0

Eduardo Braide garante mais uma emenda para o Hospital Aldenora Bello…

Braide observa a instalação de equipamento comprado com recursos de suas emendas parlamentares

O deputado Eduardo Braide anunciou a destinação de mais uma emenda parlamentar para o Hospital do Câncer Aldenora Bello. O comunicado foi feito durante reunião, nesta quarta-feira (31), com a diretoria da Fundação Antônio Dino, entidade mantenedora do hospital. O recurso deverá ser utilizado para a aquisição da pastilha de cobalto, que é a fonte de energia utilizada na máquina de tratamento por radioterapia.

O parlamentar também entregou à direção a autorização para a compra do Mamógrafo Digital e visitou as obras de construção da UTI Pediátrica e de instalação do Mamótomo – frutos de três outras emendas também de sua autoria. 

O Hospital Aldenora Bello é referência no tratamento de câncer no Maranhão. Anualmente são realizados mais de 220 mil atendimentos, 4.714 cirurgias, 31.612 quimioterapias e 5.711 sessões de radioterapia.

O deputado Eduardo Braide destacou que, desde o início do seu mandato, em 2011, tem destinado, anualmente, emendas parlamentares para atender às necessidades mais imediatas do hospital. Os recursos já garantiram a aquisição de microscópio cirúrgico, aparelhos para a realização de biópsias, mamótomo, mamógrafo digital e equipamentos para a UTI Pediátrica. 

Agora, o parlamentar destinará R$ 1 milhão em emenda, deste ano, para a compra da pastilha de cobalto.

Segundo a direção do hospital, existe atualmente uma fila de aproximadamente 1 ano de espera pela radioterapia, principal tratamento para o câncer.

“Uma das maiores dificuldades que se tem hoje no tratamento do câncer é a radioterapia. Esse é um aparelho, por exemplo, que funciona inclusive no período da madrugada, e que tem uma pastilha que está acabando a sua vida útil. Por conta disso, nós decidimos destinar a emenda deste ano para a compra de uma nova pastilha da bomba de cobalto, que faz exatamente a radioterapia. Esperamos que esse procedimento possa ser realizado o mais rápido possível, para que essa nova parte do equipamento chegue e coloque à disposição do povo maranhense um tratamento de melhor qualidade”, assinalou o deputado Eduardo Braide.

“Essa iniciativa é muito importante, pois somos um hospital que atende majoritariamente pelo SUS, e esse recurso é todo revertido para ajudar realmente quem precisa. Todas as emendas que foram destinadas pelo deputado foram muito importantes. Agora, a substituição da pastilha de energia do cobalto, que vai possibilitar que a gente continue com esse equipamento tratando os pacientes”, destacou Antônio Dino Tavares, vice-presidente da Fundação Antônio Dino.

0

Fábio Macedo viabiliza ambulância para Conceição Lago Açu…

Fábio Macedo com Alexandre Lavepel na entrega da ambulância

O deputado estadual e segundo vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fábio Macedo (PDT), realizou ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB), a entrega de uma ambulância para o município de Conceição Lago Açu.

“Hoje é mais um dia para comemorar, essa ambulância já era uma demanda solicitada pela população de Lago Açu, que terá os serviços de saúde ainda mais qualificados, com tranporte seguro e confortável dos pacientes. É uma felicidade entregar mais esse  benefício nas mãos do prefeito Alexandre Lavepel, que muito tem lutado pela cidade”, disse Macedo.

O veículo que vai prestar serviços relevantes de saúde para a cidade, foi adquirido com emenda parlamentar do pedetista em parceria com o Governo do Estado.

0

Bancada garante mais de R$ 1 bilhão em emendas para o Maranhão..

Deputado Hildo Rocha abre a “caixa preta” da indicação dos parlamentares e mostra o que foi feito pela bancada federal

 

Hildo Rocha foi relator de alguns setores na comissão do orçamento

A bancada federal maranhense encaminhou ao orçamento da União, para 2018, um total de R$ 1.197.494.991,00, sendo R$ 430 milhões apenas para a área de Saúde.

Os dados fazem parte de levantamento feito pelo deputado federal Hildo Rocha (PMDB, ele próprio autor de várias propostas.

– Para garantir que pelo menos parte dos recursos previstos sejam obrigatoriamente assegurados recomendamos que R$ 160 milhões sejam garantidos por emendas impositivas. Cada bancada tem direito a duas emendas impositivas. Então, nós estabelecemos uma no valor de R$ 70 milhões, para a saúde pública e outra de R$ 90 milhões para promover o desenvolvimento do Maranhão, por meio da Codevasf – explicou.   

