0

Levy Fidélix é condenado por homofobia…

Ao responder a questionamento sobre leis para o segmento LGBT, na campanha de 2014, candidato a presidente falou em “combater homossexuais” e disse que eles precisam ser atendidos “no plano psicológico”

Levy Fidélix: apenas um estúpido

A Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo manteve a condenação do presidente do PRTB, Levy Fidelix, foi multado por ‘prática de discriminação homofóbica’. Fidelix deverá pagar R$ 25.070 por ter feito declarações homofóbicas durante debate das eleições de 2014.

A denúncia de discriminação homofóbica foi formulada pela Coordenação de Política para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, contra Levy Fidelix.

Durante o debate de 2014, a candidata Luciana Genro (PSOL) fez uma pergunta a Fidelix sobre suas políticas para a defesa dos direitos da chamada comunidade LGBT, de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais, no caso de ser eleito.

Na resposta, o candidato do PRTB associou a homossexualidade à pedofilia e a doenças mentais e fez uma espécie de conclamação da maioria para o “enfrentamento” da minoria sexual.

– Aparelho excretor não reproduz. Como é que pode um pai de família, um avô, ficar aqui escorado porque tem medo de perder voto? Prefiro não ter esses votos, mas ser um pai, um avô que tem vergonha na cara, que instrua seu filho, que instrua seu neto. Vamos acabar com essa historinha. Eu vi agora o santo padre, o papa, expurgar – fez muito bem – do Vaticano um pedófilo – afirmou Fidélix

Ainda no debate, o candidato dom PRTB continuou com o discurso:

– Então, gente, vamos ter coragem. Nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los. Não tenha medo de dizer ‘sou pai, uma mãe, vovô’, e o mais importante é que esses que têm esses problemas realmente sejam atendidos no plano psicológico e afetivo, mas bem longe da gente, bem longe mesmo porque aqui não dá.

Fidélix responde a outros processos por agressões a LGBTs…

4

A vitória de Trump e o futuro político no Brasil…

Quando figuras como Vladimir Putin, Marize Le Pen, Silas Malafaia e Jair Bolsonaro comemoram a vitória de um líder mundial como o novo presidente dos Estados Unidos, é de se esperar dias nebulosos para a comunidade mundial

 

Donad Trump comemora vitória: ascensão do republicano agita comunidade de extrema direita no mundo inteiro

Donad Trump comemora vitória: ascensão do republicano agita comunidade de extrema direita no mundo inteiro

Este blog tem alertado desde o início do segundo turno, que cada vez mais líderes não-políticos têm chegado ao poder .

O chamados outsiders, que rejeitam rótulos e convenções da política tradicional, esnobam os partidos e conquistam a população de forma direta chegaram ao poder em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Assim como este blog, o governador Flávio Dino (PCdoB) também percebeu este movimento, e demonstrou preocupação sobre o fenômeno. (Releia aqui)

A vitória do0 magnata Donald Trump nos Estados Unidos é resultado desta tendência; ou talvez a causa maior dela ao redor do mundo.

Mas se a tendência é real para o bem, é também para o mal

Ultranacionalista, imperialista, xenófobo, racista e sexista em doses altas, Trump se dá ao luxo de assumir todos estes predicados sem a preocupação de desgaste, por que, deixa claro, não é um político tradicional.

E é exatamente este o risco.

Basta ver os nomes que comemoraram sua vitória ao redor do mundo: Vladmir Putin, na Rússia; Marine Le Pen, na França, dentre outros representantes da extrema direita na comunidade internacional. (Leia aqui)

marcos Feliciano com Jair Bolsonaro: ameaças reais ao Brasil livre

marcos Feliciano com Jair Bolsonaro: ameaças reais ao Brasil livre

Para o Brasil, o efeito mais perigoso é a ascensão de gente como o deputado federal Jair Bolsonaro, representante-mor do primitivismo político, social e religioso.

Talvez até por isso, gente do quilate de Silas Malafaia e Marcos Feliciano tenham batido palmas para a vitória do republicano.

Por todos estes aspectos, o mundo amanheceu pior neste 9/11 – que é, curiosamente, um número inverso ao 11/9, uma data triste no calendário internacional.

