1

“Ditadura Maduro agora avança contra os cidadãos”, preocupa-se Eliziane Gama

Senadora maranhense mostra postura independente, critica o regime que “aniquilou a Venezuela” e defende a retomada da democracia como salvação para o país vizinho

ELIZIANE POSICIONA-SE CRITICAMENTE EM RELAÇÃO À DITADURA VENEZUELANA, cobrando a retomada da democracia no país

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) posicionou-se publicamente nesta quarta-feira, 1º, contra o regime autoritário do ditador Nicolàs Maduro, que assola a Venezuela.

Para Eliziane, o risco maior é que o regime agora avança contra os próprios cidadãos.

– Ditadura Maduro aniquilou o país; agora avança contra os cidadãos – afirmou a senadora, em suas redes sociais.

POSIÇÃO DA SENADORA MARANHENSE NAS REDES SOCIAIS foi claramente anti-Maduro…

A postura de Eliziane Gama mostra independência em relação ao pensamento do governo Flávio Dino (PCdoB), que defende abertamente a ditadura venezuelana, mesmo diante de todas as atrocidades cometidas pelo regime.

– Só a retomada da democracia pode abrir novos horizontes ao povo venezuelano – reflete a parlamentar maranhense.

3

Nem Brasil, nem EUA. Nem Rússia, nem Cuba; Venezuela é do seu povo…

A ditadura tirana que assolou o país vizinho deve ser deposta por ações dos próprios venezuelanos, sem influências de ianques e brasileiros; e muito menos de ditaduras comunistas que ainda assolam o mundo

 

GUAIDÓ E LOPEZ PODEM, ELES MESMOS, RETOMAR O RUMO DA VENEZUELA, mas sem virar bonecos de ventríloquo de Donald Trump

Editorial

Está claro que a Venezuela vive há anos sob o jugo de um ditador tirano e sanguinário, que massacrou o seu povo, levando à miséria absoluta no país.

Apoiar a permanência de Nicolàs Maduro no comando venezuelano é ajudar a destruição do seu povo. O tirano só é apoiado por ditaduras tão nefastas quanto a dele, como as de Cuba, a da Rússia e a da China.

DESLUMBRADO COM TRUMP, BOLSONARO, FEITO CÃOZINHO AMESTRADO, pode levar o Brasil a uma guerra que não é sua

Mas está claro também que todas as tentativas de deposição de Maduro têm sido influenciadas pelos Estados Unidos, que acabaram arrastando o Brasil de Jair Bolsonaro (PSL), um cão amestrado, para o mesmo propósito.

A questão da Ditadura venezuelana envolve a soberania o seu próprio povo.

E entre o povo venezuelano há lideranças prontas para assumir o poder e levar para a cadeia os representantes deste regime nefasto, que vem destruindo o país desde os tempo de Hugo Chàvez.

NICOLÁS MADURO É UM TIRANO ASSASSINO, QUE DESTRUIU A VENEZUELA EM MENOS DE 20 ANOS, e precisa ser apeado do poder

O autoproclamado presidente Juan Guaidó e o líder contrarrevolucionário Leopoldo López – que também não são flores que se cheire – têm condição de tomar o poder na Venezuela, sobretudo se buscar apoio de militares insatisfeitos com o regime de Maduro.

E são eles que devem fazer essa retomada – sem nenhuma interferência de Donald Trump ou do seu cachorrinho amestrado que ora comanda o Brasil.

A FLÁVIO DINO CABE FICAR CALADO, PARA NÃO PASSAR MAIS UMA VEZ DE BOBO aos olhos da comunidade internacional

E por aqui, defensores do regime tirano, como o PCdoB de Flávio Dino, devem ficar calados, para evitar se afundar ainda mais na lama da esquerda.

A Venezuela é do povo venezuelano, não do Brasil ou dos Estados unidos.

Muito menos de Cuba ou da Rússia.

É simples assim…

11

Para Allan Garcês, Flávio Dino “envergonha o Maranhão com apologia à Venezuela”…

Médico critica o governador por se fardar de Guarda Nacional do país de Nicolàs Maduro e expor a foice e o martelo, símbolo do comunismo, em plena festa carnavalesca em São Luís

 

DINO TEM EXIBIDO A FOICE E O MARTELO DO COMUNISMO EM SUAS ANDANÇAS pelo carnaval de São Luís

O médico maranhense e militante de direita Allan Garcês incomodou-se com a performance carnavalesca do governador Flávio Dino (PCdoB).

Para ele, o comunista “envergonha o Maranhão” ao se fantasiar como membro da Guarda Nacional Venezuelana e fazer apologia da cruz e do martelo, símbolo do comunismo.

– É lamentável e vergonhoso, o senhor no carnaval se comportar desta forma. Envergonha o povo maranhense. Deveria ter vergonha na cara e pedir desculpas às famílias venezuelanas que tiveram seus entes assassinados pelo tirano ditador Nicolàs Maduro – pregou Garcês, em suas redes sociais.