Informações distorcidas

Rocha lamentou que alguns deputados tenham divulgado informações distorcidas acerca do assunto.

– Diferente do que alguns deputados andaram divulgando, não é verdade que a bancada federal tenha proposto a diminuição de recursos da saúde. Ora, se o orçamento para o ano de 2018 ainda nem foi aprovado, como é que pode ter havido diminuição de algo que ainda não existe efetivamente? – questionou.

O deputado destacou que graças a um eficiente trabalho de articulação realizada por ele, a partir de 2016 o Maranhão obteve um acréscimo de R$ 80 milhões nos recursos do teto financeiro que possibilitou a diversos municípios promoverem consideráveis melhorais nos atendimentos  da saúde.

– Graças a esse trabalho Buriticupu; Presidente Dutra, São José de Ribamar, entre outros municípios e o governo do estado passaram a receber, desde o início de 2016, mais recursos para a Média e Alta Complexidade – enfatizou Hildo Rocha.

De acordo com o parlamentar, os senadores recomendaram mudanças nos critérios de repasses de recursos da saúde para evitar que o governador penalize municípios governados por prefeitos que não rezam na cartilha comunista.

– Muitos prefeitos enfrentam dificuldades porque o governo cortou repasses que eram fundamentais para a o funcionamento das unidades hospitalares municipais. Então, o que os senadores pensaram e disseram é que os recursos devem ser repassados direto do Ministério da Saúde para as prefeituras evitando assim o uso político eleitoreiro por parte do governo comunista que pensa apenas em forçar a adesão de apoiadores na tentativa de se reeleger na eleição do próximo ano – declarou Rocha.

1

Flávio Dino vetou mais de R$ 12 milhões em emendas para a Saúde…

Governador, que reclama de forma como senadores querem emendar o Orçamento da União, não libera valores indicados por deputados estaduais que lhe fazem críticas na Assembleia

De O EstadoMaranhão, com edição do blog

Envolvido em uma polêmica depois de acusar a bancada maranhense no Senado de manobrar para não enviar aos municípios do Maranhão recursos da ordem de R$ 160 milhões referentes às emendas de bancada, o governador Flávio Dino (PCdoB) foi duramente criticado por parlamentares em todos os níveis.

Na quinta-feira, 19, o comunista foi às redes sociais reclamar dos senadores Edison Lobão (PMDB), João Alberto (PMDB) e Roberto Rocha (PSB). Disse o governador que os representantes do Maranhão se recusaram a cumprir um acordo que garantiria que a totalidade dos recursos seria destinada ao Governo do Maranhão, para então ser reencaminhada às prefeituras – para investimentos na área da Saúde.

– Um absurdo que uma parte da bancada federal negue uma emenda parlamentar e prejudique a saúde dos municípios, supostamente para me atingir – escreveu.

A postura de Flávio Dino gerou rápida reação dos três senadores.

Além disso, deputados que fazem oposição ao governo na Assembleia Legislativa argumentaram que o comunista não tem legitimidade para reclamar da destinação de emendas, quando ele próprio não libera aquelas apresentadas pelos oposicionistas pelo que consideram revanchismo político.

Levantamento de O Estado aponta que os deputados têm razão.

Cada um deles tem, atualmente, direito a indicar até R$ 3,5 milhões em emendas ao Orçamento. Em 2017, no entanto, o governador já deixou de destinar mais de R$ 7 milhões para a Saúde de municípios maranhenses ao não liberar emendas de pelo menos cinco deputados de oposição.

O comunista vetou integralmente as indicações dos deputados Adriano Sarney (PV), Andrea Murad (PMDB), Edilázio Júnior (PV), Sousa Neto (Pros) e Eduardo Braide (PMN).

Num dos casos de maior destaque recentemente, Dino foi alvo de fortes criticas por não liberar mais de R$ 1,4 milhão à Fundação Antônio Jorge Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello.

Para a unidade, foram destinadas emendas de Andrea Murad (R$ 200 mil), Graça Paz (R$ 300 mil), Edilázio Júnior (R$ 200 mil) e Eduardo Braide (R$ 700 mil).

Com reportagem de Gilberto Léda

1

Flávio Dino resiste a liberar quase R$ 1 milhão para o Hospital do Câncer…

Recursos são frutos de emendas parlamentares encaminhadas por deputados que não compõem a base do governo, mas têm ligação histórica com o Aldenora Bello

 

POLITICAGEM. Aldenora Bello precisa de recursos para se manter; e Flávio Dino resiste a liberar

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem resistido a liberar as emendas parlamentares aprovadas na Assembleia que destinam recursos para o Hospital Aldenora Bello.