E a tendência é que se torne ainda pior de hoje em diante…

1

Weverton Rocha sai em defesa de Waldir Maranhão…

Em discurso na tribuna da Câmara, deputado maranhense diz ver ofensas e preconceitos nos posicionamentos contra o presidente interino da Casa

 

Weverton: duro discurso contra o preconceito

Weverton: duro discurso contra o preconceito

O deputado Weverton Rocha (PDT) subiu à tribuna da Câmara Federal nesta terça-feira, 17, para classificar de “preconceituosos e ofensivos” os ataques sofridos pelo presidente interino da Câmara Federal, deputado Waldir Maranhão (PP).

Para o pedetista, as ofensas ao colega de bancada atingem também o povo maranhense.

– Posicionamentos contrários não podem desencadear ofensas em nenhuma instância, devemos ter bom senso e respeitar o direito dos outros. O povo maranhense, reconhecido nacionalmente pela sua altivez, hospitalidade e por seu perfil trabalhador, não merece esse tipo de ataque desnecessário e preconceituoso – ponderou.

Este blog já havia abordado o tom de preconceito que permeia as críticas a Waldir Maranhão. (Releia aqui)

Em seu discurso, Weverton Rocha cobrou também, em tom de desabafo, propostas dos líderes da Casa para solucionar a enorme crise econômica e política pela qual passa o Brasil.

– Após um mês da votação da admissibilidade do impeachment há uma falta de foco dos líderes da Câmara para sugerir soluções para a crise econômica, política e moral que o país passa. A nossa realidade, hoje, é de 10 milhões de desempregados. Precisamos retomar obras importantes e avançar nos diálogos com urgência, o povo brasileiro está aguardando resposta – disse o deputado.

Foi a primeira manifestação de um membro da bancada em defesa do presidente da Câmara.

Maranhão está há duas semanas no comando da Casa.

E já garantiu que não pretende renunciar…

4

Em reação a Flávio Dino, até nordestinos atacam o Maranhão…

Defesa do governador ao mandato da presidente Dilma Rousseff é criticada por deputado sergipano e leva comentaristas a chamar maranhenses de “povo miserável” e “sempre a mercê de ladrões”

 

 

O ataque do deptuado Alberto Fraga a Flávio Dino, que desencadeou o ataque ao Maranhão

O ataque do deputado Alberto Fraga a Flávio Dino, que desencadeou o ataque ao Maranhão

 

A postura do governador Flávio Dino (PCdoB), de intensa articulação em defesa do mandato da presidente Dilma Rouseff (PT), despertou o ódio de gente defensora do impeachment no Brasil a fora.

E até nordestinos passaram a atacar o Maranhão, nas redes sociais, por causa da ação do governador.

Um dos ataques: "a mercê de ladrões corruptos"

Um dos ataques: “a mercê de ladrões corruptos”

Após postagem do deputado sergipano Alberto Fraga, criticando a postura de Dino – sobretudo após a cooptação do deputado Waldir Maranhão (PP) para as fileiras dilmistas – sergipanas passaram a agredir o Maranhão como forma de desqualificar o governador.

Uma delas, identificada por @fatimacapalbo23, afirma, categoricamente:

– Pobre povo do Maranhão, sempre à mercê de ladrões, corruptos; explicado por que é um estado de miseráveis.

Outra comentaista atesta a causa da pobreza maranhense; "estado de miseráveis"

Outra comentaista atesta a causa da pobreza maranhense; “estado de miseráveis”

Outra, identificada por @esperancaetica, foi na mesma linha:

– Por isso que o Maranhão é um estado miserável. Deputados que estão contra o impeachment são a favor da corrupção – declarou.

O ataque ao maranhenses gerou forte reação no estado.

E desde ontem, o perfil do deputado Alberto Franga no Twitter está infestado por uma guerra entre nordestinos.

Com agressões e xingamentos de lado a lado…

8

Imagem reprimida do dia…

sexySecretaria de Estado da Mulher anunciou interpelação do sexy shop Fantasy por propaganda vista como “sexista”; o Procon-MA, por sua vez, considerou o anúncio abusivo. A propaganda da loja de artigos sexuais mostra uma mulher nua, de costas, em posição erótica. A propaganda, veiculada em ônibus de São Luís, gerou forte polêmica desde que começou a circular. Abuso ou purismo de quem se incomodou?!?

1

André Fufuca também reage a preconceito de deputado catarinense…

André Fufuca: repúdio ás ofensas contra o Maranhão

André Fufuca: repúdio ás ofensas contra o Maranhão

O deputado André Fufuca (PEN) encaminhou à Mesa Diretora da Câmara Federal uma Moção de Repúdio ao deputado catarinense Valdir Colatto (PMDB), que menosprezou o Maranhão em um comentário sobre separatismo no Brasil.

