0

Força Tarefa já recuperou metade da propina da Lava Jato…

Estimativa da Justiça é que R$ 6 bilhões dos recursos pagos em obras e serviços relacionados à Petrobras foram usados em pagamento de deputados e lobistas; destes, quase R$ 3 bilhões já voltaram aos cofres públicos

 

O alto número de prisões deixou famoso o "japonês da Federal"

O alto número de prisões deixou famoso o “japonês da Federal”

Pelo menos R$ 3 bilhões dos R$ 6 bilhões usados em pagamento de propinas no esquema que foi desmontado na operação Lava Jato, já voltaram aos cofres públicos brasileiros.

No total, 179 pessoas estão sendo investigadas no esquema, que já resultou na prisão de um senador, na queda do presidente da Câmara e na iminente queda da presidente da República.

O esquema, cujas investigações já chegaram a 30 fases, envolve políticos, empresários e até o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e parte da cúpula do PT nacional.

Do total de investigados, 84 já foram condenados, em penas que somam mais de 825 anos de prisão.

Foram feitos também 43 acordos de colaboração, as chamadas delações premiadas.

1

Advogados de Waldir Maranhão dizem que Fernando Neves não atua em sua defesa…

Escritório confirma, no entanto, que o próprio Maranhão, assim como os advogados citados em reportagem do Jornal Nacional,d a TV, também é investigado no esquema descoberto pela Operação Lava Jato

 

O escritório Mário de Oliveira Filho Advogados Associados encaminhou nota ao blog para informar que os advogados Michel Saliba e Fernando Neves, que tiveram sigilo bancário e fiscal quebrados pelo Supremo Tribunal Federal, não atuam na defesa do vice-presidente da Câmara Federal, dpeutado Waldir Maranhão.

A informação de que advogados de Maranhão tiveram os sigilos quebrados foi dada ontem pelo Jornal Nacional e reproduzia neste e em outros blogs maranhenses.

O escritório garante:

– Diferente do noticiado no JN, o parlamentar maranhense é representado na Lava Jato pelo escritório Mário de Oliveira Filho Advogados Associados, e não por Saliba, que juntamente com o Fernando Neves teve os sigilos fiscal e bancário quebrados por determinação da STF.

Mas o próprio Mário de Oliveira Filho Advogados Associados confirma que Waldir Maranhão também é investigado pela Lava Jato, embora ressalte que “sem nenhuma denúncia formal no caso”.

Esclarecido, então: Waldir é investigado na Lava jato, mas nada tem a ver com os advogados que tiveram o sigilo quebrado.

Simples assim…

3

Sem provas contra Lobão e Roseana, procurador pede tempo…

Rodrigo Janot e seus auxiliares não conseguiram, até agora, ao menos um indício da acusação contra os dois maranhenses, e agora pedem mais 60 dias de prazo para concluir a investigação

 

Roseana e Lobão: cada vez mais distantes da acusação

Roseana e Lobão: cada vez mais distantes da acusação

Sem qualquer vestígio da acusação que fez contra o senador Edison lobão e a ex-governadora Roseana Sarney (ambos do PMDB), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu mais tempo para continuar as investigações.

No bojo das investigações da Operação lava-Jato, Janot embarcou – sabe-se lá por que – na história de que lobão teria pedido R$ 2 milhões ao ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, para a campanha de Roseana.

mas, passado todo este tempo – quase um ano, desde a acusação – Janot e seus auxiliares não encontraram sequer um vestígio de que a operação ocorreu, de fato.

Agora, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascky, pressiona o procurador para apresnetar as provas, sob pena de extinção da ação.

Para ganhar tempo, o procurador pediu mas 60 dias de prazo.

8

Hildo Rocha faz grave denúncia contra os irmãos Flávio e Nicolao Dino…

Deputado federal diz suspeitar que Flávio Dino seja um dos dois governadores comunistas beneficiados com o “propinoduto da lava jato”. E diz mais: que seu irmão, o procurador Nicolao Dino, pode estar atuando para abafar sua participação no caso

 

Nicolao Dino com Rodrigo Janot: por que só um governador divulgado?

Nicolao Dino com Rodrigo Janot: por que só um governador divulgado?

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) fez ontem forte denúncia contra o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e seu irmão, o procurador-geral adjunto Nicolao Dino.