São quase R$ 1 milhão em emendas, encaminhadas pelos deputados Eduardo Braide (PMN), Edilázio Júnior (PV) e Graça Paz (PSL).

No mês passado, Graça Paz chegou a discursar na tribuna da Casa dizendo estar “rogando a Deus” para que tocasse no coração do comunista em favor do hospital do Câncer. (Releia aqui)

Parece não ter surtido efeito, o que levou o colega Braide a gravar vídeo, em que também apela para a sensibilidade do governador. (Veja o vídeo)

Hospital de referência no tratamento de câncer no Maranhão, o Aldenora Bello vive de doações e projetos públicos para se manter.

Mas parece não estar tocando no coração do governo comunista…

0

PEC da Emenda Impositiva começa a tramitar na Assembleia Legislativa…

César Pires é autor da proposta que torna impositiva as emendas parlamentares

A Proposta de Emenda Constitucional 006/2017, de autoria do deputado César Pires, foi publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa do Maranhão desta quarta-feira (13) e passa a tramitar nas comissões técnicas da Casa.

A PEC torna obrigatória a execução da programação orçamentária estadual com as emendas aprovadas pelo parlamento estadual.

A chamada PEC da Emenda Impositiva foi publicada com 14 assinaturas, mas depende de 27 votos para ser aprovada e poder ser aplicada a partir do Orçamento do Estado para 2018. Ela altera o artigo 137 da Constituição Estadual, que no inciso 7º passaria a vigorar com o seguinte texto: “As emendas individuais ao projeto de lei orçamentária serão aprovadas no limite de um inteiro e cinco décimos por cento da receita corrente líquida prevista no projeto encaminhado pelo Poder Executivo, sendo que a metade deste percentual será destinada a ações e serviços públicos de saúde. E pelo inciso 8º “é obrigatória a execução orçamentária e financeira das programações a que se refere o inciso 7º”.

Esta é a quarta vez que César Pires apresenta a PEC da emenda impositiva, para assegurar que todos os deputados, independente de serem apoiadores ou oposição ao governo estadual, tenham garantido o direito de destinar emendas ao Orçamento do Estado para os municípios.

“Os governos do Piauí, São Paulo, Goiás e Paraná, por exemplo, já implantaram a emenda impositiva, assim como a Câmara Federal. Não é uma afronta ao governo, não se trata de ser a favor ou contra o atual governante, mas sim uma defesa das nossas prerrogativas de parlamentares”, finalizou César Pires.

0

César Pires apresenta projeto por emenda impositiva…

Pires quer obrigar governo Dino a pagar emendas

O deputado César Pires (PEN) reapresentou à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece a chamada “emenda impositiva”, tornando obrigatória a execução da programação orçamentária do Estado com as emendas aprovadas pelo parlamento estadual. A matéria deverá ser votada pelo plenário no reinício dos trabalhos legislativos, em agosto.

A PEC altera o artigo 137 da Constituição Estadual, que no inciso 7º passa a vigorar com o seguinte texto: “As emendas individuais ao projeto de lei orçamentária serão aprovadas no limite de um inteiro e cinco décimos por cento da receita corrente líquida prevista no projeto encaminhado pelo Poder Executivo, sendo que a metade deste percentual será destinada a ações e serviços públicos de saúde.

E pelo inciso 8º “é obrigatória a execução orçamentária e financeira das programações a que se refere o inciso 7º”.

“O que estamos propondo aqui é simplesmente para fazer prevalecer o que um dia o governador disse nesta tribuna, que seu governo seria republicano e haveria isonomia entre os deputados estaduais, pois esta não é a realidade que vivemos hoje”, declarou César Pires, ao lembrar que esta é a quarta vez que apresenta a PEC da emenda impositiva. A proposta já conta com 17 assinaturas e são necessárias no mínimo 14 para tramitar. Para ser aprovada, precisa de 27 votos.

César Pires defendeu a aprovação da PEC para assegurar que todos os deputados, independente de serem apoiadores ou oposição ao governo estadual, tenham garantido o direito de destinar emendas ao Orçamento do Estado para os municípios.

“Os governos do Piauí, São Paulo, Goiás e Paraná, por exemplo, já implantaram a emenda impositiva, assim como a Câmara Federal. Então, conclamo meus pares a deixarem este legado”, ressaltou ele.

No início deste ano, César Pires obteve 15 assinaturas para apresentar a PEC, mas dois deputados logo recuaram.

“Das 17 assinaturas que temos hoje, tenho certeza de que muitos serão forçados a retirá-las até o início de agosto, mas lembro aos governistas que recentemente o deputado federal Rubens Junior (PCdoB) enfatizava que o ex-deputado Eduardo Cunha deixou pelo menos um legado importante, que foi justamente ter aprovado a emenda impositiva na Câmara Federal”, declarou.

César Pires pediu que os deputados não se acovardem, que não cedam a pressão e votem com convicção, para que possam ter suas emendas garantidas,independente de quem seja o governador.

“E alerto que,se não aprovarmos agora, ano que vem de nada valerá, porque só servirá para o próximo governo. Vamos contribuir para que o governador possa, de fato, fazer um governo republicano”, finalizou.

0

Manipulação de emendas por Flávio Dino gera ruídos entre deputados…

Governador não libera recursos para os parlamentares, e os utiliza em programas do próprio governo gerando conflitos nas bases eleitorais no interior

 

Uma das entregas de ambulância para Pinheiro e Vargem Grande: quatro deputados com emendas

Pelo menos duas ações do governo Flávio Dino (PCdoB), atribuídas a emendas de deputados estaduais de sua base, tem gerado conflito entre os próprios parlamentares governistas.

Dino recusa-se a liberar os recursos das emendas parlamentares aprovadas na Assembleia Legislativa. No lugar disso, prefere levar deputados para entrega de obras, programas, serviços e equipamentos do próprio governo e apresentá-los como “pais da criança”.

Isso vem ocorrendo há duas semanas, por exemplo, com o programa “Mais Asfalto” e a entrega de ambulâncias para prefeituras.

Ocorre que, em muitos casos, há mais de um deputado com atuação no município ou região, o que gera ruído sobre a quem, de fato, pertence a emenda supostamente utilizada na viabilização do projeto.

Os ônibus do programa “Escola Digna”; e um grupo de deputados como “pais da criança”

A situação de constrangimento ocorreu em Urbano Santos, com os deputados Othelino Neto (PCdoB) e Zé Inácio (PT); e em Vargem Grande, com o mesmo Othelino e o deputado Fábio Braga (SD).

Os deputados Glalbert Cutrim (PDT) e Stênio Rezende (DEM) também já dividiram a mesma ambulância como sendo fruto de sas emendas.

Além da crise na base pela liberação de supostas emendas, o clima fica tenso também entre os prefeitos.

É que as ambulâncias entregues pelo governo são padronizadas levando em conta as necessidades do próprio governo; os gestores dizem que, com os recursos em mãos, eles podem optar por viaturas montadas levando em conta as especificidades de cada região.

Há outras ações programadas por Flávio Dino em que ele pretende agraciar deputados.

Sinal de que a crise irá continuar…

3

Eliziane destina emenda para reforma do Centro de Criatividade Odylo Costa Filho…

Parlamentar participou em São Luís, nesta sexta-feira, da assinatura de convênio para a reforma do prédio

 

Eliziane assina documento que destina sua emenda para o Odylo

A deputada federal Eliziane Gama participou nesta sexta-feira (16) da cerimônia de assinatura do convênio entre o Governo do Maranhão, a Secretaria de Cultura e Turismo, a Caixa Econômica Federal e a Agência Nacional do Cinema (Ancine), órgão veiculado ao Ministério da Cultura.

Na oportunidade foi assinado o convênio para a reforma do Centro de Criatividade Odylo Costa Filho.

O recurso para o projeto é fruto de emenda parlamentar de autoria da deputada Eliziane Gama.

“Quando a gente pensa em educação, não podemos deixar de lado a questão cultural”, afirmou a deputada.

4

Hildo Rocha destaca ação de deputados em favor da BR-135…

A chegada do pemedebista Michel Temer ao posto de presidente reacendeu a esperança de que finalmente a duplicação da BR-135 seja concretizada. Na semana passada deputados federais do Maranhão participaram de audiência com o novo ministro dos Transportes, Maurício Quintela.

Entre os participante do encontro parlamentares estava o deputado Hildo Rocha, parlamentar que desde o início do mandato tem dedicado atenção especial ao assunto.

– O ministro nos garantiu que a duplicação do primeiro trecho (Estiva/Bacabeira) será concluída ainda este ano – declarou Rocha.

O parlamentar informou ainda que a licitação para o segundo trecho (Bacabeira/Miranda do Norte) também será realizada até dezembro.

Veja o vídeo acima…