Para o médico, que pediu desculpas ao Brasil pelo comportamento do governador, Flávio Dino adota um comportamento insano no carnaval.

Allan Garcês chegou a publicar um vídeo em que Dino aparece fardado, empunhando uma foice e um martelo feitos de Madeira. (Veja o vídeo acima)

O governador comunista tem usado a “fantasia” desde o início do carnaval…

2

Sobre a crise na Venezuela…

Uma coisa é considerar o governo Nicolas Maduro nocivo ao seu povo, que deve ter dispositivos para, se quiser, livrar-se dele; outra, bem diferente, é um outro país conspirar um golpe, por mais nobres que sejam seus objetivos

 

A miséria impera na Venezuela; mas golpes internacionais só vão aumentar esta dor, que deve ser combatida pelo próprio povo

Editorial

O blog Marco Aurélio D’Eça sempre criticou o apoio das esquerdas brasileiras a ditaduras como as da Venezuela, de Cuba e da Coreia do Norte. (Releia aqui, aqui, aqui e aqui)

Não há nenhuma dúvida de que os sucessivos governos bolivarianos na Venezuela, começando por Hugo Chávez, até chegar a Nicolas Maduro, empobreceu o seu povo.

Mas este blog também sempre se posicionou criticamente às intervenções imperialistas, porque defende a autonomia dos povos e de sua cultura, seja ela qual for.

Trump lidera a pressão mundial contra o regime político de Nicolas Maduro; e hoje tem o Brasil amestrado

Nem os Estados Unidos, nem a Rússia, muito menos o Brasil têm o direito de conspirar internacionalmente para promover um golpe de estado, qualquer que seja o país.

E a autopromoção de Juan Guaidó ao governo venezuelano é um golpe, em todos os seus aspectos.

Até a data do golpe, 23 de janeiro, foi escolhida cirurgicamente, por representar um dia histórico para a Venezuela.

Se os Estados Unidos, a Colômbia ou o Brasil quisessem mesmo “salvar o povo venezuelano”, deveriam ter agido para impedir a reeleição de Maduro, que se mostrava eivada de irregularidades.

Jackson Lago e Hugo Chávez no Palácio dos Leões: recado pedetista e duras críticas deste blog

A situação no país vizinho pode ser comparada à relação Maranhão/Brasília.

O blog Marco Aurélio D’Eça é criticamente duro com o governo comunista de Flávio Dino; e entende que sua reeleição está manchada pela marca da corrupção e do abuso de poder.

Mas imagine o presidente Jair Bolsonaro, de repente, inventar um deputado, um prefeito ou mesmo um vereador qualquer para apear o comunista do poder?!?

Esta é a situação de hoje na Venezuela.

Uma espécie de golpe contra um golpe já consolidado…

Leia também:

A venezuelização do Maranhão…

Maranhão: do comunismo ao Estado Islâmico…

Flávio Dino e Bolsonaro: dois lados da mesma moeda…

Terroristas e comunistas…

0

Maranhão vive uma pequena Venezuela, diz Edilázio Júnior…

Deputado criticou estado de exceção imposto por Flávio Dino no Maranhão e critica a falta de ações do governo para minimizar os efeitos do desabastecimento

 

O deputado estadual Edilázio Júnior, pré-candidato a deputado federal pelo PSD, repudiou a crise institucional e a situação de “insegurança jurídica”, vivenciada pelos maranhenses, segundo ele na gestão Flávio Dino.

“Estamos vivendo um momento muito delicado no país em decorrência dessa crise, mas aqui no estado a situação é mais notória. Lá nos Estados Unidos tem Little Havana, que é um bairro em Miami, que faz referência a Cuba. Aqui no Maranhão nós estamos vivendo a “Little Venezuela”, ainda que de forma amena, com relação ao desabastecimento de produtos como lá vem ocorrendo. Mas, pior que isso, aqui em nosso estado nós estamos vivendo uma insegurança jurídica”, disse.

O parlamentar citou a censura imposta ao Sindicato dos Policiais Civis e a perseguição a uma empresa, o que fere a Constituição Federal.

“O governador Flávio Dino, juntamente com o secretário de Segurança [Jefferson Portela], não satisfeito com o sindicato dos policiais, que colocou um outdoor apenas com a verdade, dizendo que o governo estava investindo apenas 1% do seu orçamento em segurança, ordenou que a empresa responsável pelos outdoors retirasse dali aquela imagem do governador ditador, com o secretário. […] Agora a empresa vai ter de devolver o dinheiro ao sindicado, porque o contrato estava em vigência. É uma perseguição sem fim”, afirmou.

Ele também criticou a aprovação de matérias, no Legislativo Estadual, que ferem a Constituição.

