0

Weverton nega que PDT tenha definido 2024: “não resolvemos nada ainda”, diz

Senador desmente especulações apontando pré-candidatos aptos e não aptos a formar aliança com o partido e diz que a fase atual é apenas de organização interna

Sob o comando do senador Weverton Rocha, PDT ainda está na fase da reorganização interna, sem definições para 2024

O senador Weverton Rocha (PDT) negou nesta quarta-feira, 20, suposto fechamento de questão do partido em torno de qualquer candidato a prefeito nas eleições de 2024.

– Não resolvemos nada ainda – afirmou o senador ao blog Marco Aurélio d’Eça, diante de notícia que levantam hipóteses de apoio a candidato A ou veto a candidato B.

Segundo ele, o PDT passará todo 2023 em reorganização interna, buscando o fortalecimento, para, só então, iniciar discussões sobre as eleições de 2024.

– Nesta fase, estamos cuidando da organização interna – revelou Weverton.

A posição do senador vai de encontroo à postagem do portal Repórter Tempo, que afirmou nesta quarta-feira, 20, uma definição do PDT para 2024.

– PDT bate martelo e decide não lançar candidato próprio à Prefeitura de São Luís – disse o blog, editado pelo consagrado jornalista Ribamar Correa. (Leia aqui)

Ao contrário do que apontou o post, O PDT não veta nenhum nome, segundo Weverton, e pode, inclusive ter candidato próprio.

Há duas posições atualmente públicas no partido:

1 – O presidente municipal vereador Raimundo Penha, defende apoio ao candidato do PSDB, seu colega de Câmara Municipal Paulo Victor;

2 – representantes dos movimentos sociais e comunitários do partido querem uma candidatura própria, e citam o ex-vereador Fábio Câmara como opção.

Penha e Câmara já se reuniram para discutir os caminhos, e o ex-vereador pretende conversa também com a ala dos chamados pedetistas históricos.

São esses os movimentos políticos atuais no PDT… 

0

Weverton destina R$ 9 milhões para obras de pavimentação no Maranhão

Senador beneficiou os municípios de São José de Ribamar, Peritoró e Santo Antonio dos Lopes, com emendas parlamentares de sua autoria

 

Weverton Rocha passou a semana passada em visita ao interior maranhense, onde entregou equipamentos e anunciou obras frutos de suas emendas parlamentares

O senador Weverton Rocha (PDT-MA) destinou R$ 9 milhões em emenda parlamentar para obras de pavimentação em três municípios maranhenses. São José de Ribamar recebeu R$ 5 milhões, que serão aplicados na pavimentação asfáltica da cidade.

Peritoró recebeu R$ 4 milhões; os recursos serão usados em estradas, poços e redes de distribuição de água.

Já para Santo Antônio dos Lopes, o parlamentar destinou R$ 65 mil, a serem aplicados em uma estrada vicinal.

“Sei a importância desses valores para a região. Vamos conseguir beneficiar diretamente a população local. Precisamos investir em insfraestrutura para melhorar a qualidade de vida do nosso povo”, declarou Weverton.

De acordo com o senador, a destinação de emendas é fundamental porque é a principal forma para ajudar os municípios.

“É importante garantir recursos para as cidades. Temos que resolver o problema das estradas no estado. Precisamos de uma solução definitiva. Nosso objetivo é a reconstrução da malha maranhense. A questão das redes distribuição de água também precisa ser prioridade”, explicou Weverton.

0

“Justiça ao povo que a elegeu”, diz Weverton sobre volta de Luanna em Vitorino Freire

Senador comentou em suas redes sociais que a decisão do ministro Luiz Roberto Barroso, do STF, pões as coisas em seu devido lugar; e defende a continuação das investigações “sem atrapalhar a normalidade da gestão municipal”

 

Weverton com Luanna e o ministro Juscelino Filho: “justiça ao povo de Vitorino Freire”

O senador  Weverton Rocha (PDT) comemorou em suas redes sociais a volta da normalidade administrativa em Vitorino Freire, com a volta da prefeita Luanna Rezende (União Brasil), por decisão do ministro Luiz Roberto Barroso.