Em discurso na Câmara, Rocha disse haver motivos para suspeitar que Dino seja um dos dois governadores do PCdoB que receberam propina da UTC – segundo afirmou seu próprio presidente, em delação premiada – e que o nome dele esteja sendo omitido nos vazamentos do caso pelo irmão, que é o mais influente assessor do procurador-geral da República Rodrigo Janot.

– Não quero acreditar que o procurador Rodrigo Janot, e muito menos o Nicolao Dino, estejam escondendo o nome de Flávio Dino do propinoduto da lava Jato – afirmou o parlamentar, na tribuna da Câmara.

Em seu discurso, Hildo Rocha citou matéria da revista Veja, baseada na delação premiada do dono da UTC, Ricardo Pessoa, listando as doações legais e ilegais aos candidatos do PCdoB, via deputada Jandira Feghali (RJ), muito próxima de Dino. (Veja vídeo acima)

Para reforçar seu argumento, Rocha citou matéria do jornal Folha de S. Paulo, que aponta para o recebimento de propina por dois candidatos  a governador do PCdoB, mas cita o nome de apenas um.

– Eu oficiei à Procuradoria-Geral da República, pedindo o nome do outro governador. E a resposta deles foi a de que não podiam revelar por que ainda estava em sigilo. Não quero acreditar que estejam escondendo o nome de Flávio Dino – ponderou Hildo Rocha.

Leia também:

Apenas um pequeno detalhe…

As denúncias de Hildo Rocha tornam-se mais graves pelo fato de que há mesmo uma relação próxima entre Flávio Dino e a UTC, doadora das suas campanhas em 2010 e 2014. Ocorre que o próprio dono da empresa afirma ter dado dinheiro de forma legal e de forma ilegal nessas campanhas.

Flávio Dino durane a campanha: propinoduto abasteceu contas do PCdoB, segundo delator

Flávio Dino durane a campanha: propinoduto abasteceu contas do PCdoB, segundo delator

É grave acusação do deputado federal de que um procurador da República possa estar agindo para proteger interesses do irmão governador.

É grave também que o Ministério Público divulgue o nome de um candidato a governador listado no propinoduto da lava jato e esconda o nome de outro.

E todas essas ações suspeitas, como disse o próprio Hildo Rocha, acabam por levar a Flávio Dino.

Com a palavra o Ministério Público Federal…

4

Só a palavra de um contra o outro…

Costa e Yulseff: um nega o que o outro diz

Costa e Yulseff: um nega o que o outro diz

A acareação entre o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Yulseff praticamente encerrou a questão envolvendo a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) na Operação Lava Jato.

No caso há apenas a palavra de um contra o outro, o que, para a essência da Lei, não tem valor de julgamento algum.

Costa diz que mandou Yulseff repassar R$ 2 milhões para a campanha de Roseana. Yulseff diz que nunca realizou tal operação. Ponto final.

Está claro que a operação Lava jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro – tendo como coadjuvante a Procuradoria-Geral da República – é uma ação absolutamente político-partidária. E, sendo assim, a partir dela, tudo pode acontecer, inclusive a condenação de inocentes, úteis ao embate PSDB X PT.

Mas, pela análise fria das provas, a Justiça não tem outra saída a não ser a de arquivar as denúncias contra Roseana, por absoluta falta de provas.

Aliás, coisa que seus advogados já pediram desde o início das investigações político-midiáticas

É aguardar e conferir…

4

Lula teme ser alvo da Lava Jato…

Dilma e Lula temem pelo pior

Dilma e Lula temem pelo pior

A cúpula do Partido dos Trabalhadores, a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva estão em estado de prontidão, neste fim de semana, após a prisão de diretores das empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht. Para os petistas, está claro que o objetivo é chegar nas lideranças do partido.

Lula, inclusive, já comentou com aliados que acha ser ele o próprio alvo do juiz Sérgio Moro, responsável pela investigação da Lava Jato.

– A ideia é trazer um recado claro de que a lei vale efetivamente para todos – afirmou o delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF no Paraná, Igor Romário de Paula.

