0

Alerta em fake de Bolsonaro é cerco às notícias falsas no Brasil…

Instagram vetou publicação do presidente por entender que não condizia à verdade, reforçando a ideia de que a maior parte das mentiras disfarçadas de informação são espalhadas a partir dos círculos mais ligados ao governo

 

A fake news publicada por Bolsonaro e o aviso de informação falsa imposto pelo instagram: mentiras partem de várias fontes ligadas ao presidente

Repercutiu mundialmente o selo de fake news imposto pela rede social Instagram em uma postagem do presidente Jair Bolsonaro, na última terça-feira, 12 .

Mais do que um episódio isolado, a ação reforça a ideia – já em investigação no Brasil – de que parte de Bolsonaro, de sua família e dos círculos mais próximos ou vinculados ao Governo Federal a proliferação de notícias falsas no Brasil.

A qualificação de Bolsonaro como espalhador de fake news acaba por se transformar também no cerco à proliferação de informações mentirosas no país inteiro.

Mas não é a primeira vez que ele é desmascarado por publicação de mentiras.

No último dia 29 de março, o Twitter deletou dois posts da conta do presidente por violação às normas da rede social. 

E ele tem seguidores nesta prática em todo o Brasil.

Qualquer observador percebe que essas fake – geralmente espalhadas a partir de grupos de WhatsApp – partem em 90% das vezes de aliados do presidente ou de gente que o apoia.

Aqui mesmo em São Luís já houve debates tensos nesses grupos por causa de notícias falsas plantadas por bolsomínions, que ainda por cima debatem, agressivamente, tentando provar sua veracidade.

Para o Instagram – e ficou claro agora para o mundo inteiro – Bolsonaro é um propagador de mentiras na internet.

Mas o Brasil, de muito, já sabia disto…

6

O BBB pós-ascensão do bolsonarismo no Brasil…

Num país em que ganhou força política a defesa de noções e conceitos abjetos – como racismo, machismo e a homofobia – até a votação do popular reality show da Rede Globo se transforma em um intenso debate ideológico

 

Disputa entre Felipe Prior e Manu Gavassi ganha ares de batalha ideológica entre bolsomínions e militantes de esquerda

Editorial

O programa Big Brother Brasil apresenta nesta terça-feira, 31, mais um paredão entre seus participantes, o que não seria nada demais para quem não é fã da atração da Rede Globo.

Mas, em tempos de ascensão do bolsonarismo, a disputa entre o arquiteto Felipe Prior e a cantora e escritora Manu Gavassi se transformou em mais uma batalha ideológica entre militantes da direita e da esquerda brasileiras.

Tanto que a outra emparedada, a digital influencer Mari Gonzalez, passa praticamente despercebida.

Manu Gavassi é a típica feminista empoderada e de posições sociais estridentes contra posturas consideradas fora da ordem mundial. Seu posicionamento despertou a atenção de militantes de esquerda e artistas, entre elas a atriz Bruna Marquezine.

Tanto que ganhou comentário atribuído à popstar americana Taylor Swift, apontando que o seu adversário não representaria os valores reais do povo brasileiro.

– Eu sou definitivamente #ForaPrior pois não posso apoiar alguém como ele, e acho que os valores dele não refletem os valores brasileiros – diz o texto, em inglês, atribuído a Taylor Swift, depois desmentido pelos próprios fãs de Gavassi.

Típico representante das classes mais caraterísticas da base dos bolsomínions, Prior é apontado pelos próprios bolsonaristas como “politicamente incorreto”.

Seus valores incluem de atitudes abertamente machistas, racistas e homofóbicas até a relativização de práticas bizarras, como a pedofilia e a zoofilia. (Saiba mais aqui)

Ele recebe nas redes sociais apoios igualmente típicos do bolsonarismo, como de jogadores de futebol e de astros sertanejos.

Manifestação de Eduardo Bolsonaro sobre BBB 20: defesa dos valores típicos do bolsonarismo representados em Prior

Mas o que chamou atenção foi o comentário de ninguém menos que Eduardo Bolsonaro – logo ele, que chama a Globo de Lixo?!? – em defesa do arquiteto.