– Faz-se justiça ao povo de Vitorino Freire, que a elegeu com ampla maioria – disse o senador.

Luanna Rezende foi afastada durante operação da Polícia Federal, há duas semanas; Para o senador, é preciso que as investigações mantenham a normalidade administrativa nos municípios.

– As investigações que sigam sem atrapalhar a normalidade da gestão municipal – frisou o parlamentar.

0

Líder comunitário também prega protagonismo do PDT em São Luís…

Filiado ao partido desde o início do ano, Sebastião Santos repete posicionamento do ex-vereador Fábio Câmara  e diz que, pela sua rica história, o partido tem quadros para montar um palanque forte tanto para disputar a prefeitura quanto para chegar à Câmara Municipal

 

O ato de retorno de Sebastião Santos à vida partidária, com a presença do senador Weverton Rocha, teve forte presença popular

O líder comunitário Sebastião Santos repercutiu durante todo o feriadão o conjunto de entrevistas do ex-vereador Fábio Câmara ao blog Marco Aurélio d’Eça, e também concordou que o PDT deve estar no centro das atenções do debate de São Luís em 2024.

Comentando as declarações do colega, Santos – que atua fortemente na região Itaqui-Bacanga – disse que o partido não pode descartar uma candidatura própria na capital maranhense.

– O PDT tem quadro para montar um palanque forte ao legislativo, como também para concorrer a prefeitura da Cidade dos Azulejos nas próximas eleições municipais – frisou o líder comunitário.

De volta á vida partidária desde maio, quando se filiou ao PDT, com a presença de Weverton Rocha, santo tem mantido forte militância no partido com “A força das comunidades”, espécie de diário eletrônico que distribui nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens.

Sebastião Santos elogiou a postura de Fábio Câmara, que decidiu permanecer no PDT e reforçou seu compromisso com o senador Weverton Rocha; chamou a opinião do colega partidário de “justa e correta provocação” e convidou comunidades e pedetistas a fazerem reflexão em torno do projeto.

– O PDT, pela sua rica história com São Luís, é pronto para estar no centro das atenções do debate da grande Ilha do Amor – ressaltou o líder comunitário.

0

Pedetistas traçam rumos para o partido em São Luís…

Presidente do diretório municipal Raimundo Penha defende o apoio irrevogável ao colega vereador Paulo Victor; o suplente de vereador e ex-candidato a prefeito Fábio Câmara, prega maior protagonismo do PDT, mas busca diálogo com todas as correntes políticas, sem fechar portas nem mesmo para o prefeito Eduardo Braide

 

Fábio Câmara e Raimundo Penha: primeiro café com pedetistas que pode evoluir para um projeto próprio do PDT em São Luís

O vereador Raimundo Penha e o suplente de vereador Fábio Câmara iniciaram nesta segunda-feira, 4, uma espécie de debate sobre os rumos do PDT nas eleições de 2024 em São Luís; os dois sentaram para um café, em que cada um expôs seus pontos de vista.

Presidente municipal do partido, Penha defende o apoio ao presidente da Câmara Municipal, seu colega Paulo Victor (PSDB), posição tomada ainda em 2022, embora não feche portas para o diálogo interno pedetista.

Câmara, por sua vez, entende que o PDT tem condições de ter papel mais significativo na capital maranhense, inclusive com candidatura própria a prefeito; mas sua posição também é de diálogo, inclusive com o prefeito Eduardo Braide (PSD), que, na opinião de Penha, deve perder a eleição.

A exposição dos pontos de vista dos dois pedetistas é a primeira iniciativa interna no partido sobre a sucessão municipal; deve envolver outros personagens do PDT, incluindo o senador  Weverton Rocha, o que agrada à ala histórica, que se ressente da falta de comunicação.