“Vimos aqui hoje a mudança da Constituição Estadual, passando por cima da Constituição Federal, para defender interesse eleitoreiro do governador Flávio Dino, assim como na Venezuela, onde Nicolas Maduro mudou a Constituição para poder ser reeleito ad aeternum. […] Mas a nossa democracia, as nossas urnas não vão permitir que ele se reeleja”, finalizou.

10

A venezuelização do Maranhão…

A miséria e o desemprego gerados no governo comunista, somados à idolatria do PCdoB ao ditador da Venezuela, mostram que Flávio Dino caminha para seguir o mesmo caminho de Nicolas Maduro

 

A miséria que destrói o povo venezuelano já começa a ser vivida também no Maranhão, no governo Flávio Dino

Na Saúde, o instituto que gerenciava o Hospital Carlos Macieira tem o contrato cancelado pelo governo Flávio Dino (PCdoB), que levanta, em nota, suspeitas sobre a conduta da empresa que ele próprio contratou.

Em resposta, o Instituto Gerir diz que teve o contrato encerrado após calote do governo, da ordem de cerca de R$ 60 milhões.

Na Segurança, o governo age de forma ditatorial e retira um outdoor pago pelo Sindicato dos Policiais Civis (Simpol), em que tece críticas e aponta equívocos na gestão do governo no setor.

Em resposta, o mesmo Simpol chama Flávio Dino de ditador, epíteto que já começou a ganhar fama em todo o estado.

Gestos de Flávio Dino têm muito a ver com os dos ídolos do seu partido na Coreia e na Venezuela

E assim vai sendo conduzido o governo comunista do Maranhão, que pregou a mudança e novas práticas administrativas, mais o que se viu, três anos depois, foram miséria, desemprego e perseguição em todos os níveis.

Talvez até para fazer valer a postura do PCdoB, que exalta em seu próprio site o regime ditatorial e perseguidor de Nicolas Maduro, na Venezuela, Flávio Dino demonstra, cada vez mais, estar parecido com esse ídolo do partido, que acaba de ser reeleito em uma fraude eleitoral condenada em todos os regimes democráticos do mundo.

Curiosamente, o mesmo Flávio Dino conduz o processo de sua reeleição nos mesmos moldes de Nicolas Maduro, com perseguição a adversários, espionagem da Polícia Militar, manipulação da propaganda e geração de notícias falsas contra seus adversários.

Maduro é visto como ditador pelo mundo livre e democrático.

Flávio Dino já foi chamado de ditador por vozes do peso da ex-governadora Roseana Sarney, da ex-prefeita Maura Jorge e, agora, do prestigiado Sindicato dos Policiais.

É a venezuelização do Maranhão em todos os seus aspectos.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Pausa para espairecer…

Após forte desgaste por conta do aumento abusivo de impostos no Maranhão, o governador anuncia um período de férias a partir de janeiro.

É a segunda folga do governador em menos de dois meses.

Dino já encaminhou à Assembleia autorização para deixar o país, o que indica um período no exterior.

Mas, não, ele não vai à Venezuela.

Pelo menos não foi divulgado…

2

A venezuelização do Maranhão…

Com modelo comunista de gestão, governador Flávio Dino parece seguir o exemplo do país de Hugo Chavez que, por sua vez, seguiu o modelo cubano de Fidel Castro; e deu no que deu…

 

O comunista Flávio Dino mostrou seu estado puro em 2016

Desde o início da era do coronel Hugo Chavez- que, aliás, veio ao Maranhão durante o governo pedetista de Jackson Lago – a Venezuela passou a seguir um modelo de “cubanização” de sua Economia, com toda a estrutura pública e política moldada nos parâmetros da ilha comandada pelo recém-falecido Fidel Castro.

Mas a Venezuela cubanizada – em que até sabonete vira alvo de contrabando – também passou a ser modelo para lunáticos da América Latina e de todo o mundo. E parece influenciar também a economia do Maranhão, sob a égide do comunista Flávio Dino.

O recém-aumento de impostos em vários setores cruciais da economia – energia elétrica, combustíveis, construção civil… – pode levar à “venezuelização”do estado no período em que estiver sob o comando de Dino.

Um exemplo do risco de colapso está exatamente no setor da construção.

Flávio Dino, primeiro, aumentou em 50% a alíquota do ICMS da energia elétrica – passando de 12% para 18% – a partir de março. Significa que quem pagava R$ 10,00 de imposto na conta de luz passará a pagar R$ 15,00 daqui a 90 dias.

Não satisfeito, agora encaminha projeto aumentando em 80% a alíquota do mesmo ICMS para os insumos da construção civil- passando de 10% para 18%.

O resultado é o risco de colapso no setor de obras, já que, para segurar o aumento de impostos de energia, combustível e insumos, as empreiteiras tendem a cortar custos. E corte de custos significa desemprego.

E desemprego aliado à forte recessão significa, simplesmente, o caminho seguido pela Venezuela.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog