT).

Weverton é, hoje, o único candidato da base que atende aos pré-requisitos estabelecidos por Flávio Dino, quais sejam: alcance popular, conjunção de partidos e forças políticas e garantia de continuidade das ações do governo.

Weverton lidera todas as pesquisas de intenção de votos entre os candidatos da base, além de ter a maior percepção de vitória entre os eleitores e de apresentar a menor rejeição.

O senador pedetista reúne o maior número de partidos e lideranças na base do governo; além disso, tem apoio nacional de lideranças de peso, como o ex-presidente Lula, os presidentes da Câmara e do Senado e presidentes de partidos como PSOL, PDT, PCdoB, PSB e PT.

Weverton é também a garantia de continuidade das ações de Flávio Dino num eventual governo, o que se demonstra já agora, na lealdade ao governador.

São exatamente estes critérios que o próprio Dino quer do candidato escolhido.

É com base nessa garantia de Flávio Dino que Weverton vem cumprindo a sua parte no acordo.

O compromisso foi assumido também, pelo próprio presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, que aceitou os termos do “pacto” assinado por Dino, Weverton, Carlos Brandão (PSDB), Simplício Araújo (Solidariedade) e presidentes de partidos aliados.

A parte de Flávio Dino agora, é cumprir os termos deste documento.

A decisão está prevista para novembro…