Tanto para Penha quanto para Fábio Câmara o PDT tem cacife histórico para estar na mesa eleitoral de 2024, seja para garantir bancada expressiva na Câmara, seja para compor uma chapa majoritária ou mesmo apresentar um nome ao eleitorado.

O início deste debate, ainda que reduzido a duas lideranças partidárias, chega em boa hora…

0

Duarte Júnior garante: “está certa minha candidatura com vice do PT”…

Declaração do deputado federal ao jornal O Globo põe em cheque a Federação Brasil-Esperança, que tem outros dois partidos além da legenda de Lula e ainda articula a filiação do ex-prefeito Edivaldo Júnior

 

Dando como certo o vice do PT, Duarte quer agora o PL de Josimar, o PP de Fufuca e o PDT de Weverton Rocha

O deputado federal Duarte Júnior (PSB) não titubeou ao declarar ao jornal O Globo, neste domingo, 3, que sua candidatura a prefeito de São Luís terá o apoio da federação Brasil-Esperança, com um vice indicado pelo PT.

– Está certa minha candidatura em São Luís, com vice do PT, consolidando o apoio da federação (PT, PCdoB e PV) – afirmou o parlamentar, que articula ainda outros partidos para sua coligação.

A declaração de Duarte põe em xeque outra articulação da federação, com o ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido). Edivaldo tenta filiar-se ao PV para ter a mesma federação em sua campanha; e já conta com apoio do PCdoB.

Duarte Júnior espera consolidar-se na base do governo Carlos Brandão com apoio de diversos outros partidos, da direita e da esquerda.

Ele fala no PL, de Josimar Maranhãozinho, no PP, de André Fufuca, e no PDT, do senador  Weverton Rocha.

E a convicção de suas declarações não deixam dúvida do que pretende…

0

Lideranças políticas criticam operação contra Luana Rezende…

Senador Weverton Rocha e ex-senador Roberto Rocha viram na batida da Polícia Federal ação com interesses políticos para atingir, não a prefeita de Vitorino Freire, mas seu irmão, o ministro das Comunicações Juscelino Filho

 

Luana é irmã do ministro Juscelino, personagem que, segundo as lideranças políticas, é o verdadeiro alvo das operações em Vitorino Freire

O senador Weverton Rocha (PDT) e o ex-senador  Roberto Rocha (PTB) criticaram fortemente a operação da Polícia Federal, nesta sexta-feira, 1º, contra a prefeita de Vitorino Freire, Luana Rezende.

As duas lideranças políticas viram na operação uma ação não contra a prefeita, mas para atingir seu irmão, o ministro das Comunicações Juscelino Rezende.

Em texto intitulado “Varre, vare vassourinha”, Roberto Rocha fez um apanhado históricos dos chamados “heróis salvadores” da pátria e critica a banalização das operações da Polícia Federal, que prendem para ouvir, ao invés de ouvir antes de prender.

– Mas alto lá! A democracia é justamente a barreira que não se pode ultrapassar. Que se investigue e se puna quando for o caso, mas jamais se puna preventivamente e de modo espetacularizado, como aconteceu com a prefeita – disse o ex-senador.

Ao fim do texto, Roberto faz o questionamento: “Talvez o alvo não seja nem a prefeita mas o seu irmão, o ministro das Comunicações deputado Juscelino Rezende Filho. Alguém duvida?”

Weverton Rocha se manifestou por meio de nota; ele lembrou que Juscelino Filho chegou a ter um pedido de mandado de prisão pela polícia federal, negado pelo ministro Luís Roberto Barroso.

– A expedição dos mandados de busca e apreensão e o afastamento da prefeita foram motivados por uma investigação que não começou agora, nem sofreu com resistência de cooperação da Prefeitura ou da prefeita. Luanna afirma que entregou todas as informações que lhe foram solicitadas – afirmou Rocha.

O blog Marco Aurélio d’Eça se manifestou ainda em janeiro sobre as tentativas de derrubar o ministro Juscelino Filho desde a sua posse; e aponto possíveis interessados no post “Tentativa de derrubada de Juscelino filho parte do Maranhão…”.