– Tem uma militante de esquerda concorrendo com um cara que é politicamente incorreto e ganhou apoio de quem odeia mimimi, muitos jogadores de futebol, por exemplo – ressaltou o 03 do presidente Jair Bolsonaro, logicamente orgulhoso com mais esta pérola do pensamento bolsomínion.

Prior já havia recebido apoio de figuras como Neymar e Felipe Melo.

Mas a manifestação de um dos Bolsonaro-filhos é que pode ter definido o seu futuro no Big Brother Brasil.

Para o bem ou para o mal…

5

Tadeu Palácio ganha força no PSL após derrocada de bolsonaristas…

Ex-prefeito é diretamente ligado ao vereador Chico Carvalho, que se fortaleceu com a saída do presidente Jair Bolsonaro e conduzirá o processo eleitoral no partido em 2020

 

Carvalho é o aval de Tadeu Palácio para candidatura pelo PSL em São Luís

A ex-candidata a governadora Maura Jorge já anunciou sua saída do PSL; com ela, devem seguir para o novo partido de Jair Bolsonaro os também bolsonaristas Allan Garcêz e Coronel Monteiro.

A saída dos bolsomínions fortalece o projeto de candidatura do ex-prefeito Tadeu Palácio pelo PSL.

Palácio é historicamente ligado a Carvalho, que o chamou ára a legenda com o intuito de lança-lo candidato a prefeito.

O problema é que o próprio Tadeu Palácio só foi para o PSL porque apostava em ter a popularidade do presidente vinculada ao seu nome.

De qualquer forma, ele passa a ser o único representante da legenda na disputa de 2020…

0

Bolsonaristas voltam às ruas na contramão do “Mito”…

Por Josias de Souza, do UOL

Ao retornar ao asfalto neste domingo, apologistas e simpatizantes de Jair Bolsonaro vivem uma experiência inédita: pela primeira vez, trafegam na contramão do “mito”.

Exposta na vitrine das redes sociais, a pauta da manifestação transforma o presidente numa espécie de conto do vigário no qual seus admiradores caíram. A rua volta a ronronar para Sergio Moro num instante em que Bolsonaro rosna para o seu ministro da Justiça, carbonizando-o.

O meio-fio faz coro pela ascensão de Deltan Dallagnol ao posto de procurador-geral da República. Mas o capitão agora avaliza no Twitter a tese segundo a qual o chefe da força-tarefa de Curitiba é “um esquerdista estilo PSOL”.

Os manifestantes exigem o impeachment de ministros do Supremo. Entre eles o presidente da Corte, Dias Toffoli. Que virou amigo de infância de Bolsonaro desde que suspendeu inquérito contra o filho 01 do presidente.

Antes, os bolsonaristas jogavam pedras nos telhados de vidro dos outros. Agora, se arriscam a atingir Bolsonaro, que tem não só o telhado, mas o paletó, a camisa, a gravata e a família de vidro.

Na campanha eleitoral, Bolsonaro surfou a onda da Lava Jato, camuflando os vícios que adquirira em 28 anos de exercício patrimonialista do mandato de deputado.

Decorridos apenas oito meses de sua Presidência, o capitão age para neutralizar as engrenagens que potencializaram o esforço anticorrupção: Receita, PF, Coaf…

Em manifestações anteriores, os devotos de Bolsonaro pegaram em lanças pela transferência do Coaf do Ministério da Economia para a pasta de Moro.

Agora, Bolsonaro esconde o Coaf nos fundões do Banco Central.

E rasga a carta branca que dera a Moro, afastou do comando do órgão Roberto Leonel, um auditor que o ex-juiz trouxera da Lava Jato. Nas outras incursões ao asfalto, a tropa bolsonarista recebera estímulos do capitão para espancar o centrão, acusando-o de travar as reformas.

Isso mudou.

No momento, a intenção de Bolsonaro de indicar o filho 03 para a embaixada do Brasil em Washington virou uma oportunidade que o centrão aproveita. O centrão mistura sobre o mesmo balcão a votação do nome de Eduardo Bolsonaro no Senado e a sanção do presidente ao projeto de lei sobre abuso de autoridade.