– Não importa o tamanho da sua empresa, seu destaque na sociedade, sua capacidade de influência, seu poder econômico. Isso jamais vai poder ser prerrogativa para permitir a essas pessoas e empresas a praticar crimes de forma impune – afirmou ele.

As declarações dos delegados a respeito da operação levam a cúpula do PT a imaginar que existam uma orquestração para atingir o ex-presidente Lula.

Eles citam, inclusive, reportagens da revista Veja, desde março, que apontam neste sentido – e que mostram que a prisão dos donos da Odebrecht – empresa que doou ao Instituto Lula e contatou a empresa de palestras do ex-presidente – seria o último passo antes de chegar ao líder do PT.

1

Aluísio condena dispensa de convocados da CPI da Petrobras…

Aluísio questiona aos membros da CPI os motivos para dipensar depoentes

Aluísio questiona aos membros da CPI os motivos para dipensar depoentes

Apesar de ter convocado empreiteiros investigados na Operação Lava Jato, a CPI da Petrobras blindou-os de questionamentos e dispensou dois ex-executivos de prestarem depoimentos,  entre eles o vice-presidente da construtora Camargo Correa, Eduardo Hermelino Leite.

 A atitude foi questionada pelo deputado Aluísio Mendes e por outros parlamentares federais integrantes da CPI. 

– Queremos é ter oportunidade de ouvir a todos, mesmo aqueles que estão em silêncio. Minha preocupação é que possa parecer para a opinião pública que há uma organização aqui para poupar os empreiteiros. Antes de os empreiteiros sentarem aqui, nós ouvimos inclusive aqueles que ficaram em silêncio – discursou Mendes.

4

Com ataques aos Sarney, Eliziane acena para Flávio Dino..

Eliziane tem posição destacada na CPI, mas pode errar eleitoralmente

Eliziane tem posição destacada na CPI, mas pode errar eleitoralmente

A deputada federal Eliziane Gama (PPS) comprou, com claro objetivo político,  uma briga de proporções gigantescas, na semana passada.

Membro destacada da CPI da Petrobras, ela partiu pra cima de um dos diretores da empresa, tentando arrancar dele declarações contra a ex-governadora Roseana Sarney e contra o senador e ex-ministro Edison Lobão (ambos do PMDB).

E chegou a tentar envolver, inclusive, o ex-presidente José Sarney, numa ação que soou estranha as olhos políticos, mas que tinha um objetivo claro: mostrar ao grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) que ela não é sarneysista.

Eliziane vem sofrendo ataques da mídia alinhada a Flávio Dino – apesar de ser o prefeito Edivaldo Júnior (PTC), afilhado do governador, quem mais faz acenos para membros do grupo Sarney.

A ação dela contra a ex-governadora foi uma tentativa de mostrar aos fieis seguidores do comunista que ela nunca estará com os adversários dele.

A estratégia quase kamikaze tem seus riscos.

Além de afastar definitivamente qualquer possibilidade de aliança com partidos ligados à oposição – como PMDB, PV, DEM e PTB, por exemplo – Eliziane também fecha as portas para outros setores sarneysistas simpáticos ao seu nome.

E ainda por cima, não deverá convencer nenhum membro do grupo dinista.

Pelo simples fato de que eles não querem ser convencidos de nada…

2

CPI da Petrobras vai ouvir doador de Flávio Dino…

Aluísio teve importante Requerimento aprovado na CPI a Ptrobras

Aluísio teve importante Requerimento aprovado na CPI a Ptrobras

A Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga denúncias de corrupção na Petrobras aprovou ontem Requerimento de autoria do deputado maranhense Aluísio Mendes (PSDC) para que seja ouvido  José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da Construtora OAS.

A OAS doou R$ 3 milhões à campanha do governador Flávio Dino (PCdoB), em 2014.

A prestaçãod e contas do PCdoB: OAS foi uma das maiores doadoras

A prestação de contas do PCdoB, com párte das doações da OAS, uma das maiores doadoras

O requerimento de Aluísio Mendes estabelece, inclusive, o objetivo da oitiva com o empreiteiro: “prestar esclarecimentos sobre doações feitas a partido e candidatos nas eleições de 2010 e 2014”.

Para o deputado maranhense, estes esclarecimentos da OAS são fundamentais, diante dos bilhões desviados da Petrobras.

E da expressão política dos envolvidos no esquema…