A manifestação das lideranças políticas só confirmam as afirmações deste blog; e mostram que é preciso dar um freio no autoritarismo.

E no aparelhamento das instituições democráticas.

0

Ainda indefinido, PDT gravita entre projetos eleitorais em São Luís

Enquanto o senador Weverton Rocha se afasta dos pedetistas mais alinhados ao governador Carlos Brandão – o que indica possibilidade de estar com Duarte Júnior, candidato do ministro Flávio Dino – o vereador Raimundo Penha reforça sua aliança com o presidente da Câmara, Paulo Victor, fechada desde o ano passado; mas o ex-vereador Fábio Câmara defende um maior protagonismo do partido em 2024

 

O PDT em uma foto: Osmar Filho alinhado a Brandão, que Weverton não apoia, mas dá o partido a Penha, que apoia exatamente o candidato de Brandão

Análise da Notícia

O PDT iniciou nas últimas semanas uma série de movimentos que acabam por confundir ainda mais sobre seu projeto para as eleições de 2024 em São Luís.

Há duas semanas, o deputado estadual Osmar Filho deixou a presidência do partido, após pouco mais de seis meses no posto. Ao blog Marco Aurélio d’Eça, disse tratar-se de ato já previsto: “meu mandato era de apenas sete meses”, afirmou.

Aliados do senador Weverton Rocha, no entanto, apontam que o movimento é mais um no processo de afastamento dos pedetistas mais alinhados ao governador Carlos Brandão (PSB), a exemplo do que já havia ocorrido com o também deputado Glalbert Cutrim.

Ocorre que a presidência de São Luís foi devolvida ao vereador Raimundo Penha, que desde o ano passado já está em campanha pelo colega Paulo Victor (PSDB), principal nome da base de Brandão, o que desmontaria a tese dos aliados de Rocha.

– Já conversamos; não existe mais isso. Ele [Penha] realinhou o projeto – disse Weverton ao blog Marco Aurélio d’Eça.

A posição do senador indicaria que o PDT pode mesmo apoiar o deputado federal Duarte Júnior (PSB) na disputa pela Prefeitura de São Luís, como parte do movimento de reaproximação entre Weverton e o ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), como já mostrou este blog Marco Aurélio d’Eça. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Mas dentro do PDT há outras correntes – sobretudo a histórica do partido – que defendem maior protagonismo em 2024.

Neste aspecto, quem dialoga com essas correntes é o ex-vereador e ex-candidato a prefeito Fábio Câmara, que defende o PDT no centro do debate eleitoral em São Luís.

– Temos nomes, temos força partidária, temos militância e temos, sobretudo, história em São Luís para debater a cidade – prega o suplente de vereador, único da atual nominata a assumir publicamente que permanecerá no partido de Weverton nas eleições de 2024.

Toda essa movimentação interna reflete o que lideranças como o ex-secretário Abdelaziz Santos e os ex-vereadores Rubem Brito e Renato Dionísio já manifestaram em artigos na imprensa maranhense: o PDT tem tempo para voltar ao protagonismo, mas precisa realinhar seu discurso, seu programa, sua doutrina.

E, sobretudo, seu projeto de poder…

0

Weverton elogia medida provisória que taxa “super-ricos”

O senador Weverton Rocha (PDT) elogiou a assinatura, pelo presidente Lula, da medida provisória que estabelece a cobrança de 15% a 22,5% sobre os rendimentos de fundos exclusivos pertencentes aos chamados ‘super-ricos’ (MP 1.184/2023).

“Essa taxação é para pessoas que têm investimentos acima de R$ 10 milhões. Um estudo da Receita Federal diz que esta parcela da população paga menos impostos que os professores, policiais, médicos. O imposto desses segmentos é muito maior. Então, é necessário você fazer justiça e, só se faz justiça social, claro, fazendo também a boa distribuição dos dividendos”, explicou o parlamentar.