Enquanto Bolsonaro exerce o privilégio de escolher seu próprio caminho para o inferno, os bolsonaristas retornam ao asfalto examinando suas consciências.

Para verificar se não confundiram um certo político com o político certo.

3

Bolsomínions sequer sabem o que falam sobre Lula…

Adepta do bolsonarismo maniqueísta, patuleia “ordem unida” primeiro reclamou da decisão da juíza que tentou transferir Lula –  achando ser este um pedido da defesa – depois, reclamou do STF porque queria o ex-presidente em Tremembé

 

COMO GADO, A MASSA BOLSOMÍNIA VAI SENDO GUIADO PELOS MANIPULADORES DAS FAKE NEWS construidas pelos aliados do presidente

Editorial

O titular do blog Marco Aurélio D’Eça sempre aponta em grupo de troca de mensagens que há um elã entre o perfil dos eleitores mais fanáticos do bolsonarismo e o perfil do próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Geralmente são evangélicos radicais, riquinhos recalcados com o avanço das classes menos favorecidas, militares autoritários, machistas inveterados e homofóbicos de toda sorte.

Gente que estava numa espécie de armário durante os governos progressistas de Fernando Henrique Cardoso a Dilma Roussef, passando pelos oito anos de Lula.

Este perfil bolsomínion já foi, inclusive, analisado no post “Os amantes da ditadura sempre andaram por aí..”

Essa turba viu no avanço da extrema direita pós-golpe de 2016 uma forma de sair do armário e gritar a plenos pulmões, expor o ódio que engoliram nesses anos todos e construir um Brasil só deles: machista, ultraconservador, de extrema direita, onde as liberdades individuais só serviriam para a própria manada bolsomínia.

A decisão desta quarta-feira, 7, da juíza Carolina Lebbos – de transferir, de uma hora para outra, o ex-presidente Lula, da prisão em Curitiba para o presídio de Tremembé, em São Paulo – expôs de forma indubitável a consciência política dessa massa “ordem unida”.

Os bolsomínions primeiro passaram a xingar a juíza, a proferir todos os impropérios típicos da “nação bolsonarista”, achando que a transferência era um pedido da defesa.

Depois, ao perceber tratar-se de mais uma arbitrariedade contra Lula, passaram a comemorar a decisão como uma espécie de sentença de morte do ex-presidente.

Mais tade passaram a odiar os ministros do Supremo Tribunal Federal, que corrigiram a agressão da juíza.

Mas se perguntar aos que gritam em prol de Bolsonaro – e contra tudo o que é diferente dele – essa massa não saberá sequer dizer o que, de fato, ocorreu nesta fatídica quarta-feira, 7 de agosto.

Este é o perfil da manada bolsomínia que vem seguindo o rebanho.

É simples assim…

4

Com fake news, Bolsonaro expõe jornalista do Estadão…

Presidente usa uma conversa manipulada para tentar vender ao Brasil que as denúncias contra o filho são orquestradas na imprensa e acaba por expor a profissional  ao risco do bolsonarismo

 

COM SEU ESTILO TRUCULENTO, Bolsonaro tenta manter no governo o mesmo clima de guerra que o fez sobreviver na política

O presidente Jair Bolsonaro (PSL)  seus filhos 01, 02 e 03 ganharam a vida na política criando clima de guerra nas redes sociais.

E ele mantém o mesmo estilo no comando do país.

A agressão que o presidente comete agora contra a jornalista Constança Rezende, do jornal O Estado de S. Paulo, é um crime contra o jornalismo. (Entenda aqui)

Bolsonaro utilizou-se de uma trapaça para tentar desmoralizar a jornalista, responsável pelas reportagens que revelaram as traquinagens do senador Flávio Bolsonaro com o salário dos seus funcionários na Alerj do Rio de Janeiro.

Malucos, idiotas, trogloditas e boçais que ascenderam com o bolsonarismo espalham desde o fim de semana a foto de Constança em matérias sem pé–nem cabeça.