– Não podemos compactuar e muito menos aceitar manifestações como essas contra o Maranhão. O deputado foi muito infeliz e esperamos que ele possa se retratar da bobagem que fez, pois os maranhenses e o Maranhão merece respeito – afirmou André Fufuca.

A proposta de André Fufuca, respaldada por toda a bancada do Maranhão

A proposta de André Fufuca, respaldada por toda a bancada do Maranhão

O deputado Juscelino Filho (PRP) também já havia criticado o colega catarinense, e o estadual Edilázio Júnior propôs à Assembleia aprovação de Moção de Repúdio.

A Moção de Repúdio foi assinada por praticamente todos os deputados federais do Maranhão diante da imbecilidade publicada pelo deputado catarinense.

3

Deputados maranhenses reagem ao preconceito…

juscelino

Juscelino Filho criticou colega em artigo..

Pelo menos dois parlamentares maranhenses – o deputado federal Juscelino Filho (PRP) e o estadual Edilázio Júnior (PV) – reagiram à proposta preconceituosa do deputado catarinense Valdir Colatto (PMDB-SC). Colatto usou como argumento para criar uma nova nação, reunindo os estados do Sul do país, usando como argumento o ato de Santa Catarina pagar mais impostos que o Maranhão – e receber menos em contrapartida.

Juscelino Filho escreveu o artigo “Separatismo e Preconceito”, em que critica a sanha do colega catarinense.

– Qualquer aritmética simplória que reduz a importância dos brasileiros a números comparativos de receita e despesa dos estados e municípios onde eles residem não respeita nossa melhor tradição republicana, democrática e federativa – disse Juscelino. (Leia a íntegra aqui)

Edilázio quer Moção de Repúdio da Assembleia

Edilázio quer Moção de Repúdio da Assembleia

Edilázio Júnior, por sua vez, apresentou proposta de Moção de Repúdio ao deputado, que deve ser analisada nesta quinta-feira, 27, na Assembleia.

– Ao invés de cumprir o seu papel de deputado federal que é legislar, criar leis que tenham por objetivo reduzir a desigualdade social no país, ele propõe a separação do país e desrespeita o Maranhão. Foi uma postura insensata, inaceitável e digna de repúdio desta Casa e de toda a população – afirmou Edilázio Júnior.

Nenhuma manifstação oficial do governo maranhense foi apresentada até agora.

3

Imagem do dia: a distância entre o discurso e a prática…

governo

O governo que se ufana demagogicamente com a imagem acima, em homenagem à decisão do governo americano de tornar legal o casamento homoafetivo em todos os EUA, é o mesmo que silencia covardemente diante da violência preconceituosa a uma aluna transexual cometida pelo diretor de uma escola de sua rede de ensino. É típico deste governo usar o blablablá retórico para elogiar a si próprio, enquanto, na prática, se move pelo preconceito, pelo autoritarismo e pela perseguição

56

Que serviço Silas Malafaia prestou a São Luís???

Malafaia: lucros em nome da fé

Ridículo, sob todos os aspectos, o Título de Cidadão de São Luís que a vereadora evangélico-comunista (?) Rose Sales (PCdoB) quer dar ao controvertido pastor evangélico Silas Malafaia.

Malafaia é um daqueles mercadores televisivos, que enriqueceram com a exploração midiática da fé evangélica a partir de meados dos anos 90 e hoje dominam a programação das sub-redes de televisão no país.

Não há qualquer ação de Malafaia em São Luís que justifique um título de cidadão.

Rose Sales quer, portanto, mais uma vez, fazer proselitismo religioso com o mandado que lhe foi outorgado pelo povo.

Não justifica sequer o fato de, como pastor evangélico, ele estar diariamente levando mensagens de suposta esperança e paz.

Até por que, junto com as mensagens vão também a venda de livros e produtos “santos”, assinatura de revistas, passagens e bilhetes para eventos protagonizados pelo próprio.  

Silas Malafaia é só o titular de uma indústria milionária que cresce às custas da fé religiosa – como muitos outros, a exemplo de Edir Macêdo, RR Soares, Robson Rodovalho e Marco Feliciano.

O caminho é sempre o mesmo: a fortuna – a exemplo dos dois primeiros – ou a política, como Rodovalho e Feliciano.

Deveriam ter vergonha – ele e a vereadora – de cogitar uma comenda destas…