A taxação dos fundos exclusivos já havia sido anunciada pelo governo, como uma forma de compensar as perdas de arrecadação diante do aumento da faixa de isenção do Imposto de Renda, aprovada pelo Congresso e também sancionada por Lula na última segunda-feira segunda. Com a medida, a previsão do governo é de arrecadar R$ 24 bilhões entre 2023 e 2026.

“Quero parabenizar o presidente Lula pela iniciativa e pela coragem que ele teve ao discutir a taxação dos super-ricos. Em um país como o Brasil, onde cerca de 30 milhões de pessoas discutem o que vão comer no dia, não é razoável que pessoas que têm acima de R$10 milhões na sua conta paguem menos imposto. Então, é um país de desigualdades que a gente tem como enfrentar na reforma tributária e com ações corajosas como essa MP que o presidente Lula assinou”, destacou Weverton.

Da assessoria

0

“Não estou procurando lado ou canto”, afirma Weverton sobre política maranhense

Senador lembra que passou a vida inteira filiado ao PDT, sempre no mesmo campo político, que seu partido esteve sempre do mesmo lado do PCdoB, do PSB e do PT – de forma política e ideológica – que sua disputa em 2022 não foi com Flávio Dino, mas com Brandão e que não participou antes de solenidades no Palácio dos Leões por que não recebeu convite do próprio Brandão

 

Responsável por emendas que resultaram na entrega de viaturas no Maranhão, Weverton não foi chamado por Brandão, mas participou de ato com Dino e Felipe

Protagonista dos últimos fatos po0líticos no Maranhão – como espécie de pivô de mais um momento de crise entre o ministro Flávio Dino e o governador Carlos Brandão (ambos do PSB) – o senador Weverton Rocha (PDT) deixou claro seu posicionamento político no estado.

– Nos últimos dez anos o PDT, com o PCdoB e o PSB e uma parte do PT, caminhamos juntos politicamente e ideologicamente no campo progressista. Infelizmente na eleição passada isso não foi possível, não tivemos as condições de estarmos juntos. Mas essa disputa não foi do Weverton com Flávio Dino, Flávio Dino com Weverton; a minha disputa foi com o antão candidato Carlos Brandão – deixou claro o senador, durante entrevista à TV Mirante.

O blog Marco Aurélio d’Eça publicou com exclusividade na última sexta-feira, 25, o post “O cachimbo da paz entre Flávio Dino e o Weverton…”, texto que mostrou a reaproximação do dois políticos, que horas depois protagonizaram imagens juntos no Palácio dos Leões.

Aquele evento repercutiu fortemente, com aliados de Flávio Dino e de Carlos Brandão tentando minimizar o fato de a solenidade ter ocorrido apenas três dias antes do retorno do governador de suas férias. Weverton, no entanto, deixa claro seu posicionamento. 

– Eu não estou em momento algum procurando lado ou canto; nós nos posicionamos sempre no nosso campo político – disse o senador.

Embora tivesse sido o pivô das especulações políticas, o senador do PDT explicou que veio a São Luís por que era de sua autorias as emendas que resultaram na entrega de viaturas e equipamentos de segurança às forças politicas maranhenses; e que já havia reclamado de Brandão, que não o chamou para evento parecido, ainda em julho.

– Eu inclusive fiz uma reclamação pública no mês de julho porque ele [Brandão] fez a entrega de sete viaturas que foram destinadas por mim para a Patrulha Maria da Penha sem sequer citar meu nome. Fiz essa reclamação pública, apesar de não terem me dado a palavra, mas está registrado que essas emendas são fruto de nosso trabalho, das nossas emendas parlamentares que eu destinei para o Maranhão; se ele convidasse, certamente eu estaria, porque é a institucionalidade que deve prevalecer – explicou.

Desde a sexta-feira, 25, Weverton voltou à cena política após a participação do ato no Palácio dos Leões.

E suas declarações desde então dão ainda mais o que falar…