A jornalistas corre riscos, exposta a estes  ensandecidos.

E o que acontecer deve ser atribuído ao próprio Bolsonaro.

É simples assim…

1

Zé Inácio acusa bolsomínions por ataque à sede do PT…

Para o deputado, vandalismo é típico da “índole daqueles que defendem e apoiam Jair Bolsonaro, saudosistas do regime militar”

 

Sede do PT, no Cohafuma, pichada com inscrições bolsomitas

O deputado estadual Zé Inácio, representante do PT na Assembleia Legislativa, emitiu Nota de Repúdio ao ataque perpetrado contra a sede do PT maranhense, no Cohafuma.

E aponta diretamente os responsáveis pelo vandalismo.

– É lamentável que estas práticas antidemocráticas ainda aconteçam, embora conheçamos a índole daqueles que defendem e apoiam Jair Bolsonaro, saudosistas do regime militar – afirmou Inácio.

Para o parlamentar, o ataque ao PT é uma mostra do ódio, do preconceito  da intolerância disseminados pelos bolsomínions.

Leia a íntegra da nota abaixo:

NOTA DE REPÚDIO

por Deputado Zé Inácio (PT)

Repudio com veemência a ação antidemocrática e criminosa de vândalos contra a sede do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão.

A sede amanheceu pichada com símbolos e frases enaltecendo o Deputado Jair Bolsonaro, uma clara afronta à democracia e à liberdade de opinião que conquistamos às duras penas no Brasil.

É lamentável que estas práticas antidemocráticas ainda aconteçam, embora conheçamos a índole daqueles que defendem e apoiam Jair Bolsonaro, saudosistas do regime militar.

Somos um país democrático e livre! Não aceitaremos nenhum tipo de ataque criminoso contra o PT e rechaçamos firmemente a ação contra a sede do Partido por parte de seguidores do Bolsonaro que disseminam o ódio, a intolerância e o preconceito contra quem pensa diferente deles.

Seguiremos firme na defesa da democracia e tomaremos as devidas providências para apurar os fatos e punir os responsáveis por essa ação criminosa.

2

Embate direita versus esquerda deve ser atração em 2018 no MA…

Tradicionais partidos radicais como PSTU e PSOL ganharão a companhia dos bolsominions na defesa dos postulados dos extremos ideológicos

 

RADICAIS. O PSTU, com seu eterno candidato Zé Maria, agora tem oponente à altura, entre os aliados de Bolsonaro no Maranhão

De O EstadoMaranhão

Uma das curiosidades das eleições de 2018 no Maranhão deve ser o embate, inédito, aberto e franco entre os militantes da ultra-esquerda e da ultra-direita.

Os ultra-esquerdistas são representados, sobretudo, por PSOL, PSTU e PCB, já acostumados aos pleitos maranhenses. A ultra-direita entra pela primeira vez no debate com os bolsominions, simpatizantes da candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) à presidência da República.

Os direitistas – que defendem os postulados conservadores na sociedade – devem ter, inclusive, candidato a governador. Trata-se do coronel de Exército José Ribamar Monteiro Segundo.

Falta apenas definir em que partido se filiarão, já que o PEN, pretendido nacionalmente por Bolsonaro, mostra resistência estadual aos membros da União da Direita Maranhense (UDM), onde se abrigam os bolsominions no estado. (Releia aqui)

Mais antigo representante do radicalismo esquerdista no Maranhão, o PSTU deve chegar menos encorpado ao pleito de 2018. Perdeu dois de seus ícones históricos, os sindicalistas Marcos Silva – várias vezes candidato a governador e a prefeito – e Luiz Noleto, que já disputou o Senado.

O PSOL, que tenta fugir do estigma de ultra-esquerda e ocupar o espaço deixado pelo PT e seus inúmeros escândalos de corrupção, tem como opções de candidato o ex-vereador Haroldo Saboia e o advogado Antônio Feitosa.

De uma forma ou de outra, a dicotomia esquerda X direita terá importante papel como pano de fundo do debate que deve se dar entre os principais candidatos a governador.